16 Ananaurah: Sete de Ouros


             Elementos constitutivos ou relacionados

Nome divino:ההוי HHVY
Arcanjo:המליאל Hamaliel
Anjo:שלתיאל Shelathiel
Anjo regente da casa:ויאל Veyel
Anjo do decanato:אננאורה Ananaurah
Gênios dos quinquídios:31. 4->8 Lecabel e 32. 4->9 Vasariah
Nome hebraico – Signo:Virgem (Yod), Terra/Ar da Terra וה
Força ativa do signo:Malkuth
Força ativa do Decanato:Netzah
Elementos concorrentes:Fogo do Ar da Terra
Relação/mundos:Yod do Vô do 2º He ou Vontade do pensamento de Ação ou Atziluth de Yetzirah de Assiah
Tribo:Naphtali
Apóstolo:Tomas (Tome)
Planeta regente do signo:Mercúrio
Planeta do decanato:Saturno
Posição zodiacal:1º decanato de Virgem
Velas: 1 verde ou rosa e duas brancas
Incenso:[Erva de Santa Maria, enxofre, raiz de guiné, gengibre, etc.] e [canela, sementes de louro, jasmim, benjoim, casca de limão, maçã, etc.] e [violeta, rosas, almíscar, lavanda, dama da noite e também o açafrão, etc.]
Letras:Zain – Zain -Resh
Gemátria:7+7+200 = 214 = 2+1+4 = 5
Invocação por domicílio:de 0 a 10° de Virgem ou 24 de agosto a 2 de setembro
Invocação pelo ciclo diário:   10:00 às 10:40 h. a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção: Quando Saturno se encontra no 1º decanato de Virgem.
Forças em ação:As forças de Saturno se expressam pelo signo de Virgem ou ainda Fogo do Ar da Terra; as forças de Malkuth se expressam pelas vias do Fogo do Ar pelas configurações de Netzah-Libra.
Sendeiro:Pelo signo: Subsendeiro de Binah a Hod; gênio 3->8: MELAHEL. Pela árvore: Subsendeiro de Binah a Malkuth.

             Primeiro decanato de Virgem

O primeiro Decanato de Virgem refere-se aos graus que vão de 0 a 10 do signo, ou seja, os nascidos entre 21 a 29 de agosto (aproximadamente). No plano planetário é regido por Saturno por encontrar-se em analogia com o primeiro signo da Terra; o primeiro decanato de Virgem é o Yod do Vô dos signos do Terra e, no Taro, é o domicílio do sete de Ouros. Na ordem sephirótica Malkuth exerce privilégio sobre ele, por ser o terceiro signo do elemento Terra, e em segundo lugar, o Decanato, é regido por Netzah (sétima Séfira da Árvore Cabalística, que corresponde a Vênus) por ser o sétimo Decanato do elemento.

O Gênio do Decanato é אננאורה Ananaurah que poderá ser invocado ou evocado para sanar tudo que seja de seu atributo neste interstício ou mesmo de interesse do nativo em sua senda evolutiva, quanto mais em seu período de manifestação. Trata-se de Decanato Yod do signo de Virgem que é um signo Vô – 2º He, Ar da Terra וה, de modo que dará lugar a trabalhos próprios deste signo. Corresponde ainda ao mundo Cabalístico das ações.

Neste Decanato se realizam, além dos próprios do signo, trabalhos de síntese, relativos à etapa de Capricórnio. Os primeiros Decanatos do segundo e terceiro signos do elemento têm-se a característica de serem recapitulativo, deste modo, no elemento Terra, vimos que em Touro esta recapitulação se tratava dos trabalhos não realizados em Capricórnio em outras existências. Em Virgem ocorre o mesmo, a recapitulação do signo refere-se ao primeiro signo do elemento Terra: Capricórnio.

Os planetas plantados neste setor devem indicar uma recapitulação, mas em condições diferentes. Enquanto em Touro, que é seu antecessor, que representa a etapa dos prazeres, onde o indivíduo desfruta o que conquistou no passado, aqui em Virgem será obrigado a trabalhar.

Ocorre que Virgem representa o estágio de desprendimento da matéria, da liberação material. Deste modo, aqui nos deparamos com duas forças: Uma que o força a desvincular-se das posses materiais e outra que impede de construi-las.

Da união destas duas forças nos depararemos com aqueles indivíduos encarregados com a demolição e construção, com os especialistas em construir sobre escombros seja no sentido literal ou figurado. Temos então a ideia central de que no velho não se encontra o potencial para uma nova geração, como a fruta que guarda a semente que dará origem a uma nova planta. Então este final é o prenúncio de uma nova vida cheia de experiencia, nova mentalidade e sentimentos.

O drama virginiano consiste na necessidade de abandonar o material e o desejo de construí-lo. Embora não se encontre na etapa dos prazeres ainda lhe restam muito dos recursos de Touro, resíduos de energia da etapa por onde passou, contudo, deverá renunciá-los pois não o fazendo, ficarão fora de controle ainda que trace esforços em sentido contrário para conservar aquilo que deve sair.

Trata-se de uma situação desconfortável e que venha a causar a satisfação a terceiros eis que construirá algo que não poderá desfrutar como uma habitação que será ocupada por terceiros e ao adquirir um apartamento, por exemplo, a força de Virgem o forçará a ceder a um inquilino que o desfrute

Este Decanato invoca a semente da desagregação, promovendo a renúncia consciente aos valores matéria então temos aqui o indivíduo que está saciado dos prazeres materiais e que busca a proximidade com o novo ciclo, sair da Terra e entrar no Fogo (em Áries – signo constituinte que segue), o próximo movimento energético circular no zodíaco. Podem também promover a renúncia inconsciente, conduzindo-o a atitudes ou a negócios que trazem em si o germe da decomposição. O indivíduo poderá até ter um ponto de partida material é firme dispondo de meios econômicos, mas onde lhe faltará firmeza, será o ponto de chegada.

A morte não é o fim, mas o início de um no ciclo, portanto a renovação.

Como no caso do construtor sobre escombros, neste primeiro Decanato pretende-se dar uma nova vida àquilo que parecia destinado a desaparecer, sejam ruinas arqueológicas, fortalezas antigas, prédios implodidos; no domino da arte o restaurador, o antiquário, todo aquele que tira uma nova ideia do velho, prolongando sua vitalidade; no campo da ideias nos depararemos com aquele que procura as filosofias antigas para dali retirar novas ideias; no sentimental temos a volta dos velhos sentimentos que voltem a inspirar.

Aqui estão aqueles que não realizaram convenientemente os trabalhos que deveriam ter sido realizados em Capricórnio e Touro, aqueles que realizam a tarefa de demolição com uma mão e construção com outra o que significa salvar da morte aqueles ou aquilo que se resigna não morrer.

Saturno, é o regente deste Decanato assim como é de Capricórnio. Ao unir as suas vibrações, às de Mercúrio (regente de Virgem), outorga a estes nativos a profundidade e o rigor das ideias que se tornam inteligíveis, dando origem ao professor que ensina e todos entendem e, como é o material que perece rumo ao espiritual, faz com que as ideias se prolonguem nos tempos.

Os bons aspectos permitirão que o indivíduo compreenderá a sua situação, mesmo que não compreenda as motivações obscuras que o levaram para lá, e tornar-se-á um filósofo, acessando o além ao mesmo tempo que promove a renúncia dos prazeres matérias no intuito de privilegiar a sua essência.

Os maus aspectos sobre este Decanato devem produzir a renúncia forçada das realidades materiais, embora não seja uma saída imediata, mas em uma etapa tardia da vida, posto no decorrer, conscientemente ou não, plantará as sementes da ruína e talvez tenha a dor de vê-la em seu auge, em funcionamento quando já se disponha a abandonar este mundo, quando seus filhos se encontram no auge da vida e o acusam de não ter agido como eles o teriam feito e de ter sido o responsável pela ruína.

Estamos tratando de um Decanato de humilhações, no qual é imprescindível construir fora de tempo no qual deveria ter sido feito, e se essa construção em Capricórnio era um prazer, em Virgem será uma obrigação, significara ainda que também não foi realizada em Touro, no momento em que construir ainda podia ser uma fonte de prazer.

Aqui se apresenta, então, a tarefa pela terceira vez e como sabemos o três é a última etapa antes da materialização, é, pois, a parcela vincenda, a fase Vô que implica na exteriorização forçada.

             Carta do Tarô: Sete de Ouros

 Recebe o título de Senhor do fracasso existencial. Refere-se ao elemento Terra e astrologicamente corresponde a posição de Vênus transitando pelo Primeiro decanato de Virgem onde Netzah manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo regido por Hod-Mercúrio que o influencia e sob as pulsações do regente deste decanato que é Vênus.

Neste ponto Hesed com o seu poder espiritual realizador das bondades, expressa-se por intermédio de Netzah o responsável pelo gérmen do pensamento humano, pela vida dos sentidos aportando-lhes riqueza e exuberância, o detalhe artístico em tudo o que toca. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizará ainda pelo tom prismático de Binah, o coordenador deste subciclo evolutivo.

O sete de Ouros é o 2º He (יהוה “Yod-He-Vô-He”) do quaternário dos setes, deste modo, possui uma relação com Hesed o instrumentador do Paraíso e refere-se à influência de Netzah no plano físico (Netzah no 2º He).

Aqui, as energias de Netzah estão diretamente associadas a Malkuth, que representa a personalidade física, onde são despejadas toda a beleza de propósitos, toda a harmonia encerrada naquela Sephirah, dando origem a um concentrado de beleza que haverá de despertar, necessariamente, a ganância dos que transitam em seu redor, como a cobiça pelo ouro.

Com este concentrado a pessoa torna-se, facilmente, um objeto cobiçado e logo descobre as vantagens de assim sê-lo neste mundo onde orbitam falsos valores. Então aproveitando a oportunidade vende-se ao licitante que de o valor mais elevado, e surge a cortesã, a mulher que escolhe o marido em função das vantagens materiais que receberá, o playboy vaidoso que é escolhido por a sua imagem. Então o fracasso a que se refere o título da carta é o fracasso existencial, já que o indivíduo condicionará todos os seus impulsos interiores ao logro de um benefício obtido com a beleza de seu corpo.

Este capital de beleza não é necessariamente algo perverso desde que seu uso não seja danoso, que não leve o indivíduo ao fracasso vital. Daí que a carta seja também uma portadora de ingenuidade e inocência, mas em razão de Netzah ser uma força que se encontra a três degraus de Malkuth, esta Sephirah recebe um impulso que não chega a ela pela hierarquia (falta passar por Hod e Yesod para chegar até lá), eis que lhe é dada como um dom e é mais provável que o utilize mal, mas também pode não o fazer desta forma. Então, quando essa força é desmensurada, irá causar a inquietude que refletem as interpretações da carta na posição invertida.

Não é demais lembrar o adagio popular que reza: “Feliz no amor, infeliz nas cartas”, o que implica que a pessoa que é atraente ao sexo oposto está perpetuamente em apuros eis que Vênus exerce uma influência perturbadora nos assuntos terrestres posto que é uma distração aos negócios e aos assuntos sérios da vida. A história exemplifica nas vidas de Cleópatra, Guinevere, Isolda e também temos o exemplo bíblico de Sansão e Dalila que nos remete a compreender a divisa venusiana: “Por amor, renuncio ao mundo”.

Palavras chaves: 7♦ Senhor do Fracasso existencial, falsos valores, vender-se.

(Reta) Beleza física, ingenuidade, purificação, cortesã;

(Invertida) Inquietude, ansiedade, temor, desconfiança.

Existe a mística no sete, na loteria ele é considerado como um número mágico. Pudemos evidenciar aqui, em parte, a que se deve essa reputação. É o número da exteriorização, que põe para fora os tesouros que o indivíduo possui em seu interior a nível Dharmico, e faz com que o amor deixe de projetar-se para dentro e, então, passe a derramar-se ao exterior levando-nos a descortinar no mundo o que guarda afinidade com o nosso modo de ser, a começar por aquele que há de ser o nosso companheiro ou companheira de vida.

Durante a tiragem das cartas cumpre ao estudante analisar os resultados, pois onde os sete aparece implica que o indivíduo se dispõe a compartilhar o que naquela posição venha a indicar. Tudo se dará de forma harmoniosa ou truculenta, por bem ou por mal, mas indica também que a pessoa se recusa a levar as coisas sozinha e, assim sendo, cederá parte das rendas de sua vida, de seus negócios, seja o que for, ao outro.

Contrario senso, se uma tiragem está carente dos setes, será sinal de que o indivíduo não superou a etapa do egocentrismo no assunto objeto da consulta, e que necessita empanturrar-se de si mesmo, precisa comer só, pois ainda não atingiu o estágio em que compartilhar seja uma necessidade imperiosa.

No mundo dos negócios e também em outros pontos já está claro que para o engrandecimento faz-se necessário compartilhar para dispor do outro além de si mesmo e, assim, crescer. É nisto que se baseiam as sociedades, nesse movimento generoso da alma que a humanidade deve ascender naturalmente. Deste modo o ideal de Netzah é expresso no Cristianismo quando se determina compartilhar tudo com seu irmão, posto que Netzah encontra-se um degrau abaixo de Tiphereth e a lei do Redentor é ativa neste centro.

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina principal e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO II

A ODISSEIA ZODIACAL

Autor: Inácio Vacchiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s