9. 2->2: HAZIEL


1.1 Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 2 – Querubins  09 Haziel
Príncipe: Ratziel.
Mundo do coro: 1 – Atziluth, Mundo das Emanações, Arquétipo, espírito – elemento Fogo
Signo: Touro.
Elemento zodiacal: Terra.
Relação/elementos: Agua do Fogo.
Relação/mundos: “He” do Mundo de Atziluth.
Velas:  Três amarelas ou brancas.
Incenso: [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera].
Letras: Heh – Zain – Yod – Aleph – Lamed
Gemátria: 5+7+10+1+30 = 53 = 5+3 = 8
Arco:  41º a 45º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 10° a 15° de Touro ou 1 a 5 de Maio.
Invocação por rotação: de 7 a 8 de Aries: “Yod” ou 29 de Março;

de 20 a 21 de Gêmeos: “He” ou 11 e 12 de Junho;

de 2 a 3 de Virgem: “Vô” ou 26 de Agosto;

de 14 a 15 de Escorpião: 2º “He” ou 7 de Novembro;

de 26 a 27 de Capricórnio ou 17 de Janeiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   02:40:00 às 03:00:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando o Urano se encontra em um dos graus de Urano, ou seja, entre 1º a 2º, de 11º a 12º e de 21º a 22º de qualquer signo.
Atributo: Deus de misericórdia.
Nome da essência: MISERICÓRDIA DE DEUS.
Nome da Força: Sabedoria Misericordiosa.
Forças em ação: A força de Hochmah resplandece as virtudes de seu próprio centro.
Sendero: 2, de Hochmah a Hochmah.

1.2        Palavras chaves:

MISERICÓRDIA dos karmas, CIRCUNSTÂNCIAS PARA O PERDÃO, boa-fé, RESTART, reconciliação, favores, AMIZADES IMPORTANTES, promessa, PALAVRA DADA, abrir caminhos RECONCILIAÇÃO.

(-) Proteção contra ódio, OPRESSÃO engano, RANCOR, hipocrisia, inimigos irreconciliáveis.

 

1.3        Movimentação Sefirótica: Dois na segunda posição

O dois expressa a suprema sabedoria e o amor de Hochmah. Temos aqui as forças providenciais, que se incubem de levar a realização a vontade já iniciada, mobilizada anteriormente de Kether colocando-a em circunstâncias propícias.

Corresponde a posição de Urano em aquário.

1.4        Arcano – Mundo: Dois de copas no mundo de Atziluth.

Recebe o título de Senhor do Amor. Refere-se ao elemento Agua e astrologicamente corresponde a posição de Urano transitando pelo segundo decanato de Câncer onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é o Marte.

Neste ponto o Amor-sabedoria de Hochmah expressa-se por intermédio de seu próprio centro. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Geburah, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Aqui ainda a liberdade é ilimitada e, assim, o amor é inesgotável, magnânimo, expansivo que não se prende a um objeto determinado, basta ver que Hochmah encontra-se no mundo das emanações, onde Binah ainda não se manifestou impondo seus limites, suas restrições, suas Leis.

Neste ponto o amor sem limite abrange a todo o criado, por cima de todas as coisas, capaz de todos os sacrifícios.

Ao analisarmos o segundo signo do elemento agua veremos que se trata de Escorpião, regido por Marte, ao passo que na árvore cabalística, pertence ao mundo da criação que é subordinado a Hochmah, já que ambos são “He”, e neste mundo ocupa a segunda posição que também pertence a Hochmah. Perceberemos, deste modo, como está carta e dominada inteiramente pela segunda sefirote.

Quando o dois de copas atua no mundo de Atziluth, referenda um impulso de amor sem limites, incompreensível até, já que não alcançou ainda o ponto de manifestação.

1.5       Virtudes concedidas:

1º.- A Misericórdia de Deus e o perdão das culpas. De maneira que não nos vejamos perturbados por suas consequências.

2º.- A amizade e os favores dos grandes

3º.- O cumprimento de uma promessa que nos tenha sido feita.

4º.- Reconciliação para com os que tenhamos ofendido ou nos ofendidos.

5º.- Proteção contra o ódio e o engano.

1.6        Descrição Sefirótica:

HAZIEL é o primeiro da 2º ordem de anjos denominado como Coro dos Querubins, situa-se na morada filosofal de número 9, rege o Sendeiro 2, que une Hochmah a Hochmah em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Hochmah o centro produtor de Amor-Sabedoria, o Amor universal, a essência Crística, atuando em suas próprias fontes; o “He” do Mundo de Atziluth, Agua do Fogo. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada MISERICÓRDIA DE DEUS, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que desintegra, dissolve as situações opressoras, de modo circunstancial, e permite um recomeço a partir do zero. Trata-se de uma força de Sabedoria Misericordiosa, de origem primária, por ser o primeiro emanador das bondades supremas. Faculta perdoar, e ser perdoado dos erros, das más intenções, venham de onde venham, de qualquer ofensa que façamos ou tenhamos recebido, e assim, facilita, inclusive, as amizades, os favores dos grandes. Esta capacidade de ser misericordioso permite (repetimos, de modo circunstancial) que tudo siga seu curso, para no final, separar o mal do bem de modo que o bem possa prosseguir enquanto o mal seja extirpado em razão da força de repulsão. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominada Deus de misericórdia.

Há uma grande peculiaridade interessante associada a este Gênio. Ocorre que por ser o número 9 participa das tarefas ligadas ao Mundo de Formação, quanto mais se trade de Yesod – o exteriorizador deste plano, de modo que os 28 Gênios correspondentes a cada dia do ciclo lunar estão subordinados a este Arquétipo. De outro lado os fluxos de Kether se manifestam a Yesod por intermédio destas forças sob o império da Vontade Fecundadora.

HAZIEL pertence ao coro dos Querubins localizado no Mundo de Atziluth, sendo o primeiro da coluna da misericórdia, portanto o “Yod” de sua posição que lhe confere a atribuição de ser o dador primeiro das bondades provindas de Hochmah com a força impulsora de “Yod” enquanto mundo emanador já que faz parte do triângulo logoico.

E o fiel cumpridor da política de Raziel que é o plenipotenciário de Urano, a face visível de Hochmah, para os assuntos terrestres. Cabe esclarecer que Raziel em sua atuação negativa é o Anjo que destrói o mal para salvar o que há de bom, afim de que aquilo que reste tenham um mínimo de chance.

Assim, se há uma realidade qualquer que esteja montada sobre falsas premissas, a ação de Hochmah as reduzirá a pó, já que sua vibração energética concorrera para separar os componentes atómicos, considerando-se que é a partir desta séfira é que a dualidade tem sua origem embora sua manifestação dar-se-á somente a partir de Binah.

Então percebemos aqui que não há neste ponto uma regeneração de substâncias, mas sim uma separação. O que faz Hochmah é oferecer a oportunidade de recomeço, apartando-se a parte de bem que se encontra junto aos materiais desintegrados, com a utilização do Amor-sabedoria de modo a separar e extrair o mal do bem e o bem do mal a fim de que possa ser utilizado nesta nova realidade.

As funções de regeneração do mal ficam a cargo das energias próprias de Binah conhecido nas religiões como o Espírito Santo. Embora as funções sejam parecidas, Binah permite que o indivíduo se dê conta de seus erros em razão da Lei de causa e efeito, enquanto Hochmah, o Cristo imanifesto, oferece a oportunidade de um novo start, de uma nova partida.

Em nosso mundo tem atuado para evitar que vários governos despóticos cheguem ao poder mesmo que para isto sejam necessários alguns sacrifícios.

Mateus 13:24 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O Reino dos céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo;

Mateus 13:25 mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou a cizânia[Fig. Discórdia; desarmonia, ou joio, Fig. Coisa má que prejudica outra boa] no meio do trigo, e retirou-se.

Mateus 13:26 E, quando a erva saiu e deu fruto, [cresceu e frutificou, ou produziu fruto] então apareceu também a cizânia.

Mateus 13:27 E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu no teu campo boa semente? Por que tem, então, cizânia? [joio?]

Mateus 13:28 E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres, pois, que vamos arrancá-la?

Mateus 13:29 Porém ele lhes disse: Não; para que, ao colher a cizânia, [o joio] não arranqueis também juntamente o trigo com ela.

Mateus 13:30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: colhei primeiro a cizânia e atai-a em molhos para a queimar; mas o trigo, recolhei-o[ajuntai-o] no meu celeiro.

De outro lado percebemos que é o Gênio número 9, portanto, relaciona-se com as tarefas de Yesod, aqui, na qualidade de difusor do supremo amor de Hochmah que permite remover de nosso interior o rancor e devolver a inocência ao misericordioso. Os vinte e oito Gênios da Lua estão, desta forma já em um primeiro momento sujeitos a HAZIEL.

1.7       Das virtudes concedidas:

1.7.1     A Misericórdia de Deus e o perdão das culpas. De maneira que não nos vejamos perturbados por suas consequências.

Sendo o primeiro dos Querubins, está no ponto mais alto é, portanto, o que mais participa das virtudes de Hochmah. Neste sentido nos transmite a misericórdia de Deus e se aproveitarmos seus dias e horas de regência obteremos grande auxílio para o esvaziamento de nosso karma.

Como HAZIEL possui os atributos de Kether por ser o primeiro da coluna da direita, dessarte, tem o poder de desintegrar as situações opressoras em que o indivíduo possa estar vivendo fornecendo-lhe a oportunidade de recomeçar a partir do zero. Oras, já sabemos que nada melhor para se livrar de uma situação difícil do que dar andamento, iniciar algo novo, o restart Ketheriano, e com a ajuda da misericórdia as coisas ficam ainda mais melhores, mais suaves. O segredo está em pedir.

Mateus 7:7 Pedi, e dar-se-vos-á; buscai e achareis; [encontrareis;] batei, e abrir-se-vos-á.

Contudo, faz-se necessário dizer, que não basta pedir com os lábios sem o sentimento no coração. O mundo de Hochmah é o dos sentimentos e a misericórdia somente é atendida, só faz sentido, para dar um novo começo em nossa vida.

Assim, não cabe pedido de saúde para poder manter os prazeres egoísticos como comidas, bebidas, etc., para gozar de novo aquilo que tanto prazer nos foi proporcionado. O objetivo é a utilização para corrigir os erros que nos tem levado as difíceis situações.

A misericórdia somente se concede para pôr fim a uma situação lamentável, quando esta, haja sido realmente superada pelo interessado e já não é mais necessária sua prorrogação.

De outro lado o dom que recebemos de HAZIEL refere-se a nossa capacidade de sermos misericordiosos, de exercermos este mais alto atributo divino, de sermos incapazes de sentirmos rancores por nossos inimigos. Dessarte, podemos solicitar que sua essência energética impregne nosso ser.

A misericórdia vai além do perdão, que é um fato ocorrido, portanto do passado. Contudo estamos tratando aqui da misericórdia como um impulso primordial vindo do mundo das emanações do qual Hochmah é o primeiro do pilar da misericórdia. Como consequência ocorre o perdão mesmo antes que este tenha ocorrido.

Para ilustrar, ocorre, por vezes quando uma criança irá fazer uma arte/travessura que de antemão já o sabemos e mesmo assim emanamos somente energias de amor. Trata-se do perdão como um princípio sem levar em conta a ofensa em si.

Cabe alertar que a misericórdia não é uma carta aberta, fechar os olhos para fazer o que se queira, ser leniente, condescendente com o erro e permitir que o outro siga equivocando-se. Basta lembrar que em Hochmah nos deparamos com o Amor-sabedoria de modo que esta misericórdia vem acompanhada de uma essência superior, capaz de enxergar muito além…

Hochmah é a manifestação primordial antes de seu espelhamento em Tiphereth, o Cristo manifestável cuja atuação, representação nos foi apresentada pelas vias do Kabir Jesus e que adquiriu o mérito de unir-se com o Pai.

Muitas seitas, escolas tem adotado uma interpretação humana equivocada acerca da manifestação destas energias ao afirmarem que a simples aceitação verbal destas forças (aceitar a Jesus por exemplo), sem adentrar efetivamente a estas pulsações, lhes permite continuar em seus erros indefinidamente, sem consequências, preferindo até fechar os olhos (como faz o avestruz para esconder-se enfiando a cabeça em um buraco) ao que diz claramente as escrituras.

“Mateus 25:41 Então, dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, aparelhado[preparado] para o diabo e seus anjos;

Mateus 25:42 porque tive fome, e não me destes de comer; tive sede, e não me destes de beber;

Mateus 25:43 sendo estrangeiro, não me recolhestes; estando nu, não me vestistes; e estando enfermo e na prisão, não me visitastes.;

Mateus 25:44 Então, eles também lhe responderão, dizendo: Senhor, quando te vimos com fome, ou com sede, ou estrangeiro, ou nu, ou enfermo, ou na prisão e não te servimos?

Mateus 25:45 Então, lhes responderá, dizendo: Em verdade vos digo que, quando a um destes pequeninos o não fizestes, não o fizestes a mim.”

Vemos que as novas escrituras não excluem o lado esquerdo da arvore quando se faz necessário a correção e, mesmo o novo testamento (ao qual afirmam equivocadamente ter revogado o antigo, como se fosse possível revogar toda a ordem cósmica já que tudo trata-se de Leis, energias, forças) confirma tal fato.

Estamos aqui tratando da misericórdia e mais adiante o faremos com a graça, mas em ambos os casos devemos estar cientes que o universo conspira para a evolução. De nada adiantaria a misericórdia se não promovesse esta ascensão e, supondo que fosse possível, estaríamos transportando o inferno terrestre para as dimensões elevadas. Cabe discorrer que se existe alguma xenofobia nos planos superiores, resume-se em barrar de forma natural, por Lei de Afinidade Vibratória, quem não tenha evoluído o suficiente para adentrar estes planos.

Ao desenvolvermos a misericórdia em nosso interior estamos nos tornando merecedores desta energia em nossas vidas e consequentemente a tornando presentes.

“Mateus 6:12  E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores. ”

Quando necessitarmos da misericórdia em algum momento de nossas vidas HAZIEL fará uma varredura em nossas memórias, em nossos registros Akáshicos, nos lembraremos dos momentos em que fomos misericordiosos e, assim, poderemos equilibrar a balança. Isto nos lembra a Oração de São Francisco de Assis:

“Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz;

Onde houver ódio, que eu leve o amor;

Onde houver discórdia, que eu leve a união;

Onde houver dúvidas, que eu leve a fé;

Onde houver erros, que eu leve a verdade;

Onde houver ofensa, que eu leve o perdão;

Onde houver desespero, que eu leve a esperança;

Onde houver tristeza, que eu leve a alegria;

Onde houver trevas, que eu leve a luz.

 

Ó Mestre, fazei com que eu procure mais consolar,

que ser consolado;

Compreender, que ser compreendido;

Amar, que ser amado;

Pois é dando que se recebe;

É perdoando, que se é perdoado;

E é morrendo que se vive para a vida eterna.

A misericórdia é considerada uma via de progresso rápido por que suprime o tempo que nos retardaria em viver o karma gerado pela injúria. Trata-se do tempo da vingança e depois o retorno da vingança para aquele que foi vingado.

Não vamos confundir a vingança com a justiça que é a Lei referente a Binah. A justiça sempre acontece, porque o universo tende ao equilíbrio demore o tempo que seja.

Há um provérbio Hindu que expressa a justiça e o desejo de justiça que a atrai:

“Sentar-me-ei a margem do Ganges até que passe o cadáver de meu inimigo.”

Vamos ilustrar aqui a misericórdia como conhecimento que circula apenas no interior de algumas escolas de mistérios por ser um tanto polémico, mas que não podemos prescindir dada sua valiosa lição, mesmo porque nos ensina a intensidade e quanto tempo pode levar até que uma energia kármica seja resgatada.

Conta-se que a cerca de 2500 anos, não sabemos precisar a época, uma parte do povo Judeu atacou algumas cidades de forma bastante desumana cometendo-se, genocídios, os piores tipos de barbárie que poderia o ser humano fazê-lo.

Como se tratou de crimes muito graves, até onde se sabe, o retorno do karma foi retardado e a energia danosa de retorno foi aprisionada em um plano aparte tanto quanto fosse possível a fim de que se averiguasse a evolução deste povo e/ou o ressarcimento do dano para que o perdão ou a misericórdia se justificasse quando a pressão centrípeta não pudesse mais conter a força centrífuga diante da necessidade de reação pelos atos praticados.

Segundo consta, o povo em questão não evoluiu o suficiente para aplicação da misericórdia, não foram feitos atos contrários suficientes para neutralizar a barbárie e, assim, não houve como segurar os efeitos tão conhecidos do nazismo.

Não nos surpreenderíamos se fosse descoberto que entre os povos massacrados na antiguidade estão encarnados os palestinos e soldados nazistas, quanto mais se corrobore que a ideia da extinção dos Judeus indique ter vindo de um sacerdote palestino que sugeriu a sua extinção total, quando passou a frente de outro mensageiro com ordens diferentes à Hitler para eliminar apenas 300 indicados. É claro que ainda há muita controvérsia entre os historiadores acerca do ocorrido e do que seria politicamente correto exteriorizar.

Como dissemos, para fins didáticos, supondo as ações descritas aqui como verdadeiras, a misericórdia ocorreu, embora não pareça à primeira vista. A questão é que implicaria na desnecessidade da aplicação da pena, que não foi alcançado, apesar do retardo na aplicação do karma.

No mundo jurídico tem-se por exemplo quando um pai mata o filho acidentalmente. Ocorre o chamado aberratio criminis. Então o Juiz perdoa o crime por entender que a dor do fato ocorrido já foi doloroso o bastante. Torna-se inútil apenar ainda mais o crime cometido. Aqui a misericórdia foi em virtude da dor já sofrida, mas também se refere a culpa e consciência de todos os atos que geraram o fato.

Outros Gênios trabalham pelo perdão, assim em resumo temos:

  1. 2->1 HAZIEL: Perdão pelo dano causado;
  2. 2->1 HAZIEL: Misericórdia em razão de evolução espiritual;
  3. 2->3 HALADIAH: Graça em razão do mal ser um retorno kármico;
  4. 3->4 LEUVIAH: Graça em razão das obras realizadas com inteligência;
  5. 3->9 HAHEUIAH: Graça para os exilados e prisioneiros.

1.7.2    A amizade e os favores dos grandes

HAZIEL representa o Cristo a nível de Atziluth, plano superior a Briah onde o Cristo está em Tiphereth. O mundo Crístico trata das cabeças coroadas. A coroa de espinhos nada mais é do que a representação das luzes que emanam do chacra Sahásrara situado na cabeça quando as energias sobem ao cálice sagrado. São ainda simbolizadas pelo lótus de mil pétalas e por uma das imagens de Buda com muitas luzes na cabeça. Os iniciados neste grau dizem que o despertar deste chacra causam dor semelhante a colocação de uma coroa de espinho na cabeça.

Em nosso interior temos um personagem que nos conduz em todo o processo evolutivo. Somente quando nosso Real Ser não deseja mais experiências, aliado à nossa Vontade (já que temos o livre arbítrio) é que se inicia o processo de retorno.

Quando o grande que está em nós começa a atuar, seremos grandes pelo reflexo deste grande que há em nosso interior e, por Lei de afinidade vibratória, nos colocaremos em contato com as pessoas que pertencem a nossa estirpe.

A misericórdia nos abrirá o caminho para as grandes almas, em direção àqueles que são os possuidores dos grandes meios e, assim, não tardarão o arbítrio de medidas políticas ou econômicas que tragam benefícios. Não se trata de uma benesse para proteger ou beneficiar alguém ou alguma empresa, contudo esta dinâmica se dispara sincronicamente de forma que o proceder misericordioso interno se exteriorize e influa na sociedade, instituição criando um comportamento favorável aos interesses do indivíduo.

Vale lembrar que estes meios passam pelas fazes “Yod-He-Vô-He” e desta forma podem chega ao final de um longo ciclo evolutivo. Ainda que a espiritualidade não transpareça a estas pessoas portadoras do mundo material ela está lá e a qualquer momento pode manifestar-se.

Podemos aproveitar, desta forma, os dias e horas de manifestação de HAZIEL para conseguir o favor dos grandes personagens.

A misericórdia que atua de fora para dentro atuará com igual força e o indivíduo, empresa se verá livre de possíveis acusações, absolvidas e se houver alguma ação em curso tudo compelirá a seu favor. As circunstâncias atuarão favoravelmente facultando sair de situações de crises de modo providencial conforme poderá ser constatado.

Outros Gênios trabalham com a amizade:

  1. 2->2 HAZIEL: A amizade e os favores dos grandes;
  2. 2->6 IEZALEL: Além dos interesses comuns, sincronicidade de princípios, idéias, contemplação do universo e suas Leis;
  3. 3->2 LAUVIAH: Retorno, reencontro de antigos amigos, afetos, etc.;
  4. 5->6 HAAMIAH: Proporciona o reencontro com a alma gêmea;

48 6->9 MIHAEL: Amizades com pessoas diferentes de nós que nos levarão a novas experiências;

  1. 8->6 UMABEL: Nos auxilia a encontrar amigos, pessoas que pensem como nós, inclusive o grande amigo;
  2. 9->3 MANAKEL: Amizades de bem, conscientes do Bem e do Mal.

 

1.7.3    O cumprimento de uma promessa que nos tenha sido feita.

Já vimos que HAZIEL é o número 9. O número 9 carrega e si a executividade, o compromisso já que recebe todas as energias dos mundos superiores para despejara-las no mundo físico o que até então era uma promessa, algo que nossa sabedoria estava elaborando para que enfim possa ser convertida em experiência prática – HAZIEL proporciona a execução imediata desta promessa.

A boa fé significa acreditar no próximo, em sua sinceridade e como estamos tratando de uma energia ligada a misericórdia, a boa-fé refere-se ainda a um voto de confiança, não levando em conta o passado do outro, absolvendo seus erros, suas traições.

A sabedoria de HAZIEL, provinda de Hochmah, domina sobre a boa fé e intervém em nossas vidas para melhorar as situações, fazer com que as circunstâncias tenham um rumo mais suave. Assim, as promessas são executadas em razão das circunstâncias favoráveis que se sucedem.

 

Outros Gênios trabalham pelo cumprimento da palavra dada, assim em resumo temos:

  1. 1-3 SITAEL Ser fiel a palavra por ser exigência de leis superiores, irrefutáveis;
  2. 2-2 HAZIEL Execução de uma promessa feita atuando de forma circunstancial;
  3. 2->9 HEKAMIAH: Cumprimento da palavra dada pela lealdade;
  4. 3->4 NELCHAEL: Cumprimento da palavra dada pela força da conscientização.

 

1.7.4    Reconciliação para com os que tenhamos ofendido ou nos ofendido.

Este gênio exerce domínio sobre a fé vigorosa e a reconciliação. Os nascidos sob essa influência serão sinceros nas suas promessas e perdoarão facilmente aos que lhes ofenderem.

Como já percebemos ao tratarmos com as energias de HAZIEL estamos atuando em uma seara altamente Crística de última instância já que Hochmah está acima de Tiphereth. Neste ponto onde a misericórdia é o ponto mais alto, temos que a reconciliação seja então o seu subproduto que é o principal atributo deste Gênio.

A fim de dar cumprimento à reconciliação a entidade chamada HAZIEL reúne toda uma legião de anjos que estão sob seu domínio e trabalham sob suas ordens para que em seu nome restabeleça as relações rompidas, criando todas as circunstâncias favoráveis para a sua realização.

O conhecimento esotérico afirma que não se trata aqui de uma força cega, mas que HAZIEL é uma entidade personificada que governa uma multidão de anjos que trabalham em seu nome. Para entrar em contato com HAZIEL faz-se necessário ter criado em sua personalidade os espaços vazios suscetíveis de armazenar esta força, esta morada filosofal. Atuar com misericórdia, compreender estas energias, incorporar em sua forma de ser, agir e pensar equivale a abrir um portal para se comunicar com este plano e receber suas benesses.

Destarte, será possível ouvir as vozes, compreender os sinais, sentir o entorno, falar com o fluxo das forças de HAZIEL e ser ouvido como o foi São Francisco em sua canção.

Desenvolver faculdades interiores sem as energias de HAZIEL pode ser um tanto doloroso. Antes de ver o outro por dentro é melhor aprender a perdoar…

Algumas pessoas já o fazem isto naturalmente, de forma inconsciente, levam sua vida conforme o programa do Gênio, perdoam ao próximo quaisquer ofensas que os tenham feito. Estas pessoas cheias da essência podem nos ajudar em nossa remissão. Podemos aprender com elas como puxou para si estas energias, com suas atitudes, orações, exortos, etc. como tem feito para entrar em seu sincronismo.

Destacamos ainda que não se trata aqui de um procedimento de magia, mas de criação de circunstâncias favoráveis. Basta lembrar que o número 9 está ligado diretamente à condução das energias às portas de Malkuth fazendo com que tudo ocorra de uma maneira muito real.

Para poder diferenciar o processo magico do processo prático, vamos ilustrar um caso ocorrido.

Certa vez estando em astral, fora do corpo físico, após o aparecimento do que parecia ser muitas mariposas, deparei-me com um ser estranho. Como não sabia do que se tratava, em minhas concepções estava difícil entender que ser era aquele.

O ser tinha uma vibração paradisíaca e era muito lindo em sua forma que adequava a algo humana, tinha um monte de pintas.

A criatura falou-me que certa pessoa havia pedido para que ele fizesse um trabalho, mas não havia cumprido sua parte.

Mesmo depois de três dias, após o retorno ao mundo físico, aquelas maravilhosas energias do Elemental me embriagavam.

Assim que encontrei a pessoa disse que havia estado com um Elemental que não identificara se era do limoeiro ou da romãzeira e que estava aborrecido pela pessoa não cumprir sua parte.

A pessoa muito espantada me contou que fez um trabalho de magia por meio de terceiros. Que uma entidade lhe orientou fazer com que seu pai, o qual ele tinha problemas de relacionamento, colhesse três frutos de romã, desse a pessoa em questão e que esta retornasse a entidade com os frutos.

O trabalho foi feito com a utilização do Elemental da romãzeira que pertence ao raio Crístico, portanto raio do amor, que trabalhou os ressentimentos no coração do pai da pessoa.

Contudo a pessoa que encomendou o trabalho não havia feito um trabalho em seu interior para que os ressentimentos fossem eliminados e apesar dos esforços do Elemental não houve a reconciliação.

Então podemos notar que HAZIEL atua nas circunstâncias, no entorno da pessoa e, no caso da magia, o Elemental da Romãzeira atuou magicamente na psique, nos sentimentos do indivíduo trabalhando para anular as energias de ódio.

Em qualquer dos casos, cabe notar quão importante é a nossa predisposição para que tudo ocorra como desejado e que as entidades superiores jamais ferem o livre arbítrio. Esclareço aqui que o  ponto que mais difere a magia branca da negra e a violação do livre arbítrio.

1.7.5    Proteção contra o ódio e o engano.

O lado negativo da força

Se o HAZIEL de cima trabalha na reconciliação, ao cumprimento da promessa dada, sua contraparte atuara com o ódio, a hipocrisia, o engano. Fara com que os inimigos sejam irreconciliáveis. Serão exigidos o pagamento odioso de dívidas, haverá ameaças e tantos dissabores até o ponto em que, chegando no fundo do poço, os contendores se questionem se não seria melhor entrar em um acordo.

Existe uma simetria entre a altura e a profundidade das raízes de uma árvore. No mundo espiritual ocorre do mesmo modo. A cada plano superior corresponde a um plano inferior oposto, simétrico em energias.

Destaco aqui um equívoco existente em algumas escolas que podem causar grandes danos acerca da interpretação do preceito esotérico que afirma que: Para subir temos que baixar: Este preceito se refere a duas situações:

Primeiramente trata-se de baixar a nona esfera, ou seja, ao mundo de Yesod do qual HAZIEL tem grande influência. Trata-se do trabalho com a pedra cubica de Yesod, o sexo, a Ascenção das energias sexuais.

Outra questão trata-se de baixar mesmo aos infernos, ao mundo da arvore negativa e tem-se entendido que quanto maior o delito mais rápido se desce ao fundo e posteriormente em um repique há uma Ascenção igualmente ligeira para o alto.

Dante Alighieri nos narra o caso do frei Alberigo que traiçoeiramente fez trucidar seus inimigos que convidava para um banquete a pretexto de reconciliação, e tão grave foi o ato, tal a vileza que o frei foi enviado ao castigo das infra dimensões, no nono círculo, mesmo antes da morte de seu corpo que passou a ser ocupado por habitantes do abismo.

Esta passagem narra o pretexto da reconciliação que é um atributo de HAZIEL é ainda a remessa do frei para o nono círculo inferior que seria a antítese do Gênio.

Nos esclarece quão rápida foi a descida tamanho o delito que sequer aguardou a morte do corpo físico. Ocorre que quanto mais grave o delito, indica que maior e a quantidade de energia que o ego animal possui e consequentemente maior o tempo para a desintegração desta energia. Os anais esotéricos constam que Adolfo Hitler permanecerá, preso nos abismos psíquicos, por todo um mahamanvantara, período que dura 311 040 000 000 000 de anos para dissipar as energias malignas, o karma adquirido.

Cumpre abrir uma pausa para esclarecer que o tempo é relativo quando se trata do mundo da psique; assim, lembramos o ensinamento difundido de Albert Einstein acerca da teoria da relatividade: “Coloque sua mão sobre um fogão quente por um minuto, e parecerá uma hora. Sente-se com uma garota bonita por uma hora, e parecerá um minuto. Isso é relatividade. ”

Deste modo, podemos concluir que cometer os crimes mais perversos existentes, baixar ao fundo da árvore, com vistas a uma rápida ascensão espiritual acarretara em danos de reparação dolorosa por longo tempo.

O que se pretende ao dizer ao afirmar que para subir é necessário baixar refere-se que temos que enfrentar as piores bestas de nossa psique e vence-las. E para tanto o iniciado e submetido as situações mais opressoras, humilhantes, degradantes, perda de renome, fortuna, proscrição, saúde, etc., tanto quanto ao grau da árvore positiva que pretenda alcançar – jogam-se lhes trevas espessas para que a luz da essência possa se desvelar.

Dessarte, por mais escabrosa que possa parecer a vida de um iniciado é muito difícil saber o que se está ocorrendo realmente porque sem descer não se sobe. Não há iniciado, que esteja galgando as alturas, de gravata, paletó alinhados e um livro de teorias debaixo do braço.

Richard Bach trata muito bem deste assunto em sua obra sobre o proscrito Jonathan Livingston Seagull (Fernão Capelo Gaivota) – 1970; a rigor temos aqui um viés do caminho que passará todo aquele que pretende a ascensão espiritual, até a volta para casa, ao seio do Pai.

Fernão Capelo Gaivota após ser proscrito andou pelo mundo se aperfeiçoando, sendo enxovalhado em razão da ignorância, do ódio, da xenofobia, etc., mas um dia entendeu que para continuar seu ascenso deveria ser misericordioso e voltou para ensinar o que aprendera àqueles que estivessem dispostos a ouvir e mudar o curso de sua existência.

A misericórdia é a essência da força 9 e que nos permite ganhar as batalhas contra o ódio e a hipocrisia.

1.8       Escrituras09 Haziel

“S 25:6 Recordare miserationum tuarum Domine et misericordiarum tuarum quia ex sempiterno sunt.

Eterno! Lembra-te, das Tuas misericórdias e das tuas benignidades, porque são desde a eternidade. ”

1.9        Oração

HAZIEL: Deus de Misericórdia.

HAZIEL: Só te peço Senhor, que por meu intermédio possas expressar Tua Misericórdia;

Que em mim, possam encontrar alívio

os que pela lei de vida estão atados a coluna do rigor.

Se tudo me é concedido com liberalidade, inclina Oh Senhor HAZIEL!

Meu espírito para ser o Teu franqueador e situa-me no caminho

daqueles que vivem a experiência da severidade

para que possam vislumbrar em mim a promessa de uma viagem mas ditosa.

1.10          Exortação

Quando te falem de mim, peregrino,

te contam, a miúdo, histórias de destruição,

e castigos terríveis nos quais minhas gentes morreram em minhas agua, em meu fogo, convertidos em elementos primários e em estátuas de sal.

Porém, Eu Sou também a música, o canto,

todo o prazer que concede a vida e

todos os tesouros contidos no mundo.

Eu Sou a bondade e a beleza, a simpatia, o jogo, a amizade.

Eu dou o rosto amável da transcendência.

Busca-me, segue-me

e tua via pessoal para a eternidade

será uma deliciosa marcha, peregrino.

Se me encontrares, isso significa que o pior já passou,

que uma paisagem ensolarada humana se desdobra diante de ti,

e por ela avançaras, acompanhado de meus temas mais esplendorosos.

Um mundo encerra para ti

e agora chegastes a esta terra elevada

onde o estreitamento da amizade se faz Lei.

Venha a minha morada onde nem a água, nem o fogo, nem o sal, podem destruir-te “.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s