‘Ele é pai de família, desempregado. É doloroso’, diz mãe de ‘homem-bomba’ da Unijorge. #FimDaReservaDeMercadoDaOAB


Os Ministros do STF rasgaram Constituição Federal ao suprimir o sagrado direito ao Trabalho que faz parte de nossa humanidade desde a aparição do homem na terra.

O Rapaz é chamado de louco. A loucura criada pelo estado de necessidade. Todos os que participaram deste ato que prejudicou milhões de pessoas carregam um duro Karma em suas alforjas.

Se acreditam que o apelo a Deus é o recurso de quem não em mais nada a fazer, os desafio a revogarem a Lei de Causa e Efeito e,  considerem todo o cosmos, a partir dai, saquem a medida de Vossa insignificância.

==================

Pai de dois filhos, Frank Oliveira da Costa perdeu oportunidade de emprego por não ter OAB, diz mãe. Ele passou a vender bala em ônibus

O nome de Frank Oliveira da Costa, 36 anos, foi associado a muita coisa, nos últimos dois dias: “homem-bomba”, terrorista, louco. Até de “Gengiman” (algo como ‘homem-gengibre’, em alusão às balas que carregava) foi chamado, nos memes na internet, pelos que têm um senso de humor politicamente incorreto ou moralmente questionável.

Nenhuma das alcunhas, na verdade, dava alguma noção de quem realmente era Frank, o homem que entrou na prova do exame da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Salvador, no campus da Unijorge, anteontem, dizendo portar uma bomba. Não há motivo para riso. Frank tenta ser advogado há anos – concluiu o curso de Direito, na mesma Unijorge, em 2006. Mas a tal carteira nunca veio. Fez a prova para conseguir o registro 14 vezes, segundo a OAB.

Frank se entregou após negociação
(Foto: Alberto Maraux/SSP)

Durante a negociação para se render, contudo, Frank disse ter participado do exame em 18 oportunidades. Por isso, não conseguia emprego. Para a própria mãe, que mora em Natal (RN) e falou com o CORREIO por telefone, o bacharel em Direito deveria ter sido levado para um hospital, depois de sair do prédio da faculdade.

“Ele é um pai de família, desempregado. Passou no concurso para trabalhar em Brasília, em 10º lugar, e perdeu de trabalhar por causa dessa OAB. Em vez de levarem ele pro médico, liberaram”, criticou a mulher, identificada apenas como Silene, antes de dizer que tinha condições de falar sobre o assunto e que ainda decidiria se viria de Natal para resolver a situação. “É doloroso”, desabafou.

Família
O próprio Frank morava na capital potiguar até três meses atrás, quando voltou para Salvador. Se mudou para lá há pelo menos dois anos e morava com a mãe, a irmã e o sobrinho no bairro de Ponta Negra. “Ele foi embora porque queria bater na mãe e na irmã, que tem esquizofrenia. A mãe dele sofre muito, é uma senhora já, muito velhinha. Dá pena. A gente sabe o que a irmã dele tem, mas não sabe o que ele tem”, contou uma vizinha. Aqui, segundo a polícia, ele mora em Itapuã.

Para a vizinha, Frank “era esquisito”. Não falava muito com as pessoas, que, por sua vez, também não costumavam falar com ele. Andava sozinho, às vezes de sunga, pela rua. Mais de uma vez, jogou água em pedestres que passavam pela calçada de sua casa. “Tinha um menino que passava pela casa dele e ele dizia que (o menino) estava manifestado, que ia queimar”, lembrou ela.

Histórico de tumulto
Em Natal, fez o exame de ordem seis vezes. O presidente da OAB no Rio Grande do Norte, Paulo Coutinho, confirmou a informação. Ele conta, inclusive, que o bacharel protagonizou um tumulto por lá, na última vez. Antes da prova, começou a xingar a OAB, mas foi acalmado pela comissão que aplicava o exame. “Ele se sentou, mas assim que recebeu a prova, começou a gritar novamente. Rasgou a prova, jogou no chão e foi embora. Não teve outro episódio grave. Das outras vezes, a comissão informou que ele chegava e fazia algum comentário, mas se continha”, contou Coutinho.

Frank foi aprovado em pelo menos um concurso e não pôde começar a trabalhar, por não ter o registro na OAB. Em 2010, entrou com um processo no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o Ministério da Saúde, requerindo que fosse empossado no cargo em que foi aprovado, na pasta. Ou, como diz a decisão, que alternativamente fosse “nomeado advogado”.

Na época, o então ministro do STF, Eros Grau, decidiu tornar a petição sem efeito, porque Frank não detinha “capacidade postulatória para ajuizar a reclamação” – ou seja, para defender ou postular pretensões em juízo. Ainda completou afirmando que o exercício da advocacia é prerrogativa de quem é regularmente inscrito na OAB. Frank também move uma ação contra a Prefeitura de Boa Saúde.

Créditos: Correio24horas

Esse post foi publicado em EXAME DE ORDEM e marcado . Guardar link permanente.

11 respostas para ‘Ele é pai de família, desempregado. É doloroso’, diz mãe de ‘homem-bomba’ da Unijorge. #FimDaReservaDeMercadoDaOAB

  1. José disse:

    Os pelotões de bandidos e corruptos que defendem a OAB e a FGV, agora querem atribuir à demência ao rapaz , com isso eles ficam livre de qualquer responsabilidade e passam a ser os bons Samaritanos. Até atestado de médico que não tem escrúpulo eles vão conseguir. Cuidado Doutor, para depois não fazer companhia para a turma do Mensalão e Petrolão. O cerco está apertando e a bandidagem estão indo para prisão. Não vão repetir os mesmos erros do PT, PMDB e seus aliados.

  2. José disse:

    E para aqueles defensores e arrogantes da OAB, não há no Brasil e nem nos Países de primeiro mundo alguém preparado para conter um ser humano injustiçado e enraivecido, antes que faça um estrago. Não se iludam, vamos evitar outras tragédias.

  3. José disse:

    Felizmente teve um final feliz, não houve vítimas com gravidade, mas serve como alerta e de reflexão para OAB, FGV e para as autoridades, que são os responsáveis por tudo isso que estão acontecendo. É apenas o começo, essa luta vem de anos, e os abusos continuam!
    Se algo mais grave acontecer os maiores responsáveis são: O Presidente em exercício, Congresso Nacional e o STF, estes tem o poder para mudar e corrigir essa vergonha nacional.
    No que se refere ao suposto terrorista , não houve crime, com fundamento no artigo 17 caput do Código Penal, no máximo uma contravenção penal com base no artigo 41 da lei das contravenções penais. Portanto, para aqueles que não conhece o direito e querem condenar e crucificar o Bacharel, aí esta o enquadramento legal. Só está faltando a OAB prestar conta com a justiça!

  4. JOSE MARIA DE AQUINO disse:

    Eu também sou Bel, em Direito, mas sou aposentado pelo Estado de MG. Fico triste por esse rapaz que tenta sua sorte, mas Deus irá abrir caminhos para ele. O TRISTE FIM SERÁ PARA QUEM TUDO FAZ EM NOME DO PODER TERRENO, TENHO PENA DESSA OAB. UMA HORA A IRA DE DEUS VIRÁ.

  5. VOCEÉBACHAREL disse:

    Homem bem vestido, boa aparência, porém olhar com profunda tristeza. OAB, ela esta na dela, condeno o Ministério da Educação, que assina e homologa um certificado, que é utilizado para e bullings.

    • José disse:

      Ilustre colega, o MEC não passa de uma figura decorativa e de um antro da corrupção, já investigado e provado pela Polícia. Ex: Carinho de mão para obras que custa R$ 70,00 na praça, eles do MEC estavam pagando R$ 700,00 por cada unidade. Aí fica a pergunta, que moral eles tem para cobrar algo de alguém .

  6. ANTONIO CARLOS disse:

    Realmente essa situação é vexatória, porém vislumbro que existe milhares de bacharel em direito, estão passando necessidades, que acreditou no curso, investiu seus parcos recursos, e não tem direito ao trabalho em função do sindicato, OAB, sem falar que existem milhares de pessoas com depressão, doentes, tendo seus sonhos frustrados pela OAB. Estou triste com essa situação! Que país é esse?

  7. Antonio Caser disse:

    Isso prova que estamos num país SEM LEI, isso é ABUSO DE PODER. Gente, eu ouço daqui, eles gritam: “ESTAMOS ACIMA DA LEI”, e ninguém faz nada para acabar com isso.

  8. JOCELINO disse:

    Sou bacharel em direito e Técnico em Agropecuária aposentado, data vênia quem viver verá, mais desespero e ansiedade, que traz esse Monstro chamado de EXAME DE ORDEM, que não capacita e nem qualifica ninguém. Como pode um simples Sindicato criar obstáculo do DIREITO de quem a faculdade já deu o veredícto final, como apto ao trabalho? Estamos num Brasil totalmente a deriva que não é observado e, é rasgado a todo momento a nossa CONSTITUIÇÃO FEDERAL. Graças a Deus fiz Direito para satisfazer o meu ego de ter um curso superior, destarte, assessoro o meu filho que é formado e tem OAB/SE, Esse LEVIATÃ TEM QUE SER EXTERMINADO. SE não rasgaram também a nossa gramática basta ver que advogado é todo bacharel em direito. Digo e repito assessoro gratuitamente, por satisfação pessoal. Sobrevivo com dignidade as expensas da minha aposentadoria de TÉCNICO EM AGROPECUÁRIA, com muito orgulho.
    Tenho dito.

  9. Veja em que ponto chegou esse colega Bacharel.Imaginem você formado,diplomado legitimamente pelo estado MEC e vem um lei absurda dizer que você não pode trabalhar.Pois é, existe aqui nesse imenso Brasil. Não vou aqui dizer palavrões ou coisa parecida, apesar desses legisladores que fecham os olhos perante esse ato inconstitucional praticado pela OAB ainda resistir. Agora, ainda acredito na justiça, tem que ter alguém que diga chega OAB, vocês não podem estarem a cima da lei, cumpra a nossa constituição.

    • Isso Tudo , deve-se, a Fruto de uma entidade sem credibilidade , sem respeito , é tudo o que tenho para falar .
      Aconselho ao Nobre Bacharel em Direito , a Processar esses Jornalistas que ficam lhe Difamando , não é Papel desses Jornalistas criticar, e muito menos da imprensa, ou a quem quer que seja , e sim fazer o seu trabalho que é noticiar , e só .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s