40. 5->9: IEIAZEL


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 5 – Potências  
Príncipe: Camael.
Mundo do coro: 2 – Briah, Mundo das Criações, Astral, mundo dos desejos – elemento Agua.
Signo: Libra.
Elemento zodiacal: Ar.
Relação/elementos: Agua da Agua atuando sobre o Ar do Ar.
Relação/mundos: “He” do Mundo de Briah sobre o “Vô” do Mundo de Yetzirah.
Velas:  Vermelha em cima e duas brancas em baixo.
Incenso: [Sândalo, acácia, cipreste, absinto] e [Cânfora, murta, louro, arruda, eucalipto, hortelã, alecrim, patchouli, citronela, absinto].
Letras: Yod – Yod – Zain – Aleph – Lamed
Gemátria: 10+10+7+1+30 = 58 = 5+8 = 13 = 1+3 = 4
Arco:  196º a 200º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 15 a 20° de Libra ou 9 a 13 de outubro.
Invocação por rotação: de 9 a 10 de Touro: “Yod” ou 30 de Abril;

de 21 a 22 de Câncer: “He” ou 14 de Julho;

de 3 a 4 de Libra: “Vô” ou 27 de Setembro;

de 15 a 16 de Sagitário: 2º “He” ou 08 de Dezembro;

de 27 a 28 de Aquário ou 16 de Fevereiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   13:00:00 às 13:20:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando Marte se encontra em um dos graus da Lua, ou seja, entre 8º a 9º, de 18º a 19º e de 28º a 29º de qualquer signo.
Atributo: Deus que regozija, que dá alegria.
Nome da essência: CONSOLO OU REGOZIJO.
Nome da Força: Construtora da Nova Realidade.
Forças em ação: A força de Geburah que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Yesod.
Sendero: Sub-sendeiro que une Yesod a Geburah em sua trajetória de ida ou descenso pela arvore e de retorno pelo zodíaco.

1.2              Palavras chaves:

40 dias, NOVA REALIDADE, consolo, REGOZIJO, Edição de obras, IMPRENSA, entrega dos escritos, COMUNICAÇÃO, esperado se cumpre, LIBERA PRISIONEIROS (sequestrados), inimigos nos deixem, INCENTIVA LEITURA, favorece aos estudos, ciências, ASSÉDIO MORAL.

(-) PENSAMENTOS SOMBRIOS, desinteresse geral, ISOLAMENTO SOCIAL, último suspiro.

1.3              Movimentação Sefirótica: Cinco na nona posição

Quando o cinco atua na nona posição temos que os rigores de Geburah atua sobre o centro produtor de imagens Yesod no mundo de Yetzirah, plano mental. Podem dar origem a atitudes contra um mal imaginário, mas não totalmente fora da realidade. Ocorre que nossa psique tem uma linguagem própria e um acontecimento verdadeiro dentro desta ordem pode se traduzir em imagens que tenham uma mesma repercussão a nível psicológico.

Suponhamos que por um motivo qualquer o indivíduo se veja limitado em sua liberdade de expressão, de fé, etc., por um ordenamento injusto, sistema, seja o que seja, no mundo dos sonhos isto pode se traduzir em um latrocínio, esbulho, etc. de modo que as consequências vistas no interior expressem um mal muito mais terrível do que a própria realidade material e reflitam o seu significado real a um nível profundo da psique, acerca do ocorrido.

Astrologicamente corresponde a posição de Marte em Câncer.

1.4              Arcano – Mundo: Nove de copas no mundo de Briah

Recebe o título de Senhor da dita material. Refere-se ao elemento Agua e astrologicamente corresponde a posição da Lua transitando pelo terceiro decanato de Peixes onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Júpiter.

Neste ponto o Amor-sabedoria de Hochmah expressa-se por intermédio de Yesod o centro produtor de imagens, que reflete tudo o que foi trabalhado pelos demais centros. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Hesed, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Então temos aqui o domínio do mundo dos sentimentos regido por Hochmah, a influência de Júpiter sobre o pacto do casamento e a expressão deste amor em Yesod; não é por acaso que alguns entendimentos sobre esta carta estejam associados a gravidez já que aporta a exteriorização dos sentimentos e Yesod representa, ainda, as aguas uterinas, o tecido do universo.

De outro lado Yesod programa a exteriorização dos pensamentos do amor em forma de realização amorosa, de manifestação última destes sentimentos, uma beata felicidade vivida por um bom tempo.

No mundo das aguas os sentimentos são predominantes, empresas amorosas, as imagens são depositadas em Yesod para que um processamento cerebral articule as manifestações.

Quando o nove de copas atua no mundo de Briah o fará dinamizando mais ainda as influências de Hochmah que domina o amor, a harmonia, a graça. Este amor de Hochmah é de caráter universal e não pode ser aprisionado por Yesod de modo que apenas fragmentos incoerentes podem ser capitados nesta operação e sua expressão venha se dar de uma maneira arbitrária, incompreensível que se manifestará em dissensões. De outro lado faculta o equilíbrio já que temos aqui um forte influxo de Hochmah.

1.5              Virtudes concedidas:

1º.- Os escritores podem invocar lhe para ver editada a sua obra.

2º.- A libertação dos prisioneiros.

3º.- Consolo nas tribulações e que os inimigos nos deixem em paz.

4º.- Amor pela leitura e o estudo das ciências.

5º.- Proteção contra os pensamentos sombrios e o desinteresse por tudo.

1.6              Descrição Sefirótica:

IEIAZEL é o oitavo da 5º ordem de anjos denominado como Coro das Potestades, situa-se na morada filosofal de número 40, rege o sub-sendeiro que une Geburah a Yesod em sua trajetória de ida ou descenso pela arvore e de retorno pelo zodíaco. Trata das forças de Geburah, a séfira emocional que trata dos reajustes, da atuação dinâmica da Justiça na correção dos erros e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Yesod o centro produtor de imagens; He” do Mundo de Briah sobre o “Vô” do Mundo de Yetzirah, Agua da Agua atuando sobre o Ar do Ar. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada CONSOLO OU REGOZIJO, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que proporciona o conforto, a sensação de prazer, de alegria que ocorre quando algo a muito esperado se cumpre, se realiza e, assim, nossa alma entre em euforia por haver alcançado o resultado anelado. Trata-se de uma força Construtora da Nova Realidade onde as imagens, resultado das formações energéticas até então gestadas, aprisionadas pelos demais centros, durante seu estado de desenvolvimento, também, aquelas, produto da Imaginação Criativa como resultado da Vontade, tomam forma e são liberadas no momento em que atingem seu ponto de maturidade. Contudo o impulso de Geburah, esta força trabalho, promove a antecipação da liberação das imagens que se encontram nesse recinto de desenvolvimento, a conversão da potência em ato e a proximidade de Yesod a Malkuth faculta a exteriorização destas vibrações. Na vida humana, estas pulsações proporcionam a resolução das situações que estejam de algum modo atrofiadas, sob opressão, promove também a manifestação dos talentos. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominado Deus que regozija, que dá alegria.

As palavras Consolo e Regozijo aparecem algo como sinônimo aqui em virtude de se tratar não de um consolo em razão de algo ruim que ocorreu, mas pelo contrário, de algo que esperávamos e/ou lutávamos muito para que ocorresse e tudo dá certo, então a alma se alegra e os sentimentos se explodem para o exterior em regozijo, alegria plena ao ponto de se liberarem até as lágrimas.

Com o número 40 as Forças construtoras ligadas ao coro da Potestades terminam sua regência. Teve seu início com o 33 onde se constrói a Sabedoria e posteriormente as virtudes do alto foram sendo derramadas para construir a 34 Obediência; 35 Reconciliação; 36 Trabalho; 37 o Rompimento do certo; 38 Ritual; 39 Lógica e por fim 40 como resultado das demais surge, flui a Nova Realidade.

Percebemos aqui o cabalístico número 40 que nas escrituras relatam vários mistérios como Noé em sua arca em meio ao dilúvio e ainda o Cristo passando por tentações no deserto, a peregrinarem de 40 anos pelo deserto. Este algarismo está intimamente ligado à Vontade, uma vontade testada duramente, que de outra origem não prevaleceria, e que, portanto, é a manifestação do Pai Eterno.

“Filipenses 4:13 “Todas as coisas posso em Cristo que me fortalece.

O número 40 nos leva a realização do que a Vontade iniciou sob a égide da Força 1 regida por VEHUIAH (1. 1->1) cuja essência é conhecida como Vontade eis que tudo começa pelo 1. A dinâmica implica que qualquer propósito que seja trabalhado persistentemente, dia a dia tende a alcançar sua plena realização ao chegar aos 40. Não é por acaso que o nome desta força seja Portadora ou Construtora de uma Nova Realidade.

A simbologia da arca de Noé está ainda ligada ao arcano 9 (arca de Noé = arcano 9) do Tarô cuja figura é o Eremita, um sábio que carrega segredos e trabalha na nona esfera de Yesod que no corpo humano é onde se localiza os órgãos sexuais. Refere-se, portanto, aos trabalhos com os chacras energéticos, com o Sahaja Maithuna. Nove é o número do homem cuja vinda a este mundo antecede a um preparo de 9 meses. O número 40 está ligado à Vontade. A vontade necessária para trabalhar com as energias pelos canais Ida, Pingalá e Sushuma sem que haja perdas, onde as energias materiais, as aguas espermáticas de Hochmah, são transmutadas em energias espirituais, pelo processo de aceleração, no laboratório alquímico do corpo humano (método já explicado por Einstein na fórmula M=E*C²). Basta ver que nos órgãos reprodutores dispomos de uma quantidade tão imensa de energia que somos capazes de dar vida a outros seres, nos tornamos a imagem e semelhança de Deus no processo da criação conhecido como יהוה – “Yod-He-Vô-He”, onde Yod=homem; He=mulher; Vô= falo e He=útero.

De outro lado o número 40 está associado à Vontade aplicada às mais diversas situações. Mediante um auto sacrifício, um padecimento consciente e voluntário de 40 horas, dias, etc. geramos uma enorme quantidade de energia para resolvermos as mais diversas situações. Assim temos a tensão, o rigor de Geburah e o fluxo, a exteriorização desta disciplina pelas vias de Yesod. O resultado será a restauração, a reparação, a retificação seja do estado espiritual onde o indivíduo recupera seu estado de inocência ou ainda sua manifestação nos corpos superiores, restaurando-os e energizando-os com este fluxo liberado.

O dilúvio refere-se ainda aos sentimentos que estão fora de lugar, correm de um lado para o outro sem controle, sem estar em seu lugar, aos trasbordos emotivos. Com IEIAZEL o fluxo se equilibra já que o rigor de Geburah – que atendendo aos ditames de seu Pai Binah que dita suas Leis e impõe um controle na saída do fluxo por Yesod -, dispõe então, de um domínio das paixões, dos desejos, dos sentimentos já que o elemento ar, a razão, o pensamento aparece para ditar as regras.

Depois da grande tempestade que pode durar 40 minutos, horas, dias, existências, etc. vem então a calmaria, quando tudo está morto em nós. Os animais da arca representam os nossos defeitos psicológicos e o fato de estarem em casais refere-se justamente ao trabalho que deve ser realizado por homem e mulher com o “Sahaja Maithuna ” para eliminação dos agregados psicológicos, do ego animal, que criamos em nosso interior e que agora precisamos destruí-los para que esta energia seja libertada para a formação de nossa alma, que também é energia pura.

São Francisco de Assis “E morrendo que se vive para a vida eterna.”.

Com a morte do ego as energias provindas do alto fluem livremente sem a interferência das forças abismais; o Reino de Deus se instala em nosso interior e cada impulso ocupa o seu lugar correspondente de modo que as energias fluem harmoniosamente. Dessarte, desaparecem os naufrágios, os dissabores, as penalidades. De outro lado manifesta-se o consolo, o regozijo, a alegria da superação de um período em que as forças inferiores dominavam em nós e traziam tantas dificuldades para nossa vida já que, até então, não conseguíamos dominar as nossas paixões.

Outros Gênios que conciliam o fogo com a água:

  1. 1->4 ELEMIAH: Hesed de Kether – é o 1º “He” do “Yod” Kether;
  2. 2->6 IEZALEL: Tiphereth de Hochmah é o 2º “He” do “Yod” Hochmah;
  3. 3->7 YEIAIEL: Netzah de Binah – Netzah é o 2 “He” do “Yod” Binah;
  4. 4->8 LECABEL: Hod de Hesed – Hod é o 2º “He” do “Yod” Hesed;
  5. 5->9 IEIAZEL: Yesod de Geburah – Yesod e o 2º “He” do “Yod” Geburah;
  6. 7->2 VEHUEL: Hochmah de Netzah – Netzah e o 2º “He” do “Yod” Hochmah – do 10 vai para o 1;
  7. 8->3 YEIALEL: Binah de Hod – Hod e o 2º “He” do “Yod” Binah – do 10 vai para o 1;
  8. 9->4 EYAEL: Hesed de Yesod – Yesod e o 2º “He” do “Yod” Hesed – do 10 vai para o 1.

 1.7             Das virtudes concedidas:

1.7.1      Os escritores podem invocar lhe para ver editada a sua obra.

Esse gênio favorece a imprensa e o comércio de livros, influencia os homens de letras e os artistas. A pessoa nascida sob essa influência amará a leitura, o desenho e todas as ciências em geral.

Como estas energias estão ligadas as imagens, portanto trabalham com a imaginação, favorece a imprensa, as livrarias, a leitura, a escrita, o rádio, cinema, televisão e qualquer que sejam os meios de difusão. Favorece ao encontro de editores, contratos de edição, a ampla difusão. As pessoas que possuem um talento particular, homens de letra, artistas, encontrarão a oportunidade de manifestação com ampla publicidade. Deve-se aproveitar os dias e horas deste Gênio para realizar a entrega dos escritos aos editores. Em seus dias e horas a comunicação em qualquer de suas formas conhecidas serão favorecidas. Entendamos como comunicação a tudo quanto lance pensamentos, sentimentos, atos que leve o conhecimento à sociedade.

Em se tratando de empresa está será notícia, escreverão artigos sobre ela, haverá divulgação de suas atividades em quaisquer meios que estejam ao dispor promovendo sua notoriedade. Os empresários podem ainda se aventurar a escrever sobre suas experiências. Isto ampliará seus campos de atuação, passará a uma oitava superior eis que será visto pelo público como estando em um ponto mais alto.

Para entender o funcionamento de Yesod em relação as demais séfiras basta a comparar a uma TV que expressa em sua tela as mais diversas frequências dos inúmeros canais e que por fim traduz-se em som e imagem.

A exteriorização de nossas ideias, pensamentos, sentimentos, tem por objetivo a que os demais possam enriquecer-se com nossas experiências.

Outros Gênios que nos auxiliam na edição de obras:

  1. 5->9 IEIAZEL: Favorece a e dição, impressão de obras, bom período para entrega-las;
  2. 7->8 MEBAHIAH: Intelecto potencializado na verdade dos cinco sentidos;
  3. 8->9 MEHIEL: Escrever e difundir obras.

1.7.2      A libertação dos prisioneiros.

Assim como a Lua reflete o Sol, Yesod é o centro que recolhe as vibrações das demais séfiras e lhe dá uma forma (eis que é representante de Binah, “Vô” de Vô” no mundo de Yetzirah), uma imagem. Estas imagens ficam armazenadas em um processo interno até o momento certo em que o fluxo esteja maduro, quando as Leis cósmicas indiquem oportuno.

Cabe esclarecer que os prisioneiros a nível internos são os impulsos da Vontade emanadas de nosso Real Ser quando não conseguem atingir seu grau de manifestação. Esta força nos lembra a entidade nominada como Nossa Senhora desatadora dos nós, provavelmente ligadas a este arquétipo. Já que as pulsações de Geburah trabalham para que as imagens se projetem e com força.

Sob as influências de IEIAZEL, que trabalha com a pressão marciana sob o rosto mais inferior de Geburah, ou seja, Yesod, e providencia para que os trabalhos descendam aos níveis mais materiais onde ocorre uma liberação antecipada das imagens armazenadas. O Salmo correspondente a este Gênio implica que o Eterno mostre sua face, libere as imagens aprisionadas. As imagens para o mundo de Assiah, onde situa-se Malkuth, que ainda se encontra em estado de potência, de não manifestação, eis que se encontra entre plano superior a este sem cristalização. Este Gênio promove a potência em ato, a probabilidade em fato, proporcionando ao indivíduo a solução de seus problemas seja em qual dinâmica se expresse. Serve inclusive para auxiliar na liberação de prisioneiros que se encontram em estado de sequestro.

Antes da liberação externa tudo deve ocorrer primeiramente em nosso interior, assim, estes prisioneiros representam as forças que vinham trabalhando para plasmar nossas potencialidades internas. IEIAZEL produz uma debandada de nossos inimigos internos, os obreiros abismais, que atuam diametralmente opostos as Leis cósmicas no intuito de criar um mundo ao revés. Esta debandada também ocorre quando praticamos o jejum e orações por quarenta dias em razão de, pela rejeição, mostrarmos nossa disposição de libertarmos da matéria. Tal prática é feita sob orientação aqueles que estão bastante adiantados no processo espiritual ou que estão aprisionados de forma bastante opressiva pelas hostes inferiores. No que se refere as orações não se trata simplesmente de pronunciar ladainhas de forma mecânica, mas de exteriorizar sentimentos, pensamentos, ações no intuito de auxiliar a sociedade. Isto criará em nós uma vibração desconfortável para os operadores de baixo que se verão incomodados e se afastarão por Lei de afinidade vibratória ao revés e em contrapartida atrairemos as energias, entidades superiores para nossa esfera.

Para quem deseje fazer as quarenta horas, dias, etc. de orações, cumpre esclarecer que podem fazer turnos de poucas horas. Ao formar uma cadeia não utilize o número quatro e nem o dezesseis para o número de pessoas. Ao dar as mãos, lembre-se, que a mão esquerda recebe e a direita concede. Inicie-a com o mantra AOM e termine com o mesmo. Após o mantra inicie as atividades com a cadeia de amor.

Outros Gênios que libertam prisioneiros:

  1. 2->7 MEBAHEL: Libera os prisioneiros das tendências abismais e dos opressores;

24 3->9 HAHEUIAH: Auxílio aos prisioneiros fugitivos;

  1. 5->5 MENADEL: Libera aqueles que são prisioneiros de seus próprios erros;
  2. 5->9 IEIAZEL: Libera os prisioneiros em estado de sequestro;
  3. 6->5 IMAMIAH: Liberação dos prisioneiros pela redenção;
  4. 8->2 NEMAMIAH: Aprisionados pelo intelecto seja por teorias, lavagem cerebral, falsas religiões, etc.

1.7.3     Consolo nas tribulações e que os inimigos nos deixem em paz.

A construção de uma nova realidade refere-se à finalização de uma etapa de dissabores, naufrágios, das mais diversas penalidades. Quando tratamos do consolo e do regozijo referem-se à superação de um período de adversidades em que as forças de baixo tenham o domínio, mas que agora ficaram para trás e sobrevém uma nova fase em que as energias superiores tomam conta da situação.

Deste modo sempre que a realidade em que vivemos não é a desejada, é incómoda, podemos pedir o auxílio à IEIAZEL para que construa em nós uma Nova Realidade; e que esta se cristalize no plano físico. É claro que o Gênio, que trabalha com as energias de Geburah, irá atuar nas ligações kármicas que originaram esta situação; devemos estar atentos quando estas se apresentem a nossa frente para resolvermos.

Outros Gênios que nos oferecem o consolo:

  1. 5->9 IEIAZEL: Consolo ou regozijo por algo que esperávamos e tudo dá certo;
  2. 7->8 MEBAHIAH: Oriundo da compreensão acerca da origem das enfermidades e fracassos;
  3. 8->6 UMABEL: Nas penas do amor em razão de um intelecto demasiadamente iluminado;
  4. 9->4 EYAEL: Consolo nas adversidades, trabalha em suas causas.

Outros Gênios que nos auxiliam contra o Assédio Moral:

  1. 5->4 CHAVAKIAH: Paz e harmonia em ambiente laboral hostil;
  2. 5->8 REHAEL: Assédio Moral em razão do rompimento da relação Pai-Filho;
  3. 5->9 IEIAZEL: Auxilio para que os inimigos nos deixem em paz, criação de uma Nova Realidade;
  4. 8->3 YEIALEL: Pela razão, destroça a imagem negativa criada e desvela o opressor;
  5. 9->3 MANAKEL: Atua sobre os sentimentos de culpa nos incutindo a imagem verdadeira.

Outros Gênios que nos auxiliam a viver em paz:

  1. 1->2 JELIEL: Restabelece a paz entre esposos pela união da Vontade e Amor-sabedoria;
  2. 1->5 MAHASIAH: Pela retificação dos erros e sincronicidade com os desígnios divinos;
  3. 1->6 LELAHEL: Paz fruto da Vontade harmoniosa, pacífica e consciente;
  4. 4->2 NITH-HAIAH: Paz da solidão para alcançar a verdade e a sabedoria;
  5. 4->4 YERATHEL: Paz em ambiente justo e homens sábios;
  6. 5->3 LEHAHIAH: Paz entre os governantes – sem guerras. Guerra contra os desejos;
  7. 5->4 CHAVAKIAH: Paz e harmonia nas famílias e com todos, reconciliação com o passado;
  8. 5->7 HAAMIAH: Viver em Paz com a sociedade, proteção espiritual;
  9. 5->9 IEIAZEL: Para que os inimigos nos deixem em paz em razão de uma Nova Realidade;
  10. 6->4 VEULIAH: Paz mediante a guerra para retirada do usurpador e, pelo perfeito ordenamento natural das coisas na dinâmica יהוה;
  11. 6->5 YLAHIAH: Disposição para a paz com inimigos que fomos injustos;
  12. 6->9 MIHAEL: Paz e harmonia entre esposos;
  13. 8->7 IAH-HEL: Tranquilidade e solidão para alcançar a sabedoria;
  14. 9->8 HAIAYEL: Destruição da babilónia interna e externa, paz para quem está em guerra.

1.7.4      Amor pela leitura e o estudo das ciências.

Quem não possui muita vocação para leitura pode pedir auxílio a IEIAZEL que trabalhando com as forças de Geburah nos concederá a disciplina, o impulso para trabalhar com a leitura que está ligada a Yesod, o produtor de imagens; consequentemente, estas pulsações, favorecem aos estudos.

1.7.5           Proteção contra os pensamentos sombrios e o desinteresse por tudo.

O lado negativo da força

O Gênio contrário domina todas as más qualidades do corpo e da alma, atua sobre as entidades sombrias, que se isolam, fogem da sociedade, do convívio social. As más qualidades decorrem do descuido dos processos de restauração, evolução onde a atuação se faz as margens dos ritmos naturais, quando as aguas sentimentais estão fora do lugar, onde não lhes corresponde estarem. Então nosso dilúvio interno fora do compasso não aparece quando deveria aparecer e o mesmo acaba ocorrendo com os nossos órgãos que deixam de exercer adequadamente as suas funções.

Os quarenta dias que podem ser semanas, meses, anos que deveriam ser o ponto de partida de uma nova criação acaba por converter-se no ponto final de nossa jornada. O dilúvio é a representação da morte de tudo aquilo que não fosse Noé e sua família, ou seja, do que não fosse o Reino de Deus em nosso interior, significou a morte do Ego. Sendo o dilúvio a representação do “ponto final”; nos dias e horas de influência de IEIAZEL é quando ocorrerá o último suspiro nos doentes terminais e àqueles que arrastam em si as más qualidades do corpo e da alma podem morrer de forma repentina.

Se as más qualidades do corpo é ruim, pior será as da alma, vez que é possível ter um corpo degradado e uma alma limpa. Esta decrepitude da alma impede que os estratos anímicos possam subir ao nosso Real Ser que se encontra em região de extrema pureza e sendo assim deverá permanecer nas esferas infernais, qlifóticas, no ponto negativo da árvore que se projeta para o abismo até que passe pelo doloroso processo de regeneração em que enfrentará cada um dos agregados psicológicos criados, mas agora atuando contra si mesmo até o esgotamento de suas energias. E como nestas condições não se pode levar as experiências ao nosso Ser interno, após a depuração a alma é reenviada para recolher novas experiências em situações ainda mais difíceis.

No que tange a liberação dos prisioneiros, o que será liberado da influência de Geburah sobre Yesod será tudo o que haja de rigoroso, corrupto e perverso que possa haver na alma de modo que o indivíduo venha a se tornar um agente do mal ou em sua vítima se trabalha pela vertente negativa.

Se possui qualidades artísticas o que sairá de seu interior serão as expressões destinadas as forças de repulsão.

Quando estas forças entram invertidas representam a finalização de sua existência. Tratando-se de uma pessoa pode representar seu último ano de existência. As mas qualidades aparecem então em sua estrutura física e psíquica, os males constantes de sua organização material agora repercutirão no decisório, as correções ao invés de sanar, agravarão e mostrarão em maior relevo os erros, será adotada a má política por quem detém algum poder, a obscuridade toma conta e lança tudo ao naufrágio definitivo. Contudo se as forças da providência são solicitadas, assim como Noé com sua Arca, encontrará a Terra salvadora

Temos visto que as forças ligadas a Geburah são tidas como construtoras da realidade e por isto estão sempre de alguma forma ligadas ao trabalho e, tem seu início, desde a força 33 onde YEHUIAH trabalha com as energias de Hochmah influindo sobre Geburah e termina com a atual força 40. Se a empresa, empreendimento oriundo da Força 1 está viva é possível sentir seus efeitos já a partir da força 36 e se não se manifestou daí então não adquiriu força suficiente para manifestação e, portanto, não haverá manifestação na força 40, ou seja, esta força não será a Portadora de uma Nova Realidade, o que se verificará sim é a destruição definitiva desta força gerada e o consequente fracasso do empreendimento.

Se observarmos os acontecimentos próximos ao quadragésimo aniversário de nossas vidas, poderemos evidenciar que houve a reprodução deste naufrágio e com isto a aparição de uma nova realidade.

 

1.8        Escrituras

“S 88:14 (87-15) quare Domine abicis animam meam abscondis faciem tuam a me.

Por quê, Eterno, rechaças minhas orações? Por quê escondes tua face? ”

 

1.9              Oração

“IEIAZEL: Deus que regozija, que dá alegria.

IEIAZEL: Desperta-me, Senhor, do sono da razão,

fertiliza minha mente com os puros anelos,

faze com que eu possa oferecer à sociedade que me rodeia

uma visão equilibrada de seu Reino.

Permita-me, IEIAZEL, liberta-me dos inimigos interiores e exteriores;
desprende-me de tudo aquilo que me mantém prisioneiro

aos níveis inferiores de teus mundos,

a fim de que, através de minha alma,

possa correr a mensagem que proclama seus Altos Feitos.

E quando a fonte do Aleph mine de minhas entranhas,

mantenha-me, Senhor, próximo dos homens,

para que não vejam em mim um ser estranho;
para que possam escutar-me confiantes

e ser, para eles, canal para o Eterno”.

 

1.10          Exortação

“Eu me encontro sempre, peregrino, mais além de tuas fronteiras naturais.
Não me procure naquilo que vês, no que sentes, no que sua lógica humana possa abarcar.

Busca-me me no horizonte sem fim do incriado,

lá onde a luz se condensa para formar evidências.

E quando me hajas discernido, retém-me em seus sonhos,

canta-me, para que o povo de suas células sinta o prazer desse encontro

e para que o seu entusiasmo transborde

e possam, os que estão junto a ti, sentir o mistério da minha presença.

Preciso de cantores; preciso de poetas, preciso de escribas que relatem meus gestos.

Tu recebeste de mim, sensibilidade e razão

para narrar com a beleza, a crônica de nosso encontro.

Purifica tua alma, peregrino, para viver esse dia de glória plenamente;

para que possas compreender em toda a sua amplitude

o significado de minha face”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s