29. 4->6: REIYEL


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 4 – Dominações  
Príncipe: Tzadkiel.
Mundo do coro: 2 – Briah, Mundo das Criações, Astral, mundo dos desejos – elemento Agua.
Signo: Leão.
Elemento zodiacal: Fogo.
Relação/elementos: Fogo da Agua atuando sobre a Ar da Agua.
Relação/mundos: “Yod” do Mundo de Briah sobre o “Vô” do Mundo de Briah.
Velas:  Azul em cima e duas amarela em baixo.
Incenso: [Noz-moscada, cravo da índia, café] e [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera].
Letras: Resh – Yod – Yod – Aleph – Lamed
Gemátria: 200+10+10+1+30 = 251 = 2+5+1 = 8
Arco:  141º a 145º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 20° a 25° de Leão ou 14 a 18 de agosto.
Invocação por rotação: de 28 a 29 de Aries: “Yod” ou 19 de Abril;

de 10 a 11 de Câncer: “He” ou 03 de Julho;

de 22 a 23 de Virgem: “Vô” ou 16 de Setembro;

de 4 a 5 de Sagitário: 2º “He” ou 27 de Novembro;

de 16 a 17 de Aquário ou 06 de Fevereiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   09:20:00 às 09:40:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando Júpiter se encontra em um dos graus de Sol, ou seja, entre 5º a 6º, de 15º a 16º e de 25º a 26º de qualquer signo.
Atributo: Deus pronto a socorrer.
Nome da essência: LIBERTAÇÃO.
Nome da Força: Poder de Consciência.
Forças em ação: A força de Hesed que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Tiphereth.
Sendero: 20, que une Hesed a Tiphereth em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco.

1.2              Palavras chaves:

CONSCIÊNCIA, meditação, VERDADE, propagação oral-escrita, MEDITAÇÃO – VAZIO ILUMINADOR, três julgamentos, LIVRAR-SE DAS ÂNCORAS, local de repouso (recolhimento interno).

(-) Fanatismo, hipocrisia, ateísmo, saduceus, fariseus, LIBERTAÇÃO – inimigos – visíveis ou não (PESO NA CONSCIÊNCIA), bruxos, encantamentos.

1.3              Movimentação Sefirótica: Quatro na sexta posição

Refere-se a abundância de Hesed instrumentalizando o paraíso terrenal no estabelecimento do justo expresso por Tiphereth que é o “Vô” do segundo ciclo onde Hesed é o primeiro; portanto temos que Tiphereth é também a expressão natural de Hesed.

O paraíso expresso por Hesed guarda em si um desequilíbrio já que seu ponto de domínio se situa na coluna da direita, de modo que, o mal pode facilmente ser tomado como bem. Contudo quando se manifeste em Tiphereth sua expressão se equilibra com o rigor, já que além de estar na coluna do meio Tiphereth, também é a expressão de Binah que é o primeiro “Vô” da árvore. Contudo o rigor expresso aqui não é o mesmo de Geburah que pende ao lado esquerdo, mas, refere-se ao caminho do Tau, eis que seu domínio encontrasse no meio.

Nos deparamos então com o Justo, com as posições mais sensatas, as decisões equilibradas, o sublime estado evolutivo.

Astrologicamente corresponde a posição de Júpiter em Leão.

1.4             Arcano – Mundo: Seis de paus no mundo de Briah

Recebe o título de Senhor da Vitória. Refere-se ao elemento Fogo e astrologicamente corresponde a posição do Sol transitando pelo terceiro decanato de Leão onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Júpiter.

Neste ponto, Kether o primeiro ponto de partida na Arvore e no zodíaco, o centro produtor de iniciativas, a essência divina, expressa-se por intermédio de Tiphereth, a séfira que transmite mais LUZ que qualquer outra, responsável pela consciência, que tudo harmoniza, e pela manifestação da Vontade de Kether a nível prático. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Hesed, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Aqui a força “Vô” impulsa o desenvolvimento exuberante da planta – neste momento em que sai da terra e se desenvolve. Então temos a frutificação de Hesed no paraíso de Tiphereth, o Jardim das Hespérides.

Sabemos que em Hesed tudo se desenvolve indistintamente, sem restrições e que, em um futuro, termina por acarretar a intervenção de Geburah. Contudo, como Tiphereth exerce a função de “Vô”, como Binah, este mesmo mecanismo de restrição elimina a necessidade da atuação de Geburah, o que significa um grande prenúncio de vitória equilibrada e justa. Dessarte, esta força equilibrante atua de forma definitiva sobre a Lei primordial trazendo a paz e a unidade perdida.

O Seis de paus no mundo de Briah estará realizando as funções de Hochmah, contudo, sua expressão será exposta feita pelas vias de Tiphereth que por estar mais embaixo é capaz de penetrar no mundo e retifica-lo sob a forma de sacrifício. No entanto temos aqui que Tiphereth trabalha a nível de Hochmah o que acarretará uma mirada para o alto fazendo com que as obras tenham um nível mais abstrato, sem a materialidade, sem pôr a mão na massa. Isto fará com que os prenúncios de Hesed se desenvolvam com menos restrição já que estamos tratando de um ponto mais elevado, mas seus frutos também tenderão a ser menos materiais.

1.5             Virtudes concedidas:

1º.- Libertar-se dos inimigos visíveis e invisíveis.

2º.- Libertar-se dos bruxos, encantamentos, mal olhado e sortilégios.

3º.- Inspiração para as orações, elucubrações e discursos.

4º.- Zelo na propagação da verdade, oral ou escrito.

5º.- Proteção contra o fanatismo e a hipocrisia.

1.6              Descrição Sefirótica:

SEHEIAH é o quinto da 4º ordem de anjos denominado como Coro das Dominações, situa-se na morada filosofal de número 29, rege o sendeiro 20, que une Hesed a Tiphereth em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Hesed, que expressam o Poder Divino, centro do qual emana todo o poder e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Tiphereth, o centro que se expressa pelas vias da consciência, Vontade executiva a nível prático, harmonia; o “Yod” do Mundo de Briah sobre o “Vô” do Mundo de Briah, Fogo da Agua atuando sobre a Ar da Agua. Esta alquimia predispõe ao sentimento religioso, a exteriorização da Vontade interior de adentrar ao ultra, o religare aos planos superiores, ao conhecimento da filosofia divina. Eis que faz uma ponte entre a cabeça, a coroa (posto que, Tiphereth recebe emanações diretas de Kether) e a consciência, o que proporcionam ouvir esta voz, cuja evidência da verdade provem das emanações do raio de Hesed, do Poder Divino ao se expressar-se pelas vibrações de Tiphereth. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada LIBERTAÇÃO, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que nos libera das ancoras materiais e permite que cheguemos ao cume. O que há de mais elevado em nós adquire poder de modo que nos apartamos dos vales para viver nas alturas, eis que, se eleva o nível de nossa consciência a partir do recordo de nossas origens constantes em nosso inconsciente. Trata-se de uma força de Poder de Consciência, que nos proporciona a evidência que a verdade representa, a sabedoria divina, de modo que a todo momento haja a certeza do que deve ser feito, ainda que este dever não possa ser expresso pela razão. Produz a consciência de nós mesmos, de nossa verdadeira identidade e nossa relação com o Tudo em todos os planos. Faz ver a perfeita ordem das coisas e incita a estabelecer a ordem na sociedade em que vive. Esta energia, do alto, a Verdade que nos socorre, que nos invade e da qual nos tornamos “Um”, nos faz prontos para o combate contra os inimigos da religião, no sentido de defender tudo o que seja contrário a ordem cósmica. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominada a Deus pronto a socorrer.

Tiphereth se expressa a nós pelas vias da consciência de modo que possamos sentir e ouvir a voz das alturas, é natural, portanto, que sentimentos religiosos nos invadam com a presença de REIYEL e, assim, nos afastamos dos vales, das regiões mais baixas e passemos a viver nas alturas onde nossa alma penetra de acordo com nossa transcendência.

Vale lembrar que em Tiphereth encontramos a consciência, mas o que vem a ser o significado desta palavra que se divide em duas: “com” + “ciência”. Caso se trate apenas de conhecimento, para que serviria o prefixo “com”? O “com” a que se refere e que não se faz explicitamente alusão refere-se a tudo, ou seja, a unidade; então teremos que consciência se refere a ciência com o todo, onde tudo se torna “Um”.

Ao tratar de Tiphereth e de consciência estamos nos referindo sempre a sexta dimensão, onde o ego animal, que possui a natureza egoística – centrada em si mesmo, não tem acento já que seu limite é a quinta dimensão e a partir da sexta nos deparamos com o “Um”. Ocorre que aqueles que tem o vislumbre da sexta dimensão voltam diferente, com muita força para realizar o trabalho interno, depois disto nada mais é o mesmo, metaforicamente e fazendo alusão a uma película do tempo em que nos manifestamos, podemos dizer que saímos da “Matrix”.

Chega-se a este plano pela meditação, mas há algumas pessoas é dado este privilégio, por seus méritos, após deixar o corpo físico. Aliás nos dias de hoje umas poucas pessoas tem mérito suficiente para passar umas férias neste mundo. Afirma-se que as mulheres que morrem no parto para dar a vida adquirem o mérito por ter efetuado o grande sacrifício Crístico, portanto, por lei de afinidade vibratória podem penetrar nesse reino por um “momento”.

Aqueles que retornam deste plano voltam com uma consciência diferente, mais universal é já não se fiam mais a bandeiras, cidades, povos, pátria pois convertem-se em cidadãos livres do universo, sem fronteiras, apartado do material, eis que o vislumbre da unidade produz uma nova consciência.

Mediante as influências de REIYEL tomamos consciência de nós mesmos e o mesmo vale a qualquer entidade criada por nós, seja um outro ente que venha por nosso intermédio, ou até uma empresa, que tomará consciência do mercado que representa, de sua importância como ente social, de suas obrigações e deveres junto aos órgãos públicos, seus colaboradores, empregados, tradições do local onde se encontra instalada, realizará obras sociais a margem de sua comercialidade que lhe renderão boas energias de bondade, afastarão os inimigos e deixará sem argumento aos que lhe pretendem atacar.

1.7              Das virtudes concedidas:

1.7.1    Libertar-se dos inimigos visíveis e invisíveis.

Protege contra os ímpios e os inimigos da religião, e ajuda a livrar-se de todos os inimigos, tanto visíveis quanto invisíveis.

REIYEL atua contra os ímpios e os inimigos da religião. Temos visto que a religião está relacionada ao cumprimento das regras cósmicas formuladas pelo “Vô”-Binah e aqui expressas pelo “Vô”-Tiphereth que é o terceiro de seu mundo como o é Binah no seu. Em nosso foro interno estes inimigos nos levam a romper os laços com nosso Real Ser que contém a sabedoria das regras internas. É claro que o rompimento nunca é total já que nos alimentamos da energia que vem do Pai descendo pelas séfiras (… o pão nosso de cada dia dai-nos hoje…). Este alimento é tanto energético quanto o conhecimento das Leis eternas. Ocorre que, comumente, permitimos que o alimento energético chegue a nós, mas o apartamos de todo o resto.

As tendências internas que promovem esta dissenção são chamadas de ímpias e inimigas da religião. REIYEL restabelece as relações internas pelas vias da consciência, faz com que nossa natureza emotiva tenha acesso a sexta dimensão, o mundo das causas naturais e, diante da verdade, todo o resto perca sua razão de ser.

Mas o que é a verdade? Tal pergunta foi feita ao mestre Jesus e também a Buda e ambos permaneceram em silêncio. Não há palavras que correspondam pois é algo que somente pode ser compreendido quando adentramos a sexta dimensão, na ausência total do ego animal. Então compreendemos que o mundo em que vivemos, que tomamos como verdadeiro na realidade é um sonho – os Indus chamam de: “Um sonho de Brahma” (Deus da criação na Trimurti : Brahma, Vishnu, e Shiva).

Para conseguirmos algo mediante nossos poderes internos ou mesmo criar o nosso entorno utilizamos a formula magica יהוה (“YHVH” – “Yod-He-Vô-He”). Assim inicialmente temos o impulso da vontade (se vier de nosso Real Ser) ou o desejo (se provem do ego animal); posteriormente vem os sentimentos que dão o movimento energético; a mente o projeto e por fim vem a cristalização nos planos até o mundo físico.

Deste modo o fazemos consciente ou inconscientemente. A maioria das pessoas o faz inconscientemente e o resultado de todas as criações é o mundo em que vivemos, mundos de ilusões criados coletivamente. Destarte se conseguimos nos afastar de todas as ilusões criadas e manifestadas por todas as mentes o que sobrará? R. O mundo das causas naturais onde a criação e a ilusão humana não alcançaram, o vazio iluminador que nos conduzirá a esse plano então poderemos nos dar conta do que vem a ser a verdade, que está além dos pensamentos, dos desejos.

Mas vamos prosseguir no tema. Temos aprendido que o exterior é o reflexo do interior, assim, os inimigos internos geram os externos que se opõe as grandes realizações. Estas só podem ser feitas, levadas a cabo por nosso Ser interno, pois é aí que está o conhecimento universal, a energia. Quando nosso Real Ser se dispõe a realizar uma obra e não a realizamos aparecem em nosso redor os inimigos que opõe o nosso avanço. REIYEL destrói os inimigos internos e externos e o caminho fica livre para as grandes realizações. Fulmina os inimigos que foram gestados em nosso interior ao rebelarmos contra as tendências enviadas por nosso Real Ser.

Por tratar de questões ligadas a Tiphereth no plano de Hesed REIYEL cuida dos sentimentos religiosos, da filosofia, da religião, da meditação. As pessoas nascidas neste período têm uma relação próxima com a verdade e a promoverá, a divulgará, fara todos os esforços para combater a impiedade seja com seus escritos, com seus exemplos.

A religiosidade penetra em nós inicialmente pela emoção. Assim, começa com um temor, seja de perder alguém ou algo, de estarmos enfermos, o que nos ocorrerá se não nos adequarmos a dinâmica cósmica. Este temor interno gera em nós situações em conformidade com aquilo que tememos, algo como uma intuição. Deste modo, diante dos sentimentos guiados pelo temor nós abrimos para a filosofia, o conhecimento divino, a ciência do comportamento, o regramento de nossa conduta de acordo com os ditames universais.

Podemos perceber como os sentimentos religiosos nos aproximam de nossa divindade interna. Dessarte, nossos sentimentos abrem-se para a espiritualidade deixando que a luz penetre em nossa obscuridade interna e posteriormente ilumine também o nosso exterior.

REIYEL nos auxilia também na meditação sobre os mistérios da obra divina. A verdade encontra-se na sexta dimensão, conhecido como o mundo das causas naturais, e com a meditação podemos alcançar a verdade.

Nos momentos difíceis, de crises podemos recorrer a está prática para nos acercarmos da solução do problema e, assim, encontramos novas perspectivas, seja para nossa vida ou empresas: novos modelos saltarão em nosso interior. Virá o conhecimento que os êxitos comerciais, industriais não dependem somente da habilidade de seus dirigentes, mas, na sua capacidade de seguir suas atividades em uníssono com as leis universais de forma tão intima a ser parte delas. Assim, neste momento há um encontro entre o divino e o humano e abrem-se a nós novas perspectivas.

Convém que estabeleçamos em nossa disciplina a realização de duas meditações por dia:

  • A meditação matutina, pouco antes do nascer do sol, cujo tema deve ser a vida divina, a organização cósmica, a compreensão do transcendente, dos arquétipos, podemos meditar sobre os gênios do dia, pedir a compreensão dos defeitos psicológicos em que nos auxiliam a compreender e expurgar de nossa psique, pedir ajuda a nossa Divina Mãe Cósmica para elimina-los; podemos ainda neste momento mágico em que a luz rompe as trevas encontrar a solução para os nossos problemas, que como já sabemos partem desde o nosso interior.
  • Há ainda a meditação feita com a queda do sol, que deve apresentar os acontecimentos na jornada, de nosso dia, contribuindo com as correções que se considerem oportunas antes mesmo de cair no sono para que os erros não se interiorizem e posteriormente passem ao exterior em uma oitava maior em que não tenhamos controle sobre a situação. As retificações devem ser feitas a nível emocional, mental, e se ainda possível a nível material, físico.

Quando partimos deste mundo, são feitos três julgamentos, i. e., por três vezes passa a nossa vida diante de nós.

  1. “Yod”, na hora da morte vemos como em um flash passar toda nossa vida passar diante dos olhos;
  2. “He” A segunda fase dura três dias e meio nos quais repassamos nossa vida do momento da morte ao nascimento, aqui os sentimentos são mais intensos. Sentimos inclusive a dor que causamos ao próximo seja humano, animal, etc. e,
  3. “Vô” A retrospectiva é feita em um período equivalente ao ciclo lunar já que Yesod é a expressão de Binah; veremos tudo o que fizemos e como isto influenciou a nossa volta, a relação de causa e efeito.

Após estes julgamentos internos feitos por nossa própria consciência os Senhores do Karma apontarão o destino, seja umas férias no nirvana (muito raro hoje em dia); retorno imediato a uma nova matriz ou descer aos mundos infernos até a consumação da segunda morte. Então a rigor os julgamentos obedecem a Lei de יהוה – (“YHVH” – “Yod-He-Vô-He”) onde no segundo “He” colhemos os frutos de nossa atuação no mundo de Malkuth.

Ocorre que a meditação feita diariamente no intuito de encontrar, compreender e retificar nossos erros acabam por ser um adiantamento dos três julgamentos, mas com o bônus de podermos retificar nossos atos e, assim, melhorarmos o julgamento final. A meditação em si já passa a ser um elemento corretor que nos ajuda a retificar aquilo que com nossas atitudes temos escrito em nosso livro do destino. Se a dinâmica da vida social nos impede de meditarmos peçamos auxílio a REIYEL e encontraremos estimulo e as condições necessárias para meditar.

Mas ainda há um tipo de meditação que nos leva ao conhecimento, a verdade, ao vazio iluminador que consiste em silenciar a mente até que não mais se manifeste e, nos encontremos fora de todas as ilusões, sonhos, desejos criados individual ou coletivamente.

Para silenciar a mente podemos lançar lhe desafios. São frases enigmáticas sem solução chamadas de “Koans”. Medita-se nas frases, procurando-se encontrar uma solução após ter efetuado o relaxamento, eis algumas das frases:

“Se tudo se reduz à unidade, a que se reduz a unidade?”

“Batendo duas mãos uma na outra temos um som. Qual é o som de uma única mão? ”

“Qual é o som do silêncio? ”

“Quem é você? ”

“Qual era o seu rosto original – aquele que você possuía antes de nascer? ”

Outros Gênios que tratam da meditação:

  1. 4->6 REIYEL: Meditação sobre mistérios da obra divina, vazio iluminador, nossos desvios;
  2. 5->6 ANIEL: Meditação, conhecimento inspirado, Segredos da natureza;
  3. 7->6 NANAEL: Meditação sobre as 22 letras e os segredos espirituais e da natureza.

1.7.2     Libertar-se dos bruxos, encantamentos, mal olhado e sortilégios.

Tratam-se de inimigos que se opõe às nossas realizações. Inimigos que inicialmente estavam em nosso interior, mas, agora, manifestam-se a nossa frente para opor-se ao nosso avanço, seja com encantamentos, mal olhado, sortilégios, etc.

REIYEL trabalha sobre a consciência dos indivíduos, pelas vias do Poder de Consciência, assim, quando nos deparamos com alguém que nos faz o mal, pedimos ao Gênio que atue fazendo compreender suas atitudes, que se depare com a consequência de seus atos, enfim… Como resultado surgirá o conhecido “peso na consciência” sobre aquele que está causando o dano de modo a gerar uma contradição interna em razão da iluminação produzida e, consequentemente, o mal perderá sua força.

Outros Gênios que tratam de eliminar as forças do mal.

  1. 1->3 SITAEL: Proteção contra as armas e forças do mal, magia negra – restabelece a justiça;
  2. 3->4 NELKHAEL: Contra as bruxarias; pela consciência do “não poder” do outro;
  3. 4->6 REIYEL: Livrar-se de bruxos, encantos e sortilégios pelo “peso na consciência”;
  4. 9->2 DAMABIAH: Transforma o mal em bem, atua contra a magia negra nos elevando espiritualmente.

1.7.3     Inspiração para as orações, elucubrações e discursos.

Quando as energias de REIYEL se manifestam em nossa existência dará luz a uma personalidade profundamente religiosa ligada à sua consciência com a divindade criando assim um canal por onde são transitam as energias produtoras de uma evidência incontestável. Importa que o indivíduo será a todo momento orientado por sua consciência acerca do que deve ou não fazer, mesmo sendo os discursos atribuição da coluna da esquerda já que Tiphereth é um exteriorizador de Binah por serem ambos o “Vô” de seu mundo. Neste sentido Hesed aportará a sabedoria divina fazendo visível a ordem de todas as coisas e fará com que esta ordem seja estabelecida na sociedade em que se viva. Armará com os argumentos e discursos para o combate contra os inimigos da religião, aqueles cuja sua atuação defendam normas opostas as concebidas nos planos superiores e que regem todo o universo.

1.7.4    Zelo na propagação da verdade, oral ou escrito.

A pessoa nascida sob essa influência se distinguirá por suas virtudes e zelo ao propagar a verdade, fará todos os esforços para destruir a falta de fé, através de seus escritos e exemplos.

REIYEL nos converte em propagadores da verdade e, portanto, nos faz perceber a verdade, já que a propagação de algo tem de algum modo haver com o que se “É” em maior ou menor grau. Então poderemos propagar por meio de escritos ou palavras e quando a verdade haja penetrado em nós a propagaremos como exemplo. E como tudo segue as evoluções do nome de יהוה (“YHVH” – “Yod-He-Vô-He”) aqui também segue a regra:

  1. Em um primeiro momento “Yod”, REIYEL planta as sementes da propagação da verdade;
  2. No segundo momento “He” a verdade será plena no interno;
  3. Na etapa terceira “Vô” está verdade se estrutura para fins de exteriorização;
  4. Por fim no segundo “He” concebe seus frutos, os nascidos no 3º e 4º cenários serão portadores natos da verdade;
  5. No momento da quintessência o indivíduo torna-se o protagonista com seu exemplo, seu modo de atuar.

Outros Gênios que nos outorgam eloquência e expressão:

  1. 3->7 YEIAIEL: Facilita a verbalização das verdades, mesmo as mais duras de serem expressadas;
  2. 4->6 REIYEL: propagar a verdade oralmente, por escritos ou exemplo;
  3. 7->3 DANIEL: Expressar-se com eloquência;
  4. 7->7 NITHAEL: A claridade dos pensamentos se revelam na expressão de modo simples a todos;
  5. 7->9 POYEL: Poder expressar-se corretamente de forma clara e universal.

1.7.5    Proteção contra o fanatismo, a hipocrisia, a irreligião.

O lado negativo da força

O gênio contrário domina o fanatismo e a hipocrisia, influencia todos os que propagam o ateísmo através de seus escritos e máximas perigosas.

Temos visto que REIYEL domina sobre os sentimentos religiosos, a filosofia do Ser que liga o homem a sua transcendência, às energias que descem pela coluna da direita de modo que seu lado negativo será, pois, uma oposição a tudo que rege os princípios que lhe são afins. As mensagens de Hesed perderão a justa medida de modo que serão diminuídas impedindo que a consciência seja suficientemente impregnada a ou amplificadas de forma que não possa ser digerida dando origem ao fanático ou ao irreligioso.

O fanatismo é uma adesão cega, um zelo obsessivo a um sistema, doutrina, a uma falsa verdade que necessita de artifícios para impor-se. É comum que o fanático recorra a ameaças para se impor e o caso mais conhecido da história refere-se a santa inquisição.

A hipocrisia refere-se a uma dissimulação das qualidades, intenções, sentimentos que não possui. Deste modo o hipócrita procura dar a entender que possui certas virtudes, mas que na realidade não as possui daí a dissimulação do que realmente o é ou pretende. Passam-se por santos, virtuosos, mas em realidade em seu interior e na ausência dos demais são o oposto. Cristo os chamava de “Túmulos caiados” já que tinham a aparência boa por fora, mas por dentro os gusanos devoravam a carne podre.

A irreligião refere-se à negação de uma ordem transcendente e que tudo se reduz a matéria caótica, ao império dos desejos que são enaltecidos e convertidos em objeto de realização. Nitzsche foi um dos máximos expoentes desta doutrina, sua teoria produz a destruição do indivíduo de dentro para fora; basta ver que o resultado de sua teoria o levou ao manicômio.

As escrituras já advertiram sobre os irreligiosos, hipócritas.

“Mateus 16:6 Adverti e acautelai-vos do fermento dos fariseus e saduceus.”

Os fariseus são aqueles que frequentam e financiam seus templos, suas escolas, religiões, seitas etc., a fim de que todos os vejam, estão sempre nas primeiras filas buscando aparecer em fotos que lhes dê publicidade. Já os saduceus são aqueles que professam as doutrinas materialistas, ateístas que giram sempre dentro do círculo vicioso das percepções sensoriais externas ignorando a capacidade humana de penetrar no ultra da natureza.

O fanatismo não é somente um fenômeno religioso, mas também científico quando nega as verdades que somente podem ser alcançadas com as propriedades humanas internas de ir além. A ainda o fanático por um time de futebol, por um partido político, etc., todas estas manifestações são anomalias que precisam ser sanadas pois fatalmente acarretarão problemas.

 

1.8        Escrituras

“S (53-6) ecce Deus auxiliatur mihi Dominus sustentans animam meam

Porque Deus é o meu socorro. O Senhor é o sustento de minha alma. ”

 

1.9         Oração

“REIYEL: Deus Pronto a Socorrer.

REIYEL: Ó Senhor, que me hás escolhido para ser o veículo de seu Verbo!

Vela para que a minha alma conserve a pureza necessária

à manifestação de Seu pensamento.

Purifica-me das impurezas,

dos congestionamentos trazidos por minha personalidade mortal,

de modo a que Tua corrente, Tua Luz flua livremente em mim.

Livra-me dos inimigos que podem representar um freio, uma ancora nesse caminho e

dos amigos que me mantém prisioneiro a falsos valores.

Prepara-me um lugar que possa meditar e

encha-me com o zelo para propagar o que meu Real Ser detecta.

Não permita que com a minha conduta

atraiçoe o que Tu me levas a proclamar em palavras.

Senhor REIYEL, alente o meu afã de entrega e

deixe-me ser distribuidor de Tua destra, de Tuas virtudes”.

 

1.10           Exortação

“A Verdade que brilha no céu deve ser transplantada na terra

é preciso de alguém que, como Hércules tome o céu sobre suas costas;

alguém que seja forte para não machucar-se com tão terrível peso;

alguém que seja flexível para que, com tão sublime carga nas costas,

saiba descer os degraus que separam a Eternidade e

deixá-la em um bom lugar, em uma terra fértil,

capaz de multiplicar cada pedaço de céu em mil.

Oxalá possas ser tu, peregrino, o afortunado agente para essa missão.

Espero que encontre em ti a força e a flexibilidade que a operação necessita.

Se me serves, se você não se deixar devorar

por negros instintos que espreitam ao missionário

Eu farei de ti o meu representante intitulado na Terra e

entre Tu e Eu estenderei uma escada

para que subam e baixem permanentemente os meus agentes,

carregados com os materiais necessários para a sua obra.

Nada tem de faltará, peregrino, do que seja essencial,

se respeitares a minha exclusividade e não se comprometeres em outras empresas”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s