45. 6->6: SEALIAH


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 6 – Virtudes  
Príncipe: Michael.
Mundo do coro: 2 – Briah, Mundo das Criações, Astral, mundo dos desejos – elemento Agua.
Signo: Escorpião.
Elemento zodiacal: Agua.
Relação/elementos: Ar da Agua.
Relação/mundos: “Vô” do Mundo de Briah.
Velas:  Amarela em cima e duas amarelas em baixo.
Incenso: [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera].
Letras: Samekh – Aleph – Lamed – Yod – Heh
Gemátria: 60+1+30+10+5 = 106 = 1+0+6 = 7
Arco:  221º a 225º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 10 a 15° de Escorpião ou 3 a 7 de novembro.
Invocação por rotação: de 14 a 15 de Touro: “Yod” ou 5 de Maio;

de 26 a 27 de Câncer: “He” ou 19 de Julho;

de 8 a 9 de Libra: “Vô” ou 2 de Outubro;

de 20 a 21 de Sagitário: 2º “He” ou 13 de Dezembro;

de 2 a 3  de Peixes ou 21 de Fevereiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   14:40:00 às 15:00:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando o Sol se encontra em um dos graus de Sol, ou seja, entre 5º a 6º, de 15º a 16º e de 25º a 26º de qualquer signo.
Atributo: Motor de todas as coisas.
Nome da essência: Motor (Equilíbrio – 4 elementos).
Nome da Força: Portadora da Vontade executória do Equilíbrio.
Forças em ação: A força de Tiphereth resplandece as virtudes de seu próprio centro.
Sendero: 6, de Tiphereth a Tiphereth, no meio da árvore e em seu caminho de volta pelo zodíaco.

1.2              Palavras chaves:

CURA-SAÚDE – coração, MOTOR, vontade reencontrada – folego, ENTUSIASMO, MERITOCRACIA, EQUILÍBRIO atmosférico, MAGIA ELEMENTAL, confusão dos malvados, REBAIXA ORGULHOSOS, aprendizagem, LEVANTA HUMILHADOS, desobstrução dos caminhos.

(-) atmosferas elementares, ORDENS CONTRADITÓRIAS.

1.3              Movimentação Sefirótica: Seis na sexta posição

Corresponde a posição do Sol em Leão, portando as forças atuam em seu próprio domicílio. Tiphereth é o centro da árvore e se comunica com todas as séfiras diretamente e com Malkuth por reflexo de Yetzirah, assim como faz a Lua em relação ao Sol. Estas emanações são de equilíbrio salvo se algum dos canais que chegam a Tiphereth estiveram com alguma obstrução. Como consequência, no plano físico dará lugar a pessoas, negócios, coisas, etc. equilibradas.

1.4              Arcano – Mundo: Seis de espadas no mundo de Briah

Recebe o título de Senhor do Êxito Merecido. Refere-se ao elemento Ar e astrologicamente corresponde a posição do Sol transitando pelo terceiro decanato de Aquário onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Mercúrio.

Neste ponto as restrições de Binah o construtor do universo, centro instituidor de todas as coisas de onde emanam a Lei e a ordem, expressa-se por intermédio de Tiphereth, a séfira que transmite mais LUZ que qualquer outra, responsável pela consciência, que tudo harmoniza, e pela manifestação da Vontade de Kether a nível prático. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Hod, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Trata-se de um fluxo em que Tiphereth reina e, sem percalços, estabelece suas Leis junto ao indivíduo de acordo com seus merecimentos em virtude de suas atuações passadas e de seu presente programa de vida. A fim de dar este prosseguimento a pessoa se desfaz de tudo o que seja desnecessário, inútil, parasitário e constrói sua vida de acordo com as necessidades cósmicas sejam estas necessidades de amor ou do rigor no intuito de subsistir. Temos aqui a criação do porvir na justa medida e com a conjunção de todas as séfiras que se comunicam com Tiphereth de modo que está luz já estará manifesta no pensamento por obra de Binah e se projetará em seu terceiro “Vô” no mundo físico, proporcionando que a então forma mental se converta em objeto. E como há um grande fluxo das ideias de cima para baixo o resultado será o inovador, o descobridor, o inventor.

Caso este fluxo não tenha forças suficientes para vencer seu curso, dará origem ao pedantismo como resultado da potência que não se transformou em ato, frustração, uma falha no caminho, mas que poderá ser corrigido se a energia, embora não tenha forças para prosseguir por si, encontrar em sua rota um facilitador, um outro instaurador do fluxo.

Quando o seis de espadas atua em Briah propõe a realização das obras de Hochmah no mundo das emoções em Tiphereth, nos deparamos com o rio onde desagua este fluxo, mediante o sacrifício.

1.5             Virtudes concedidas:

1º.- A confusão dos maus e orgulhosos.

2º.- O levantamento dos humilhados e degradados.

3º.- Restaura a saúde e produz uma explosão de vida.

4º.- Facilidade no aprendizado de qualquer coisa.

5º.- O equilíbrio na atmosfera.

 

1.6              Descrição Sefirótica:

SEALIAH é o quinto da 6º ordem de anjos denominado como Coro das Virtudes, situa-se na morada filosofal de número 45, rege o sendeiro 6, em que Tiphereth resplandece as virtudes de seu próprio centro. Trata das forças de Tiphereth, o depositário, a nível de consciência, das vibrações emanados do Real Ser as quais serão convertidos em força de Vontade; o “He” do Mundo de Briah, Ar da Agua. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada Motor (Equilíbrio – 4 elementos), o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que vivifica, regenera todas as coisas, como faz o Sol o com tudo que sofre sua influência; energiza as sementes tornando-as fecundas, põe tudo em movimento, eleva o que está embaixo e rebaixa o que está em cima a exemplo do que faz com a agua (e também os sentimentos), coordena os ciclos naturais, equilibra os elementos. Trata-se de uma força Portadora da Vontade executória do Equilíbrio que nos permite retomar a marcha quando hajamos nos emperrado no caminho da vida, eis que, são pontos de vontade reencontrada que realoca tudo que esteja em tensão, tendentes ao movimento, derrubadora de obstáculos, libera das dúvidas, dos impasses pois suas pulsações são estimulante, produzem o entusiasmo dando a vida um sentido mais amplo inclusive atua na recuperação da saúde já que, esta energia Solar, produz o movimento desde a menor partícula da matéria antes mesmo de sua visualização. É, portanto, um produtor de energia, de calor. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominado Motor de todas as coisas.

Este atributo “Motor de todas as coisas” se expressa muito bem em Tiphereth já que sem o calor do Sol nada no universo haveria de manifestar-se de modo que o indivíduo influenciado por este Gênio se assemelha ao Sol pois tem a faculdade de despertar o entusiasmo, o alento como o Astro Rei o faz em todas as coisas.

Se em nossa vida há muito sol, muito fogo e vem o desânimo estas energias é que nos dão as forças para seguirmos adiante; reencontrarmos nossa vontade interna, mobilizamos as legiões de nosso reino com a ordem: “Em marcha. ” E então as colunas de nosso exército se põe em tensão e iniciam sua caminhada ainda que estejam em aguas pantanosas, densas florestas, sol escaldante, avançarão e se porão a caminhar rumo a meta traçada sem se deter por qualquer motivo que seja, eis que, desperta em nós e nos demais o entusiasmo até então adormecido, portador de vida lato sensu.

Na árvore, este Gênio situa-se na metade do sendeiro Sol-Sol; no zodíaco encontra-se na via de retorno já que ultrapassou o Gênio 36. Como Tiphereth tem sua sede na coluna do meio, podemos dizer que estas energias se situam no centro do mundo das criações, de Briah, portando na metade do mar dos desejos. A partir daí nos depararemos com o mundo de Yetzirah, onde já brotam as formações o que provoca um vacilo na descida. Então vem o questionamento, se não seria melhor retornar às suas origens divinas em vez de projetar-se para o abismo do mundo material, onde se deparará com os problemas que desde já são sentidos. SEALIAH vem com suas vibrações de entusiasmo para sacar o indivíduo das reflexões e nos conduzir ao mundo do qual pretendemos fugir a fim de alcançarmos a luz da experiência.

Neste sentido, auxilia nos trabalhos de partos onde se preveem inclusive a utilização de fórceps ou trabalhos similares. Estes casos podem ocorrer quando o nascituro sente que há uma grande carga kármica que terá de enfrentar na existência que está para ocorrer. Se o parto se anuncia difícil convém pedir ajuda a SEALIAH ainda em tempos anteriores ao nascimento já que Yesod-Lua está em um momento mais adiante.

Devemos considerar ainda que em se tratando de Tiphereth o fazemos em relação a consciência ou “ciência com” que tem sua sede na sexta dimensão. Tudo o que existe no universo possui seu grau de consciência. Mesmo um átomo a possui e é nesta consciência que se encontra as informações de toda a sua estrutura já que a sexta dimensão refere-se ao mundo causal, mundo das causas naturais. Trata-se da consciência representada pelo Shin (ש) no topo do pentáculo que comanda os quatro elementos. Esta consciência no topo do pentáculo também recebe o nome de alma e, a alma dos elementos, dos quatro reinos, recebem o nome de elementais. A “ciência com” está em tudo, portando se comunica com o universo em identidade “com” o “Um”. É a consciência que fornece as informações ao DNA, cuja origem mais distante está em Binah, portanto, alterando-se, evoluindo o estado de “ciência com” altera-se também o DNA. Podemos deduzir, assim, que a descoberta de Darwin não se refere a algo meramente acidental, casual, mas uma alteração que se reflete em toda uma cadeia por fazer parte da Unidade. Como estamos tratando de uma comunicação Universal que parte desde os planos superiores, não é de se admirar que, se um grupo de animais passarem a ter um comportamento qualquer em um ponto do planeta, em outro ponto, mesmo que não se comuniquem fisicamente, tal comportamento poderá ser observado. O mesmo se refere às pessoas, sejam em comportamento, ideias, sentimentos, etc.

A consciência é o “Motor de todas as coisas” pois é onde nos deparamos com a energia. Estas informações não são físicas, mas mapeiam sua manifestação até Malkuth.

Tem se afirmado que Einstein utilizava dez por cento de sua capacidade cerebral. Capacidade cerebral não é o mesmo que consciência. Quando vimos a este mundo, de uma maneira geral, nos é concedido cerca três por cento de consciência, de alma, de energia como queiramos chamar. O restante temos que conquistar com nossos próprios esforços. Nossa capacidade cerebral aumenta, conforme conquistamos nossa consciência e a pomos em atividade. Nosso cérebro é algo semelhante a um disco rígido que armazena todas as informações que recebe e são processadas pela CPU. Se computador está isolado as informações serão somente aquelas colocadas por um dispositivo de armazenamento qualquer, mas se estiver ligada a rede há um conhecimento sem fim. Quando toda informação que temos provem dos cinco sentidos somos semelhantes a um computador isolado, sem estar conectado à rede, a Unidade. Nosso cérebro trabalhará com o que recebeu. Mas se adentrarmos a rede, a “ciência com” então estaremos processando outras informações e nosso cérebro passará a acessar um campo mais amplo que inclui não somente ideias, mas sentimentos, vontades que emanam da Unidade até se chegar a um ponto em que é claro este cérebro não mais poderá alcançar e entra em funcionamento o chamado “mental superior”. Enquanto o mental inferior trabalha até o limite dos cinco sentidos, o mental superior atinge o conhecimento que beira a consciência. Trata-se de um conhecimento que não pode ser expresso, mas que é traduzido até onde seja possível a um mundo inferior. Obtém-se assim a sansão, a osmose, a Unidade, de um conhecimento infinito que a princípio seria inacessível já que o finito não pode conter o infinito, contudo como o indivíduo consegue estar, por um momento, de posse de dois instrumentos, o mental acessa fragmentos do inacessível e pretende traduzi-lo até onde seja possível, ao seu mundo de acesso e, neste momento nos deparamos com um pensamento que possui conhecimentos que estão além de sua manifestação meramente intelectual, que incita sentidos superiores, a sensação de uma verdade além da verdade comumente acessível e limitada.

Grande parte dos textos sagrados, e até outros textos, foram obtidos deste modo e por isto são inspiradores. Carregam em si o fluxo da verdade e transmite uma certeza interna ainda que pareçam incompreensíveis, mesmo que não se tenha as chaves para o desvelamento. Então nos deparamos com uma história inspiradora para os mais humildes e um cabedal de sabedoria para os sábios.

Mas não adianta ter mais de três por cento de consciência se esta não estiver ativada, Se permanecerem adormecidas não terão utilidade alguma, será como uma super ferramenta adquirida e que permanece no porão. Então é necessária utilização de algumas práticas para por esta consciência em atividade e torna-la desperta. Entre elas estão os mantras, desdobramento astral, concentração, meditação. Algumas práticas despertam a consciência de forma subjetiva e outras de formas mais objetiva. Com a consciência desperta poderemos adentrar outros mundos, conversar com outros seres, ativar outros sentidos que vão além dos cinco já conhecidos. O Mago nunca dorme como um animal, muito pelo contrário, aproveitas as ondas da natureza, o sono para realizar suas investigações, práticas, contatos, etc. Os momentos “far niente” os aproveita para alguma mentalização, visualização, trabalho com as forças da natureza, etc. Enquanto os adormecidos pensam que está Shin o Aleph permanece mais desperto do que nunca…

 

1.7             Das virtudes concedidas:

1.7.1    A confusão dos maus e orgulhosos.

Auxilia a confundir os maldosos e orgulhosos e a levantar os humilhados e decaídos.

SEALIAH, por ser um puro, genuíno representante de Tiphereth-Sol, possui um alto potencial luminoso e como encontra-se em posição central na árvore, esta Luz não se derrama para o exterior, mas concentra-se no centro de modo a produzir uma exaltação interna, da consciência queimando todas as larvas que possam causar danos ou que se oponham a sua natureza.

O orgulho leva a defender posições que objetivamente não podem ser sustentadas. Sabemos que as energias Críticas são de natureza humildes, mas de consciência plena, assim, os malvados internos se verão confundidos diante desta luz e os propósitos promovidos pelo orgulho se desvanecerão.

1.7.2    O levantamento dos humilhados e degradados.

Se a pessoa nasceu em berço humilde este Gênio o elevará acima de sua condição. Se o indivíduo é pessoa orgulhosa, presunçoso, será posto em seu merecido lugar. Os que foram injustamente rebaixados, humilhados, degradados serão elevados ao seu justo nível e as esperanças voltarão a seus corações, mesmo porque, ninguém permanece eternamente a mercê de seus inimigos, de um karma, tudo está em movimento e, portanto, tudo passa. Cabe lembrar que tudo o que vem de baixo está submetido a uma Força de Repulsão próprio da Lei do Equilíbrio que rege todo o Universo.

SEALIAH, em razão da posição central na qual se encontra, exerce uma função equilibradora de modo que, o que subiu em demasia desce, e o que baixou além de seu limite agora sobe. Este equilíbrio ocorre quando os desígnios de nosso Real Ser estão na metade do caminho, no ponto em que tratamos agora, ou seja, depois de atravessar o mar das emoções de Briah representado por Hesed, Geburah e o ponto central de Tiphereth, então este ajuste ocorre como um preparo para enfrentar o resto da viagem.

O que ocorre em nosso interior cristaliza-se no externo, assim, quando os malvados internos são confundidos pela Luz de Tiphereth, no exterior a situação vem a se cristalizar e os humilhados e degradados são elevados ao seu ponto natural.

1.7.3    Restaura a saúde e produz uma explosão de vida.

Esse gênio domina a vegetação, dando vida e saúde a tudo que respira e influi sobre os principais agentes da natureza.

Como SEALIAH está ligado a Tiphereth puro é considerado o mais eficaz agente da saúde, trará alívio e vida a todos os que vivem sob sua influência. Se a pessoa está enferma, será curada, os inférteis tornar-se-ão fecundos. Basta lembrar que por onde passava Cristo, dele, saiam virtudes.

“Marcos 5:24-34 E foi com ele, e seguia-o uma grande multidão, que o apertava. E certa mulher, que havia doze anos tinha um fluxo de sangue, e que havia padecido muito com muitos médicos, e despendido[gastado] tudo quanto tinha, nada lhe aproveitando isso, antes indo a pior, ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua vestimenta.

Porque dizia: Se tão-somente tocar nas sua vestes, sararei. E logo se lhe secou a fonte do seu sangue, e sentiu no seu corpo estar já sarada daquele mal. [ou flagelo, ou açoute]

E logo Jesus, conhecendo[Gr. epiginoskei: conhececendo conscientemente e entendendo completamente] em si mesmo que a virtude[Gr. dunamis: um poder, uma força] dele saíra, voltou-se para a multidão e disse: Quem tocou nas minhas vestes?

E disseram-lhe os seus discípulos: Vês que a multidão te aperta, e dizes: Quem me tocou?

E ele olhava em redor, para ver a que isto fizera.

Então, a mulher, que sabia o que lhe tinha acontecido, temendo e tremendo, aproximou-se, e prostrou-se diante dele, e disse-lhe toda a verdade.

E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai em paz e sê sarada deste teu mal.[açoute]”

Este Gênio leva a vida e a saúde a tudo o que respira e influi sobre os principais agentes da natureza. Como Tiphereth está no centro da Árvore, rege o coração, motor central do organismo que assegura a saúde mediante a boa distribuição do rego sanguíneo, o equilibro energético em todo o corpo, desobstrui os fluxos em nosso organismo em nossa vida. Assim, se desejamos a cura podemos invocar o nome de SEALIAH e, nas operações de Tiphereth (em geral) solicitamos a cura: Em nome do Cristo, pelo poder do Cristo, pela majestade do Cristo – lembremos que o verbo tem poder, a força da fé é da própria consciência ou “ciência com”..

Cabe esclarecer aqui que no esoterismo há uma distinção entre a figura de Jesus e Cristo. Cristo é tido como uma substância universal que tem sua sede inicial em Tiphereth, na sexta dimensão. Substância esta que todos podemos encarnar mediante alguns trabalhos espirituais. Quando observamos uma operação de cura, sacrifício em prol do outro sendo realizada, é esta energia que está em atividade. Energia que tem sua expressão em Tiphereth e sua sede em Hochmah sendo esta última em um plano muito alto e, portanto, a priori, somente por intermédio de Tiphereth pode ser acessada.

Alguns cabalistas ensinam que Jesus seria a reencarnação de Salomão – o homem mais sábio que saiu do ventre de uma mulher -, depois de algumas existências de depuração, de evolução. A questão que já devemos ter percebido é que a cabala está longe de ser uma fé dogmática, então, os ensinamentos ministrados não devem ser tratados como uma conclusão arbitrária, embora caiba investigação, sempre, pois compete a cada um encontrar a verdade sob pena de estancamento em algum ponto do caminho. Os conhecimentos, provindos dos Mestres, são apenas um ponto de partida para aqueles que nada possuem. Na infância somos carregados no colo, mas conforme evoluímos, engatinhamos, posteriormente caminhamos com nossas próprias pernas e passamos então a carregar a outros, por um tempo, assim como fizeram conosco.

Para as operações de cura com este Gênio, com maior efeito, podemos invoca-lo em seus dias e horas a começar quando a Lua nova caia na casa VI, Solar, do paciente e se intensifique as orações, os rogos, com as plantas medicinais quando a Lua se encontre na casa X contados a partir da casa VI do paciente. Manter perto do paciente pessoas nascidas neste período ajudará na recuperação. Os médicos nascidos neste período, principalmente na fase “Vô”, que corresponde ao período de manifestação, exteriorização, expressarão os resultados mais positivos na cura dos pacientes. Serão os profissionais mais procurados em razão dos resultados obtidos eis que são canalizadores naturais das energias de SEALIAH.

Nos momentos de SEALIAH toda a natureza se alegra, os pássaros ficam eufóricos, agitados, há uma explosão de vida. Este Gênio domina a vegetação e a revigora pelo equilíbrio. Ocorre que Tiphereth tem sua sede no mundo de Briah, das criações, que é o mundo da agua ao passo que Tiphereth é fogo puro e deste modo nos encontramos na exata proporção entre agua e fogo que produz a vegetação, vida em abundância tanto no interior como no exterior.

Em nosso interior encontramos todas as plantas que restabelecem a nossa saúde, podemos arranca-las quando a seiva estiver em seu ponto mais alto e ferve-las para dissolve-las em nosso organismo. SEALIAH providencia para que estas plantas se enraízem com força, que floresçam com vigor convertendo-nos em autênticas infusões para a cura dos enfermos.

SEALIAH influi sobre os quatro elementos da natureza: Fogo-Agua-Ar-Terra. Os principais elementos que dão existência a tudo o mais. Podemos inclusive comprovar em nosso mundo físico que faltando um deles não há vida. Como sobreviver sem o Sol que de outro modo congelaria tudo a zero grau absoluto; sem a Agua não há vida, os cientistas ao procurarem vida em outros planetas o fazem com vistas a encontrar Agua; sem o Ar não sobreviveríamos e mesmo outros seres anaeróbicos subsistem em outros tipos de ares; na Terra encontramos todas as substâncias que forma os corpos, para ter um veículo de manifestação em Malkuth é preciso que se tenha o elemento terra. Estes elementos combinam-se entre si, como o fazem as cores primárias, e dão existência a tudo no plano em que vivemos. Os quatro elementos formam o nome de Deus יהוה – “Yod-He-Vô-He”, onde “Yod” é o fogo; “He” a agua; “Vô” o ar e o segundo “He” a terra. Com as letras de seu nome Jehovah criou todas as coisas.

A missão de SEALIAH consiste em que cada elemento se manifeste em se momento apropriado, sem exceder-se, eis que se encontra no ponto de equilíbrio da árvore. E o Senhor dos quatro elementos e tem sob suas ordens os Elementais, regentes destes reinos a saber: As Salamandras para o fogo, as Ondinas para a agua, os Sílfides para o Ar e os Gnomos para a terra. Como este Gênio rege os quatro elementos em todas as operações em que se envolvam os Elementais, forçosamente devemos invocar a SEALIAH pois segundo os ensinamentos cabalistas, sem este concurso nenhum elemental se moverá por mais que se agitem os objetos sagrados como a varinha, a taça, a pena, a espada – algumas Ordens variam quanto aos objetos, mas todos devem ter relação com os quatro elementos.

Cabe ainda explanar que as pessoas nascidas sob as energias deste Gênio levarão o indivíduo a reintegrasse cada vez mais com seu Real Ser, como descreve os Textos Tradicionais: “Fazer a vontade do Pai” que está ligado a Kether, o ponto mais alto da árvore, o número 1, e como a meta é espiritual, fará com que a pessoa abandone as rendas de seu veículo material. Sua meta será a instrução. Em contrapartida aparecerão os meios, as facilidades para a realização da obra transcendente, ou seja, o conhecimento, o retorno para casa… E neste raio de força, raio Crístico, que Jesus trabalhou, que inspirou a humildade de São Francisco de Assis e tantos outros.

Outros Gênios trabalham pela cura em operações diversas, assim em resumo temos:

  1. 1->6 LELAHEL: cura pela cromoterapia e consciência dos atos danosos;
  2. 3->8 MELAHEL: cura mediante utilização das plantas medicinais, energias, cirurgias, pesquisas;
  3. 4->7 OMAEL: Cura o efeito das doenças pelos medicamentos;
  4. 5->8 REHAEL: Cura de doenças mentais relativa a relação Pai-filho e mantém a saúde pela maneira correta de pensar;
  5. 6->6 SEALIAH: Cura mediante o equilíbrio e a boa distribuição do sangue – o Tiphereth genuíno;
  6. 7->4 HAHASIAH: Cura pela compreensão do mal – cura a causa da doença;
  7. 8->5 MITZRAEL: Cura às enfermidades mentais, oriundas dos desejos: drogas, homossexualismo;
  8. 8->8 ANAUEL: Cura pela superação das emoções e desejos, altera-se a relação causa e efeito;
  9. 9->5 HABUHIAH: Cura eliminando hábitos nocivos – harmonia com universo – ñ vida dupla.

1.7.4    Facilidade no aprendizado de qualquer coisa.

A pessoa nascida sob essa influência procurará instruir-se, para o quê contará com muitas facilidades.

Tiphereth é a séfira que se comunica com todas as outras, de modo que é portadora do conhecimento Universal, inclusive das próprias emanações de Kether, a Vontade primeira. De outro lado é portador de entusiasmo que permite um fluxo intenso de comunicação com os demais centros de vida. Ocorre que para aprender é necessário, de algum modo, se relacionar com o conhecimento a que se pretenda e interioriza-lo, comunicar-se de todos os modos e maneiras seja por dentro e por fora com o objeto de estudos.

Temos ainda que SEALIAH atua diretamente sobre a consciência que tem sua sede na 6º dimensão, o mundo das causas naturais, de modo que propicia o aprendizado em relação ao objeto desde sua origem, sentindo-o em seu interior, mediante a inspiração, antes mesmo que a própria mente possa se dar conta de sua existência.

1.7.5    O equilíbrio na atmosfera.

Como SEALIAH rege os quatro elementos, também determina o equilíbrio entre as estações do ano assim temos que a primavera que é quente e húmida refere-se ao o elemento Ar; o verão que é quente e seco ao elemento Fogo; o outono que é frio e seco ao elemento Terra e o inverno que é frio e úmido ao elemento Agua.

Quando se diz que controla as estações do ano o faz primeiramente em nosso interior, deste modo temos que:

Na primavera dominará sobre o comportamento sanguíneo – aquele que possui um espirito jovial, alegre, apaixonado, sociável;

No verão sobre o colérico – pessoa ativa, otimista e dinâmica líder nato que não tem medo de assumir riscos e de enfrentar desafios;

No outono o melancólico – passivo, muito sensível e tímido, criativo e imaginativo, de grande empatia o que favorece nas áreas de pedagogia, artística, é incapaz de ferir alguém e,

No inverno o bilioso – enérgico, forte, irritado, mal-humorado, arbitrário – Favorece ao militarismo, postos de autoridade, iniciativas.

Esta função equilibradora que levanta os que estão embaixo e rebaixa os que ascenderam acima do seu nível atua em todos os campos de nossa vida. Assim temos visto que se ocorre a humilhação, então, os inimigos são confundidos, erguem-se as cabeças e recupera-se o esplendor. De outro lado os que estiverem acima de seu nível legal proposto pelo karma, pelas Leis de Binah, como aqueles que ocupam cargos pelo nepotismo, clientelismos e suas variáveis, os que enriquecem por meios ilícitos, sem passar pelas vias de יהוה – “Yod-He-Vô-He” voltarão ao seu lugar. Assim, um empresário, funcionário, servidor, empregado que seja ganancioso e cresça acima de sua capacidade, é melhor que renuncie, que promova uma concentração de energias – não a sua dispersão, e não abarque tanto para poder controlar o que realmente lhe pertence, antes que leve um tombo. E certo que uma inspiração, um sopro de consciência o dominará neste sentido par fazer o que é devido e se a voz da consciência tiver abertura suficiente para ser atendida o dano será evitado.

Este afastamento é estratégico quando o que está em nossa volta se projeta acima de nossa capacidade a fim de se evitar um choque com a Lei do Equilíbrio. Assim paramos um momento para produzir as reformas interiores capaz de suportar uma expansão e respeitamos o transcurso da Lei de יהוה – “Yod-He-Vô-He”. Neste momento começarão a aparecer as facilidades para levar a cabo a obra, tais como pessoas, circunstâncias etc. E por falar em circunstâncias, basta lembrar a forte emanação direta que Hochmah produz sobre Tiphereth. O que importa aqui e aprender a não invadir o espaço do outro…

O lado negativo da força

O Gênio contrário domina sobre a atmosfera perturbada, desiquilibrada, assim, provoca excesso de humidade, inundações, grandes calores, períodos prolongados de seca, enchentes e frios extremos, ventos fortes e destrutivos.

De outro ponto, se SEALIAH de cima é indispensável para a magia branca, sua contraparte abismal o será para a magia negra onde sejam necessários os quatro elementos para a realização das operações.

Em Malkuth se apresentarão os desequilíbrios na vida pessoal, das empresas, etc. É onde surgirão as ordens contraditórias que em um momento se determina algo e depois outra coisa, seja no interno ou no externos as empresas o que causa graves constrangimentos.

Cabe observar os pontos de dissonância deste Gênio, principalmente na Lua nova, sejam aspectos de quadraturas ou o que quer que sejam e constataremos como nestes períodos as estações do ano marcam-se de forma desequilibrada.

 

1.8        Escrituras

“S 93:18 Si dicebam commotus est pes meus misericordia tua Domine sustentabat me.

Quando digo: o Meu pé vacila! A tua bondade, Ó Eterno! me serve de apoio.”

 

1.9              Oração

“SEALIAH: Motor de Todas as Coisas.

SEALIAH: Senhor, me encontro maduro,

como um Sol que precisa derramar suas sementes pelo universo

e deves ajudar-me, para que de mim não se desprendam as virtudes indiscriminadamente, mas que saia tão só da minha esfera luminosa

aquilo que seja útil ao discorrer da Obra do Eterno.

Fazei Senhor SEALIAH, que através de mim, possam encontrar a sua plenitude

aqueles que são movidos por um afã de serviço,

e que, graças a minha ação, amadureça a boa semente.

Não permitas, Ó SEALIAH!, que meu temperamento se expresse com excessos,

que não sejam demasiado tórridos os verões

e nem muito frios os meus invernos.

Permita-me, Senhor, agir sempre em uníssono com o pulsar cósmico,

e que tudo encontre, através de mim,

sua perfeita órbita, sua perfeita linha de Universo”.

 

1.10    Exortação

“Cada estação produz seus frutos, cada jornada encerra sua própria plenitude,

cada ciclo acrescenta valores à perfeita colheita do ciclo anterior.

Escolhi a ti, peregrino, para que com o seu trabalho fique evidente

o trabalho próprio de cada etapa;

a fim de que todos saibam que o Tempo elabora as virtudes,

que o Tempo não é uma dimensão morta.

Tenho lhe dado como pai, o Senhor das Supremas Experiências,

e como mãe ao manancial da Vida Eterna.

Sua missão há de consistir em combinar os valores retirados das experiências vividas

com a força primordial, construtora dos universos.

Isto há de dar-te, peregrino,

a possibilidade de levar a consciência o frio e o calor, a flor e o fruto,

o conhecimento do Bem e do Mal,

levando-os a esse ponto em que tudo se torna evidente.

Dispões de força e de vigor para essa Obra Magna.

Em ti confio, peregrino”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s