66. 9->3: MANAKEL


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 9 – Anjos  
Príncipe: Gabriel.
Mundo do coro: 3 – Yetzirah, Mundo de Formação, Mental – elemento Ar
Signo: Aquário.
Elemento zodiacal: Ar.
Relação/elementos: Ar do Ar atuando sobre o Ar do Fogo.
Relação/mundos: “Vó” do Mundo de Yetzirah sobre o “Vô” do Mundo de Atziluth.
Velas:  Branca em cima e duas brancas em baixo.
Incenso: [Cânfora, murta, louro, arruda, eucalipto, hortelã, alecrim, patchouli, citronela, absinto] e [Enxofre, raiz de guiné, gengibre].
Letras: Mem – Nun – Qoph – Aleph – Lamed
Gemátria: 40+50+100+1+30 = 221 = 2+2+1 = 5
Arco:  326º a 330º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 25º a 30° de Aquário 15 a 19 de fevereiro.
Invocação por rotação: de 5 a 6 de Gêmeos: “Yod” ou 27 de maio;

de 17 a 18 de Leão: “He” ou 10 de agosto;

de 29 a 30 de Libra: “Vô” ou 23 de outubro;

de 11 a 12 de Capricórnio: 2º “He” ou 2 de Janeiro;

de 23 a 24 de Peixes ou 14 de Março: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   21:40:00 às 22:00:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando a Lua se encontra em um dos graus de Saturno, ou seja, entre 2º a 3º, de 12º a 13º e de 22º a 23º de qualquer signo.
Atributo: Deus que secunda e mantém todas as coisas.
Nome da essência: CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL.
Nome da Força: Propagadora do conhecimento do bem e do mal.
Forças em ação: A força de Yesod que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Binah.
Sendero: Sub-sendeiro que une Yesod a Bina em sua trajetória de retorno pelas árvore e zodíaco.

1.2               Palavras chaves:

IMAGEM VERDADEIRA, Conhecimento do BEM E DO MAL, cólera de Deus, culpa, EVITA O DANO, administrador sensato, CADUQUICE, responsável, SENTIMENTO DE CULPA, bom conselho, VOZ INTERIOR, legislador, juiz, advogado, SONO E SONHO – mensagens, AMIZADES DE BEM, animais aquáticos, EPILEPSIA, transmuta trevas em luz, DOCILIDADE, cura pelo retorno a Lei, PAISAGEM EXTERNA, secundar-auxiliar.

(-) IMAGEM FALSA FABRICADA, más qualidades físicas e morais, SITUAÇÕES ESTACIONÁRIAS, enfermidade, DEPRESSÃO.

1.3               Movimentação Sephiroth: Nove na terceira posição

O nove corresponde a etapa “Vô” do mundo de Yetzirah, a terceira e última etapa do mundo de formação regida por Yesod, detentor das imagens concretas já em fase de manifestação em Malkuth, portanto a culminação da obra. Posteriormente entrará em ação o 10 que denota o período de transição até a chegada do novo ciclo em uma nova oitava de energia onde o mundo de Assiah plasme o seu domínio em obras concretas.

As séfiras nos apontam duas mães naturais, uma em cima relativo a Binah e outra em baixo que se refere a Yesod. Quando o nove ocupa a terceira posição há o encontro com ambas, uma altamente espiritualizada e outa mais perto de nós.

Este procedimento representa um salto do processo natural já que elimina os trabalhos no mundo dos sentimentos em que atuam Hesed, Geburah e Tiphereth. O que ocorre então é uma abstração destes sentimentos, que são deixados de lado, a fim de concretizar algo.

Este processo pode até cristalizar uma sublime realidade, contudo sem a atuação do Mundo de Briah esta realidade estará carente das energias dos sentimentos e isto implica em que a parte emotiva, expurgada do processo, poderá rechaçar tudo o que haja sido preparado, de modo que a provisionalidade preparada acabará por vir de baixo e não de cima.

A conquista da espiritualidade humana é um processo que se desenvolve em etapas e se manifesta de forma coesa, eficiente, somente depois de haver se pronunciado em todos os centros. O procedimento descrito é semelhante a algo que parece sólido, mas na verdade está oco.

Astrologicamente corresponde a posição da Lua em Capricórnio.

1.4               Arcano – Mundo: Três de espadas no mundo de Yetzirah

Recebe o título de Senhor do sofrimento. Refere-se ao elemento Ar e astrologicamente corresponde a posição de Saturno transitando pelo terceiro decanato de Libra onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Mercúrio.

Neste ponto as restrições de Binah o construtor do universo, centro instituidor de todas as coisas de onde emana a Lei e a ordem expressa-se por intermédio de seu próprio centro. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Hod, o coordenador deste subciclo evolutivo.

O Archote da Lei atua com o máximo rigor. Enquanto no dois de espadas procurava a reconciliação, a desistência das batalhas pela força de Hochmah, neste ponto há uma ruptura com a parte superior para que haja uma produção do fluxo para baixo e a partir daqui o caminho das energias passará a ser de descenso, rumo a materialidade. Daí o obscurecimento que visa o mal necessário. Como consequência tem-se o início das lutas internas que inevitavelmente hão de surtir efeitos no exterior caso não sejam resolvidas antes da cristalização – se ainda houver tempo…

A repercussão externa traduzir-se-á como empobrecimento, humilhação, perda de renome, carência de horizontes, visão limitada, estreita.

Quando estas energias se manifestam no mundo de Yetzirah estará atuando no lugar que lhe correspondo, onde Binah tem sua expressão e, portanto, exercerá          sua função em uma realidade física perfeitamente estruturada, facultara a exteriorização ao máximo de duas potencialidades.

1.5               Virtudes concedidas:

1º.- Acalmar a cólera de Deus.

2º.- Libertar-se dos sentimentos de culpa.

3º.- Poder conciliar o sono.

4º.- Conseguir a amizade e a bondade de gente de bem.

5º.- Protege contra as más qualidades físicas e morais.

1.6               Descrição Sephiroth:

MANAKEL é o segundo da 9º ordem de anjos denominado como Coro dos Anjos, situa-se na morada filosofal de número 66, rege o sub-sendeiro que une que une Yesod a Bina em sua trajetória de retorno pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Yesod por onde são aportadas as imagens rumo a cristalização e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Bina o construtor do universo, centro instituidor de todas as coisas de onde emanam a Lei e a ordem; o “Vó” do Mundo de Yetzirah sobre o “Vô” do Mundo de Atziluth, Ar do Ar atuando sobre o Ar do Fogo. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada CONHECIMENTO DO BEM E DO MAL, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que proporciona a capacidade de reconhecer o positivo e o negativo antes mesmo de se iniciar uma determinada experiência, faculta o resguardo do erro, de modo que se manifeste o administrador sensato de bom conselho, cumpridor de suas obrigações seja a nível natural ou humano. Trata-se de uma força Propagadora do conhecimento do bem e do mal, que insta um impulso prévio acerca da ordem, da constituição, das pulsações universais, do sentido, direção que as energias devem fluir a fim de que cheguem a bom termo. Proporciona a compreensão do traçado e intensidades prévias acerca do caminho das aguas no leito dois rios a fim de que não se perturbe a ordem natural e, assim, evita o dano. No mais, impulsiona tudo a situações estáveis, ao resultado concreto, o posicionamento de cada coisa em seu lugar sem valorações fora da ordem cósmica, já que é pela Lei que a obra divina se mantém, dessarte, as imagens de Binah conduzem a situações seguras, duradouras, equânimes, que proporciona a tranquilidade eis que tudo se sustenta e se mantem em diapasão com as Leis Naturais. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominado Deus que secunda e mantém todas as coisas.

Enquanto o Gênio anterior, DAMABIAH, nos concebe o dom de Hochmah, a Sabedoria para elaborarmos as nossas imagens, MANAKEL nos disponibiliza as faculdades de Binah, esta virtude do legislador e nos concede o Conhecimento do Bem e do Mau.

Convém esclarecer que carregamos os dons dos gênios constantes em nosso nascimento, sem necessidade de pedir-lhe, contudo para adquirir as demais essências precisamos trabalhar para absorver estas forças ou nos acercarmos de quem as tenham.

Cada sephira corresponde a um centro energético, mas também de informações, de dados. Ao analisarmos o início do Genesis perceberemos que no primeiro dia Deus criou o Fogo, no segundo as Aguas e depois ajuntou as aguas dando origem ao elemento Ar e por último a porção seca, i.e., a Terra, conforme preceitua a fórmula יהוה – “Yod-He-Vô-He”.

Ocorre que até o terceiro dia, antes da manifestação de Binah, as séfiras continham em si apenas alguns princípios que o Deus Criador lhes havia inoculado. Tudo de acordo com a sabedoria acumulada no Dia anterior de Manifestação, mas sem as experiências relativas aos desdobramentos energéticos, suas evoluções – por assim dizer.

O trabalho, então, consistiria em explorar e colonizar um espaço vazio, um espaço virgem, em que não havia existido a vida, e o nosso Ser Divino produziu, assim, os corpos ou fantasmas iniciais para essa exploração de modo que esses foram trazendo-lhe novas experiências e aumentando o seu saber pela vivência, experiência direta semelhante àquele que termina a faculdade e agora necessita colocar em prática o que aprendeu, i.e., o arcabouço teórico adquirido.

Como sua origem é imaculada, nosso Real Ser, absorveu as experiências positivas e rejeitou as negativas, mas acumulando os dados sobre o que dava bons e maus resultados. E considerou que os resultados positivos eram bons; e o negativo, mal.

Corriqueiramente, a religiosidade acaba por implicar certos valores que não tem amparo em nada que não seja a vaidade e a ignorância. Pois o que estamos tratando aqui não se trata de valorações da ordem moral tempo e espaço, mas de resultados concretos baseados na experimentação, nos meandros finais da causa e efeito.

Vamos a um exemplo prático:

Em nosso corpo existem enzimas, proteínas, que são produzidas pelos seres vivos em geral e são capazes de catalisar reações químicas relacionadas com a vida, sem, no entanto, sofrerem alterações em sua composição química, ou seja depois de realizarem seus processos permanecem intactas e pronto para outro serviço.

Contudo, quando o indivíduo passa a ingerir, álcool e outros produtos fermentados, drogas, fumo, pode ocorrer que estes obreiros mantenedores – que a olho nu vemos como entidades químicas mas que a nível espiritual tem seu grau de consciência, já que todo átomo é um trio de matéria, energia e consciência -, “operários” angélicos se retiram e deixem a parte do corpo envolvida nessa auto consumação sem assistência o que poderá provocar o colapso da estrutura física levando, inclusive, ao óbito seja em um prazo curto ou longo.

Quando os operários de cima se retiram a casa fica vazia e um outro tipo de energia, toma conta, aparecem os predadores, as entidades ligadas a corrupção dos corpos que vão trabalhar para a sua consumação, degradação, destruição.

Hoje este processo é bem conhecido, explicado em parte pela ciência, mas em outros tempos e mesmo nos dias atuais em alguns lugares não podem ser entendidos pelo homem, por falta estudos, de capacidade de compreensão. Deste modo, em vez de tratar deste conhecimento de modo empírico, foi-lhe simplesmente informado de que o consumo de álcool ou drogas eram coisa má, ruim; mas com sede no campo da moral, e como se tratasse de um princípio dessa ordem (moral, sem cientificidade) resolveu pular fora e continuar no vício.

Pois bem, estamos tratando da força propagadora do conhecimento do bem e do mal e o que MANAKEL nos concede é justamente esta capacidade de reconhecer o positivo e o negativo, o bem e o mal e vai além: O bem do mal e o mal do bem. Estes conhecimentos nos sãos ministrados antes mesmos de iniciarmos uma determinada experiência, sem os dogmas, fanatismos, conhecimentos sem apoio na ciência, etc.

Como estamos residindo em Malkuth, portanto muito próximos das fontes de energias abismais, rodeados pelas forças atuantes na quinta dimensão inferior que nos rodeiam a todo momento, nessa situação de susceptibilidade, vulnerabilidade – quanto mais se trate do indivíduo que não trabalhe sobre si, de modo que o homem se deixa levar pelos impulsos deletérios. Quando esses baixos impulsos triunfam em nós produzimos realizações que acabam destruindo-se ou mesmo nos destruindo.

Mas antes que isto ocorra, soa uma voz em nosso interior, lá no fundo, que nos alerta: “Cuida-te que estais indo pelo mau caminho, neste curso a perigo de dano“.

Nossa tendência é a de ignorar essa voz e prosseguir no erro, isto porque nele encontramos a maior satisfação e, quando então, ocorre a catástrofe, dizemos como que ingenuamente: Não sabíamos que aquilo era ruim. Todavia, se formos analisar lá no fundo e formos honestos conosco mesmos veremos que sim, o sabíamos, só que preferíamos fazer o contrário ignorando nossa voz interior.

Em todo o caso, se realmente em algum momento nos encontrarmos em situação tal que de tão perdidos, tão extraviado, não sejamos capazes de distinguir entre o Bem e o Mal, poderemos nos socorrer em MANAKEL em seus dias e suas horas, ou ainda poderemos procurar um de seus representantes, ou seja, um daqueles cujo Sol de nascimento se encontra nos graus regidos por este gênio, e a esta pessoa pediremos que nos oriente, ou mesmo, somente de estarmos em sua presença, haveremos de ser iluminados.

 

Outros Gênios que transmutam o mal em bem:

  1. 7->9 POYEL Aplicação direta do otimismo, esperança, das benesses da coluna da direita;;
  2. 9->2 DAMABIAH Eleva nosso nível espiritual e converter o mal em algum benefício;
  3. 9->3 MANAKEL: Nos dá o conhecimento do bem e do mal, alerta da voz interior.

1.7        Das virtudes concedidas:

1.7.1    Acalmar a cólera de Deus.

A ira de Deus refere-se ao efeito da violação das regras naturais, quando as energias se expressam ao contrário e ao invés de vir do alto pelo curso normal provem de baixo e atua de modo invertido. Assim, a Bondade suprema atua pelo seu oposto, na árvore negativa, e nos advém sob o prisma da cólera, como uma ação furiosa, então, o Fogo Criador transforma-se no fogo que queima e destrói.

Contudo, quando surge em nós o Conhecimento do Bem e do Mal e nos dispomos a agir de acordo com esse conhecimento enaltecendo o retorno a Lei, então a ira de Deus se calma, o fluxo das energias segue seu caminho normal e as doenças devidas ao desgaste dos tecidos, que originaram o abandono dos trabalhadores angélicos, se verão curadas, sanadas porque as células recobram sua consciência e energia, os operários voltam a reconstruir o nosso templo.

Lenain nos indica ainda que este Gênio auxilia a curar a caduquice que se refere a decrepitude, velhice, perda de memória, a pouca lucidez em decorrência da idade. Cabe lembrar aqui que Binah carrega em si os registros akáshicos da natureza e que todo o ordenamento dos Cosmos está sub sua égide, quanto mais o seja quando Yesod expressa suas imagens pelos padrões e pelos dados fornecidos por Binah de modo que estas imagens venham a se ajustar enquanto concomitantemente os neurônios, tecidos desgastados sejam sanados por este novo magnetismo, promovendo novas ligações.

Peçamos, pois, o auxílio de MANAKEL a para que nos liberte das forças subterrâneas que levam à destruição de o nosso organismo.

 

1.7.2    Libertar-se dos sentimentos de culpa.

O Sentimento de culpa vem de algo que acreditamos ter feito de um jeito quando poderíamos ter feito de outro e o resultado disto é algo indesejável, por vezes até trágico. Quando MANAKEL no preenche com esta virtude acerca do Conhecimento do Bem e do Mal, vem a nós a certeza de que o que foi feito está em consonância com as Normas Celestes, que tudo ocorreu como deveria ter ocorrido, que tudo o que fizemos nos fez chegar aonde deveríamos chegar e, assim, obtemos o conforto a esse sentimento de culpa e somos liberados desta prisão mental que nos atormenta.

E como estamos tratando de Binah, Yesod e de Yetzirah nos relacionamos com a mente também, quanto mais sua exteriorização de forma de imagem proposta por Yesod.

Na mente são cridas inúmeras representações mentais, de modo que se conhecemos um indivíduo e uma pessoa qualquer, quanto mais seja importante, fala mal desse indivíduo, levanta contra ele toda classe de calúnias, ofensas etc. e “damos ouvidos” a toda este falatório, cria-se em nosso interior uma imagem que haverá de nos acompanhar ainda que não corresponde a realidade. Há uma desconstituição do que seria a imagem verdadeira daquele indivíduo e passamos a nos relacionar com a falsa imagem criada em razão de uma fofoca, maledicência, etc.

No decorrer de nossa existência, são depositadas um sem número destas imagens que nos leva a magoar as pessoas, segregarmos, cometermos atos de crueldade e que haveremos de tomar responsabilidade um dia. Mas de imediato pode ocorrer a perder um negócio, amigo, oportunidade, etc. em razão de se tratar com uma reorientação mental e não com a imagem verdadeira do outro.

Do mesmo modo que são criadas representações negativas, são criadas também as positivas – ou falsos positivos -, assim, quem cede ao aceite de um, cede também a do outro e a pessoa passa a ser enganada, seja em um negócio, romance, etc. O maledicente, à medida que aponta uma faca para o outro tem também uma outra faca apontada para si, seja pela imposição da verdade, seja pelas imagens criadas em seu interior as quais será a própria vítima.

Certa vez, entrei em depressão em razão de uma enorme carga energética negativa que advinha sobre minha pessoa. Que ia desde a movimentação de chacras, magia negra, em um momento que um karma pesava sobre meus ombros.

Nada fazia sentido embora sempre procurasse fazer as coisas corretas. Minha imagem pessoal foi desconstituída e o mundo caiu sobre mim. Então em uma noite acordei bastante perturbado pois algo, algum tipo de energia perversa, desejava impor um sentimento de culpa sobre minha pessoa. Mas minha mente, naquele mesmo instante insurgiu-se dizendo que nada daquilo fazia sentido pois fizemos tudo o que deveria e poderia ser feito. Esta certeza causou um desconformo nos sentimentos e nas energias que procuravam nos colocar para baixo.

É comum que atos de tortura mental como o assédio moral, bullying, sejam eles atos de violência física ou psicológica, executados de modo repetitivo, por um indivíduo ou grupo causem diversos transtornos psicossomáticos ao indivíduo como angústia, depressão, sentimento de culpa, etc.

MANAKEL nos auxilia nestes momentos ao fornecer o conhecimento do bem e do mal e, neste ponto, altera as imagens colocadas em nosso corpo mental de acordo com os ordenamentos de Binah e, assim, promove a paz interior com a consequente cura.

Esotericamente tem se afirmado que os piores magos negros são aqueles que atuam no mundo mental. É claro que pelo seu karma haverão de se ver em situações de vulnerabilidade mental enquanto sejam atacados até que se esgotem todas as energias de maldade que geraram com suas práticas. As doenças de degeneração mental vem justamente do abuso deste centro em razão de que nossas partes mais internas estão ligadas ao mundo das emanações, quanto mais se trata de Binah de onde provem a relação de causa e efeito, portanto não concebe alterações de qualquer ordem por tratar-se de regiões manifestadas de onde se originam todas as Leis que sustentam tudo o que existe, ali o ego não tem acesso, assim, por mais que se queira fazer magia, mentalizações positivas, etc o que se faz são acumular mais e mais variáveis para a conta final.

As energias fluem como a agua que procura sempre o caminho mais fácil de modo que o retorno kármico sempre atua naquilo que mais toca. Assim, o adonista verá o peso da Lei sobre si mesmo; aquele que está preso aos bens verá sobre suas posses; se direciona suas energias à família será sobre o que mais ama.

Quando entrarmos em depressão e sobrevier o sentimento de culpa cabe solicitar ajuda a MANAKEL para que realoque em nós as imagens verdadeiras e, como em Binah tudo siga o curso que deve seguir, o que for falso voltara de onde veio já que o fluxo e refluxo segue a um processo natural, independentemente de nossos desígnios, ainda que todo tenha origem em uma causa anterior, eis que, a cobrança acaba por gerar um novo ciclo ao qual o sábio não se mete nem em pensamento, nem em sentimento e muito menos em ato.

Outros Gênios que nos auxiliam contra o Assédio Moral:

  1. 5->4 CHAVAKIAH: Paz e harmonia em ambiente laboral hostil;
  2. 5->8 REHAEL: Assédio Moral em razão do rompimento da relação Pai-Filho;
  3. 5->9 IEIAZEL: Auxilio para que os inimigos nos deixem em paz, criação de uma Nova Realidade;
  4. 8->3 YEIALEL: Pela razão, destroça a imagem negativa criada e desvela o opressor;
  5. 9->3 MANAKEL: Atua sobre os sentimentos de culpa nos incutindo a imagem verdadeira.

Outros Gênios que trabalham com o sentimento de culpa:

  1. 7-2 DANIEL: Atua sobre o auto perdão.
  2. 9->3 MANAKEL: Atua sobre os sentimentos de culpa nos incutindo a imagem verdadeira.

Outros Gênios que combatem a depressão:

  1. 1->1 VEHUIAH: Concede força de vontade e movimentando a vida;
  2. 1->4 ELEMIAH: Da a consciência do que produz o desassossego;
  3. 3->2 LAUVIAH: Fornece uma visão melhor do futuro e retira a sensação de impotência. Afasta de nós os ocupantes das baixas esferas;
  4. 3->7 YEIAIEL: Desenvolvimento emotivo para vencer as tempestades e os naufrágios emocionais.
  5. 5->8 REHAEL: Depressão relativo a conflito superior-inferior, problemas com pai, autoridades;
  6. 8->3 YEIALEL: Nos concede a lógica e força mental contra os pensamentos que nos afundam;
  7. 9->3 MANAKEL: Atua sobre os sentimentos de culpa nos incutindo a imagem verdadeira;
  8. 9->9 MUMIAH: Protege contra o desespero e as tendências suicidas.

1.7.3    Poder conciliar o sono.

Como Binah é o ordenador de tudo, consequentemente é também um portador de estabilidade e, assim o são também suas imagens, que corresponde ao reflexo de todas as coisas organizadas.

Do mesmo modo em que ordena tudo, o faz também em nossa psique, organizando suas imagens internas. Sem as pulsações de Binah tudo fica confuso quando saímos de nosso corpo físico, em nosso período de repouso adentraremos nossos abismos psíquicos.

O que vem do alto descende em um ordenamento, a palavra chave dos Universos é Ordem, assim, quando Binah atua, tudo corre normalmente: o sono é tranquilo e os sonhos se passam nos departamentos da natureza em que haja harmonia.

Quando nossa mente está agitada, perturbada as imagens são truculentas, não conseguimos repousar. Então nestes momentos convém pedir auxílio para MANAKEL a fim de que estas imagens se transmutem em coisas boas e belas e, que deste modo, possamos repousar.

Quando as imagens estão agitadas, ficam rodando na cabeça, não conseguimos dormir. MANAKEL nos auxilia a conciliar o sono com o sonho de modo a acalmar o turbilhão de imagens e assim adentremos em uma com vistas ao sonho.

Cumpre esclarecer aqui que no caminho da vigília para o sonho aparecem inúmeras imagens, pensamentos ao qual só embarcamos após escolhermos uma destas figuras. No desdobramento astral nos concentramos em algo ao qual pretendemos adentrar de modo a tornar-se consciente. Em alguns casos o indivíduo se vê saindo do corpo físico ao invés de partir para um plano diretamente. Em todos os casos, no modo consciente a um estado de conhecimento da realidade em que se está. Como estamos tratando dos arquétipos, podemos nos concentrar em qualquer deles antes de embarcar. Podemos, no presente caso, nos concentrarmos nos símbolos de MANAKEL, as virtudes de seu mundo, mentalizarmos o pedido e ver o que acontece…

No primeiro momento em que acordar, seja no meio da noite ou de manhã, não se mexa do lugar, relembre tudo o que ocorreu – pode-se inclusive utilizar o mantra AOM-GAON (AAAAAAOOOOOMMM GAAAAAAOOOOOMMMMM), mentalizar o signo de Saturno, que ajuda a trazer as recordações. Feito o recordatório passe imediatamente para um caderno ou anote em algum canto pois as memórias oníricas tendem a se desfazem tão rapidamente como as nuvens.

Outros Gênios que trabalham com os sonhos:

  1. 2->5 HAHAIAH: Sonhos instrutores; interpretação dos sonhos;
  2. 3->2 LAUVIAH: Revelações durante o sono. Sonhos proféticos;
  3. 4->2 NITH-HAIAH: Sonhos premonitórios vindos de Briah M. dos desejos;
  4. 6->7 ARIEL: Sonhos com os programas divinos, ideias novas – Instruções do Real Ser, Jerarquias;
  5. 9->3 MANAKEL: Poder conciliar o sono e os sonhos, ameniza as imagens, interpretação do sonho pela intuição.

Rege a vegetação e os animais aquáticos.

Temos visto que nosso mundo exterior é o reflexo de nosso interno, mas esta analogia se aplica ainda ao meio ambiente em que vivemos, i. e., a fauna e a flora em que habitamos. Assim nossa natureza vegetal pode ser formada por rosas, lírios, papoulas ou pelo sarças, cactos e espinhos de acordo com nossa terra humana, de modo que expresse a um ou a outro.

Vimos também que no primeiro dia Deus criou o Fogo, no segundo as Aguas e depois ajuntou as aguas dando origem ao elemento Ar e por último a terra (a porção seca), tudo de acordo com a fórmula יהוה – “Yod-He-Vô-He”.

Prosseguindo a análise do gênesis constataremos que inicialmente foi plantado o gérmen do Homem (já que este deveria dominar toda a criação), em um segundo momento o gérmen dos animais e em terceiro os vegetais.

Cabe lembrar também que o processo criativo incorpora a regra em que “os últimos são os primeiros”, que o nome de Deus, em Hebraico, escreve-se de modo contrário aos demais alfabetos assim como os evangelhos representam os quatro elementos em sua ordem inversa de modo que João refere-se ao elemento Fogo; Lucas ao elemento Agua; Marcos ao elemento Ar e Mateus ao elemento Terra.

Em diapasão, no primeiro dia construiu a Personalidade Divina, no segundo dia o Ser Emotivo ou Alma Humana e no terceiro nosso Ser Mental.

Nossa manifestação física foi a derradeira, então o gênesis nos remete à Vontade que tudo domina – regida pelo elemento FOGO; aos sentimentos aquáticos – AGUA, aos pensamentos aéreos (AR) e pôr fim a manifestação física da TERRA.

“Gênesis 1:28 E Deus os abençoou, e Deus lhes disse: Frutificai e multiplicai-vos, e enchei a terra, e sujeitai-a; e dominai sobre os peixes do mar, e sobre as aves dos céus, e sobre todo o animal que se move sobre a terra. ”

Como no universo tudo se relaciona entre si é correto propor que o Homem se relaciona com a Vontade, que existe uma relação entre o reino animal e nossos desejos, e entre o reino vegetal e nossos pensamentos.

Cumpre esclarecer que quando nos referimos ao Homem estamos tratando daquele que realiza seus trabalhos internos no intuito de desenvolver suas faculdades, seus dons por assim dizer, e evoluir na árvore até adentrar o Absoluto. E para fins didáticos diferenciamos o Homem com a letra “H” agá maiúscula do “h” agá minúsculo que se refere aquela pessoa comum e corrente que não realizam trabalhos internos, não tem palavra, responsabilidades, não enxerga o próximo, que utilizam das entidades, escolas de mistérios, manipula as baixas energias para fins próprios em prejuízo dos demais, etc. etc. etc.

Para estes as portas da espiritualidade evolutiva, os mundos superiores estão trancados a sete chaves e guardadas por dois guardiões portadores de poderosas espadas. Somente a porta do abismo lhes são abertas, por isto os Gênios de cima não atendem seus pedidos e retiram a pouca fé que ainda possam possuir, manipulam as energias ao revez do solicitado quando são importunados pela presença desagradável.

Cabe esclarecer aqui já que estamos tratando de MANAKEL que fui as imagens pelas vias de Binah.

Mas prosseguindo, se a nossa flora interna é composta por belas paisagens, com flores e árvores frutíferas, isso significará que os nossos pensamentos são harmoniosos, belos, úteis, bondosos. Em contrapartida, se o nosso cenário interno está cheio de urtigas, de arbustos espinhosos e sem fruto, significa que as nossas idéias são agressivas, selvagens, estéreis.

No que tange a paisagem externa, mais uma vez voltamos a questão: O exterior é o reflexo de nosso interior. Assim, a composição da paisagem em que vivemos vai nos dar uma idéia da qualidade de nossa flora interna, de modo que uma mudança de Vontade, sentimentos e ideias, nos levará a uma mudança de domicílio. Uma mudança interna pode trazer um rebuliço em nossa vida para o bem ou para o mal.

Se evoluímos e estamos trabalhando, morando em um local que esteja em desacordo com nosso interior os acontecimentos de algum modo podem mexer com tudo em nossa existência, seja família, emprego, amigos, local de trabalho, etc., então saímos do emprego, somos transferidos, nos aposentamos, etc., e podemos inclusive mudar de cidade, estado, pais. Para saber se o resultado foi positivo ou negativo, se o que se exteriorizou foi algo bom ou ruim basta olharmos nossa nova paisagem externa.

Os animais que vivem nas aguas referem-se os nossos sentimentos e referem-se as energias luciferianas – os nossos instintos sexuais. Todas estas pulsações atuam sobre nossa natureza emotiva. MANAKEL os auxilia a manter nossas aguas limpas destes animais já que limpa de nossa psique as imagens que não estejam de acordo com as Leis Cósmicas. Nos libera as representações mentais.

1.7.4    Conseguir a amizade e a bondade de gente de bem.

A pessoa nascida sob essa influência reunirá todas as belas qualidades do corpo e da alma, granjeará a amizade e a benevolência de todas as pessoas de bem, em virtude de sua amabilidade e doçura de caráter.

Conseguir a amizade de pessoas de bem é a quarta fase da eliminação da cólera de Deus, os frutos do fim da violação das regras naturais, de atuarmos ao revés. Se Deus é o primeiro na sequência יהוה – “Yod-He-Vô-He” o outro representará a fase do segundo “He”, como consequência do primeiro em sua evolução. Ao seguirmos as regras cósmicas tudo se encaminhará no mesmo sentido pela Lei de Afinidade vibratória e encontraremos o outro com base naquilo que carregamos em nosso interior. As imagens que projetaremos (quanto mais neste ponto, que se refere a exteriorização pelas vias de Binah), serão de verdade, de respeito, consciência do Bem e do Mal, e, portanto, com o “jugo brando e a carga leve”.

 

Outros Gênios trabalham com a amizade:

  1. 2->2 HAZIEL: A amizade e os favores dos grandes;
  2. 2->6 IEZALEL: Além dos interesses comuns, sincronicidade de princípios, idéias, contemplação do universo e suas Leis;
  3. 3->2 LAUVIAH: Retorno, reencontro de antigos amigos, afetos, etc.;
  4. 5->6 HAAMIAH: Proporciona o reencontro com a alma gêmea: material e espiritual;

48 6->9 MIHAEL: Amizades com pessoas diferentes de nós que nos levarão a novas experiências;

  1. 8->6 UMABEL: Nos auxilia a encontrar amigos, pessoas que pensem como nós, inclusive o grande amigo;
  2. 9->3 MANAKEL: Amizades de bem, conscientes do Bem e do Mal.

1.7.5    Protege contra as más qualidades físicas e morais.

A pessoa nascida sob essa influência reunirá todas as belas qualidades do corpo e da alma.

Como já explanamos o bom funcionamento dos órgãos dependem dos trabalhos, dos obreiros que atuam em nosso organismo, quando todos trabalham sem paralizações, folgas, etc., de outro lado tudo caminha bem quando os impulsos seguidos vêm do alto, seguindo o fluxo natural das coisas.

Adentramos então ao velho adágio latino, derivada da Sátira X do poeta romano Juvenal: “Mens sana in corpore sano” mas cuja verdade primeira será evidenciada em seu contrário “Corpore sano in mens sana”, eis que no processo de criação tudo vem de cima para baixo, de dentro para fora, assim, a mente doentia pode sabotar as funções orgânicas. Contudo é claro que um corpo são auxilia a mente em seu trabalho já que a enfermidade e a dor são como que distrações para a mente.

“Orandum est ut sit mens sana in corpore sano.

fortem posce animum mortis terrore carentem,

qui spatium uitae extremum inter munera ponat

naturae, qui ferre queat quoscumque labores,

nesciat irasci, cupiat nihil et potiores

Herculis aerumnas credat saeuosque labores

et uenere et cenis et pluma Sardanapalli.

monstro quod ipse tibi possis dare; semita certe

tranquillae per uirtutem patet unica uitae.”

“Deve-se pedir em oração que a mente seja sã num corpo são.

Peça uma alma corajosa que careça do temor da morte,

que ponha a longevidade em último lugar entre as bênçãos da natureza,

que suporte qualquer tipo de labores,

desconheça a ira, nada cobice e creia mais

nos labores selvagens de Hércules do que

nas satisfações, nos banquetes e camas de plumas de um rei oriental.

Revelarei aquilo que podes dar a ti próprio;

Certamente, o único caminho de uma vida tranquila passa pela virtude. ”

 

O retorno a Lei, cuja violação faz com que a cólera divina se expresse em Geburah, já não tem objeto, e com isto, imediatamente, cessa a desordem em nosso organismo quanto, então, os males são curados podendo o indivíduo reunir todas as belas qualidades do corpo e da alma.

As boas qualidades da alma obtêm-se quando os impulsos internos procedem do alto e não das inversões dos valores, dos procedimentos que vem de baixo. A Lei de Afinidade Vibratória atua em toda nossa vida, de existência em existência e quando nos atentamos e atender aos impulsos de nosso Real Ser esta Lei nos colocará em contato com pessoas que também atendam a estes impulsos, pessoas de bem, que nos auxiliarão em nossa jornada e é claro que também haveremos de auxiliá-los pois em tudo deve haver o equilíbrio e todos conseguiremos realizar nossos programas, nosso destino com larguesa, facilidade.

A docilidade de caráter aparecerá quando já não haja mais conflitos internos. Quando atuamos no exterior sem contradições de pensamentos, sentimentos e desejos que enfraquecem a Vontades, ou seja, quando nossas pulsações interiores avançam em uma direção única sob as determinações de nosso Ser Divino.

As imagens saturninas projetadas por MANAKEL nos conduzem à situações estáveis, nos torna ponderados, equânimes, modestos, ágeis, simpático a todos, já que não verão nele um concorrente, mas o que secunda, subscreve, auxilia, favorece e é capaz de manter todas as coisas.

As pessoas influenciadas por MANAKEL são de aspirações modestas, que apreciam ser úteis. São bons administradores, sensíveis, de bom conselho, que não faltarão nunca a suas obrigações, nem em relação à sua família, ou a seus chefes, nem as leis. Podem ser um especialista em leis, um jurisconsulto, e se o resto de seu tema anuncia, poderá chegar a ser juiz, legislador, mas não por ambição e sim por rigoroso escalão ou por circunstâncias.

O lado negativo da força

O gênio contrário influi sobre todas as más qualidades físicas e morais. Impedira que o programa de cima se imprima adequadamente de modo que a Lei obedecida não serão as de cima, mas as mundanas que os homens fantasiam de modo que as más qualidades morais serão refletidas, adicionas as físicas que por sua vez darão vez o homem enfermo.

No abismo, a noção de regras desaparece. Os chamados magos negros, designação daqueles que atuam na contramão das Leis Cósmicas, violam o livre arbítrio, rendem culto ao ego, onde a única regra que existe é a do gozo material: o que produz um gozo é bom e o que causa dor é ruim.

O Mago Branco diz, façamos a vontade do Pai, de nosso Ser Interno, de nosso Real Ser onde se encontra nossa identidade verdadeira, nosso âmago, cerne, aquilo que somos realmente, o mais puro e verdadeiro que há em nós, mesmo que ainda não tenhamos a consciência, o entendimento do que seja, mas queremos saber, termos a consciência e chegarmos a Unidade.

O mago negro diz, faça a tua vontade. Mas como desconhece o “Ser” não trata da Vontade, mas dos desejos. Então ao invés de fazer a vontade de seu Logos Interno, que não compreende e por vezes sequer sabe de sua existência, realiza os desejos do ego, do mim mesmo. E assim pode prosseguir até que sua consciência se reduza a nada ao ponto de tornar-se uma casa vazia, onde já não habita mais uma alma, consciência, mas somente o ego e seus desejos.

Esta forma energética vai se robustecendo e pode ter vida por séculos, milénios, Nos casos em que não sobra mais uma faísca de alma o Real Ser entra em processo de auto destruição para começar tudo do zero então ocorre a chamada segunda morte sob imensa dor.

Porquanto ainda exista, fagulhas de essência e haja créditos existenciais, voltamos ao plano físico, agora em retorno de ação e reação onde somos colocados de frente com o resultado de nossos desejos, nossa reverência ao ego em tempos idos.

Buscar o prazer e fugir da dor, de nossas responsabilidades. Quando isto ocorre devemos ficar alertas já que a natureza está nos alertando sobre algo que não está funcionando como deveria. O indivíduo que trabalha com as energias degradadas de MANAKEL, não tardará em ver a paralisação, a atuação dos trabalhadores internos com a correspondente perda da saúde.

Andará desorientada, sem seguir as regras, inclusive negando a sua existência prosseguirá em um mundo sem princípios, sem valores, procurando prazeres, dinheiro, consideração social, em razão da Lei de Afinidade Vibratória fará amizade com as pessoas malévolas, o seu caráter azedará, até que um dia, estando no fundo do poço se de conta que algo deve mudar em sua vida e então volte a receber o dom do Conhecimento do Bem e do Mal, e posse a aplicar a norma sobre si mesmo adequando seu comportamento de modo que as energias superiores venham adentrar novamente em sua vida.

Cabe frisar neste ponto que a mudança no modo de pensar, sentir e agir, esta mudança de comportamento, esta iniciativa, põe em partida, “start”, todo um conjunto de forças em movimento – o Restart Ketheriano. Ocorre que quando iniciamos uma obra, algo, quando temos um filho todo o processo criativo retorna ao começo e movimenta a energia, os dons das oito séfira e, neste ponto, temos a oportunidade de mudar radicalmente a orientação da nossa vida para seguirmos em frente por um rumo melhor, ascendente.

Cabe ainda explanar ainda que neste ponto nos deparamos com o oposto da imagem verdadeira, ou seja, a imagem falsa, fabricada, em razão de estratégias, no intuito de transformar o mau em bom como pode ser evidenciado pela imensa maioria dos marqueteiros, seja em produtos, serviços, imagem de políticos, etc. Estes operários do abismo também são responsáveis pelo poder que concedem a indivíduos de má índole, são co-autores em seus atos já que utilizaram a faculdades de sua essência com vistas ao mal, portanto, respondem conjuntamente. A maior prova disto é que mesmo no mundo de Malkuth já acabam relacionados a transgressores, mesmo que respondam tangencialmente perante a Justiça. Isto ocorre porque há ligações energéticas entre as causas e consequências finais relativos aos atos praticados por aqueles que auxiliaram.

A imagem falsa fabricada é amplamente divulgada nos meios televisivos, eis que a transmissão destas ocorrem de modo análogo ao que é feito em Yesod. As novelas, filmes, programas diversos invertem a ordem de Binah, no espetáculo passivo, onde ocorre a entrada das estampas, a mente se torna passiva, os sentimentos abundam e a Vontade desfalece em desejos.

Tudo é preparado para o desmonte do indivíduo que adere a ideologia deletérica proposta. A homossexualidade, que obviamente trata-se de um dissenso que contraria todos os pressupostos energéticos, da física, química, espirituais, etc., praticamente é imposta como valor social de modo que quem não adere estará isolado, fora do senso comum e tratado até como criminoso podendo sobrevir ao próprio direito de expressão e de crença.

O chamado politicamente correto passa a ser utilizado para a implantação do incorreto, do degradante. E neste ponto mais uma vez frisamos que a cabala não condena o homossexual, que possui a essência divina como qualquer outra pessoa, nem intenta contra o mesmo, apenas, quando autorizada trabalha para produzir liberação psíquica e, assim permitir, sua evolução pelos ditames do processo natural, refere-se, portanto, a uma mudança de consciência que se reflete em todo o resto. A figura do Cristo nos induz sempre a amar o pecador e rechaçar o pecado – entenda-se por pecado o que viola o ordenamento cósmico – não se trata, portanto, de questões atendentes ao tempo e espaço, muito menos de dogmas, crenças sem fundamentos.

Importa que neste espaço nos recordemos de como o nazismo foi implantado pela propaganda. Inicialmente a imagem de Jesus foi exposta com semblante ariano, louro, olhos azuis, cabeça alongada, tudo muito Lombrosiano (Cesare Lombroso 1835-1909) com suas progressões em face a ideologia do momento. Posteriormente a imagem de Hitler se instala, ele mesmo como messias, sua imagem passa a estar presente em todos os lugares públicos, películas, etc. Instauram-se ritos com símbolos sem que a própria população se dar conta do que se sucede e termina por aderir sem perceber o sentido de tudo aquilo – apenas miram as imagens, os sentimentos são trabalhados e a Vontade cada vez mais enfraquecida até o ponto de ser substituída pelos desejos, pelo ego; a mente não trabalha mais em sua função amortecedora entre o que está em cima e o que está em baixo não se realiza. Pronto, temos uma sociedade doutrinada para fazer o que o seu ditador desejar sem qualquer questionamento, inclusive morrer pela causa sem pestanejar.

As religiões de morte, fanáticas, que espoliam seus seguidores, etc. utilizam-se do mesmo processo. Inicialmente proclamam algumas verdades consentidas universalmente ou inquestionáveis, concomitantemente faz-se o processo de propaganda a medida em que se colocam outras “verdades” questionáveis, mas como já tenha se instalado um processo de sedimentação não se questionam estas outras “verdades” e nem seus líderes. Pronto, agora está instalado um exército anencefálico, um pelotão de escravos para se fazer o que bem entender sem que haja qualquer questionamento.


1.8        Escrituras

“S. 38:20 (37-21) Et qui reddunt malum pro bono adversabantur mihi quia sequebar bonum.

Permaneças comigo, ó Eterno, meu Deus, esteja perto de mim. Me ampare. ”

1.9        Oração

“MANAKEL: Deus que secunda e mantém todas as coisas.

MANAKEL: Senhor, que possuís a força

que transmuta as trevas em pura luz,

ajude-me a sair da escuridão.

“Permita-me evadir-me das situações estacionárias

e livra-me de meus apegos materiais.

Ajude-me a descobrir, Oh Senhor!,

o que há de transcendente em minha própria alma.

Que Deus se mostre benigno com o vosso servidor e cure os meus males.

Ajude-me a ser generoso e bondoso,

Desperte a minha intuição para compreender as mensagens que me envias em sonhos,

e permita que possa despojar-me de minhas más qualidades,

tanto as físicas como as morais”.

 

1.10    Exortação

Hás de saber, peregrino,

Que a matéria é um disfarce com que se veste a energia.

No interior de qualquer receptáculo material, ficar outra vida, secreta, oculta,

que contém a semente de futuros universos.

A minha função, peregrino, é colocar em tensão os órgãos de seu corpo,

para que esse esperma gerador possa sair de ti e possas gerar com ele novos mundos.

Por meu intermédio hás de realizar as experiências da terra e dos céus;

conheceras os prazeres contidos na fruta tenra e os que produzem na alma a ambrosia.

Saberá decifrar os sonhos e entender as limitações dos estados materiais.

Tua mente será ampla e nela caberão os conhecimentos

que encerra a coluna da esquerda

e a inspiração contida na coluna da direita.

Saberás, peregrino, o que é o Bem e o que é Mal”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s