18 Mishpar: Nove de Ouros


             Elementos constitutivos ou relacionados

Nome divino:ההוי HHVY
Arcanjo:המליאל Hamaliel
Anjo:שלתיאל Shelathiel
Anjo regente da casa:ויאל Veyel
Anjo do decanato:משפר Mishpar
Gênios dos quinquídios:35. 5->4 Chavakiah e 36. 5->5 Menadel
Nome hebraico – Signo:Virgem (Yod), Terra/Ar da Terra וה
Força ativa do signo:Malkuth
Força ativa do Decanato:Yesod
Elementos concorrentes:Ar do Ar da Terra
Relação/mundos:Vô do Vô do 2º He ou pensamento do pensamento de ação ou Yetzirah de Yetzirah de Assiah
Tribo:Naphtali
Apóstolo:Tomas (Tome)
Planeta regente do signo:Mercúrio
Planeta do decanato:Mercúrio
Posição zodiacal:3º decanato de Virgem
Velas: 1 branca e duas laranjadas
Incenso:[canela, sementes de louro, jasmim, benjoim, casca de limão, maçã, etc.] e [cânfora, murta, louro, arruda, eucalipto, hortelã, alecrim, patchouli, citronela, absinto, etc.]
Letras:Zain – Zain -Resh
Gemátria:7+7+200 = 214 = 2+1+4 = 5
Invocação por domicílio:de 20 a 30° de Virgem ou 13 a 22 de setembro
Invocação pelo ciclo diário:   11:20 às 12:00 h. a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção: Quando Mercúrio se encontra no 3º decanato de Virgem.
Forças em ação:As forças de Mercúrio se expressam pelo signo de Virgem ou ainda Ar do Ar da Terra; as forças de Malkuth se expressam pelas vias do Ar do Ar pelas configurações de Yesod-Gêmeos.
Sendeiro:Pelo signo: 8, de Hod a Hod; gênio 8->8: ANAUEL. Pela árvore: Subsendeiro de Hod a Malkuth.

             Terceiro decanato de Virgem

O terceiro Decanato de Virgem refere-se aos graus que vão de 20 a 30 do signo, ou seja, os nascidos entre 10 a 19 de setembro (aproximadamente). No plano planetário é regido por Mercúrio por encontrar-se em analogia com o terceiro signo da Terra; o terceiro decanato de Virgem é o Vô do Vô dos signos do Terra e, no Taro, é o domicílio do nove de Ouros. Na ordem sephirótica Malkuth exerce privilégio sobre ele, por ser o terceiro signo do elemento Terra, e em segundo lugar, o Decanato, é regido por Yesod (nona Séfira da Árvore Cabalística, que corresponde a Lua) por ser o nono Decanato do elemento.

O Gênio do Decanato é משפר Mishpar que poderá ser invocado ou evocado para sanar tudo que seja de seu atributo neste interstício ou mesmo de interesse do nativo em sua senda evolutiva, quanto mais em seu período de manifestação. Trata-se de Decanato Vô do signo de Virgem que é um signo Vô – 2º He, Ar da Terra וה, de modo que dará lugar a trabalhos próprios deste signo. Corresponde ainda ao mundo Cabalístico das ações.

Neste Decanato se realizam os trabalhos próprios do signo por ser este o terceiro signo da Terra e o último Decanato do signo. Os indivíduos inscritos neste Decanato estão no final inelutável dos ciclos terrestre e zodiacal.

Tratam-se de indivíduos que passaram por todas as etapas das diversas experiências e, portanto, sentem-se anciões. Resta agora sintetizar o que aprenderam. Neste sentido buscarão a reclusão para que na solidão possam extrair as experiências, a sabedoria que acumularam em suas existências. Haverá, pois, de viver, de forma passageira, uma síntese destas experiencias vivenciadas nos doze signos do zodíaco, seus episódios volitivos, sentimentais, intelectuais, seja na tomada de decisões, no amor, campo moral, aprendizado, negócios, etc. Este aspecto passageiro se efetuará desde que o nativo siga fielmente a dinâmica do signo eis que alguma experiencia pode tê-lo marcado profundamente em seu corpo energético de modo que venha a ser necessário repetir a experiência, o aprendizado. Isto porque embora não tenhamos a lembrança do que ocorreu em nossas existências passadas o nosso corpo energético guarda todas as experiências que vão diretamente para a essência, que é verdadeiramente quem recebe o conhecimento, deste modo mesmo sem memória recebemos a intuição acerca do que ou de quem nos cerca, quanto mais sejam marcantes estas vivencias.

Como se trata de um Decanato e de um signo terminal, aqui o nativo perceberá que a partir do Terceiro Logos, de toda a criação de Binah, nada é eterno, tudo tem um princípio é um fim. Isto implica que não guardaremos fidelidade nem aos nossos desejos, sentimentos, princípios morais, ideias eis que tudo está evoluindo de modo que o que é bom em um momento já pode não ser em outro. Em razão disto este nativo não se liga a nada e nem a ninguém. Se hoje segue uma ideologia, um partido, alianças sentimentais, etc., isto será por pouco tempo, eis que está em um período de transição de Virgem para Aries (ou descer a Roda do Sansara) de modo que está programado para não se amarrar em nada.

Como já passou por todo o ciclo zodiacal, por muitas vivências, sabe internamente o que ocorrerá com aqueles que transitam o caminho e os contemplará com sua sabedoria. Mas no final é provável que optará por se calar para conviver com aqueles que estejam no mesmo nível que o seu, procurará o recolhimento na busca da iluminação acerca do cenário de sua próxima existência em um novo ciclo.

Havendo aspectos positivos sobre este Decanato o nativo terá facilidade para se chegar a estas conclusões, estas iluminações. Os planetas ativos nos diferentes signos marcarão suas vivências do passado pois estamos tratando aqui de um recolhimento interno para um balanço. Então o que temos aqui é uma voz do passado que expressa a síntese da mensagem vivida quando se encontrava sob o programa do planeta correspondente.

Os planetas indicarão ainda as atividades que o nativo haverá de realizar neste balanço, de modo que se são muitos os planetas, implicarão em atividades múltiplas e diversas, o que dificultará a concentração e aprofundamento em um único tema. Contrário senso, se for apenas um planeta formando bons aspectos, será uma indicação que haverá dedicação a uma obra, um tema exclusivo é por tratar-se de um Decanato de síntese esta obra será de singular valor para o desenvolvimento do indivíduo e/ou da sociedade,

A obra será semelhante a uma monografia do curso universitário, trabalho de apresentação ao final do curso para comprovar o aprendizado. Assim, estes nativos haverão de elaborar e viver sua tese até as últimas consequências, quanto mais se o seu ascendente esteja localizado neste ponto, caso contrário terá que repetir as experiencias, voltar em outra existência para encarnar o mesmo programa que deveria ter concluído. Trata-se de uma clara indicação de que o indivíduo está trabalhando no espaço zodiacal terrestre a nível de Malkuth e que suas elaborações são materiais.

Os maus aspectos desviarão substancialmente o nativo de sua tarefa. Os planetas que estruturam estas dissonâncias são elocuções que clamam o passado, tratam-se de aprendizados que não foram vividas em profundidade e que reclamam seu protagonismo. Em razão disto o nativo deverá abandonar sua obra atual para experimentar de novo aquilo que não terminou no momento adequado para viver as devidas conclusões a fim de elaborar sua tese.

Os principais maus aspectos que esse terceiro Decanato recebe provêm dos terceiros Decanatos dos demais elementos. Da quadratura do terceiro Decanato de Sagitário, da oposição do terceiro Decanato de Peixes, e da quadratura do terceiro Decanato de Gêmeos – roda-se a cada 90 graus a partir de Virgem.

De Sagitário (90º de Virgem), signo do Fogo, virá a exigência de uma prova moral (pois está relacionado a Atziluth), que não conseguiu passar satisfatoriamente em seu momento.

De Peixes (180º de Virgem), signo da Água (Briah), lhe virá a prova sentimental, considerada a mais difícil de ser vivida porque se depara com uma oposição entre Peixes e Virgem, estará a cristalizar os acontecimentos de forma concreta. Refere-se aquelas experiências sentimentais desdenhadas no seu momento e que agora haverá de vivencia-las forçosamente ou porque goste, poderá deixar tudo por um amor.

De Gêmeos (270º de Virgem), signo do Ar (Yetzirah), em quadratura de retorno, virá a exigência de confrontar-se com certas ideias que ele emitiu em um passado, e que não se adequavam à realidade, ideias esta que agora lhe retornam para a prestação de contas. Mas trata-se de uma prova mais fácil de resolver no plano em que se encontre.

Este terceiro Decanato refere-se a vivencia prática de suas energias e não está adstrito a teorias, mesmo porque o seu regente é o elemento Terra.

Conforme já dissemos no título Os Signos e seus Decanatos e adaptando o conhecimento a este momento, os três primeiros graus do terceiro Decanato: 21, 22, 23, serão os reveladores do desígnio (ligados a Kether) que este Decanato encerra e será a através da vontade (Real Ser) que irão realizar o programa, isto quer dizer que se vier ceder aos desejos fracassará.

Os que se encontram nos três graus intermediários: 24, 25, 26, viverão o programa através dos seus sentimentos (ligados a Hochmah), que devem ser auferidos pelas circunstâncias.

Aqueles que vivem da perspectiva dos graus 27, 28 e 29 serão os grandes institutores dos meios para alcançar a finalidade do Decanato pelos processos mentais, os articuladores.

Aqueles que vivem da perspectiva do último grau (30, que é um elemento de transição) já estarão com um pé em outro mundo, ou outro ciclo, atuando nas modificações introduzidas no universo em razão de terem chegado ao fim de um ciclo de experiências.

Cabe esclarecer que o Mercúrio regente deste Decanato é aquele dos alquimistas em que a substância material se torna a substancia espiritual em seu último estágio, vale dizer a transformação das energias sexuais em energia etérica pelo Sahaja Maituna, mas também se refere a esta transubstanciação de qualquer elemento material em sua etapa derradeira em obra do espírito, sempre associado a culminação da grande obra.

O virginiano é aquele nativo que já passou por todas as experiências e circunstâncias zodiacais, é o fim de um grande ciclo, de modo que é o que está mais preparado para conduzir os processos evolutivos da sociedade. Atingido seu cume só resta agora recomeçar a partir do zero mais em uma oitava superior (se não completou o ciclo das 108 existências). Isto não implicar que esteja na existência 36, 72 ou 108 pois pode ter que repetir alguma experiencia, vivido precariamente, ou mesmo tenha se adiantado em suas lições e superados várias etapas avançadas por exemplo 11 graus ou mais em uma única existência. A título de exemplo, um virginiano pode estar na existência de número 36 e um ariano na 37º. A partir daqui pode-se tirar diversas conclusões a respeito da teoria da metempsicose (veja o Arcano 10 no Tomo I). No contexto geral pode estar em qualquer uma das existências entre 1 e número 108 multiplicado por 3000.

Reza a cartilha que a principal virtude dos nativos de Virgem é sua sabedoria, sua capacidade de síntese e seu principal defeito, sua inconstância por estar atuando em um momento de transição. Cabe aqui dar uma estudada também no Gênio 9->9: MUMIAH que trata do final dos ciclos.

Faz-se oportuno tratar aqui de uma Lei que podemos chamar de Lei do Desapego ou do Abandono. Sempre que saímos de um mundo, um relacionamento, uma situação cumpre saímos do mesmo modo que entramos, sem levar nada. Assim, quando viemos a este mundo não trouxemos nada, viemos apenas com a nossa alma, nosso espírito, literalmente nascemos nu e do mesmo modo ao voltarmos, não levaremos nem o corpo que habitamos temporariamente. No mesmo passo quando deixamos uma situação karmica como um mal relacionamento não devemos levar nada que não nos pertença pois de outro modo continuaremos ligados aquela pessoa ou situação já que qualquer coisa pode nos ligar uma determinada energia – estamos aprendendo isto com os arquétipos. Portanto, cuide-se dos litígios da separação, das brigas por herança, etc. a fim de não ter que voltar ao mesmo ponto, as mesmas pessoas menos evoluídas em razão da Lei de Afinidade Vibratória. Convém mantermos a Vontade de partir, abandonar os sentimentos, pensamentos e qualquer coisa material que nos mantenha ligado. Está é, pois, a lição do terceiro Decanato de Virgem, o desapego para entrar em uma oitava espiritual superior.

             Carta do Tarô: Nove de Ouros

 Recebe o título de Senhor da Ganância Material. Refere-se ao elemento Terra e astrologicamente corresponde a posição da Lua transitando pelo Terceiro decanato de Virgem onde Hod manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo regido por Hod-Mercúrio que o influencia e sob as pulsações do regente deste decanato que é a Lua.

Neste ponto Hesed com o seu poder espiritual realizador das bondades, expressa-se por intermédio de Yesod o centro produtor de imagens, que reflete tudo o que foi trabalhado pelos demais centros. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizará ainda pelo tom prismático de Hod, o coordenador deste subciclo evolutivo.

O Nove de Ouros é o 2º He (יהוה “Yod-He-Vô-He”) do quaternário dos noves, deste modo, possui uma relação com Hesed o instrumentador do Paraíso e refere-se à influência de Yesod no plano físico (Yesod no 2º He). Aqui, as energias de Yesod estão diretamente associadas a Malkuth, que representa a personalidade física em Assiah.

Neste ponto há uma inversão e, agora, é Malkuth que projeta as suas imagens partindo das experiências materiais do indivíduo, imagens estas ligadas a autoconservação em um mundo onde se idolatra os valores que vem de baixo, sem se preocupar com outras coisas. Basta conquistar o respeito dos seus semelhantes na medida que se obtém aquilo que respeitam.

Aqui não importa que se trate de um homem sábio, pois não se trata de adquirir o respeito nesta instância, já que o idolatrado é o homem rico, de modo que as imagens que Malkuth projeta em Yesod, para que volte a o cérebro, são imagens de riqueza e opulência, o ganho material em detrimento do espiritual, há, portanto, uma inversão de valores.

Contudo se as influências da carta não vêm com plenitude (carta invertida) a Yesod, o caminho do dinheiro será incerto e, portanto, levara às decepções que falam as interpretações negativas.

Palavras chaves: 9♦ Senhor da Ganância material, respeito alheio por ter R$, inversão de valores.

(Reta) Interesse, triunfo material, riqueza, opulência;

(Invertida) Engano, decepção, promessas, projetos abortados.

             Carta do Tarô: Dez de Ouros

 Recebe o título de Senhor da Riqueza Abandonada. Refere-se ao elemento Terra e astrologicamente corresponde a relação e/ou transição entre Virgem e Aries. Neste ponto Hesed com o seu poder espiritual realizador das bondades, expressa-se por intermédio de Malkuth o reino material, o mundo do meio.

O Dez de Ouros é o 2º He (יהוה “Yod-He-Vô-He”) do quaternário dos dez, deste modo, possui uma relação com Hesed o instrumentador do Paraíso e refere-se à influência de Malkuth no plano físico (Malkuth no 2º He). Os dez de Ouros por ser o 2º He indica uma transição do elemento Terra que termina para o elemento Fogo que se inicia, onde a espiritualidade projeta-se em um novo e grande ciclo de realizações.

Esta carta expressa as potencialidades de Malkuth e representa o efêmero e ligeiro florescimento material, antes que o pêndulo passe para o outro lado e tudo marche para passar para outro ciclo. Então as forças materiais, até aqui dominantes, se retiram da obra em que estiveram a trabalhar para iniciar um novo ciclo.

Como estamos tratando do final de todo um ciclo, a transição do dez de ouros é muito mais radical do que a de outros dez, já que enquanto o outros dez tratam de uma mudança de estratégia dentro de uma mesma energia (mesmo objetivo), esta carta representa uma mudança, um abandono total de objetivos tendo em vista um campo inédito de experiências.

Pode ser alguém que abandone todas as suas posses na busca de uma vida espiritual, de modo que esta simbologia pode ser melhor qualificada como Senhor da Riqueza Abandonada, posto que reflete o abandono de um mundo de valores materiais em razão de um mundo de valores morais ou espirituais.

10♦ Senhor da Riqueza abandonada, fugas florescimento material, objetivos materiais abandonados em prol do espiritual.

(Reta) Abandono, viagem sem retorno, doação, testamento, doação;

(Invertida) Esterilidade, testamento negativo, expulsão, exílio.

Essas palavras chaves traduzem a transição radical ora relatada, de forma voluntária, se a força é positiva ou, involuntária, se é negativa. O exílio que aparece no quatro de espadas refere-se a uma proscrição em razão do indivíduo achar-se fora de seu lugar. No dez de ouros o exílio refere-se a um abandono total relativo ao final de um ciclo para uma nova empreitada.

Na tiragem cabalísticos, as três primeiras cartas correspondem ao mundo das emanações composto por Kether, Hochmah e Binah e elas nos dirão o que o indivíduo tem na cabeça enquanto Vontade (se emana do Real Ser) ou desejo (se provém do ego) e de que forma. Assim, veremos o que está emanando de sua espiritualidade; averiguaremos se é rigor ou graça e de que gênero. Como o que está emanando vem do ponto mais alto, indicara o que um dia tornar-se-á em realidade material, portanto, seremos capazes de avisá-lo sobre as suas vantagens e os seus perigos. As três seguintes do Triângulo Ético o que paira em seus sentimentos. O Triângulo mágico trata de seus pensamentos e em Malkuth o que já está plasmado no mundo físico.

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina principal e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO II

A ODISSEIA ZODIACAL

Autor: Inácio Vacchiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s