V. Leão: Oel


Nome divino (Atziluth):HVYH הויה
Arcanjo (Briah):Verkiel ורכיאל
Coro Angélico (Yetzirah):Sharatiel שרטיאל
Anjo regente da casa correspondente (Assiah):Oel עואל
Planeta regente:Sol
Elem. Signo/Sephirótico:Água/Água do Fogo הי
Relação/mundos:“He” do Mundo de Atziluth
Apóstolo:Simão
Tribo:Judah
Cartas do Tarô:Rainha de Paus הי que rege Quatro, Cinco e Seis paus.
Hora planetária e astrol.:8 às 10 horas da saída do Sol; de 121º a 150º no zodíaco.
Período:21 de julho a 20 de agosto
Velas:3 Amarela limão
Incenso:[mirra, almíscar, estoraque, âmbar, e também aloe vera, cravo, louro, olíbano, etc.]
Letras:Ayin – Vô – Aleph – Lamed
Gemátria70+6+1+30= 107 = 1+0+7 = 8
Região do corpo:Coração e espinha dorsal
Metal:Ouro
Pedra:Diamante
  1. Informações gerais do signo

Leão é o interiorizador das energias de Áries de modo que será o guardião da moral, dos costumes e da Lei. É o He de fogo e o Yod dos signos fixos. No processo cabalístico criativo é regido por Hochmah e no zodíaco é o regente Solar.

Se Áries é a porta de entrada das energias cósmicas no homem Leão, o segundo signo do fogo, chamado de signo fixo, é o que nos permite interiorizar essas energias e nos saturarmos delas internamente. Em Áries o impulso espiritual salta em nós empurrando-nos a uma ação, em Leão direcionamos as energias para dentro e constituímos o terreno em que as sementes de Áries haverão de enraizar-se. A interiorização é um processo de Hochmah.

Poderíamos dizer que Leão está prenhe de desígnio (do Fogo), e sentindo a responsabilidade que lhe dá ao ser depósito vivo da transcendência, se comportará sempre com fidelidade para com o princípio que preenche todo seu ser. Na fase Leão o indivíduo ainda não é consciente do desígnio que Deus lhe tenha dado, mas sabe confusamente, que é preciso ser fiel a um ideal superior, e que a obediência é uma virtude fundamental no processo evolutivo. Leão é o mais firme sustentáculo do novo universo ao qual Áries é o portador.

Na vida mundana, será o guardião da lei, da moral, dos costumes, das tradições, mas ao mesmo tempo será o homem sensível ao que se constitui em uma novidade e colocará todas as suas energias a serviço de sua institucionalização. Agirá de acordo com os princípios que leva em seu interior. Como guardião, Leão será como um ator que interpreta um roteiro previamente escrito. É difícil que Leão faça algo que esteja fora deste papel.

Os maus aspectos planetários sobre Leão são os piores que possam ser encontrados em um horóscopo, já que alteram o sentido de fidelidade que rege o signo de modo que os indivíduos serão fiéis a um desígnio torcido.

Como Leão é sempre um ator que interpreta um papel previamente escrito se esse papel é o de “mau” o indivíduo estará interpretando fielmente toda a sua vida, sendo muito difícil fazê-lo trocar este papel já que essa maldade se encontra programada em seu interior e não se lhe pode pedir que não o tenha, como se não se pode pedir melancias a videira. Somente mediante um paciente labor alquímico poderá superar-se o inconveniente de um Leão corrompido.

Um excessivo número de planetas em Leão dará lugar a um indivíduo preso a muitas fidelidades. Disse Cristo: “Não podem servir dois senhores simultaneamente”, e aqui temos uma figura de um homem que serve a uma pluralidade de senhores. Para servir um terá que trair necessariamente os outros e, se pretende satisfazer a todos ao mesmo tempo, acabará por indispor-se com todos entre si e a todos contra ele.

Um Leão carregado de planetas é o sinal de uma vida conflituosa. O signo da pessoa que interpreta vários papéis de uma vez, e o sinal de emoções contraditórias, já que Leão, ainda pertencendo ao mundo cabalístico das emanações (Atziluth), por ser signo de Fogo, mas participa igualmente do mundo de criação (Briah), por ser o número dois de seu elemento, e este mundo corresponde o corpo dos desejos.

Palavras chaves:

(+) Guardião da Moral, costumes, Lei; fidelidade, obediência.

(-) Fidelidades plurais, torcidas; emoções contraditórias, vida conflituosa.

  • Casa V

Esta Casa expressa na Terra as potencialidades de Leão. Dizem os manuais que é a Casa do amor e da sorte, do jogo, das especulações, de modo que o acaso se manifesta nela. Dizem igualmente que a casa V é a indicadora dos filhos e que informa sobre a fertilidade ou esterilidade do casal. Cumpre analisar o porquê destas afirmações.

A Casa V está indissoluvelmente ligada à Casa I, como o estão os signos de Áries e Leão, cujas potencialidades a expressam; de modo que não é possível corresponder os mecanismos atuantes na Casa V, sem nos referirmos à atividade de Casa I. Ambas pertencem aos signos de fogo e na Casa I a vontade humana atua da mesma maneira que a vontade cósmica o faz através do signo de Áries. Há ainda a questão que a Casa V é uma exteriorização da Casa I, como ocorre entre Leão e Áries respectivamente.

As forças da Providência contidas em Hochmah se mobilizam sempre que a vontade se põe em marcha para levar à perfeição aquilo que a vontade tenha iniciado: é o amor de Deus que desce sobre o homem para premiar seus esforços. Esse Amor se manifesta através da casa que representa o segundo signo do fogo, ou seja, a Casa V.

Assim, o que o homem obtém através da Casa V estará em relação direta com a força de vontade que haja desprendido. Se a sua Casa I está atrofiada, se carece de iniciativas, se sua vontade desfalece, não cabe esperar prodígios da Casa V. Mas, por outra parte, como nossa vida não começou na presente existência e todos nós recebemos o bem ou mal que fizemos em nossas vidas passadas, há um fator kármico que pesa sobre a Casa V, podendo-se receber através dela dons bons ou maus provenientes do passado.

Vemos, pois, que é o Amor de Deus que se expressa através de Casa V e que será inútil buscar nela as ligações com a pessoa, porque não as encontraremos. Esse amor providencial pode expressar-se de diversas formas, e daí a ideia de sorte favorável inerente a esta Casa.

Pode manifestar-se dando ao indivíduo o ser justo e perfeito que há de completá-lo, o que é o seu complemento ideal em todos os sentidos, sua alma gêmea. Os textos sagrados, quando se referem ao homem, designam-no com os dois sexos unidos, não considerando o ser humano como inteiro, se o homem e a mulher não convivem juntos. Às vezes, os anjos do destino têm que mover rochas e pedras para encontrar a alma gêmea de um indivíduo, que por seus atos de vontade, tem merecido o prêmio para uma união perfeita. Se essa união perfeita não é possível, por destino ou porque a alma gêmea não esteja encarnada, uma pessoa pode receber a sua compensação ganhando dinheiro na loteria, através de especulação na bolsa, etc. Porém ocorrerá uma ou outra coisa, não os dois, posto que jamais os méritos de um indivíduo são tantos. Por isso diz o refrão: “Afortunado no jogo, desgraçado no amor”. Enquanto na Casa II, o homem obtém o dinheiro ganho justamente depois de duras jornadas de trabalho, através da Casa V, Deus recompensa os méritos do homem.

O signo em que está situada a Casa V dir-nos-á o período da vida em que se manifestará a sorte ou o amor. Os signos de fogo regem os primeiros 21 anos, à razão de sete anos, por signo. Se a Casa V se encontra em um deles, o amor virá da infância e será devido a méritos anteriores à presente existência. Se a Casa V se situa em signos de água, a sorte e o amor virão dos 21 aos 42 anos. Em signos de ar, de 42 a 62 e em signos de terra será na etapa final, dos 63 aos 84 anos.

No que tange à fecundidade, como Leão é o signo em que a espiritualidade se interioriza e atua a partir de dentro, é a Casa V que a rege, deste modo, Leão será quem materialize essa espiritualidade e que constitua uma porta por onde as almas se precipitam ao molde físico.

A alta frequência vibratória de Leão faz com que o desnível de luminosidade seja menor entre o mundo material e o dos desejos. Dessarte a Casa V nos dirá a qualidade das almas que veem ao mundo a através de nós e sua carreira sobre a face da Terra.

A Casa V é também a que indica a capacidade do indivíduo para o ensino. Ocorre que a Casa V é o canal adequado para o desprendimento da sabedoria posto que Leão é o acumulador de luz é o signo regido por Hochmah e pelo Sol, de modo que nele se acumula sabedoria e, sendo assim, é natural que os outros venham para suga-los como as abelhas sugam o néctar da flor.

Por fim, na Casa V se inscreve o tempo livre com seus prazeres, diversões, jogos, a prática de hobbies, de passatempos, o qual completa uma ideia de prêmio de recompensa que expresso esta Casa e que pode até manifestar-se como uma plenitude física para ser campeão desportivo

Os maus aspectos planetários sobre este setor serão mensageiros de más recompensas, de mal ascendência, de mal exemplo dado pelo indivíduo, de má utilização da liberdade e dos prazeres que a vida oferece, de amores fatais e perturbatórios.

Quando um excessivo número de planetas, que se encontra neste setor, uma pessoa recebe muitas recompensas. Será um credor de muitos pagamentos e as facilidades cairão sobre ele de tal forma que talvez passe toda sua vida sem realizar o menor esforço, vivendo de rendimentos do passado, o qual implica um estancamento em seu caminho evolutivo.

Palavras chaves:

(+) Alma gêmea, fecundidade, sorte, tipo de filhos, sabedoria, prazeres, diversões, plenitude física, recompensas.

(-) Mas recompensas, amores fatais.

  • Descrição Sefirótica

Leão é o quinto signo do Zodíaco constituído e também o segundo dos chamados Zodíaco constituinte – por elementos -, aquele considerado pelo nome sagrado יהוה – “Yod-He-Vô-He”, pelos elementos e na seguinte ordem: 1º, 2º e 3º do Fogo, 4º, 5º e 6º da Água, 7º, 8º e 9º do Ar e 10º, 11º e 12º da Terra. Na arvore Sephirótica corresponde a segunda Sephira de Atziluth ou seja: Hochmah. E pois o segundo signo da trilogia do Fogo. Corresponde, deste modo, a fase de interiorização deste elemento. É um signo fixo. O Gênio do signo é עואל Oel que poderá ser invocado ou evocado para sanar tudo que seja de seu atributo neste interstício ou mesmo de interesse do nativo em sua senda evolutiva, quanto mais em seu período de manifestação.

  • Signo, elemento, planeta ou ciclo zodiacal

Como segundo signo do Fogo, Leão tem relação com Hochmah, Amor-Sabedoria e também com Salomão que quando foi perguntado pelo Anjo quais os ingredientes que desejava para edificar a construção do Templo respondeu que desejava unicamente Sabedoria, do que Deus lhe concedeu Sabedoria e todo o mais por acréscimo.

Na sequência das Letras que criaram o mundo a segunda letra refere-se a Beth. No ciclo Sepher Yetzirah expressa a letra Teth. Esta letra, pelo ciclo zodiacal יהוה – “Yod-He-Vô-He” (veja Tomo I) foi feita com os materiais provenientes de Leão de modo que duplamente expressa a Sabedoria, seja por Beth como segunda letra, seja por Leão como segundo signo do Fogo, então temos aqui o fiel guardião e interiorizador dos desígnios divinos e das energias do Universo.

Nesta introdução percebemos que os Leoninos são os herdeiros da Sabedoria de Hochmah, a pedra angular onde se apoia a sociedade com sua moral de modo que quando este mensageiro da Sabedoria falha em seu desígnio toda a sociedade vai à tona. Então temos aqui que em Leão se processa a gestação do desígnio divino cujo parto se dará em Binah-Sagitário, ou seja, se processa a tomada de consciência de algo superior a si mesmo de algo que nos ultrapassa, a Vontade-Fogo, a semente divina plantada em Áries e que agora foi inoculada nas estruturas humanas.

Como em uma gestação, será o plano em que crescerão as sementes da espiritualidade e que em termos de manifestação física pode significar o oferecimento de um local, uma casa, terreno, etc., para que se possam efetuar os encontros destinados ao despertar espiritual. E como estamos tratando de aspectos de Hochmah não faltam as questões circunstanciais, a criação das circunstâncias propícias para o descobrimento da personalidade divina.

Em Astrologia transcendente afirma-se que Leão entra em função depois que Áries realiza seu trabalho, ou seja, Áries inocula e Leão gesta, recolhe as sementes divinas que se encontram em seu interior e trabalha sobre elas para gerar a criança que reinará sobre a terra humana. Assim, em Áries temos a Vontade e em Leão temos o Amor-Sabedoria que se expressa pelas vias da moral cujas virtudes dão suporte ao mundo.

Internamente o Leonino tem consciência que seu desígnio se refere a um ideal superior e deste modo atuará, será um firmamento da moral, atuará de acordo com sua missão a menos que haja dissonâncias em seu mapa natal. Quando a moral é abandonada as doenças, a destruição não tarda a aparecer no corpo social. Neste pondo aos Leoninos cumpre atuar pelo exemplo a fim de que o mal não se espalhe e leve a sociedade ao fracasso pois uma sociedade que não cumpre sua missão está destinada a destruição.

No intuito de ultrapassar os apetites físicos para se chegar ao espiritual pelas vias do esgotamento o Leonino organizara reuniões, festejos, ágapes mundanas, onde as pessoas conhecem outras capazes de mostrar novos horizontes e incutam o desejo de ultrapassar as fronteiras habituais ainda que a nível humano.

Hochmah está relacionado com os doze trabalhos de Hercules de modo que as pessoas que nascem sob este signo suportam em suas costas um pesado fardo em sua peregrinação humana, pois carregam o peso da moral. Devem, portanto, encontrar a maneira adequada de utilizarem a Sabedoria recebida para defenderem ideais superiores pois do contrário, se utilizarem a Sabedoria para prolatar ideias comuns, não estarão fazendo o uso adequado de suas energias e, portanto, serão de pouca importância neste processo evolutivo, para a grande obra do mundo, com papel medíocre.

Os nativos de Leão se assemelham em muito ao animal representativo de sua simbologia. São valentes, iracundos, nobre, dignos e constantes, encontramos aqui grandes paladinos, embora vislumbramos também os orgulhosos, altivos, infiéis, tiranos, etc. O tipo medíocre do leonino superestima demasiadamente as próprias capacidades.

PRATICA

Em Leão chegamos ao coração e no plano espiritual ao nosso Templo Coração (chacra Anahata). Acima temos três chacras (Vishuda, Ajna e Sahasrara) e abaixo outros três (Muladhara, Svadisthana e Manipura) de modo que a estrela de Salomão se encontra precisamente neste ponto pois temos três forças que vem de cima e outras três que vem de baixo.

Convém entrar no estado Alfa e, como estamos tratando do chacra cardíaco, podemos relaxar cada músculo, cada membro sentindo a pulsação nos mesmos. Cumpre aqui ressaltar a importância do relaxamento em qualquer prática, quanto mais na entrada ao estado Alfa. Assim sentimos a pulsação na ponta do nariz, nas orelhas, nos membros, em cada um deles e por fim voltamos ao nariz de onde seguiremos a prática. Controlando as pulsações podemos controlar o corpo físico e não o contrário. Podemos assim, controlar as batidas do coração, faze-las diminuir.

Pausa para o conto de uma vivência:

Certa-vez estive com um terapeuta muito famoso na região, (um maçom grau 33) que resolveu me hipnotizar. Começou então a fazer o relaxamento. Quando terminamos a seção ele me relatou bastante surpreso que meu coração havia parado de bater por uns instantes. Informe-lhe então que praticava algumas meditações. Ou seja, a prática da meditação nos dá o controle do corpo mediante o relaxamento absoluto de todos os músculos e, pela atenção concentrada, podemos acelerar ou diminuir as pulsações.

Mas voltando ao ponto

E nos instantes do êxtase, também chamado de Shamadhi que podemos escutar a Voz do Silencio, em um momento em que a mente está tão parada como o lago que reflete o céu. E este instante não termina com a prática, mas se protrai, e podemos receber a mensagem de nosso Real Ser, de Brahma mesmo depois de encerradas as atividades, seja nas rotinas cotidianas, em sonhos, etc., por isto a vida do mago é um constante fluxo de magia onde se aguarda regularmente as mensagens do Universo.

  • Carta do Tarô: Rainha de paus

Localização na Arvore da vida: Hesed (He-Yod)

No zodíaco o domicílio d Rainha de Paus é Leão.

Arcanos que governa: Quatro de Paus, Cinco de Paus e Seis de paus

As Rainhas correspondem ao mundo de criação (Briah), em conjunto representam o He das figuras e separadamente o nome divino, יהוה – “Yod-He-Vô-He”, se dividirá da seguinte forma: a Rainha de paus é o Yod; a Rainha de copas o He; a Rainha de espadas o Vô e a Rainha de ouros o segundo He.

A figura da Rainha de Paus possui os atributos de Hesed, em sua qualidade de Yod no mundo das criações. Neste sentido, podemos dizer que é a esposa do Rei de Ouros, que também representa Hesed na qualidade de segundo He do mundo das emanações, por isso vai ser uma poderosa mulher, rica em possibilidades de todos os tipos, tanto do ponto de vista económico como social.

Como se trata de uma força Yod, a rainha de paus será um gerador de amor, ambição, de admiração. Será a pessoa que acende em nós a chama do sublime desejos, que nos inspira um motivo para viver, que nos sacará da mediocridade e da indiferença nos insufla o desejo de conquista, de pureza, de singularidade.

Positivamente se encontrará em condições de proteger, de ajudar, de interceder, mas se a figura aparecer em oposição aos nossos propósitos, indicam que, confrontaremos com uma influência negativa que se oporá aos nossos propósitos com a eficácia e poder de sua posição privilegiada. É o eterno feminino que emerge em nossa natureza interior para conectar-nos com os mundos acima. Refere-se a mulher dos sonhos, o grande amor romântico que purifica os nossos desejos, nos enobrece, nos exalta.

Por estar a Rainha de Paus distante de Malkuth e próxima a Kether, representará uma mulher de uma certa idade, madura intelectualmente, espiritualizada, experiente, ainda que fisicamente jovem.

Palavras chaves: Q♣ Rainha de Paus, Esposa do K♦ – mulher poderosa, idade, dinheiro.

(Reta) Alta esposa, realizada, ideais, independente, virtuosa, altos ideais.

(Invertida) Empresária, influente, tolerante, sogra, política, feminista.

Quando em um jogo aparecem muitas rainhas, é sinal de que o indivíduo está sedento de estabilidade, que está cansado de uma vida errante e anseia fixar-se. É sinal também de que suas esperanças serão cumpridas. Pelo contrário, um jogo sem rainhas indica que não há de encontrar uma pessoa que lhe dê suporte e que avançará sem se deter, sem se estabilizar.

As rainhas supõem uma relação kármica, de modo que o prudente será não fugir delas, mas enfrenta-las, e libertar-nos, assim, de uma dívida, já que se nos escaparmos delas, voltaremos a encontra-las no nosso caminho, contudo da próxima vez já não serão rainhas, mas havendo ascendido um degrau a mais estarão convertidas em um rei.

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina principal e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO II

A ODISSEIA ZODIACAL

Autor: Inácio Vacchiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s