8 Shehadani: Oito de Espadas


             Elementos constitutivos ou relacionados

Nome divino:יוהה YVHH
Arcanjo:אמבריאל Ambriel
Anjo:םראיאל Sarayel
Anjo regente da casa:גיאל Giel
Anjo do decanato:שהדני Shehadani
Gênios dos quinquídios:15. 2->8 Hariel e 16. 2->9 Hekamiah
Nome hebraico – Signo:Gêmeos (Zain), Ar/Ar do Ar וו
Força ativa do signo:Yesod
Força ativa do Decanato:Hod
Elementos concorrentes:Água do Ar do Ar
Relação/mundos:He do Vô do Vô ou sentimento do pensamento do pensamento ou Briah de Yetzirah de Yetzirah
Tribo:Manasseh
Apóstolo:Mateus
Planeta regente do signo:Mercúrio
Planeta do decanato:Saturno
Posição zodiacal:2º decanato de Gêmeos
Velas: 1 Laranja e duas brancas
Incenso:[Erva de Santa Maria, enxofre, raiz de guiné, gengibre, etc.] e [canela, sementes de louro, jasmim, benjoim, casca de limão, maçã, etc.]
Letras:Zain – Zain -Resh
Gemátria:7+7+200 = 214 = 2+1+4 = 5
Invocação por domicílio:de 10 a 20° de Gêmeos ou 1 a 10 de junho
Invocação pelo ciclo diário:   04:40 às 05:20 h. a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção: Quando Saturno se encontra no 2º decanato de Gêmeos.
Forças em ação:As forças de Saturno se expressam pelo signo de Gêmeos ou ainda Água do Ar do Ar; as forças de Yesod se expressam pelas vias da Água do Ar pelas configurações de Hod-Aquário.
Sendeiro:Pelo signo: Subsendeiro de Binah a Hod; gênio 3->8: MELAHEL. Pela árvore: Subsendeiro de Binah a Yesod; gênio 3->9: HAHEUIAH.

             Segundo decanato de Gêmeos

O segundo Decanato de Gêmeos refere-se aos graus que vão de 10 a 20 do signo, ou seja, os nascidos entre 31 a 09 de junho (aproximadamente). No plano planetário é regido por Saturno por encontrar-se em analogia com o segundo signo do Ar; o segundo decanato de Gêmeos é o He do Vô dos signos do Ar e, no Taro, é o domicílio do oito de Espadas. Na ordem sephirótica Yesod exerce privilégio sobre ele, por ser o terceiro signo do elemento Ar, e em segundo lugar, o Decanato, é regido por Hod (oitava Séfira da Árvore Cabalística, que corresponde a Mercúrio) por ser o oitavo Decanato do elemento.

O Gênio do Decanato é שהדני Shehadani que poderá ser invocado ou evocado para sanar tudo que seja de seu atributo neste interstício ou mesmo de interesse do nativo em sua senda evolutiva, quanto mais em seu período de manifestação. Trata-se de Decanato He do signo de Gêmeos que é um signo Vô -Vô, Ar do Ar וו, de modo que dará lugar a trabalhos próprios deste signo. Corresponde ainda ao mundo Cabalístico das formações.

Neste Decanato se realizam os trabalhos próprios do signo e trabalhos de síntese relativos a Aquário. Em Aquário, sob a influência de Hod-Mercúrio, Saturno e Urano, o homem deve chegar ao fundo da verdade, tanto material quanto transcendental e, posteriormente, haverá de derramá-la para fora pelas vias de Gêmeos.

Como este indivíduo busca a verdade, foi parar neste segundo Decanato e aí está porque não chegou as últimas consequências na busca desta pequena parcela do conhecimento que está destinado a explorar. Isto significa que haverá de divulgar uma informação incompleta, que ainda não está totalmente elaborada.

Desta situação encontraremos por exemplo o jornalista, o catedrático cujas informações se veem constantemente desmentidas, contestadas, eis que o impulso de exterioriza-las foi tanto que a notícia não foi corretamente elaborada, que a tese não foi esgotada. A claro que as informações mal elaboradas ou mesmo as informações científicas ou tecnologias não esgotadas haverão de promulgar suas consequências, seus efeitos colaterais.

Mas também pode ocorrer outro tipo de erro: O de se calar quando deveria falar. No terceiro decanato de Aquário temos as forças deste signo se expressando por Gêmeos, o exteriorizador do pensamento, que dá origem ao que falava demais, que difunde a notícia antes de seu tempo. Aqui a coisa se inverte e Gêmeos se manifesta por intermédio de Aquário, o grande interiorizador do pensamento, então nos deparamos com o nativo que se cala quando deveria falar, que interioriza quando haveria de se expressar.

Nos deparamos ainda com os jornalistas, cientistas e sábios meia boca (Gêmeos e Aquário incompletos), que não são nem totalmente jornalistas e nem totalmente cientistas ou sábios. No caso do jornalista, haverá de facilitar informações reservada a grupos de cientistas e/ou professores quanto mais os sejam estes sábios incompletos.

A partir desta posição o nativo pode evoluir para a frente ou voltar para trás na esfera evolutiva do zodíaco.

Se a chamada de Aquário for muito forte, haverá de abandonar as atividades de divulgação para se dedicar à a interiorização, atividade interna de pesquisa, do aprofundamento do pensamento.

Do outro modo se pender para o lado geminiano, se inclinará para as tarefas de exteriorização, as jornalísticas, as de divulgação, isto porque a exteriorização do que sabemos é uma fase que vem após a interiorização, a aprendizagem científica e de qualquer conhecimento. Neste sentido podemos afirmar que, aquele que divulga é sempre superior ao que se cala já que a divulgação é uma etapa posterior ao aprendizado, contudo o silêncio, a interiorização também tem o seu valor e é necessário, faz parte de um determinado momento de nossa evolução.

Então concluímos que que neste Decanato estarão presentes duas forças, uma que impulsiona a interiorizar e guardar para si um conhecimento (proveniente de Aquário), e outra que impulsiona a libertar-se dele (força geminiana).

Tanto na dinâmica do segundo Decanato de Aquário como no Segundo decanato de Gêmeos encontraremos em seus entornos pessoas que comungam com as mesmas energias. Assim, teremos a volta de Aquário, com sua vibração de inventor, descobridor, inovador, pessoas em seu clima de confiança, que compartilham suas ideias, visões do universo, ideais e esperanças. Do outro lado, no segundo decanato de Gêmeos o indivíduo será rodeado por pessoas que tendem a exteriorizar, as tendencias exteriorizadora do signo e que estão à espera da informação de modo voraz.

Esta confluência de tendências contrarias entre o segundo Decanato de Gêmeos e Aquário (principalmente no segundo Decanto onde a interiorização é mais contundente) dará ensejo a situações em que ocorram as duas inclinações como a que ocorre no caso do cantor que também é compositor, daquele que possui, cria a informação, o segredo e simultaneamente a expressa.

Conforme sejam as propensões destas energias teremos três disposições:

Já vimos que Aquário nos deparamos com a sociedade que se formou em Libra com perfeição: Aquário é, pois, o signo da amizade. Como a força de Aquário é muito forte neste segundo Decanato de Gêmeos, haveremos de encontrar aqui a rememoração desta amizade.

Contudo este nativo, por algum motivo, em seu tempo, não permitiu que a dinâmica de Aquário funcionasse normalmente de modo que pudessem trabalhar conjuntamente no terceiro Decanato de Gêmeos, lugar este onde ocorrem os verdadeiros trabalhos deste signo por ser o terceiro signo do Ar. Haveria, portanto, de exteriorizar o que já fora interiorizado a nível de conceitos.

Os nativos deste Decanato, em verdade, de algum modo, afastaram-se de seus antigos companheiros angariados no período de Libra de modo que ao reencontra-los agora e certo que subsistirá a amizade, simpatia, solidariedade de antes, mas não será possível realizar trabalhos em conjunto com eles pois já superaram esta etapa e agora estão em outro nível não tendo mais como uni-los de modo que em uma das vivencias de seu programa consta a separação dos amigos com quem mais se identifica.

Quando um indivíduo inicia sua peregrinação pelo zodíaco, iniciando-se por Áries, lhe é entregue um programa por seu Real Ser e este programa deve-se inicialmente ser executado por dentro para posteriormente ser implementado no externo, deve, portanto, ser por dentro antes de sê-lo por fora e em Gêmeos deve exteriorizar as ideias que suas vivências tem gerado. Mas estas ideias para serem exteriorizadas devem antes terem sido vividas internamente pois a projeção ocorre de dentro para fora. Contudo o nativo deste Decanato não efetuou esta interiorização em seu momento adequado, ou seja, no período de Aquário, principalmente em seu segundo Decanato de modo que sem esta experiência interna a resposta exterior será apenas a cultural, i. é., aquela que veio da experiência de outros indivíduos da sociedade que o rodeia em seu tempo e lugar.

Contudo o sistema Cósmico exige que cada um forneça sua própria resposta pessoal do que o Universo projetou no indivíduo e que este indivíduo projete o resultado destas forças de volta para o Universo. Esta exigência provocará no nativo uma compulsão de interiorização dos valores culturais coletivos goste ou não do que veja. Serão as ideias, os princípios, dogmas, conceitos que haverá de digerir e posteriormente exteriorizar sua “verdade” de modo que pode aceitar ou repulsar com propriedade o que foi anabolizado. Caso estas “verdades” não se encaixem em seu interno, o nativo que se filiou a empresas, partidos, opiniões, dogmas, conceitos, princípios em seguia o atraiçoará ou simplesmente o deixará. Em um dia será o militante da direita e no outro o da esquerda, em um momento estará com os guerrilheiros e terroristas e no outro dia com as forças que colocam a ordem na sociedade, pode inclusive atuar dos dois lados como agente duplo. Ocorre que este nativo está em um processo de interiorização, ao qual não foi feito devidamente em Aquário, de modo que está a realizar provas em seu interior, que pretende testar tudo para expulsar o que não se ajusta a norma e, por isto, poderá ser tomado como alguém leviano, inconstante, pessoa de pouca ou nenhuma confiabilidade. Estas provas durarão até que o nativo tenha adquirido sua identidade e se incorpore ao seu grupo humano, sua linhagem espiritual, já formado em outros tempos. E como este indivíduo não possui ainda uma identidade, na vida cotidiana é provável que venha a perder seu cartão de identidade ou algo que se assemelhe em seu tempo ao passo que a sociedade lhe exigirá documentos que não possui. Isto representa a luta interior para a conquista de sua identidade interna.

Os bons aspectos, produzirão um efeito contrário. Haverá uma abundância de ideias de modo que seja mais fácil separar vigorosamente aquelas que não são condizentes com seu interno. Haverá ainda constante ruptura com amigos e mudanças corriqueiras de trabalho

             Carta do Tarô: Oito de espadas

 Recebe o título de Senhor da força amortecedora. Refere-se ao elemento Ar e astrologicamente corresponde a posição de Mercúrio transitando pelo segundo decanato de Gêmeos onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo regido por Hod-Mercúrio que o influencia e sob as pulsações do regente deste decanato que é Mercúrio.

Neste ponto as restrições de Binah o construtor do universo, centro instituidor de todas as coisas de onde emanam a Lei e a ordem, expressa-se por intermédio de Hod o centro por meio do qual o Real Ser expressa sua Vontade sob a forma de pensamentos, por onde transita a sua memória, cuida da elaboração do intelecto por onde percorrem os pensamentos, as ideias; se encarrega de escrever o roteiro e pesquisar os personagens com os quais haveremos de edificar a história de nossa vida como resultante das forças tratadas nas demais Sephiroth acima, suas superiores. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizará ainda pelo tom prismático de Binah, o coordenador deste subciclo evolutivo.

O Oito de Espadas é o Vô (יהוה “Yod-He-Vô-He”) do quaternário dos oitos, deste modo, possui uma relação com Binah a inteligência ativa e refere-se à influência de Hod no plano mental (Hod em Vô).

O elemento Ar refere-se as ideias, a construção crítica que expressa, o trabalho sobre o mental. Sendo Hod o terceiro da coluna da esquerda conta com a expressividade de Yesod com o terceiro do Triângulo Mágico que se relaciona ao terceiro dos mundos e, marca assim, a saída do mental ao físico.

Hod é o comandante da razão e dará lugar ao indivíduo que atua de forma desapaixonada, com expressão mensurada, crítica, pura, desinteressada.

Este centro de vida atua como uma espécie de filtro para com as Leis, temperando-as, até amortecendo-as se necessário ou o contrário, quando na busca de um consenso, então, atua de cima para baixo e de baixo para cima, por isto é chamado a ser o fiscal da Lei. A alma adere aos imperativos que recebe de suas instâncias superiores e os traduz ao ambiente físico na qual devem manifestar-se.

Então a questão aqui refere-se a uma situação crítica onde, no exterior, por uma circunstância delicada, ocorre um caso fortuito, um imprevisto, etc. e que precisa ser materializado na esfera de Yesod o que foi elaborado nos processos acima, inclusive com origem em outras existências, ao qual a etapa final é Hod. Dessarte, se produz um consenso entre as forças de Hod e Yesod com as informações fornecidas por Malkuth e, o oito de espadas, representa, assim, a busca desta aliança originando a força amortecedora para que se alinhem o que está em cima com o que está embaixo, o necessário com o possível, a Lei com as condições fáticas.

Palavras chaves: 8♠ Senhor da força amortecedora.

(Reta) Critica, posição delicada, investigação, censura, Fiscal da Lei;

(Invertida) Incidente, dificuldade, atraso, contestação, caso fortuito, infortúnio

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina principal e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO II

A ODISSEIA ZODIACAL

Autor: Inácio Vacchiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s