14. 2->7: MEBAHEL


1.1        Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 2 – Querubins  
Príncipe: Ratziel.
Mundo do coro: 1 – Atziluth, Mundo das Emanações, Arquétipo, espírito – elemento Fogo
Signo: Gêmeos.
Elemento zodiacal: Ar.
Relação/elementos: Agua do Fogo atuando sobre o Fogo do Ar.
Relação/mundos: “He” do Mundo de Atziluth sobre o “Yod” do Mundo de Yetzirah.
Velas:  Amarela em cima e duas verdes em baixo.
Incenso: [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera] e [Violeta, rosas, açafrão, almíscar, lavanda, dama da noite]..
Letras: Mem – Beth – Heh – Aleph- Lamed
Gemátria: 40+2+5+1+30 = 78 = 7+8 = 15 = 1+5 = 6
Arco:  66º a 70º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 5° a 10° de Gêmeos ou 27 a 31 de Maio.
Invocação por rotação: de 13 a 14 de Aries: “Yod” ou 3 de Abril;

de 25 a 26 de Gêmeos: “He” ou 17 de Junho;

de 7 a 8 de Virgem: “Vô” ou 31 de Agosto;

de 19 a 20 de Escorpião: 2º “He” ou 12 de Novembro;

de 1 a 2 de Aquário ou 22 de Janeiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   04:20:00 às 04:40:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando o Urano se encontra em um dos graus de Vênus, ou seja, entre 6º a 7º, de 16º a 17º e de 26º a 27º de qualquer signo.
Atributo: Deus conservador.
Nome da essência: VERDADE, LIBERDADE, JUSTIÇA.
Nome da Força: Sabedoria Liberadora.
Forças em ação: A força de Hochmah que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Netzah.
Sendero: Sub-sendeiro que une Hochmah a Netzah em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco.

1.2        Palavras chaves:

RESTABELECIMENTO DA VERDADE, LIBERDADE, JUSTIÇA, imparcialidade, 5 sentidos, EMAGRECER, reconquista do perdido, EXORCISMOS.

(-) Erro, mentira, DESCONTROLE DA LIBIDO, falso testemunho, CALÚNIA, fumo, DROGAS, gula, OPRESSÃO, usurpadores de fortuna – manicômio, prisioneiros.

1.3         Movimentação Sefirótica: Dois na sétima posição

Neste ponto Hochmah exerce suas influências sobre Netzah         e como este é o “Yod” do Mundo de Yetzirah mesmo sendo o “Vô” daquele é também sua semente fecunda. O amor de Hochmah se expressa aqui na forma de beleza, arte, expressão aconchegante, em um incrível poder de exteriorização. Contudo se o indivíduo não estiver preparado para receber estas energias poderá atuar com este imenso poder de modo destrutivo convertendo o Bem em Mal embora haja grande capacidade para o oposto – o Mal em Bem.

Quando o dois se posicionava na quarta posição em que Hochmah atuava sobre Hesed, a força atuava no mundo de Briah, com vistas ao indivíduo, no entanto aqui estas energias destinam-se ao mundo de Yetzirah de modo que será conduzida para fora.

Corresponde a posição de Urano em Touro ou Libra.

1.4        Arcano – Mundo: Sete de copas no mundo de Atziluth

Recebe o título de Senhor do êxito ilusório. Refere-se ao elemento Agua e astrologicamente corresponde a posição de Vênus transitando pelo primeiro decanato de Peixes onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é a Lua.

Neste ponto o Amor-sabedoria de Hochmah expressa-se por intermédio de Netzah o responsável pelo gérmen do pensamento humano, pela vida dos sentidos aportando-lhes riqueza e exuberância, o detalhe artístico em tudo o que toca. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Yesod, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Em razão da influência aquosa, aqui Netzah, exteriorizador de Binah como “Vô” da direita, recebe as energias de Hod, o terceiro da Lei, segundo de seu mundo e conjuntamente a influência dos desejos, da emotividade dos quais copas é a representante. E como estamos tratando dos sentimentos, as satisfações buscadas serão de natureza internas, a embriagues interior, e daí a tomada do termo ilusório.

No campo material o indivíduo afirma estar contente com o que possui. No campo amoroso afirma que tudo vai às mil maravilhas, embora ao seu redor esteja evidente que o mundo está desmoronando, i. e., a pessoa não se dá conta do que está ocorrendo em sua vida.

Ocorre que de algum modo o indivíduo pretende que a satisfação interior se reproduza no exterior, então fecha os olhos para a realidade, a fim de que em seu foro interno gere uma nova realidade que agora somente ele vê, mas que mais adiante todos participem da mesma visão. O que se pretende aqui é a projeção ao exterior de um mundo já construído internamente. Temos, então, a elaboração interna de uma obra em sua última fase, prestes a manifestar-se já que abriga múltiplos “Vô”. Favorece as práticas de visualização criativa.

Quando o sete de copas atua no mundo de Atziluth as forças de Hochmah ao se projetarem sobre Netzah impõe a procura do outro em uma união do impulso emanativo e circunstancial para que esta projeção interna se cristalize.

1.5        Virtudes concedidas:

1º.- Justiça, imparcialidade benevolente de um tribunal.

2º.- A liberação dos oprimidos e dos prisioneiros; proteção para o inocente.

3º.- Amor pela jurisprudência e celebridade em seu exercício.

4º.- Proteção contra a calúnia, os falsos testemunhos e os pleitos.

5º.- Reconquista do que foi injustamente perdido.

1.5.1     Descrição Sefirótica:

MEBAHEL é o sexto da 2º ordem de anjos denominado como Coro dos Querubins, situa-se na morada filosofal de número 14, sub-sendeiro que une Hochmah a Netzah em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Hochmah o centro produtor de Amor-Sabedoria e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Netzah, responsável pelo gérmen do pensamento humano, pela vida dos sentidos apartando-lhes riqueza, exuberância; “He” do Mundo de Atziluth sobre o “Yod” do Mundo de Yetzirah, Agua do Fogo atuando sobre o Fogo do Ar. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada VERDADE, LIBERDADE, JUSTIÇA, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos em que a Verdade é um Princípio constante do Mundo das Emanações; a liberdade refere-se ao Mundo das Criações e a Justiça ao Mundo de Formação de modo que a atuação conjunta das energias constantes nos três mundos possibilite compreender como sem a Verdade não pode haver Liberdade e sem esta não há Justiça, Trata-se de uma força de Sabedoria Liberadora, que propicia muita força ao desvelamento da verdade. Nos permite compreender que, em um estado de “Ser sendo”, a real materialização é um produto da verdade, que tem sua origem no plano mais elevado, e que sua força está justamente na manutenção de suas essências, suas configurações de origem, que devem permanecer fieis a Vontade Suprema até a sua cristalização. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominada Deus conservador.

MEBAHEL administra três virtudes das quais uma gera a outra. A Verdade suprema e absoluta correspondente a “Unidade” que somente pode ser alcançado a nível de Kether, em Hochmah encontramos a sabedora que descende desta Verdade primeira e posteriormente a liberdade que decorre da segurança a adesão às Leis cósmicas, ou seja abre-se mão de uma parte da Liberdade para poder surfar no grande rio aproveitando a sua correnteza e não tentando nadar contra ela.

Quando as energias de Hochmah atuam sobre as forças de Netzah, sentimos o afã por estas três essências, deste modo, nos dias e horas de MEBAHEL podemos abrir um canal em nosso interior e sacar estas virtudes para o externo.

Ao traçarmos paralelo analógico com os mundos temos que a Verdade é o ideal perseguido no mundo de Atziluth, o mundo das emanações e como já vimos neste espaço está relacionado com o Pai onde, nesta Unidade, impera somente uma única lei, a do Amor, que tem sua expressão no filho, ao surgir a dualidade, afinal não se pode saber o que é o amor sem seu oposto para comparação.

“João 14:6 Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade, e a vida. Ninguém vem ao pai senão por mim. ”

Prosseguindo podemos ver que no mundo de Briah, no aspecto da criação surge a liberdade de que a semente do amor seja lançada a terra. E, por fim a Justiça, ligada a Yetzirah e primariamente a séfira Binah que ditará as regras de como tudo se processará nos mais diversos planos.

Em seu período de manifestação será mais fácil meditar nestas essências e, então, poderemos compreender como sem a Verdade não pode haver Liberdade e sem liberdade não há Justiça.

Na ausência da Verdade encontramos o erro, a mentira, desta forma não pode haver Liberdade sobre algo que não existe ou que não está de acordo com as suas características essenciais. Do mesmo modo não pode haver Justiça se não há a liberdade sob pena de cair na tirania.

“João 8:32 e conhecereis [entendereis] a verdade, e a verdade vos libertará. ”

Já pudemos ter uma ideia de que o verdadeiro é o que vem de cima, dos mundos superiores, de nossa divindade interna, nosso Real Ser, mas que ainda não desceu pelos planos para manifestação à Malkuth, o mundo material. Trata-se de uma verdade que se antepõe a verdade encontrada aos demais planos abaixo de Kether, abaixo de Atziluth.

Então desta verdade suprema nos vem a intuição para fazer ou deixar de fazer algo ainda que venha a contrariar as regras.

Lembro-me de certa vez, estando fora do corpo físico, Me deparei ante um Ser vestido de Sol. Traduzindo em um rosto físico, se fosse possível faze-lo, me fez compreender o porquê dos penachos utilizados por algumas tribos indígenas. Meu intimo o identificara como sendo uma entidade conhecida como Quetzalcóatl. Haviam outros Chelas e estávamos a receber algumas instruções. Posteriormente fomos submetidos a uma prova do qual Fui o primeiro. Passei por uma entrada e daí surgiu um ambiente um tanto bizarro. Uma voz em meu interior pronuncia: Vamos fazer uma surpresa para eles. E, então, saímos por um portal misterioso do qual não se esperava ou não se tinha conhecimento. Os demais Chelas começaram a protestar, enquanto o Ser vestido de Sol me fitava com grande espanto. Em resumo, me acusarão de violar as regras, mas, naturalmente, havia seguido a voz interior.

Nesta verdade que vem em nós verifica-se a liberdade de desafiar as regras a despeito do senso comum. Não se trata aqui de se opor as regras de Binah, mas de uma verdade que vindo de Kether, está acima daquele e, portanto, fornece os ditames legislativos e nos outorga a capacidade de decidir por cima de todas as coisas e por isto nos conduz a liberdade que nos faz Justos.

Da liberdade vem a justiça, eis que permite que todas as tendências se desenvolvam, tenham a possibilidade de instituir-se para que posteriormente haja a separação entre o joio e o trigo.

Estando em nós o espírito de Liberdade, estaremos em condições de vencer as forças luciféricas em nosso interior em cuja resistência faz-se a Luz.

Então poderemos verdadeiramente “fazer Justiça” cujo real significado da expressão é fazer a separação. E como é em cima é em baixo, permitimos que em todos os campos da sociedade, meios de produção, social, político, etc., que cresçam o joio e o trigo para que a justiça faça seu trabalho. Lembremos que uma das características de Hochmah é separar o bem do mal.

“Mateus 13:24 Propôs-lhes outra parábola, dizendo: O Reino dos céus é semelhante ao homem que semeia boa semente no seu campo;

Mateus 13:25  mas, dormindo os homens, veio o seu inimigo, e semeou a cizânia [Fig. Discórdia; desarmonia, ou joio, Fig. Coisa má que prejudica outra boa] no meio do trigo, e retirou-se.

Mateus 13:26  E, quando a erva saiu e deu fruto, [cresceu e frutificou, ou produziu fruto] então apareceu também a cizânia.

Mateus 13:27  E os servos do pai de família, indo ter com ele, disseram-lhe: Senhor, não semeaste tu no teu campo boa semente? Por que tem, então, cizânia? [joio?]

Mateus 13:28  E ele lhes disse: Um inimigo é quem fez isso. E os servos lhe disseram: Queres, pois, que vamos arrancá-la?

Mateus 13:29  Porém ele lhes disse: Não; para que, ao colher a cizânia, [o joio] não arranqueis também juntamente o trigo com ela.

Mateus 13:30 Deixai crescer ambos juntos até à ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: colhei primeiro a cizânia e atai-a em molhos para a queimar; mas o trigo, recolhei-o [ajuntai-o] no meu celeiro. ”

1.6         Das virtudes concedidas:

1.6.1    Justiça, imparcialidade benevolente de um tribunal.

Exerce domínio sobre a justiça, a verdade e a liberdade

Temos de um lado que Hochmah é o protótipo da sabedoria e que esta é a expressão da verdade de outro lado, ainda na coluna da misericórdia encontramos Netzah como exteriorizador de Hochmah sendo o “Vô” deste. Temos ainda que Netzah é o terceiro “Vô da sequência em que parte do “Vô” Binah para o “Vô” Tiphereth e por último o Vô Netzah. E do mesmo modo ocorre com Yesod que é o “Vô” de Yetzirah, e o “Vô” dos mundos.

Disto decorre que Netzah exterioriza grandemente as energias de Hochmah tornando-as manifesta de modo imediata, portando a verdade torna-se conhecida desde já e com muita força.

Como Hochmah está ligado as aguas sentimentais a verdade já aparecerá sob a forma de intuição. Faz com que o justo e o verdadeiro se manifestem intrinsicamente facilitando ao inocente os pleitos junto aos julgadores que de imediato já se mostram simpáticos a causa, mesmo que isto não transpareça em suas faces, pois a verdade já está em eu interior.

Cabe explanar que a Verdade, a Justiça também produz a exteriorização do conteúdo constante internamente no inocente que, atuando de acordo com as Leis cósmicas, exterioriza agora sua justiça e benevolência fazendo-a transparecer em seu ser e a seu redor.

1.6.2    A liberação dos oprimidos e dos prisioneiros; proteção para o inocente e conhecimento da verdade.

Quando a essência Verdade, Liberdade e Justiça se instala em nós afasta tudo o que seja contrário à sua dinâmica. Daí temos o favorecimento à advocacia e a jurisprudência, mas em sua atividade positiva ligada as essências acima nominadas e não ao sentido de trapaça. Entenda-se o sentido de trapaça a tudo aquilo que venha de algum modo a prejudicar terceiros, promovendo a injustiça, seja pela deturpação das regras ou pelo modo de atuar; aliás, como tem sido a prática atual da advocacia, trabalhando nas brechas da Lei, entendimentos duvidosos sempre com vistas a resultados danosos onde o outro ou o coletivo acabam sendo a vítimas, forjando documentos, testemunhos, distorcendo os fatos e as Leis.

Quando a força Verdade, Liberdade e Justiça se instala em nosso interior, no exterior afasta a tudo o que seja contrário à sua dinâmica. Cabe refletir que temos em nosso interior as forças referentes aos 72 Gênios positivos, negativos bem como a mescla dos dois em matizes mui diversos, que variam conforme a personalidade e idade espiritual do indivíduo.

As forças inferiores, abismais, penetram muito mais facilmente em nós por pertencerem ao mundo material.

Ocorre que a medida em que subimos para outros planos, pelas vias do raio da criação, o número de Leis vão diminuindo das atuais 48 Leis, passamos para 24, depois para 12, 6, 3 e 1. No plano de uma única Lei encontramos o Absoluto onde está única Lei é a do Amor.

De modo contrário, a medida que descemos para os planos inferiores a materialidade vai aumentando, assim de 48 passamos para 96, correspondente a zona imediatamente inferior que já é de grande sofrimento, posteriormente os próximos planos inferiores possuem 192, 384 e assim segue conforme a correspondência simbólica com planetas Lua, Mercúrio, Vênus, Sol, Marte, Júpiter, Saturno, Urano e Netuno que fazem parte do Deuterocosmos correspondente ao sistema solar de ORS.

Os 9 círculos Dantescos (São Dimensões Atômicas Inferiores da Natureza e dentro do próprio Ser Humano) e são representados e simbolizados pelos planetas como os rostos físicos destas forças pela ordem de Ptolomeu. Como a raça humana é a última fase da evolução antes de adentrarmos os níveis superiores ou inferiores de manifestação o número de Leis que marcam o processo evolutivo rege-se pelos cromossomos humano, i.e., em número de 48 Leis conforme a manifestação neste plano de Malkuth.

Abrimos um parêntese para explicar acerca da existência considerada dos sete cosmos:

1º- PROTOCOSMOS: É o chamado Sagrado Sol Absoluto, formado por infinitos Sois Espirituais transcendentais, Divinais.

2º- AYOCOSMOS: Esta segunda ordem é formada pelos milhares de sois e planetas que viajam pelo espaço.

3º- MACROCOSMOS: Este terceiro aglomerado é formado por nossa Galáxia, nossa Via Láctea que tem como centro Solar e Espiritual o Sol de Sírio, que fica no cinturão de Orion, as três marias; não é por acaso que várias escolas, tentam fazer contato com os seres deste Sol Central, adorado, inclusive, pelos antigos Egípcios entre tantos outros povos.

4º- DEUTEROCOSMOS: O quarto aglomerado refere-se ao nosso Sistema Solar de Ors, regidos pelas Leis de Jehovah –יהוה , cujo entendimento está na solução dos mistérios do seu nome impronunciável.

5º- MESOCOSMOS: Corresponde ao planeta Terra.

6º- MICROCOSMOS: Refere-se ao homem, ao microcosmo-homem.

7º- TRITOCOSMOS: Trata-se do mundo mineral submerso, dos mundos infernos.

Voltando ao ponto anterior, vimos que a medida em que descemos pelas infra dimensões a materialidade aumenta cada vez mais, tudo resultante do aumento do número de Leis que vai duplicando até o nível mais profundo.

Então percebemos que as forças abismais têm muito mais força para atuar em Malkuth que é o primeiro nível da materialidade expressa. Dessarte, quando um impulso que vem do alto tenta se manifestar em nós encontra dificuldades de atuação porque se depara com os procedentes do abismo que por estarem ligados a materialidade tem muito mais força.

Assim, quando tratamos dos oprimidos estamos nos referindo aos impulsos que vem do alto, que se veem impedidos de se manifestar. Nesse ponto atua MEBAHEL para liberar os impulsos que vem de nosso Real Ser e expulsa as hostes de baixo, sendo um gênio bastante indicado para os exorcismos, para os que pretendem se livrar de vícios como o fumo e as drogas, da comida em excesso, atuando em nossa psique como um libertador.

Ao mesmo tempo em que trata dos oprimidos interiores, o faz também no exterior e, o próprio salmo de que trata este Gênio trata do refúgio para o oprimido em tempo de desespero. Um alto refúgio que parte desde Hochmah. E se fala de alto refúgio é porque trata do pequeno, daquele oprimido não dispõe de auxílio externo e em um tribunal não teria sequer direito a um advogado.

Foram estas as forças que fizeram com que as constituições ou códigos dispusessem a presença obrigatória de advogado quando alguém esteja na posição de acusado. E com a evolução espiritual da humanidade todas as situações serão cobertas de forma semelhante e cada vez melhor, a medida em que os arquétipos se façam mais e mais presentes, caso consiga ultrapassar a linha da presente evolução.

Netzah em sua manifestação Venusiana, externa, atua sobre os cinco sentidos, que, se de um lado nos trazem a exuberância e elevação das sensibilidades, nos fazendo mestres gastronômicos, sommeliers, artistas, amantes, por outro lado, quando são mais acentuados, sensíveis provocam os mais variáveis excessos, bem como reações desastrosas e até criminosas. São tendências muitas vezes originadas em outras existências, culturas onde o que se é feito neste tempo e espaço é proibido, mas em outro momento e lugar não o eram, mesmo que ferisse as Leis cósmicas.

MEBAHEL ajuda àqueles que pretendem abandonar os excessos alimentares, auxilia no emagrecimento.

Observemos que os excessos de “Éden” provem da coluna da direita e são os Gênios ligados a esta banda que nos auxiliam no tratamento pelo amor – em uma oportunidade inicial, e não pela dor.

Há ainda o excesso de sensibilidade sexual que pode levar ao descontrole da libido; contudo MEBAHEL administrando a contraparte de Vênus sob os rigores do legislador Binah e o formulador moral e a pulsação sedante de Hochmah que nos auxilia na contenção, construindo ou reforçando um dique para administrar estas energias.

Via de regra todos os excessos dos sentidos, acabam por mostrar seu rosto físico como uma dependência química ou alguma confusão hormonal. Se forem corrigidas de fora para dentro, i. e., pelos sintomas externos, estaremos tratando os efeitos mas, se as correções forem feitas de dentro para fora, o resultado é a eliminação da(s) causa(s). Por vezes, podem até evitar danos. Os sintomas acentuados requerem tratamento emergencial, contudo, posteriormente, convém realizar o tratamento da causa e, temos demonstrado que a causa do desequilíbrio de alguma maneira sempre está ligada a uma evasão psíquica das Leis cósmicas o que nos induz a dizer que as doenças ocorrem de dentro para fora.

Outros Gênios que auxiliam no emagrecimento e demais dependências químicas.

  1. 2->7 MEBAHEL: Libertar-se das drogas, fumo, comer em excesso – libera os oprimidos internos;
  2. 2->8 HARIEL: Mudança de hábitos alimentares, drogas – pela psique e remédios;
  3. 4->4 YERATHEL: Deixar de fumar, comer – protege contra as hostes infernais.

Cumpre aqui diferenciar os prisioneiros internos dos oprimidos. Estes são impedidos de expressar-se, enquanto aqueles, os prisioneiros, se vem privados de sua liberdade. As duas situações podem ocorrer em nossos mundos internos.

Invoca-se esse gênio contra aqueles que procuram usurpar a fortuna alheia.

Por vezes as hostes infernais de nossa psique aprisionam de algum modo a nossa essência e, como consequência, no mundo físico uma pessoa é encerrada em um manicômio por sua família para que seus entes possam gozar de seus bens, porque antes de algo se exteriorizar, acontece em nosso interior.

De outro modo as forças do abismo rodeiam as tendências que vem do alto, impedindo sua manifestação, e por fim manifestam-se em seu nome, como se fossem legitimas, então surge MEBAHEL para restabelecer a verdade e a inocência.

Vimos que MEBAHEL possui atributos exorcistas, mas como ocorre a magia negra?

Todo ato de magia consististe em excitar a imaginação, mas o prudente, sábio sabe que a imaginação é um foro íntimo. Assim, quando praticamos a magia negra, estamos instalando todo aquele ritual, todos aqueles apetrechos em nosso interior. O sentimento de ódio é excitado em nós. O mago negro leva o inferno para seu interior para, em seguida, o refletir ao desafeto.

Então procuram as entidade que lhes são afim e lhes dizem: “O que você odeia, odiamos também”; “Ninguém odeia melhor que nós. ” O que dizem que pode ser feito é o cliente quem prediz. Todos os atos, os pesos e as consequências, estão com chancela do mandatário.

Se a pessoa estiver fraca espiritualmente ou distraída em uma frequência inferior a magia negra pode pegar, mas de alguma forma sempre retornara ao criador, pois é uma regra da espiritualidade que “tudo volta ao criador”, assim como um dia todos voltaremos ao seio do Pai.

Lembro-me de certa vez que fui alvo de magia negra por parte de uma pessoa muito invejosa, fiquei em uma situação indefesa e de fraqueza, fui parar no hospital. Contudo quando me dei conta que era magia negra, comecei a lutar. Tive a intuição da origem e esperei o resultado do retorno das energias. Imediatamente no dia seguinte a pessoa em questão foi parar em uma mesa de cirurgia.

Ocorre que toda criação vem de cima para baixo, de forma hierarquizada, e altamente organizada. O que advém em relação as forças abismais é justamente o contrário. A desordem, a anarquia, que produz o caos e a morte; o câncer é uma forma figurada de representação das forças subterrâneas da desordem.

Como tudo provem de cima, inclusive o que está em baixo; ainda que tumultuado, também o é, já que tudo é energia. A criatura não pode ser mais que o criador. Portanto as energias superiores são desintegradora das inferiores, daí o terror dos de baixo pelos de cima.

MEBAHEL tendo por base o mundo de Hochmah que está em Atziluth e no topo da coluna da misericórdia, sendo, portanto, um “Yod” de primeira grandeza conserva em si as forças de Kether, que nos mundos mais abaixo sequer pode se manifestar em razão de seu atributo desintegrador nestas regiões. De outro lado temos em Netzah o “Yod” do mundo de Yetzirah que também tem o aspecto desintegrador de Kether além de ser um refletor das Leis de Binah e Tiphereth, deste modo trata também em nome do Cristo. De outro modo sua atuação que é fulminante, também é imediata já que sendo o terceiro “Vô” de Binah produz manifestação eminente já em Yesod, que é o “Vô” do triangulo mágico, também o é de Kether pela coluna do meio e, reflete ainda, as Leis de Binah que passam por Hod.

Temos, portanto, em MEBAHEL, um Gênio que possui um raio fulminante, desintegrador da magia negra, capaz de não só destruir o mal, quanto mais o próprio templo do mal…

Outros Gênios que libertam prisioneiros:

  1. 2->7 MEBAHEL: Libera os prisioneiros das tendências abismais e dos opressores;

24 3->9 HAHEUIAH: Auxílio aos prisioneiros fugitivos;

  1. 5->5 MENADEL: Libera aqueles que são prisioneiros de seus próprios erros;
  2. 5->9 IEIAZEL: Libera os prisioneiros em estado de sequestro;
  3. 6->5 IMAMIAH: Liberação dos prisioneiros pela redenção;
  4. 8->2 NEMAMIAH: Aprisionados pelo intelecto seja por teorias, lavagem cerebral, falsas religiões, etc.

Ainda neste ponto os textos afirmam que MEBAHEL concede a proteção para o inocente e conhecimento da verdade. Os mesmos fluxos de energia que são utilizados para acabar com a magia negra também o são para a proteção do inocente e o restabelecimento da verdade.

Basta observar que as memórias Akashicas estão por conta de Binah que fielmente a transmite a Tiphereth – o exteriorizador das verdades.

João 8:32: “E conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.”

Do outro lado temos que Hod-Mercúrio é o articulador do conhecimento por ser também um “Vô” da coluna da esquerda como o é Netzah na coluna da direita, mas com graça e, todos já exteriorizam estas verdades em Yesod que é o “Vô” da coluna do meio com as relações já explicadas.

1.6.3    Amor pela jurisprudência e celebridade em seu exercício.

A pessoa nascida sob essa influência amará a jurisprudência e se distinguirá na área da advocacia.

Quando a Verdade, liberdade, justiça se instala em nosso interior suas vibrações já fazem cair por terra tudo o que seja contrário a esta essência. Seus portadores manifestarão o afã de restabelecer a verdade e a inocência tornando-se celebres no exercício da advocacia e no domínio da jurisprudência.

Cabe aqui esclarecer que Netzah é séfira por onde manifesta o legislador Binah com boa aparência. Em um ponto favorece ao manuseio das leis e jurisprudência e de outro dispõe da graça Venusiana para atuar tanto com a palavra quanto com a escrita.

Outros Gênios auxiliam na advocacia:

  1. 2->7 MEBAHEL: Advocacia e a jurisprudência pró inocente, verdade;
  2. 3->3 CALIEL: Advogados contra falso testemunho, jurisprudência;
  3. 4->9 VASARIAH: Auxilia a encontrar um bom advogado para conseguir clemência;
  4. 6->5 YLAHIAH: Auxilia a restituirmos o dano causado sem dor, bom advogado, benevolência do Juiz;

49 7->2 VEHUEL: Exprime a jurisprudência com amor e arte;

  1. 7-2 DANIEL: Auxilia a escolher um bom advogado eloquente;
  2. 9->6 ROCHEL: Auxilia a escolher um bom advogado de sucessões.

Outros gênios que concedem celebridade:

  1. 2->4 LAUVIAH: Indica os caminhos para nos tornar celebres;
  2. 2->7 MEBAHEL: Celebridade no exercício da jurisprudência;
  3. 5->6 ANIEL: Celebridade em razão da sabedoria sobre os segredos da natureza;
  4. 6->5 YLAHIAH: Celebridade por um feito singular;
  5. 7->7 NITHAEL: Celebridade por escritos e eloquência.

1.6.4    Proteção contra a calúnia, os falsos testemunhos e os pleitos.

Protege a inocência e faz conhecer a verdade.

Se os Gênio positivos de MEBAHEL são difusores da verdade, sua contraparte serão os caluniadores, aqueles que dão o falso testemunho. Nos pleitos, a tática utilizada passa a ser desmontar a imagem do outro, desmoralizar a parte contrária utilizando-se de falsos testemunhos, calúnia e outros ardis.

O falseamento da verdade tira de campo a Liberdade, já que está se vê aprisionada na mentira e, consequentemente, prejudica a justiça fazendo com que o pleito, que deveria terminar, continue, e prossiga, até que a Verdade-Liberdade-Justiça seja restabelecida quando, então, o pleito e resolvido.

Em um primeiro momento, “Yod”, planta-se a semente a calúnia, do falso testemunho; no estado “He” a semente se interioriza e faz com que agora seja vítima de calúnia e falsos testemunhos; na terceira fase, “Vô”, a agressão se exterioriza, sê expande, envolve a terceiros; na quarta fase vem os frutos ou seja a perda da credibilidade que culmina na autodestruição dos caluniadores e falsos testemunhos.

Outros Gênios que tratam da calunia.

  1. 2->4 LAUVIAH: Calunias provenientes da inveja, orgulho;
  2. 2->7 MEBAHEL: Proteção contra a calúnia nos falsos testemunhos e pleitos;
  3. 3->4 NELCHAEL: Destrói a calúnia pelo conhecimento dos propósitos caluniosos;
  4. 4->4 YERATHEL: Confusão dos caluniadores;
  5. 5->5 MENADEL: Destruição das calúnias pelo trabalho;
  6. 6->2 HAHAHEL: Calúnias religiosas, e fanatismo, venda de Deus.

Outros Gênios que tratam do falso testemunho:

  1. 2->4 LAUVIAH: Impede que os zelos, o orgulho, os amores próprios incitem o falso testemunho;
  2. 2->7 MEBAHEL: Proteção contra a calúnia nos falsos testemunhos e pleitos;
  3. 3->3 CALIEL: Apoiado em alguma falsa premissa ou na torpeza de alguém
  4. 8->3 YEIALEL: Silogismos, racionalizações acerca do verdadeiro.

1.6.5   Reconquista do que foi injustamente perdido.

O lado negativo da força

O gênio contrário domina a calúnia, o falso testemunho e os processos judiciais.

Quando nosso foro interno está a tergiversar, a racionalizar como se conseguir bens materiais de forma não naturais, mas por saltos, atalhos, nos deparamos com aqueles que tratam de usurpar a fortuna alheira. MEBAHEL restabelece a ordem interior, fazendo com que tudo caminhe normalmente. Ocorre que quando em nosso interior tudo está em ordem, em nosso exterior as coisas se refletem e a fortuna chega no momento preciso, oportuno sempre que tenhamos plantado estas sementes que se arraigam, florescem e dão frutos.

Se vulneramos a ordem natural para conseguir meios materiais nos valendo de prestígio, do poder dos sentimentos e de outros canais que não são os naturais, i.e., semear, cultivar, florescer e por fim dar os frutos e, de outro modo, utilizamos por exemplo o cultivo, o trabalho de outras pessoas, estaremos vulnerando a ordem natural e, assim, nada em nossa vida fluirá como deveria.

Este, atalho, vulneração da ordem natural, ocorre, muito, demais até, por participantes de determinadas escolas de mistérios, onde seus membros ajudam uns aos outros quase que de forma incondicional; valendo-se, inclusive, da ordem hierárquica dentro da própria instituição. Gera karma para quem recebe, mas também para aquele que concede, eis que, ao beneficiar alguém que não merece, ou de suposto merecimento, tira daquele que seria o real detentor e que pelo destino realizaria alguma missão no cargo que deveria ocupar; ou seja o karma vai ainda pela obra que não se realizou e em razão de todos os seus beneficiários.

Do mesmo modo segue-se as entidades religiosas, nepotismos, partidos políticos, dos filhos que se aproveitando do afeto usurpam os pais ou em outras semelhantes situações.

MEBAHEL, sendo o representante “Vô” de Binah, Hochmah e Tiphereth, nos situa dentro da ordem, dissuadindo-nos, com a expressão meiga de Netzah, a não invadir os canais alheios e isto fara com que em não cometendo o delito, não sejamos nós também vítima dos usurpadores. Decorre que quando a ordem se restabelece em nossa natureza interna, quando determinado defeito psicológico, já foi desintegrado, já não faz parte de nosso interior, isto afasta a corrente do karma, que já não encontra mais sentido, ou o apoio para uma reação, e não há mais porque seguir pagando pelos nossos erros do passado.

Outros Gênios que trabalham em prol a Meritocracia em oposição ao nepotismo:

  1. 2->6 MEBAHEL: Restabelece a ordem interior, fazendo com que tudo caminhe normalmente;
  2. 2->9 HEKAMIAH: Lealdade as coroas, governantes, íntegros, legítimos;
  3. 3->2 CALIEL: Meritrocracia Ketheriana e de acordo com a Lei;
  4. 7->2 VEHUEL: Promove o reconhecimento e a conversão em grandes personagens;
  5. 7->7 NITHAEL: Promove a estabilidade em razão da legitimidade e meritocracia;
  6. 7->9 POYEL: Meritocracia em virtude dos talentos exercidos, postos em movimento.

1.7        Escrituras

“S 9-9 (9-10) Et erit Dominus elevatio oppresso elevatio oportuna in angustia.

O Eterno é um refúgio para o oprimido; um alto refúgio em tempos de angústia ou desespero. ”

1.8         Oração

“MEBAHEL: Deus conservador.

MEBAHEL: Dê-me atribuições para construir o futuro

com os pesos e medidas que utilizastes para construir a maravilhosa máquina do universo.

Sopra, Senhor, as velas de meus sentimentos para que possa,

sentir, viva, dentro de mim, a sagrada cólera de meus irmãos

quando tenham sido humilhados e destruídos pela injustiça.

Coloca-me MEBAHEL, no topo da sociedade e

faça com que minhas palavras sejam

a lança que desagregue o falso o retorcido e sobretudo, Senhor MEBAHEL,

não permitas que ponham meu talento a serviço de dirigentes

que utilizam a calúnia e a opressão para entronizar o corrupto.

Mobiliza meus sentimentos, meus pensamentos, minhas forças morais

para a luta com vistas a um porvir mais humano, cheio de esperanças.

Instrui-me, Senhor MEBAHEL, para que possa ser o artesão de Tua Justiça. ”

1.9              Exortação

“O Universo funciona com normas precisas.

O futuro somente se elabora com a experiência adquirida em passadas edificações.

Tenho lhe posto na arena do mundo para que instruas a teus irmãos

sobre o rigor das normas, sem as quais tudo se corrompe rapidamente.

Quero que sejas o homem de justos meios,

o que arbitre soluções entre os impacientes

que aceleram o ritmo de minha criação gerando dor,

e também aqueles retardatários que se eternizam nas etapas.

Tenho lhe posto na arena do mundo, peregrino,

para que sejas sensível ao sofrimento dos que avançam às cegas,

sem saber nada, impulsionados pelo látego da necessidade.

Seja seu advogado, se aquele que os justificam e os compreende.

Os povos hão de encontrar em ti

a voz que clama por suas justas aspirações e aquele que lhes permite vislumbrar

um programa humano que dê sentido a sua existência.

Tens que ser, em meu nome, um criador de normas, um descobridor de Leis,

um revelador de analogias entre partes de mundos diversos.

Tens que ser o firme estruturador de meu futuro reino”.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s