72. 9->9: MUMIAH


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 9 – Anjos  
Príncipe: Gabriel.
Mundo do coro: 3 – Yetzirah, Mundo de Formação, Mental – elemento Ar
Signo: Peixes.
Elemento zodiacal: Agua.
Relação/elementos: Ar do Ar.
Relação/mundos: “Vó” do Mundo de Yetzirah.
Velas:  Branca em cima e duas brancas em baixo.
Incenso: [Cânfora, murta, louro, arruda, eucalipto, hortelã, alecrim, patchouli, citronela, absinto].
Letras: Mem – Vau – Mem – Yod – Heh
Gemátria: 40+6+40+10+5 = 101 = 1+0+1 = 2
Arco:  356º a 360º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 25º a 30° de Peixes 17 a 21 de março.
Invocação por rotação: de 11 a 12 de Gêmeos: “Yod” ou 2 de junho;

de 23 a 24 de Leão: “He” ou 16 de Agosto;

de 5 a 6 de Escorpião: “Vô” ou 29 de Outubro;

de 17 a 18 de Capricórnio: 2º “He” ou 8 de Janeiro;

de 29 a 30 de Peixes ou 20 de Março: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   23:40:00 às 00:00:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando a Lua se encontra em um dos graus da Lua, ou seja, entre 8º a 9º, de 18º a 19º e de 28º a 29º de qualquer signo.
Atributo: Fim de todas as coisas.
Nome da essência: RENASCER.
Nome da Força: Poder cristalizador, propagador, difusor fim de todas as coisas.
Forças em ação: A força de Yesod resplandece as virtudes de seu próprio centro.
Sendero: 9, de Yesod a Yesod.

1.2              Palavras chaves:

FIM, ômega, FINAL DE UM CICLO, continuidade de propósito, ÔMEGA-ALFA, renascer, química, física, medicina, CURA, segredos natureza, SAÚDE, longevidade, VERDADE-REDUNDANTE, lucidez das imagens, CONSOLIDAÇÃO, cristalização, NOVO GÉRMEN, últimas consequências.

(-) Suicídio, desespero.

1.3              Movimentação Sephiroth: Nove na nona posição

Aqui o nove está atuando em seu próprio centro e realiza a o acerto final que leva a perfeição das funções formadoras de imagens que tem como base os fluxos percebidos dos demais Sephiroth, arquétipos, centros de energia e vida. Então, nos deparamos com o reflexo do que será a realidade física como resultado final da elaboração efetuada pelos demais centros. Há uma neutralidade por parte Yesod já que as imagens que reproduz é de algum modo uma ação involuntária por tratar-se de um estímulo provocado.

Corresponde a posição da Lua em Câncer.

1.4              Arcano – Mundo: Nove de espadas no mundo de Yetzirah

Recebe o título de Senhor da Crueldade. Refere-se ao elemento Ar e astrologicamente corresponde a posição da Lua transitando pelo terceiro decanato de Gêmeos onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Mercúrio.

Neste ponto as restrições de Binah o construtor do universo, centro instituidor de todas as coisas de onde emanam a Lei e a ordem, expressa-se por intermédio de Yesod o centro produtor de imagens, que reflete tudo o que foi trabalhado pelos demais centros. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Hod, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Yesod é o “Vô” terminal de várias exteriorizações, principalmente no que tange as restrições de Binah já que ocupa a posição de “Vô” do terceiro triangulo na terceira posição. Tome-se ainda que o nove de espadas se refere a Binah o que nos dá uma energia bem resolvida. Esta restrição já desponta em um mundo bem próximo de imagens e termina pala ideia de diminuição, restrição de nós mesmos, de nossas possibilidades porque estando quase lá em Malkuth a vemos de forma crua e nos damos conta das necessidades diante do que pretendemos. Assim começam as primeiras sensações que passam da teoria à prática e a materialidade.

As possibilidades inerentes ao mundo das ideias são infinitas, mas quando nos deparamos com o mundo físico somos obrigados a abandonar parte do teórico em razão das práxis que impõe o resultado.

Deste modo, adentramos a materialização do brocardo filosófico: “Sei que nada sei”. Eis que as pulsações acabam de sair das diversas etapas de desenvolvimento em que o universo não esconde mais seus segredos e se vê agora arrefecer na fase das cristalizações onde tudo depende de um desenrolar certo, adequado sob pena de fracasso.

Quando o nove de espadas se posiciona no mundo de Yetzirah o faz no ponto em que se manifesta com maior vigor e já desboca em seus resultados na esfera de Malkuth de modo que as forças de Binah se concentram na resolução final, em sua concretização sem apelação.

Esotericamente afirma-se que o karma pode ser trabalhado até o ponto anterior que se chegue ao desfecho final, ou seja até que se plasme em Malkuth, depois de sua cristalização não há mais o que fazer e a Lei se cumpre.

1.5             Virtudes concedidas:

1º.- Fazer com que todas as experiências cheguem as suas últimas consequências;

2º.- Distinguir-se na medicina e conseguir curas maravilhosas;

3º.- Desvelar segredos da natureza

4º.- Promover cuidados e alívio aos pobres e enfermos;

5º.- Proteger contra o desespero e as tendências suicidas.

1.6              Descrição Sephiroth:

MUMIAH é o oitavo da 8º ordem de anjos denominado como Coro dos Arcanjos, situa-se na morada filosofal de número 72, rege o sendeiro 9, em que Hod resplandece as virtudes de seu próprio centro. Trata das forças de Yesod o centro produtor de imagens, que reflete tudo o que foi trabalhado pelos demais centros; “Vó” do Mundo de Yetzirah, Ar do Ar. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada RENASCER o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que tem por finalidade encerrar as atividades de um ciclo e ao mesmo tempo lançar o gérmen de uma nova vida; faz surgir uma nova realidade daquilo que termina. Trata-se de uma força de Poder cristalizador, propagador, difusor, ou seja, assegura que os valores expressos pelas séfiras anteriores alcancem sua plasmação plena, que as possibilidades não sucumbam no meio do caminho, mas manifestem-se plenamente, por isto dá o êxito em todas as coisas, conduz as experiências ao seu fim, representa, pois, o supremo poder cristalizador de tudo o que foi trabalhado pelas demais séfiras. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominado Fim de todas as coisas.

Yesod é o departamento final onde se desaguam todos os impulsos provindos das demais séfiras, onde se deparam com sua imagem final. A função de MUMIAH consiste em que este centro de cristalização funcione adequadamente promovendo com perfeição e força a manifestação dos distintos programas enviados pelos centros.

MUMIAH é o encarregado de cerrar as portas de um ciclo, o final de todo um processo ora desenvolvido, inicialmente no interno e posteriormente para o exterior e, o faz inicialmente, promovendo este resultado final a nível de imagens internas onde são manifestas as pulsações emitidas pelos centros anteriores, posteriormente, estas imagens se tornarão o gérmen de uma nova prole, vida, de um mundo sem fim de manifestações.

E somente no final, depois que tudo se desenvolveu que podemos compreender o desfecho e, então, extrair os estratos anímicos, o conhecimento, sua inteligência e sabedoria que nos dará um novo ponto de partida. Como tudo que saiu do Absoluto, (onde impera uma única Lei: a do Amor) e todo retorna a Ele, podemos dizer que no final tudo dá certo, e se ainda não deu certo é porque não chegou ao final.

A natureza em sua dinâmica impõe que cada fruto contenha as sementes de uma nova vida. Do mesmo modo e ao mesmo tempo em que trabalha sobre o fim de um ciclo MUMIAH deposita em nós o gérmen do futuro que será trabalhado pelos agentes de suas legiões, pelo desenrolar das forças deste centro, que após introduzir suas essências na morada filosofal correspondente, fara com que daquilo que termina renasça uma nova vitalidade, uma nova energia que se desenrolará em um novo ciclo.

Armazenar estas essências em nosso interior nos faz perceber que ao final de qualquer situação se anuncia o amanhecer, o crepitar de um novo ciclo, que todo o final da etapa pressupõe o início de um novo ciclo criador.

Assegura que cada programa individual, que os valores expressos nos horóscopos alcancem sua plenitude, que todas as potencialidades se tornem a efeito, se dinamizem e não se percam no meio do caminho. Há aqui uma continuidade de propósito que tudo chegue a sua destinação. De qualquer modo o que virá a efeito dependerá do programa contido no horóscopo, no destino kármico ou dhármico, do caminho trilhado anteriormente, de cada um ou situação estudada. No plano individual MUMIAH assegura que nossos objetivos mesmo antes de adentrarem a esta terra cheguem a sua conclusão.

Assim, o que será manifesto dependerá do programa de cada um. Como se trata de uma energia de resultado, quando estas forças aparecem atuando sobre o indivíduo expressará com força seus valores e todas as suas ações terão aspectos de radicalidade, de modo que as qualidades, até mesmo pela força de imagem produzida por Yesod, se mostrem eminentes e, se possui realmente valores interiores, com toda certeza será uma pessoa célebre em razão da nitidez e tamanha a força com que estas pulsações se expressam sobre seus influenciados.

1.7        Das virtudes concedidas:

1.7.1    Fazer com que todas as experiências cheguem as suas últimas consequências

Esse gênio protege as operações misteriosas, ajuda a ser bem-sucedido em todas as coisas e que estas cheguem ao seu final, as suas últimas consequências.

É da dinâmica do Universo que suas pulsações cheguem até o final, as últimas manifestações, seu fim último. Deste modo haveremos de nos guardar de pôr fim a uma situação de maneira arbitrária, rompendo com a cadeia de relações, seja uma situação emocional, laboral ou qualquer outra que não mais suportemos como ocorre com os suicidas, já que ao pôr fim a sua vida por desígnio próprio faz-se com que o que as amarras aquela situação, aquelas pulsações continuem a existir. A ausência do corpo físico não impede que as pulsações de perturbações deixem de existir já que são internas e tudo se resume a energias em movimento, só não mais se dispõe de corpo de manifestação neste plano.

Do mesmo modo, desistir, por fim a uma experiência quando ainda não esteja chegado ao fim equivale ao suicídio no trato em que seja. Aquelas pulsações não chegadas as suas últimas consequências continuarão existindo e seguirão em nossa vida interferindo em nossas existências, interferindo em outros processos, reclamando sua conclusão ainda que não nos demos conta disto. Então ocorrem fenômenos que nos perseguem e não entendemos o porquê, e isto, continua mesmo na ausência de um corpo físico ou quando não mais nos encontramos em determinado lugar ou situação.

Quando participamos de uma empresa qualquer que seja, de trabalho, caridade, escola, fé, militância, relação, etc. nos atamos em um vínculo energético (que parte do plexo solar) a estas pessoas, grupos e devemos desempenhar um papel até que chegue o dia em que MUMIAH se faça presente e nos damos conta, internamente, que nossa atuação, nossa ligação com aquele grupo, estabelecimento, esgotou-se. Então nos levantamos e vamos embora, as próprias evidências nos indicam que aquilo não pode mais seguir adiante. Percebemos que ali não é mais o nosso lugar, de algum modo já superamos aquilo, portanto, temos que sair e seguir o nosso caminho, para outras experiências, etc., porque se não o fizermos a dinâmica do universo se encarregará de fazê-lo criando o chamado pontos de estrangulamento, o peixe que era fresco começará a cheirar mal até a podridão.

Contudo, enquanto não se chegue ao final desta ligação nos encontramos presos a essas situações, pessoas, etc. e, quando saímos, para supostamente seguir nosso caminho, tudo continua vindo até nós. São pessoas, empresas que nos pedem para voltar, afetividades, situações pendentes que somente nós podemos resolver, etc. O mesmo ocorre quando determinadas empresas, entidades, ordens, etc. rompem os laços, unilateralmente, arbitrariamente com os que dela de algum modo fazem parte pela imposição do destino já que tudo está ligado por Lei de Afinidade Vibratória.

Assim como a dinâmica do universo reclama de volta o abandono prematuro, quando um ciclo energético chega a sua conclusão todas estas as forças confluem para produzir o final, todos os pontos são bem amarrados para a conclusão sem deixar nada de fora e podemos seguir em paz o nosso caminho. É neste ponto em que os agentes cósmicos, estas forças de propulsão se encarregam de criar as novas situações que determinarão o futuro, as próximas etapas a seguir já que do fim segue um novo começo.

Da morte no mundo físico surge a manifestação em outros planos e a morte em um dos outros mundos pode resultar o nascimento no mundo físico, portanto o fim de uma etapa não significa o fim da vida, mas a manifestação energética em um outro plano, e o mesmo se sucede em todos os assuntos.

Como o fim e o começo caminham lado a lado não é de se estranhar que a vida possa ser sacada subitamente pelas forças de VEHUIAH (1. 1->1), primeiro dos Gênios, que atua no início de todas as coisas, eis que carrega em si todos os poderes do princípio, de Aleph, o Alfa e em razão de sua natureza é capaz de arrastar todos os impulsos irresolutos, incertos e que já estejam desgastados na metade do caminho.

As energias, como a corrente da vida seguem a Lei das Oitavas ou Lei do sete em sua manifestação. Assim, se observamos a escala musical DÓ, RÉ, MI, FÁ, SOL, LA, SI, constataremos que para ir de um DÓ inferior a um DÓ superior é necessário subir uma oitava a mais. Contudo como tudo foi criado pelas Leis do Três (Triamazicano) e organizado pelo Sete (Heptaparaparshinokh). Ao iniciarmos a entoação de uma escala musical, DÓ, RÉ, MI, perceberemos que quando chegamos ao MI, nos depararemos com uma primeira pausa, e logo veremos as três notas seguintes: FÁ, SOL, LÁ, de modo que ao chegar em LÁ, nos depararemos com segunda pausa, entre LÁ e SI. Pousando a atenção sobre SI constataremos uma nota independente onde encontramos a terceira pausa, entre o SI e o DO da oitava superior. Da mesma maneira as coisas acontecem em nossa vida, em nossa existência, em nossos planos, projetos, relações, etc., pois tudo segue o ritmo do Universo, as Leis da Criação, da Natureza. Sempre haverá as três pausas ao pisar um novo degrau, um novo patamar, dificuldades que precisam ser superadas, experiências que necessitam chegar ao seu fim para galgar uma nova oitava.

PRÁTICA:

MUMIAH nos ensinou uma prática, durante um ritual, que pode ser utilizada em suas invocações. Como já sabemos tudo se desenvolve de acordo com a escala musical e com suas pausas magnéticas por assim dizer. Assim convém dividirmos a situação que queremos ver finalizada em sete etapas uma para cada nota musical. Então cantarolamos cada uma das notas mentalizando as situações a que se referem fazendo as pausas entre as notas MI e Fá; LÁ e SI e, finalmente, SI e DÓ da nova oitava musical e que representa em si a nova situação, o novo ciclo ao qual devemos nos mentalizar nesta imagem. Pronunciamos o nome de MUMIAH como a entoação de um mantra, nos movimentamos pelos quatro pontos cardeais, procede-se a purificação com a Agua, o impulso com o Fogo bem como a destruição do que for ruim; com o elemento Ar movimentamos tudo ao destino pretendido e com a Terra vemos a materialização do resultado que será o início de um novo ciclo.

Os influenciados por MUMIAH são portadores do final, do Ômega e também o anunciador de que ao mesmo tempo em que um ciclo termina outro se inicia. Assim, podemos por intermédio destas energias vislumbrar o que vem a seguir.

MUMIAH pode referir-se ao fim de qualquer coisa, seja uma enfermidade, situação física econômica, um estado de enorme sofrimento, infelicidade, desgraça, desesperança e quando pedimos a Deus para que ponha fim nisto ou naquilo. Os dias, horas, aspectos deste Gênio são os mais indicados, quando suas energias vibram com mais intensidade e nestes momentos podemos pedir que nos auxilie a colocar o fim em determinadas questões ou qualquer empresa humana que seja.

Como este Gênio tem o atributo da finalização é aconselhável que não se dê início a nada neste período, seja no âmbito material ou espiritual, nem casamentos, sociedades, empresas, etc. Deve-se evitar a criação qualquer coisas eis que estes empreendimentos já nascerão com a carga da finalização de modo que não irá muito longe.

No mundo das analogias os números são considerados uma potência em si mesmos de modo que quanto tratamos do “um” nos referimos a um dia, um mês, um ano, etc. Ocorre que diante da eternidade e da infinitude numérica o que mantem a consistência é a Unidade:

“2ª Pedro 3:8. Mas, ó amados, não ignoreis esta uma coisa, que um dia para com o Senhor é como mil anos; e mil anos, como um dia.”

Deste modo, deve ser considerado como um novo ciclo a vida depois dos 72 anos, seja de uma pessoa, empresa, etc. pois o que segue ao final é uma carga energética nova de um novo começo. Depois de MUMIAH segue VEHUIAH (1. 1->1) que é portador de uma enorme carga energética de start, e com isto, dá início a um novo ciclo de atuações o que exige uma profunda mudança uma reorganização no que vinha anteriormente de modo que só poderão subsistir aqueles que estejam em condições de suportar estas cargas de energias a exemplo da lâmpada de tungstênio que após um novo ciclo de carga, ao religar energia pode se romper conforme seja seu desgaste e resistência.

O programa de MUMIAH afirma ainda sua proteção a todas as coisas misteriosas, faz com que se acerte em todas as coisas e conduz as experiências até seu fim.

As operações misteriosas referem-se aquelas realizadas pelo Gênio que visam integrar em nossa natureza interna com todos os pontos que compõe o roteiro de experiências que vão desenrolar-se em nossas existências.

Cabe lembrar que estamos aqui no final das pulsações de Yesod o produtor de imagens, que transmite todas as variações energéticas provindas dos centros anteriores. Ocorre que o mundo de Yesod por vezes é nebuloso, as imagens chegam a nós de forma distorcida, confunde a maioria dos videntes. Já tratamos que na árvore da vida nos deparamos com um arco-íris na região desta séfira para indicar, não só a projeção dos demais centros de vida, mas também que há muitas variantes que podem se mostrar distorcidas. Lembremos que arco-íris possui sete cores que entre as séfiras tem sua representatividade ligada a Hod em que um de seus símbolos é o camaleão. O Gênio anterior HAIAIEL (71. 9->8) trata inclusive sobre o discernimento acerca destas imagens.

MUMIAH providencia para que haja lucidez e uma compreensão exata dos argumentos ao se desentranhar o sentido das imagens, das coisas e extrai o julgo das experiências em curso. Como chega ao final em tudo o que empreende promove o que é bom, as imagens verdadeiras manifestando-as de modo reiterado e desta forma dissipa todas as dúvidas. O que for mal, culpado, ruim é desmascarado de forma contundente.

Enquanto HAIAIEL (71. 9->8) nos dá o conhecimento da verdade acerca das imagens pelo discernimento, MUMIAH faz o mesmo, mas pela redundância das imagens permitindo assim que as experiências tenham a oportunidade de chegarem ao seu fim ideal.

  • Distinguir-se na medicina e conseguir curas maravilhosas.

A pessoa nascida sob essa influência dominará a química, a física e a medicina, se tornará célebre por suas curas prodigiosas, influenciando sobre a saúde e a longevidade.

Conforme temos aprendido MUMIAH refere-se ao final de um ciclo, o último elemento do desenvolvimento יהוה – “Yod-He-Vô-He”, portanto refere-se ao fruto. Ora, no fruto, representante do final de todo um ciclo, encontramos o gérmen da nova vida: a semente. No final é que encontramos o gérmen de uma nova renovação, um novo ciclo, novar novamente.

Do mesmo modo, no mal, na doença estão as sementes da saúde, que suscitam no enfermo as ideias, os sentimentos e até as ações que o levarão a recuperação do equilíbrio dinâmico de seu organismo. É claro que esta recuperação pressupõe uma mudança energética com a consequente alteração dos componentes químicos do organismo e quando ocorrem estas alterações se produzem as maravilhas que os médicos não podem explicar. O milagre torna-se possível de entendimento quando o vemos pelo prisma das energias em movimento.

O médico representante de MUMIAH promove estas alterações energéticas apenas com sua presença. Não é por acaso que alguns destes profissionais tenham mais sucessos em suas curas do que outros. A profissão de médico vem de dentro e não de fora; não basta fazer uma faculdade. Os nascidos sob esta regência, ao elegerem a medicina, saberão o que fazer e farão o que deve ser feito.

 

Outros gênios que tratam da longevidade:

  1. 4->5 SEHEIAH: Atua sobre as emoções, má circulação, desobstrução;
  2. 5->8 REHAEL: Pela revitalização em razão da fidelidade na condução das energias do alto;
  3. 7->7 NITHAEL: Longevidade advinda do apego aos valores universais perenes, Leis eternas;
  4. 9->4 EYAEL: Vida longa e fecunda com acontecimentos variáveis, múltiplas experiências;
  5. 9->9 MUMIAH: Vida longa e saudável.
  • Desvelar segredos da natureza

Descobrirá vários segredos da natureza que farão a ventura dos filhos da terra.

O desvelamento dos segredos da natureza é o resultado de uma operação, quando se chega ao final de um estudo, de uma investigação.

Em MUMIAH nos deparamos com a virtude da consolidação, o ato de passar (uma substância) do estado líquido para o sólido, que em nossa vida refere-se à cristalização da Vontade após passar por todas as séfiras de modo que a energia se cristalize, se materialize, se solidifique – o que começa (Alfa) encontra o seu término (Ômega).

Ocorre que este processo investigativo, de pesquisa científica pode se tornar cansativo, ocorrer a falta de recursos, adversidades em geral, etc., então são muitos os que desistem no meio do caminho. Mas quando se tem o ânimo para chegar ao final então vem o descobrimento acompanhado da recompensa.

Os que recorrem ao auxílio de MUMIAH seguirão até o final, chegarão a sua meta e como estamos tratando do último Gênio aplica-se aqui a lei que preceitua: “os últimos serão os primeiros”. Deste modo chegarão ao final do seu trabalho, já que uma vez terminado, iniciar-se á o novo ciclo em que os resultados se despontarão para serem chamados de “os primeiros”.

  • Promover cuidados e alívio aos pobres e enfermos;

Os influenciados por este Gênio dedicarão suas vigílias e seus cuidados para aliviar os pobres e doentes.

Já vimos que nestas pulsações se encontram a virtude da cura, de outro modo MUMIAH auxilia no alívio dos sofrimentos a medida produz caminhos alternativos para que as energias sigam seu passo e desfecho de modo que nos é apresentada alguma oportunidade para remediar determinada situação (já imediata), um fluxo de saída que de alguma maneira as coisas se vem obstruídas pelo karma e não permite que se passe daquele ponto.

“Jó 38:11 Até aqui virás, e não mais adiante…”

Nesse sentido MUMIAH pode ser chamado de Abre Caminho e no tratamento como arquétipo e/ou força da natureza, havendo um sincretismo religiosos, pode-se dizer que o Exu Tranca Ruas está associado a estas pulsações. E como na ordem natural tudo tem seus dois lados, seja relativo ao seu aspecto positivo ou abismal, fazemos as referências sincréticas porque todas as forças constantes na natureza vêm de uma ordem primordial e faz-se necessário ao Mago conhecer todas as nuances do que vem do alto rumo a cristalização terrena ou mesmo sua degradação abismal. A inteligência administrativa nos impõe que cada coisa seja posta em seu lugar em nosso interior para que tudo possa se manifestar de modo harmonioso, positivo. O Mago é um eterno estudioso, cientista, pesquisador, não sujeito a dogmas, preconceitos, etc., pois quando se mete nos trabalhos com as energias sabe exatamente com o que está se mantendo. Todas as pulsações sejam elas arquétipos, egrégoras, etc., não importa a escola, seita, religião, haverão de se enquadrar em uma destas 72 emanações, basta considerar que o tempo todo estamos tratando de Princípios, fontes – isto é ciência e não doutrina, muito embora o conhecimento dos fluxos nos levem a trilhar os caminhos a fim de não darmos causa a efeitos indesejáveis.

  • Proteger contra o desespero e as tendências suicidas.

          O lado negativo da força

O gênio contrário causa o desespero e o suicídio, influencia aqueles que detestam sua existência e o dia em que nasceram.

Considerando o lado expressivo deste Gênio no que tange ao seu supremo poder cristalizador e renovador após se chegar ao final de um ciclo, as dissonâncias resultarão de forma bastante perturbadora em razão até de um final carente de princípio, deste gérmen de renovação onde no fruto encontramos a semente de uma nova vida, ou seja, não se vislumbra um futuro nessas pulsações, mas sim um ponto sem saída, um buraco negro que engole tudo e a existência do indivíduo se converte em uma ante sala da morte.

Vimos que uma das marcas do gênio de cima é a rotundidade que nos faz perceber a verdade, contudo, tratando-se das energias dissonantes, expressarão os impulsos energéticos de baixo com a mesma intensidade com que se expressam as forças as do alto, tornando-as evidente de modo que não poderão ser rejeitadas. As suas manifestações assemelham-se ao um tipo de força trator podendo conduzir o indivíduo ao desespero e ao suicídio.

Ocorre que enquanto o Gênio de cima pretende levar a contento todas as emanações provindas dos outros centros o de baixo pretende sua abreviação, a sua não conclusão, inverter, queimar ou pular etapas de modo que o fruto venha sem a semente, que o trabalho não alcance seus resultados – os frutos.

As forças antagônicas, expressivas do mal, por sua redundância, farão com que o indivíduo lhe custe evita-la e, assim, ceda a estas insistências, o fazem tomar consciência de que está em erro, que seu próprio nascimento foi um equívoco – passa inclusive a amaldiçoar o dia de sua natalidade, deste modo, pode surgir neste indivíduo a ideia de que a única maneira de destruir este erro é o auto aniquilamento.

Se pesquisarmos, perceberemos que nos dias, horas e aspectos deste gênio quanto mais o sejam deletérios estes últimos, observaremos o aumento no número de suicídios, não só os evidentes, mas também aqueles camuflados pelas enfermidades e pelos acidentes. Cabe aqui esclarecer que há pessoas que entram em processo de autodestruição, por vezes até de modo inconscientes, gerando doenças que podem leva-las a morte. Pode, inclusive, ser originadas por um sofrimento, para fugir ou driblar uma situação, por entender que sua morte auxiliará outras pessoas, etc.

As pessoas marcadas por estas energias de baixo trazem em si a pulsação de um final sem princípio de modo que tudo o que empreendam será abreviado não chegara ao seu final, carecem, portanto, da energia de solidificação, finalização, do final concluído que marca um novo começo. Para estas, o horizonte não apresenta um futuro sejam em que assuntos forem: amor, trabalho, fortuna, etc. Quando encontrem um trabalho algo acontecerá que cause a abreviação, a empresa pode quebrar; quando se trate de amor a pessoa morrerá ou se desentenderá. Trata-se do selo, da marca da hora final sendo, portanto, portadoras de morte e crise nada em que atuem ou que esteja a sua volta prosperará pois carregam em si estas dissonâncias portadores de desespero e ruína.

A manutenção artificial da vida, quando o corpo já não tem mais capacidade de reagir, de sobreviver também é um atentado contra estes arquétipos já que a própria natureza já exalou sua sentença e o prosseguimento só trata mais sofrimentos.

Outros Gênios trabalham contra o desespero, assim em resumo temos:

  1. 1-7 ACHAIAH Protege contra o desespero, a perda da fé em tudo pela paciência.
  2. 9->9 MUMIAH: Protege contra o desespero e as tendências suicidas.

Outros Gênios que nos auxiliam contra o suicídio:

  1. 3->7 YEIAIEL: Cometimento em razão de Assédio Moral, destruição da auto-imagem;
  2. 5->8 REHAEL: Cometimento em razão de Assédio Moral, ação severa dos pais;
  3. 8->3 YEIALEL: Reorganiza a psique destroçada em razão do assédio moral e dá suporte para luta;
  4. 9->9 MUMIAH: Protege contra o desespero e as tendências suicidas.

 

Outros Gênios que combatem a depressão:

  1. 1->1 VEHUIAH: Concede força de vontade e movimentando a vida;
  2. 1->4 ELEMIAH: Da a consciência do que produz o desassossego;
  3. 3->2 LAUVIAH: Fornece uma visão melhor do futuro e retira a sensação de impotência. Afasta de nós os ocupantes das baixas esferas;
  4. 3->7 YEIAIEL: Desenvolvimento emotivo para vencer as tempestades e os naufrágios emocionais.
  5. 5->8 REHAEL: Depressão relativo a conflito superior-inferior, problemas com pai, autoridades;
  6. 8->3 YEIALEL: Nos concede a lógica e força mental contra os pensamentos que nos afundam;
  7. 9->3 MANAKEL: Atua sobre os sentimentos de culpa nos incutindo a imagem verdadeira;
  8. 9->9 MUMIAH: Protege contra o desespero e as tendências suicidas.

 

1.8        Escrituras

“S. 116:7 (114-7) Revertere anima mea in requiem tuam quia Dominus reddet tibi.

Volta, minha alma, à tua serenidade, porque o Senhor lhe concedeu seus benefícios.”

 

1.9             Oração

“MUMIAH: Ômega: Fim de todas as coisas.

MUMIAH: Sublime Senhor do renascer, e alterações,

fazei com que de minha natureza banalizada

surja a divina quimera do ouro;

fazei com que minha sede de luz e pureza

se condensem na minha estrutura psíquica

e me tornem a mãe fecunda de uma Verdade mais elevada do que o meu próprio ser.

Fazei com que renasçam em mim todos os princípios

que têm levado o mundo a sua plenitude,

e que teu servidor humilde possa ser para os demais

o portador de teu renascer,

em seus átomos, em suas células, em sua semente;

o portador de saúde e longevidade,

o mensageiro de tuas misteriosas virtudes”.

 

1.10          Exortação

“Em seu passado está, peregrino, a chave do seu futuro.

Em sua ancestralidade, encontrarás o caminho que leva ao amanhã.

Suas raízes parecem firmes, mas não são,

porque Eu tenho sido o encarregado de removê-las.

Uma nova vida há de surgir em suas velhas vestiduras físicas,

e de ti depende que, dessa fermentação,

saia o bom vinho ou as escórias.

Eu tenho enterrado em ti o sonho de voar,

mas em sua natureza arcaica encontra-se também o impulso vivo

de revolver-se nas perversidades.

Qual dessas forças apoiará a tua vontade?

Entre o sublime e o corrupto deverás escolher,

porque será impossível permanecer tal como és.

Oxalá possa, peregrino, dar-te asas.

Espero que possas ver me cara a cara nessa outra esfera em que tenho a minha sede.

Então, já não te serás possível naufragar”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

 

3 respostas para 72. 9->9: MUMIAH

  1. Gratidão pelo seu belo artigo…
    Lendo ele, do início ao fim, sinto a presença dele ainda aqui, comigo. ❤

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s