53. 7->6: NANAEL


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 7 – Principados  
Príncipe: Haniel.
Mundo do coro: 3 – Yetzirah, Mundo de Formação, Mental – elemento Ar
Signo: Sagitário.
Elemento zodiacal: Fogo.
Relação/elementos: Fogo do Ar atuando sobre o Ar da Agua.
Relação/mundos: “Yod” do Mundo de Yetzirah sobre o “Vô” do Mundo de Briah.
Velas:  Verde ou rosa em cima e duas amarelas em baixo.
Incenso: [Violeta, rosas, açafrão, almíscar, lavanda, dama da noite] e [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera].
Letras: Num – Num – Aleph – Aleph – Lamed
Gemátria: 50+50+1+1+30 = 132 = 1+3+2 = 6
Arco:  261º a 265º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 20 a 25° de Sagitário ou 13 a 17 de dezembro.
Invocação por rotação: de 22 a 23 de Touro: “Yod” ou 14 de Maio;

de 4 a 5 de Leão: “He” ou 28 de Julho;

de 16 a 17 de Libra: “Vô” ou 10 de Outubro;

de 28 a 29 de Sagitário: 2º “He” ou 21 de Dezembro;

de 10 a 11 de Peixes ou 1 de Março: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   17:20:00 às 17:40:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando           Vênus se encontra em um dos graus de Sol, ou seja, entre 5º a 6º, de 15º a 16º e de 25º a 26º de qualquer signo.
Atributo: Deus que humilha os orgulhosos.
Nome da essência: COMUNICAÇÃO ESPIRITUAL.
Nome da Força: Inspiração Equilibrante ou Harmonizadora.
Forças em ação: A força de Netzah que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Tiphereth.
Sendero: 24, que une Netzah a Tiphereth em sua trajetória de retorno pelas árvore e zodíaco.

1.2               Palavras chaves:

RETIRO propício, predisposição a MEDITAÇÃO, verdade espiritual e com 5 sentido, ISOLAMENTO, altas ciências, INSPIRAÇÃO HARMONIOSA, eclesiásticos, SEGREDOS, CONHECIMENTOS ESPIRITUAIS, professores, magistrados, MESTRE, salmo 118, 22 letras, REJUVENESCIMENTO.

(-) ignorância, erro, mas qualidades corpo e alma, junção de pessoas incompatíveis, POLUIÇÃO física-sonora.

1.3               Movimentação Sefirótica: Sete na sexta posição

Netzah estará atuando pelas vias de Tiphereth e expressará o equilíbrio e a perfeição. Este equilíbrio pertence a uma etapa anterior quando Tiphereth recebeu as forças de Geburah e Hesed, suportando-as na justa medida e, por fim, a exteriorizou como o “Vô” do mundo de Briah. Desde modo pelo raio de Netzah o indivíduo exterioriza algo que já não é uma novidade, mas algo pré-estabelecido, sopesado.

Os elementos de cultura interiorizados farão com que busque o cônjuge que atenda às convenções, o que se deve ter, o aliado que deve ser, o amor convencional, com respeito e acatamento aos poderes, autoridades que constituem sua sociedade, o que nos lembra em muito os casamentos convencionais que eram realizados entre os reinados para a manutenção da paz, união de forças, etc… De outro lado o sete na quarta posição dará surgimento aos gigolôs, proteções em razão de trocas afetivas, o amante estipulado, matrimônios arranjados.

Astrologicamente corresponde a posição de Vênus em Leão.

1.4               Arcano – Mundo: Seis de paus no mundo de Yetzirah

Recebe o título de Senhor da Vitória. Refere-se ao elemento Fogo e astrologicamente corresponde a posição do Sol transitando pelo terceiro decanato de Leão onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Júpiter.

Neste ponto, Kether o primeiro ponto de partida na Arvore e no zodíaco, o centro produtor de iniciativas, a essência divina, expressa-se por intermédio de Tiphereth, a séfira que transmite mais LUZ que qualquer outra, responsável pela consciência, que tudo harmoniza, e pela manifestação da Vontade de Kether a nível prático. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Hesed, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Aqui a força “Vô” impulsa o desenvolvimento exuberante da planta – neste momento em que sai da terra e se desenvolve. Então temos a frutificação de Hesed no paraíso de Tiphereth, o Jardim das Hespérides.

Sabemos que em Hesed tudo se desenvolve indistintamente, sem restrições e que, em um futuro, termina por acarretar a intervenção de Geburah. Contudo, como Tiphereth exerce a função de “Vô”, como Binah, este mesmo mecanismo de restrição elimina a necessidade da atuação de Geburah, o que significa um grande prenúncio de vitória equilibrada e justa. Dessarte, esta força equilibrante atua de forma definitiva sobre a Lei primordial trazendo a paz e a unidade perdida.

Quando o seis de paus atua no mundo de Yetzirah privilegia a Inteligência, a lógica, a razão que elaborarão as condições necessárias anteriores a manifestação, seja por uma questão de bondade ou mesmo para garantir a concretude da vitória.

1.5               Virtudes concedidas:

1º.- Inspiração para o estudo das altas ciências.

2º.- Inspiração para professores, magistrados e eclesiásticos.

3º.- Obter conhecimentos transcendentes mediante a meditação.

4º.- Rejuvenescimento intelectual e físico.

5º.- Protege contra a ignorância e as más qualidades do corpo e da alma.

1.6               Descrição Sefirótica:

NANAEL é o quinto da 7º ordem de anjos denominado como Coro dos Principados, situa-se na morada filosofal de número 53, rege o sendeiro 24, que une Netzah a Tiphereth em sua trajetória de retorno pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Netzah responsável pelo gérmen do pensamento humano, pela vida dos sentidos aportando-lhes riqueza e exuberância e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Tiphereth o depositário, a nível de consciência, das vibrações emanados do Real Ser as quais serão convertidos em força de vontade em vontade executória já que compete ao filho fazer a vontade do Pai; o “Yod” do Mundo de Yetzirah sobre o “Vô” do Mundo de Briah, Fogo do Ar atuando sobre o Ar da Agua. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada COMUNICAÇÃO ESPIRITUAL, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos onde Netzah dispõe de seu domínio e com tudo o que tem aponta um farol para o alto, à Tiphereth e, assim, se coloca à disposição do Ser interno e, como resultado, deste projetar-se para o alto, ao invés de para baixo, produz-se a iluminação que se reflete nos sentidos e, deste modo, recebemos o entendimento da dinâmica cósmica. Trata-se de uma força de Inspiração Equilibrante ou Harmonizadora mediante a inoculação inspiração que se desprende de Netzah rumo a harmonia de Tiphereth e, exterioriza os desígnios desta Séfira, que consiste na perfeita adequação dentro da engrenagem cósmica ao qual permite que tudo se harmonize, seja no interno ou no externo, assim, Tiphereth que rege o interior e Netzah exerce seu domínio sobre os sentidos, passam a se orientar na direção daquele. Contudo para chegar ao conhecimento é preciso ser humilde, a Lei cósmica dispõe para: “Pedir, que vos dará”. Eis que em um copo cheio não comporta nada mais, quanto mais o seja com vistas a compreensão das Leis Universais. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominado Deus que humilha os orgulhosos e é razoável supor, contrario senso, seu atributo Deus que eleva e se revela aos humildes.

EXPERIENCIA:

Certa vez necessitando de um conhecimento adormeci com a intenção de sair consciente do corpo físico e evoquei um Mestre de muito conhecimento que ao comparecer, então, fiz a pergunta. Não obtive a resposta.

Em outra noite fiz o mesmo e evoquei um Grande Mestre e nestes momentos me veio a sensação da cabeça tonteando e fui elevado para o alto, um alto retiro onde me deparei uma grande área rodeada por um bosque, centralizada por um imenso jardim e também uma grande edificação.

Ao adentrar no recinto uma entidade me recebeu e logo ao seu lado concorreu o Grande Mestre. De meus dedos polegar, indicador e médio emiti o raio de Júpiter para ter certeza que se tratava de um Mestre Branco. Neste momento o guardião posicionou-se para vir a mim foi quando o Grande Mestre colocou as costas da sua mão direita sobre o peito do guardião no intuito de detê-lo. Com a outra mão sacudiu as vestes na parte onde o raio de Júpiter se dirigiu e disse sorrindo, em tom de brincadeira: Eu ia manda-la para a lavanderia mesmo…

A questão a ser tratada aqui é que quando invocamos uma entidade qualquer dos planos mais abaixo eles vêm a nós, porém, quando trata-se de uma Jerarquia superior, então, somos levados ao seu nível e consequentemente comungamos destas vibrações superiores. Deste modo podemos ter uma idéia a mais do que vem a ser este atributo Deus que eleva e se revela aos humildes.

LENAIN ensina que este Gênio corresponde ao santo nome “Obra” segundo o idioma maltês, que está ligado ao salmo 132, segundo a Cabala. Afirma ainda que esse salmo nos ensina que todos os homens devem se amar como irmãos, devem unir-se e viver em conjunto. Auxilia a obter a amizade e os favores de quem se quer, e a viver em paz com todo o mundo. Contudo para a invocação deste Gênio utiliza-se o Salmo 118 – trataremos mais deste ponto à frente.

Sob o impulso da Força anterior, com o auxílio de IMAMIAH, nos vimos livres da pressão exercida por nossos inimigos Kármicos. Neste novo momento, sob a regência de NANAEL, sem a pressão de que se opunha às nossas aspirações, podemos nos dedicar às tarefas essenciais relativas a presente existência seja no que condiz a aventura humana ou empresarial a fim de realizarmos nossas funções dentro da engrenagem cósmica, ativando a missão que lhe convém, que cada ser carrega e deve executá-la para que toda a humanidade siga seu curso de evolução em harmonia. E como estamos tratando com energias de Tiphereth é claro que promoverá a eliminação de atritos, ranços em razão da atuação da consciência que permite um maior conhecimento da personalidade dos indivíduos, suas forças internas e o sacrifício necessário para a manutenção desta harmonia.

Em qualquer empresa, empreendimento, esta harmonia pode ser alcançada fazendo-se o estudo das combinações de suas energias entre as pessoas envolvidas. Pode ser feita uma análise pelas vias do tema astrológico ligados ao nascimento dos indivíduos que estarão atuando conjuntamente a fim de se evitar que pessoas incompatíveis entre si exteriorizem suas desarmonias aos demais. Como base de estudos podemos tomar as oposições astrológicas (180º Kether-Malkuth) como desacordos radicais por estarem ligadas ao Mundo de Atziluth; as quadraturas (90º – Geburah) serão relativas a desordens emocionais pertencentes ao Mundo de Briah e a sesquiquadratura (135º – Hod) indicará a desordem intelectual.

As oposições tendem a despertar a criatividade no sentido de obrigar os indivíduos a concordar e reconciliados, porque caso contrário vem as rixas, brigas, demissão… Caso se opte pela reconciliação esta deve ser feita longe do ambiente profissional e de modo algum colocar estas pessoas juntas em ambientes competitivos pois seria como colocar dois galos de rinha um a frente do outro. O administrador deve ser um agente específico com capacidade a nível de dom interno (e por que não?) com preparo acadêmico para tratar com pessoas.

Diga-se de passagem, que a espiritualidade não coloca de lado o preparo intelectual feito nas escolas, cursos técnicos, universidades, etc., tão necessário para amenizar as circunstâncias terrestres, aliás o intelecto é uma criação descendente do alto, contudo, cada coisa deve estar em seu lugar, o material e o espiritual: – A Cesar o que é de Cesar e a Deus o que é de Deus. Na busca pelo conhecimento a ciência e a religião (esta não como fanatismo, dogmatismo) devem caminhar juntas pois as potencialidades humanas vão além dos equipamentos, dos cinco sentidos. Sozinha a ciência vai até o efêmero, a partir daí entra a espiritualidade. Por isto se diz que: “a ciência sem a religião e cética materialista e a religião sem a ciência é fanática e dogmática”, pode causar grande dano já que faculta a obediência incondicional com vistas ao delírio, a loucura quanto mais se esteja preso as imagens de Yesod sem adentrar aos demais centros de vida.

Prosseguindo…, no plano externo ou empresarial, o empreendedor, empregador sentirá o impulso de não causar problemas com o seu setor ou o seu comércio e tomara as medidas apropriadas para eliminá-las, já que Netzah inspira a harmonia de Tiphereth. Se as suas fábricas, indústria causar poluição, desenvolverão sistemas depurativos; se os transtornos são em razão de ruídos, encontrará maneiras de superá-los, ainda que tenha que alterar a localização para atingir este objetivo, a inspiração de NANAEL influenciará como deverá efetuar estas reformas.

1.7        .      Das virtudes concedidas:

1.7.1    Inspiração para o estudo das altas ciências.

Ao tratar deste Gênio Lenain, em seu pequeno volume intitulado “A Ciência Cabalística”, relaciona este, com o salmo 118, o qual está dividido em 22 partes iguais que correspondentes às 22 letras hebraicas e aos 22 nomes sagrados de Deus, equivalentes a cada uma das letras que indicam a escala pela qual os sábios se elevam para contemplar a Deus e assim estabelece a Comunicação espiritual. Os Cabalistas, afirma Lenain, que a Virgem Maria o recitava todos os dias (ver a cabala dos salmos).

Cabe alertar que a Cabala só pode ser estudada e compreendida efetivamente pela junção da teoria à prática, ou seja, trata-se de um duplo método. O estudo dos livros e dos manuscritos servem como ponto de partida, mas sozinho não poderiam chegar ao conhecimento. É necessário, portanto, a meditação e a assistência do plano invisível que fazem o resto. Contemplar a Deus é comungar com ele, entrar em meditação, tornar-se a gota d’água no oceano e o oceano na gota d’agua simultaneamente, contatar as entidades, vibrações, mundos, arquétipos, etc.

Ao sentir o ultra nos deparamos com a felicidade interior, contrário sensu, é possível, também, comungar com o abismo e entranhar em si o peso da dor, as vibrações do sofrimento indizível, da ausência de paz. Só não reconhecem a existência do “céu” e do “inferno” aqueles que não os experimentaram ou não tem exteriorizadas as suas lembranças.

A concentração, a viagem astral, a meditação é um processo que se inicia no momento de acordar (ou nos dias anteriores, é a nossa existência) é vão além do momento da prática. As nossas atitudes, os ambientes que frequentamos, o que comemos ou bebemos, as pessoas e entidades com que tratamos são os anfitriões dos portais onde adentraremos. A Divina Mãe que, ligada a Binah, onde se localiza o Demiurgo, origem e fim da criação, destroça o ego, e a assistência dos Gênios nos permite percorrer o caminho que leva a Santiago de Compostela em nosso interior.

EXPERIÊNCIA:

Certa vez, fora do corpo físico, me vi percorrendo o caminho de Santigado de Compostela, no astral, vi um dos templos que estão no percurso. O fato de haver templos nos mundos superiores, no caminho desta peregrinação, indica emissão de energia espiritual e justifica esta busca intuitiva este afã que leva muitas pessoas a sua busca interior por meio de uma extensa caminhada em que resta somente olhar para dentro, para cima e apreciar a natureza ao redor. E um momento em que nosso Real Ser nos diz: Pare tudo o que estas fazendo e vamos conversar…

Os pentáculos que fornecemos para cada Arquétipo podem ser a ponte de acesso a estes mundos, seres, etc. Para tanto, o estudante, a noite no momento de dormir, após o relaxamento, deve esvaziar a sua mente, pode se concentrar em um destes símbolos conforme a energia que esteja disposto a entrar em contato. Para tanto, sugerimos a leitura dos textos, da oração, exortação para auxiliar nesta magnetização mental e espiritual.

NANAEL nos conduz na peregrinação pelas 22 letras hebraicas que corresponde a 22 nomes sagrados de Deus e que indicam a escala pelas quais os sábios ascendem a contemplação de Deus. Conduz nossos sentidos, que são governados por Netzah-Vênus, em direção a Tiphereth-Sol – onde habita a consciência, a sexta dimensão -, que por conter a verdade, tudo esclarece e tudo se entende, quando o conhecimento da verdade é transmitido aos cinco sentidos ordinário (fonte de todo o conhecimento adquirido pelo ser humano comum), depois de passar pela intuição.

Cada letra corresponde a uma força de origem divina e simultaneamente constitui em si mesma uma divindade, um arquétipo, um mundo, uma energia, uma vibração. O estudo cabalístico indica que devemos percorre-la no sentido inverso, do último para o primeiro, de “Tav” rumo a “Aleph” que corresponde da terra ao céu. Na última (ômega) carta do Taro encontramos o mundo com os quatro elementos e na primeira (alfa) o mago, o auto realizado, o primeiro dos dez Sefirotes. Nas 22 letras encontramos: as três forças (pai, filho, espirito santo – positivo, negativo e neutro – vermelho, amarelo, azul); os sete planetas (ou sete anjos, sete cores secundárias, sete raios, sete dias da semana); os doze signos (ou apóstolos do Cristo, doze tribos, os doze sais, doze trabalhos de Hércules). Então temos que 3+7+12 = 22. Nos deparamos ainda com a criação dos 7 corpos existenciais nos três mundos, nas três montanhas, criados pelo Sahaja Maithuna. A primeira montanha correspondente ao Mundo de Yetzirah onde são criados os corpos de fogo, na segunda, referente ao Mundo de Briah os corpos de ouro e na terceira relativo ao Mundo de Atziluth os corpos de luz. O físico nós já o temos – portanto são 22 corpos nos quatro mundos. Cada mundo, cada plano tem suas Leis e nas 22 letras encontramos as respostas.

NANAEL nos atende em seus períodos e pelas vias das pessoas nascidas sob seu sigilo, sempre que seus impulsos nos levem a buscar a Comunicação Espiritual. Quando esta comunicação é solicitada entra em movimento a lei cósmica “Pedi e vos será dado” e, assim, receberemos o entendimento da dinâmica cósmica.

Temos dito que o Maior de todos os Mestres está dentro de nós, nosso Mestre é o coração. O coração está diretamente ligado a Tiphereth-Sol onde se localiza o mundo causal, a raiz de tudo o que deve ocorrer, de toda a ciência está ali. Lembremos que Tiphereth é o exteriorizador da inteligência de Binah e carrega em si a sabedoria de Hochmah. Tiphereth tem ainda conecção direta com Kether. Quando recebemos o impulso de nosso Real Ser para obtenção do conhecimento, do entendimento da dinâmica cósmica convêm segui-lo sob pena de, rechaçando-o, a essência ficar aprisionada no ego que tem sua sede nos planos abismais.

Ainda que estejamos em uma situação de privação por parte de entidades, escolas, pessoas detentoras do conhecimento – perceba que estamos tratando da comunicação espiritual -, diga-se de passagem são poucas e seu egoísmo em manter o conhecimento em círculos restritos só tem em verdade ocultado a verdade de si mesma, já que todo ato é uma pronuncia mágica feita em sede interior; mesmo que por qualquer motivo as portas tenham se fechado no exterior, basta pedir, pois a carência deste gesto é em verdade a única coisa que nos mantem na ignorância e isolados do auxílio.

 

“Lucas 11:9-10 E eu vos digo a vós: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrir-se-vos-á; porque qualquer que pede recebe; e quem busca acha; e a quem bate, abrir-se-lhe-á.”

Convém ainda aqui esclarecer a diferença entre médium e mediador. O primeiro cede seu corpo para que outra entidade o habite como se o veículo lhe pertencesse. Impossibilita que sua consciência se manifeste, que tenha acesso ao que está ocorrendo, fere a autodeterminação e, portanto, o livre arbítrio. De outro lado o mediador é aquele que recebe o conhecimento, as informações sem a perda da consciência, mas em um trabalho conjunto, como aliás o fazemos nesta obra onde em vários pontos nossos amigos, companheiros do outro lado nos fornecem informações para complementar um conhecimento que já existe desde longo tempo. Com este esclarecimento podemos agora compreender um dos sentidos relativos a comunicação espiritual, retiro e inspiração equilibrante e harmonizadora.

Cumpre que estabeleçamos nosso santuário tanto no físico em algum canto de nossa residência, local de reunião bem como em nosso interior a fim de construir a escada de 72 degraus em que as entidades divinas sobem e descem, as 12 tribos, etc. Haveremos de nos deparar com uma variedade de mundos e seres que as pessoas comum e corrente nem imaginam que possa existir.

De outro lado convém tratar que há um conhecimento reservado apenas a alguns tipos de pessoas. Não se trata aqui de caciquismo espiritual, mas refere-se ao caminho percorrido por cada indivíduo. A exemplo podemos afirmar que antes de tomarmos uma cadeira em um curso superior é necessário que passe antes pelo jardim de infância, ensino fundamental e o médio para que formada uma base possa ser compreendido os conhecimentos do ensino superior.

Ocorre que NANAEL preside o sendeiro 24 que une Netzah a Tiphereth em seu caminho de volta pela árvore e pelo zodíaco, ou seja, trata-se de um caminho de retorno o que significa que somente estaremos em condições de assimilar todo o conhecimento, com um bom aproveitamento se houvermos percorrido com plena consciência o sendeiro de ida.

NANAEL, em razão da já esclarecida natureza de Tiphereth, nos possibilita perceber os segredos da natureza. Lembremos de SEALIAH (45. 6->6) que contém em si as condições necessárias para a prática da Magia Elemental em razão de ser o motor e equilíbrio dos quatro elementos, assim, possui a essência pura de Tiphereth, sem mesclas e agora estas energias são conduzidas em forma de inspiração aos cinco sentidos. Se realizamos os trabalhos de conhecimento, do descobrimento do material, de modo profundo, agora compreenderemos facilmente o espiritual.

A concentração, meditação, a magia, podem ser feitas em qualquer lugar, as pessoas em geral não sabem o que está se passando em seu interior. No ónibus, no hospital, consultório, na sala de espera, onde nos deixem sem atividade por um tempo, ou mesmo em algumas atividades rotineiras, então podemos realizar as nossas práticas espirituais. Já esclarecemos em ACHAIAH (7. 1->7) que a paciência está longe de ser de um estado passivo.

Outros Gênios que tratam da meditação

  1. 4->6 REIYEL: Meditação sobre mistérios da obra divina, vazio iluminador, nossos desvios;
  2. 5->6 ANIEL: Meditação, conhecimento inspirado, Segredos da natureza;
  3. 7->6 NANAEL: Meditação sobre as 22 letras e os segredos espirituais e da natureza.

1.7.2    Inspiração para professores, magistrados e eclesiásticos.

NANAEL tem influência sobre os professores, magistrados, eclesiásticos aos quais levamos em nosso interior e que tem justamente a função de auxiliar no ajustamento com as Leis cósmicas, as altas ciências e, assim, possamos tomar as medidas mais acertadas na condução dos assuntos, bastando para tanto, que nos retiremos para um canto tranquilo de modo a que possamos meditar.

Em uma situação de turbilhão é mais eficaz parar e meditar do que ficar à frente de batalha em becos sem saída, sem saber ou ter a menor ideia do quefazer. A concentração nos proporciona uma análise objetiva por todos os ângulos e a meditação que é um pouco mais profunda, já que vai além da mente, é um canal de inspiração.

As virtudes de Netzah, aqui, projetadas para o alto, rumo a Tiphereth são colocadas a serviço de nosso Real Ser e, assim, NANAEL produz a iluminação. Nos permite ascender pelos 22 degraus que correspondem as 22 letras, as 22 forças, os 22 nomes sagrados que estão contidos em cada letra. A sensibilidade de Netzah sendo uma força de natureza ativa e fecundadora engendrará em Tiphereth, força passiva gastadora, onde teremos o filho da luz, que irá fornecer ao indivíduo o desvelamento da verdade em suas 22 etapas progressivas, sucessivas e o tornara um santo entre os santos, aquele que aporta os mais variados mundos e seres, a figura do eclesiástico que por lei de afinidade vibratória irá reunir em seu entorno os melhores.

Tão logo surja em nosso interior esta figura, e esta cresça, adquira os poderes do alto, as coisas do mundo vão perdendo seu valor, os prazeres mundanos, alimentos materiais, nossos hábitos se guiarão de acordo com critérios superiores sem qualquer esforço, sacrifícios, privações. Ocorrerá o abandono natural de costumes antigos como o de beber, fumar, etc… O sacrifício agora será o inverso já que se criou uma aura de vibrações em ressonância com o alto, assim, já não se sentirá confortável de colocar estas substâncias no organismo. Deste modo, perceberemos o quão inútil é se impor privações quando a dinâmica do organismo diz o contrário e a supressão somente aumentará o desejo de consumo.

Aqui se aplica o preceito de Salomão, basta que entronemos o sábio, o eclesiástico em nosso interior para que os bons costumes nos sejam dados por acréscimo.

Do eclesiástico surge o mestre, professor, já que passar adiante o aprendido é uma necessidade iminente e preeminente, por ser lei natural; o que entra em um organismo tem que sair, necessariamente, dele ou, caso contrário, se produzem graves perturbações, tanto no corpo físico como no anímico, ou seja, guardar o conhecimento para si é um processo antinatural que causa constipação não somente em nosso organismo, mas também em nossa vida e na escalada espiritual.

Quando liberamos os conhecimentos que possuímos, cria-se em nosso interior uma espécie de vácuo, uma área vazia de pressão centrípeta, que precisa ser preenchida. Os Gênios não se limitam a repetir a lição até a exaustão, mas como tudo no universo está em movimento informam constantemente as novidades e nos transmitem diariamente seus ensinamentos desde que encontrem o receptáculo em condições de recebe-los.

Os magistrados em nossa natureza interna referem-se àqueles que se ocupam da aplicação das Leis da natureza, do cosmos, universo, de forma perfeita, equânime, magistral. Manejam a Lei das analogias com perfeição, pois no universo tudo está relacionado, tudo concorre pelas Leis de simpatias, pelo Princípio da Correspondência de Hermes que reza que “Aquilo que está em cima é como aquilo que está embaixo e vice-versa.”

Pela lei das analogias e correspondências, a inspiração harmônica, podemos por exemplo deduzir: Se em Kether a matéria e extremamente sutil, volátil; em Malkuth é muito densa quanto mais adentremos os estados minerais. Ao tratar dos buracos negros nos depararemos com uma materialidade absurda que nos leva a pensar que se Malkuth é o Kether das regiões infernais, que em nossos conhecimentos vão até a nona região inferior, nestes buracos negros devem haver uma décima região inferior que seria o Kether de um poço mais profundo. De outro lado se um universo pode caber neste buraco negro do tamanho de uma cabeça de prego resta a pergunta: Qual seria o tempo necessário para percorrer de um ponto a outro deste universo. E se o interior é o reflexo do exterior, assim como ocorre com o ser humano que tendo o universo em si mesmo, pode estar em qualquer parte deste universo concentrado, esta cabeça de prego, o buraco negro poderia servir como um buraco de minhoca para se viajar rumo ao infinito e/ou a outros tempos?

Quando as funções internas de NANAEL não são levadas a cabo, induz o indivíduo a materializa-las transformando seu cliente em um cura uniformizado, pároco, aldeão, em um professor que recita todos os anos a mesma lição; um magistrado, que se dedica a julgar seu próximo. Exercer materialmente estas funções é um claro indício de que deve realiza-las, melhorar o seu interior, passar o conhecimento para que assim possa acender as ciências superiores ao ponto de explicar o funcionamento do cosmos. As energias de NANAEL conduzem o professor, o magistrado a um nível superior, tornando-os em um Doutor, autor jurisprudencial expressando o conhecimento cósmico em suas obras.

 

1.7.3    Obter conhecimentos transcendentes mediante a meditação.

Inicialmente NANAEL, em razão das influências de Netzah, proporciona a faculdade de ver, sentir, perceber com os cinco sentidos, o que é justo já que o raio de Netzah dirige-se a Tiphereth que é o exteriorizador das Leis de Binah no mundo de Briah e se processará de acordo com a dinâmica יהוה – “Yod-He-Vô-He”. Assim, na fase “Yod” será plantada a semente da Contemplação de Deus, e neste ponto, em suas 22 modalidades ou nomes sagrados; na fase “He” perceberá em seu interior o esplendor da obra divina; em “Vô” exteriorizará, fará com que o mundo perceba, que tenha ciência da existência deste esplendor e por fim no segundo “He” de seus trabalhos retornarão os frutos estabelecendo os céus na vida terrestre.

As pessoas influenciadas por NANAEL ama a terá humor melancólico; amará a vida familiar, o repouso e a meditação, distinguindo-se por seu conhecimento nas ciências abstratas. O isolamento é uma disposição interna dos sábios que possuem a predisposição à concentração, meditação e NANAEL favorece o florescimento desta disposição às práticas meditativas, de introspecção já que a exteriorização de Netzah dirige-se para cima em direção a Tiphereth que é o centro da árvore e se comunica com as demais séfiras acima de Malkuth e com este por reflexo.

Este afã pelas práticas internas levará ao afastamento das cidades ruidosas, dos barulhos, dos vizinhos que não respeitam o direito ao silêncio que tem o seu próximo e ouvem suas músicas com o som nas alturas não para desfrutar da boa música, mas para que todos vejam que está ouvindo um som que na maioria das vezes é danoso a psique.

Assim, a solidão e o silêncio sempre acompanham o sábio que pretende ouvir a voz dos mestres, de seu mestre interior, receber os conhecimentos do ultra ao ruído das mentes vãs. O próprio afastamento decorre da Lei de afinidade vibratória que une os semelhantes, mas também afasta os diferentes. É claro que este afastamento não pode ser definitivo já que tem que exteriorizar os conhecimentos recebidos para que possa ser criado um novo vácuo que deverá ser preenchido. Trata-se de um processo natural, assim, ao mesmo tempo em que o sábio se recolhe, as energias lhe informam o momento de sair e se expor.

O humor melancólico descrito no programa de NANAEL aparece quando nos desapegamos do mundo, dos prazeres que anteriormente valorávamos. Então ao subirmos pelos 22 degraus, vamos nos adequando as 22 Leis universais e nos vemos aptos a adentrar estes departamentos da natureza estaremos bastante afastados das realidades humanas as quais deixamos de nos interessar por pertencer a Malkuth e agora nossa vibração nos acerca das realidades espirituais, mas como ainda estamos no meio do caminho, ou seja, desconectado com o mundo de cima, embora próximos a este e afastado das realidades de baixo, então, nos encontramos na chamada terra de ninguém espiritual, o que nos torna apáticos, sem interesses, vivendo a sombra de um passado cada vez mais distantes já que não nos identificamos mais com a pessoa que éramos, que ficou para trás.

Se estar no meio do caminho produz o humor melancólico, a tristeza dos santos, a única solução que resta é continuar a caminhada, seguir pelo caminho de Compostela que nos leva a união com nosso Real Ser, o retorno a nossa casa, ao nosso Lar já que a mediada que nos acerquemos de nosso destino a alegria voltará, nos encontraremos em uma terra de eterna juventude pois a corrupção da matéria é própria de Malkuth dos mundos de baixo, a substância composta degenera, se modifica, mas a substância simples Ketheriana é Una, eterna, perfeita.

“Mateus 6:19-21 Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem,[gasta, ou corrompe] e onde os ladrões minam e roubam.

Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem,[nada gasta] e onde os ladrões não minam, nem roubam.

Porque onde estiver o vosso tesouro, ali[aí] estará também o vosso coração.”

Outros gênios que facilitam a solidão, retiro e isolamento:

  1. 4->2 NITH-HAIAH: Paz da solidão para alcançar a verdade e a sabedoria;
  2. 7->6 NANAEL: Para meditação, aquisição de conhecimentos, iluminação;
  3. 8->7 IAH-HEL: Tranquilidade e solidão para alcançar a sabedoria;
  4. 9->4 EYAEL: Para contemplar as imagens, os processos internos, transubstanciação

1.7.4    Rejuvenescimento intelectual e físico.

Quando, retornamos a Tiphereth adentramos novamente no mundo de Briah, o mundo da Criação, onde as emanações provindas de Atziluth recebem as energias, as aguas sentimentais, a fonte da juventude, as aguas que tudo renovam e se mantem intactas, mantendo sua identidade. O rejuvenescimento começa de dentro para fora, assim trabalha NANAEL. O interior jovem não se corrompe já que o ouro é uma consequência das energias de Tiphereth. Então estamos tratando de uma inspiração sentimental já que une a inspiração de Netzah e o mundo de Briah, das emoções, que se afunilam em Tiphereth. Nos mundos superiores não há a velhice, decrepitude e recuperamos a forma dos 20 anos e se evoluirmos ainda mais já não teremos uma forma. A velhice é um processo de Malkuth.

1.7.5    Protege contra a ignorância e as más qualidades do corpo e da alma.

O lado negativo da força

Os maus aspectos do Gênio contrário prejudicarão as qualidades de Netzah já que produzira um raio, inclinações que não podem ser direcionadas para o alto em direção a Tiphereth por pertencerem aos mundos inferiores. O conhecimento não penetrará em nosso magistrado interno. Submeter-se a uma ordem cósmica não será mais que uma aparência, será uma hipocrisia e o magistrado, o professor ou mestre, o eclesiástico não promulgará mais do que o fruto de sua própria ignorância as más qualidades do corpo e da alma.

A verdade servirá unicamente para conservar o que deveria ser destruído já que o mal se verá envolvido em uma aureola sublime, a pílula será dourada a fim de que possa ser engolida. A perversidade estará disfarçada com as roupagens da verdade que será utilizada para sua conservação por tempo indeterminado o que dará lugar a ignorância e todas as más qualidades do corpo e da alma.

Isto nos lembra bastante os meios utilizados pela classe política seja para seus desígnios, seja para se manterem no poder. Basta lembrar que Tiphereth tem influência sobre os Reis e aqui encontramos o modus operandi de um de seus aspectos negativos.

A evocação dos Gênios do mal produzem resultados práticos, mas tem suas consequências…

O retorno a ordem far-se-á por meio da desordem. Pelas mas qualidades da alma comete-se grandes equívocos mergulha-se nas trevas mais profundas e, ao atingir o ponto mais baixo, em meio a dor e ao sofrimento aparece a luz já que onde as trevas são mais espessas a Luz pode ser melhor visualizada, mostra-se mais radiante. O mal gera consequências e pela Lei da retribuição haverá o momento em que a fatura é apresentada.

A nível de empresa, instituição, etc., no interno, se ajuntará, sem saber, a pessoas incompatíveis, que estarão brigando pela permanência no emprego, no poder. No exterior, serão incentivados os protestos até que a empresa seja obrigada pelas leis para eliminar a sua poluição, barulho, ou o que quer que seja ou a instituição faça a coisa certa.

De outro lado a ignorância, o erro produz as más qualidades do corpo já que tudo se manifesta de dentro para fora e se internamente atuamos contra as Leis Universais esta desordem se manifesta no corpo físico. O erro se reproduz em nosso organismo que passa a não funcionar corretamente.

A forma equivocada de pensar, sentir e agir é a causa das doenças, e vamos mais longe, altera o meio em que vivemos, inclusive as forças da natureza já que tudo e energia e a energia sempre está em movimento e se comunica por harmônicos e sub harmônicos. Nosso pensamento é energia, é frequência, cor, som, etc. e já sabemos que estas manifestações têm influências umas sobre as outras pois tudo está interligado, no final tudo é “Um”, a soma das forças que, conforme afirmou Newton, é igual a zero.

 

1.8         Escrituras

“S 119:75 (118-75) scio Domine quia iustum iudicium tuum et vere adflixisti me

Cognovi Domine quia aequitas judicia tua: et in veritate tua humiliasti me.

Reconheço, Ó Eterno!, que a tua justiça é equânime: e que é a tua Verdade, me humilha.”

 

1.9               Oração

“NANAEL: Deus que humilha os orgulhosos.

NANAEL: Ensina-me, Senhor, a tua Divina Ordem,

mostra-me a engrenagem que move a Tua justiça,

revela-me as particularidades de tuas leis, de tuas normas,

a fim de que possa, na Terra, ser o executor de Teu Sublime Mandato.

Ajude-me, NANAEL, a encontrar o retiro propício

para que Tu e eu possamos nos comunicar.

Ali estabelecerei o Santuário, ali honrarei ao Eterno,

ali construirei a escada de 72 degraus

para que as divinas hierarquias possam subir e descer.

Ali regenerarei as 12 tribos divinas

que hão de estabelecer no mundo Teu esplendoroso Reino.

NANAEL, não permita que sua luz me cegue

e faça de mim um ser orgulhoso e insolente.

Em todo momento, em todo lugar,

quero ser, de Teu Desígnio, o humilde artesão”.

 

1.10           Exortação

“Tenho Me interiorizado em ti, peregrino,

Me feito carne em sua carne,

para organizar, a partir de teu nível humano, a vida na Terra.

Tua missão consiste em exteriorizar-me.

Abre em ti uma janela para que eu possa sair.

Empresta-me sua garganta para que todos possam ouvir a minha voz;

Empresta-me seus músculos para que todos possam ser testemunhas

da harmonia de meus gestos.

Permita-me utilizar a sua alma para expressar, através dela, a Alma Universal.

Ofereço-Te, peregrino, uma aliança: você como homem, Eu, como Deus,

levaremos o peso do mundo e conduzi-lo-emos aceleradamente

para o seu sacrifício material, para a eterna vida do espírito.

Oxalá, peregrino, que o seu corpo físico possa suportar

a intensidade da minha luz,

porque em verdade te digo que será grande a nossa Obra”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

1.1        Salmo 118 ou 119 conforme a Bíblia.

Almeida Revista, Corrigida e Anotada (ARCA)

1.1.1     Salmos 118:1-8 (Alef)

BEM-AVENTURADOS os que trilham caminhos retos, e andam na lei do SENHOR.

Bem-aventurados os que guardam os seus testemunhos, e o buscam de todo o coração.

E não praticam iniquidade, mas andam em seus caminhos.

Tu ordenaste os teus mandamentos, para que diligentemente os observássemos.

Oxalá os meus caminhos fossem dirigidos de maneira a poder eu observar os teus estatutos.

Então não ficaria confundido, atentando eu para todos os teus mandamentos.

Louvar-te-ei com retidão de coração, quando tiver aprendido os teus justos juízos.

Observarei os teus estatutos: não me desampares totalmente.

1.1.2     Salmos 118:9-16 (Bet)

Como purificará o mancebo o seu caminho? observando-o conforme a tua palavra.

De todo o meu coração te busquei: não me deixes desviar dos teus mandamentos.

Escondi a tua palavra no meu coração, para eu não pecar contra ti.

Bendito és tu, ó SENHOR; ensina-me os teus estatutos.

Com os meus lábios declarei todos os juízos da tua boca.

Folgo mais com o caminho dos teus testemunhos, do que todas as riquezas.

Em teus preceitos meditarei, e olharei para os teus caminhos.

Recrear-me-ei nos teus estatutos: não me esquecerei da tua palavra.

 

1.1.3     Salmos 118:17-32 (Guímel)

Faze bem ao teu servo para que viva e observe a tua palavra.

Desvenda os meus olhos, para que veja as maravilhas da tua lei.

Sou peregrino na terra: não escondas de mim, os teus mandamentos.

A minha alma está quebrantada de desejar os teus juízos em todo o tempo.

Tu repreendeste asperamente os soberbos, amaldiçoados, que se desviam dos teus mandamentos.

Tira de sobre mim o opróbrio e o desprezo, pois guardei os teus testemunhos.

Enquanto os príncipes se conluiavam e falavam contra mim, o teu servo meditava nos teus estatutos.

Também os teus testemunhos são o meu prazer e os meus conselheiros.

 

1.1.4     Salmos 118:20-32 (Dalet)

A minha alma está pegada ao pó: vivifica-me segundo a tua palavra.

Meus caminhos te descrevi, e tu me ouviste: ensina-me os teus estatutos.

Faze-me entender o caminho dos teus preceitos: assim falarei das tuas maravilhas.

A minha alma consome-se de tristeza: fortalece-me segundo a tua palavra.

Desvia de mim o caminho da falsidade, e concede-me piedosamente a tua lei.

Escolhi o caminho da verdade: propus-me seguir os teus juízos.

Apego-me aos teus testemunhos: Ó SENHOR, não me confundas.

Correrei pelo caminho dos teus mandamentos, quando dilatares o meu coração.

 

1.1.5     Salmos 118:33-40 (Hê)

Ensina-me, ó SENHOR, o caminho dos teus estatutos, e guardá-lo-ei até o fim.

Dá-me entendimento, e guardarei a tua lei, e observá-la-ei de todo o coração

Faze-me andar na vereda dos teus mandamentos, porque nela tenho prazer.

Inclina o meu coração a teus testemunhos, e não à cobiça.

Desvia os meus olhos de contemplarem a vaidade, e vivifica-me no teu caminho.

Confirma a tua promessa ao teu servo, que se inclina ao teu temor.

Desvia de mim o opróbrio que temo, pois os teus juízos são bons.

Eis que tenho desejado os teus preceitos; vivifica-me por tua justiça.

1.1.6     Salmos 118:41-48 (Vô)

Venham também sobre mim as tuas misericórdias, ó SENHOR, e a tua salvação segundo a tua palavra.

Assim terei que responder ao que me afronta, pois confio na tua palavra.

E de minha boca não tires nunca de todo a palavra de verdade, pois me atenho aos teus juízos.

Assim observarei de contínuo a tua lei, para sempre e eternamente.

E andarei em liberdade; pois busquei os teus preceitos.

Também falarei dos teus testemunhos perante os reis, e não me envergonharei.

E recrear-me-ei em teus mandamentos, que eu amo.

Também levantarei as minhas mãos para os teus mandamentos, que amo, e meditarei nos teus estatutos.

1.1.7     Salmos 118:49-56 (Zain)

Lembra-te da palavra dada ao teu servo, na qual me fizeste esperar.

Isto é a minha consolação na minha angústia, porque a tua palavra me vivificou.

Os soberbos zombaram grandemente de mim; apesar disso, não me desviei da tua lei.

Lembrei-me dos teus juízos antiquíssimos, ó SENHOR, e assim me consolei.

Grande indignação se apoderou de mim por causa dos ímpios que abandonam a tua lei.

Os teus estatutos têm sido os meus cânticos no lugar das minhas peregrinações.

De noite me lembrei do teu nome, ó SENHOR, e observei a tua lei.

Isto fiz eu, porque guardei os teus mandamentos.

1.1.8     Salmos 118:57-64 (Het)

O SENHOR é a minha porção: eu disse que observaria as tuas palavras.

Implorei deveras o teu favor de todo o meu coração: tem piedade de mim, segundo a tua palavra.

Considerei os meus caminhos, e voltei os meus pés para os teus testemunhos.

Apressei-me, e não me detive, a observar os teus mandamentos.

Bandos de ímpios me despojaram; apesar disso, eu não me esqueci da tua lei.

À meia-noite me levantarei para te louvar, pelos teus justos juízos.

Companheiro sou de todos os que te temem e dos que guardam os teus preceitos.

A terra, ó SENHOR, está cheia da tua benignidade: ensina-me os teus estatutos.

 

1.1.9    Salmos 118:65-72  (Tet)

Fizeste bem ao teu servo, SENHOR, segundo a tua palavra.

Ensina-me bom juízo e ciência, pois cri nos teus mandamentos.

Antes de ser afligido andava errado; mas agora guardo a tua palavra.

Tu és bom e abençoador: ensina-me os teus estatutos.

Os soberbos forjaram mentiras contra mim; mas eu de todo o coração guardarei os teus preceitos.

Engrossasse-lhes o coração como gordura, mas eu me recreio na tua lei.

Foi-me bom ter sido afligido, para que aprendesse os teus estatutos.

Melhor é para mim a lei da tua boca do que inúmeras riquezas em ouro ou prata.

1.1.10 Salmos 118:73-80 (Yod)

As tuas mãos me fizeram e me afeiçoaram; dá-me inteligência para que aprenda os teus mandamentos.

Os que te temem alegraram-se quando me viram, porque tenho esperado na tua palavra.

Bem sei eu, ó SENHOR, que os teus juízos são justos, e que em tua fidelidade me afligiste.

Sirva pois a tua benignidade para me consolar, segundo a palavra que deste ao teu servo.

Venham sobre mim as tuas misericórdias, para que viva, pois a tua lei é a minha delícia.

Confundam-se os soberbos, pois me trataram duma maneira perversa, sem causa; mas eu meditarei nos teus preceitos.

Voltem-se para mim os que te temem, e aqueles que têm conhecido os teus testemunhos.

Seja reto o meu coração para com os teus estatutos, para que eu não seja confundido.

1.1.11 Salmos 118:81-88 (Kaf)

Desfaleceu a minha alma, esperando por tua salvação; mas confiei na tua palavra.

Os meus olhos desfaleceram, esperando por tua promessa; entretanto dizia: Quando me consolarás tu?

Pois fiquei como odre no fumo; mas não me esqueci dos teus estatutos.

Quantos serão os dias do teu servo? Quando me farás justiça contra os que me perseguem?

Os soberbos abriram covas para mim, o que não é conforme à tua lei.

Todos os teus mandamentos são verdade: com mentiras me perseguem; ajuda-me.

Quase que me têm consumido sobre a terra; mas eu manterei os teus preceitos.

Vivifica-me segundo a tua benignidade; então guardarei o testemunho da tua boca.

1.1.12 Salmos 118:89-96 (Lâmed)

Para sempre, ó SENHOR, a tua palavra permanece no céu.

A tua fidelidade estende-se de geração a geração: tu firmaste a terra, e firme permanece.

Conforme o que ordenaste, tudo se mantém até hoje; porque todas as cousas te obedecem.

Se a tua lei não fora toda a minha recreação, há muito que teria perecido na minha angústia.

Nunca me esquecerei dos teus preceitos; pois por eles me tens vivificado.

Sou teu, salva-me; pois tenho buscado os teus preceitos.

Os ímpios me esperam para me destruírem, mas eu atentarei para os teus testemunhos.

A toda a perfeição vi limite, mas o teu mandamento é amplíssimo.

1.1.13 Salmos 118:97-104 (Mem)

Oh! quanto amo a tua lei é a minha meditação em todo o dia.

Tu, pelos teus mandamentos, me fazes mais sábio que meus inimigos; pois estão sempre comigo.

Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque medito nos teus testemunhos.

Sou mais prudente do que os velhos; porque guardo os teus preceitos.

Desviei os meus pés de todo o caminho mau, para observar a tua palavra.

Não me apartei dos teus juízos, porque tu me ensinaste.

Oh! quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! mais doces do que o mel à minha boca.

Pelos teus mandamentos alcancei entendimento; pelo que aborreço todo o falso caminho.

1.1.14 Salmos 118:105-112 (Nun)

Lâmpada para os meus pés é tua palavra, e luz para o meu caminho.

Jurei, e cumprirei, que hei de guardar os teus justos juízos.

Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó SENHOR, segundo a tua palavra.

Aceita, SENHOR eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca; ensina-me os teus juízos.

A minha alma está de contínuo nas minhas mãos; todavia não me esqueço da tua lei.

Os ímpios me armaram laço; contudo não me desviei dos teus preceitos.

Os teus testemunhos tenho eu tomado por herança para sempre, pois são o gozo do meu coração.

Inclinei o meu coração a guardar os teus estatutos, para sempre, até ao fim.

1.1.15 Salmos 118:113-120 (Samec)

Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei.

Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.

Apartai-vos de mim, malfeitores, para que guarde os mandamentos do meu Deus.

Sustenta-me conforme a tua palavra, para que viva, e não me deixes envergonhado da minha esperança.

Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo me recrearei nos teus estatutos.

Tu desprezas a todos os que se desviam dos teus estatutos, pois o engano deles é falsidade.

Tu tiraste da terra, como escórias, a todos os ímpios, pelo que amo os teus testemunhos.

O meu corpo se arrepiou com temor de ti, e temi os teus juízos.

1.1.16 Salmos 118:121-128 (Ain)

Fiz juízo e justiça: não me entregues aos meus opressores.

Fica por fiador do teu servo para o bem; não deixes que os soberbos me oprimam.

Os meus olhos desfaleceram, esperando por tua salvação e pela promessa da tua justiça.

Trata com o teu servo segundo a tua benignidade, e ensina-me os teus estatutos.

Sou teu servo: dá-me inteligência, para entender os teus testemunhos.

Já é tempo de operares ó SENHOR, pois eles têm quebrantado a tua lei.

Pelo que amo os teus mandamentos mais do que o ouro, e ainda mais do que o ouro fino.

Por isso tenho em tudo como retos todos os teus preceitos, e aborreço toda a falsa vereda.

1.1.17 Salmos 118:129-16 (Phê)

Maravilhosos são os teus testemunhos; por isso a minha alma os guarda.

A exposição das tuas palavras dá luz, dá entendimento aos símplices.

Abri a minha boca, e respirei, pois que desejei os teus mandamentos.

Olha para mim, e tem piedade de mim, conforme usas com os que amam o teu nome.

Ordena os meus passos na tua palavra, e não se apodere de mim iniquidade alguma.

Livra-me da opressão do homem; assim guardarei os teus preceitos.

Faze resplandecer o teu rosto sobre o teu servo, e ensina-me os teus estatutos.

Rios de águas correm dos meus olhos, porque não guardam a tua lei.

1.1.18 Salmos 118:137-144 (Tsade)

Justo és, ó SENHOR, e retos são os teus juízos.

Os teus testemunhos que ordenaste são retos e muito fiéis.

O meu zelo me consumiu, porque os meus inimigos se esqueceram da tua palavra.

A tua palavra é muito pura; por isso o teu servo a ama.

Pequeno sou e desprezado, mas não me esqueço dos teus mandamentos.

A tua justiça é uma justiça eterna, e a tua lei é a verdade.

Aperto e angústia se apoderam de mim; não obstante, os teus mandamentos são o meu prazer.

A justiça dos teus testemunhos é eterna; dá-me inteligência, e viverei.

1.1.19 Salmos 118:145-152 (Qof)

Clamei de todo o meu coração; escuta-me, SENHOR, e guardarei os teus estatutos.

A ti te invoquei; salva-me, e guardarei os teus testemunhos.

Preveni a alva da manhã, e clamei: esperei na tua palavra.

Os meus olhos preveniram as vigílias da noite, para meditar na tua palavra.

Ouve a minha voz, segundo a tua benignidade: vivifica-me, ó SENHOR, segundo o teu juízo.

Aproximam-se os que seguem a malvados: afastam-se da tua lei.

Tu estás perto ó SENHOR, e todos os teus mandamentos são a verdade.

Acerca dos teus testemunhos soube, desde a antiguidade, que tu os fundaste para sempre.

1.1.20 Salmos 118:153-160 (Resh)

Olha para a minha aflição, e livra-me, pois não me esqueci da tua lei.

Pleiteia a minha causa, e livra-me: vivifica-me segundo a tua palavra.

A salvação está longe dos ímpios, pois não buscam os teus estatutos.

Muitos são, ó SENHOR, as tuas misericórdias: vivifica-me segundo os teus juízos.

Muitos são os meus perseguidores e os meus inimigos; mas não me desvio dos teus testemunhos.

Vi os transgressores, e me afligi, porque não observam a tua palavra.

Considera como amo os teus preceitos: vivifica-me, ó SENHOR, segundo a tua benignidade.

A tua palavra é a verdade desde o princípio, e cada um dos teus juízos dura para sempre.

 

1.1.21 Salmos 118:161-168 (Shin)

Príncipes me perseguiram sem causa, mas o meu coração temeu a tua palavra.

Folgo com a tua palavra, como aquele que acha um grande despojo.

Abomino e aborreço a falsidade; mas amo a tua lei.

Sete vezes no dia te louvo pelos juízos da tua justiça.

Muita paz tem os que amam a tua lei, e para eles não há tropeço.

SENHOR, tenho esperado na tua salvação, e tenho cumprido os teus mandamentos.

A minha alma tem observado os teus testemunhos; amo-os extremamente.

Tenho observado os teus preceitos e os teus testemunhos, porque todos os meus caminhos estão diante de ti.

1.1.22 Salmos 118:169-176 (Tav ou Tau)

Chegue a ti o meu clamor, ó SENHOR: dá-me entendimento conforme a tua palavra.

Os meus lábios proferiram o louvor, quando me ensinaste os teus estatutos.

A minha língua falará da tua palavra, pois todos os teus mandamentos são justiça.

Venha a tua mão socorrer-me, pois escolhi os teus preceitos.

Tenho desejado a tua salvação, ó SENHOR; a tua lei é todo o meu prazer.

Viva a minha alma, e louvar-te-á: ajudem-me os teus juízos.

Desgarrei-me como a ovelha perdida; busca o teu servo, pois não me esqueci dos teus mandamentos.

 

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s