46. 6->7: ARIEL


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 6 – Virtudes  
Príncipe: Michael.
Mundo do coro: 2 – Briah, Mundo das Criações, Astral, mundo dos desejos – elemento Agua.
Signo: Escorpião.
Elemento zodiacal: Agua.
Relação/elementos: Ar da Agua atuando sobre o Fogo da Ar.
Relação/mundos: “Vô” do Mundo de Briah sobre o “Yod” do Mundo de Yetzirah.
Velas:  Amarela em cima e duas verdes ou rosa em baixo.
Incenso: [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera] e [Violeta, rosas, açafrão, almíscar, lavanda, dama da noite].
Letras: Ayin – Resh – Yod – Aleph – Lamed
Gemátria: 70+200+10+1+30 = 311 = 3+1+1 = 5
Arco:  226º a 230º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 15 a 20° de Escorpião ou 8 a 12 de novembro.
Invocação por rotação: de 15 a 16 de Touro: “Yod” ou 6 de Maio;

de 27 a 28 de Câncer: “He” ou 20 de Julho;

de 9 a 10 de Libra: “Vô” ou 3 de Outubro;

de 21 a 22 de Sagitário: 2º “He” ou 14 de Dezembro;

de 3 a 4 de Peixes ou 22 de Fevereiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   15:00:00 às 15:20:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando o Sol se encontra em um dos graus de Vênus, ou seja, entre 6º a 7º, de 16º a 17º e de 26º a 27º de qualquer signo.
Atributo: Deus revelador.
Nome da essência: PERCEPÇÃO REVELADORA.
Nome da Força: Portadora da Vontade executória de Maravilhas.
Forças em ação: A força de Tiphereth que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Netzah.
Sendero: 24, que une Tiphereth a Netzah em sua trajetória de ida ou descenso pela arvore e de retorno pelo zodíaco.

1.2              Palavras chaves:

Percepção, REVELAÇÃO, SONO e SONHO – objetos desejados, IDEIAS NOVAS – um filão inesgotável, DISCRIÇÃO, vontade não manifesta, desígnio imanifestado, GRAÇAS A DEUS, tesouros ocultos, SEGREDOS DA NATUREZA, inspiração atividades.

(-) Tribulações do espirito, PESSOAS DÉBEIS.

1.3              Movimentação Sefirótica: Seis na sétima posição.

Nesta movimentação Tiphereth estará atuando sobre Netzah que por se encontrar no mundo de Briah está praticamente a ponto de manifestação. Basta lembrar que Netzah rege os sentidos humanos, portanto faz uma ponte entre os mundos de Briah e Assiah. E como esta séfira está acima do físico trata também de algo que está no futuro, embora muito perto. Está séfira trata dos detalhes, do tom artístico em tudo que toca de modo que a consciência passa a tratar das minúcias, do que não salta aos olhos dos demais. As nuances desta consciência são apresentadas de modo artístico, como em uma obra que ao ser mirada transmite um conhecimento evocado das profundezas da psique, uma intuição que prende o observador e o faz dizer: – Quero saber mais…

Astrologicamente corresponde a posição do Sol em Libra ou Touro.

1.4              Arcano – Mundo: Sete de espadas no mundo de Briah

Recebe o título de Senhor do Esforço instável. Refere-se ao elemento Ar e astrologicamente corresponde a posição de Vênus transitando pelo primeiro decanato de Gêmeos onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Vênus.

Neste ponto as restrições de Binah o construtor do universo, centro instituidor de todas as coisas de onde emanam a Lei e a ordem, expressa-se por intermédio de Netzah o responsável pelo gérmen do pensamento humano, pela vida dos sentidos aportando-lhes riqueza e exuberância, o detalhe artístico em tudo o que toca. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Netzah, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Temos que Yesod, o exteriorizador natural de tudo que vem de cima, sendo o último do triângulo mágico, do mundo de Yetzirah, sua relação “Vô” com Netzah antecipa os resultados deste mundo sem passar pelo processo de interiorização tornando o resultado prematuro e instável.

Ocorre quando as pessoas, empresas, procuram apressar as coisas, cortar caminhos criando ansiedades, expectativas pelos resultados por mera vaidade e dispensa um esforço extra, maior do que deveria fazer, e então, quando cessa: a casa cai. Trata-se de uma consequência em razão do indivíduo pretender realizar algo que somente parte de seu Ser Interno está de acordo.

A influência do sete de espadas no mundo de Briah pretende influenciar o mundo regido por Hochmah quando as energias do sete estão ainda imaturas, desequilibradas. Como está séfira está muito acima, no mundo das emanações, Hochmah – o Senhor das Aguas Circunstanciais -, providenciara para que acontecimentos, pessoas mostrem, façam ver claramente o caminho que está conturbado, seja pelo amor, pela dor ou pelo entendimento, juntamente com as possíveis soluções agregada a essa bondade suprema que lhe é peculiar.

1.5              Virtudes concedidas:

1º.- Descoberta de tesouros ocultos, revelação dos grandes segredos da natureza.

2º.- Sono e sonhos que produzem o desejo de concretizá-los.

3º.- Ideias novas e pensamentos sublimes, que levam a resolver os mais difíceis problemas existenciais.

4º.- Discrição para não chamar a atenção sobre as nossas obras.

5º.- Proteção contra as tribulações de espírito.

1.6              Descrição Sefirótica:

ARIEL é o sexto da 6º ordem de anjos denominado como Coro das Virtudes, situa-se na morada filosofal de número 46, rege o sendeiro 24, que une Tiphereth a Netzah em sua trajetória de ida ou descenso pela arvore e de retorno pelo zodíaco. Trata das forças de Tiphereth, o depositário, a nível de consciência, das vibrações emanados do Real Ser as quais serão convertidos em força de vontade e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Netzah responsável pelo gérmen do pensamento humano, pela vida dos sentidos aportando-lhes riqueza e exuberância; “Vô” do Mundo de Briah sobre o “Yod” do Mundo de Yetzirah, Ar da Agua atuando sobre o Fogo da Ar. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada PERCEPÇÃO REVELADORA, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos onde a energia da consciência se projeta, aos mundos inferiores, na esfera do razoável, para exteriorizar o conteúdo de suas profundezas, o que foi gerado, nos planos divino e emotivo – inclusive por nossas personalidades internas ligadas a estes mundos -, nos planos acima e já se encontra maduro para a passagem aos planos mais densos. O processo é efetuado pelas vias da direita, em Netzah, assim, acabará por iluminar os sentidos externos que se mostrarão mais apurados, bem como os internos a eles ligados como a potencialização da clarividência, clarividência. Esta percepção permite o conhecimento antecipado daquilo que está sendo forjado a nível de foro íntimo seja do indivíduo ou da coletividade. Trata-se de uma força de Portadora da Vontade executória de Maravilhas, que nos torna absorto às coisas de cima e, assim, nos deparamos com o autêntico conhecimento, um verdadeiro tesouro interno que se reflete ao exterior e podemos ver claramente o nosso entorno o que outros não veem, os tesouros ocultos, segredos da natureza, fenômenos do mundo material, o funcionamento do universo (não importa o campo de atuação), capaz de resolver os mais difíceis problemas, nos enriquece a vida com novas ideias. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominado Deus revelador.

Invocamos este Gênio para obter revelações, de modo que apareçam em nossa esfera da razão, algo que se encontra nas profundidades de nossa consciência e, deste modo, podemos saber também, o que está sendo formado na consciência do mundo, o que Jung chamaria de inconsciente coletivo já que as pessoas em geral não tem acesso ao mundo de Tiphereth, a sexta dimensão, por isto se diz inconsciente e como se trata da somatória das consciências fala-se em coletivo embora em algumas circunstâncias deem a aparência de difusa então nos lembramos que ao tratar da consciência o fazemos na forma de “ciência com” eis que envolvem não só outros seres, mas todo o ordenamento cósmico.

A partir deste ponto Tiphereth se projeta para os mundos abaixo do seu, começando por Netzah. Até então o fazia em seu próprio plano, como no caso do Gênio anterior influenciava o mundo de Atziluth, agora influenciara Briah e depois atuará em Hod no mundo de Yetzirah e, por fim, ao influir no plano vital já estará atuando em Assiah. Trata-se, portanto, do caminho de descenso onde as forças de Tiphereth influenciarão as energias de Netzah a fim de atuar no plano intelectual, para elaborar um plano, acerca daquilo em que a personalidade divina e emotiva tenha gerado, e, assim, revela o significado dos fenômenos no mundo material. Cabe lembrar que é da personalidade divina o ponto que se origina a emanação da Vontade e, a personalidade emotiva, refere-se a alma humana que fornece a energia que dará o sustento a movimentação para que essa Vontade siga o seu trânsito.

Netzah é a primeira séfira do mundo de Formação, o resultado da operação יהוה – “Yod-He-Vô-He”, sendo o segundo “He” do mundo de Briah e o “Yod” do mundo de Yetzirah, i.e. do mundo “Vô”. É, portanto, o intermediário e o exteriorizador das energias que vem dos mundos acima para plasma-los em Malkuth. Conclui-se daí que tem a percepção exata do que vem do alto e será convertido em vivência já que as informações imediatas, que recebe, provém de Tiphereth, que permite a passagem das energias após equilibra-las e, portanto, fornecerá todo o material acumulado na consciência já em condições de uso. ARIEL, em seu ofício, é o encarregado de fazer esta transição energética entre o chamado mundo dos Desejos e o mundo Etérico. Cabe esclarecer aqui que o mundo dos desejos tem relevante ligação com Netzah, a primeira séfira do mundo de Formação, eis que esta séfira domina os cinco sentidos e que sua atuação de percepção é passiva daí tratar-se de desejos e não de Vontade. Basta dizer que o ego animal está diretamente ligado as percepções sensoriais (visão, audição, olfato, paladar e tato) e aos centros da máquina humana tais como intelectual, emocional, instintivo-motor e sexual. Há ainda o Mental e Emocional Superiores que são diretamente regidos pela consciência e, portanto, o ego animal não pode acessar ou influenciar já que são de natureza ativa. Assim, as energias se projetam pelo lado direito da árvore no sendeiro 24 que une Tiphereth a Netzah em seu caminho de descenso de modo que os sentidos sejam iluminados por estas ressonâncias e a partir daí surja a clarividência, clariaudiência, tato, olfato e paladar bastante desenvolvidos que possibilitem captar evidências materiais e espirituais. Basta lembrarmos que este Gênio produz a iluminação e como está atuando na esfera de Netzah os sentidos materiais e espirituais são hiperativados.

Temos aqui que enquanto as forças 41 a 45 estávamos tratando das coisas de cima, agora a consciência tratará de transluzir para baixo as suas virtudes em razão da dinâmica da força 46.

Ariel administra o raio que sai a consciência e atinge Netzah produzindo o enlace entre a Vontade e o pensamento humano. Do mesmo modo concede a consciência, mesmo quando as pulsações não forem oriundas da Vontade, mas os desejos, que tem tomado conta das energias no mundo de formação e, assim, surge a revelação do que venha a ocorrer. No plano individual dará a consciência do desejo ou da Vontade ainda não manifestado.

O cabalista Kabaleb cita o exemplo da pessoa enamorada e cujo amor vai sendo revelado por Ariel. Há um momento em que não temos a ciência de que queremos certa pessoa, mas, então, vem o dia em que este amor é revelado e aparece em nossa mente a ideia do desejo pela pessoa mencionada. Por vezes nos deparamos com uma pessoa e não nos damos conta da relação que temos com a mesma embora nos mundos superiores tudo já esteja claro, o encontro tenha ocorrido, talvez um fatal desfecho kármico.

CASO:

Certa vez, me deparei com uma pessoa que tive relacionamento em outra existência, em que o destino havia nos separado muito cedo. A sensação de perda ficou gravada nos corpos energéticos como uma memória encubada. Nada fora percebido inicialmente, mas aos poucos as energias foram tomando forma no plano físico o que acabou por originar alguns problemas. Como me pareceu muito estranho tudo aquilo resolvi fazer uma regressão onde então vi a casa, família, como aquilo nos afetou, etc. e presenciei vários acontecimentos, a velhice, inclusive a própria morte, o cordão de prata, e o que veio depois – um templo magnífico no plano espiritual com centenas e milhares de flores -, então, tudo passou a fazer sentido, mas restou a questão de tratar daquela energia que estava em mim que ainda precisava ser tratada. É claro que o tempo cura todas as feridas e o entendimento auxilia em seu direcionamento.

O que em determinados momentos aparente desejo pode referir-se a um desígnio oculto de nosso Real Ser. Assim, quando Ariel nos comunica um desejo, pode estar comunicando ao mesmo tempo o objetivo perseguido por nosso Real Ser, ainda que seja o equilibro da conta, o pagamento de um karma. E do mesmo modo que estamos tratando de desejo é claro que a Vontade se manifestará no mesmo sentido, mas de forma mais límpida, sem tropeços. Já não atua de forma passiva, mas ativamente seja em um projeto, estudo, viagem, caminho, práticas transcendentais, etc. Isto nos lembra um pouco o filme de ficção intitulado Contatos imediatos do terceiro grau em que os personagens faziam coisas em razão de um certo impulso, mas não entendiam o que estava acontecendo até que nos finalmente tudo foi se esclarecendo.

Alguns anos antes de escrevermos estas linhas iniciamos uma busca de informações das quais não fazíamos a menor ideia do que se tratava, parecia mais uma mania, um impulso doentio e incompreensível. Muitas atitudes e coisas estranhas para quem via de fora, mas as informações vinham e fomos organizando aquelas coisas até que em algum ponto começaram a fazer sentido, algo semelhante a alguém que vai para a escola para aprender a ler e escrever, o aprendizado das letras não faz o menor sentido até que começam a se combinar e formar palavras e depois frases, textos, etc.

Estas revelações – que na realidade são develações já que revelar refere-se a velar de novo mas, a gramática tem utilizado esta palavra no sentido de desvelamento, de tirar o véu, mostrar -, não se referem somente a particularidades, situações individuais mas, pelo contrário, tratando-se da consciência ou “ciência com” vai muito além, proporcionam os segredos da natureza, da organização do mundo pelas vias do Mental e Emocional Superior, dessarte, podemos ter acesso ao conteúdo do Mundo Arquétipo, do Mundo da Criação. As pessoas influenciadas, nascidas nos momentos de regência deste Gênio, principalmente em “Vô” e segundo “He”, tem a faculdade de trazer ao mundo as revelações em conceitos claros de modo que possam ser entendidos pelos demais. Quanto mais sejam almas antigas, com muitas experiências e com a mente (Vô) preparadas. (Este mensageiro tem Netuno atuando a 17,42º de Escorpião, portanto na fase “Vô” do quinquídio). Quando nos tornamos o receptor de uma revelação, concomitantemente, vem responsabilidade de transmitir o conhecimento a quem esteja preparado para recebe-lo.

Cabe lembrar aqui que aquele que bloqueia, impede o progresso do próximo o faz a si mesmo. Por isto, recomenda-se errar em ser pródigo e não na mesquinharia. Um dos Karmas relacionado a esta situação e vir ao mundo, sentir profundamente que precisa encontrar, fazer algo e andar totalmente na escuridão, desassossegado. Pode durar um período, uma existência ou várias existências. Talvez ocorra ainda de encontrar o conhecimento quando não haja mais condições de utiliza-lo…

 

1.7              Das virtudes concedidas:

1.7.1    Descoberta de tesouros ocultos, revelação dos grandes segredos da natureza.

O tesouro oculto é o conhecimento que está inscrito em nossa consciência e claro na consciência coletiva onde se encontram os segredos do funcionamento do universo. Este tesouro nos possibilita vivermos muito bem, como um rei ou como um Deus se assim quiserem expressar. Embora se trate de uma riqueza interna pode ser revelado como um bem externo que possibilite realizar as aspirações já que faz aflorar em nós nossas potencialidades ocultas de modo que somos enriquecidos com ideias novas provindas do alto. Este tesouro depende da quantidade e qualidade de experiências vividas ao longo da vida que deve ser entendida aqui como o conjunto das existências de um indivíduo. Conforme temos aprendido são poucas as almas que almejam o Mestrado. Há consciências muito pobres de experiências que passam a vida praticamente vegetando, vivendo no estado passivo, somente diversão, pesca, jogar bola, perdendo tempo com coisas pequenas, inúteis que não levam a lugar nenhum, nem produzem nada e quando sua existência termina não aprenderam nada, não sabem mais do que quando chegaram a este mundo. Assim, quando estas pessoas recebem o conteúdo da sua consciência colocado à sua disposição por Ariel em quase nada lhe servem, muito pouco se aproveita. Contudo aqueles que aproveitaram bem sua vida, suas existências, possuem, agora, um autêntico tesouro experimental que lhes permite guiar os seus passos com lucidez, se deparar com um achado que mudará totalmente a sua trajetória. Ao plasmar este tesouro que vem de planos superiores, estas pessoas encontram a forma de enriquecer, seja pela atividade econômica, ganhos com loterias, jogos de azar, descoberta de tesouros enterrados.

Segredos da natureza

A natureza do achado dependerá do nível evolutivo do indivíduo, se for alto será de natureza espiritual, e como estamos tratando de Tiphereth poderá ser uma revelação Crística que mudará os rumos de sua vida. Contudo se o nível evolutivo for baixo o tesouro será de natureza material e igualmente se abrirão novas possibilidades, se for empresário, descobrirá um filão, uma patente, um achado, algo que estava oculto e que ninguém enxergava embora estivesse ali – o tempo todo, uma inovação no mercado, uma circunstância que permita amear fortunas, um filão inesgotável. As ressonâncias deste Gênio desvelarão achados esplendorosos, de grande utilidade, beleza, que encantam à primeira vista dignos de uma empresa de ponta que terminará por inspirar outras empresas no ramo.

Não haverá necessidade de alardear o descobrimento pois a obra mesma falará por si. Tudo dependera da natureza deste tesouro interno. Seja qual for o caso este autentico tesouro interno se arremessará, agora, para o exterior e assim procedendo, dará lugar ao descobrimento de um tesouro oculto.

Alguns cabalistas consideram Ariel como o patrono das loterias o que nos leva a tentação de, ao descobrir esta dinâmica do universo, cair na tentação de invoca-lo para alcançar a graça de ganhar na loteria. Contudo o que faz Ariel é colocar as informações contidas em nosso interior para descobrirmos os tesouros do alto. Quando isto ocorre automaticamente se plasmara o no físico, o tesouro se cristalizará na Terra. A condição “sine qua non” é que tudo ocorra de cima para baixo pois como temos afirmado o exterior é o reflexo do interior. Assim, seja lá qual for a atividade que exerçamos, cabe pedir ajuda a Ariel para que este tesouro se cristalize em nossa existência, que nos de as experiências do passado que possam nos auxiliar a existência atual.

Abrimos um parêntese para tratar da questão dos jogos, loterias etc. Algumas vezes quanto alguém tem uma boa reserva dharmica, de boas ações, a dinâmica da Justiça Eterna, em um processo natural que visa o equilíbrio (entre outras questões) faz com que alguém ganhe o prémio. Existem aqueles que ganham com cassinos, bingos, etc. No entanto, cabe esclarecer que quando alguém ganha sem dar nada em troca tanto pode ser consequência de um processo kármico o que fecharia a equação mas, também ocorre que aquele de quem foi tirado fique em desequilíbrio, lesado já que saiu energia sem que nada tenha entrado em seu lugar. Cabe esclarecer ainda aqui que dinheiro é uma forma de manifestação da energia no mundo físico. Agora, multiplique este desequilíbrio pelo número de pessoas lesadas e teremos uma enorme nuvem de energia que necessita ser equilibrada, já que a busca pelo equilíbrio é uma Lei do cosmos. Percebam que todas essas pessoas estão ligadas pelo desequilíbrio energético criado pelos jogos onde a violação da regra dispõe que enquanto um ganhe outros tantos tenham que perder.

 

Outros gênios que atraem a fortuna:

  1. 1->6 LELAHEL: Fortuna natural como resultado de um trabalho realizado;
  2. 3->7 YEIAIEL: Proporciona a fortuna pelo renome, boa imagem, divulgação;
  3. 4->8 LECABEL: Fortuna em razão do talento natural;
  4. 6->7 ARIEL: Descoberta de um filão inesgotável;
  5. 7->9 POYEL: Fortuna em razão do talento e conduta;
  6. 8->4 HARAHEL: Talento na bolsa de valores, especulações benéficas;
  7. 9->2 DAMABIAH: Fortuna por uma descoberta.

Dar graças

Este Gênio nos auxilia a agradecer a Deus belas graças recebidas. O agradecimento pelo recebimento já no momento do pedido é um ato de fé pois pressupõe o recebimento, mesmo que ainda não esteja cristalizado no mundo físico, cria em nós a predisposição favorável ao recebimento do pedido. Assim, é justo que se recebemos as revelações pelas vias de Ariel o senso de justiça nos impulsiona a expressar o agradecimento por este mesmo canal. O agradecimento faz parte de nosso dia a dia, das regras básicas de educação, uma cristalização no físico do que ocorre acima, e quando o fazemos criamos a predisposição para que nos façam outros favores. Deste modo, quando recebemos a iluminação, a verdade, o desvelamento de algo, terminada a mensagem lembremos de dar graças a fim de que estes mecanismos despertos sejam confirmados, ativados em nossas partes internas, que tomemos cada vez mais consciência de sua manifestação e tornem-se perenes.

Alguns povos instituíram o dia de ação de graças com a finalidade de lembrar e incentivar o sentimento de gratidão e, assim, nos tornar propensos a receber mais. Em algumas escolas há um culto de gratidão que visa o agradecimento a todas as graças recebidas de modo bastante expansivo. Assim, ao agradecer pelo alimento, o faz ao comerciante, ao produtor, e a todos que de algum modo participaram para que aquela refeição fosse posta a mesa. Agradece-se ainda aos antepassados que foram acumulando todo o progresso que foi trazido e ampliado de geração em geração.

1.7.2    Sono e sonhos que produzem o desejo de concretizá-los.

Esse gênio descobre os tesouros ocultos, revela os maiores segredos da natureza, dá a faculdade de ver em sonhos os objetos desejados.

Temos percebido que antes que algo ocorra no plano físico sucede primeiro nos planos superiores e em especial no Mundo Astral, o Mundo de Yetzirah que está logo acima do nosso. A noite deixamos o corpo físico para que, entre outras coisas, nossa essência, na ausência do ego se recomponha. Como grande parte da humanidade possui somente 3% (três por cento) de alma, de consciência, e considerando que mesmo esta consciência não está desperta, mas adormecida, à noite, ao deixarmos o corpo físico vagamos pelos departamentos do Mundo Astral como fantasmas, com pouca solidez, quase nada de consistência, por vezes até sendo vítimas em razão de sua carência, nos tornamos vulneráveis, em razão do que criamos em nossos mundos internos, além dos perigos já existentes.

Já vimos que o mundo é um sonho de Brahma. O nosso universo pulsa entre os dias (Pralaya) e as noites (Manvantara) cósmicas segundo os ensinamentos herméticos e, é durante as noites em que Brahma, que o Ser Supremo sonha a futura criação que em breve se tornará realidade. Temos visto que pela Lei de Hermes: Assim como é em cima o é embaixo e vice-versa. Se de um lado temos o macrocosmo, do outro encontramos o microcosmos-homem que segundo os Textos Tradicionais foi feito a imagem e semelhança de Deus. Assim, o que ocorre no macrocosmo encontra seu reflexo no microcosmo do mesmo modo em que a Lua reflete os raios do sol. É durante o período do sono, no mundo dos sonhos, que nossos corpos inferiores, ou seus fantasmas para quem não os tem formado, em especial o veículo astral, recolhe os desígnios de nosso Real Ser transladado por ARIEL a nossa mente humana para que o tornemos realidade no mundo em que vivemos. Cabe esclarecer que este mundo dos sonhos não existe somente quando estamos adormecidos. Pois trata-se de um mundo diverso de onde temos nossa atual manifestação, existência e, como temos uma contraparte nestes planos, ainda que em pequena quantidade energética, pode ocorrer que enquanto estejamos exercendo qualquer atividade no mundo físico nossas contrapartes estejam recebendo instruções, visualizando as tarefas que devem ser realizadas. Em momentos de atividade intrínseca como a concentração, meditação, ou quanto por qualquer momento aquietamos nossa mente e sentimentos egoicos como por exemplo um período de paz, em que observamos um pôr do sol e o mundo externo se apaga, podemos perceber de forma consciente os desígnios, as instruções, conhecimentos que vem a nós pelo conduto de nossos veículos internos, sejam estes oriundos de nosso Real Ser ou de alguma Jerarquia qualquer.

Outros Gênios que trabalham com os sonhos:

  1. 2->5 HAHAIAH: Sonhos instrutores; interpretação dos sonhos;
  2. 3->2 LAUVIAH: Revelações durante o sono. Sonhos proféticos;
  3. 4->2 NITH-HAIAH: Sonhos premonitórios vindos de Briah M. dos desejos;
  4. 6->7 ARIEL: Sonhos com os programas divinos, ideias novas – Instruções do Real Ser, Jerarquias;
  5. 9->3 MANAKEL: Poder conciliar o sono e os sonhos, ameniza as imagens, interpretação do sonho pela intuição.

Outros Gênios que nos auxiliam a saber o que queremos, tomar decisão, encontrar um caminho:

  1. 2->8 HARIEL: Vontade do Pai a nível mental;
  2. 4->4 YERATHEL: Nos faz encontrar a Luz que resplandecente que indica a Vontade do Real Ser;
  3. 6->7 ARIEL: Sonhos com Instruções do Real Ser;
  4. 6->8 ASALIAH: Pessoas, entidades, lugares idóneos para realização de um propósito;
  5. 6->9 MIHAEL: auxilia a elaborar o querer;
  6. 6->3 DANIEL: nos auxilia a saber o que se quer; inspiração, determinação, bom juízo diante de várias opções;
  7. 7->7 NITHAEL: unifica tendências, traz estabilidade nas decisões.

1.7.3    Ideias novas e pensamentos sublimes, que levam a resolver os mais difíceis problemas existenciais.

Este Gênio nos auxilia a ter ideias novas, pensamentos sublimes que emanam de nosso Real Ser, das Jerarquias, como já o temos explicado, e com estas inspirações poderemos resolver os mais difíceis problemas. O procedimento da oração, de pedirmos a nosso Ser Interno, as entidades que nos auxilie nos ilumine é conhecida quase que instintivamente pelo ser humano. ARIEL é o canal de intermediação, que nos faz conhecer o que nossa divindade interna está elaborando o tempo todo e introduz em nossa mente, de forma clara, o que está sendo elaborado, por isto este Gênio é chamado de: O portador das novas idéias. Faz-se necessário incorporarmos esta essência para que possamos compreender a linguagem em que nos fala nosso Ser emotivo que por estar em um mundo acima de Yetzirah, o mundo mental, não se comunica por meio de ideias, mas por emanações de sentimentos, símbolos sejam em sonhos ou na existência cotidiana que, de outro modo, se não for interiorizado este fluxo de energia, não há como entender, e as boas e novas ideias ficaram sem expressão, sem existência material, mesmo que o ser humano seja bombardeado com infinitas imagens simbólicas, não as aproveitam, perdem as oportunidades.

1.7.4    Discrição para não chamar a atenção sobre as nossas obras.

Convêm que não chamemos atenção acerca de nosso achado, manter a discrição é ato de prudência e de humildade. Na hora oportuna os achados se projetarão por si mesmo.

Ariel trabalha sobre os sentidos e, se tem o poder de potencializa-los, também pode atuar no modo contrário de modo a tornar oculto nosso achado enquanto seja seguro mantê-lo desta forma e, assim, manter longe dos olhares, ouvidos, etc. danosos.

Outros Gênios trabalham sobre a discrição:

  1. 1->4 ELEMIAH: Discrição para não chamar a atenção sobre nossas obras, trabalho oculto para crescer a sombra de uma ameaça;
  2. 2->5 HAHAIAH: Discrição sobre o que estamos fazendo;
  3. 6->7 ARIEL: Discrição para não chamar a atenção sobre nossas obras.

1.7.5    Proteção contra as tribulações de espírito.

O lado negativo da força

O Gênio contrário causa as tribulações de espírito, atos inconsequentes, e influi sobre as pessoas e entidades débeis. Tudo decorre de que as visões emanadas de cima, os desígnios do Real Ser, das Jerarquias, etc., chegam invertidas e são a causa de grande confusão já que não se sabe o caminho a seguir, tudo parecerá sem sentido, inclusive a própria ideia da divindade já que esta também estará sendo vista pelo seu contrário e em consequência vem as tribulações do espírito, em razão da desorientação já que os desígnios superiores não trazem o Norte.

Em síntese, quanto esta força se manifesta invertida é sinal e que o indivíduo nada possui em seu foro interno, está vazio de conteúdo. Para que algo se manifeste no físico, no externo, deve preceder a manifestação nos mundos superiores, no interno do indivíduo e se isto não ocorre é por que nada existe ali. Como Netzah refere-se a arte, a beleza, o seu contrário dará manifestação a fealdade, a falta de brio, o que acarretará a produção de coisas feias, horríveis, com comportamentos inconsequentes, imaturos, irresponsáveis e quem observa de fora dirão tratar-se de um débil mental, idiota e ante esta dura realidade suportara o fracasso, as tribulações de espírito podendo ser internado como louco. Ante esta loucura procurará apoio nas ciências ocultas, videntes, realização de trabalhos negros pois o contrário da iluminação são as trevas.

Quando a pessoa recebe um dom e não está preparado causa grande dano a si e aos que estão a sua volta ou dela dependem. Assim ocorre também quando alguém adquire um alto cargo em razão de amizade, parentesco, ao receber como ajuda por fazer parte de uma entidade secreta onde os membros se protegem uns aos outros de forma incondicional, ou mesmo quando se ganha na loteria, jogos de azar já que por influência deste Gênio, mesmo o negativo, isto pode ocorrer. Assim, vemos pessoas que enriqueceram de um dia para o outro e, no curso da existência perderam tudo, votaram ao estado em que se encontravam ou em condições piores. Outros que tomaram o poder indevidamente, causaram danos a sua volta seja pela incompetência – por violarem a Lei יהוה – “Yod-He-Vô-He” – semear, cultivar, crescer e dar frutos nos tempos -, seja pela vaidade e, agregaram pesados karmas em sua vida, além da consolidação de seu naufrágio humano.

O lado positivo desta energia influenciou pessoas como Ghandi, C. G. Jung, etc., ao passo que o lado negativo tratou de pessoas como Fidel Castro, Napoleão, entre outros.

 

1.8        Escrituras

“S 145:9 (144-9) teth bonus Dominus omnibus et misericordiae eius in universa opera eius.

A bondade do Eterno é para todos e sua misericórdia se estende sobre todas as suas obras.”

 

1.9         Oração

“ARIAL: Deus Revelador.

ARIAL: Senhor, eu quero desprender-me de minhas redes materiais

para percorrer em liberdade os seus espaços sem fim;

eu quero ir além do mundo concreto e saturar-me de eternidade..

Quero que me reveles. Ó Senhor ARIAL!,

todos os segredos contidos em sua profundidade divina, um a um, em perfeita ordem,

de forma que meu frágil intelecto possa assimilá-los e projeta-los ao mundo dos homens.

Ilumina, Senhor, os meus centros de percepção,

para que possa ser útil nessa magna empresa

de descobrir nos meus irmãos os tesouros que estão em meu interior”.

 

1.10          Exortação

“O Eterno me colocou neste ponto do espaço para que os sentimentos e a razão

juntem suas forças para expressar os mistérios do céu.

Em mim descobrirás, peregrino, o sabor das coisas eternas,

e quando tiver testado meus manjares, já não poderás viver sem eles.

Quero que infundas nos mortais esse desejo, essa apetência da minha cozinha,

que os embriagues com meus licores,

que faça deles, meus adictos, fãs, meus Arielmaniacos.

Eu farei de ti uma tocha acesa nesta parte dos céus, geralmente obscura,

e a sua missão será a de iluminar o caminho adiante

àqueles aos quais voltam seus olhares nostálgico para trás.

Tu serás essa luz que alenta em um dos pontos críticos do caminho;

essa luz que oferece garantias de futuro, segurança do porvir.

Se tu não existisses, peregrino, se tu não cooperasses com os meus poderes,

uma ponte estaria quebrada

e muitos seriam os que se veriam obrigados a marchar para trás.

Tu és o elo de ligação entre a minha luz e suas trevas.

Não me defraudes, sejas fiel, nessa missão essencial”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s