12. 2->5: HAHAIAH


1.1         Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 2 – Querubins  
Príncipe: Ratziel.
Mundo do coro: 1 – Atziluth, Mundo das Emanações, Arquétipo, espírito – elemento Fogo
Signo: Touro.
Elemento zodiacal: Terra.
Relação/elementos: Agua do Fogo atuando sobre o Agua da Agua.
Relação/mundos: “He” do Mundo de Atziluth sobre o “He” do Mundo de Briah.
Velas:  Amarela em cima e duas vermelhas em baixo.
Incenso: [Cravo, mirra, almíscar, estoraque, âmbar, louro, aloe vera] e [Sândalo, acácia, cipreste, absinto].
Letras: Heh – Heh – Ayin – Yod – Heh
Gemátria: 5+5+70+10+5 = 95 = 9+5= 13 = 1+3 = 4
Arco:  56º a 60º graus da esfera zodiacal.
Invocação por domicílio: de 25° a 30° de Touro ou 17 a 21 de Maio.
Invocação por rotação: de 11 a 12 de Aries: “Yod” ou 1 de Abril;

de 23 a 24 de Gêmeos: He ou 15 de Junho;

de 5 a 6 de Virgem: “Vô” ou 29 de Agosto;

de 17 a 18 de Escorpião: 2º “He” ou 10 de Novembro;

de 29 a 30 de Capricórnio ou 20 de Janeiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   03:40:00 às 04:00:00 a partir da saída do Sol.
Invocação por conjunção:  Quando o Urano se encontra em um dos graus de Marte, ou seja, entre 4º a 5º, de 14º a 15º e de 24º a 25º de qualquer signo.
Atributo: Deus refúgio.
Nome da essência: REFÚGIO.
Nome da Força: Sabedoria Ativa.
Forças em ação: A força de Hochmah que manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Geburah.
Sendero: Sub-sendeiro que une Hochmah a Geburah em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco.

1.2               Palavras chaves:

SONHOS INSTRUTORES – INTERPRETAÇÃO, lei de talião, PROTEÇÃO, cidade refúgio, PERSEGUIÇÃO, destruidor de adversidades, DISCRIÇÃO;

(-) ABUSO DE CONFIANÇA, indiscrição, ESTELIONATÁRIOS, mentira.

1.1      Cartas-sefirotes:       Dois na quinta posição

O Dois refere-se as energias de Hochmah de onde emanam as forças da providência que manifestam as circunstâncias propícias e que permitem levar a cabo os desígnios emanados de nosso Ser interno. Estas circunstâncias nada mais são do que uma criação interna, inconsciente do indivíduo, por isto alcançam o nível de profundidade de nosso Ser.

Quando o Dois atua na quinta posição manifesta-se sob o aspecto de fatalidade em razão dos rigores de Geburah. As circunstâncias terão características trágicas, dramáticas que ensejarão o castigo, a cristalização do mal.

As energias sempre se manifestam conforme o estado evolutivo na escala do desenvolvimento יהוה – “Yod-He-Vô-He”, dessarte, em razão ao naipe em que atue as pulsações haverão consequência determinadas. No naipe de Paus se manifestará como enfermidade; em Copas atuará a paixão perniciosa; em Espadas serão afetados os negócios, as disputas e finalmente em Ouros atuará na perda material, catástrofes, queda de prédios, pontes, etc.

Astrologicamente corresponde a posição de Urano em Áries ou Escorpião.

1.2               Arcano – Mundo: Cinco de copas no mundo de Atziluth

Recebe o título de Senhor do Prazer Turvado. Refere-se ao elemento Agua e astrologicamente corresponde a posição de Marte transitando pelo segundo decanato de Escorpião onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Marte.

Neste ponto o Amor-sabedoria de Hochmah expressa-se por intermédio de Geburah que trata dos reajustes, da Justiça, da correção dos erros. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Geburah, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Aqui o cinco pretende pôr fim, perturbar ao que seria um prazer malévolo e considerado sem limites posto pelo quatro do mesmo naipe. Atua sobre os sentimentos administrados por Hochmah que sob influência de Geburah podem ir da paixão mórbida ao amor pelo disforme, e pode, inclusive, ocasionar a impotência, frigidez.

Os lados mais espiritualizados destas forças referem-se aos indivíduos que descem aos campos infortunados dos enfermos no intuito de aportar caridade.

Quando o cinco de copas atua no mundo de Atziluth há indicação de que o rigor vem do próprio inconsciente impondo uma necessidade de castigo a fim de se adquirir um equilíbrio interior.

1.3              Virtudes concedidas:

1º.- A faculdade de saber interpretar os sonhos.

2º.- Proteção contra as adversidades.

3º.- Revelação dos mistérios.

4º.- Discrição da sociedade sobre o que estamos fazendo.

5º.- Protege contra aos abusos de confiança, as mentiras e as indiscrições.

1.4               Descrição Sefirótica:

HAHAIAH é o quarto da 2º ordem de anjos denominado como Coro dos Querubins, situa-se na morada filosofal de número 12, Sub-sendeiro que une Hochmah a Geburah em sua trajetória de ida ou descenso pelas árvore e zodíaco. Trata das forças de Hochmah o centro produtor de Amor-Sabedoria e, neste ponto, manifesta seus fluxos mediante as pulsações de Geburah, a séfira emocional que trata dos reajustes, da atuação dinâmica da Justiça na correção dos erros; o “He” do Mundo de Atziluth sobre o “He” do Mundo de Briah, Agua do Fogo atuando sobre o Agua da Agua. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada REFÚGIO, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que permite ao perseguido encontrar um lugar onde há de sentir-se livre de seus perseguidores, uma verdadeira couraça contra as adversidades, até que haja condições de estar diante de um juízo justo. Trata-se de uma força de Sabedoria Ativa, onde a sabedoria de Hochmah se encarna nos sentimentos de Geburah criando circunstâncias salvadoras que permitem uma mudança no curso das situações e, assim, salvaguardar de grandes apuros, bloqueia da natureza humana as tendências destrutivas. Este refúgio refere se tanto ao físico, quanto ao mental ou emotivo. Daí vem o atributo, esta qualidade imbuída de poder denominada Deus refúgio.

Temos aqui em todos os sentidos o encontro da bondade de Hochmah com o rigor de Geburah. Hochmah situa-se no topo da coluna da direita que é o “Yod” da coluna e o reflexo de “Yod” do mundo de Atziluth, no primeiro triângulo, o Logoico. De ouro lado temos que Geburah é o segundo da coluna do rigor, o segundo do Mundo de Briah e está no segundo triângulo, o ético.

As escrituras narram que Moises recebeu entre as Leis de Jehovah, a determinação de criar cidades refúgio a fim de abrigar os homicidas que houvessem matado acidentalmente alguém, a fim de se evitar o vingador de sangue, já que as Leis de Binah lhes concediam o direito de vingança.

 

“Josué 20:2 Fala aos filhos de Israel, dizendo: Apartai para vós as cidades de refúgio, de que vos falei pelo ministério de Moisés:

Josué 20:3  Para que fuja para ali o homicida, que matar alguma pessoa por erro, e não com intento: para que vos sejam refúgio do vingador do sangue.”

Assim o objetivo seria que o criminoso escapasse de seus vingadores até que fosse realizado um julgamento justo. O fato das Leis de Jehovah determinarem a instalação destes recintos é porque estas cidades refúgios também existem em nosso interior.

E aqui entramos novamente na questão de que o exterior é o reflexo de nosso interior, então podemos concluir que em nossos mundos internos encontramos milhares de povos, cada povo com sua idiossincrasia, seus costumes, entre os quais alguns se expressam de modo destrutivo, desejam acabar com a vida, e embora alguns povos/tendências convivam pacificamente, em algum momento resolvem se levantar para destruir, matar.

Se desejamos que estas tendências acampem livremente por nosso interior, corremos o risco de que a exemplo de Caim devorem os demais e estabeleça um reino tirânico de uma só pessoa e por fim esta tendência acabe nos dominando. Então é nesses momentos em que esta tendência dominante deve ser posta em uma “cidade refúgio” e de lá não possa sair.

Esta zona chamada “cidade refúgio” é constituída por um cerco energético, semelhante as muralhas que abrigavam as cidades contra os ataques. Assim o objetivo é que a tendência não possa ser danada e por outro lado que não possa continuar causando danos, tudo até que se verifique o que fazer.

Vejamos o exemplo de um policial que prende um traficante com drogas e uma grande quantidade de dinheiro. Então uma tendência lhe sugira para que pegue uma parte daquele dinheiro pois ninguém dará falta. As tendências positivas dirão que isto não pode ser feito, é desonesto, que vai dar problemas. Segue que no passo a tendência negativa resolve aniquilar as demais para dar asas ao seu intento e converte o policial em um criminoso.

Se o indivíduo possui a essência chamada HAHAIAH em seu foro interno, i.e., se conhece a existência deste Gênio e o invoca em seus dias e horas, ocorrera que as tendências positivas rodearão o ladrão interno e impedirão a operação.

Se permitirmos que esta essência atue em nós as tendências criminais serão encerradas em um cerco e se verão impedidas de agir e, não podendo atuar por dentro, não atuarão por fora, não seremos capazes de levantar as mãos contra nossos semelhantes.

Os presídios atuais são uma degeneração da ideia original de “cidades refúgios” cujo propósito estaria em que o delinquente medite sobre seus crimes, reconsidere suas atitudes, se depure, que sua agressividade se dissolva.

Em regra, as pessoas nascidas nos dias e horas de HAHAIAH são as mais indicadas para conduzirem os presídios pois por canalizarem estas energias de forma natural estão mais habilitadas do que os demais para evitarem não só as fugas, mas o próprio pensamento de fuga. A exceção fica pela canalização do lado negativo da força.

Dessarte, temos as “cidades refúgios” quando o amor de Hochmah penetra no rigor de Geburah; o sentimento, as aguas tornam-se uma barreira protetora tanto para o delinquente como para a sociedade, já que atua sobre os dois.

1.5              Das virtudes concedidas:

1.5.1    A faculdade de saber interpretar os sonhos.

Esse gênio exerce domínio sobre os sonhos e revela os mistérios ocultos aos mortais. Influi sobre as pessoas sábias, espiritualizadas e discretas.

O mundo dos sonhos está em primeira instância nos domínios de Hochmah que é o dador de sabedoria. E o faz no intuito de instruir o homem que esteja atribulado, cuja origem do desconforto refere-se ao descumprimento das Leis de Binah que ocasiona assim o resultado da Lei de causa e consequência, a Lei de talião do “olho por olho e dente por dente”. A palavra talião vem do latim “talionis” que significa idêntico.

Temos visto que as “cidades refúgios” foram instituídas por Binah já que foram transmitidas por Jehovah, contudo sua inspiração vem de uma bondade, de uma sabedoria suprema; então é claro que foi inspirada por Hochmah que impõe a institucionalização do amor e que por estar acima de Binah é a força que domina todo o universo em razão de sua intima relação com Kether, tanto pelo fato de ser o primeiro da coluna da misericórdia e como já foi dito estar acima de Binah, e ainda pelo fato do postulado esotérico que afirma “quem viu ao filho viu ao Pai”.

A sabedoria de Hochmah nos é enviada pelas vias das imagens através dos sonhos e, assim, podemos compreender aquilo que não compreendemos pelas imagens reais dos acontecimentos da nossa vida. Deste modo, atua sobre os solhos revelando mediante a linguagem dos símbolos o caminho a seguir, as soluções corretas.

”Números 12:6 E disse: Ouvi agora as minhas palavras; se entre vós houver profeta, eu, o SENHOR, em visão a ele me farei conhecer, ou em sonhos falarei com ele.. ”

É aconselhável que tenhamos sempre em nossa cabeceira um caderno e caneta para anotarmos os sonhos que nos são enviados por Hochmah por intermédio de seus Gênios. Tem-se atribuído a Platão a seguinte frase: “Conhece-se o homem pelos seus sonhos”.

“Eclesiastes 5:3 Porque, da muita ocupação vêm os sonhos, e a voz do tolo da multidão das palavras.”

Ocorre que nos sonhos encontramos tudo aquilo que está em nossa psique e que não podemos ver nos momentos de vigília, os sentimentos mais profundos, o que nos incomoda, o que nos prende, nossos medos, etc. Conhecer nossos sonhos e trabalhar sobre nossa psique e trilhar o caminho da autolibertação.

Prática:

Se temos um problema e não encontramos a solução, basta pensarmos naquilo que pretendemos resolver e pronunciar o nome do anjo HAHAIAH até adormecer – prolongue as vogais. As soluções aparecem como um flash no momento em que acordamos ou em algum sonho, pode ser até no meio da noite, assim, ao despertar, faz-se necessário manter o corpo sem movimento até que todo o ocorrido nos outros planos venha para nossa memória.

Enquanto captura as recordações, pronuncie mentalmente o mantra AOM GAOM (sem mover o corpo) por várias vezes até que venha o máximo das recordações.

Os nossos sonhos são a representação hieróglifa por meio de imagens daquilo que somos, dos nossos conflitos, quando tem origem em nosso interior, mas, por estarem em planos superiores, também revelam aquilo que irá ocorrer já que albergam também o inconsciente coletivo. E nesse sentido a sabedoria de Hochmah nos instrui sobre nós e sobre o mundo em que vivemos.

Principalmente nos dias e horas de HAHAIAH podemos indagar acerca da obra divina já que estando esta energia presente nos será facilitado sua compreensão. Se acumularmos em nossas alforjas as essências de HAHAIAH não necessitaremos de terceiros para interpretar os sonhos e poderemos fazê-lo nos mesmos.

HAHAIAH faz esta conexão para que os mistérios ocultos sejam revelados aos mortais

Outros Gênios que trabalham com os sonhos:

  1. 2->5 HAHAIAH: Sonhos instrutores; interpretação dos sonhos;
  2. 3->2 LAUVIAH: Revelações durante o sono. Sonhos proféticos;
  3. 4->2 NITH-HAIAH: Sonhos premonitórios vindos de Briah M. dos desejos;
  4. 6->7 ARIEL: Sonhos com os programas divinos, ideias novas – Instruções do Real Ser, Jerarquias;
  5. 9->3 MANAKEL: Poder conciliar o sono e os sonhos, ameniza as imagens, interpretação do sonho pela intuição.

1.5.2    Proteção contra as adversidades.

A pessoa nascida sob essa influência tem modos suaves, fisionomia amável e maneiras agradáveis.

A proteção é feita com as aguas de Hochmah cuja sabedoria se encarna nos sentimentos e penetram no rigor de Geburah retendo-o. Traça desta forma um cerco, uma muralha ao redor da tendência destrutora. HAHAIAH e considerado a mais eficaz couraça conta as adversidades.

HAHAIAH é o quarto do coro dos Querubins, quando Hochmah recebe as influências de Geburah, administra a morada filosofal chamada Refúgio, capaz de bloquear as tendências destrutivas de nossa própria natureza e se já se encontra entre plena dificuldade encontra um jeito de sair-se dela.

Quando as séfiras da direita atuam sob as da esquerda, o fazem sempre por dentro, de forma interna, eis que representam a personalidade espiritual que se interioriza na realidade física da esquerda. Então uma revelação atua sobre os sentimentos e surge a intuição de que outro caminho deve ser tomado. Um impulso, acima da razão, fará com que se tome o caminho que saque o indivíduo do atoleiro.

Dessarte temos que as manifestações da direita Urano, Júpiter, Vênus produzirão a inspiração para orientar o indivíduo para os pontos luminosos de Urano-Hochmah, ao passo que Saturno, Marte e Mercúrio produzirão um efeito destrutor enquanto atuam por fora, desbloqueando, explodindo uma situação determinada.

Marte em uma de suas facetas é um produtor de adversidades, protagoniza situações desconfortáveis a fim de que o indivíduo adquira consciência dos ajustes que deve viabilizar em sua vida e siga adiante. Contudo HAHAIAH produz efeitos negativos neste programa já que atua por dentro, minando-o e destruindo-o.

Por esta razão HAHAIAH é considerado do grande destruidor de adversidades. Aparece na vida do indivíduo e dissolve situações com as quais esteja comprometido karmicamente. Urano se manifesta nos momentos dramáticos, dissolve o rigor de Geburah, para salvar e livrar de grandes apuros e obriga a erguer a cabeça para descobrir os mistérios da providência, o objetivo é a meditação, a tomada da consciência.

O Deus refúgio permite que o perseguido encontre o lugar em que se sinta livre, seguro, a salvo de seus perseguidores. Este refúgio não é tão somente um lugar qualquer no mundo, mas referem-se a lugares no físico, mental e emotivo.

Percebamos que na força cinco, Gênio MAHASIAH, Kether com sua vontade atuava sobre Geburah para resolver as situações; aqui temos que Hochmah atua sobre Geburah de forma circunstancial, pelas vias do amor, da intuição, dos sonhos para livrar de situações difíceis.

Outros Gênios trabalham com a salvação de situações difíceis:

  1. 1->5 MAHASIAH: Vontade salvadora;
  2. 2->5 HAHAIAH: Circunstância salvadora;
  3. 3->5 PAHALIAH: Inteligência salvadora.

Outros Gênios trabalham com a retificação, assim em resumo temos:

  1. 1->5 MAHASIAH: Retifica o erro antes mesmo que se produza as evidências ou se materialize;
  2. 2->5 HAHAIAH: Cria as circunstâncias que permitem retificar os erros;
  3. 3->5 PAHALIAH Redenção – permite retificar os erros – Inteligência Retificadora (interna).

Outros Gênios que auxiliam contra os perseguidores:

  1. 1->5 MAHASIAH: Encontrar um lugar em que se sinta livre;
  2. 8->5 MITZRAEL: Proporciona a retificação dos esquemas que resultam no desaparecimento dos perseguidores;
  3. 3->9 HAHEUIAH: Cidades refúgios para escapar dos vingadores de sangue;
  4. 7->5 IMAMIAH: Confunde os perseguidores e nos torna resilientes.

Veja que estamos tratando de situações kármica que podem ser destruídas por dentro já que muitas vezes o retorno de situações, de vinganças inconscientes, envolve a indiscrição, a trapaça, conluios, a mentira, abuso de confiança, i.e., o lado negativo desta força.

Se possuímos muito desta essência em nossas alforjas seremos capazes de eliminar não só as nossas tendências destrutoras, mas também poderemos atuar sobre os demais, não se trata de discursos, mas apenas com a nossa presença podemos mudar energeticamente o meio em que vivemos.

Se observarmos ao nosso redor poderemos perceber e aprender com algumas pessoas que apenas com sua presença alteram o ambiente para o bom ou para o ruim. Isto deve-se as energias que carregam em maior quantidade em seu interior. Assim podemos nos aproximar delas e captar magneticamente estas energias, caso nos interessam, ou nos afastar sabendo o quanto são danosas, salvo é claro se internamente, há por parte destas, o intento de se livrar deste peso e nós estamos em condições de ajuda-las…

De qualquer modo é sempre bom tomar cuidado ao olhar o interior de outra pessoa, pois, em seu interior, ela pode se dar conta de que está sendo observada e se rebelar contra quem a vê, mesmo que a parte consciente não se dê conta do que está ocorrendo.

No entanto se temos forte em nós a “cidade refúgio”, estaremos protegidos.

Outros Gênios trabalham com o refúgio:

  1. 2.5 HAHAIAH: Refugio contra os vingadores de sangue – culpados e tendências nefastas.
  2. 3.9. HAHEUIAH: Refúgio – Proteção do rigor da Lei dos homens – inocentes

1.5.3    Revelação dos mistérios.

Temos visto que Hochmah conserva em sí as energias da sabedoria, intuição, do sono e dos sonhos. O mistério último está em Kether, o Pai. Hochmah afirma “quem viu a mim viu ao pai”. Ocorre que o reino de Kether é a mais pura abstração, o que passa dali são os chamados “véus da existência negativa”.

Esotericamente em uma das oitavas do Nirvana que se entente até ao absoluto encontra-se um ponto chamado “O anel daqui não passa”, que nos é indicado nas sagradas escrituras como:

“Jó 38:11 Até aqui virás, e não mais adiante…”

Somente os grandes mestres podem adentrar a este plano, fala-se de necessidade de autorização; contudo esta autorização deve ser entendida como uma afinidade vibratória para estar ali. Por isto muitas almas que estão no Nirvana resolvem tomar corpo físico novamente para poderem adentrar a este recinto, adquirir graus e estar mais próximo do Absoluto em suas oitavas ascendentes.

Ao entrar em Kether a abstração destrói tudo, a consciência se dissipa no universo e ao menos que se tenha efetuado um trabalho interno se perderá, se desintegrará completamente; então vem a barreira da afinidade vibratória que atua até que se tenha terminado todo o ciclo de existência ou evolução que foi dado para entrada nas altas esferas como mestre ao invés de uma chispa fracassada. E como Mestre é possível um dia adentrar ao absoluto onde a consciência se dissipara no “Um”, mas mantem a sua consistência.

Assim os mistérios supremos só podem ser conhecidos pelas vias do Filho e este nos transmite pelas vias da intuição, dos sonhos. Lembremos que o véu de ISIS não pode ser levantado pelos mortais e isto nos induz que somente pelas vias de Hochmah é que podem ser alcançados, até a parcela que estejamos preparados.

1.5.4    Discrição da sociedade sobre o que estamos fazendo.

O programa do Gênio afirma que a pessoa nascida sob suas influências será sábia, espiritual e discreta, terá maneiras doces, fisionomia agradável e será amável. Podemos perceber que se tratam de qualidades atribuídas a Hochmah. Contudo estas virtudes aparecerão na fase final dos trabalhos, ou seja, no segundo “He”, quando as legiões de HAHAIAH tenham executado seus trabalhos e a pessoa tenha descoberto seus mistérios decifrando seus sonhos, então já não será a mesma.

Hochmah nos transmite sua sabedoria por meio de sonhos, intuição, ou seja, uma forma que somente nós mesmos podemos conhecer. Suas atividades são todas internamente ao passo que as de Geburah pertencendo o lado esquerdo da arvore vai ao externo. Isto decorre que as atividades se evidenciem de dentro para fora, que é a forma discreta de atuação de HAHAIAH, dando-nos a segurança de executar os intentos sem que uma vontade exterior danosa tenha a chance de causar qualquer prejuízo.

 

Outros Gênios trabalham sobre a discrição:

  1. 1-4 ELEMIAH: Discrição para não chamar a atenção sobre nossas obras, trabalho oculto para crescer a sombra de uma ameaça;
  2. 2-12 HAHAIAH: Discrição sobre o que estamos fazendo;
  3. 6-7 ARIEL: Discrição para não chamar a atenção sobre nossas obras.

1.5.5    Protege contra os abusos de confiança, as mentiras e as indiscrições.

O lado negativo da força

O gênio contrário domina a indiscrição e a mentira; influi sobre todos os que abusam da confiança das pessoas.

Temos tratado que as forças de Hochmah atuam sobretudo pelas vias da intuição, de forma que se atuar ao revés, a revelação da verdade aparecerá falseada, como uma sombra da verdade. Sabendo-se que a verdade é Luz e que esta não possui sombras por ser pura emissão, emanação, seu oposto seria algo contrário a verdade, um reflexo negativo, um visto sem as dimensões, as cores e as formas reais do que seria o original, isto nos remete a alegoria da caverna de Platão.

Nesta região abordada, os sonhos que nos inspirariam para o caminho a seguir serão perniciosos, que impulsiona para uma saída falsa.

A energia contrária a este Gênio trabalha ainda com a indiscrição, a mentira, e com o abuso de confiança.

Enquanto no lado positivo o indivíduo busca as “cidades refúgio” para meditar sobre o ocorrido, no lado negativo o intento e negar os crimes, ocultar os erros cometidos, evitar que sejam postos a luz.

Inspirará nos demais uma confiança sobre seu bom propósito e haverá o abuso de confiança a pessoas, entidades, dando a certeza de que resolverá seus problemas, contudo não estará em condições de restituir o que foi dado – temos aqui a figura do estelionatário.

No entanto logo haverá de ser desmentida porque carrega o selo da precariedade abismal.

1.6        Escrituras

“S10:1 (9-22) Quare Domine stas a longe dispicis in temporibus angustiae

Por que o Eterno! Te conservas longes?

Por que te escondes nos tempos de tribulação? ”

1.7         Oração

HAHAIAH: Deus Refugio.

HAHAIAH: Senhor, que tens permitido que se fundam o Meu alento com o Teu,

para que possas comtemplar em meu interior a beleza de um Amor sem fronteiras;

faça com que seja para meus irmãos a transmissor de tua divina harmonia,

O que aporta paz e sossego para almas atribuladas.

Permita-me, Senhor HAHAIAH, que não confundam esse Amor, que é Lei do Universo, com as paixões humanas que tendem a agitar os corações.

Que em todo o momento e em todo lugar, Senhor HAHAIAH,

vejam em mim o intermediário, o conciliador e não o promotor.

1.8        Exortação

“Eu engendrei em ti os sonhos para que possas contemplar a beleza do meu mundo;

tenho me encerrado em tua natureza, para que conheças a divindade de Amor.

Guarda-me dentro de ti, celebra comigo as divinas bodas alquímicas,

não me repudies depois de contemplar uma aventura exterior,

na qual toda tua felicidade interna cairá fulminada.

Tu e Eu viveremos um êxtase permanente,

fora do tempo, fora da necessidade, rodeados pela harmonia do cosmos.

E quando o Eterno ponha fim a nossa história de amor,

poderá referir-se a teus irmãos de raça as delícias que encera a vida eterna.

Poderás convidá-los a buscar-me em seus foros internos.

Espero, amado, que por teu intermédio, me venham outros amores,

espero que sejas o canal por meio do qual teus irmãos descubram meu divino afeto.”

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s