17 Rayadyah: Oito de Ouros


             Elementos constitutivos ou relacionados

Nome divino:ההוי HHVY
Arcanjo:המליאל Hamaliel
Anjo:שלתיאל Shelathiel
Anjo regente da casa:ויאל Veyel
Anjo do decanato:ראידיה Rayadyah
Gênios dos quinquídios:33. 5->2 Yehuiah e 34. 5->3 Lehahiah
Nome hebraico – Signo:Virgem (Yod), Terra/Ar da Terra וה
Força ativa do signo:Malkuth
Força ativa do Decanato:Hod
Elementos concorrentes:Água do Ar da Terra
Relação/mundos:He do Vô do 2º He ou sentimento do pensamento de ação ou Briah de Yetzirah de Assiah
Tribo:Naphtali
Apóstolo:Tomas (Tome)
Planeta regente do signo:Mercúrio
Planeta do decanato:Vênus
Posição zodiacal:2º decanato de Virgem
Velas: 1 laranja e duas verdes ou azuis
Incenso:[violeta, rosas, almíscar, lavanda, dama da noite e também o açafrão, etc.] e [canela, sementes de louro, jasmim, benjoim, casca de limão, maçã, etc.]
Letras:Zain – Zain -Resh
Gemátria:7+7+200 = 214 = 2+1+4 = 5
Invocação por domicílio:de 10 a 20° de Virgem ou 2 a 12 de setembro
Invocação pelo ciclo diário:   10:40 às 11:20 h. a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção: Quando Vênus se encontra no 2º decanato de Virgem.
Forças em ação:As forças de Vênus se expressam pelo signo de Virgem ou ainda Água do Ar da Terra; as forças de Malkuth se expressam pelas vias do Água do Ar pelas configurações de Tiphereth-Peixes.
Sendeiro:Pelo signo: 29 de Netzah a Hod; gênio 7->8: MEBAHIAH. Pela árvore: 29, de Netzah a Malkuth.

             Segundo decanato de Virgem

O segundo Decanato de Virgem refere-se aos graus que vão de 10 a 20 do signo, ou seja, os nascidos entre 30 de agosto a 09 de setembro (aproximadamente). No plano planetário é regido por Vênus por encontrar-se em analogia com o segundo signo da Terra; o segundo decanato de Virgem é o He do Vô dos signos do Terra e, no Taro, é o domicílio do oito de Ouros. Na ordem sephirótica Malkuth exerce privilégio sobre ele, por ser o terceiro signo do elemento Terra, e em segundo lugar, o Decanato, é regido por Hod (oitava Séfira da Árvore Cabalística, que corresponde a Mercúrio) por ser o oitavo Decanato do elemento.

O Gênio do Decanato é ראידיה Rayadyah que poderá ser invocado ou evocado para sanar tudo que seja de seu atributo neste interstício ou mesmo de interesse do nativo em sua senda evolutiva, quanto mais em seu período de manifestação. Trata-se de Decanato He do signo de Virgem que é um signo Vô – 2º He, Ar da Terra וה, de modo que dará lugar a trabalhos próprios deste signo. Corresponde ainda ao mundo Cabalístico das ações.

Neste segundo Decanato se realizam, além dos próprios do signo, trabalhos de recapitulação correspondente a fase de Touro por ser o segundo signo de Terra. Em Touro temos o desígnio que é gozar ao passo que em virgem é desprender-se. Isto indica que haverá um tempo de gozo relativo ao período de Touro, mas que haverá de terminar quando se esgote estas energias e, então, termine o prazo e os valores materiais haverão de desprender-se de qualquer modo neste período, seja de bom grado ou a força.

Aqui encontramos todos aqueles que não esgotaram as energias correspondentes a esfera de Touro em outras existências de modo que ainda há um crédito, um Dharma a receber. Trata-se daqueles que em seu tempo não gozaram o que poderiam ter gozado, talvez porque compartilharam suas riquezas com outros em um processo de abnegação, criaram Dharmas que podem ser utilizados agora nos tempos difíceis de Virgem e, assim, receberam um gozo complementar.

 Um exemplo deste processo refere-se aquelas pessoas em que os bens, talvez herança, esteja sob judice nos tribunais, mas os juízes decidem a seu favor e concedem o usufruto por um tempo ou seja um modo não definitivo onde terminado o prazo (de desfrute do Dharma) os bens retornam aos seus opositores. Também nos deparamos com aqueles que vivem de rendas, mas sobre estas pende uma ameaça constante. Trata-se do indivíduo que tem direito a um gozo, um Dharma pendente, que por algum motivo não foi gozado e então é concedida a oportunidade para se viver este gozo. Contudo, vale dizer que este gozo vem fora de época, como a fruta fora da estação e que, portanto, não tem o mesmo sabor como quando saboreado em seu momento oportuno.

Ocorre que este gozo vem acompanhado de uma força de abandono próprio de Virgem que processa o afastamento das realidades materiais. Então temos aqui uma abundância que não satisfaz, um prazer nostálgico, que foi, que produz o gozo pela lembrança.

Vale lembrar que Virgem é um signo terminal de modo que os prazeres ligados a este se consubstanciam sempre na etapa final de qualquer coisa que indivíduo empreenda.

Com bons aspectos, os planetas nesse Decanato favorecem a manutenção de uma situação material embora esta necessite ir à bancarrota, mas que resiste não se sabe por quanto tempo já que a dinâmica do signo não prevê a prosperidade

Com aspectos negativos, o impulso interior na busca da prosperidade se torna mais acentuada provocando uma maior reação das forças oriundas do arquétipo virginiano. Assim, o impulso para exteriorizar a matéria será mais acentuado, dará vazão ao indivíduo que procura prolongar a vigência do que possui tendo que lutar constantemente como os impulsos adversos que lhe incitam a soltar o que pretende possuir; ainda temos que a exigência por parte do indivíduo por prazeres seja mais acentuada embora este prazer venha justamente de sua doação, de velar pelo prazer alheio.

A nível psicológico teremos a figura do avarento, daquele que procura conservar os seus bens materiais onde acredita estar a sua felicidade, contudo em sua volta tudo impulsiona ao gasto de seus valores, tais quais seus familiares.

Como Virgem rege os intestinos, esta tendencia a segurar dará vazão ao grande constipado, seja no sentido figurado ou literal.

Em razão desta dinâmica de gozar os prazeres tardios e renunciar desenvolve-se aqui a relação prazer-dor. Esta relação desfrute-desprendimento dá ao indivíduo uma capacidade de organização para o serviço social.

Os segundos Decanatos da Terra estão estreitamente ligados à ideia de gozo emanado de Touro, de modo que no 2º Decanato de Capricórnio teremos os construtores que planejam os prazeres da sociedade, concebendo os edifícios que abrigarão esses prazeres, os do segundo decanato de Touro aqueles que vão financiá-los e desfruta-los simultaneamente; e os do segundo Decanato de Virgem, que tratam do gozo terminal, tratarão da sua organização para a sociedade, principalmente no que tange aos gozos da terceira idade, ou seja, daqueles que já passaram o tempo de gozar.

A forças combinadas de Mercúrio, o regente do signo com Vênus, o regente do Decanato, faz com que estes nativos se expressem (Mercúrio) com grande beleza (Vênus) e que seja muito prazeroso escutá-los. Eles herdaram de Touro, regido por Vênus, o sentido da arte e de Mercúrio a sua rapidez e a profundidade de pensamento que pode transformá-los em grandes escritores.

             Carta do Tarô: Oito de Ouros

 Recebe o título de Senhor da prudência. Refere-se ao elemento Terra e astrologicamente corresponde a posição de Mercúrio transitando pelo Segundo decanato de Virgem onde Netzah manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo regido por Hod-Mercúrio que o influencia e sob as pulsações do regente deste decanato que é Mercúrio.

Neste ponto Hesed com o seu poder espiritual realizador das bondades, expressa-se por intermédio de Hod o centro por meio do qual o Real Ser expressa sua Vontade sob a forma de pensamentos, por onde transita a sua memória, cuida da elaboração do intelecto por onde percorrem os pensamentos, as ideias; se encarrega de escrever o roteiro e pesquisar os personagens com os quais haveremos de edificar a história de nossa vida como resultante das forças tratadas nas demais Sephiroth acima, suas superiores. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizará ainda pelo tom prismático de Netzah, o coordenador deste subciclo evolutivo.

O oito de Ouros é o 2º He (יהוה “Yod-He-Vô-He”) do quaternário dos oitos, deste modo, possui uma relação com Hesed o instrumentador do Paraíso e refere-se à influência de Hod no plano físico (Hod no 2º He). Aqui, as energias de Hod estão diretamente associadas a Malkuth, que representa a personalidade física em Assiah.

Neste ponto, a inteligência fica apreensiva, em atitude de observação e prudência em razão das pressões sofridas pela realidade material. Eis que esta carta expressa a interferência de Malkuth ao receber as projeções de Hod. Assim, temos a transformação interna do pensamento feita por Hod com o material fornecido por Malkuth e, da união dessas forças, resulta a ciência da observação, o empirismo. Só se formulam hipóteses quando se dispõe das provas e os processos mentais realizam-se com parcimônia.

A inteligência estará vinculada às realidades materiais que irão informar e formar. Estas energias refletirão ainda na obtenção de riquezas pela ciência material, pela observação, em laboratórios, centros de pesquisa.

Como esta fonte se afinca a uma riqueza adquirida pacientemente, esta será gasta com sabedoria e parcimônia, razão que esta carta indique uma situação de avareza e prudência.

Enquanto o Ás de Ouros anuncia o avarento, que gosta de contemplar a sua riqueza, mas não a usar nem mesmo para seu bem-estar aqui, no oito de Ouros, a avareza vem em razão de um acumulo cauteloso com sacrifícios e prudência.

Palavras Chaves: 8♦ S da Prudência, gastos com parcimônia.

(Reta) Economia, análise cuidadosa, empirismo, sentido prático

(Invertida) Avareza, usura, restrição, negação, materialismo científico.

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina principal e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO II

A ODISSEIA ZODIACAL

Autor: Inácio Vacchiano