8 A JUSTIÇA – CHETH


caminho 18 Justiça

1.1    Elementos constitutivos ou relacionados

Sephirah: Hod no primeiro ciclo
Signo do sendeiro: Câncer
Elemento zodiacal: Água
Trilogia elem. sephirótico: Água do Ar no primeiro ciclo
Planeta do sendeiro: Lua
Arcanjo do signo: Muriel (מוריאל)
Velas:  3 laranjas amarelado
Incenso: [Cânfora, murta, louro, arruda, eucalipto, hortelã, alecrim, patchouli, citronela, absinto]
Letras: Cheth-Tav-Iod
Gemátria: 8+400+10 = 418 = 4+1+8 = 13 = 1+3 = 4
Valor numérico: 8
Armas mágicas: A fornalha (o cálice ou o santo graal)
Poder mágico ou oculto: Poder de conjurar encantamentos.
Forças em ação: A força de Binah que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Geburah pelas vias de Câncer.
Sendero: 18, que une Binah a Geburah.
Texto yetzirático: O 18º caminho é denominado a Inteligência da Casa da Influência (por cuja grandeza e abundância a influência das coisas boas nos seres criados são aumentadas) de cujo meio os Arcanos das coisas escondidas são postos para fora, as quais moram em sua sombra, unindo-se a ela: a Causa de todas as causas.

É nele que se criam os Arcanos e o sentido oculto que dormita em sua sombra.

Cor em Atziluth: Âmbar
Cor em Briah: Marrom
Cor em Yetzirah: Marrom-dourado brilhante vivo
Cor em Assiah: Marrom escuro esverdeado

1.2    Caminho 18º

A Justiça = O Entendimento agindo sobre a Severidade pelas vias sentimentais de Câncer. Saturno atuando através de Câncer sobre Marte. o “Vô” do Mundo de Atziluth atuando através de Câncer sobre o “He” do Mundo de Briah, Ar do Fogo atuando através de Câncer sobre a Água da Água. Binah, o construtor do universo atuando através de Câncer sobre Geburah que trata dos reajustes, da Justiça, da correção dos erros.

Corel caminho 18O 18º caminho é denominado a Inteligência da Casa da Influência (por cuja grandeza e abundância a influência das coisas boas nos seres criados são aumentadas) de cujo meio os Arcanos das coisas escondidas são postos para fora, as quais moram em sua sombra, unindo-se a ela: a Causa de todas as causas.

É nele que se criam os Arcanos e o sentido oculto que dormita em sua sombra.

Entramos aqui em um período de negociações. Neste caminho, comunica-se o Espírito Santo (Senhor da Lei) com Geburah o responsável pela correção dos erros de modo que faz-se necessário que a “…grandeza e abundância a influência das coisas boas nos seres criados sejam aumentadas”, isto é, que haja boas ações para equilibrar a balança de Binah e evitar a ação de Geburah na correção dos erros – o karma. Os ditames de Binah são comunicados a Geburah pelas vias do signo de Câncer, que é regido pela Lua, cuja função é proceder os fluxos das imagens e permite que a cristalização das energias sejam em ambos os sentidos, no descendente onde Binah impõe suas sentenças ou mesmo no ascendente que promulga a justeza dos equívocos por parte de Geburah.

Há pouca luz neste sendeiro o que pode levar a muitos erros de modo que sua saída é aos poucos e assim os segredos se iluminam. O termo Casa indica uma organização material em que esteja ligada ao Rigor. Se o Rigor flui é porque o operador desse Caminho o chamou de alguma forma, mesmo que de modo inconsciente, é uma operação do tipo kármica já que raramente este sendeiro é invocado voluntariamente mas somente quando o trabalho exige, eis que, o que em Binah é sacrifício forçado, um mal necessário, em Geburah refere-se a uma semente de calamidades, por ser o “He” de Hesed e do mundo de Briah, já que nele se vive o leniente, o negativo da justiça e da lei.

Em Binah encontram-se os chamados registros akáshicos da natureza mas também as informações de todos e cada um dos indivíduos, bem como a memória de todas as existências, já que todo ato tem sua origem em Binah de modo que neste arquétipo nos deparamos com o Senhor da Balança, os Juízes do karma e, sendo Binah também a Mãe da Fé, acaba por transmitir todo o conhecimento de seu departamento aos planos inferiores, por isto é tratado como o arcano dos sentidos ocultos mencionado no texto: “os Arcanos das coisas escondidas são postos para fora, as quais moram em sua sombra, unindo-se a ela: a Causa de todas as causas.”

Há uma prática de negociação do karma que consiste em deitar-se com os braços abertos, levantar o tronco, do mesmo modo, e balançando as mãos (abertas para cima) e os braços para cima e para baixo como se fossem dois pratos da balança. Neste momento suplica-se a Anúbis e seus 42 juízes da Lei pelo que se deseja, o karma a ser aliviado, alguma reclamação. É claro que se trata de uma negociação e, pode-se prometer alguma melhora, eliminação de ego, algum trabalho de caridade, etc. Contudo vale dizer que o que for combinado ali deve ser cumprido, pois estamos tratando com energias da Justiça Divina.

Este sendeiro e ativado pelos Tronos (Binah) e pelas Potestades (Geburah) conjuntamente. O caminho de ida pela árvore é regido pelo Trono o 20 3->5: PAHALIAH e o caminho de volta pela Potestade 34 5->3: LEHAHIAH.

Os aspectos entre Saturno e Marte, tais como quadratura, conjunção ou oposição, no mapa natal são indícios de que o indivíduo está trabalhando neste sendeiro.

 

1.3    Letra-força ח

tabela gematriaCheth é a oitava letra força – é uma letra simples. Na tabela das letras hebraicas o Cheth (8) se situa abaixo do He (5), que representava a interiorização de Beth (2), portanto é a manifestação deste e também a interiorização de ZAIN (7) que em suas muitas opções e multicompromissos causou o desequilíbrio e, agora, passa pelo equilíbrio da Justiça em Cheth.

A letra força Cheth expressa hieroglificamente um campo para cultivo, a ideia trabalho, pena e esforços para a produção. Mas também vem a ideia de equilíbrio e Justiça entre a destruição (que antecede a plantação) e a conservação (resultado dos trabalhos realizados)

 

1.4    Imagem, figura

justiçaNesta carta encontramos uma mulher sentada entre as duas colunas do templo (Jakin-Netzah (corpo astral) e Boas-Hod (corpo mental), segura em uma das mãos (geralmente a direita – Geburah, firmeza) a espada, símbolo do discernimento e do elemento Ar que apontada para cima simbolizando que precisamos ser retos nos pensamentos, palavras e obras e, na outra, a balança no ponto fiel o que denota a ideia de precisão, equilíbrio e justiça.

No que tange as forças ocultas denota uma sentença àqueles que fazem mal-uso, que as invocam sem ter o mestrado – para estes a espada -, mas é complacente ao verdadeiro Mestre – aqui a balança.

No taro egípcio percebemos nas águas da vida (em baixo) a serpente que morde a própria cauda, símbolo do infinito, da Mãe Universal, o tecido do 8 A Justiçauniverso e também da Luz Astral (que enche o vácuo e aspira o cheio), da eternidade, a serpente que se alimenta de si mesma representa as energias sexuais que não são desperdiçadas, mas que voltam a si mesmo, por isto se diz que pode tomar a forma ígnea de Satã ou pelo corpo do Espírito Santo, de qualquer modo é a energia que sempre reflete seu possuidor. Por ser polarizada despontam constantemente na balança eis que todas as nossas ações são magnetizadas e, assim, criamos simpatias contra e a favor de nós mesmos.

Em razão das forças da natureza estarem polarizadas é necessário que os trabalhos sejam realizados entre homem e mulher. Os que possuem o corpo astral em polaridade diversa daquela do corpo físico precisam primeiro sanar esta anomalia para depois adentrarem a obra.

A mulher está ajoelhada sobre um túmulo de três degraus e acima da cabeça um dos símbolos de RA.

Samael Aun Weor afirma que neste arcano encontram-se as duras provas de Jó.

1.5    Arcano menor: Rei de Copas

Rei de CopasLocalização na Arvore da vida: Hochmah (He)

No zodíaco o domicílio do Rei de Copas é Câncer.

Arcanos que governa: Ás de Copas, Dois de Copas e Três de Copas

O Rei de copas possui os atributos de Hochmah, na qualidade de He do mundo das emanações (Atziluth) e, se ele aparecer no nosso jogo, será para manifestar o sublime amor que temos dado ao mundo e o que vamos receber, cuja medida está em nós mesmos, eis que, o que não saia do nosso pequeno microcosmo não sairá de lugar algum. Trata-se do amor que projetamos, vida após vida, que reforçámos e agora as divinas águas da Hochmah são derramadas sobre nós, enchendo-nos com a paz, bem-estar, quietude, mansidão. Fizemos tudo o que estava a nosso alcance e agora vamos ter de tudo: essa é a mensagem que nos traz o Rei de Copas.

O atributo da Hochmah é a sabedoria, a intuição da verdade suprema e, na esfera dos eleitos, a esfera do bem, da saúde, da liberação das tarefas materiais. Todas estas virtudes serão aportadas a pessoa que irá aparecer no nosso caminho encarnando a este mítico Rei de Copas.

Palavras chaves: R♥ Rei de Copas, Eleitos, retorno de nosso bem supremo.

(Reta) Benfeitor, protetor, mecenas, dador de sabedoria, recompensas, mestre, medico.

(Invertida) Recompensa antecipada, favor que obriga, falso mestre que perturba a saúde e psique, responsabilidade que supera nossa capacidade.

 

1.6    Elemento, ciclo zodiacal, planeta

Na ordem dos elementos, Cheth corresponde a Água do Ar em Hod, o segundo Sephirah de Yetzirah.

Na trilogia dos elementos: Hod está relacionado com o signo de Aquário.

No ciclo zodiacal יהוה – “Yod-He-Vô-He”, equivale a transição entre o signo de Peixes para o de Libra, assim, o Cheth realiza funções semelhantes às do Daleth (4) que assegura a transição entre o ciclo de Água e o Ar, mas aqui a transição que propiciará Cheth será a do ciclo de Água ao Ar onde é feita uma ponte entre os dois primeiro elementos (Fogo e Água) e os dois último (Ar e Terra) de modo a permitir um ajustamento.

No ciclo Sepher Yetzirah corresponde ao signo de Câncer o primeiro signo da Água (Fogo da Água)

Nome divino (Atziluth): HVHY הוהי 4.0 Muriel
Arcanjo (Briah): Muriel מוריאל
Coro Angélico (Yetzirah): Pakiel פכיאל
Anjo regente da casa correspondente (Assiah): Kael כעאל
Planeta regente: Lua
Elem. Signo/Sephirótico: Água/Fogo da Água יה
Apóstolo: Judas Iscariotes
Tribo: Issachar
Cartas do Tarô: Rei de Copas יה que rege Ás, Dois e Três copas.
Hora planetária e astrol.: 6 às 8 horas da saída do Sol; de 91º a 120º no zodíaco.
Região do corpo: Estômago

Representa o manancial de amor por ser a porta de entrada dos sentimentos. Câncer, o signo cardinal aquático, corresponde ao mundo cabalístico da criação (Briah). É o Yod do elemento água, mas o He dos quatro elementos considerados em bloco. No processo criativo (na Árvore) está regido por Hesed. No zodíaco a Lua o rege.

Encerrando o ciclo de fogo[1], o ciclo da água[2] inicia-se com Câncer. Nesta fase, a seu modo, o indivíduo toma consciência do que no ciclo anterior, se conduziu, em seu inconsciente. Sagitário exteriorizou o desígnio que transitava em seu interior e, ao fazer isso, a pessoa descobre a sua realidade, que agora é aparente, e ele ama. Se o fogo é traduzido por energia, ação, dinamismo, a água é traduzida por sentimentos, emoções, desejos, amor. Se em Áries nos deparamos com a fonte da energia criadora, em câncer vamos nos deparar com a fonte do amor.

Câncer é a porta de entrada para os sentimentos, como Áries é a porta de entrada do desígnio divino. Ambos, em seus respectivos elementos, são sinais de Yod, cardeais, transportadores de sementes, de modo que o que foi dito sobre Áries poderia ser repetida em relação ao câncer, com a única diferença de que aqui é o potencial aquático dos sentimentos é o que se põe em movimento.

O que no ciclo de fogo é pura ação desapegada, em Câncer se põe em marca o selo do produto. O indivíduo diz: “Isto é meu e de mais ninguém”, coloca cercas em sua propriedade que é registrada, intitulada, delimitada, ou seja, partir de Câncer, o homem já não atua movido por um impulso inconsciente, mas persegue um objetivo pessoal.

Em câncer nos deparamos com o lugar, a casa em que se vive, e é neste sentido de que se deve interpretar essa atribuição: para realizar o sua obra pessoal, o indivíduo se encerra em um recinto e se esconde do mundo ao qual pertence para melhor amar e adorar aquilo que sente como seu.

Com as águas de Câncer o indivíduo perde todo o contato com a transcendência, já que ele não ouve as vozes em seu interior, mas sente obscuramente que algo inefável existe mais além e o venera através da . Assim, Câncer é considerado o signo da Igreja. E quando o amor que Câncer desperta não encontra uma pessoa física para detê-lo, ele vai como uma flecha para o universal. E se ama a Deus, através dele ama a todas as criaturas da Terra.

Em Câncer são plantadas as sementes do amor e se maus aspectos planetários confluem neste signo, isso significará que as sementes são más e que, chegando o momento, os maus sentimentos produzirão dramas e misérias. Um excesso de planetas em Câncer aumenta a tendência ao isolamento, de interiorização e ou mudança de residência, já que cada planeta deseja possuir sua própria casa para executar sua obra em privado.

Ao mesmo tempo produz excesso de emotividade, de individualismo e do egoísmo, que excluem radicalmente o indivíduo da sociedade.

Palavras chaves:

(+) Sentimentos, casa, lugar, propriedade, pessoalidade, Fé, amor universal

(-) Dramas, isolamento, mudança.

CASA IV: A Casa IV, expressa na Terra as potencialidades de Câncer. Vimos ao estudar este signo que de Câncer nasce toda ideia de propriedade e de privatização, de modo que a Casa IV significará a materialização desta ideia. Será, pois a que nos informe sobre a vida privada do indivíduo, sobre sua vida íntima e sobre suas posses materiais, começando pelo fundamental: a sua casa.

O fundamento de todo o edifício humano radica nos sentimentos e Câncer é o motor que saca todo o potencial sentimental. Um dia a razão será a base do edifício humano, mas nesta fase os sentimentos constituem um corpo mais desenvolvido e tudo o que o homem tem realizado encontra um ponto de arranque emotivo. Por isso, a Casa IV, como intérprete terrestre de Câncer, constitui a raiz do indivíduo e nela encontraremos informações sobre seus antepassados, sobre a sua cidade, sua infância, seu bairro natal, sobre os que vivem na sua casa e seu comportamento em casa na vida familiar.

Por outro lado, a mãe é o fundamento do ser vivo, de modo que a Casa IV indicar-nos-á todo o relacionado com a mãe, seu temperamento, sua forma de ser, sua vida, seus problemas. A cabala trata de Binah como a suprema hermafrodita, e tem em Yesod (a Sephirah que administra ao mundo a política de Binah) a reitora do sexo feminino quando da divisão dos sexos e, assim, como representante material de Binah, rege o sexo feminino pelas forças de Câncer.

Os maus aspectos planetários sobre a Casa IV farão com que os alicerces em que se assenta o indivíduo sejam pouco firme, de modo que, por boas que sejam as condições em outros domínios, o edifício de sua vida se trambaleará e tudo parecerá precário, começando por sua própria mãe, que carecerá de meios ou de inteligência para orientar adequadamente o indivíduo. Lar instável, mudanças frequentes em casa, desarranjos, dificuldade em criar raízes, uma vida em dificuldades e intempéries em casa, em família, na cidade natal.

Quando muitos planetas estão na Casa IV: mudanças de casa, casa ambulante, emoções profundas ainda que não aparente. Nos casos extremos, com maus aspectos: doenças hereditárias, doenças contraídas no ventre materno.

Palavras chaves:

(+) Vida privada, casa, íntima, familiar, mãe; posses materiais, antepassados, infância

(-) Alicerce precário, lar instável – mãe, falta de raízes, doenças hereditárias.

 

Na ordem planetário representa a Lua em razão deste planeta ser o regente de Câncer o governador do 18º caminho e tem a missão de converter em imagens concretas as pulsações dos demais planetas.

Na ordem dos fenômenos naturais o Cheth representa as chuvas as nascentes, rios correntes, etc. – Águas de cima – o ataque apaixonado, rápido. Sentimentos, emoções, paixões, coração, humanidade. As águas doces das quais os cabalísticos falam, as nuvens antes de precipitar.

 

1.7    Discípulo: Judas Iscariotes

Era visto como um grande pensador embora pouco honesto – assim como Yesod-Lua por vezes fornece imagens imprecisas do alto. O último dos discípulos escolhidos foi Judas Iscariotes (canceriano regido pela Lua), eleito por Bartolomeu (libriano). Embora não possuísse nenhum traço peculiar de força interior, mas aparentava ter numerosos traços de cultura e de boa educação. Vemos ai as características de Câncer, signo lunar, posto que Yesod-Lua é a Sephirah que cuida de transmitir as pulsasões provenientes das colunas da direita e da esquerda e deste modo sua manifestação não segue uma linha regular de honestidade em razão até das variações que ocorrem durante o descenso e também não possui uma força interior própria já que sua característica e reflexiva e contém em si traços peculiares de outros Centros que resultam à medida que vai passando o tempo, manifestando-se, assim, ora de uma forma, ora de outra conforme a oscilação das Sephiroth.

Judas foi nomeado tesoureiro pelos apóstolos e, apesar de sua traição, sempre fez honestamente suas funções até a traição final conforme pode ser averiguado nas escrituras. Esse trabalho de tesoureiro esotericamente corresponde às funções de Yesod, o centro em que todos os outros depositam o seu “tesouro”, i.e., as energias para que Yesod distribua para o mundo material.

Judas ocupa o papel de traidor a fim de abrir as portas do céu para que todo o processo criador, a espiritualidade dos mundos superiores possa chegar em baixo, para que o alto possa derramar suas essências. Assim, Yesod faz este papel de traidor celeste todos os meses durante a movimentação da Lua Nova onde são depositadas as essências que determinarão o próximo ciclo bem como o sangue espiritual que abastecerão nossos corpos superiores. A obra redentora só se realiza após a traição de Judas.

Judas Iscariotes é considerado esotericamente como o Mestre da morte do ego.

1.8    Tribo: Issachar

Gênesis 49:14 Issacar é jumento de fortes ossos, deitado entre dois fardos.

Issacar foi filho de Jacó e Léa. Foi o líder de uma das doze tribos de Israel. Derivado do hebraico, significa “há uma recompensa”. O nono filho de Jacó e o quinto de Léa conforme o livro do Gênesis 30,17-18

1.9    4º Trabalho de Hercules: Capturar a Corça Cerinéia

Corça CerinéiaRefere-se ao monte Cerineu – também próximo da região da Arcádia – havia uma corça (cervo) com chifres de ouro (que representavam o alto, o sagrado) e pés de bronze (representação do mundo material). O Cervo era muito veloz deveria ser capturada viva. Foi perseguida por Hércules durante um ano até os confins do mundo conhecido. Finalmente a capturou durante a travessia de um rio.

A corça de pés de bronze e cornos de ouro é consagrada a Diana ou Ártemis, deusa da Lua, da caça e da magia e foi disputada por Apolo, o deus do fogo, Deus Sol. Na verdade, era a ninfa Taígete, que, para fugir da perseguição de Zeus foi transformada por Ártemis no magnífico animal. Hercules deveria captura-la sem machuca-la para não desagradar a deusa. Esta tarefa está associada ao signo de Câncer e refere-se a conquista da alma humana por Apolo, Tiphereth o Manas superior da Teosofia, mas trata também da delicadeza e da paciência de Hércules que perseguiu a corça por um ano e levou-a sobre seu peito, a transformação dos desejos grosseiros em seu aspecto mais sutil, uma sublimação das energias.

 

1.10 Descrição Sephirótica:

Na ordem sephirótica, o Cheth corresponde a Hod-Mercúrio o centro especializado em leis e rigor a nível mental. E aqui mais uma vez presenciamos a ideia de equilíbrio, mas administrado pelo mundo mental. E como vimos anteriormente, que ZAIN atirava para todos os lados criando inúmeras situações, aqui Hod-Mercúrio faz uma análise ponto a ponto para que em Cheth tudo seja ajustado. Em Hod temos também o elemento aquoso por ser o segundo de Yetzirah (Água do Ar) e, portanto, está em alinhamento com Hochmah (Fogo da Água), assim, toda esta análise entre sentimentos e ideias fará com que se prime pela arte de viver, pela sabedoria da análise do justiciamento imposto por Binah do qual Hod é o exteriorizador o que nos propulsiona a promoção do equilíbrio, de modo que se fazemos algo de ruim o compensamos com algo bom na mesma energia, se comemos muito em um dia, no outro jejuamos, e assim vai…, pois se não o fizermos a lei de causa e efeito o fará eis que as causas se revelam pelo efeito e este é proporcional às causas, não é por acaso que em algumas cartas recebe o nome de ajustamento.

Esta força também implica que é prudente ter poucos inimigos, uma corrente de opinião contrária, fanatismo, a impopularidade, injustiça, etc. já que o ódio também é uma força fatal assim. Antes de se opor a uma corrente, cumpre analisar se está apto para se opor a corrente contrária que em muitos casos pode até ocasionar a morte prematura e violenta (deixo aqui a título de exemplo o caso dos Mamonas Assassinas que escandalizaram a igreja evangélica e morreram todos em um acidente – sangue que será cobrado daqueles que odiaram – e claro que existe uma questão kármica também).

O ódio é como um trem sem freios, em uma relação de causa e efeito, que continua seu curso mesmo depois da morte, dessarte, para que esta energia se estanque o Cristianismo sempre recomenda perdoar a fim de interromper o círculo vicioso. Abençoar sempre e nunca amaldiçoar.

Axioma transcendente: “edifica um altar no teu coração, porém não faças do teu coração, um altar”.

 

1.11 Significado no jogo

Está relacionado ao ajustamento das situações também chamado de a Arte de Viver de modo a que se faça um equilíbrio entre os comportamentos seja entre pessoas, os cinco sentidos, sentimentos, pensamentos, ações, etc.

É o caso comum de pedir desculpas ao se cometer um erro, seja verbalmente ou com uma atitude oposta ao mal feito (forma não verbal), quando isto signifique mais do que uma mera humilhação sem propósito. Mas a arte de viver vai mais além do pessoal como o jejum após o excesso conforme sugerido, mudar o senso de atenção quando algo desagrada, equilibrar o trabalho intelectual com alguma atividade física, etc.

1.12 Palavras chaves:

1.12.1 Manifestação Yod.

Fim do egoísmo, início do altruísmo pelas vias do equilíbrio, compreensão, Justiça.

1.12.2 Manifestação He.

Revisão de velhos hábitos, obediência, adaptação.

1.12.3 Manifestação Vo.

Soluções boas e justas, equilíbrio, correção, ajustamento, justiça lógica, opiniões moderadas, Lei, autoridade para apreciar cada coisa no momento oportuno, clareza de juízo, bons conselhos.

1.12.4 Manifestação He.

Significa que no comportamento prevalecerá a busca pelo justo, em conciliar os interesses próprios com os interesses daqueles com que estamos confrontados, ajustamento, processo, prestação de contas, compensação por serviços prestados, gratidão, a arte de viver.

1.12.5 O lado negativo da força.

Preconceito, falta de equilíbrio, abuso da justiça, excesso de severidade, desigualdade, perda na justiça, condenação injusta, processo com castigo.

[1] Áries, Leão e Sagitário

[2] Câncer, Escorpião e Peixes

 

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH TOMOS I capaClique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina principal e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO I

ÀRVORE DA VIDA – OTZ CHIIM

ELEMENTOS, PLANETAS, SIGNO, TARO

 

Autor: Inácio Vacchiano