22 Kamotz: Quatro de Copas


             Elementos constitutivos ou relacionados

Nome divino:וההי VHHY
Arcanjo:ברכיאל Barkiel
Anjo:םאיציאל Saitziel
Anjo regente da casa:םוםול Susul
Anjo do decanato:כמוץ Kamotz
Gênios dos quinquídios:43. 6->4 Veuliah e 44. 6->5 Ylahiah
Nome hebraico – Signo:Escorpião (Nun), Água/Água da Água הה
Força ativa do signo:Geburah
Força ativa do Decanato:Hesed
Elementos concorrentes:Fogo da Água da Água
Relação/mundos:Yod de He de He ou Vontade de sentimento do sentimento
Tribo:Dan
Apóstolo:Judas Alfeu
Planeta regente do signo:Marte
Planeta do decanato:Lua
Posição zodiacal:1º decanato de Escorpião
Velas: 1 azul e duas brancas
Incenso:[cânfora, murta, louro, arruda, eucalipto, hortelã, alecrim, patchouli, citronela, absinto, etc.] e [sândalo, acácia, cipreste, absinto, balsamo e também a pimenta, a cebola, etc.] e [noz-moscada, cravo, café, etc.]
Letras:Zain – Zain -Resh
Gemátria:7+7+200 = 214 = 2+1+4 = 5
Invocação por domicílio:de 0 a 10° de Escorpião ou 24 de outubro a 2 de novembro
Invocação pelo ciclo diário:   14:00 às 14:40 h. a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção: Quando a Lua se encontra no 1º decanato de Escorpião.
Forças em ação:As forças da Lua se expressam pelo signo de Escorpião ou ainda Fogo da Água da Água; as forças de Geburah se expressam pelas vias do Fogo da Água pelas configurações de Hesed-Câncer.
Sendeiro:Pelo signo: Subsendeiro de Yesod a Geburah; gênio 9->5: HABUHIAH. Pela árvore: Subsendeiro de Yesod a Geburah; gênio 9->5: HABUHIAH. 

             Primeiro decanato de Escorpião

O primeiro Decanato de Escorpião refere-se aos graus que vão de 0 a 10 do signo, ou seja, os nascidos entre 20 a 29 de outubro (aproximadamente). É regido pela Lua por encontrar-se em analogia com o primeiro signo da Água; o primeiro decanato de Escorpião é o Yod do He dos signos da Água e, no Taro, é o domicílio do quatro de Copas. Na ordem sephirótica Geburah exerce privilégio sobre ele, por ser o segundo signo do elemento Água, e em segundo lugar, o Decanato, é regido por Hesed (quarta Séfira da Árvore Cabalística, que corresponde a Júpiter) por ser o quarto Decanato do elemento.

O Gênio do Decanato é כמוץ Kamotz que poderá ser invocado ou evocado para sanar tudo que seja de seu atributo neste interstício ou mesmo de interesse do nativo em sua senda evolutiva, quanto mais em seu período de manifestação. Trata-se de Decanato Yod do signo de Escorpião que é um signo He-He, Água da Água הה, de modo que dará lugar a trabalhos próprios deste signo. Corresponde ainda ao mundo Cabalístico das criações.

     Os indivíduos deste primeiro Decanato são como a água da chuva e a água profunda ao mesmo tempo em razão de seu trabalho sobre os sentimentos, de outro lado este signo é representado na ordem dos fenômenos naturais como os rios, lagos (inclusive os poluídos – baixos sentimentos) – Águas do meio – reflexão estagnada, espiritualizada das imagens internas, a água dos rios, vindo das águas doces de He, caídas em forma de chuva ou seja, por ser um Decanato do Fogo, estes nativos possuem virtudes purificadoras e, ao mesmo tempo, no seu fundo humano residem emoções complexas, sentimentos impenetráveis.

Neste Decanato se realizam os trabalhos de recapitulação, correspondentes à etapa de Câncer e também trabalhos sobre a auto estima. Muitas vezes, os Escorpianos do primeiro Decanato nascem em famílias às quais estão ligadas por laços cármicos e, por ter uma disciplina pendente estão vinculados a pessoas de seu passado ancestral, com as quais não cumpriram com suas obrigações em passadas existências e devem voltar a elas para dar-lhes esse amor puro que só aparece no estágio infantil, quando o homem ainda não foi maleado pelos desprazeres da vida. Uma vez cumprida a obrigação de dar a seus pais um amor puro, se desvinculam-se deles e as suas relações familiares são praticamente inexistentes. Embora haja casos de pessoas que, com medo do futuro, identificam-se com o seu passado de maneira que continuam a seguir sua vida sendo uma criatura inocente de onde advém o chamado complexo de Peter Pan que trata do indivíduo que não querem crescer, que viram a costas para às tarefas evolutivas e vivem sonhando com seu retorno ao ventre de sua mãe.

Escorpião é o He dos signos de Água e nele se desenvolvem trabalhos de interiorização dos sentimentos. Enquanto em Câncer as forças sentimentais se desencadeavam sem que aparecesse o objeto que se beneficiasse desse amor, em Escorpião o objeto já apareceu: é a si mesmo. A fonte desse amor se interiorizou e o homem se acha o rei da Criação, artífice de tudo quanto exista na Terra, ama sua estrutura interna.

O primeiro Decanato é a junção de duas forças: as de Câncer (que representa o primeiro signo da Agua) e as de Escorpião (segundo signo do fogo mas aqui em ligação com Câncer por tratar-se do primeiro Decanato), de modo que o sopro puro do amor de Hochmah segue atuando, contudo diferentemente de como acontecia no primeiro Decanato de Câncer, ao em vez de expandir-se livremente para todo criado, aqui o manancial dos sentimentos é captado para a edificação do Intimo, o que resulta na entronização do Real Ser, eis que o indivíduo trabalha em seu proveito com uma força natural que em seu estado puro permite conectar conscientemente o homem com Deus. Lembremos que Áries é a porta de comunicação inconsciente entre Deus e o homem ao passo que Câncer é a porta consciente de comunicação, embora ainda neste estado estágio evolutivo o nativo não consiga explicar-se como é possível que isto seja deste modo. Será, pois, em Libra, o momento do pensamento, em que a razão desta ligação aparecerá e o homem compreenderá o mecanismo que o une ao Criador.

O indivíduo do programa do primeiro Decanato de Escorpião não aproveitou as possibilidades que foram oferecidas em Câncer, de amar o universo inteiro, compreendidos nele todos os seres inferiores e os superiores, até a divindade, e por isso agora essas forças, se interiorizam nele em vez de dispersar, a fim de que, amando-se a si mesmo, Seu íntimo, como modelo reduzido do universo, possa amar todo um mundo construído à sua imagem e semelhança – aqui aplica-se o velho adágio Hermético das correspondências: Como é em cima o é embaixo e como é embaixo é em cima.

Disto resulta que se a dinâmica deste Decanato não encontrar obstáculos, em um primeiro momento este indivíduo será um Narcisista, adorando sua própria imagem e se exaltando além do imaginável – provavelmente será um momento egóico já que haverá exaltação do Ego e não do Intimo. No primeiro caso, chegando ao final da viagem, ele mesmo será a porta que lhe permitirá contemplar todas as belezas do mundo e intuir a existência de um Criador, pouco a pouco, haverá de descobrir nele o modelo de universo que representa.

Mas, se o ego dominar, o grande perigo deste Decanato consistirá em que esta viagem não chegue ao seu fim. Se o impulso interiorizador egóico de Escorpião for mais forte que o de Câncer, que pretende amar a tudo sem questionar, o primeiro escravizará o segundo e o indivíduo permanecerá toda a sua vida em sua posição narcisista, como um pueril adorador de si mesmo (enquanto ego).

Será considerado pueril porque sua própria estimulação sobre si mesmo será tão exagerada que despertará a hilaridade, as pessoas não o levarão muito a sério, isto talvez o ajude a ver quão deturpado é esse amor que se professa si mesmo (enquanto ego).

No que tange aos bons aspectos, os planetas situados neste Decanato ativarão ainda mais esta dinâmica e o indivíduo encontrará “razões” para auto estimar seu Íntimo, encontrar-se-á em contextos humanos onde este disposto será exaltado, será uma pessoa cujo maior desejo consistirá em ser útil a seus semelhantes, será abnegada.

Sendo um signo de interiorização, as coisas ocorrem por dentro e não por fora, quer dizer, esse indivíduo faz as coisas que faz magnificando-as, ampliando-as, exaltando-as excessivamente, dado o amor que professa a si mesmo (aqui refere-se ao Ser). De outro lado as pessoas que os veem verão suas façanhas como algo normal, o que a ele parece um grande sacrifício e uma enorme façanha. Deste modo será o herói, o homem que realiza uma façanha singular e que se sente satisfeito de si mesmo embora os outros não o compreendam.

 Este amor próprio exagerado dá ao nativo deste Decanato uma enorme riqueza interna que suscita grande interesse humano.

Como os nativos deste Decanatos pretendem ser heróis, os aspectos negativos deste Decanato obrigarão o indivíduo a sê-lo em circunstâncias dramáticas. A pessoa procurará as dificuldades, os ambientes de conflito para exercer a autoestima egóica, para assegurar a existência do mérito, contudo como vivia um problemas que poderia ter evitado, um drama proposital, os demais, que não compreendem a função da mecânica cósmica que se meteu neles, ao mesmo tempo que o admiram, por outro dizem que se meteu em complicações porque quis.

Para forçar a admiração, essa pessoa inventará heroicidades, a exemplo do bombeiro que ateia fogo a um edifício para depois arriscar a sua vida apagando-o, ou do governante que declarará uma guerra para depois poder vangloriar-se de tê-la ganho, também serão atribuídas vivências tiradas dos romances, do cinema, onde as pessoas de seu entorno fingirão acreditar para não o contraria-lo. Somente o nativo acreditará em suas histórias, mas mesmo assim passarão a fazer parte de seu patrimônio espiritual como se tivesse vivido, frequentado estas energias. Então percebemos que os maus aspectos podem dar lugar a pessoas a grande perigosidade que precisam viver perigosamente para fazer-se admirar, isto não quer dizer necessariamente que sejam más.

É difícil viver com uma pessoa deste Decanato muito ativado, independentemente dos bons ou maus aspectos porque sua própria estima será sempre superior a seus reais méritos. Sempre desenvolverá um ressentimento para com os demais que lhe parecerá não o estimarem em todo seu valor devido, que não o compreendem. É provável que na última etapa de sua vida talvez tome consciência de que o amor a seu Íntimo é uma chave para encontrar o amor de Deus e se tornar um homem abnegado.

             Carta do Tarô: Quatro de copas

 Recebe o título de Senhor do Prazer. Refere-se ao elemento Água e astrologicamente corresponde a posição de Júpiter transitando pelo primeiro decanato de Escorpião onde Hesed manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo regido por Geburah-Marte que o influencia e sob as pulsações do regente deste decanato que é a Júpiter.

Neste ponto o Amor-sabedoria de Hochmah expressa-se por intermédio de Hesed, o poder espiritual realizador das bondades. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizará ainda pelo tom prismático de Yesod, o coordenador deste subciclo evolutivo.

O Quatro de Copas é o He (יהוה “Yod-He-Vô-He”) do quaternário dos quatros, deste modo, possui uma relação com Hochmah o supremo representante do amor e refere-se à influência de Hesed no plano astral (Hesed em He).

Trata-se de a uma carta ligada a grandes necessidades de sentimentos e emoções já que está rege o segundo mundo intitulado como Briah, sendo ainda o segundo da coluna da misericórdia e o segundo naipe do grupo de quatro que também trata do elemento Água – temos então o afã por prazeres, pelo amor perfeito que beira os excessos e até o masoquismo, a necessidade de multiplicar as conquistas sentimentais, eis que não há um refinamento das emoções se a pessoa não é um gigante espiritual, e como esta carta participa da natureza de Geburah, a Sephirah do sofrimento e do castigo, o guardião da Lei violada, já que é o segundo do mundo de Briah e o segundo da coluna da severidade acaba por conduzir a um certo grau de perversidade. No campo da espiritualidade encontramos aqui os místicos que se auto flagelam na busca da espiritualidade.

Enquanto o quatro de Paus necessita criar sociedades para melhor estabelecer seus poderes, o quatro de copas necessita multiplicar suas conquistas sentimentais, um covil sexual para sentir-se privilegiado com elas. Se o impulso do quatro de copas for débil (carta invertida), o indivíduo não irá até o final de suas possibilidades e não aparecerão os elementos contrastantes e frustradores.

Palavras chaves: 4♥ S. prazer, abundância de sentimentos, afã de prazeres, perfeito amor, emoção e prazer.

(Reta) Sadomasoquismo, aflição, nojo amor para prestígio;

(Invertida) Grande amor, prazer de viver, amor reciproco, Presságio sentimental.

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina principal e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO II

A ODISSEIA ZODIACAL

Autor: Inácio Vacchiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s