35. 5->4: CHAVAKIAH


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 5 – Potências  
Príncipe: Camael.
Mundo do coro: 2 – Briah, Mundo das Criações, Astral, mundo dos desejos – elemento Agua.
Signo: Virgem.
Elemento zodiacal: Terra.
Relação/elementos: Agua da Agua atuando sobre o Fogo da Agua.
Relação/mundos: “He” do Mundo de Briah sobre o “Yod” do Mundo de Briah.
Velas:  Vermelha em cima e duas azuis em baixo.
Incenso: [Sândalo, acácia, cipreste, absinto] e [Noz-moscada, cravo da índia, café].
Letras: Kaph – Vô – Qof – Yod – Heh
Gemátria: 20+6+100+10+5 = 141 = 1+4+1 = 6
Arco:  171º a 175º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 20° a 25° de Virgem ou 14 a 18 de setembro.
Invocação por rotação: de 4 a 5 de Touro: “Yod” ou 25 de Abril;

de 16 a 17 de Câncer: “He” ou 09 de Julho;

de 28 a 29 de Virgem: “Vô” ou 22 de Setembro;

de 10 a 11 de Sagitário: 2º “He” ou 03 de Dezembro;

de 22 a 23 de Aquário ou 12 de Fevereiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   11:20:00 às 11:40:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando Marte se encontra em um dos graus de Júpiter, ou seja, entre 3º a 4º, de 13º a 14º e de 23º a 24º de qualquer signo.
Atributo: Deus que dá a alegria.
Nome da essência: RECONCILIAÇÃO.
Nome da Força: Construtor da Paz.
Forças em ação: A força de Geburah que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Hesed.
Sendero: 19, que une Hesed a Geburah em sua trajetória de retorno pela árvore e de ida pelo zodíaco.

1.2               Palavras chaves:

RECONCILIAÇÃO, terra ou trabalho ambiente hostil, subconsciente, TESTAMENTOS, albergar idosos, HARMONIA PAIS-FILHOS, paz com todos, OLHAR PARA FRENTE.

(-) Discórdia, PROCESSOS injustos, RUINA, abandono dos pais, ATOS FALIDOS, ASSÉDIO MORAL.

1.3               Movimentação Sefirótica: Cinco na quarta posição

O cinco na quarta posição tratará de estabelecer a Lei onde vigora a Liberdade, ou seja, o indivíduo elege livremente o que é bom e o que não é para sua vida. Este conhecimento do que seja bom ou ruim advém mesmo antes que decida por qual caminho seguirá havendo grandes possibilidades de livrar-se da experiência dolorosa para adquirir o conhecimento.

Contudo, nos deparamos aqui com imposições, limitações, regras sociais arbitrárias que limitam a liberdade é que são postadas fora de seu momento, já que vem antecipadamente promovendo resultados superficiais. Tratam-se de virtudes forçadas, de modo que, quando sejam retiradas as imposições tudo voltará a ser como antes. São, portanto, regramentos que durarão por um certo período.

Corresponde a posição de Marte em Sagitário ou Peixes.

1.4               Arcano – Mundo: Quatro de copas no mundo de Briah

Recebe o título de Senhor do Prazer. Refere-se ao elemento Agua e astrologicamente corresponde a posição de Júpiter transitando pelo primeiro decanato de Escorpião onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é a Lua.

Neste ponto o Amor-sabedoria de Hochmah expressa-se por intermédio de Hesed, o poder espiritual realizador das bondades. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Yesod, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Trata-se de a uma carta ligada a grandes necessidades de sentimentos e emoções já que está rege o segundo mundo intitulado como Briah, é ainda o segundo da coluna da misericórdia e o segundo naipe do grupo de quatro que também trata do elemento agua – temos então o afã por prazeres, do amor perfeito que beira os excessos e até o masoquismo já que participa da natureza de Geburah que é o segundo do mundo de Briah e o segundo da coluna da severidade. No campo da espiritualidade encontramos aqui os místicos que se auto flagelam na busca de sua elevação.

O quatro de copas no mundo de Briah estará atuando no mundo dos desejos, captando forças superiores para objetivos profanos, poderá até organizar e realizar ritos, utilizar o espiritual para o material. Lembremos que nestes pontos Binah não está presente para determinar os limites o que poderá levar ao gozo àquilo que deveria ser objeto de renúncia, a exemplo do incesto, onde a natureza demonstra seu descontentamento pelas vias do resultado. Contudo se estas energias forem utilizadas da maneira correta pode elevar ao sublime a experiência do amor universal.

1.5              Virtudes concedidas:

1º.- Invoca-se o seu socorro para entrar em graça com aquele que se ofendeu.

2º.- O compartilhamento amigável de testamentos entre os membros da família.

3º.- Manter a paz e a harmonia nas famílias.

4º.- Favorece a compreensão entre pais e filhos.

5º.- Evita cair em tentação de provocar a discórdia, processos injustos e ruinosos.

1.6              Descrição Sefirótica:

CHAVAKIAH é o terceiro da 5º ordem de anjos denominado como Coro das Potestades, situa-se na morada filosofal de número 35, rege o sendeiro 19, que une Hesed a Geburah em sua trajetória de retorno pela árvore e de ida pelo zodíaco. Trata das forças de Geburah, a séfira emocional que trata dos reajustes, da atuação dinâmica da Justiça na correção dos erros e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Hesed o poder espiritual realizador das bondades; “He” do Mundo de Briah sobre o “Yod” do Mundo de Briah, Agua da Agua atuando sobre o Fogo da Agua. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada RECONCILIAÇÃO, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que permite o reequilíbrio de impulsos que outrora haviam sido arrojados aos infernos do subconsciente e ali se acumulados sem sua consumação, a recondução de energias pulsadoras resultantes dos “atos falidos” de uma Vontade que não chegou a sua plasmação final, significativamente nos conduz ao Éden mítico, outrora abandonado, mediante a reconciliação com as Leis Eternas. Trata-se de uma força designada como Construtor da Paz, onde as energias em oposição são postas frente a frente, por vezes em pulsações hostis, a fim de que a partir da adversidade, da instabilidade, e mesmo nesta situação, possa empreender o caminho de retorno ao então paraíso perdido, sacando o melhor de cada situação, pela compreensão, cria a predisposição necessária, de ambos os lados, ao abandono destas pulsões deletérias o reencontro com perfeita harmonia, a Paz interior e com todo o mundo. Na vida mundana se reflete como Reconciliação com pessoas, ideias, etc. que se encontram em antagonismos, cria a predisposição necessária a acordos amistosos, reconciliação, o abrir mão, a renúncia consentida. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominado Deus que dá a alegria.

Estas energias nos reconduzem ao “Éden” de nosso subconsciente que um dia tivemos que abandonar e nos permite reconsiderar os impulsos que arrojamos ao inferno, essa região de nossa psique. Tudo e feito com base na recondução com as Leis eternas, e como consequência, em nossa vida mundana produzira a reconciliação com as pessoas que se encontram em oposição com os interesses do indivíduo.

Estes impulsos quando procedentes de nosso Real Ser conduz a uma experiência que nos enriquecerá, no entanto, quando encontram muita hostilidade, ficam depositados em uma região do subconsciente, imóvel, com tudo o mais que procrastinamos no curso de nossa vida. Se o acumulo e excessivo, constitui-se em um verdadeiro peso de coisas que deveríamos fazer, por em andamento e não fizemos. São chamados de “Peso dos atos falidos” que se forem muito grandes acabam por impedir o nosso avanço. Deste modo somos obrigados a colocar estes impulsos em execução a fim de que revertam ao nosso Real Ser as experiências logradas no mundo material.

1.7               Das virtudes concedidas:

1.7.1      Invoca-se o seu socorro para entrar em graça com aquele que se ofendeu.

A pessoa nascida sob essa influência aprecia de viver em paz com todos, mesmo à custa de seus interesses, seu programa insta que para ela é um dever recompensar a fidelidade e as atenções dos que estão a seu serviço.

Os ofendidos são representações materiais da ruptura que fizemos em nosso interior com um determinado impulso que agora fica em suspenso e, como consequência, cortamos também a relação com aqueles que haveriam protagonistas em nosso drama kármico.

A reconciliação refere-se ao reencontro com as Leis eternas, com os impulsos originários de nosso Real Ser de modo que esta dinâmica interna se traduza no exterior em reconciliação com pessoas cujo interesse se encontre em oposição com os do indivíduo.

Como se faz pelas vias de Geburah expressa-se por meio do trabalho e como consequência o indivíduo trabalhara com pessoas que de algum modo prejudicam seus interesses em um ambiente laboral hostil a fim de promover o abandono da terra em que se encontre e passe a percorrer o caminho de retorno ao paraíso perdido.

Dessarte, o trabalho partirá de uma situação difícil, de uma situação instável. Tudo isto é provocado pelas energias de Geburah para fazer-lhe abandonar a terra inóspita que se encontra e dirigir-se a uma terra fecunda, a Terra prometida. Contudo para adentrar a este paraíso, deverá antes, estar em paz com todo o mundo já que só se adentra à suprema harmonia nos ditames da Lei de Afinidade vibratória, ou seja é preciso que antes possua esta harmonia com a outra realidade em seu interior.

CHAVAKIAH ao administrar as energias de Geburah mediante as pulsações de Hesed leva a cabo esta RECONCILIAÇÃO. Esta influência refere-se a um lançamento de impulsos emotivos junto a Geburah para que este produza o drama e dê a forma emocional. Cabe observar que ambos estão trabalhando no mundo de Briah, justamente o das emoções. Se estes impulsos não tiverem andamento ficarão retidos em nosso subconsciente, por isto é fundamental a atuação deste Gênio em nosso interior ou, então, deixaremos esta tarefa para outra existência sobrecarregando as com coisas que já deveríamos ter resolvido com os trabalhos próprios de cada uma. Tal fato pode ser observado no mapa astral quando a casa VI correspondente a Virgem estiver povoada de planetas. Indicação clara que há muitas pendencias, que a existência está sobrecarregada e que a não resolução das questões poderá resultar em problemas de saúde, não poderá avançar por estar enfermo.

Estes impulsos gerarão dramas que originarão o estopim tendente a reconciliar-se com aquilo que havíamos dado rompimento: sejam ideias, sentimentos, tarefas que estavam em estado de suspensão por nos incomodar, constranger. Deste modo, quando esta força atua em nós, aparecerão em nossas vidas pessoas de outras épocas ou que encarnam os impulsos abandonados, tarefas relacionadas com o passado e com o futuro, ofertas acerca do que deixamos de fazer há muito tempo, indicando a determinação energética do equilíbrio, eis que estas forças, energias tem sua inteligência – inteligência está direcionada ao equilíbrio.

Em se tratando de empresas, caso esta possua litígios pendentes estas energias auxiliarão para que se chegue aos acordos amistosos, mesmo que se tratem de inimigos e consequentemente, esta Paz, há de melhorar a imagem perante seus consumidores, seu marketing. Cumpre lembrar que a reconciliação é uma via de mão dupla e que este Gênio estará a amenizar as pulsações que atuam sobre os pontos nevrálgicos.

Os nascidos nos dias e horas de CHAVAKIAH são especialistas em reconciliação, tanto para si como para os demais, excelentes mediadores. Trabalham através do tempo para ajudar o indivíduo ou mesmo a coletividade a reconciliar-se com o seu passado, culturas de outras épocas, traz o ancestral para o presente e posteriormente o conduz para o futuro. Este Gênio pode ser utilizado para apaziguar as nações que se odeiam a muitas gerações, que atuam mediante o ódio kármico a exemplo dos Judeus e Palestinos.

Como procedimento, recomenda-se invocar o socorro de CHAVAKIAH, citar o nome da pessoa até que a reconciliação tenha ocorrido.

Outros Gênios que nos auxiliam contra o Assédio Moral:

  1. 5->4 CHAVAKIAH: Paz e harmonia em ambiente laboral hostil;
  2. 5->9 IEIAZEL: Auxilio para que os inimigos nos deixem em paz, criação de uma Nova Realidade;
  3. 8->3 YEIALEL: Pela razão, destroça a imagem negativa criada e desvela o opressor;
  4. 9->3 MANAKEL: Atua sobre os sentimentos de culpa nos incutindo a imagem verdadeira.

1.7.2      O compartilhamento amigável de testamentos entre os membros da família.

Esse gênio favorece os testamentos, as heranças e todas as partilhas amigáveis; mantém a paz e a harmonia nas famílias.

Os impulsos do passado que se encontram esquecidos, paralisados podem vir a irromper-se em nosso presente, desestabilizando-o, de modo que nos vejamos obrigados a deixar de fazer o que estávamos ou deveríamos estar fazendo para resolver questões pendentes e que agora se acumulam com as atuais.

Vimos que a pessoa nascida sob essa influência gosta de viver em paz com todos, mesmo à custa de seus interesses e esta energia atua muito nos casos de testamentos, mas por outro lado as dissonâncias podem dar origem ao indivíduo que se ache vítima de uma injustiça lhe pareça natural reclamar e lutar e, assim, venha a encontrar os argumentos para tanto de modo que surjam as discórdias que afastem a todos do seu éden interior, de sua paz interna e com isto aumentam-se os enfrentamentos, as injustiças.

Como referem-se aos testamentes, tratam-se de impulsos originários de situações passadas, mas que se irrompem em nosso presente desestabilizando-o e desta forma nos vemos compelidos a abandonar nossos afazeres do momento para tratar de questões não resolvidas adequadamente em momentos anteriores.

As essências de CHAVAKIAH promovem justamente esta reconciliação com o passado e mais, cuida para que estas pulsações se inscrevam harmoniosamente no presente e não venham a prejudicar o futuro em razão de uma nova geração kármica. Permite que miremos para frente e não nos prenda ao espelho retrovisor, espectros, fantasmas de um passado relativo a presente existência e até mesmo das anteriores.

1.7.3      Manter a paz e a harmonia nas famílias.

Vimos que CHAVAKIAH cuida para que os impulsos provenientes do passado se desenvolva de maneira harmoniosa no presente e no futuro, que estes impulsos provenientes do passado e até de outras existências não venham a se converter em transtornos; daí temos o trabalho para manter a paz nas famílias. Tudo porque os diversos impulsos que estão ativos em nos acabam formando também uma família e, do mesmo modo, quando um membro da família aparece do passado, ou mesmo de outras existências, estas convivências com os impulsos atuantes, pode arruinar toda a convivência familiar.

As novas gerações de impulsos devem viver em paz com o passado, e isto se aplica principalmente aos jovens se pretendem uma vida social dinâmica e saudável, devem, portanto se mirar no respeito ao mais velhos.

O Japão, em razão de sua cultura, tem sido um exemplo de bom relacionamento entre as velhas e novas gerações. O índice de instabilidade e desajuste social está entre os mais baixos do mundo. Os rebeldes sem causa, adolescentes com comportamentos esquizofrênicos visando a revolta contra o mundo. Ao desrespeitarmos os mais velhos o fazemos em relação a Kether, o Ancião dos Dias, nosso Real Ser. Em verdade a rebeldia é contra nós mesmos e, cria um conflito interno, nossa vida começa a desmoronar de dentro para fora.

Cumpre pedir o auxílio de CHAVAKIAH para a reconciliação com o passado a fim de que não venha danar o presente e o futuro.

Outros Gênios que nos auxiliam a viver em paz:

  1. 1->2 JELIEL: Restabelece a paz entre esposos pela união da Vontade e Amor-sabedoria;
  2. 1->5 MAHASIAH: Pela retificação dos erros e sincronicidade com os desígnios divinos;
  3. 1->6 LELAHEL: Paz fruto da Vontade harmoniosa, pacífica e consciente;
  4. 4->2 NITH-HAIAH: Paz da solidão para alcançar a verdade e a sabedoria;
  5. 4->4 YERATHEL: Paz em ambiente justo e homens sábios;
  6. 5->3 LEHAHIAH: Paz entre os governantes – sem guerras. Guerra contra os desejos;
  7. 5->4 CHAVAKIAH: Paz e harmonia nas famílias e com todos, reconciliação com o passado;
  8. 5->7 HAAMIAH: Viver em Paz com a sociedade, proteção espiritual;
  9. 5->9 IEIAZEL: Para que os inimigos nos deixem em paz em razão de uma Nova Realidade;
  10. 6->4 VEULIAH: Paz mediante a guerra para retirada do usurpador e, pelo perfeito ordenamento natural das coisas na dinâmica יהוה;
  11. 6->5 YLAHIAH: Disposição para a paz com inimigos que fomos injustos;
  12. 6->9 MIHAEL: Paz e harmonia entre esposos;
  13. 8->7 IAH-HEL: Tranquilidade e solidão para alcançar a sabedoria;
  14. 9->8 HAIAYEL: Destruição da babilónia interna e externa, paz para quem está em guerra.

1.7.4     Favorece a compreensão entre pais e filhos.

Temos aprendido que Kether é o Pai e que ao filho, representado nas escrituras com o Cristo, compete fazer a Vontade do Pai. Esta regra refere-se a leis universais da energia, das pulsações, da dinâmica, da física onde um movimento leva ao outro. Tomas de Aquino pretendeu provar a existência de Deus pela correlação entre os movimentos, na busca do primeiro impulso, o impulso Pai que originou todos os outros impulsos filhos.

Fazer a Vontade do Pai significa adequação aos ditames Universais que criou todas as coisas. Não são dogmas proclamados por alguma autoridade efêmera, pois trata-se de ciência pura onde tudo se movimenta de modo que um dá impulso ao outro. As energias magnéticas não são visíveis e, ainda assim, quando colocamos um imã ao lado do outro se juntam ou se repelem. Do mesmo modo são os pensamentos, os sentimentos, Vontades (ou mesmo os desejos). As pessoas se relacionam pelo olhar, pelo magnetismo; se deparam com sentimentos de união ou repugnância – “tudo é energia”, inclusive nossa psique.

Os conflitos entre pais e filhos é sempre muito danoso seja para si ou em sua exteriorização – seja de que modo se dê. Os prejuízos podem resultar para toda uma existência ou mesmo ultrapassa-la.

Inimigos de morte em outros tempos podem se encontrar em relacionamentos pais e filhos, porque as energias se atraem e se repelem, o amor e o ódio se comunicam diferentemente com o que ocorre com a indiferença. Não é por acaso que grandes conflitos tenham seu início dentro de casa, com origens psicológicas.

Antes de sair de casa, o recomendado é que os filhos estejam em uma relação bem resolvida. CHAVAKIAH é um especialista em reconciliações.

Outros Gênios que tratam da relação novo-velho:

  1. 5->4 CHAVAKIAH: Reconciliação com ideias do passado – acolher o velho, pais-filhos;
  2. 5->6 ANIEL: Irrompe o cerco estabelecido pelo velho às novas ideias;
  3. 8->5 MITZRAEL: Cura às enfermidades mentais da relação pais-filhos,

1.7.5   Evita cair em tentação de provocar a discórdia e processos injustos e ruinosos.

O lado negativo da força

O gênio contrário causa a discórdia nos arranjos, testamentos de família, provoca os processos Judiciais injustos e prejudiciais.

Conforme já podemos evidenciar tais consequências tem origem nos problemas, impulsos, mal resolvidos, procedentes do passado e, deste modo, não se integram de forma harmoniosa com o presente mantendo velhas situações conflitivas e inclusive criando novas de modo que se protraiam no tempo sem um ponto final.

De certo modo CHAVAKIAH tem relação com MUMIAH (72. 9->9) que tem por objetivo a finalização de todas as coisas. Contudo para que algo seja finalizado não deve restar pendências e no que tange a relação do velho com o novo CHAVAKIAH cuida de resolver o que está irresoluto, inconcluso.

Estes desalinhos com o passado produzem situações inusitadas como daquele parente que aparece de repente, sem anunciar a visita, e em sua chegada se depara com a casa desarrumada ou não dispomos de um lugar para acolhe-lo. Isto promove o desconforto e a discórdia com os familiares visitantes.

O processo danoso é o resultado a manifestação externa de nosso interior, quando não há harmonia entre o novo e o velho e, assim, igualmente ocorre a relação entre o justo e o injusto pois este aparece quando não há harmonia com o passado, já que o que é injusto teve sua origem em um tempo anterior. Dessarte, o injusto se manifesta não só como consequência, mas também para que estejamos atentos do que ocorre em nosso reino interno ao qual estamos vivendo.

Não se trata somente da ruina material, mas também da moral, eis que estamos tratando de rechaçar o velho, o que nos antecede, as nossas origens e, assim, negando-as, discordamos de nossa existência e está se entorpece de modo que a ruina material se mostre como decorrência da ruina moral, i.e., não pode haver a ruina material sem que antes tenha havido a moral.

As escrituras são relatos acerca dos arquétipos e um dos mandamentos nos remete a honrar nossos pais, pois assim o fazendo estamos a reverenciar nosso passado. Há inclusive entidades, escolas de mistérios, tradições de povos que mantém o culto aos antepassados como algo fundamental em suas doutrinas, isto porque, se não honrarmos o nosso próprio passado perdemos os alicerces de nossa existência e nossa vida pairará em desmoronamentos e ruinas.

A questão da obediência aos pais é tão arraigada em nosso interior que uma criança que se veja violentada pelo pai, padrasto – quanto mais o seja pelo manto de uma ordem – se verá na obrigação de cumprir o desígnio em outros períodos de sua existência. Não é de se admirar que venha a se tornar uma profissional do sexo na vida adulta, seja no intuito de cumprir a ordem daquele que representa o “pai”, ou mesmo para resolver questões de outras existências, a fim de sanar uma dívida karmica – é claro que há muitas outras situações que geram o fato narrado, de qualquer modo sempre estará presente a Lei da Causa e Efeito.

 

1.8        Escrituras

“S 116:1 (114-1) dilexi quoniam audies Domine vocem deprecationis meae.

Amo ao Senhor, por haver escutado a voz de minhas orações. ”

 

1.9         Oração

“CHAVAKIAH: Deus que dá a alegria.

CHAVAKIAH: Ajuda-me, Senhor,

para que a voz de meu Real Ser possa chegar a minha mente.

Ajuda-Me, Senhor, para entender a língua estranha originadas das regiões divinas.

Ajude-me, CHAVAKIAH!

Coloque em mim a força de decisão necessária

para romper com os hábitos perversos e, assim,

ser a base de um novo universo.

Inspire-me, Senhor, a palavra justa, o gesto apropriado, o tom que cria no céu

o que as mãos humanas cimentam na terra.

Ajuda-me, Ó CHAVAKIAH!

a encontrar o espaço físico adequado para a criação deste novo universo.

Eu serei o material firme, a cal e o cimento de Tua Obra,

e te ofereço o meu corpo e os meus veículos

para que edifiques, com eles, o novo Éden”.

 

1.10    Exortação

“O Eterno me colocou neste ponto do Universo para conduzir os homens

para além do pensamento concreto, nas regiões em que se elabora o futuro.

E eu te escolhi para que me sirvas de instrumento.

Criar o futuro há de ser o seu trabalho, sua missão,

e para que essa criação se implante,

tenho lhe dotado dos meios expressivos convincentes.

Use a palavra, peregrino, utiliza o verbo,

procura os meios de comunicação a maneira de fazer-te ouvir e,

para que melhor lhe escutem e compreendam,

seja o lobo entre lobos e as ovelhas, entre as ovelhas.

Utilize a linguagem do povo, seja simples e tranquilo na aparência

porém não esqueças, jamais, a sua missão essencial.

Por ti a Terra há de reger-se, como nos regemos no céu.

Tu hás de fazer com que as leis humanas se adequem as leis divinas.

Haverás de abri os olhos dos seus irmãos para que sejam capazes de discernir

o que está à direita e o que está à esquerda;

o que é positivo e o que é negativo, e ensinar-lhes para que serve um e o outro.

Quando partas deste mundo, peregrino,

a porta do eterno futuro deve estar, para os homens da Terra,

aberta de par em par”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s