2. 1->2: JELIEL


1.1       Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 1 – Serafins  
Príncipe: Mettraton
Mundo do coro: 1 – Atziluth, Mundo das Emanações, Arquétipo, espírito – elemento Fogo
Signo: Aries
Elemento zodiacal: Fogo
Relação/elementos: Fogo do Fogo atuando sobre o Agua do Fogo
Relação/mundos: “Yod” do Mundo de Atziluth sobre o “He” do Mundo de Atziluth.
Velas:  1 Branca em cima e duas amarelas em baixo
Incenso: [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera]
Letras: Yod-Lamed-Yod-Aleph-Lamed
Gemátria: 10+30+10+1+30 = 81 = 8+1 = 9
Arco:  6º a 10º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 5º a 10° de Aries ou 26 al 30 de Março.
Invocação por rotação: de 1 a 2 de Áries: “Yod” ou 22 de Março;

de 13 a 14 de Gêmeos: “He” ou 4 de Junho;

de 25 a 26 de Leão: “Vô” ou 18 de Agosto;

de 7 a 8 de Escorpião: 2º “He” ou 1 de Novembro;

de 19 a 20 de Capricórnio ou 10 de Janeiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   das 20 às 0:40 h a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando Urano se encontra se encontra em um dos graus de Kether, ou seja, entre 0º a 1º, de 10º a 11º e de 20º de qualquer signo.
Atributo: Deus que socorre.
Nome da essência: MANANCIAL DE AMOR E ETERNA SABEDORIA.
Nome da Força: Vontade de amor e sabedoria.
Forças em ação: A força de Kether que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Hochmah.
Sendero: 11, que une Kether a Hochmah em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco.

1.2        Palavras chaves:

INSPIRAÇÃO, sorte, fortuna, FIDELIDADE e PAZ conjugal e subordinados, ALTRUÍSMO, geração, FECUNDIDADE, frutificação, SACIEDADE, espírito brincalhão, BOM HUMOR, maneiras agradáveis, família grande.

(-) sedição popular, ATAQUES INJUSTOS, celibato, contracepção, maus costumes.

1.3        Movimentação Sephiroth: As na segunda posição.

Ocorre quando o “Yod” se encontra na posição “He”, portanto, fora de sua sede de modo que as circunstâncias é que determinarão o movimento da Vontade, não caberá ao indivíduo controlar o rumo das coisas. As experiências exercerão um papel fundamental e o Amor-sabedoria de Hochmah influenciarão sobremaneira as forças de Kether, como ocorre em uma relação entre casais quando a mulher acaba por influenciar o companheiro.

1.4        Arcano – Mundo: Dois de paus mundo de Atziluth.

Recebe o título de Senhor do domínio. Refere-se ao elemento Fogo e astrologicamente corresponde a posição de Urano transitando pelo segundo decanato de Áries onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é o Sol.

Neste ponto, Kether o primeiro ponto de partida na Arvore e no zodíaco, o centro produtor de iniciativas, a essência divina, expressa-se por intermédio de Hochmah o centro produtor de Amor-Sabedoria, o Amor universal, a essência Crística. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Tiphereth, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Aqui as forças de Kether se veem neutralizadas, eis que a vontade primordial queda prisioneiro do amor. Uma vez que a vontade esteja aprisionada, as virtudes do “Um” não podem manifestar-se. Em razão disto os mananciais de Kether como liberdade e supremo desígnio quedam como inertes.

No campo prático, algo que havia sido posto em andamento vê-se neutralizado e ao invés de exteriorizar-se pela força de Kether retém-se nas interiorizações de Hochmah. A paixão aprisiona a Vontade tornando-a passiva, i.e., sem existência. A força criadora é dominada antes que venha a produzir qualquer coisa, eis que a primeira produção só aparecera após a manifestação do três – em Binah.

Quando o dois de paus atua no mundo de Atziluth indica que esta neutralidade se efetua desde o ponto de sua geração, refere-se a um natimorto, por isto esta carta invertida muitas vezes é interpretada como uma surpresa, um milagre.

1.5        Virtudes concedidas:

1º.- Fecundidade, tanto nas pessoas, como nos animais e plantas.

2º.- El restabelecimento da paz entre esposos e fidelidade conjugal.

3º.- Conseguir que os subordinados sejam fieis ao Rei e aos governantes legítimos.

4º.- Pode invocar lhe para calmar as sedições populares e conseguir a vitória contra os ataques injustos.

5º.- Fazer que abandonem o celibato e os maus costumes os que se obstinam em viver sós.

1.6        Descrição Sephiroth:

JELIEL é o segundo da 1º ordem de anjos denominado como Coro dos Serafins, situa-se na morada filosofal de número 2, rege o sendeiro 11, que une Kether a Hochmah em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Kether o primeiro ponto de partida na Arvore e no zodíaco, o centro produtor de iniciativas, a essência divina e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Hochmah o centro produtor de Amor-Sabedoria, o Amor universal, a essência Crística; o “Yod” do Mundo de Atziluth sobre o “He” do Mundo de Atziluth, Fogo do Fogo atuando sobre o Agua do Fogo. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada MANANCIAL DE AMOR E ETERNA SABEDORIA, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que tratam da “água que se bebe e nunca mais se tem sede”, o Amor e a Vontade são uma mesma coisa já que Kether e Hochmah são Uno e termina por se projetar em todas as coisas. Trata-se de uma força de Vontade de amor e sabedoria, que ocorre quando a Vontade se submerge em um manancial de Amor-sabedoria convertendo ambos em uma mesma coisa e como se trata de um amor Universal atuará desde dentro já que Hochmah o primogênito de Kether e da coluna da direita, trabalha, portanto, a nível interno acalmando as sedições de modo que as manifestarão espelharão o interior. Cabe esclarecer aqui que ao filho cumpre realizar a Vontade do Pai, de modo que, Hochmah exerce as circunstâncias e energia favoráveis para que esta Vontade se cumpra. Neste ponto encontra-se presente a força engendrante de Kether e a gastadora de Hochmah. É, portanto um portador de fidelidade, sorte, fortuna, inspiração, mas com vistas ao Amor primordial, desinteressado. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominada Deus que socorre.

Cabe notar que o caminho 11 (veja a árvore Sephiroth), rege o sendeiro de ida ou descenso as realidades materiais tanto pela árvore como pelo zodíaco, refere-se as relações de Kether-Hochmah e que, portanto, é regida por Kether, por ser o Gênio número um e também por estarmos tratando do primeiro caminho ou sendeiro de ligação entre dois centros de vida e, assim sendo, encerra em si todas as potencialidades da Vontade em união ao puro amor próprio de Hochmah, daí que Amor e Vontade encontrem uma conexão osmótica.

Hochmah-Urano e conhecido na arvore cabalística por ser o manancial de amor e sabedoria. Ou seja, o amor é tido como o mais alto grau da sabedoria. A sabedoria está acima da inteligência na escala evolutiva Sephiroth. Trata-se da sabedoria Crística referida como “a água que se bebe e nunca mais se tem sede” eis que proceda da fonte primeira e eterna quando VEHUIAH, depois de realizados seus trabalhos, submerge a Vontade em um manancial de amor.

Em Hochmah-Urano é quando ocorre a divisão da unidade e surge então a dualidade cujo meio de se voltar a Unidade primogênita é justamente pelas vias do Amor. Como ocorre com dois irmãos que se partem e, com sabedoria, ajustam suas posições para unirem-se novamente em uma só vontade.

Percebemos que Amor e Vontade são uma mesma coisa e nesse sentido lembramos a sabedoria de Cristo em sua afirmação “quem viu ao Filho viu ao Pai”.

JELIEL é, portanto, a manifestação do amor desinteressado, caridoso, que pratica a bondade não importando o porquê ou a quem. O amor primeiro é posto acima de todas as coisas, sem necessidade de triunfos, agradecimentos e em contrapartida faz descer sobre nós o jorro de luz que dá a vitória a nossas empresas, nos concede a inspiração necessária que é a matéria prima de JELIEL já que a inspiração primeira vem da segunda morada, desta região chamada Amor-Sabedoria. Esta energia faz com que sejamos um farol de luz, a providência que se manifesta e, em nós as pessoas encontrarão o seu Norte para uma terra farta e acolhedora.

Se em nossos alforjes (mala, bolsa espiritual) acumulamos estas essências seremos   guia para os demais, como o foi Jesus, Buda, Krishina, Quetzalcoatl, Osíris (para uns e Hórus para outros), entre tantos grandes mestres espirituais fundadores, mas também como Gandhi e outros que nos demonstram a história e que guiaram com Amor-Sabedoria.

1.7        Das virtudes concedidas:

1.7.1    Fecundidade, tanto nas pessoas, como nos animais e plantas.

Estas forças influem sobre a geração de todos os seres que existem no reino animal, vegetal, etc.

A geração é uma combinação da parte masculina VEHUIAH coma parte feminina JELIEL; do Adam Kadmon, o homem arquétipo, primordial, com Eva ou Aisha, a natureza essência, mulher primordial, arquétipo feminino que sendo também primordial em si, embora posterior a Adam Kadmon, carrega em si a essência da vontade.

A união de Kether-Hochmah em JELIEL é a combinação do fogo com a agua, dois elementos antagônicos, como o positivo e o negativo, mas capaz de geração o que significa: fecundidade em todos os aspectos, inclusive o bom relacionamento conjugal.

JELIEL atua posteriormente a VEHUIAH que é o primeiro. Sendo aquele a parte feminina, está diretamente ligada a fecundidade, fertilidade, natureza que fecunda por onde sairão os seres que, no momento certo, escolheram este canal para sua exteriorização. Assim, Aisha torna-se um “Yod” em seu departamento.

Cabe ainda destacar que as pulsações de JELIEL faz com que seus influenciados sejam portadores de espíritos brincalhões, jovial, descontraídos, com maneiras agradáveis que atraem as pessoas em um jogo perigoso e apaixonante quanto mais o seja rumo a sexualidade. Estando JELIEL em um plano muito alto, afastado das realidades materiais dos problemas do mundo físico, quando ocorram as controvérsias não lhes trarão grandes perturbações, conflitos.

Hochmah propicia circunstâncias favoráveis para que se cumpra à vontade já iniciada, deste modo, o homem de JELIEL é um portador de sorte extraordinária, um amuleto ambulante, um trevo de quatro flores já que a providência beneficia inclusive os que o rodeiam. Alguém que age de forma desinteressado, por amor.

Abrimos um parêntese para explanar o trevo de quatro folhas, uma representação de Hesed/Júpiter onde desaguam o manancial da bondade suprema das três séfiras superiores do triângulo logoico a saber Kether, Hochmah e Binah. O quatro é o resultado final da união das três forças primárias, quando a trindade se une a unidade, também conhecido como o Tetragrammaton.

Estas pessoas serão apaixonadas pela criação, pelo positivo e, portanto, também pelo sexo, principalmente por sua qualidade de órgão de aliança com Deus e, em razão do que, se multiplica e se expande a obra divina em todos os reinos. É comum que tenham muitas proles. Que sejam chefes de grandes famílias.

Cabe ressaltar aqui que o sexo como aliança com Deus tem sido alvo de muitas interpretações restritivas, opressivas no curso dos milênios. Tal fato ocorre em razão da proximidade de uma energia muito poderosa com o Criador. Contudo refere-se ainda a uma forma de utilização desta energia sem que haja seu desperdício, de modo que possa ser utilizada nas dimensões superiores da natureza que resultam inclusive em mudanças em Malkuth já que toda a criação vem de cima para baixo.

As escrituras afirmam que no paraíso haviam duas arvores distintas: Uma chamava-se “Árvore do conhecimento do bem e do mal” e a outra chamava-se “Arvore da vida”.

Uma parte da árvore da ciência do bem e do mal estamos passando nestes textos. Quanto a arvore da vida são segredos que se referem ao sexo. Afinal toda criação tem origem sexual. No desenvolver do curso trataremos do tema.

1.7.2    O restabelecimento da paz entre esposos e fidelidade conjugal.

Cristo por diversas vezes afirmou ser “Um” com o Pai. Assim é também em nossa personalidade representadas pelo Kether-Sol e Lua-Hochmah se considerarmos a coluna do meio da Árvore. Deste modo quando da atuação de JELIEL, representante de Hochmah, atua em nós, unifica os dois aspectos interno em nosso interior, restabelecendo a paz entre esposos e a fidelidade conjugal. Isto ocorre em razão de que havendo alcançado a Unidade interna, esta será projetada para o exterior facilitando o entendimento e a perfeição no relacionamento.

Nos dias e horas de JELIEL aparecerão em conversas, discursos, redes sociais, imprensa em geral os temas ligados ao bom relacionamento entre esposos.

Outros Gênios que nos auxiliam a viver em paz:

  1. 1->2 JELIEL: Restabelece a paz entre esposos pela união da Vontade e Amor-sabedoria;
  2. 1->5 MAHASIAH: Pela retificação dos erros e sincronicidade com os desígnios divinos;
  3. 1->6 LELAHEL: Paz fruto da Vontade harmoniosa, pacífica e consciente;
  4. 4->2 NITH-HAIAH: Paz da solidão para alcançar a verdade e a sabedoria;
  5. 4->4 YERATHEL: Paz em ambiente justo e homens sábios;
  6. 5->3 LEHAHIAH: Paz entre os governantes – sem guerras. Guerra contra os desejos;
  7. 5->4 CHAVAKIAH: Paz e harmonia nas famílias e com todos, reconciliação com o passado;
  8. 5->7 HAAMIAH: Viver em Paz com a sociedade, proteção espiritual;
  9. 5->9 IEIAZEL: Para que os inimigos nos deixem em paz em razão de uma Nova Realidade;
  10. 6->4 VEULIAH: Paz mediante a guerra para retirada do usurpador e, pelo perfeito ordenamento natural das coisas na dinâmica יהוה;
  11. 6->5 YLAHIAH: Disposição para a paz com inimigos que fomos injustos;
  12. 6->9 MIHAEL: Paz e harmonia entre esposos;
  13. 8->7 IAH-HEL: Tranquilidade e solidão para alcançar a sabedoria;
  14. 9->8 HAIAIEL: Destruição da babilónia interna e externa, paz para quem está em guerra.

1.7.3    Conseguir que os subordinados sejam fieis ao Rei e aos governantes legítimos.

O programa afirma que este Gênio tem domínio sobre os reis e os príncipes, mantém seus súditos na obediência.

Em nossos mundos internos Kether é o rei e Hochmah o príncipe; contudo JELIEL -“He” (fórmula: יהוה – “Yod-He-Vô-He”.) é o elemento interiorizador no triangulo logoico composto por Kether, Hochmah e Binah já que é a terra onde será plantada a semente. Assim, JELIEL que carrega VEHUIAH dentro de si acaba por representar a ambos já que, como explanamos, é o momento em que a vontade se submerge em um manancial de Amor-sabedoria convertendo ambos em uma mesma coisa.

O mesmo ocorre na vida exterior a exemplo da mulher grávida que carrega a semente do esposo. A vontade soberana representa o rei; o amor, a sua primeira emanação e o filho do rei é a semente engendrada. Sendo este o ponto de arranque de tudo (Vontade-Amor) daí vem as ordens que serão executadas pelos servidores do rei-príncipe: Adam Kadmon/Eva Aisha.

JELIEL promove a unidade de desígnios, e quando tratamos dos governantes legítimos refere-se a uma relação intrínseca com as forças universais, já que Kether é o soberano incontestável e Hochmah seu herdeiro natural e, do mesmo modo, estas energias propulsarão no domínio exterior, desde o interior que posteriormente é projetada ao externo de modo que haja um perfeito entendimento entre subordinados e seus superiores, deste modo tudo fluirá em consonância com as pulsações cósmicas.

Outros gênios que tratam da fidelidade:

  1. 1->2 JELIEL: Fidelidade conjugal, dos subordinados ao rei e aos governantes por unidade de desígnio;
  2. 2->6 IEZALEL: Fidelidade conjugal e reconciliação entre esposos;
  3. 5->2 YEHUIAH: obediência e fidelidade dos subordinados;
  4. 6->3 MIKAEL: Obediência e fidelidade ao legítimo, líderes naturais;
  5. 6->9 MIHAEL: Fidelidade conjugal;
  6. 8->5 MITZRAEL: Fidelidade e obediência dos subordinados.

1.7.4    Pode invocar lhe para calmar as sedições populares e conseguir a vitória contra os ataques injustos.

O amor-sabedoria é um motor propulsor, eis que a Vontade mergulha no Amor-sabedoria, e sendo JELIEL uma emanação, um desdobramento de VEHUIAH, neste motor encontra-se à vontade, e mais, uma vontade visível, uma emanação que nos serve de guia.

Quando nossos impulsos internos ocupam nossas cidades anímicas (cidades em nossa psiquê, nosso subconsciente) reivindicando assuntos diversos, a fim de reivindicar coisas mil, JELIEL aparece a acalma tudo dando uma visão geral das coisas e que, com paciência, poderão adquiri-las já que tudo o que está em cima um dia chegará em baixo. Faz com que tudo se desenvolvam da melhor maneira possível em um ambiente favorável e sem hostilidade.

Restabelece a calma porque destila a paz infinita que provem de Hochmah possuidor do atributo “amor supremo”, por estar na emanação fazendo topo com a Vontade, que envolve os impulsos dando um sentimento de satisfação e, assim, já não desejam mais nada a não ser embriagar-se do estado em que lhes deixou o ópio do amor. Neste diapasão reina o amor a sabedoria na vida do indivíduo e como resultado encontra a paz interior.

E como o interior é o reflexo do exterior, acalmando-se as sedições internas as externas se acalmarão como consequência.

O amor é tido como o segundo na hierarquia dos valores eternos sendo, o primeiro a vontade segunda sem a qual nada se cria ou se estabelece, isto faz com que tudo se submeta a ela, já que a primeira força e ativa e a segunda é passiva. As primeiras energias a submeterem-se ao amor são as injustiças; daí advém o triunfo sobre as situações injustas que submerge no reino do amor, da bondade peculiares a Hochmah – Cristo.

Temos visto que encontramos em Hochmah a mulher primordial, a Eva, AISHA, o suporte da vontade. Basta lembrar que segundo as escrituras Eva foi extraída da coluna de Adão – o homem primordial, ligado a Kether -, horas a vontade está representada na coluna vertebral que dá sustentação a todo o corpo. Como Hochmah é um desdobramento de Kether pode-se afirmar que se trata da costela retirada de adão.

Esta alegoria nos informa como as energias eternas estão ordenadas nos universos e dentro de nossa psique, afinal “como é em cima, o é em baixo e vice-versa”.

Prosseguindo a cosmologia da criação vemos que da união de Kether-Hochmah surgira Binah – ressalte-se: o elo de ligação entre os dois primeiros -, e por meio deste sephira surgirá toda a criação. Temos aqui o Pai-Kether, o Filho-Hochmah e o Espirito Santo Binah, a tríade responsável por tudo quanto existe: O positivo, o negativo e o neutro; o vermelho, o azul e o amarelo (enquanto escrevo estas linhas me vem à mente o hidrogênio, o carbono e o hélio).

Relembramos aqui novamente que Cristo afirmou que Kether e Hochmah são Uno.

 

Outros gênios que tratam das sedições populares:

  1. 1->2 JELIEL: Fidelidade dos subordinados ao rei e aos governantes por unidade de desígnio;
  2. 2->9 HEKAMIAH: Lealdade as coroas, governantes, íntegros, legítimos.

 

1.7.5    Fazer que abandonem o celibato e os maus costumes os que se obstinam em viver sós.

O lado negativo da força

 

O gênio contrário tem domínio sobre tudo o que é nocivo aos seres vivos, gosta de desunir os esposos, desviando-os de seus deveres (inclusive conjugais), inspira o gosto pelo celibato e os maus costumes.

Estas energias referem-se aos atos contra a criação, os maus costumes. A cabala afirma que estão nesta categoria os que se negam a ter filhos a ampliar a obra da criação, sejam casados ou não. Neste sentido é entendido como o primeiro atentado contra a ordem cósmica que vem desde o alto, ou seja, a criação, criar.

Mas isto não se restringe somente aos humanos. Entram também as castrações, os alimentos transgênicos já que impedem que a semente se reproduza disseminando assim o protótipo da infertilidade, etc.

Os que advogam agressivamente contra a geração, os que lucram com isto, etc. estão ligados a esta fonte abismal de energia. Trata-se do mais alto crime contra a natureza pois é uma sentença de morte pré-embrionária contrária a ordem natural e que impede a proliferação de vida e a consequente manutenção de tudo quanto existe.

Aqui não estamos falando ainda sobre os abortos, trataremos mais sobre este tema ao adentrarmos nos assuntos do gênio OMAEL (30).

Devemos lembrar que em Hochmah encontramos a raiz da misericórdia que posteriormente se manifestará em Hesed. É nesse sentido que devemos trabalhar a questão da castração por motivos de doença, já que há a impossibilidade de procriar-se sem ausência de sofrimento ou risco de vida.

De outro lado ainda algumas pessoas estão liberadas de ter filhos seja por ter superado este tipo de trabalho, seja missão, enfim, são exceções.

Há ainda a questão do celibato que além de ir contra a criação exclui o outro que levamos dentro de nós reduzindo-nos a metade de nós mesmos. Sendo o celibato uma agressão contra a natureza, violadora da ordem natural, a energia não utilizada na criação de corpos físicos ou espirituais que se acumula acaba por retornar contra aquele que o pratica em uma relação de causa e efeito, dando origem ao homossexualismo, a pedofilia, distúrbios mentais e outras formas de energias que não comportam o dique, o equilíbrio energético. Falaremos mais sobre o assunto no momento oportuno.

Os maus costumes são tudo aquilo que vão contra os parâmetros cósmicos e que dadas as condições de vida custam muito a erradicar e como estamos tratando de energias criadores estão relacionados a estas. Faz com que o indivíduo chegue ao fundo do poço até que chegue o dia em que de algum modo, atingindo o seu ponto de saturação, a energia de JELIEL o saque do abismo.

No evangelho o Kabir Jesus expulsava legiões. Uma referência a que os defeitos psicológicos nunca estão sozinhos, mas acompanhados de muitos outros, uns dando sustentação aos outros em um verdadeiro emaranhado de apoios e justificações, assemelha-se muito ao nosso atual sistema político degradado.

As energias de JELIEL não utilizadas corretamente são precipitadas para os abismos do inconsciente e se projetam em manifestações negativas em Malkuth (o mundo físico), e no caso do casal, a única saída mirada passa a ser a separação.

Aqui aparecem ainda as pessoas que atuam somente por interesse já que se refere a contrapartida do altruísmo de JELIEL.

1.8        Escrituras

S 22:19 (21-20) “Tu autem Domine ne longe fias fortitudo mea in auxilium meum festina.”

“Mas tu, Eterno, fiques perto de mim: Tu es minha força, apressa-te em socorrer-me! ”

 

1.9        Oração

JELIEL: Deus que socorre.

JELIEL: Presta-me teu auxilio, Senhor dos brilhantes conceitos,

para que possa aportar claridade onde reina a confusão;

para que possa aportar método onde tudo é caos.

Permite-me, Senhor JELIEL,

guardar sempre minha inteligência, pura, limpa,

sem que possa torcer-se ante a pressão

dos interesses materiais;

para ser aquele que, graças a teus poderes,

dá um conselho desinteressado, um juízo construtivo.

Faz que essa voz que emerge das profundidades de meu ser,

seja a que dirige e orquestre mi vida.

Faz que seja impossível todo pacto, todo compromisso, entre a razão e os instintos,

y que a mente domine as emoções como o ginete domina seu cavalo.

Faz que tua brilhante penetração dentro de mim

não me induza em erro e chegue a pensar

que a luz vem de mim e não de ti.

Em todo momento y em todo lugar, Oh Senhor JELIEL!

Faz-me um homem desinteressado”.

 

1.10        Exortação

“O que tens feito hoje para melhorar a qualidade do mundo?

Tens dado as estruturas físicas a tua luz?

Ou por acaso tens aportado a terra em que vives um pouco mais de sombra?

Pergunto-lhe, peregrino.

E se fordes um semeador de sombras, um produtor de trevas quero que saibas que tens a tua disposição uma imensa claridade, um deslumbrante resplendor ofuscante.

Não necessitas mais do que abrir em sua própria consciência um canal,

e um jato luminoso de Alef (Alfa – energia primordial)

inundará seus Centros de Percepção.

Então tudo mudará ao seu redor;

Viveras em alegria em um transbordante entusiasmo,

porque terás a sensação de aportar ao mundo a ao seres que o rodeiam

algo tão necessário para a vida como o ar que respiras.

Chama-me, aproxima-se de minha esfera,

e este bem estar que tenho para ti, será teu.

Quanto hajas bebido meu Fogo,

os objetivos materiais desaparecerão de tua estratégia

e serás um obreiro do Templo do Espírito.

Trabalharas para que o mundo deixe de ser um vasto campo de desperdícios

e em ti se alojará permanentemente a felicidade.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s