15. 2->8: HARIEL


1.1        Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 2 – Querubins  
Príncipe: Ratziel.
Mundo do coro: 1 – Atziluth, Mundo das Emanações, Arquétipo, espírito – elemento Fogo
Signo: Gêmeos.
Elemento zodiacal: Ar.
Relação/elementos: Agua do Fogo atuando sobre o Agua do Ar.
Relação/mundos: “He” do Mundo de Atziluth sobre o “He” do Mundo de Yetzirah.
Velas:  Amarela em cima e duas laranjas (ou brancas) em baixo.
Incenso: [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera] e [Canela, louro, jasmim, benjoim, casca de limão].
Letras: Heh – Resh – Yod – Aleph – Lamed
Gemátria: 5+200+10+1+30 = 246 = 2+4+6 = 12 = 1+2 = 3
Arco:  71º a 75º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 10° a 15° de Gêmeos ou 1 a 6 de Junho.
Invocação por rotação: de 14 a 15 de Aries: “Yod” ou 4 de Abril;

de 26 a 27 de Gêmeos: “He” ou 18 de Junho;

de 8 a 9 de Virgem: “Vô” ou 1 de Setembro;

de 20 a 21 de Escorpião: 2º “He” ou 13 de Novembro;

de 2 a3 de Aquário ou 23 de Janeiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   04:40:00 às 05:00:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando o Urano se encontra em um dos graus de Mercúrio, ou seja, entre 7º a 8º, de 17º a 18º e de 27º a 28º de qualquer signo.
Atributo: Deus criador.
Nome da essência: PURIFICAÇÃO.
Nome da Força: Sabedoria Purificadora.
Forças em ação: A força de Hochmah influenciado pelas energias Hod.
Sendero: Sub-sendeiro que une Hochmah a Hod em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco.

1.2         Palavras chaves:

VONTADE DO PAI A NÍVEL MENTAL, purificação (intelectual), religare, FÉ-MENTAL, arte, ciência, religião, hábitos alimentares, vícios, DESCOBRIMENTOS ÚTEIS, pureza dos costumes, NOVOS MÉTODOS.

(-) Cismas, guerras religiosas, critica, IRONIA, sarcasmo, RELIGIÕES DOGMÁTICAS, sectárias, extremistas, ARROGÂNCIA EMPRESARIAL.

1.3          Movimentação Sefirótica: Dois na oitava posição

Refere-se as influências de Hochmah sobre Hod, o exteriorizador de Binah, terceiro da coluna do rigor, mas também o terceiro “He” da árvore e, portanto, recebe uma dupla influência de Hochmah que neste aspecto de exteriorização que representa Hod também concentrará a interiorização do Amor-sabedoria e a refletirá como afã de verdade, descobrimentos providenciais encontro entre a sabedoria divina e a Inteligência humana que se verá iluminada. Permite ver o futuro com clareza e lucidez, o mental superior emergirá em sonhos proféticos e o futuro será visto com clareza meridiana. Cabe lembrar ainda que neste ponto as influências de Binah sobre o mental são mais intensas já que a atuação do primeiro da coluna da direita implica ainda em uma simpatia daquele ao qual é seu exteriorizador natural e os impulsos de Kether já que o mundo das emanações está exercendo muitas pulsações aqui.

Corresponde a posição de Urano em Gêmeos ou Virgem.

1.4        Arcano – Mundo: Oito de copas mundo de Atziluth

Recebe o título de Senhor do êxito abandonado. Refere-se ao elemento Agua e astrologicamente corresponde a posição de Mercúrio transitando pelo segundo decanato de Peixes onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Marte.

Neste ponto o Amor-sabedoria de Hochmah expressa-se por intermédio de Hod o centro por meio do qual o Real Ser expressa sua Vontade sob a forma de pensamentos, por onde transita a sua memória, cuida da elaboração do intelecto por onde percorrem os pensamentos, as ideias; se encarrega de escrever o roteiro e pesquisar os personagens com os quais haveremos de edificar a história de nossa vida como resultante das forças tratadas nas séfiras acima, suas superiores. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Geburah, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Aqui Hod realiza sua função crítica, por ser o representante de Binah (da Lei) e, com vigor é impulsionado por Geburah que ocupa a posição “He” no triângulo ético – temos, então, o duelo entre o pensamento e o sentimento.

Ocorre ainda que Hod representa a política dos desejos já que é o “He” do Mundo de Yetzirah, portando ativa nosso sistema emotivo. Assim, o indivíduo abandona um excessivo êxito amoroso, a pluralidade de amores, opções, para instituir o amor com apenas uma só pessoa.

Refere-se ainda a algo, ou uma exigência emotiva, em que o preço, condição fixados seja considerado muito alto, e daí venha o abandono. De outro modo pode ser que o preço fixado seja dolosamente alto, justamente para originar a desistência, para que o outro prescinda de satisfazer as condições.

Os sentimentos precipitam-se sobre os pensamentos e terminam por impor soluções ilógicas. A nível subconsciente pode ocorrer a inibição, a timidez provavelmente utilizada pelo Real Ser, por alguma área do subconsciente para renunciar a um êxito que talvez não deva ocorrer.

Quando o oito de copas atua no Mundo de Atziluth, este sentido crítico, restrições, são exercidos desde o plano das emanações, portanto, de suas origens e com a força do elemento inicial.

1.5        Virtudes concedidas:

1º.- Que as mentes perversas se tornem piedosas e recuperem a fé.

2º.- Libertar-se doa maus hábitos, purificar os costumes.

3º.- Inspiração para descobrir novos métodos de trabalho.

4º.- Conseguir que a bondade penetre na mente das pessoas.

5º.- Proteção contra as falsas crenças.

1.6               Descrição Sefirótica:

HARIEL é o sétimo da 2º ordem de anjos denominado como Coro dos Querubins, situa-se na morada filosofal de número 15, sub-sendeiro que une Hochmah a Hod em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Hochmah o centro produtor de Amor-Sabedoria e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Hod, cujo trabalho está relacionado a elaboração de nosso intelecto, por onde transitam os pensamentos; o “He” do Mundo de Atziluth sobre o “He” do Mundo de Yetzirah, Agua do Fogo atuando sobre o Agua do Ar. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada PURIFICAÇÃO, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que nos permite uma depuração, o branqueamento mental, desde dentro. Interiorização esta própria de Hochmah, orientando a inteligência para a verdade, a ciência e a religião (adequação às Leis cósmicas) Trata-se de uma força de Sabedoria Purificadora, que produz o afã interno de ir para o verdadeiro pelas vias da senda da inteligência (que é externa), trilha o caminho da ciência, da arte literária, da religião, tudo de uma vez e, esta lucidez, transmuta a mente, já que passa a ser regada com maior claridade e, permite chegar ao conhecimento da verdade pelo caminho da lógica. Deste modo, concomitantemente, o mesmo ocorre com a sociedade que nos rodeia, o mundo é branqueado, desde sua forma de pensar, de acessar o conhecimento, de ver o mundo e as coisas. Dessarte, uma nova sociedade é criada a partir da verdade provinda do mundo das emanações ao retificar o intelecto. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominada Deus criador.

Trata-se de uma potencialidade que flui de dentro para fora e que nos auxilia na purificação interior de forma que se reflita ao externo transformando-o, limpando-o concomitantemente. Esta purificação ocorre a nível mental.

Cabe explanar que o mundo mental se divide em duas regiões: o mental superior e o mental inferior

Mental inferior ou concreto – É repositório cognitivo que trabalha o conhecimento os conceitos com base nas percepções simples, através dos cinco sentidos comuns, avaliando o mundo através do peso, cheiro, cor, tamanho, gosto, som, etc. e, pelos processos de indução e dedução, ou seja, trabalha com a lógica formal.

Mental superior ou abstrato, vai além dos cinco sentidos pelas vias da chamada lógica transcendental, muito bem dissertada, pelo Filósofo Don Emmanuel Kant que escreveu a obra Crítica a Razão Pura e Crítica da Razão Prática. O mental superior toca o mundo causal sem adentra-lo já que este mundo está acima da mente. Elabora os conhecimentos provindos dos sentidos superiores com a intuição, estrutura princípios e ideias abstratas advindos da consciência e do espírito. É a origem do raciocínio criativo, já que o mundo causal, no qual resvala este raciocínio criativo, tem sua correspondência com Atziluth.

A mente superior também é chamada de mente solar e a inferior de mente lunar e, esta última está representada nas escrituras como o asno com o qual o Messias entra vitorioso na Jerusalém Celestial no domingo de ramos. Isto nos induz o conhecimento que somente dominando a mente lunar, colocando-a em seu verdadeiro lugar, abaixo de nos é nos apegando a mente solar, aos sentidos superiores, aos princípios, é que poderemos ter a visão, adentrar ao paraíso, ou mundos superiores. A purificação da mente faz-se somente quando adentramos aqueles departamentos em que o raciocino formal próprio dos cinco sentidos não podem adentrar.

Já temos dito que o conhecimento científico somente pode adentrar materialmente até a quarta coordena, mas acima disto é preciso de veículos próprios que somente podem ser fabricados mediante processos de condensação e solvência de energias com materiais que apenas a nossa estrutura espiritual tem a capacidade de elaborar. Por mais que os cientistas rechacem a espiritualidade não passarão deste ponto e terão que ceder inevitavelmente; e já se tem dado conta disto como pode ser constatado pelas vias do progresso da ciência que aborda a física quântica.

Cabe esclarecer ainda que o mental e também o astral tem sua sede na 5º dimensão que se divide ainda em superior e inferior conforme os pensamentos ou sentimentos se elevem aos planos superiores ou aos confins abismais do subconsciente.

1.7              Das virtudes concedidas:

1.7.1     Que as mentes perversas se tornem piedosas e recuperem a fé.

HARIEL vem justamente tratar daqueles que se opõe a religião indicando que o caminho a percorrer é o do Mental Superior onde se promove o religare, quer dizer “ligar de novo”. Oras! Se o que se pretende e voltar a ligar isto nos induz que algo já estava ligado anteriormente e desligou-se. Houve então a perda da sensibilidade com os mundos superiores, com o Real Ser que antes existia.

Assim, a função de HARIEL refere-se a religar aqueles que pelo excessivo uso do raciocínio formal, do mental inferior, não conseguem mirar os olhos para o alto. E o faz também pelo mental, mas agora com as forças de Hochmah que é o precursor do encaminhamento dos ensinamentos pelas vias mais intimas da intuição, dos sonhos, onde trabalha no subconsciente com vistas ao mental superior permitindo a comunicação entre o sagrado e o profano, faz com que este compreenda aquele.

Como cabe ao filho fazer a Vontade do Pai, promover desde o alto esta ligação da Vontade do Pai com a mente (neste ponto), isto significa que, quando nos vejamos perdidos, sem saber o caminho a seguir, o que fazer e, neste instante de obscuridade acerca de nós mesmos, desejamos conhecer o que se projeta em nosso Íntimo, a Vontade do Pai a um nível de compreensão próximo de nossa condição humana atual, em um patamar intelectivo, podemos solicitar o auxílio de HARIEL.

E comum que as pessoas não saibam o que querem, o que está em seu íntimo, porém quando nos deparamos com os privilegiados que veem com clareza o que se sucede em seu interior, evidenciamos que caminham rumo ao seu destino como uma flecha certeira, um raio que não se desvia nem para um lado e nem para outro arrastando, inclusive, tudo e todos os que estão a sua volta, quanto mais os que cambaleiam nos caminhos das incertezas.

Este trabalho sobre o mental promove a recuperação ou mesmo o fortalecimento da . Cabe esclarecer aqui que todos têm fé, é com ela criamos o mundo que nos cerca. Contudo alguns tem fé em coisas boas e outros em coisas ruins. Uns tem fé que tudo dará certo e outros que tudo será ruim. O fato concreto é que todos estão certos e o resultado da fé se realizará onde quer que coloquemos nossas energias.

Outros Gênios que nos auxiliam a saber o que queremos, tomar decisão, encontrar um caminho:

  1. 2->8 HARIEL: Vontade do Pai a nível mental;
  2. 4->4 YERATHEL: Nos faz encontrar a Luz que resplandecente que indica a Vontade do Real Ser;
  3. 6->7 ARIEL: Sonhos com Instruções do Real Ser;
  4. 6->8 ASALIAH: Pessoas, entidades, lugares idóneos para realização de um propósito;
  5. 6->9 MIHAEL: auxilia a elaborar o querer;
  6. 6->3 DANIEL: nos auxilia a saber o que se quer; inspiração, determinação, bom juízo diante de várias opções;
  7. 7->7 NITHAEL: unifica tendências, traz estabilidade nas decisões.

1.7.2     Libertar-se dos maus hábitos, purificar os costumes.

HARIEL restabelece a relação entre a personalidade humana com a eterna, nos reconecta com nosso Real Ser pelas vias da purificação feita com as energias de Hochmah ao ponto de ser restabelecida a comunicação anteriormente perdida.

Uma vez restabelecida a comunicação envia a inspiração para a Arte, mas dotando-o de ciência. Por isto tem-se dito que este Gênio domina a ciência e a arte.

A arte, a religião, a ciência são atributos de Kether, Hochmah e Binah e correspondem a tríade já estudada Verdade, Liberdade e Justiça. Ocorre que o conhecimento esotérico se sustenta em quatro pilares correspondentes as quatro letras do nome de Deus יהוה, Arte, ciência, religião, filosofia.

A busca da verdade não se refere somente aquela que utiliza os cinco sentidos da máquina humana. Pela osmose, com algumas modalidades de arte, chega-se também a verdade. Aliás, tem-se dito que a arte (Yod) por vezes expressa a verdade melhor do que a própria verdade já que é capaz de nos tocar no mais Íntimo, em nosso Real Ser, nossa chispa Divina, nosso Kether particular que abarca todas as coisas.

A verdadeira obra de arte deve vir de dentro, trazer um conhecimento à tona que engrandeça, que faça evoluir todos os que dela participem, seja na pintura, escultura, na música, deve conter uma parte do Eterno. Assim, fizeram os antigos egípcios, os hindus, chineses, as tribos ameríndias, artistas como Michelangelo, Leonardo da Vinci, Beethoven, Mozart, Bach…

Mas hoje as pessoas ficam admiradas ao redor de um mictório posto em exposição por um “artista” e ninguém ousa a dizer o que é aquilo ou o que o artista pretendia expressar… Quem ousaria a dizer que o Rei está nu?[1] As músicas são monossílabas, mas diferentemente do que ocorrem nas tribos indígenas ou nos monastérios, não são mantras positivos.

Quando tratamos de HARIEL fazer arte não significa meramente executar uma peça, mas refere-se a converter nossa vida de forma a que nos harmonizemos com todo o universo a nossa volta; então seremos a expressão desse universo que aportará em nós sua beleza, sua ordem, seu esplendor e tudo mais o quanto signifique.

A obra externa ocorre quando o artista não consegue expressa-la por dentro, então é exigida a próxima etapa, a fase do segundo “He” que vem a manifestar-se no físico. Isto implica que as experiências que conseguimos viver em nosso interior mais os seus ajustes não necessitam passar para os externos.

Antes de algo vir para o físico passa pelos nossos pensamentos, sentimentos. Ali estão os chamados agregados psicológicos constantes da “doutrina dos muitos”. Buda dizia: Muitos desejos, muitos sofrimentos; poucos desejos, poucos sofrimentos; nenhum desejo, nenhum sofrimento. Então se resolvemos estas questões internamente, o externo estará tranquilo.

Ocorre que o Artista não resolve seus conflitos internos, então precisa viver estas experiências no físico e acabam por transformar em arte. A arte que não se expressou por dentro agora o fará por fora.

Diante disto vemos como os artistas mais talentosos tem sua existência toda bagunçada. No clássico Wagner é admirado por seu talento, mas sua vida estava repleta de paixões, tensões, dor. O mesmo ocorreu com Mozart que teve uma vida tribulada e muitos outros.

Mas não é só na música clássica que isto ocorre, a exemplo, no mundo contemporâneo, nos anos 80, observamos uma artista americana chamada Linda Perry que com sua banda 4 Non Blondes compôs uma música bastante encantadora chamada “What’s Up”, inclusive a letra é bastante interessante, mas sua vida parece ter se tornado um grande suplicio apesar de seu sucesso.

No Brasil ocorreu o mesmo com Raul Seixas, mesmo anos depois de sua morte as músicas são bastante apreciadas, teve uma vida atribulada e difícil.

Van Gogh cortou a própria orelha para penetrar na energia da dor e transmiti-la em uma obra de arte, percebe-se o desequilíbrio.

Percebemos que o artista sacrifica as experiências internas para que o mundo possa contemplar a sua obra e, assim, encontre o caminho da evolução pessoal.

O verdadeiro artista raramente deixa uma obra escrita ou plasmada de outro modo.

Então o objetivo de HARIEL é que a arte se expresse por dentro para que não venha a cristalizar-se no físico sob a forma de segundo “He” e causar a dor.

O sentimento religioso, o religare (He) está ligado a Hochmah que sendo o precursor da moral primordial predispõe a pureza dos costumes e nos concede a inspiração.

A ciência (Vô) está ligada a Binah de onde procedem todas as Leis dos céus, a partir do três que se produz a criação. A justiça ocorre quando tudo está em seu lugar, todos os movimentos estão de acordo, em harmonia.

Vimos a pouco que o artista deixa de projetar devidamente sua arte internamente acarretando sua exteriorização no caos. Do mesmo modo ocorre com o cientista, o intelectual materialista dos cinco sentidos, eis que não percebendo a verdade interior procura fora de si todas as respostas e, assim, cuida, sova o que seria um conhecimento cadavérico pois carece de caráter anímico.

A filosofia (segundo He) faz a ponte cognitiva do que está em cima com o que está em baixo, é semente e raiz, também influenciada por Hochmah Amor-Sabedoria, é a única ciência capaz de penetrar no conhecimento superior, além do empirismo intrínseco que envolve as experiências diretas com o Ser, com o ultra, já que a ciência dos cinco sentidos não tem instrumentos para adentrar a outros mundos e nem vai ter pois estão muito além da organização energética da matéria como a conhecemos.

Antigamente e até por volta do ano de 1500, época da escolástica, a filosofia abarcava todos os outros conhecimentos, medicina, astrologia, astronomia, ciências humanas, exatas, ciências da natureza, etc. Hoje somente se considera o batalhar das antíteses, o nível mental. Os filósofos buscavam a pedra filosofal, que dava o conhecimento e a vida eterna.

O conhecimento dos mundos superiores, em termos científicos materialistas, somente pode ser penetrado pelas vias abstratas, assim o fazem a matemática, a física quântica, a metafísica. Podem ser obtidos pelo trabalho psicológico, como a concentração, a meditação. Tudo muito subjetivo e abstrato, por isto a ciência dos cinco sentidos não pode alcançar.

A medida que asseguramos o contato com nosso Real Ser, procurando utilizarmos das faculdades internas, receberemos a inspiração para fazer de nossa vida uma verdadeira obra de arte, bem como obtermos a capacidade de compreender o que esta em cima com o nosso Ser e então estaremos fazendo ciência e, havendo interiorizado o que há em cima, poderemos agora instruir os de baixo com uma filosofia superior.

HARIEL nos auxilia na purificação moral, próprio de Hochmah e agora com a ajuda lógica de Hod; na regeneração interna que acaba por exteriorizar-se também nos aspectos físicos tais como hábitos alimentares, fumo, drogas, álcool, de modo que as paixões desvaneçam.

Vimos a pouco que MEBAHEL auxilia na eliminação dos vícios atuando sobre a sensibilidade dos cinco sentidos. HARIEL faz o mesmo trabalho, agora, atuando com processos cognitivos e também com a medicina, já que Hermes também é um curandeiro, e utiliza dos meios naturais, das formulas.

Outros Gênios que auxiliam no emagrecimento e demais dependências químicas.

  1. 2->7 MEBAHEL: Libertar-se das drogas, fumo, comer em excesso – libera os oprimidos internos;
  2. 2->8 HARIEL: Mudança de hábitos alimentares, drogas – pela psique e remédios;
  3. 4->4 YERATHEL: Deixar de fumar, comer – protege contra as hostes infernais.

As energias de Hochmah influenciado por Hod nos dá o sentimento religioso, mas com vistas a um entendimento universal desde um ponto mais baixo, i. e., a compreensão mais próxima da matéria até onde seja possível as coisas espirituais e, as próprias atividades se traduzirão neste sentido, isto se reflexará na pureza dos costumes já que a dinâmica de Hod como expressão, instrutor das Leis de Binah pretende agir dentro das regras, mas também pela moral que vem de Hochmah.

Ainda como consequência estas energias administradas por HARIEL, pelas vias da Lei de afinidade vibratória, nos colocara em contato com pessoas de grande pureza. Deste modo nos coloca próximos a pessoas melhores e, como resultado, seremos mais felizes pela ausência de sofrimento, que outras gentes, de atitudes contrárias, nos imporiam se fizessem parte de nosso círculo.

Não estamos tratando aqui de discriminação, xenofobia ou similares, pelo contrário devemos sempre mostrar nosso amor ao próximo, contudo estas energias nos colocam na presença de pessoas melhores porque evoluímos quando nos dispormos a receber energias superiores, isto se reflete em nosso entorno.

As pessoas nascidas nesta faixa de atuação serão para nós fonte de purificação tanto pela energia como pelo conhecimento.

1.7.3     Inspiração para descobrir novos métodos de trabalho.

Esse gênio exerce domínio sobre as ciências e as artes; influi sobre as descobertas úteis e os novos métodos.

Somos como uma pequena nave, um batedor que sai de uma nave mãe e que viaja todo o espaço explorando as galáxias em busca de novos mundos, de conhecimento e aperfeiçoamento. Esta nave mãe é o nosso Real Ser. O batedor somos nós, uma parte desta chispa divina destinada a dar a experiência àquele que sabe tudo. Se considerarmos como sendo uma obra, o Real Ser é o Arquiteto e nós o Mestre da empreitada.

A fim de agilizar os trabalhos ou que seja melhorado, nosso Real Ser nos envia impulsos com vistas a descobrir novos métodos de trabalho, a descobrir coisas úteis que a nível de Malkuth tornem as coisas mais leves e/ou palatáveis ou ainda que nos ponham em condições mais confortáveis se os trabalhos não exigem maiores tensões. O termo “úteis” a nível do Real Ser refere-se ao aproveitamento com vista a construção de nossos mundos internos até a união com o Pai.

Vimos que as oferendas de Caim não foram aceitas por não estarem em conformidade com as regras divinas, então sabemos que nossas ações não serão aceitas se não estiverem de acordo com as Leis cósmicas, de outro modo se realizarão pelas vias abismais, é claro que com as suas consequências.

Para nos darmos bem os trabalhos externos devem obedecer aos ditames dos internos que visam a união com o Ser superior. Deste modo um trabalho que apesar de dar um retorno financeiro muito alto, mas que prejudique ao próximo, a sociedade, não está de acordo com a vontade dos céus.

Então o traficante que com seu ato causa a desgraça nas famílias, o advogado que utiliza subterfúgios antiéticos como a mentira, o falso testemunho, etc., o corretor, vendedor que esconde informações, simula, dissimula, o político, servidor público prevaricador, que não respeita a impessoalidade em detração do dever, corrupto e seguem exemplos sem fim, no final das contas, fogem aos ditames da assimilação da experiência, do projeto do Real Ser.

Cabe aqui esclarecer que Real Ser é o nosso espírito, a parte mais verdadeira que existe em nós, nossa verdadeira identidade, o Pai, a chispa do absoluto, não há que confundir com o ego seja “eu superior” ou “eu inferior” que são agregados energéticos criados em razão de condensações energéticas provenientes de sentimentos, pensamentos e ações, são portanto o ego animal que nos mundos internos aparecem como uma cópia de nós mesmos, uma para cada condensação energética – são em números assustadores, inclusive com inteligência já que são clones feitos de nós mesmos, como robôs que carregam em seu programa os nossos defeitos.

A medida que eliminamos o ego animal, nos aproximamos do Pai. Uma das formas de elimina-los e não dando mais alimento, energia, matando-os de fome.

Quando HARIEL atua em nós, voltamos a trabalhar para o Pai e como este é o criador, o sopro de Kether volta a soprar em nós e nos tornamos a imagem e semelhança de Deus, neste ponto começamos a criar. A criação passa a ser o fruto da inspiração, que é claro, vem do alto. Então temos a lógica de Hod que está mais embaixo e traduz esta inspiração a feitos concretos.

1.7.4    Conseguir que a bondade penetre na mente das pessoas.

A pessoa nascida sob essa influência gostará do convívio das pessoas de bem, terá sentimentos religiosos e se distinguirá pela pureza de seus hábitos.

HARIEL é um emanador da luz proveniente de Hochmah com o intuito de branquear o intelecto administrado por Hod. Ao iluminar o intelecto com esta Luz proveniente do mundo da emanação Atziluth impõe a bondade como o resultado de uma operação lógica, matemática em que todo o Universo se encontra e se organiza.

Como Hod refere-se ao terceiro ciclo de Binah compreende que as Leis do universo estão sob a regência do amor supremo ditado por Hochmah que rege a moral que vai além do tempo e do espaço, assim aparece a necessidade de jogar limpo, com bondade.

1.7.5    Proteção contra as falsas crenças.

O lado negativo da força

O Gênio contrário trabalha sobre os cismas e guerras religiosas, favorece aos ímpios, ateus, todos aqueles que propagam seitas perigosas, as pessoas, empresas acreditarão serem os únicos detentores da verdade impondo esta aos seus fiéis, família, empregados, grei, etc. Aparecerão os mitômanos, os chefes gurus, chefes religiosos impondo sua personalidade e anulando aos demais. Exigirão serem tratados como infalíveis, comportamentos específicos e até vestimentas determinadas.

Tratando-se de empresas serão criadas competições, sistemas de recompensas em que um pretenda devorar o outro para se manter, demonstrar sua confiança, subir, etc. Demonstrarão aos clientes como eles “tem sorte” em comprar, o privilégio de serem atendidos por tal empresa que nada mais fazem do que um “enorme favor”, uma deferência em atendê-los.

Se o Gênio de cima procura dar conhecimento dos mistérios, da vontade do Pai, o de baixo propagará a loucura, a insensatez. Então as energias de Hochmah degradada será influenciada pelo mental inferior de Hod, que atuará desde o ateísmo até a loucura doutrinária.

O antinatural parecerá o verdadeiro dando origem a verdadeiros mártires assassinos.

E neste ponto que surgem os dogmas as crenças absurdas que não encontra apoio nem nos cinco sentidos e nem no mental superior. Assim, esta doutrina é imposta e quem não a aceite deverá ser expulso, excluído ou liquidado.

As escrituras dizem que Deus fez o homem a sua imagem e semelhança, nesse sentido o homem também é um criador e constrói Deus a sua imagem e semelhança. Assim, um assassino, um déspota cruel construirá para sua adoração um Deus ciumento, vingativo que ama a crueldade, a morte, etc.

No que tange aos dogmas, cabe exemplificar, o fato de que uma pessoa nasça com algum defeito, talvez cego, mudo, surdo, sem algum de seus membros, sem que nada tenha sido feito para que aquilo ocorresse, mas simplesmente porque um Deus tirano, caprichoso quer assim, talvez até se deleite com isto.

Ou que se mate outra pessoa em nome de Deus, seja por não aceitar a sua fé, por ser de raça, sexo diferente, homossexual, não colocar os panos na cabeça, outro estilo de vida, etc.

’Marcos 2: E disse-lhes: O sábado foi feito por causa [Gr. dia] do homem, e não o homem, por causa [Gr. dia] do sábado. ”

Cristo ao tratar do sábado demonstrou as energias de Hochmah atuando sob as influências de Hod, um racionalismo que mesmo ao mental inferior pode ser dado como correto, e ainda assim vindo de um dos pontos mais altos da cabala.

Podemos evidenciar que a doutrina de Cristo não é a do fanatismo e muito menos a do sectarismo, do dano ao próximo mesmo que suas atitudes venham contra nossa religião, nossas crenças, nossa moral do tempo e do espaço que difere da moral de Hochmah, de caráter atemporal, pois trata do amor, conforme ficou evidenciado na passagem que se refere ao apedrejamento da mulher considerada adúltera.

“João 8:3 E os escribas e fariseus trouxeram-lhe uma mulher apanhada em adultério.

João 8:4 E, pondo-a no meio, disseram-lhe: Mestre, esta mulher foi apanhada, no próprio ato, adulterando,

João 8:5 e, na lei, nos mandou Moisés que as tais sejam apedrejadas. Tu, pois, que dizes?

João 8:6 Isto diziam eles, tentando-o, para que tivessem de que o acusar. Mas Jesus, inclinando-se, escrevia com o dedo na terra; (não tomando nota dalgum semblante.)

João 8:7 E, como insistissem, [perseverassem] perguntando-lhe, endireitou-se e disse-lhes: Aquele que dentre vós está sem pecado seja o primeiro que atire pedra contra ela.

João 8:8 E, tornando a inclinar-se, escrevia na terra.

João 8:9 Quando ouviram isto, e redarguidos da consciência, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficou só Jesus, e a mulher que estava no meio.

João 8:10 E, endireitando-se Jesus e não vendo ninguém mais do que a mulher, disse-lhe: Mulher, onde estão aqueles teus acusadores? Ninguém te condenou?

João 8:11 E ela disse: Ninguém, Senhor. E disse-lhe Jesus: Nem eu também te condeno; vai-te e não peques mais.”

 

Percebam que a ancialidade traz algo de sabedoria, das energias de Kether, eis que os anciões crentes de sua culpa, quanto mais por sua caminhada mais longa, foram os primeiros a se afastar.

As ideias de fanatismo, de sectarismo são plantadas de fora para dentro a partir do conhecimento que temos do mundo físico, as pessoas a nossa volta constroem um mundo em nossa mente e passamos a viver neste mundo tomando-o como único e verdadeiro, basta lembrar que o intelecto pertence ao lado esquerdo da árvore, já no mundo de Yetzirah, de formação, praticamente manifesto. Este lado trabalha de forma extrínseca. Então o cérebro recebe a ideia plantada, trabalha sobre ela e assimila a ilusão inicialmente com alguma resistência em razão de algo que percebe do alto, mas que não pode expressar; em prosseguimento a reconstrói e adapta e, agora, passa a rechaçar o que o cérebro até então estava a ponto de perceber, mas ainda não tinha energia para manifestar.

Contudo pelo processo Crístico que vem desde Hochmah as energias trabalham internamente, pela intuição, pela visão interior das coisas, temos acesso as realidades primeiras, que criaram todas as coisas, as Leis que regem o universo é nossa psique. HARIEL orienta ilumina a inteligência para a verdade, ilumina a ciência e a religião com a lógica provinda do mental superior. O acesso ao conhecimento direto impede que as forças do fanatismo, sectarismo abismais venham a atuar, pois temos aí a luz que dá o acesso a verdade e, no caminho iluminado, não se tropeça no erro.

João 8:12 Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da [lume de] vida.

A contraparte abismal de HARIEL é o grande mestre, pastor, guru de todas as escolas, religiões, seitas que dizem: “Meu Deus e o verdadeiro. Só minha religião é que leva aos céus”, não precisa trabalhar sobre si, quem não está aqui já é condenado ao inferno.

Cabe ainda instruir neste ponto que todo este sectarismo, fanatismo ao se chegar em um certo nível dará origem a um fracionamento, onde os dissidentes atuarão com o mesmo ódio a que foram doutrinados, mas agora para com seus criadores. Se o doutrinamento foi pela palavra, pelas armas assim será a antítese até a anulação de ambos.

Certa vez em minhas pesquisas estive com um ancião eremita que dizia incorporar uma certa entidade. Sua magia consistia em descarregar coagulações energéticas constante em alguma parte dos corpos (fantasmas) espirituais. Pelo pentagrama e um copo d’agua visualizava o ponto e com a pólvora desmanchava, liberava a pessoa da magia negra. Não pedia nada em troca, apenas o material a ser utilizado no ritual, mas as pessoas sempre deixavam algum alimento para o velho.

A entidade falou que certos religiosos estavam maltratando seus amigos, irmãos…. Afirmou que primeiro chamavam para pedir ajuda, realizar trabalhos, e depois os enxotavam duramente. E interessante saber que tudo o que faziam era em nome de Jesus…

A lição que tiro é que temos que ter muita humildade diante das forças do universo, principalmente daquilo que não conseguimos ver nem com os olhos físicos e nem com os olhos espirituais…

Com relação a pólvora utilizada para destruir as chamadas larvas astrais, ocorre que o enxofre é um excelente destrutor destas larvas. Em residências, antes da mudança, é recomendado a queima de enxofre ou assa-fétida por nove dias e depois mais nove com a queima de açúcar ou incenso, [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera].

O carvão tem a propriedade de absorção dos odores, da pestilência aérea.

Na pólvora temos a ação destrutiva, expansiva do enxofre e a absorção do carvão. Em um momento o enxofre se expande destruindo tudo e em um segundo momento o carvão recolhe tudo como se fosse um aspirador.

Nesse momento é efetuado uma limpeza no duplo em que foi colocada a magia negra. Contudo há um problema. Em nossas experiências observamos que se cria algo como um espaço vazio, uma espécie de vácuo que será preenchido. Assim, quem tomou o chamado “ponto” deve fazer uma reserva espiritual, semelhante àquela pessoa que se recolhe na cura de uma doença. Deve conectar-se com sua divindade interna, porque se não o fizer talvez alguma outra coisa ocupe o vazio deixado pela queima da pólvora, então dirá algo como:

– Funcionou bem por uns três dias, me senti leve, aliviado e feliz, mas depois voltou.

1.8        Escrituras

“S 94:22 (93-22) Erit autem Dominus mihi in refugium et Deus meus quasi petra spei meae.

Mas o Eterno é o meu alto retiro; O meu Deus é a rocha de meu refúgio. ”

1.9         Oração

“HARIEL: Deus Criador.

HARIEL: Limpa-me, Senhor, meu corpo dos desejos afim de que minha boca somente expresse palavra gratas;

Dê-me, HARIEL, força e valor para enfrentar-me com meu destino,

trocando o bem, pelo mau que fiz.

Ponha luz em minha mente, Senhor HARIEL, para que através de meu verbo

possam reconciliar-se estes eternos inimigos que som meu coração e minha cabeça.

Que minha verdade, Senhor, seja sempre Tua Verdade;

Que minhas convicções não se apartem da Lei cósmica;

Que minha arte expresse de algum moto tua celeste harmonia;

Que minha técnica e meu trabalho humano

sirvam para fazer mais evidente e diáfana Tua Obra;

Faça de mim, Senhor HARIEL, uma porta aberta,

para que os ateus, os ímpios possam descobrir-te e amar-te.”

1.10     Exortação

“O Eterno me tem dado poderes para conciliar os interesses

de tua mente com os de teus sentimentos.

Quero peregrino, que trabalhes em meu nome e que faças convergir os mundos opostos

para que se integrem em um todo harmonioso: a razão e os desejos.

Se cumprires meu mandado, se fores fiel interprete de meus poderes,

Eu abrirei teu espirito ao deslumbrante mundo de Reish,

este universo oculto onde as trevas se fazem luz,

e veras com teus próprios olhos e compreenderas com tua razão

como os homens geram seu próprio destino em seu eterno vagar pela matéria.

És portador, peregrino, de um raro privilégio e por ele deves medir tuas palavras,

a fim de que teus lábios expressem sempre esta dupla verdade: emotiva e razoável,

que torna coerente e compreensiva todas as coisas”.

Oração e exortação de Kabaleb.

[1] O conto de Andersen foi inspirado numa história encontrada no Libro de los ejemplos (ou El Conde Lucanor, 1335)

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s