6. 1->6: LELAHEL


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 1 – Serafins
Príncipe: Mettraton
Mundo do coro: 1 – Atziluth, Mundo das Emanações, Arquétipo, espírito – elemento Fogo
Signo: Aries
Elemento zodiacal: Fogo
Relação/elementos: Fogo do Fogo atuando sobre o Ar da Agua.
Relação/mundos: “Yod” do Mundo de Atziluth sobre o “Vô” do Mundo de Briah.
Velas:  Branca em cima e duas amarelas em baixo.
Incenso: [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera].
Letras: Lamed – Lamed – Heh – Aleph – Lamed
Gemátria: 30+30+5+1+30 = 96 = 9 + 6 = 15 = 1 + 5 = 6
Arco:  26º a 30º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 25 a 30° de Aries ou 15 a 20 de Abril.
Invocação por rotação: de 5 a 6 de Aries: “Yod” ou 26 de Março;

de 17 a 18 de Gêmeos: “He” ou 8 de Junho;

de 29 a 30 de Leão: “Vô” ou 22 e 23 de Agosto;

de 11 a 12 de Escorpião: 2º “He” ou 4 de Novembro;

de 23 a 24 de Capricórnio ou 14 de Janeiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   das 1:40 a 2:00 h a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando o sol se encontra se encontra em um dos graus de Kether, ou seja, entre 0º a 1º, de 10º a 11º e de 20º de qualquer signo.
Atributo: Deus louvável.
Nome da essência: LUZ.
Nome da Força: Vontade harmonizadora.
Forças em ação: A força de Kether que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Tiphereth.
Sendero: 13, que une Kether a Tiphereth em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco.

1.2        Palavras chaves:

LUZ, paz CURA (cromoterapia e consciência), iluminação, FORTUNA, amor, RENOME, ciência, artes, PROSPERIDADE, – Afã de viver em PAZ.

(-) AMBIÇÃO, cobiça, meios ilícitos, trapaça, DINHEIRO SUJO, vontade de ignorância, vontade sinistra de gozo.

1.3        Movimentação Sephiroth: As na sexta posição.

Neste ponto Kether passa a atuar em Tiphereth, ou seja, a Vontade se libera da servidão dos desejos, das emoções, próprios do Mundo de Briah e caminha rumo as realizações intelectuais. A Coroa manifesta seus fluxos mediante ao amor, por faze-lo em seu “He” natural, i.e., Tiphereth, assim, trabalham juntas a intuição e as emoções superiores. Proporciona que a Vontade se manifeste em um universo equilibrado, resultante da expressão dos centros acima já que Tiphereth atua como um centro de equilíbrio, sabedoria, prudência de todas estas forças emanadas até então.

Como resultado material nos depararemos com o juiz, o sábio, conselheiro todos quantos manifestem esta luz equilibrada que dará origem a um novo universo.

 1.4        Arcano – Mundo: Seis de paus mundo de Atziluth.

Recebe o título de Senhor da Vitória. Refere-se ao elemento Fogo e astrologicamente corresponde a posição do Sol transitando pelo terceiro decanato de Leão onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Júpiter.

Neste ponto, Kether o primeiro ponto de partida na Arvore e no zodíaco, o centro produtor de iniciativas, a essência divina, expressa-se por intermédio de Tiphereth, a séfira que transmite mais LUZ que qualquer outra, responsável pela consciência, que tudo harmoniza, e pela manifestação da Vontade de Kether a nível prático. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Hesed, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Aqui a força “Vô” impulsa o desenvolvimento exuberante da planta – neste momento em que sai da terra e se desenvolve. Então temos a frutificação de Hesed no paraíso de Tiphereth, o Jardim das Hespérides.

Sabemos que em Hesed tudo se desenvolve indistintamente, sem restrições e que, em um futuro, termina por acarretar a intervenção de Geburah. Contudo, como Tiphereth exerce a função de “Vô”, como Binah, este mesmo mecanismo de restrição elimina a necessidade da atuação de Geburah, o que significa um grande prenúncio de vitória equilibrada e justa. Dessarte, esta força equilibrante atua de forma definitiva sobre a Lei primordial trazendo a paz e a unidade perdida.

Quanto o seis de paus se manifesta no mundo de Atziluth temos que a força da Vontade se manifesta de modo equilibrante desde o ponto das emanações onde a força inicial não encontra oposições porque não há nada que a anteceda ou haja podido se organizar anteriormente para criar obstáculos.

1.5       Virtudes concedidas:

1º.- Cura das enfermidades

2º.- Iluminação espiritual

3º.- Renome e fortuna nas ciências e nas artes

4º.- O amor de uma pessoa afortunada

5º.- Proteção contra a ambição desmensurada e a cobiça.

1.6        Descrição Sephiroth:

LELAHEL é o sexto da 1º ordem de anjos denominado como Coro dos Serafins, situa-se na morada filosofal de número 6, rege o sendeiro 13, que une Kether a Tiphereth em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Kether o primeiro ponto de partida na Arvore e no zodíaco, o centro produtor de iniciativas, a essência divina e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Tiphereth, a séfira que transmite mais LUZ que qualquer outra, responsável pela consciência, que tudo harmoniza, e pela manifestação da Vontade de Kether a nível prático; “Yod” do Mundo de Atziluth sobre o “Vô” do Mundo de Briah, Fogo do Fogo atuando sobre o Ar da Agua. Assim, nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada LUZ, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que nos auxilia e entender, compreender as coisas, desenvolver, despertar a nossa consciência pela sua utilização, colocando-a em atividade. Trata-se de uma força de Vontade harmonizadora, que nos permite a valorizar o que é certo e o que não está correto em suas atuações, uma vez que providencia que tudo anteceda ao crivo da consciência representado pelo Sol, e conduz o viver em PAZ, o brilhar, o refletir das energias que emanam do alto cujo resultado manifesto configura-se em o seu enaltecimento. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominada Deus louvável.

Aqui temos a ação de Kether, a coroa do triângulo logoico, atuando sobre Tiphereth o “Vô” do triângulo ético. O triângulo ético é um espelhamento do triangulo logoico então vemos a harmonia da vontade suprema, o seu reflexo em um pano mais abaixo denotando a unidade e harmonia de desígnios.

De outro lado Tiphereth se comunica com todas as séfiras e, sendo o reflexo da vontade do Pai: a transmite para todos.

“Mateus 23:9. E a ninguém na terra chameis vosso pai, porque há um que é o vosso pai, e Ele está nos céus.”

De igual modo recebe desígnios em particular. No que tange ao triângulo logoico, inicialmente, percebe diretamente a vontade do Kether o que nos remete a passagem que afirma: Quem viu ao Pai, viu a Mim”; posteriormente possui ligações diretas com Hochmah pelas vias do sendeiro número cinco e pelo fato de Hochmah ser o “He” de Atziluth e Tiphereth estar em Briah, o “He” dos mundos, ou ainda por ser o “He” da coluna do equilíbrio. E do mesmo modo possui ligações com Hesed como “He” do pilar da misericórdia e com Geburah por ser o “He” do pilar da severidade.

De outro ponto vemos que Tiphereth estando na posição “Vô” de Briah é um emanador das energias de Binah.

Percebemos que Tiphereth é uma séfira de excepcional harmonia e em LELAHEL esta harmonia se destaca em atender a vontade de Kether.

Esta sexta morada, em meio a tanta harmonia, recebe o nome de LUZ. Vale lembrar, que no antigo Egito, na cidade de Luxor (luz), havia em templo dedicado ao Sol (Amon-Ra) símbolo material de Tiphereth, o Cristo.

Analisando as estátuas percebemos que em seus rituais cruzavam o braço direito sobre o esquerdo formando a estrela de cinco pontas em seu aspecto positivo.

As forças abismais são invocadas fazendo-se a posição ao contrário, ou seja, colocando-se o braço esquerdo sobre o direito ou juntando-se a palma da mão ao ombro – desta forma a estrela fica invertida.

No Gênesis percebemos que a LUZ provém de Kether. Então a essência chamada LUZ nos permite entender, compreender as coisas desde um ponto de vista superior já que estamos tratando do mundo das emanações e criação.

Se analisarmos o Gênesis, perceberemos que o sol foi criado no quarto dia (Gênesis 1:16), ao passo que a LUZ no primeiro (Gênesis 1:3). Tal explicação só se consubstancia a luz das iniciações espirituais, eis que o quarto chacra ligado ao corpo causal, o Manas inferior está associado Tiphereth.

Possuímos em nossos corpos sete centros básicos de energia que na cultura ocidental estão simbolizadas pelas sete igrejas constantes no apocalipse a saber:

  • Muladhara (Igreja de Éfeso ou Básico)

Situado na região compreendida entre os genitais e o ânus, e sua raiz fica na ponta da espinha dorsal. Conecta-nos ao elemento Terra e com o tattwa Pritivi.

  • Swadhishtana (Igreja de Smirna, Prostático; chamado de uterino, nas mulheres)

Situa-se a quatro dedos acima dos órgãos sexuais, no púbis. Com ele trabalhamos o Tattwa Apas, com os elementais das águas;

  • Manipula (Igreja de Pérgamo ou Solar):

Está situada no plexo solar e com ela trabalhamos o tattwa Tejas que corresponde ao elemento ígneo;

  • Anahát (Igreja de Tiatira, Cárdias):

Trata-se do chacra cardíaco, por nos ligar aos elementais do Ar, por conseguinte com o tattwa Vaio;

Cabe lembrar aqui da existência dos 10 sons Anahat, a “Voz de Brahama”, esse som que entoa como o canto do grilo, o silvo da serpente e que possibilitam as saídas astrais conscientes. Basta adormecer vocalizando a letra S, como um silvo suave e aprazível: SSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS, e assim, com a vocalização desta letra, fará ressoar em seu cérebro a “Sutil Voz”, o “Som Anahat”, a Vontade, que o permitirá sair conscientemente em corpo astral.

  • Vishudda (Igreja de Sárdis)
  • Ajna (igreja de Filadélfia) sede do terceiro olho e
  • Sahásrara (igreja de Laodicéia)

Estes três últimos situam-se na região Laríngea, Frontal e Coronário (coroa, cabeça). Seu despertar nos põe em contato com a Loja Branca Atômica de nosso Ser cuja representação física situa-se no cérebro. Esses três chacras sagrados têm sob sua influência outros, como o do cerebelo, o “chacra oculto” de Daat.

O ponto que nos interessa no momento é o Sol, criado no quarto dia, refere-se a Tiphereth, cujo centro energético encontra-se no plexo solar no chacra Manipula (Igreja de Pérgamo ou Solar).

Este centro está ligado ao mundo causal, ou seja, o mundo das causas naturais, situado na 6º dimensão, o que significa que todo o fluxo de consciência que se projeta para baixo tem o seu lançamento, sua origem, deste ponto onde a LUZ criada no primeiro dia tem sua primeira exteriorização, como criação de Tiphereth, que projeta o mundo arquitetado por Binah em uma manifestação solar, i. e., pelo SOL.

A Cosmogonia de Fabre D’Olivet trata de passagem da consciência da obscuridade (força compressiva, rígida) para a Luz (elementização, reunião de elementos inteligíveis, liberdade). Cabe ressaltar que a palavra LUZ em hebraico é uma derivação da palavra fogo. Elemento relacionado ao chacra em questão.

Então podemos concluir que LUX está relacionado a consciência, alma, fogo, energia que por sua vez tem seu jorro inteligível a partir de Tiphereth.

É sabido que os magos negros, os que utilizam as forças da criação de forma negativa, destrutiva, violando as regras do próprio funcionamento do universo, tem acesso apenas até o mundo astral e mental inferior, daí que não conseguirem atingir quem se eleva espiritualmente e com as forças emanadas devem ter seu curso acaba voltando a via originária causando o dano em quem a produziu.

Os videntes comuns raramente chegam a ver além dos mundos astral e mental, por isto suas visões referem-se a realidades mais imediatas, enquanto as do mundo causal a visão é muito mais distante. É onde espreitam os grandes profetas cujas predições são objeto de risos e são recachadas pelos de pouca visão, mas que se cumprem se não forem observados seus avisos – é claro que, quando podem ser evitadas.

O mundo causal é privilégio das grandes almas. É a região do conhecimento causal, do nirvana. São necessários duros trabalhos evolutivos para se chegar a este plano.

A LUZ que obscurece em “Vô” Binah, agora resplandece em “Vô” Tiphereth porque o um e positivo e o dois negativos e a alternância faz parte do ciclo da criação.

Ao analisarmos o Arcano solar 19 (Sol) perceberemos que Qof é um Alef em estado “Vô”, senão vejamos:

Temos que Alef = 1 em estado “Yod”

10 = 1 + 0 => Alef em estado “He”

19 = 1 + 9 =10; => 1 + 0=1 => Alef em estado “Vô” resultado de 3 decomposições. Trata-se, portanto, de uma energia solar ligada a Tiphereth.

Percebemos aqui que a junção das forças Kether-Tiphereth produz uma necessidade de harmonia tão forte que ultrapassa as próprias necessidades individuais e expressa um desejo de viver em paz com todo mundo e mais que isto que o outro também se liberte e seja feliz.

Como estamos tratando das energias de Kether-Tiphereth, é fácil concluir que o afã de viver em paz com todos não se trata de um estado pacífico, mas um fazer aos demais o que deseja que lhes façam, o que pressupõe a atividade, o impulso de Kether.

“Mateus 7:12 Portanto, tudo o que vós quereis que os homens vos façam, fazei-lhos também vós assim, porque esta é a lei e os profetas.”

Este desejo de harmonia faz com que as pessoas façam concessões umas com as outras, uma abdicação de benefícios próprios em favor do outro. Uma pré-disposição a dar a cada um o que se pede.

“Mateus 5:40 e ao que quiser pleitear contigo e tirar-te a vestimenta, [túnica] larga-lhe também a capa;

Mateus 5:41 e, se qualquer te obrigar a caminhar uma légua, [milha] vai com ele duas.

Mateus 5:42 Dá a quem te pedir; e não te desvies[afastes] daquele que quiser que lhe emprestes.”

 

Outros Gênios que nos auxiliam a viver em paz:

  1. 1->2 JELIEL: Restabelece a paz entre esposos pela união da Vontade e Amor-sabedoria;
  2. 1->5 MAHASIAH: Pela retificação dos erros e sincronicidade com os desígnios divinos;
  3. 1->6 LELAHEL: Paz fruto da Vontade harmoniosa, pacífica e consciente;
  4. 4->2 NITH-HAIAH: Paz da solidão para alcançar a verdade e a sabedoria;
  5. 4->4 YERATHEL: Paz em ambiente justo e homens sábios;
  6. 5->3 LEHAHIAH: Paz entre os governantes – sem guerras. Guerra contra os desejos;
  7. 5->4 CHAVAKIAH: Paz e harmonia nas famílias e com todos, reconciliação com o passado;
  8. 5->7 HAAMIAH: Viver em Paz com a sociedade, proteção espiritual;
  9. 5->9 IEIAZEL: Para que os inimigos nos deixem em paz em razão de uma Nova Realidade;
  10. 6->4 VEULIAH: Paz mediante a guerra para retirada do usurpador e, pelo perfeito ordenamento natural das coisas na dinâmica יהוה;
  11. 6->5 YLAHIAH: Disposição para a paz com inimigos que fomos injustos;
  12. 6->9 MIHAEL: Paz e harmonia entre esposos;
  13. 8->7 IAH-HEL: Tranquilidade e solidão para alcançar a sabedoria;
  14. 9->8 HAIAIEL: Destruição da babilónia interna e externa, paz para quem está em guerra.

1.7       Das virtudes concedidas:

1.7.1    Cura das enfermidades

Como estamos tratando da LUZ, é fácil concluir que LELAHEL promove a cura pela cromoterapia, fazendo com que cada um dos milhares de chacras receba a frequência energética terapica que lhe corresponde.

Onde a LUZ se manifesta as trevas se dissipam.

 

João 1:5 “e… a luz resplandece nas trevas, e as trevas não a alcançou.”

 

A doença, o medo, é ausência de LUZ, de energia, que no corpo reflete o caos, o desequilibro, a desordem das células que resulta na doença.

Mesmo a LUZ artificial tem sua utilidade a noite já que mantem afastado o batalhão das sombras de nosso subconsciente que nada mais é do que o reflexo, o espelhamento do que ocorre em outros planos, mas agora passando pelo diáfano da glândula pineal, ou epífise tida como a sede da alma. Esta LUZ que penetra pela retina, que é sensível à luz, serve de anteparo para as imagens que posteriormente são levadas pelos nossos nervos óticos até o cérebro e posteriormente à glândula espiritual, refletem em caminho inverso ao nosso subconsciente e daí para os diversos planos que se manifesta como um raio fulminante.

A LUZ curativa procede diretamente de Kether em um raio direto que passa pelo sendeiro de número 13, representado pelo arcano 3 que que está ligado as propriedades de Binah constituidor do universo que mantém ainda a ordem no corpo físico, mas agora em um fluxo direto de Kether e com toda a bondade e harmonia relativa a Tiphereth conjuntamente às fontes Sol – Lua emanando a alma Crística – temos dessarte a operabilidade do sexto raio.

LALAHEL sendo um portador de LUZ nos ilumina a fim de que tomemos consciência das atitudes que tem bloqueada ou desarmonizadas as energias que originaram a enfermidade. Neste sentido, procede a cura dos males físicos, emocionais e mentais.

A cromoterapia utilizada para cura das doenças não é só a da luz artificial. Em uma operação de cura pode-se invocar estas cores vindas de Kether, passando por Tiphereth para dinamizar a força Crística e posteriormente dirigi-la para o órgão doente.

Pode ser emanada a energia pela imposição de mãos, muito utilizada pelos Egípcios, Roma antiga, Grécia. Ou ainda imagine uma esfera na mão esquerda (mão que recebe – simbolizando Kether – pode-se segurar um cristal esférico na mão), que capte as energias do plano superior como indicado e posteriormente esta energia se dirige para a mão direita (mão que dá) e daí para o órgão a ser sanado o reconstruído. Fixe a cor no órgão até que consiga ver toda a cor tomando conta do órgão. Visto isto a operação pode ser concluída.

Na imagem ao vemos um sacerdote a esquerda captando as energias do alto – perceba a esfera no alto de sua cabeça e ao fato de que suas mãos estão em ato de receber. Uma pessoa no meio de dois sacerdotes que destilam a energia em direção ao do meio. Do lado direito Hórus e do lado esquerdo provavelmente Hermanubs. Ambos apontam com suas mãos o símbolo sacerdotal e condutor de energia composto dos dedos polegar, médio e anular esticados formando o pentagrama, a estrela de cinco pontas. A frente da mão de Hórus vemos o símbolo das energias cristificadas – a ansata egípcia. Os três estão de mãos dadas (lembre-se sempre que a esquerda recebe e a direita dá) indicando uma força em cadeia cujos dois polos apontam para aquele que está no meio, fecha-se assim um circuito energético.

Fique atento ao que vê e sente internamente durante a prática, pois como o Médico está se ligando energeticamente ao paciente, verá e sentira o que ocorre com o mesmo e com o órgão a ser trabalhado.

Lembre-se sempre de baixar as energias do alto ao invés de utilizar as suas para não ficar esgotado. É claro que as energias que fluem pelo organismo do Médico o beneficiam também.

Pode-se curar desta forma as pessoas mesmo sem que elas saibam e sem que sejam tocadas fisicamente. As energias de Tiphereth são as do mais puro amor.

Vejamos algumas cores e seus efeitos internos e externos:

1.7.1.1 Cor verde:

O verde encontra-se em toda natureza, é a cor da fotossíntese, ou seja, a cristalização física dos raios solares. Na baba da babosa encontramos um dos substratos mais perfeitos deste processo, aliás, muito bom par as doenças de pele, pois absorve o excesso de elemento fogo. Na natureza tudo se desenvolve mediante os raios solares que também tem conexão com o elemento fogo. É a cor do verão, carregado de energia vital. Sua utilização é praticamente universal.

Serve para regeneração e recuperação das células, órgãos, tecidos, infecções, antissepsia, regular o fluxo menstrual quando atrasado.

1.7.1.2 Cor azul

Está ligada ao elemento ar, a primavera. Possui propriedades calmantes, sedantes, algumas pessoas utilizam esta cor para as mesmas situações da cor verde. Esta cor tem muita relação com Hesed, daí sua função tranquilizadora.

Pode-se utiliza para insónia.

Evite utilizar esta cor em pessoas depressivas, aliás, neste caso ainda, afaste-as ainda de cores escuras tendentes ao negro. Isto vale dizer a roupas, moveis, etc.

1.7.1.3 Cor amarela:

A cor amarela tem muita correspondência com o estado mental, com a mente. É favorável para utilização em salas de meditação.

No corpo físico sua cor está diretamente relacionada ao caroteno, portanto tem muita relação na cura com as doenças de pele.

1.7.1.4 Cor vermelha

Trata-se de uma cor repleta de energia e vitalidade e atua beneficamente neste sentido. Também tem relação com o elemento fogo, com o verão. Esta cor pode ser utilizada no auxílio de pessoas depressivas, anêmicas e toda doença que denote falta de energia. Auxilia ainda no fluxo sanguíneo e pode também ser utilizada para a regularização do fluxo menstrual.

1.7.1.5 Cor violeta:

Trata-se de uma cor fria de uma frequência bastante elevada que nos permite fazer boas viagens mentais a planos superiores de consciência.

Auxilia na cura das dores de cabeça e enxaquecas. Neste caso pode-se utilizar como auxiliar a pedra ametista para a cura caso seja por falta de sincronia entre o corpo físico e astral. Adormeça e ao acordar estará curada.

Caso persista utilize a turmalina negra pois o problema e inverso.

Outras cores podem ainda ser utilizadas. Solicite orientação ao Gênio, lembre-se inclusive de invoca-lo nas operações.

Outros Gênios trabalham pela cura em operações diversas, assim em resumo temos:

  1. 1->6 LELAHEL: cura pela cromoterapia e consciência dos atos danosos;
  2. 3->8 MELAHEL: cura mediante utilização das plantas medicinais, energias, cirurgias, pesquisas;
  3. 4->7 OMAEL: Cura o efeito das doenças pelos medicamentos;
  4. 5->8 REHAEL: Cura de doenças mentais relativa a relação Pai-filho e mantém a saúde pela maneira correta de pensar;
  5. 6->6 SEALIAH: Cura mediante o equilíbrio e a boa distribuição do sangue – o Tiphereth genuíno;
  6. 7->4 HAHASIAH: Cura pela compreensão do mal – cura a causa da doença;
  7. 8->5 MITZRAEL: Cura às enfermidades mentais, oriundas dos desejos: drogas, homossexualismo;
  8. 8->8 ANAUEL: Cura pela superação das emoções e desejos, altera-se a relação causa e efeito;
  9. 9->5 HABUHIAH: Cura eliminando hábitos nocivos – harmonia com universo – ñ vida dupla.

1.7.1     Iluminação espiritual

Tiphereth-Sol é a séfira que transmite mais LUZ na arvore da vida. Abro um parênteses para dizer que embora estejamos tratando da arvore da ciência do bem e do mal, falamos também da arvore da vida, já que as energias que saem de Kether, percorrem todas as séfiras até desaguar em Malkuth, contudo, depois de estar em Malkuth percorrem um caminho inverso  com vistas à Kether; desta forma podemos trata-la como arvore da vida também muito embora este termo refira-se mais as energias que nos elevam a categoria de Deuses quando direcionadas corretamente, o que é feito também pela utilização da consciência em obediência as normas de Yod-He-Vô-He.

Esta LUZ ilumina o entendimento que permite desenvolver nossa consciência. Cabe esclarecer que consciência é energia, alma é energia. LELALEL nos ajudará a valorar o que está bem e o que não está, o bem e o mal são colocados na balança em todas as situações passando pelo crivo da consciência nos permitindo compreender as coisas em suas medidas exatas, justas.

A LUZ equilibrada produz a PAZ que nos inclina ás altas ciências, aquelas que ultrapassam os nossos cinco sentidos em busca do oculto das coisas, então buscamos a filosofia (supra materialista, supra intelectualista), metafísica, a física quântica, a astrologia energética, o conhecimento pela concentração, pela meditação, pela osmose com tudo quanto exista, vamos as ruinas e utilizamos uma pedra como link para acessarmos os registros Akáshicos da natureza e nos acercarmos de tudo o que ocorreu ali.

1.7.2    Renome e fortuna nas ciências e nas artes

A pessoa nascida sob sua influência gostará de ser conhecida e alcançará a celebridade por seus talentos e suas ações.

Acumulando em nosso interior esta essência chamada LUZ, suscitaremos a aparição de outras faculdades. Já vimos que onde a Luz há AMOR e do mesmo modo podemos afirmar que esta mesma LUZ suscita o renome.

Quem possui a essência chamada LUZ não precisa se preocupar com o futuro, eis que será descoberto e situado em seu lugar correspondente na sociedade segundo a hierarquia de valores internos.

“Mateus 6:29 e seguintes: Atentei[Olhai] para os lírios do campo, como eles crescem; não trabalham, nem fiam.

E eu vos digo que nem mesmo[ainda] Salomão, com[em] toda a sua glória, se vestiu como um deles.

Pois, se Deus assim veste a erva do campo, que hoje é[existe] e amanhã se lança no forno, não vos vestirá muito mais a vós, homens de pouca[pequena] fé?”

 

Estamos tratando aqui da Lei de afinidade vibratória que faz com que cada um se associe quem ou com aquilo, a mesma frequência em que vibre, seja esta frequência ética, moral, de LUZ interior. As energias tendem a se equilibrarem e cada um ocupar seu devido lugar. Então a roupagem dos lírios dos campos corresponde a vestimenta que cobre sua espécie, o exterior é a expressão de sua semente, exatamente o seu nível de Ser e a fé passa a ser o conhecimento daquilo que é em sua essência e, já não havendo mais conflito ou dúvida em seu interior a cada um é dado seu lugar correspondente e se ainda não o é dado sabe com certeza o que lhe espera.

O acúmulo da essência LUZ proporciona felicidade inclusive aos que rodeiam quem a possui. Será próspero e saberá utilizar seus sentidos para tirar o máximo de proveito em abundante inspiração e as marcas anímicas de tudo quanto faça trará o selo da harmonia, do bem-estar.

Sabendo-se que LUZ significa entendimento, sua posse proporcionara o entendimento das ciências do mundo e as saberemos interpretaras com a graça e arte que Tiphereth, a sephira central que se comunica com todas as outras, nos proporciona.

Aqueles que não possuem a LUZ interior, precisam encarecidamente, aprender as ciências nas universidades para compreender as obscuridades, os subterrâneos do mundo. Mas os iluminados por LELAHEL compreendem profundamente as ciências do mundo e dominaram a arte de expressa-las.

Para os iluminados o ouro físico, falando na linguagem dos alquimistas, não é mais que uma condensação da LUZ de modo que quem a possui em seu interior acaba encontrando o ouro, ainda que por vezes tarde a chegar deixando impaciente o cliente de LELAHEL.

Se trabalharmos no entendimento, na compreensão do mundo a fortuna aparecerá em um momento ou outro porque os frutos são o resultado de uma atividade por vezes longamente desenvolvida.

A pessoa que nasce sob a influência deste Gênio amara a difusão de sua imagem em razão de seus talentos e ações e desta forma tornar-se á celebre. Mas tudo ocorrerá como uma consequência natural da evolução de sua LUZ interna.

No mais, as pessoas que carregam em si a essência chamada LUZ, em um momento ou outro sentem a necessidade de derrama-la. Contudo esta essência possui uma inteligência e uma vontade e este derramar é algo que vem da própria LUZ que se derrama por si só; então quem a possui em verdade também é possuído, em uma unidade, de forma que a vontade de difusão e algo que ultrapassa a pessoa que acredita possuir a essência enquanto de fato ambos se tornam “Um”.

Com base no que acabamos de descrever podemos compreender que este Gênio não concede amor, renome, ciência, fortuna tudo de uma vez, mas, o concede de forma escalonada e a fortuna vem por último depois dos três períodos de trabalho como tudo que é feito na ordem de Jehovah => Yod-He-Vô-He.

Outros Gênios que concedem o renome.

  1. 1-6 LELAHEL Renome nas ciências e nas artes advindas da LUZ.
  2. 2-4 LAUVIAH Renome por talento próprio.
  3. 3->7 YEIAIEL: Renome para submeter os demais e no comércio.
  4. 7->9 POYEL: Renome providencial, por meios naturais.
  5. 9->6 ROCHEL: Renome provindo de legados.

Outros gênios que atraem a fortuna:

  1. 1->6 LELAHEL: Fortuna natural como resultado de um trabalho realizado;
  2. 3->7 YEIAIEL: Proporciona a fortuna pelo renome, boa imagem, divulgação;
  3. 4->8 LECABEL: Fortuna em razão do talento natural;
  4. 6->7 ARIEL: Descoberta de um filão inesgotável;
  5. 7->9 POYEL: Fortuna em razão do talento e conduta;
  6. 8->4 HARAHEL: Talento na bolsa de valores, especulações benéficas;
  7. 9->2 DAMABIAH: Fortuna por uma descoberta.

1.7.3    O amor de uma pessoa afortunada

Se mediante a LUZ entendemos as coisas, a nossa LUZ interior fará com que as outras pessoas entendam a nós também, nos compreender, nos amar.

Tiphereth induz ao amor que dá de forma incondicional as energias provenientes de Kether, a emanação primordial e infinita o que acarreta um fluxo de bondade provindo diretamente da fonte.

É a nossa claridade interna que suscita o amor das pessoas com quem cruzamos. Do mesmo modo que as pessoas amam a pedra preciosa como o diamante por sua LUZ e estão dispostos a pagar um preço muito elevado, assim ocorrerá conosco.

Disto resulta a fórmula: Onde há LUZ há AMOR.

1.7.4    Proteção contra a ambição desmensurada e a cobiça.

O lado negativo da força

O gênio contrário domina a ambição; leva os homens a querer elevarem-se acima dos outros; influi sobre todos os que procuram alcançar a fortuna por meios ilícitos.

Se as forças de Tiphereth trata da filantropia, da doação ao próximo sua contraparte negativa cuidará da ambição doentia (saltar etapas) e da cobiça (de querer o que pertence a outrem) levada a termo pela perversa inversão das forças de Kether.

Em nossa sociedade as pessoa tidas como ambiciosa são muito bem vistas e até querida pelas empresas que pretendem ter um monstro em sua coleira para poder tirar vantagens. Quem não tem ambições é considerado como cidadão de segunda linha.

Aqui podemos perceber que a ambição sendo a contraparte negativa de Tiphereth trata-se de uma “qualidade” promovida pelas hostes abismais.

Se possuímos uma empresa, os produtos estão marcados animicamente, de forma invisível o caráter de quem os produz, vende. Se são elaborados com o ódio dos empregados, a cobiça excessiva a ponto de se importar apenas em receber ou ainda outras impressões danosas tudo isto será detectado pela clientela. Inicialmente a nível subconsciente e posteriormente passando-se ao consciente até que de alguma forma o artigo seja rechaçado, objeto de demandas judiciais, etc.

Como, por um instante, estamos tratando do lado negativo, o empresário manifestará uma vontade de ignorância e negação, o oposto da vontade-luz cabalisticamente chamada de Kether-Tiphereth. Se produzirá uma vontade sinistra pelo aumento dos gozos sem medir as consequências. Assim as atitudes passam a ser a de ignorar as reivindicações de seus funcionários, os clientes são ludibriados, a redução de custos e aumento de preços sem retorno no produto. Como consequência a empresa embarcará em uma guerra comercial e laboral e colocará em jogo todas as más qualidades que possui para ganhar a guerra até que por fim mergulhe em um abismo do qual se enfiou e não consegue sair. Como a Lei da polaridade está em tudo, após o mergulho abismal surgirá o afã de viver em PAZ.

A ambição traduz-se por querer ser mais do que se é, em elevar-se acima de uma condição humana determinada sem haver adquirido as qualidades que lhe situa de forma automática naquele nível, contrariando a ordem natural, o que não é permitido, o que ocasionara, uma ora ou outra, o repique das forças naturais que afetam tanto a matéria como a psique.

Se a vida nos situa em um determinado plano devemos nos mover para alcançar outros níveis, isto faz parte da evolução. Contudo a maneira natural e subir degrau por degrau, com os esforços e tensões relativos a cada ponto e nos fortaleceremos em etapas sucessivas em uma elevação com bases sólidas e firmes.

O ambicioso é aquele que não se contentando com o nível em que está pretende viver em outro nível sem haver adquirido as qualidades humanas que lhe situa automaticamente no nível a que pretende.

O ambicioso com define muito bem Kabaleb: “é como o alpinista que estando em um vale deseja estar no cume da montanha sem se dar a modéstia de escala-la”.

E da ambição e da cobiça que surgem os roubos, o tráfico de drogas, etc.

Somente o trabalho humano, o trabalho sobre si nos permite ascender. A vida nos situa automaticamente no ponto onde devemos estar.

Assim, podemos concluir que trabalho é o oposto de ambição. A ambição pretende tomar um atalho ao trabalho. E, tomar um atalho do trabalho, significa operar por meios ilícitos. Pretendem conseguir o ouro, mas sem fabrica-lo em sua dinâmica interna.

Contudo a fortuna pode ser adquirida por meios lícitos. Inicialmente temos que plantar a semente, cuidar dela, rega-la, fazer um trabalho de persistência e então aguardar que a planta surja e seus frutos apareçam – esta é a dinâmica Yod-He-Vô-He, do misterioso nome impronunciável.

O tempo de retorno dependerá do que pretendemos. Se plantamos verduras, hortaliças estas estarão prontas para colheita em cerca de um mês, mas se tratando de madeira de Lei, podem demorar décadas, contudo seus frutos são tão duradores quanto o cerne.

Uma obra pode demorar muito a se arraigar e dar seus frutos dependendo do que se pretende colher.

Deste modo podemos concluir que os meios ilícitos são aqueles que instam que uma obra grande se realize em um curto espaço de tempo. Contudo esta obra, ilícita, não subsistira porquanto não seguiu as etapas “Yod-He-Vô-He” (plantação, enraizamento, brotação/desenvolvimento e frutificação.

Para terminar, vale ressaltar que LELAHEL ajuda-nos a vencermos a ambição é a cobiça que levamos em nosso interior para, assim, atuarmos por meios lícitos.

1.8       Escrituras

“S 9:11 (9-12) Cantate Domino habitatori Sion adnuntiate in populis commutationes eius.

Cantai ao Eterno que habita em Sião; anunciai entre os povos os seus Altos Feitos.”

1.9        Oração

LELAHEL: Deus louvável

LELAHEL: Agradeço-lhe, Senhor

por esta paragem ao longo do caminho que me ofereceis.

Permita-me LELAHEL, compartilhar com meus irmãos

as abundantes bênçãos com as quais me haveis rodeado.

Inspira-me, Senhor, o desejo de curar aos enfermos,

o desejo de restabelecer e equilibrar as almas em crise.

Se devo deixar minhas memórias no mundo, permita-me, Oh! Senhor LELAHEL!, que se me recordem por minhas obras de bondade, de filantropia e desprendimento e

que minha ambição se limite a ser o portador de soluções felizes para todos.

Que o amor que inspiro, seja, Senhor, o amor que inspirais,

que a ciência que saia de mim, seja Vossa ciência;

que a arte que expresse, seja a de Vosso Verbo divino.

 

1.10    Exortação

Tenho lhe concedido poderes para criar,

para que por meio de ti se expressem verdades eternas;

Tenho lhe concedido poderes para que restabeleças aquilo que teus irmãos,

em sua humana viagem pela terra tem destruído, tornado obsoleto e impossível.

Quero que por meio de ti os homens vivam felizes;

quero que os confortes, que os cure;

quero que em tua luz, vejam a Minha Luz.

Para que sejas um farol nesse caminho árduo da conquista da consciência.

Tenho lhe concedido a capacidade para a arte e para a ciência,

tenho feiro de ti um homem célebre.

Não me defraudes, nem utilizes este capital em teu exclusivo proveito.

Amanhã te esperam duras confrontações

e o bem que distribuis agora ao teu redor será tua tábua de salvação.

Peregrino, te encontras no momento difícil das lisonjas, das honras, das vitórias

das quais necessitarás de toda a sua força da alma para não se corromper na caminhada.

Mantenha o contato comigo, não te prescindas da fonte de luz eterna.

 

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s