1. 1->1: VEHUIAH


1.1        Elementos constitutivos ou relacionados

Coro 1 – Serafins  
Príncipe: Mettraton
Mundo do coro: 1 – Atziluth, Mundo das Emanações, Arquétipo, espírito – elemento Fogo
Signo: Aries
Elemento zodiacal: Fogo
Relação/elementos: Fogo do Fogo
Relação/mundos: “Yod” do Mundo de Atziluth
Velas:  3 brancas
Incenso:
Letras: Vô- He -Vô-Yod-Heh
Gemátria: 6+5+6+10+5 = 32 = 3+2 = 5
Arco:  1º a 5º graus da esfera zodiacal
Invocação por domicílio: de 0 a 5° de Aries ou 21 al 25 de Março
Invocação por rotação: de 0 a 1° de Aries: cenário “Yod” ou 21 de Março;

de 12° a 13° de Gêmeos: cenário “He” ou 3 de Junho;

de 24° a 25° de Leão: cenário Vau ou 17 de Agosto;

de 6° a 7° de Escorpião: cenário 2º “He” ou 31 de Outubro;

de 18 a 19 de Capricórnio ou 09 de janeiro: quintessência.

Invocação pelo ciclo diário:   das 0 às 0:20 h. a partir da saída do Sol
Invocação por conjunção:  Quando Netuno se encontra se encontra em um dos graus de Kether, ou seja, entre 0º a 1º, de 10º a 11º e de 20º de qualquer signo.
Atributo: Deus elevado e Exaltado por cima de todas as coisas
Nome da essência: Vontade
Nome da Força: Vontade constitutiva
Forças em ação: A força de Kether resplandece as virtudes de seu próprio centro.
Sendero: 1, de Kether a Kether

1.2        Palavras chaves:

Começo do começo, primeiro passo, VONTADE, novo caminho, façanha, SUTILIDADE, inquietude, SAGACIDADE, lucidez, iluminação, PERSISTÊNCIA.

(-) CÓLERA, turbulência, ROTINA, voluntarismo, VIOLÊNCIA, conflitos, PREGUIÇA, situação sem saída, DEPRESSÃO, vontade reprimida, IRA, preguiça, deprimidos.

1.3         Movimentação Sephiroth: As na primeira posição

Refere-se a “Yod” em Kether, no mundo de Atziluth, de onde provem todas as emanações e expressa uma vontade incontestável, implacável, absoluta que pode ser utilizada em vias de um ponto determinado. Temos aqui a causa primeira, o movimento que movimenta todos os outros movimentos e cuja fonte é sua própria natureza.

1.4        Arcano – Mundo: As de paus mundo de Atziluth

Recebe o título de Raiz dos poderes do fogo ou ainda Raiz de todas as iniciativas. Refere-se ao elemento Fogo e astrologicamente corresponde ao primeiro decanato de Áries onde manifesta seus fluxos mediante as roupagens deste signo e sob as pulsações do regente deste decanato que é Marte.

Neste ponto, Kether o primeiro ponto de partida na Árvore e no zodíaco, o centro produtor de iniciativas, a essência divina, expressa-se por intermédio de seu próprio centro. No mais, o resultado desta alquimia se exteriorizara ainda pelo tom prismático de Geburah, o coordenador deste subciclo evolutivo.

Trata-se de um elemento iniciador em todas as análises, senão vejamos: O As representa Kether a coroa Sephiroth, aquele que está acima de todas as coisas, o primeiro. O naipe de paus é o elemento inicializador das cartas que seguem a sequência “Yod”, “He”, “Vô”, “He”. Portanto é o “Yod” dos naipes. Refere-se ainda ao primeiro decanato de Áries que também é o primeiro signo do zodíaco vinculado ao elemento fogo e que é o primeiro dos elementos.

Inicia algo que até então não havia enquanto rompe com tudo o anterior. Encontra sua raiz na vontade suprema, do Real Ser, na parte divina que carregamos dentro de nós, ainda que desviemos estas energias para uma manifestação obscura, perversa em razão do estado em que nos encontramos. Afinal, mesmo o mal tem um início.

O As de paus no mundo de Atziluth indica que a vontade está atuando em seu próprio terreno, onde deve ser efetivamente exercida do modo a tornar-se o motor de todas as coisas e, orienta o indivíduo, a seguir a sua própria natureza.

1.5         Virtudes concedidas:

1º.- Dispor de uma poderosa vontade executora e transformadora.

2º.- Ser o primeiro, o protagonista de uma façanha em qualquer domínio, seja político, social, desportivo – vencer algo singularmente difícil.

3º.- Virtude da sutilidade de espírito, sagacidade para descobrir as trapaças, os enganos e uma extraordinária lucidez para consigo mesmo.

4º.- Liberar a nós e aos demais da turbulência e da cólera.

5º.- Obtenção da iluminação divina.

1.6         Descrição Sephiroth:

VEHUIAH é o primeiro 1º da 1º ordem de anjos denominado como Coro dos Serafins, situa-se na morada filosofal de número 1, rege o sendeiro 1, em que Kether resplandece as virtudes de seu próprio centro. Trata das forças de Kether o primeiro ponto de partida na Arvore e no zodíaco, o centro produtor de iniciativas, a essência divina; o “Yod” do Mundo de Atziluth, Fogo do Fogo. Nesta casa nos deparamos com a essência filosofal chamada VONTADE, o conjunto de qualidades, propriedades e atributos que se refere ao impulso primordial, a Vontade primeira, pois é o mensageiro mais próximo daquele que está por cima de todas as coisas. Trata-se de uma força de Vontade constitutiva, a raiz oculta de todas as coisas, por tratar do começo do começo, onde tudo tem seu princípio, de onde sai o primeiro passo, o primeiro movimento. Nada do que existe depois dele existiria se a energia VEHUIAH não houvesse originado anteriormente com sua essência. Na vida humana conceda a capacidade de proceder de acordo com os impulsos naturais, o movimento holístico, integrado que inicia deste o centro interno em Unidade com todas as coisas de modo que faculta a criação, empreendimento de novas situações além, inclusive, da normativa já que se trata de um primeiro impulso das emanações, portanto, sem resistência pré determinada. Daí vem o atributo, representado pelo Alfa, Aleph, esta qualidade imbuída de poder denominada Deus elevado e Exaltado por cima de todas as coisas.

Quando tratamos do movimento primordial, da causa primeira, nos recordamos de como Tomas de Aquino pretendeu provar a existência de Deus, como um ente personificado, criador de todo. O fez por intermédio de suas teorias conhecidas como as 5 vias. E neste ponto procurava justificar seu ponto de vista ao buscar o primeiro movimento que deu início a todos os demais movimentos, o primeiro ente gerado que passou a gerar todos os outros. Deixa transparecer um impulso de VEHUIAH em um momento qualquer de sua existência.

Ao tratarmos do tema morada filosofal, nos deparamos com algo que parece um tanto abstrato, que transparece apenas uma teoria acadêmica. Contudo devemos ressaltar que estamos a tratar de energias muito além da compreensão humana, compreensão esta que é capaz apenas de adentrar naquilo do que esteja ligado a percepção dos cinco sentidos. Uma energia tão sutil como a de Kether se fosse baixada sem uma difração para o plano físico certamente o desintegraria em uma fração inominável de segundo. Lembremos que Moises vislumbrava a Deus somente pelas costas.

Assim as energias que vem descendo até chegar ao plano físico vão sendo amortizada de uma forma semelhante que um prisma que divide as cores da luz e que por fim ficam visíveis aos nossos sentidos.

A percepção da fragmentação fica a cargo de uns poucos e a analogia nos permite conhecer as sutilezas que descem ao nosso plano já que as Leis físicas são reflexos das Leis existentes em planos superiores; muito embora a medida em que se aproxime da Força Primeira o número de Leis vão diminuindo na razão inversa a que a liberdade aumenta.

Lembremos ainda o pronunciamento de Hermes “…assim como é embaixo é encima e assim como é encima é embaixo.”, o Kabir Jesus em sua oração disse: “seja feita a tua vontade assim na terra como nos céus”.

Os Gênios, Anjos como queiram chama-los também são chamados de Deuses internos, e não é por acaso; eis que todos nós temos em nosso interior a contrapartida de tudo o que existe no universo, fomos criados a imagem e semelhança de Deus – ser superior para o religioso e a natureza, o universo para o homem de ciência.

Somos anjos e demónios, seja nos planos internos, psicológico, na aglomeração do sangue e na coagulação das energias nos diversos departamentos de nosso cérebro. E mais do que isto, uma das verdades que por milênios tentam esconder de nós é que “somos Deuses” com todas as virtudes, atributos, etc., que constantes no Absoluto, carecedores apenas do seu devido desenvolvimento, atividades.

Os Budistas dizem que somos o sonho de Brahma, tal fato tem sua razão de ser se nos demos conta que somos Deuses adormecidos. Assim agora podemos compreender a saudação hinduísta:

Namastê

“O Deus que habita em mim,

saúda o Deus que habita em ti.

O aforismo grego constante no templo de Delfos nos remete ao mesmo ponto: “Nosce te ipsum”, propagado no Egito antigo, pelos grandes filósofos: Homem, conhece-te a ti mesmo, assim conhecerá o universo e aos deuses.

Portanto é bastante sábio lembrarmos antes de fazer o mal ao próximo é bom lembrarmos que dentro dele existe um Deus com todas as características e atributos do absoluto – se somos a imagem e semelhança de Deus é porque isto está dentro de nós. E, o que está dentro de nós forma uma unidade conosco e também com a unidade. Ou um galho de videira não é a videira?

Os 72 anjos nos ajudam a nos encontrar com nosso Deus interno e facilitar nossa vida enquanto fazemos isto.

VEHUIAH tem a missão de estabelecer em nós a morada da energia primordial, de onde emanam todas as outras, o exemplo que todos seguirão, afinal qualquer que seja o Gênio, tipo de energia, para sua utilização primeiramente é necessário que haja vontade.

Sem a Vontade de Constituir não há como pôr a existência a cabo.

Aristóteles tratava ato e potência como modos divergentes e diferentes sendo que a potência referente a algo que tem a capacidade de realizar sua existência, mas que ainda não está materializado e ato diz-se da coisa que concretamente existe, que possui existência, manifesta, real.

A vontade carrega em si potência e ato já que se trata de um atributo exclusivo do Ser, que se encontra no topo do mundo arquétipo. Toda a criação vem de cima para baixo embora tenhamos a ilusão do contrário. A vontade “é”, portanto, é “ato” ainda que não tenha se manifestado nos mundos inferiores e em aparência esteja a nível de potência. E mesmo que no curso de descenso possa se modificar já foi manifesta a nível superior.

Do mesmo modo está presente no homem e na mulher, como força engendrante e engendradora – ato é potência trabalhando juntos a ponto de se confundirem.

Antes de se construir uma casa 1. Tem-se a vontade de construir. 2. Emociona-se com o que se pretende; 3. Faz-se o projeto na mente e depois no papel e 4. Executa-se o projeto.

Sem a Vontade de construir, de constituir obra alguma pode ser levado a existir, assim esta energia está presente em todas as criações não importa se o agente tenha ou não consciência da força que está manipulando. De outro modo se há consciência na operação então temos a energia que emana do Ser e, se interage com mais força junto ao corpo psíquico o futuro empreendimento e todas as ações ao longo da existência, capaz de atrair circunstâncias propícias.

Disto apreendemos que na vontade estão todas as energias, todos os elementos que descende de forma prismática até a cristalização no mundo físico. Portanto na vontade suprema encontramos unidos ato e potência, porque é daí que vem toda a criação muito embora sua manifestação no mundo físico seja inicialmente em potência e posteriormente em ato a medida que a energia desce pelos planos.

Basta compreender que: se estamos aqui é porque em algum ponto foi dado o start desta energia pois tudo começa pelo primeiro, pelo número “Um”. Se vamos fazer uma caminhada temos que dar o primeiro passo, ao escrevermos um livro ele está na primeira letra e na mão daquele que redigirá mesmo antes que algo seja escrito, então é aí que está a energia de VEHUIAH. VEHUIAH é a porta por onde entram todos os outros Gênios pois alguém tem que ser o primeiro.

Lembro-me que antes de iniciar esta obra os Gênios estavam em euforia querendo que já fosse publicada, contudo nem sequer havíamos lançado a primeira letra de modo que a princípio não compreendemos o que estava ocorrendo. Ocorre que o primeiro movimento vem de cima e nos mundos abaixo tudo vai se cristalizando, plano a plano. Assim, nos mundos superiores já comemoravam a obra pronta e lançada que no mundo físico demorariam anos.

Em um jogo de sinuca VEHUIAH é a bola que encaçapa todas as outras. No efeito dominó é a primeira pedra que derruba as demais e de todos os movimentos das peças também é o primeiro. No Direito é o Princípio primeiro, da Proporcionalidade que rege a balança, no qual estão contidos todos os demais[1].

Dessarte, VEHUIAH é a energia pela qual dispomos da chamada “Vontade”, aquilo que está por cima de todas as coisas, o arranque primordial, o começo do começo. Vemos no primeiro versículo do Genesis que o “Princípio” criou Eloim (coletivo de Eloa – Deus) e tudo o que existe, ou seja, à Vontade primordial criadora precedeu a própria criação.

Por ser a energia primeira é um atributo de Kether, do Pai, e é por VEHUIAH que dispomos da porção do Pai. Quem é rico desta essência está sempre predisposto ao recomeço mesmo que tudo esteja perdido.

Certamente que foi a inspiração de VEHUIAH que levou o autor de “E o vento levou” a fazer Scarlet OHara depois de perder tudo na vida, inclusive seu amor, a dizer a arrepiante frase: “Tara, meu lar. Irei para o meu lar e pensarei numa forma de tê-lo de volta! Afinal, amanhã é um novo dia!

Quando o mundo pareça desabar e tudo pareça perdido, enredado, convém buscarmos auxílio a VEHUIAH, nos dias, horas, nos momentos de invocação situados no cabeçalho desde subtítulo. Peçamos que estabeleça em nós a morada desta energia, que preencha nossos interiores, nossos espaços internos vazios e carentes desta força, que este vácuo seja preenchido pois, assim, encontraremos a vontade necessária para enfrentar todos os percalços da vida, novos caminhos se abrirão, um novo passo terá início. Esotericamente se sabe que a melhor maneira de enfrentar um problema é iniciando algo novo. Daí surge uma nova vida, uma nova chance.

Quando muitas situações estão ruins, o mundo pesa sobre os ombros ou cai sob nossa cabeça podemos evocar o Restart Ketheriano. Trata-se de um recomeço, ou um início que realoca tudo que esteja em movimento, promove um novo impulso e permitem atuar mesmo quando o karma está em andamento. Isto porque Kether se encontra no mundo das emanações, em um ponto anterior a Binah que marca o compasso das Leis de Causa e Efeito. Não se trata de uma redenção, mas de uma movimentação comandada por uma força que antecede a Binah e que, portanto, não está sujeito a mesma. Isto nos dá um fôlego, concede um modo diferente de atuar no intuito de superar a situação. Então este Restart pode ser um filho que nasce, início de um trabalho, enfim.

É interessante notar que em todos os meios expostos a vontade é o elemento fundamental e, portanto, VEHUIAH estará presente. Assim, deve-se solicitar ao Gênio o material anímico necessário para realizar o empreendimento desejado.

Para se ter à vontade inicialmente devemos saber com clareza o que queremos. Vontade pura, detalhada, exata, sem conflitos.

O conflito interno é um destruidor, um exterminador da vontade, mas, com a ajuda de VEHUIAH pode ser sanado.

Aqui surge uma questão bastante incomoda e por vezes até assustadora:

Quando não estamos certos do que queremos e pedimos luz, as Jerarquias ou alguma Lei de afinidade vibratória nos lançam trevas. O que pode parecer ruim, na realidade é algo incompreendido. Basta ver que quando a luz é pouca não é quase notada no mundo cotidiano, contudo, quando as trevas são espessas a luz mais tênue, o fogo fátuo se ilumina como um sol, um enorme clarão. Assim, são lançadas trevas espessas para que possa ser vislumbrada a luz oculta que se encontra entre nosso subconsciente. Esta luz que é nossa própria essência, é um raio de nosso Real Ser, a energia da vontade.

Devemos aqui saber diferenciar Real Ser do ego, personalidade, eu superior, eu inferior, etc. O Real Ser refere-se a nossa verdadeira e única identidade, ligada a Kether, a chispa divina que nos dá a identidade de Deus.

Tomas de Aquino dizia: Sou forte naquele que me fortalece. Referindo-se a passagem constante no novo testamento:

“Filipenses 4:13 Todas as coisas posso naquele que me fortalece. ”

 

Podemos parafraseá-lo e dizer “Somos Deuses em Deus”.

 

No último dia da criação, disse Deus:

“Façamos o homem à nossa imagem, conforme a nossa semelhança” (Gênesis 1:26).

1.7        Das virtudes concedidas:

1.7.1    Dispor de uma poderosa vontade executora e transformadora.

A Vontade é a origem do fogo abrasador que levamos em nosso interior. É o fogo que anima a criação. Onde há a criação, o “Um”, o primeiro, não pode haver rotina. As pessoas com muita energia de VEHUIAH dificilmente conseguem trabalhar em tarefas rotineiras, são indivíduos inquietos que se contrariada sua natureza pode acarretar problemas já que porão nervosos os que o rodeiam.

Ao pedir Vontade estamos desejando que haja movimento em nossa existência, que as energias circulem expulsando o velho para a fundação do novo. Impele o que está parado a entrar em movimento.

A Vontade nos leva a ocuparmos a posição de Altos Cargos e consequentemente a glória, celebridade, afetos, abundância. Embora seja ambicionada por uns já não o são por aqueles que estão no topo da sociedade, que nada lhes falta, o que ocasiona um enfraquecimento da vontade. Este fato por si só faz com que muitas almas, embora com méritos para uma situação mais confortável neste mundo, resolvam vir a em posição menos favorável, contudo mais estimulante, que provoque à vontade.

O derrame da essência da primeira casa não se faz automaticamente, mas é o resultado de um processo interno, geralmente inconsciente, e muitas vezes oriunda de uma relação de causa e efeito. Contudo esta energia pode ser dirigida conscientemente para as experiências que desejamos viver.

Temos como objetivo adquirir experiência. Então o Real Ser envia uma parte de Si para os planos inferiores, outros mundos onde não poderia estar sem um veículo adequado – sob pena de destruição do local. Há a concessão do livre arbítrio para a realização dos trabalhos. É um fenômeno comum que a parte que anda pelos mundos inferiores se desligue de seu Ser Interno e não consiga mais ouvir a sua voz. Faz-se então necessário o “religare”. Ocorre que antes era “Um” com o Real Ser e consequentemente com a Unidade, agora houve uma separação. Com o desligamento ocorrem as experiências desagradáveis, isto porque antes havia a “Vontade” que é um elemento ativo, mas com o desligamento vem então os “desejos” que são passivos.

Cabe lembrar que a vontade requer uma concentração de energia, portanto deve ser ativa. Os desejos por serem passivos enfraquecem à vontade. Por requerer uma concentração de energia, a Vontade, não pode ser diluída, assim, muitos desejos dissolvem a energia e enfraquece a Vontade. É necessário saber o que se quer mais e não dividir à vontade em muitos desejos. Os cabalistas afirmam que não podemos estar em mais de uma experiência de cada vez, assim como não se pode servir a dois senhores ao mesmo tempo.

O indivíduo que possua em seu horóscopo o canal aberto para esta energia será capaz de colocar em movimento qualquer assunto que queira e como Scarlet OHara recomeçar do zero se for preciso. Destarte, quando nos encontremos em uma situação sem saída, perdido o rumo, desfalecidos podemos pedir a ajuda a VEHUIAH o que equivale a dizer: Se a mesa posta não lhe agrada, vire a mesa.

Querer é primeiro dos quatro elementos que compõe o mistério da esfinge:

  • Querer (Leão) pertence ao mundo de Atziluth, arquétipo, de emanação, ligado a Kether de onde provem a Vontade;
  • Saber (Homem) pertence ao mundo de Briah, que se encarregará de dar amor-sabedoria a energia trabalhada, por estar relacionado a Hochmah e onde estão presentes as aguas sentimentais, a energia, matéria que dinamizará à vontade
  • Ousar (Águia) pertence ao mundo de Yetzirah, de formação, ligadas a Binah e onde começa a exteriorizar-se, manifestar-se a Vontade emanada de cima.
  • Calar (Touro) pertence ao mundo de Assiah, devemos nos calar no mundo físico para que as energias se cristalizem em atos, fatos.

Se ocorrer que a pessoa não tenha este Gênio em sua carta natal, poderá obter ajuda de alguém que o tenha. Esta pessoa, geralmente em sua manifestação regularmente demonstrará muita energia de Vontade, iniciativa.

Cumpre esclarecer aqui que cada pessoa tem pelo menos 8 gênios, provavelmente muito mais, em sua carta natal, se considerarmos as casas e aspectos dos planetas e este fato é um sinal que possui acesso a estas energias com mais facilidade do que quem não as têm em razão de sua evolução e trabalhos feitos em outras existências      .

O que é dito aqui trata-se de um princípio que rege todos os demais gênios.

1.7.2    Ser o primeiro, o protagonista de uma façanha em qualquer domínio, seja político, social, desportivo – como vencer algo singularmente difícil.

Como esta força sempre promove uma atividade desafiadora. Os indivíduos ligados a esta dinâmica estarão sempre fazendo alguma coisa. Esquecera o já realizado, seja bom ou ruim, e partirá sempre para novos horizontes, vencendo barreiras, já que não lhe é facultado ter ataduras.

A Vontade torna incômoda a vida dos que a rodeiam, pois, saca do marasmo, da zona de conforto para lança-los diretamente no campo de batalha. Assim, quem leva uma vida social bem situada sentira profundo incomodo, já que coloca o inerte em movimento.

Atua intrínseca e extrinsecamente de forma que o impulso interno em qualquer indivíduo, situação, começa desde dentro como um incomodo que lança para a atividade.

Sendo uma força de movimento fará com que os deprimidos mudem seu curso.

Ao acordarmos em seu horário, e nesse momento invocarmos suas energias teremos um dia com mais vigor e produtivo, daí vem a frase: Deus ajuda quem madruga.

 

1.7.3    Virtude da sutilidade de espírito, sagacidade para descobrir as trapaças, os enganos e uma extraordinária lucidez para consigo mesmo.

A utilização da força 1 nos aporta sutilidade, sagacidade, no sentido de proceder cientificamente de acordo com o conhecimento dos ritmos naturais. Uma ciência que se encontra escondido nos recônditos interiores do ser humano e que se expressa com arte. Para estarmos aqui, necessitamos de regras para a convivência harmônica e estarmos de acordo com todos os planos.

VEHUIAH, estando acima de Binah, o criador de regras, não permite que se encerre unicamente em uma normativa cega, ao pé da letra, mas sendo o dinamizador, cria situações novas que permite que as regras evoluam e até se revoguem as anteriores. E daí que induz ao homem que proceda com ciência, mas também com arte.

Enquanto escrevíamos estas linhas, esta subparte da obra, passávamos pela fase “Vô” de VEHUIAH em sua situação por domicílio e concomitantemente por SITAEL em sua casa por rotação e que trabalha como um construtor de Leis.

Momento em que foi aprovado a Lei que autoriza a utilização da fosfoetanolamina sintética em que milhares de pessoas com câncer tem afirmado que ajuda no controle da doença, mas que a ANVISA – órgão de controle dos medicamentos-, por algum motivo, seja científico ou a pedido da indústria farmacêutica, tem proibido. Oras, ainda que não ajudasse basta lembramos como nossa psique é capaz modificar a matéria pelas vias da fé quanto mais se for coletiva. Então por um fato, por vezes, além de nossa compreensão a Lei torna-se caduca, obsoleta, um entrave e VEHUIAH providencia um assim start no sistema.

Lembremos do brocardo que diz: “A lei é feita para o homem e não o homem para a lei. “

1.7.4    Liberar a nós e aos demais da turbulência e da cólera.

A Vontade sem controle pode levar as paixões, zelos, orgulho, enfermidades. A ira está diretamente relacionada a contrariedade da Vontade.

Já se sabe que na natureza nada se perde, tudo se transforma conforme pregou Lavoisier. Sendo a Vontade uma energia, esta deverá ser direcionada para algum lugar. Entende-se que se a mesma não for utilizada converter-se á em cólera e turbulência.

 

1.7.5    Obtenção da iluminação divina.

O lado negativo da força

Do mesmo modo que em cima VEHUIAH em seu aspecto negativo nos impulsionara por meio de uma vontade poderosa, uma ânsia que não conseguimos resistir, que temos que executar, eis que se trata da mesma energia citada, mas agora em seu aspecto negativo, abismal, que abita o submundo de nossa consciência. Recôncavos que tememos confrontar. Sua representação interna pode vir acompanhada do guardião do umbral que um dia teremos que enfrentar e vencê-lo. Se não o vencermos em nosso mundo interior tenderá a cristalizar-se no exterior em uma dinâmica tão complicada como a energia desperdiçada para os reinos inferiores. Conheceremos então o inferno na terra e se ainda assim a força negativa permanecer em nossa psique o enfrentaremos nos planos negativos da 5º dimensão inferior que é o lugar onde se encontra nossa psique atualmente por carência de trabalhos internos. Podemos entender agora a origem da palavra inferno, inferius, pois somos os construtores de nossa psique, de nosso interior e consequentemente de nosso exterior já que em regra o exterior é o reflexo de nosso interior, a exceção fica por conta estarmos em um mundo coletivo onde sempre haverá pessoas conhecidas de muito tempo e novos contatos. Ainda assim fazemos nossa história com os novos protagonistas.

Então precisamos enfrentar nossos guardiões do umbral, que vedam nossa passagem para planos mais elevados, e evacuar as energias indesejáveis. O lado abismal de VEHUIAH produzem turbulência, cólera em razão de desejos não realizados, da energia sufocada pela timidez, pela covardia, pela opressão não vencida, a voz interior não atendida.

Nossa morada atual e o mundo de conheça, a morada física terrestre, onde as forças abismais tem muita força e manifestam-se mais prontamente. Se existe o gênio positivo de VEHUIAH é certo que devem existir sua contrapartida que de sua origem abismal promovem que suas energias emerjam em nosso mundo por meio de um fato, situação material, ardil tramado que de pronto encontram justificativas aos olhos dos interessados originando o furor. Contudo as forças abismais carregam em si, selo da precariedade. Assim o é por subverterem a ordem que emana de onde tudo foi criado, levando todo o projeto a ruina já que só conseguem vencer quando não encontram a resistência de uma força que a sujeite novamente a Ordem.

Ocorrerão turbulências, voluntarismos tenebrosos, dificuldades, pisar nos demais, situações difíceis, começos em momentos ruins, violência, conflitos, ruinas, etc. em razão de uma imperiosa necessidade de exteriorizar à vontade ora reprimida, incapaz de formular, de canalizar de uma maneira ordenada.

Nos momentos de VEHUIAH do abismo deve-se tomar cuidado ao iniciar as coisas para que não absorvam em sua dinâmica este estado de energia.

A boa notícia é que tomar consciência da cólera e sua dinâmica equivale a dissolver a energia inferior. E neste momento que com a ajuda de VEHUIAH obtemos a iluminação.

Se VEHUIAH promove o movimento, a atividade, a sua contraparte estará marcado ainda pela inatividade, pela falta de iniciativa, preguiça, a acomodação no enfrentamento das dificuldades.

 

Outros Gênios que combatem a depressão:

  1. 1->1 VEHUIAH: Concede força de vontade e movimentando a vida;
  2. 1->4 ELEMIAH: Da a consciência do que produz o desassossego;
  3. 3->2 LAUVIAH: Fornece uma visão melhor do futuro e retira a sensação de impotência. Afasta de nós os ocupantes das baixas esferas;
  4. 3->7 YEIAIEL: Desenvolvimento emotivo para vencer as tempestades e os naufrágios emocionais.
  5. 5->8 REHAEL: Depressão relativo a conflito superior-inferior, problemas com pai, autoridades;
  6. 8->3 YEIALEL: Nos concede a lógica e força mental contra os pensamentos que nos afundam;
  7. 9->3 MANAKEL: Atua sobre os sentimentos de culpa nos incutindo a imagem verdadeira;
  8. 9->9 MUMIAH: Protege contra o desespero e as tendências suicidas.

 

1.8              Escrituras:

S.3:3 (3-4) “Tu autem Domine clipeus circa me  gloria mea  et exaltans caput meum.”

“Mas tu, Oh Eterno!  És minha couraça, meu escudo. Tú es a minha glória, e o que exalta a minha cabeça.”

1.9        Orações:

VEHUIAH! Faz que fermentem em mim as tuas virtudes.

Fazei que seja o primeiro a carregar a bandeira,

o primeiro herói e que por Tua graça conduza os homens mais além do humano.

Que ferva em mim a superabundante energia com que se realizam os milagres.

Liberta-me Senhor da turbulência e da cólera

permitindo encontrar no exterior o adequado receptáculo para sua semente.

Comunica-me a sua sagacidade e sutilidade para que possa chegar aos meus ouvidos

a Voz divina e para que possa contemplar com meus olhos a sublime imagem do Pai.

Oh VEHUIAH! Sejas Tu o forjador do qual serei tua bigorna.

Sejas Tu o soprador e eu serei o crisol,

o fogo de seu fogo, a luz de tua luz,

a chama permanentemente viva para que meus irmãos,

de geração em geração,

vislumbrem o seu caminho.

1.10    Exortação:

“O tempo da fermentação é chegado

e o julgo da vinha fermenta debaixo dos raios do sol;

A agua borbulha sob a ação do Fogo e o ferro enrijece ao sopro da Chama;

Há uma vida dentro de tua vida,

um novo estado dentro de seu presente estado de ser,

uma luz vermelha em sua frieza metálica.

O Pai é o Sol, fogo e a Chama

É a força transformadora universal

e que sacará de ti a fertilidade

arrancando-te de sua morte aparente

para criar em ti e, através de ti, nos demais,

o potencial do Eterno.

Venha para a religião do Pai e compreenderás os mistérios que a fé te ocultava.

Compreenderas para que servem

o Amor, os Sofrimentos, as orações e a cadeia de encarnações.

Compreenderas porque é necessário o fracasso e porquê e útil a vitória.

O Pai fará de ti um colaborador consciente de sua Obra.

A religião do Pai te abre agora suas portas,

para que se produza em ti a expansão de consciência

que em tua viagem humana tens buscado.

 

Oração e exortação de Kabaleb.

 

[1] Quando terminei o curso de Direito escrevi uma monografia que abarcou Direito e Filosofia com o tema intitulado RAZOABILIDADE. ASPECTOS ESTRUTURAIS, onde propusemos uma estrutura em que a primazia da Razoabilidade abarca todos os demais princípios do Direito. Na época não estava muito bem de saúde, quase não terminamos a obra, contudo o núcleo do tema proposto nos deu a dimensão da centralidade do princípio.

 

Clique na imagem ao lado para ser direcionado a pagina princial e baixar gratuitamente o livro.

A CABALA DE HAKASH BA HAKASH

Filosofia Metafísica Quântica Cabalística – TOMO III

Schemhammephorasch  שם הםףורש

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s