A escravidão do Brasil Império X Escravidão contemporânea da OAB #FimDaReservaDeMercadoDaOAB


OPINIÃO 

“Quem semeia a injustiça colhe a maldade; o castigo da sua arrogância será completo. Proverbios 22-8.”

Por Vasco Vasconcelos, escritor e jurista 

vascovasconcelosA escravidão em nosso país foi abolida há cento e vinte oito anos, graças à Princesa Imperial Regente Isabel Cristina Leopoldina Augusta Michaela Gabriela Raphaela Gonzaga de Orléans e Bragança (Princesa Isabel).(1846-1921).Entre os países do continente americano, o Brasil foi o último país a abolir a escravidão. Deveria ter sido um dos primeiros a reconhecer que o trabalho humanizado é um direito pertencente a todos os humanos.

Antes da promulgação da Lei Áurea era legal escravizar e tratar as pessoas como coisa, para delas tirar proveito econômico. A história se repete: o caça-níqueis da OAB, cuja única preocupação é o bolso de advogados qualificados pelo Estado (MEC), jogados ao banimento, renegando pessoas a coisas.

Os tempos mudaram e o “modus operandi” dos escravos do Brasil Império X escravos   contemporâneos da OAB,  é completamente diferente. Pesquisando   na internet deparei com uma reportagem  do jornalista Ricardo Mioto, veiculada pelo jornal Folha de S.Paulo de  16 de novembro de 2010 intitulada “Pesquisa mostra vingança de escravo no Brasil Império” . Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/fsp/ciencia/fe1611201001.htm

Informa que  pequenos proprietários, sem capatazes, eram vítimas fáceis de ataques; brigas incluíam até luta em bananal. Afirma que os senhores do Brasil escravocrata eram tão confiantes na submissão dos seus escravos que, com frequência, acabavam assassinados por falta de tato ao lidar com eles.

Segundo a reportagem  a  conclusão é da historiadora Maíra Chinelatto  Alves, cujo mestrado recém-completado na USP é sobre isso. Ela conta, por exemplo, o caso do velho Pedro Antônio Oliveira de mais de 80 anos, de Campinas. Em 1845, irritado, teve a genial ideia de ir sozinho atrás de um dos seus 15 escravos, João de Nação, negro forte com menos de 30 anos, para castigá-lo.

Em uma cena digna de filme B de ação rodado no Terceiro Mundo, o velho e o negro se encontraram no meio de um bananal. Oliveira deu uma paulada na cabeça de João, que reagiu com uma foice, matando o seu dono.

Disse que os mais ricos tinham intermediários, como capatazes, responsáveis por lidar com os escravos. O senhor, então, conseguia ficar mais distante. “Mantinha até uma imagem paternalista de senhor justo, a quem os cativos podiam recorrer”, diz Chinelatto, que estudou processos criminais da época.

Os senhores mais pobres tinham de se misturar aos escravos. Outro deles era João Lopes de Camargo, também de Campinas. Num dia de 1847, foi até a roça e achou o serviço mal feito. Por isso, chicoteou o escravo Matheus. Ele reagiu, derrubando Camargo, que caiu de bruços. Mateus batia com um pedaço de pau, enquanto seu colega Venâncio atacava de enxada. Enquanto apanhava, segundo o depoimento de uma escrava, Camargo pedia a Matheus “que pelo amor de Deus não lhe matasse”, prometendo-lhe a liberdade. Matheus: “Quando você está surrando minha mulher, não se lembra de carta de liberdade. Por isso hei de matar você, mulher e filhos”.

A punição para os escravos assassinos mudou com o tempo. No começo do século 19, a regra era a pena de morte. Com o final da escravidão se aproximando, as penas foram ficando mais brandas. Era um sinal de que mesmo a Justiça começava a achar aceitável certa revolta contra a escravidão.

A propósito na qualidade de descendente de escravos, quero como escritor, jurista e abolicionista contemporâneo, deixar claro que sou totalmente contra qualquer tipo de violência, seja por parte dos escravos, seja por parte dos seus donos ou capatazes, lembrando que não existe terror quando se utiliza  de balinhas de gengibre, diga-se que  é um santo remédio para garganta.

No dia 24.07 p.p. o Brasil foi surpreendido com a notícia que um escravo contemporâneo da OAB, reprovado, pasme, onze vezes no caça-níqueis exame da OAB, cansado  de tantas injustiças praticadas pelos mercenários e capatazes da OAB, que só tem olhos para os bolsos os seus escravos contemporâneos,  resolveu chamar atenção das nossas omissas e irresponsáveis autoridades e num momento de fraqueza resolveu simular um atentado no Centro Universitário Jorge Amado – Unijorge  em Salvador-BA, ameaçando  explodir o local de prova  onde seria realizado mais um  pernicioso  caça-níqueis exame da OAB, o que obrigou os capatazes cancelar o certame.

O esquadrão anti  bomba foi acionado e conseguiu depois de algumas horas de negociações, convencer aquele escravo contemporâneo a  se entregar. Mais tarde a Polícia descobriu  que a  suposta ‘Bomba’ em corpo de candidato da OAB na Bahia, era bala de gengibre.

Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública a Bahia,  não foram encontrados artefatos explosivos ou armas de fogo com o rapaz. Sendo que após depoimento no Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), ele  foi levado para exame de corpo de delito no Departamento de Polícia Técnica (DPT), em seguida  foi liberado. Porém ele foi autuado com um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO), quando não tem potencial ofensivo, haja vista que  não foi encontrado nenhum explosivo ou arma com o rapaz.

Ele vai responder crime com base no artigo 41 da Lei das Contravenções Penais por provocar alarme anunciando perigo existente capaz de produzir pânico ou tumulto, podendo pegar . pegar de 15 dias a seis meses de prisão.

Mais uma vez quero deixar claro que sou totalmente contra qualquer tipo e violência ou terrorismo. O próprio exame da  OAB é uma bomba calibrada não para medir conhecimentos e sim reprovação em massa. Vendem-se dificuldades para acolher facilidades. Quanto maior reprovação maior faturamento da OAB. As injustiças sociais geram fome, desemprego e violência e enriquece os mercenários, aproveitadores dos escravos contemporâneos da OAB.

O que aconteceu na minha querida Bahia, terra do meu saudoso colega jurista Rui Barbosa, terra de Castro Alves, Luiz Gama saudoso abolicionista  que lutou a favor a libertação de 800 escravos, cujo ofício só foi reconhecido depois de mais de cem anos da sua morte, pela  OAB (…) enfim terra de tantos outros heróis brasileiros, foi um ato de loucura; um grito de desespero de um pai de família, aflito, desesperado, clamando, pasme, pelo direito ao primado do trabalho. Balinhas de gengibre não matam; cura a garganta inflamada dos capatazes de tanto pregar o medo, o terror e a mentira, principais armas dos tiranos.

A sociedade brasileira esperava que os dirigentes da OAB diante de tantas injustiças sociais que esse fraudulento, pernicioso exame caça-níqueis da OAB vem causando ao país dos desempregados, que ela OAB, ao invés de remarcar tal prova, convocasse a imprensa e antecipando o 13 de maio, num gesto de extrema grandeza em respeito ao direito ao trabalho, declarasse o fim da última ditadura, a abolição contemporânea da OAB, ou seja, o fim do caça-níqueis exame da OAB, uma chaga social que envergonha o país dos desempregados.

Na realidade  trata-se de um operador do direito  diplomado há  anos pela Unijorge, impedido do livre exercício cujo título universitário habilita pelos mercenários, que só tem olhos para os bolsos dos seus escravos. De acordo com a universidade, o histórico escolar do rapaz é de um aluno de conduta regular, sem qualquer registro de incidente durante o período de curso.

Ou seja o rapaz só queria chamar atenção  das  omissas  autoridades em face os abusos praticados  pelos capatazes ou mercenários da OAB, os quais se tivessem um pouquinho de responsabilidade social, convocaria a impressa para num gesto de extrema  grandeza pedir desculpas aos seus escravos contemporânea e declarar o fim da última ditadura, a escravidão contemporânea da OAB, em sintonia com os ensinamentos do Papa Francisco: Já não escravos. Mas irmãos. Menos muros. Mais pontes.

Vamos falar as verdades. Não é da alçada da OAB e de nenhum sindicato avaliar ninguém isso é um abuso, um assalto ao bolso dos escravos da OAB. A constituição diz que compete ao poder público avaliar o ensino e a OAB é uma entidade privada que muda de cor de acordo a conveniência para não prestar contas ao TCU.

Não é justo punir por antecipação milhares de bacharéis em  direito, (advogados )   sem o devido processo legal, arquivando recursos administrativos, cerceando a ampla defesa, aplicando prova tipo casca de banana, para reprovação em massa ao ponto do eminente Professor Renato Saraiva DESABAFAR: “LUTE POR SEU DIREITOS, no blog Exame de Ordem

Disponível no Blog Exame de Ordem, Fonte: http://www.portalexamedeordem.com.br/renato/2011/03/lutem-por-seus-direitos/

“Excelentíssimo Presidente da OAB, Excelentíssimos Conselheiros da OAB e Representantes da FGV. Tenho 10 anos de Magistério, 7 livros editados sobre Trabalho e Processo do Trabalho, com 70 mil livros em média vendidos anualmente. Fui aprovado num do concursos mais difíceis do Brasil, o do Ministério Público do Trabalho – MPT. Já preparei e APROVEI no exame de ordem, talvez, mais da metade do quadro atual de advogados. Portanto, de exame de ordem, eu entendo. O QUE ESTÃO FAZENDO COM OS EXAMINANDOS É UMA COVARDIA!!!

VOU SER CLARO: EU, RENATO SARAIVA, NÃO PASSARIA NESSE EXAME, POIS ERA HUMANAMENTE IMPOSSÍVEL TERMINAR A PROVA. UMA PROVA FEITA POR UM DESEQUILIBRADO, ALGOZ, CARRASCO, SELVAGEM, RECHEADA DE QUESTÕES SEM FUNDAMENTAÇÃO OU ALTAMENTE CONTROVERTIDAS. PRONTO! DIVULLGUEM PARA TODOS!!! RENATO SARAIVA AFIRMOU QUE NÃO PASSARIA NA PROVA. É VERDADE!!! SÓ FALTA  O PRESIDENTE DA OAB DIZER QUE EU, RENATO SARAIVA, NÃO ESTAVA PREPARADO PARA A PROVA. QUAL SERÁ A DESCULPA AGORA?

MEUS ALUNOS E OUVINTES. NOSSA MISSÃO É APOIÁ-LOS!!

AGORA, NÃO ESPEREM QUE NINGUEM LUTE A LUTA DE VOCÊS!

VOCÊS DEVEM LUTAR. É PREFERÍVEL MORRER LUTANDO DO  QUE SE CURVAR A UM SISTEMA INJUSTO E DESUMANO.

LUTEM! LUTEM LUTEM! “

RENATO SARAIVA

 

Tempo Real: Tomei conhecimento hoje (03.08) no site do Blog Exame de Ordem que, “ Na 2ª fase do XIX Exame, ou seja, a última prova subjetiva, tivemos um sério problema de correção das provas, com muitas reclamações quando a exatamente este tipo de erro. Os candidatos respondiam de forma correta mas não logravam receber a pontuação. Inclusive isto foi alvo de uma publicação nossa

Inconformada com a omissão e/ou a  péssima correção da banca examinadora, uma candidata reprovada recorreu à Justiça Federal, TRF 1 – 0041548-63.2016.4.01.3400 –  fato esse que levou  o Juiz da 3ª Vara/SJDF respondendo pela 16ª Vara/SJDF, a deferir   pedido de tutela de evidência e determinou  aprovação de candidata da 2ª fase do XIX Exame de Ordem. (…)

(…)

Forte em tais razões, DEFIRO o pedido de tutela e evidencia para, por ora, determinar a atribuição da pontuação relativa aos tópicos “do cabimento da peça” e do pedido liminar “ da peça prático-profissional da autora, concernente ao XIX  Exame de Ordem unificado conforme questionados nessa ação, o que  será  desde logo suficiente para garantir a sua aprovação na 2ª Fase do certame, devendo expedir o Certificado de Aprovação com a emissão da Carteira da OAB, se for o caso. Brasília 27 de julho e 2016

 

Fonte: http://blog.portalexamedeordem.com.br/justica-federal-defere-pedido-de-tutela-de-evidencia-e-determina-aprovacao-de-candidata-da-2-fase-do-xix-exame-de-ordem

 

A OAB não pode insistir num exame excludente como o seu caça-níqueis e deveria num gesto de grandeza extirpar esse câncer do nosso ordenamento jurídico.

Uma excrescência tão grande que de acordo com o Blog Bocão News, levou o ex-presidente da OAB/BA, nobre advogado dr. Saul Quadros Filho em seu Facebook, a fazer duras críticas à empresa que organiza atualmente o exame da OAB. De acordo com Saul Quadros Filho, a FGV comete tantos erros na confecção da prova que é preciso urgentemente cobrar da instituição o mínimo de competência. (…) Portanto, o dever do Conselho Federal é cuidar da qualidade das provas ou então aposentar o exame. (…) No atual momento o Conselho Federal tem que ser solidário e não o algoz dos que “foram reprovados” pela FGV quando, na verdade, se tem alguém que merece ser reprovada é, induvidosamente, a própria Fundação Getúlio Vargas, endureceu Quadros.

Há três anos, durante o lançamento do livro ‘Ilegalidade e inconstitucionalidade’ do Exame de Ordem do corregedor do TRF da 5º Região, desembargador Vladimir Souza Carvalho, afirmou que exame da OAB é um monstro criado pela OAB. Disse que nem mesmo a OAB sabe do que ele se trata e que as provas, hoje, têm nível semelhante às realizadas em concursos públicos para procuradores e juízes. “É uma mentira que a aprovação de 10% dos estudantes mensure que o ensino jurídico do país está ruim. Não é possível falar em didática com decoreba”, completou Vladimir Carvalho.

Assim como no passado a elite predatória não aceitava o fim da escravidão se utilizando dos mais rasos e nefastos argumentos, tipo: “Acabar com a escravidão iria ocasionar um grande derramamento de sangue e outras perversidades. Sem a escravidão, os ex-escravos ficariam fora de controle, roubando, estuprando, matando e provocando o caos generalizado” hoje essa mesma elite não aceita o fim da escravidão contemporânea da OAB, o fim do caça – níqueis Exame de Ordem plantando nas revistas e nos jornais nacionais (vale quanto pesa), manchetes fantasiosas tais como: Exame de Ordem protege o cidadão. O fim do Exame da OAB será um desastre para advocacia. Qualidade dos advogados despencaria sem Exame da OAB, outros alegam que o Exame de Ordem se faz necessário em face da existência no país de 1240 cursos de direitos, falta de fiscalização do MEC e a extensão territorial. Então questiono por que a OAB não fiscaliza? Ah,  nobre jurista, isso dá trabalho não gera lucro fácil e farto para alimentar uma teia pantanosa e seus satélites.

A Carta Magna Brasileira foi bastante clara ao determinar em seu art. 170 que a ordem econômica está fundada no trabalho humano e na livre iniciativa e tem por finalidade assegurar a todos uma existência digna, conforme os ditames da justiça social, observando, entre outros, o princípio da busca pelo pleno emprego. Ao declinar sobre a Ordem Social, (art. 193) a Constituição estabeleceu que a ordem social tem como base o primado do trabalho e como objetivo o bem-estar e a justiça sociais.

A OAB precisa substituir o verbo arrecadar pelo verbo humanizar. Precisa respeitar a Convenção nº 168 da Organização Internacional do Trabalho – OIT relativa à Promoção do Emprego e à Proteção contra o Desemprego, assinada em Genebra, em 1º de junho de 1988.

Senhores governantes, existem alternativas inteligentes e humanitárias: tipo estágio supervisionado e/ou residência jurídica. Aprendi na terra do meu saudoso colega jurista e conterrâneo Ruy Barbosa, que “a bove majore discit  arare minor” (O boi mais velho ensina o mais novo a arar). Vamos humanizar a colenda OAB.

Onde está responsabilidade social da OAB? Se para ser ministro da maior Corte de Justiça do país, o Egrégio Supremo Tribunal Federal – STF, não precisa ser advogado, basta o cidadão ter mais de trinta e cinco nos e menos de sessenta e cinco anos de idade, de notável saber jurídico e reputação ilibada conforme art.101 da Constituição. Se para ocupar vagas nos Tribunais Superiores, OAB se utiliza de listas de apadrinhados da elite? Via o quinto dos apadrinhados? Por quê para ser advogado o bacharel tem que passar por essa cruel humilhação e terrorismo?.

Por fim como esses escravos contemporâneos da OAB irão comprovar experiências de dois ou três anos, exigidos nos concursos públicos da Magistratura? Como vão conseguir pagar os empréstimos do Fies?  Se não tem direito ao primado do trabalho? Correndo sério risco de serem presos por exercício ilegal da profissão?

Destarte torna-se imperioso e urgente que o Presidente da República, em exercício Michel Temer, em respeito aos Movimentos Sociais, o Direito ao Trabalho e ao Princípio da Igualdade, insculpidos na Constituição Federal, bem como na Declaração Universal dos Direitos Humanos, editar urgente uma Medida Provisória, visando abolir do nosso ordenamento jurídico a última ditadura, a escravidão contemporânea da OAB, o caça-níqueis Exame da OAB, uma chaga social que envergonha o país, revogando o inciso IV e § 1º do art. 8º da Lei nº 8.906, de 04 de julho de 1994, que dispõe sobre o Estatuto da Advocacia e a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB). Os Direitos Humanos agradecem.

Por fim se os advogados condenados nos maiores escândalo de corrupção de todos os tempos, o lava-jato e o petrolão têm direito a reinserção social, direito ao trabalho, porque os condenados ao desemprego pela OAB sem a ampla defesa e o devido processo legal, não têm direito ao trabalho?

Quem será o 1º brasileiro, abolicionista contemporâneo, portador de alto Espírito de Brasilidade, a ser galardoado com o Prêmio Nobel da Paz?

 

Vasco Vasconcelos,

escritor,  jurista e abolicionista contemporâneo

Brasília-DF

e-mail:vasco.vasconcelos@brturbo.com.br

Esse post foi publicado em EXAME DE ORDEM e marcado . Guardar link permanente.

16 respostas para A escravidão do Brasil Império X Escravidão contemporânea da OAB #FimDaReservaDeMercadoDaOAB

  1. Pingback: COMO VENCER O MEDO! OAB 22 – GOOGLELEX

  2. PEDRO DOS SANTOS CARDOSO DE FREITAS disse:

    A/C DO PAPA FRANCISCO, ONU (ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS), OIT(ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO) E CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS

    A finalidade da presente é para denunciar a prática da OAB, por impor um exame de escravidão, autoritário e corporativista para fins de arrecadação milionária, sem pagar impostos e prestação de contas ao TCU, infelizmente a lei 8906/94, ampara este abuso a nossa democracia.
    Tal arbitrariedade se concretiza, pois o único meio do Bacharel em Direito, formado numa universidade com aprovação do MEC, é através desse exame, que reprova em massa mais de 90% dos inscritos.
    Ressalta-se, que não há outro meio para acesso ao mercado de trabalho, pelo Bacharel em Direito, para exercer a ADVOCACIA, se não prestar o exame da OAB. Seria razoável, se tivesse outras alternativas, tais como por exemplo, o Bacharel em Direito, possuir uma residência jurídica, cursos de pós-graduação, estágio supervisionado, prática jurídica em escritórios de Advocacia, etc.
    Já morreram mais de cem bacharéis em direito, vítimas de doenças psicossomáticas e outros tentaram suicídio por tentarem passar no certame da OAB, por mais de dez vezes. Anteriormente o Bacharel em Direito, de nome “GILBERTO”, fez greve de fome por vários dias em frente da sede da OAB em Brasília-DF, o qual quase faleceu.
    Foi noticiário atualmente, nos meios de comunicação do mundo, o conhecido “homem bomba”; na realidade, o jovem bacharel em direito, é um pai de família, pobre nos termos da lei, que tentou o exame aproximadamente por 18 vezes.
    O mesmo esteve na sede do local, onde ia ocorrer o XX EXAME DA OAB, no Estado da Bahia, o qual estava visivelmente em estado de abalo emocional, impediu que o tal certame fosse aplicado, ameaçando a todos inscritos, ali presentes, para explodir o local. Posteriormente com a chegada da Polícia, ele foi preso, portando um colete amarrado ao seu próprio corpo, com balas de gengibre.
    Os bacharéis em direito, passam constantemente por constrangimentos, por não saberem explicar para a própria sociedade e para suas famílias, por que não são advogados ou por que não estão trabalhando, se os mesmos são formados.

    Sabemos que o exame da OAB não avalia a capacidade profissional de ninguém, mas se existe este exame, as faculdades deveriam formar os alunos, somente após passarem no certame da OAB.

    Ressalta-se, o MEC só poderia registrar os diplomas daqueles que estivessem preparados para lograrem êxito no exame. Por derradeiro, o exame da OAB, só poderia ser cobrado aos longos dos cinco anos de curso e não depois que os alunos colassem grau.

    Nota: Já que o diploma de bacharel em direito, não consegue atingir seu principal objetivo, que é o exercício legítimo da ADVOCACIA, os Bacharéis em Direito, deveriam ingressarem com ações coletivas na justiça, para reparação de danos.

    Atenciosamente,

    São Paulo – SP, 04 de Agosto de 2.016

    João Batista Suave – Presidente Nacional da Marcha dos Bacharéis em Direito do Brasil, Sede: ES
    Pedro dos Santos Cardoso de Freitas – Presidente Nacional dos Bacharéis Desempregados, Sede: SP
    Jurandir dos Santos Silva – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do RJ
    José Silo da Silva – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de MG
    Rosangela Coutinho da Silveira – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado da BA
    Fernando Pimentel da Costa – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado da Alagoas
    Brigite de Albuquerque- Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de SC
    Antonio Pimentel – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Acre
    Joana Santana de Mendonça – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Amapá
    Silvio Rodrigues Pereira – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado da Amazonas
    Nilson Suave Batista – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Ceará
    Luiz Carlos da Silva- Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Goiás
    Maria Alice Mendonça – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Distrito Federal
    Silvana Pinto da Silva – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Maranhão
    Cláudia Pires de Oliveira – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Mato Grosso
    Fernanda da Fonseca – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Mato Grosso do Sul
    Joaquim Cardoso de Melo – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Pará
    Silviano Cardoso de Melo – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado da Paraíba
    Gilson da Cunha – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Paraná
    Arlindo Sarney de Oliveira – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Pernanbuco
    Glória Silva Barbosa – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Piauí
    Mariane de Matos – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Rio Grande do Norte
    Alice de Carvalho – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Rondônia
    Eliene Santana – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Roraima
    Rita de Cássia – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Sergipe
    Gabriela Caiado Cardoso– Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito de Tocantins
    MARCHA NACIONAL DOS BACHARÉIS DO BRASIL
    MARCHA NACIONAL DOS BACHARÉIS DESEMPREGADOS E ENDIVIDADOS PELO FIES
    MARCHA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS E VÍTIMAS DOS EXAMES DA OAB
    MARCHA NACIONAL DAS MULHERES BACHARÉIS EM DIREITO DO BRASIL
    FRENTE SINDICAL DA MARCHA DOS BACHARÉIS DO BRASIL
    MOVIMENTO POLÍTICO NACIONAL PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA NACIONAL PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA INTERNACIONAL PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA NACIONAL DOS ESCRAVOS DO EXAME DA OAB
    MARCHA NACIONAL DOS ESTUDANTES DE DIREITO, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DAS FAMÍLIAS DOS ESTUDANTES E BACHARÉIS EM DIREITO
    UNIÃO BRASILEIRA DE JURISTAS(UBJ)
    UNIÃO DE CONSULTORES BRASILEIROS NA ÁREA TRIBUTÁRIA(UCBT)
    MARCHA CARIOCA DE BACHARÉIS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA PAULISTA DE BACHARÉIS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA MINEIRA DE BACHARÉIS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS DO ESTADO DA BAHIA, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS DE BRASÍLIA-DF, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS CAPIXABAS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS ALAGOANOS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS GAÚCHOS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DAS MULHERES BRASILIENSE, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    UNIÃO NACIONAL DE JURISTAS EVANGÉLICOS (UNJE)
    UNIÃO NACIONAL DE ESCRITORES BRASILEIROS (UNEB)
    UNIÃO NACIONAL DE RADIALISTAS BRASILEIROS (UNRB)
    UNIÃO NACIONAL DE ARTISTAS BRASILEIROS (UNAB)

    • josé antonio disse:

      em vez de ficar mandando mensagem individual em nome das associações acima relacionadas, associações acima, como pessoas jurídicas, distribuem ações com os pedidos contra o exame de ordem. Imaginam todas essas associações incomodando os tribunais com ações com pedidos fundamentado nas mazelas do famigerado exame de ordem.Que Deus Ilumine os Presidentes de cada associações..

  3. José disse:

    O sr. Temer, defensor nº 1 da ilegalidade do exame da ordem, pensou que iria sair ileso dessa, que poderia tripudiar os Petistas e os Bachareis e que nada aconteceria, mas o tiro saiu pela culatra. Alguns partidos de oposição já estão pedindo o impedimento dele, o que também está correto, afinal, a Constituição vale pra sra. Dilma, mas não para o sr. Temer e para a OAB. Como sempre a OAB vai chegar atrasada para fazer o pedido de impedimento. Por onde andam os grandes juristas, Dra. Janaina, Dr. Hélio Bicudo e o Dr. Reale Junior.

  4. José disse:

    Por que a toda poderosa e defensora da sociedade já não pediu o impedimento do Presidente interino, ele já foi condenado até 2024, portanto, ele não pode presidir o País. Ou vão chegar atrasado como fizeram no pedido de impedimento da Dilma, para fazer média com a sociedade. Ultimamente tivemos dois tombos e em breve teremos o terceiro. PT, PMDB e o próximo será OAB. Estão caindo o reinado dos seus comparsas. Nessas alturas do campeonato eles não querem mais governar, e sim, se livrar da prisão.

  5. JOÃO BATISTA SUAVE disse:

    CONVOCAÇÃO EXTRAORDINÁRIA 0002/2016
    “Queremos igualdade, respeito e direito ao emprego”
    *Associação Nacional da Marcha dos Bacharéis do Brasil, através do seu Presidente, João Batista Suave, convoca os Bacharéis e Estudantes de Direito de todo o País, a não se inscreverem para o XXI exame da OAB, com previsão para a realização da 1ª fase, em 20/11/2016. Caso se inscrevam, pedimos para não realizarem(boicotarem) o tal certame.
    Através deste instrumento, convocamos a todos para realizarem um protesto pacífico em todos os locais onde serão realizadas as provas em todo o país, a partir das 10:00 as 17:00 horas, reivindicando o “Fim do Exame da OAB/FGV”.
    “Sem união e protesto, A OAB, nos manterá como seus eternos escravos, burros e fregueses dos seus exames.
    Mais de 100(cem) Bacharéis em Direito, colegas nossos, já faleceram por doenças psicossomáticas e outros cometeram suicídio, por tentarem realizar o exame por mais de dez vezes, sem conseguirem lograr êxito. Ressaltamos, que o Exame da OAB/FGV, sempre reprovou em massa, em torno de 90% dos inscritos.
    São Bernardo do Campo – SP, 05 de Agosto de 2.016

  6. José disse:

    A maioria dos políticos defensores da OAB, que mantém essa farsa, usam de golpe baixo para se manter no poder. “Moral zero”. Agora o castelo deles começou a cair. Ninguém se mantém por muito tempo enganando e pisando por cima dos outros. A única exceção é a OAB, mas o dia deles também chegará.

  7. José disse:

    Com exceção do STF, dizem que a justiça anda a galope. Ainda que a Presidente Dilma não mereça permanecer no governo, não é justo o que eles fizeram para tirar ela. Agora, chegou a vez deles prestar conta com a justiça. Outra frase famosa diz o seguinte: “diante da justiça qualquer bandido tomba”. Ontem na abertura dos jogos já deu para perceber a rejeição que o povo tem pelo Presidente interino.

  8. José disse:

    Segundo o delator Marcelo Odebrecht são 35 Senadores 13 Governadores e dezenas de Prefeitos que estão envolvidos na corrupção da Petrobrás , inclusive, o Presidente interino . Dentre eles uns são defensores da OAB e outros pertence a máfia do referido Conselho, são bandidos de carteirinha. Portanto, jamais eles irão votar em algum projeto contra os interesses da OAB. Vamos aguardar para ver se o STF tem cacife para colocar toda essa bandidagem na cadeia.

    • José disse:

      Últimas notícias: o Presidente temporário, um dos defensores da OAB acaba de ser condenado pela Justiça Eleitoral e está ilegível até o ano de 2024. Esse já recebeu o primeiro quinhão, e o povo brasileiro está livre por 8 anos. Aos poucos todos eles vão pagar pelas injustiças que eles apoiam contra os Bacharéis em Direito.

  9. PEDRO DOS SANTOS CARDOSO DE FREITAS disse:

    A/C DO PAPA FRANCISCO, ONU (ORGANIZAÇÃO DAS NAÇÕES UNIDAS), OIT(ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO) E CORTE INTERAMERICANA DE DIREITOS HUMANOS

    A finalidade da presente é para denunciar a prática da OAB, por impor um exame de escravidão, autoritário e corporativista para fins de arrecadação milionária, sem pagar impostos e prestação de contas ao TCU, infelizmente a lei 8906/94, ampara este abuso a nossa democracia.
    Tal arbitrariedade se concretiza, pois o único meio do Bacharel em Direito, formado numa universidade com aprovação do MEC, é através desse exame, que reprova em massa mais de 90% dos inscritos.
    Ressalta-se, que não há outro meio para acesso ao mercado de trabalho, pelo Bacharel em Direito, para exercer a ADVOCACIA, se não prestar o exame da OAB. Seria razoável, se tivesse outras alternativas, tais como por exemplo, o Bacharel em Direito, possuir uma residência jurídica, cursos de pós-graduação, estágio supervisionado, prática jurídica em escritórios de Advocacia, etc.
    Já morreram mais de cem bacharéis em direito, vítimas de doenças psicossomáticas e outros tentaram suicídio por tentarem passar no certame da OAB, por mais de dez vezes. Anteriormente o Bacharel em Direito, de nome “GILBERTO”, fez greve de fome por vários dias em frente da sede da OAB em Brasília-DF, o qual quase faleceu.
    Foi noticiário atualmente, nos meios de comunicação do mundo, o conhecido “homem bomba”; na realidade, o jovem bacharel em direito, é uma pai de família, pobre nos termos da lei, que tentou o exame aproximadamente por 18 vezes.
    O mesmo esteve na sede do local, onde ia ocorrer o XX EXAME DA OAB, no Estado da Bahia, o qual estava visivelmente em estado de abalo emocional, impediu que o tal certame fosse aplicado, ameaçando a todos inscritos, ali presentes, para explodir o local. Posteriormente com a chegada da Polícia, ele foi preso, portando um colete amarrado ao seu próprio corpo, com balas de gengibre.
    Os bacharéis em direito, passam constantemente por constrangimentos, por não saberem explicar para a própria sociedade e para suas famílias, por que não são advogados ou por que não estão trabalhando, se os mesmos são formados.

    Sabemos que o exame da OAB não avalia a capacidade profissional de ninguém, mas se existe este exame, as faculdades deveriam formar os alunos, somente após passarem no certame da OAB.

    Ressalta-se, o MEC só poderia registrar os diplomas daqueles que estivessem preparados para lograrem êxito no exame. Por derradeiro, o exame da OAB, só poderia ser cobrado aos longos dos cinco anos de curso e não depois que os alunos colassem grau.

    Nota: Já que o diploma de bacharel em direito, não consegue atingir seu principal objetivo, que é o exercício legítimo da ADVOCACIA, os Bacharéis em Direito, deveriam ingressarem com ações coletivas na justiça, para reparação de danos.

    Atenciosamente,

    São Paulo – SP, 04 de Agosto de 2.016

    João Batista Suave – Presidente Nacional da Marcha dos Bacharéis em Direito do Brasil, Sede: ES
    Pedro dos Santos Cardoso de Freitas – Presidente Nacional dos Bacharéis Desempregados, Sede: SP
    Jurandir dos Santos Silva – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do RJ
    José Silo da Silva – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de MG
    Rosangela Coutinho da Silveira – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado da BA
    Fernando Pimentel da Costa – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado da Alagoas
    Brigite de Albuquerque- Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de SC
    Antonio Pimentel – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Acre
    Joana Santana de Mendonça – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Amapá
    Silvio Rodrigues Pereira – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado da Amazonas
    Nilson Suave Batista – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Ceará
    Luiz Carlos da Silva- Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Goiás
    Maria Alice Mendonça – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Distrito Federal
    Silvana Pinto da Silva – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Maranhão
    Cláudia Pires de Oliveira – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Mato Grosso
    Fernanda da Fonseca – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Mato Grosso do Sul
    Joaquim Cardoso de Melo – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Pará
    Silviano Cardoso de Melo – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado da Paraíba
    Gilson da Cunha – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Paraná
    Arlindo Sarney de Oliveira – Presidente Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Pernanbuco
    Glória Silva Barbosa – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Piauí
    Mariane de Matos – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado do Rio Grande do Norte
    Alice de Carvalho – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Rondônia
    Eliene Santana – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Roraima
    Rita de Cássia – Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito do Estado de Sergipe
    Gabriela Caiado Cardoso– Presidenta Estadual da Marcha dos Bacharéis em Direito de Tocantins
    MARCHA NACIONAL DOS BACHARÉIS DO BRASIL
    MARCHA NACIONAL DOS BACHARÉIS DESEMPREGADOS E ENDIVIDADOS PELO FIES
    MARCHA NACIONAL DOS DIREITOS HUMANOS E VÍTIMAS DOS EXAMES DA OAB
    MARCHA NACIONAL DAS MULHERES BACHARÉIS EM DIREITO DO BRASIL
    FRENTE SINDICAL DA MARCHA DOS BACHARÉIS DO BRASIL
    MOVIMENTO POLÍTICO NACIONAL PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA NACIONAL PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA INTERNACIONAL PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA NACIONAL DOS ESCRAVOS DO EXAME DA OAB
    MARCHA NACIONAL DOS ESTUDANTES DE DIREITO, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DAS FAMÍLIAS DOS ESTUDANTES E BACHARÉIS EM DIREITO
    UNIÃO BRASILEIRA DE JURISTAS(UBJ)
    UNIÃO DE CONSULTORES BRASILEIROS NA ÁREA TRIBUTÁRIA(UCBT)
    MARCHA CARIOCA DE BACHARÉIS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA PAULISTA DE BACHARÉIS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA MINEIRA DE BACHARÉIS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS DO ESTADO DA BAHIA, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS DE BRASÍLIA-DF, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS CAPIXABAS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS ALAGOANOS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DOS BACHARÉIS GAÚCHOS, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    MARCHA DAS MULHERES BRASILIENSE, PEDINDO O FIM DO EXAME DA OAB
    UNIÃO NACIONAL DE JURISTAS EVANGÉLICOS (UNJE)
    UNIÃO NACIONAL DE ESCRITORES BRASILEIROS (UNEB)
    UNIÃO NACIONAL DE RADIALISTAS BRASILEIROS (UNRB)
    UNIÃO NACIONAL DE ARTISTAS BRASILEIROS (UNAB)

  10. ORDEM DOS ADVOGADOS DIREITO - OAD disse:

    ESTE TAL SARAIVA É MAIS UM DEMAGOGO HIPÓCRITA … IGUAL AO PROCURADOR GERAL, CUNHA, E OUTROS, QUE APARECEM COM ESTA CONVERSINHA FIADA ABISMADOS EM ACHAR QUE É UM ABSURDO O EXAME. TUDO FINGIMENTO.

    ENQUANTO ISSO ESTÃO ENCHENDO AS BURRAS DE GRANA COM SEUS CURSINHOS E PALESTRAS MOTIVACIONAIS PARA QUE CONTINUEM FAZENDO A PROVA.

    O INIMIGO É PODEROSO, E O ESTADO TEM MEDO DESTA MAFIA ATUAL.

    MALDITO SEJA ITAMAR FRANCO …
    QUEIME PARA SEMPRE NO INFERNO.

    • José disse:

      Essa é famosa e conhecida no direito como “verdade real”. Jogam todos no mesmo time! Além deste que já está queimando no quinto dos inferno, outro que deveria estar preso, aqui na terra, antes de ir direto para o mesmo endereço é o DEMÓSTENES TORRES, outro safado, bandido , corrupto e quadrilheiro.

  11. ANA PAULA DA SILVA disse:

    O EXAME DA OAB SEMPRE REPROVOU EM MASSA

    Infelizmente por tentar várias vezes a prova da OAB, há colegas nossos que já faleceram por doenças psicossomáticas e outros cometeram suicídio, por tentarem passar neste exame por mais de 10(dez) vezes. Este tipo de exame é cruel, uma verdadeira escravidão contra os bacharéis, pois reprova mais de 90% dos inscritos. O único curso do nosso País, que o cidadão mesmo com o diploma aprovado pelo MEC, tem que se humilhar perante a OAB e contar com a sorte para ser aprovado, é o curso de DIREITO.

    Se os Bacharéis em Direito, quiser exercer a profissão com dignidade, o inscrito tem que passar neste vexame autoritário da OAB, Infelizmente, só no do curso de DIREITO, se pratica tal arbitrariedade. A verdade que a OAB reprova em massa, para arrecadar sempre mais, pois já faturou mais de 1 bilhão de reais até a presente data, sem pagar impostos e sem prestação de contas ao TCU.

    Outrossim, os donos de cursinhos preparatórios dos exames da OAB, estão milionários, já arrecadaram mais de 300 milhões de reais, sem pagar impostos, e sem prestar contas a ninguém também.

    Infelizmente o MPF, a Presidente afastada DILMA ROUSSEFF e o Presidente da República em Exercício, não se manifestam, sobre o EXAME DA OAB, o PGR se manifestou na pessoa do Dr. Rodrigo Zanot, um tempo atrás, mas atualmente está inerte.

    Fonte: Jornalista ANA PAULA DA SILVA
    Jornal: VOZ DOS BACHARÉIS
    Data: 03/08/2016

    A/C dos Prefeitos, Vereadores, Bacharéis e Estudantes de Direito:

    O episódio ocorrido no Estado da Bahia, sobre a indignação do homem bomba, ocorrido no XX exame da OAB, poderá ocorrer também em outros estados.
    Os milhões de bacharéis em direito que não conseguem passar no exame da OAB, são considerados pela entidade, como “BURROS” e “FREGUESES” de seus certames. O exame da OAB não avalia qualificação de ninguém, esta fase já ocorreu no curso universitário antes da formação. É lamentável que o cidadão mesmo de posse de um diploma universitário, não ter condições de exercer sua profissão com dignidade.
    O exame da OAB, foi criado para fins de corporativismo e para arrecadar fundos sem pagar impostos e sem prestação de contas ao TCU e a ninguém, infelizmente a lei 8906/94, criou respaldo para esta afronta a nossa democracia.

    Brasília – DF, 03 de Agosto de 2016

    São Bernardo do Campo – SP, 03 de Agosto de 2016

    *João Batista Suave – Presidente Nacional da Marcha dos Bacharéis em Direito do Brasil, Sede: ES
    *Pedro dos Santos Cardoso de Freitas – Presidente Nacional dos Bacharéis Desempregados, Sede: SP
    *MOVIMENTO NACIONAL CONTRA O EXAME DA OAB

  12. Júlio César Fortes da Silva disse:

    Para mim depois dessa uma pessoa só merece o Nobel da Paz: VASCO VASCONCELOS.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s