XVI.3 Rituais do hexagrama


O Hexagrama é um símbolo poderoso que representa a operação dos Sete Planetas sob a presidência das Sephiroth, e do Nome de sete letras, ARARITA. O Hexagrama também recebe o nome do Emblema ou Símbolo do Macrocosmos (do mesmo modo que o Pentagrama é chamado símbolo do Microcosmos).

ARARITA é um nome divino de Sete letras formadas pelas iniciais hebraicas da frase:

Uno é seu princípio. Una é sua individualidade. Sua permutação é una.

Assim como sucede com o Pentagrama, a partir de cada ângulo côncavo do Hexagrama é emitido um raio representando uma radiação do divino. Por isto é chamado de Hexagrama Flamejante ou Estrela de Seis Raios. Geralmente, ele é traçado com uma única ponta no topo. Não é um símbolo maligno se traçado com as duas pontas para cima diversamente do que ocorre com o Pentagrama.

Caso se pretenda fazer um Hexagrama para tê-lo consigo como um símbolo, recomenda-se fazê-lo nas cores abaixo. Estas são as Forças Planetárias atribuídas aos Ângulos do Hexagrama e, em nossas práticas, temos utilizado as cores, Sephirot e às letras da palavra ARARITA conforme a disposição da Árvore da Vida em cada ângulo de acordo com o que segue:ararita

Superior             ♄ Preto

Inferior                     ☽   Violeta

Superior direito     ♃       Azul

Inferior direito       ♀       Verde

Superior esquerdo  ♂       Vermelho

Inferior esquerdo   ☿        Laranja

No centro está o Sol        ☉       Amarelo

 

Como ordem de atribuição é a das Sephiroth sobre a Árvore da Vida, daí surge o Ritual Supremo do Hexagrama de acordo com os ângulos a partir dos quais ele é traçado.

O ângulo mais alto corresponde também, além de Saturno, a Daath e o mais baixo a Yesod, e os outros ângulos aos ângulos restantes do Microprosopus. O Hexagrama é composto dos dois triângulos, de Fogo e de Água, portanto, não é traçado em uma linha contínua como o Pentagrama, mas por cada Triângulo separadamente.

Todos os Hexagramas de invocação seguem o curso do Sol em sua corrente, isto é, da esquerda para a direita (no hemisfério Sul). Mas os hexagramas de banimento são traçados da direita para a esquerda, a partir do mesmo ângulo que seus respectivos Hexagramas de invocação, contrário ao curso do Sol. O Hexagrama de um Planeta em particular é traçado em dois Triângulos, o primeiro a partir do ângulo do Planeta, o segundo a partir do ângulo oposto ao ângulo inicial do primeiro. Então o Símbolo do próprio Planeta é traçado no centro. Desta forma, no caso do Hexagrama de invocação de Saturno, o primeiro triângulo é traçado a partir do ângulo de Saturno, seguindo o curso do Sol; o segundo triângulo a partir do ângulo da Lua. Na prática, trace apenas o símbolo planetário central – os demais símbolos só são só ilustração.)

Lua SaturnoVibre ARARITA enquanto traça o Hexagrama e o Nome Divino do Planeta (em Atziluth) ao traçar seu símbolo.

A título de exemplo o Hexagrama de invocação da Lua é traçado primeiramente a partir do ângulo da Lua, seu segundo ângulo é traçado a partir do triângulo de Saturno.

O Hexagrama de banimento da Lua, por exemplo, é traçado a partir do mesmo ângulo que o Hexagrama de invocação, e na mesma ordem, mas revertendo a direção da corrente. Em todos os casos o Símbolo do Planeta deve ser traçado no centro.

Obs: O Hexagrama de invocação e banimento da Lua e Saturno possuem movimentos parecidos só que um começa do ângulo da Lua e o outro do Ângulo de Saturno. Caso semelhante ocorre com Marte e Vênus e também com Mercúrio e Júpiter.

MARTE VENUS

MERCURIO JUPTER

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No caso do Sol deve-se traçar os seis Hexagramas de Invocação dos planetas na ordem em que se encontram na estrela que é a mesma da arvore da vida no caminho do raio ou da espada flamejante e do mesmo modo deve-se processar com os Hexagramas de proscrição e em ambos os casos traça-se o símbolo do Sol em seu interior.

SOL INVOCAÇÃO

SOL BANIMENTO

Cabe lembrar que o símbolo da Lua sofre variações sendo favorável no crescente, mas para as operações do bem não são tão favoráveis na minguante. Seu símbolo deve ser traçado como crescente se a Lua estiver crescente ou o símbolo da minguante se estiver no minguante. Contudo o símbolo da Lua minguante representa restrição de modo que não é algo tão bom como a crescente. O símbolo da lua cheia é um circulo e da lua nova um círculo preenchido em negro. Também é possível invocar as forças da cabeça e causa de dragão o que é feito mais facilmente quando Sol e Lua estiverem em conjunção. Neste caso pronuncia-se os mesmos nomes e letras que aparecem no Hexagrama Lunar. Se for de caráter benevolente utiliza-se a cabeça de dragão de outro modo a cauda. Contudo deve-se ter cuidado ao tratar com estas forças e mesmo com as do Sol e da Lua durante o eclipse pois resulta daí os poderes dos eclipses.

Recomenta-se que se trace o círculo de proteção em todos os Rituais do Hexagrama, bem como nos do Pentagrama. Não se deve traçar um círculo externo ao redor de cada Hexagrama, a menos que desejar confinar a força em um único lugar – como no carregamento de um Símbolo ou Talismã.

As atribuições dos Planetas, um a cada ângulo do Hexagrama, se verifica na razão da simpatia existente entre cada planeta superior com o inferior, ou seja, aquele que é exatamente oposto no Hexagrama. E é por esta razão que o Triângulo dos seus Hexagramas de invocação e banimento são permutados. Os planetas superiores são Saturno, Júpiter e Marte. Os planetas inferiores são Vênus, Mercúrio e Lua. E no meio está colocado o Fogo do Sol. Portanto, o Saturno superior e a Lua inferior são simpáticos, assim como Júpiter e Mercúrio, e Marte e Vênus.

Cumpre advertir que as Sephiroth não devem ser invocadas em qualquer pequena ocasião, mas apenas com o devido cuidado e solenidade. Acima de tudo, as forças de Kether e Chokmah exigem a maior pureza e solenidade de coração e mente naquele que penetraria seus mistérios. Pois tão alto conhecimento só pode ser obtido por aquele cujo Gênio possa suportar estar na Presença dos Santos. Assegura-te de que usas os Nomes Divinos com toda reverência e humildade, pois maldito é aquele que toma o Nome do Imenso em vão.

 

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH TOMOS I capaClique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina principal e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO I

ÀRVORE DA VIDA – OTZ CHIIM

ELEMENTOS, PLANETAS, SIGNO, TARO

 

Autor: Inácio Vacchiano