MPF descobre parte das irregularidades CEF/”Minha casa minha vida”; há muito mais… #FIMdaCORRUPÇÃO


O MPF acredita ter descoberto o ovo colombo das irregularidades cometidas dentro da Caixa Econômica Federal, mas isto não é nada.

Quando as construturas cadastram seu imóvel jundo a CEF um Engenheiro da CEF avalia o imóvel. Todo Engenheiro quer trabalhar par a CEF  e sabe por quê? Não é pelo salário. Uma avaliação pode render ao Engenheiro cerca de 1,5% do valor do imóvel cobrado por fora para que o imóvel não seja subavaliado ou mesmo para que não se passem meses para sua avaliação, ou ainda para que não sejam relatados problemas inexistentes que ensejaria nova taxa de avaliação e outra demorada espera. Alguns Engenheiros já foram demitidos por estas prática, que continua.

E quem paga esta conta? R. O custo do Engenheiro entra na planilha de custos, logo quem paga é o adquirente do imóvel cujo valor é embutido no financiamento ou pago por fora.

Depois a Caixa exige que o construtor faça investimentos com Títulos de Capitalização – que além de não render juros se for retirado antes do prazo para por exemplo financiar outra obra o valor original é diminuído -, ou outro investimento qualquer.

Pode exigir ainda que uma boa parte do valor que a construtora recebe, seja aplicado em outros investimento por um prazo determinado. Abrir uma conta corrente e movimenta-la, também ajuda bastante.

Como o prazo em que o construtor da entrada na documentação e a data em que realmente recebe o dinheiro para trabalhar é grande, é de bom tom ter alguém dentro da própria CEF  que receba um numerário por fora para ajudar a resolver estas questões.

O Governo Federal deu o monopólio para a CEF e o povo é quem paga a conta.

recebimento_denuncia_MPF_x_CEF

Agora vejam a reportagem objeto do comentário:

MPF denuncia a Caixa por irregularidades no financiamento do “Minha Casa, Minha Vida”

O MPF (Ministério Público Federal) no Espírito Santo ajuizou ação civil pública contra a Caixa Econômica Federal pela prática de “venda casada” nos financiamentos relativos ao Programa Minha Casa, Minha Vida, do Governo Federal. De acordo com as investigações, a Caixa oferecia taxas reduzidas aos consumidores que adquirissem outros serviços do banco.

A assessoria da Caixa informou que ainda não foi notificada da ação, mas afirma que “não pratica venda casada” e que “em nenhuma hipótese” o financiamento está condicionada à aquisição de outros produtos, sendo  que qualquer pessoa pode participar do programa independente de ter ou não relacionamento com o banco.

De acordo com a denúncia, o banco omitia  informações relevantes a respeito dos financiamentos – como a não necessidade de abrir uma conta corrente para ter o pedido de crédito analisado –, induzindo os clientes a abrirem contas correntes, movimentá-las, quase que exclusivamente para o pagamento de prestações.

Para o MPF, os casos observados durante as investigações caracterizam claramente violação ao artigo 39 do CDC (Código do Direito do Consumidor), no qual se estabelece que é vedada a prática de venda casada, isto é, condicionar a venda de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço. Também de acordo com o CDC, a oferta de informações inverídicas ou mesmo a omissão de dados relevantes aos consumidores infringem direito básico dos consumidores.

Tendo em vista que as violações foram cometidas em tema envolvendo o direito fundamental à moradia, gerando perda de credibilidade no Estado e nas instituições, além de sensação de desamparo, angústia e indignação nos consumidores, o MPF pede que a Caixa seja condenada ao pagamento de multa no valor de R$ 500 mil por dano moral coletivo e que divulgue em suas agências e empresas terceirizadas, em local visível e de fácil acesso, as principais informações acerca dos financiamentos imobiliários.

Como forma “punitiva/pedagógica”, o MPF requer que a Caixa deixe de exigir a aquisição de outro produto ou serviço como condição para a análise e deferimento do financiamento e que não faça distinção de tratamento entre consumidores correntistas e não-correntistas, sob pena de multa no valor de R$ 10 mil por consumidor lesado.

A ação é válida para os municípios de Boa Esperança, Conceição da Barra, Jaguaré, Montanha, Mucurici, Nova Venécia, Pedro Canário, Pinheiros, Ponto Belo, São Mateus e Vila Pavão.

Fonte: ultimainstancia

filosofa_any_rand_sobre_a_corrupcao

 

Esse post foi publicado em Notícias e política e marcado , . Guardar link permanente.

17 respostas para MPF descobre parte das irregularidades CEF/”Minha casa minha vida”; há muito mais… #FIMdaCORRUPÇÃO

  1. Pingback: O Gigantesco esquema do Minha Casa Minha Vida e as grandes construtoras. #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano – Filósofo, jurista, jornalista

  2. Pingback: PF investiga 250 fraudes da Classe A no ‘Minha Casa’. #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano – Filósofo, jurista, jornalista

  3. Pingback: Delegado se recusa a receber petição e é representado junto ao MP por prevaricação e improbidade administrativa | Inacio Vacchiano – Filósofo, jurista, jornalista

  4. Pingback: Engenheiros do Minha Casa Minha Vida reprovam imóveis para ganhar mais. | Inacio Vacchiano – Filósofo, jurista, jornalista

  5. Pingback: GRAVAÇÃO – FLAGRA: Caixa exige “relacionamento” para liberar recursos Minha Casa Minha Vida #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano – Filósofo, jurista, jornalista

  6. Pingback: Empresa denuncia CREA-Pb ao MPF por cobrança indevida de CPMAT #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano

  7. Pingback: Mais detalhes de como ocorre a corrupção na CEF – Caixa Econômica Federal #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano

  8. Pingback: Caixa impõe a clientes do ‘Minha Casa’ gastos sem relação com o financiamento habitacional | Inacio Vacchiano

  9. Pingback: PAC com o freio de mão puxado – Como vencer a burocracia? #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano

  10. Pingback: R$ 164 mil de “extra” provavelmente extorquidos por servidores da CEF são apreendidos. #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano

  11. Pingback: BRASIL! Um pais movido a burocracia e propina. Desabafo de uma empresa vítima da CEF #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano

  12. Pingback: Burocracia é crime; Emperra o Estado, prejudica o PIB, cria desemprego – No ensejo uma crítica ao CREAA #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano

  13. Pingback: MPF convida sociedade paraibana para denunciar venda casada pela CEF #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano

  14. Pingback: Veja como ocorre a corrupção nos órgãos públicos e como processar um servidor corrupto | Inacio Vacchiano

  15. Pingback: Empresa denuncia auditor fiscal na PF por excesso de exação, condescendência criminosa e abuso de autoridade | Inacio Vacchiano

  16. Pingback: Prefeitura de João Pessoa é denunciada no MP por improbidade administrativa – falta de concurso público #FIMdaCORRUPÇÃO | Inacio Vacchiano

  17. Cameron Berry disse:

    Segundo apurações do MPF, ao vender as cotas de consórcios de imóveis, que variam de R$ 30 mil a R$ 300 mil, a Caixa obriga o cliente a também adquirir um seguro de vida, que é incluído automaticamente – e cobrado – a partir da segunda prestação do consórcio. O valor é de 0,03863% do valor da categoria, que é o da carta de crédito mais taxa de administração e fundo de reserva. As prestações são corrigidas anualmente, pelo mesmo índice da carta de crédito, durante a vigência do grupo. Cerca de 120 mil consumidores já teriam adquirido o seguro, segundo a Caixa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s