Jornalista responde presidente do IAB que defende Exame de Ordem, com artigo “OAB do Ministro” #FimDaReservaDeMercadoDaOAB


Responsive imageJúnior Gurgel(E) Jornalista,Técio Lins e Silva (D) presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB). (Foto: Arq/JF)OAB & CIA
Após ler uma matéria postada no site Justiça em Foco, em que o presidente do Instituto dos Advogados Brasileiros (IAB), Técio Lins e Silva, diz que: “Exame de Ordem dignifica a profissão e funciona como um fiscalizador dos cursos de direito”. Me sinto na responsabilidade de repudiar publicamente as palavras do presidente do IAB, e sair em defesa dos bacharéis em Direito do Brasil, disse jornalista Júnior Gurgel, ao enviar mensagem a nossa redação com o artigo de opinião intitulado “OAB do Ministro”.
 
O jornalista diz em defesa dos bacharéis em Direito – “O paradoxo é tão gritante, que o MEC “autentica” um método completamente dessemelhante do seu – sem nenhuma compatibilidade com sua grade curricular – privilegia estrangeiros, e pune os Bacharéis em Direito do Brasil, que cumpriram a risca toda a sua orientação, e até hoje permanecem sem poder advogar no seu país”, destacou o jornalista.
 
Confira a íntegra do artigo escrito por Júnior Gurgel.
 
“A OAB DO MINISTRO
           
O oportunismo cartelizado – que abomina a frágil meritocracia tupiniquim – tem sido parturiente das indecorosas “brasilidades”, deixando o mundo globalizado perplexo, diante de tantas excentricidades cometidas a luz da lei, e da lógica.
           
O ensino no Brasil, Constitucionalmente é regulamentado pelo Ministério da Educação. Começando pela primeira fase – Fundamental, alcançando o Médio e encerrando-se no Superior. Todo este percurso é seguido por políticas adotadas pelo MEC, que é responsável em “monitorar” o nível de conhecimento do aluno, ou aprendiz (Escolas Técnicas). Sem a chancela do Ministério da Educação – independentemente da Faculdade e o brilhantismo dos seus Mestres – nenhum formado estará apto a exercer sua profissão. Mas, existem as exceções esdrúxulas ou bem “brasileiras”, que desconstituem as regras, por mais claras que sejam. Equivocadamente deixam de serem “ressalvas”, e tornam-se “restrições”, quando passam a gozar do apoio conquistado através do lobby, junto aos Poderes Constituídos.
           
Anos a fio, os Bacharéis em Direito vem lutando para extirpar um “corpo estranho” instalado nas “entranhas” do MEC: a OAB. Alunos concluem cursos, e ficam impedidos de trabalharem, porque existe uma prova – extracurricular do curso – para torná-los competentes a ingressarem no mercado: Exame da Ordem. Por que não exigem este mesmo tipo de avaliação para todas as demais profissões, como a Medicina, por exemplo! Esta, que se vê hoje diante de um quadro crítico, quando se deparam com a importação de Médicos de Cuba e outros países Sul-americanos, cujos currículos e grau de aprendizados são completamente incompatíveis e inferiores ao nosso. Um Médico Cubano ainda não conhece antibiótico (os embargos econômicos desde 1963 impediram a Indústria Farmacêutica de levar para Ilha de Fidel as descobertas nesta área). Não sabem como prescrever ou sequer diagnosticar os resultados de uma Tomografia Computadorizada. Imaginem uma Ressonância Magnética? Ignoram literalmente todas as novas fórmulas fármacos, e seus efeitos colaterais. Mas, o MEC – cedendo às pressões políticas bolivarianas – não exigiu nenhuma prova de conhecimento para mais de doze mil profissionais que hoje atuam no Brasil, pondo em risco a vida de milhares de pessoas, que podem ser vítimas de erros ou danos irreparáveis. Simplesmente, “convalidaram” seus diplomas, o que se constitui num verdadeiro absurdo. Exceto Portugal – que examina o grau de aprendizado e atualiza seus conhecimentos – somente o Brasil e a África aceitam Médicos Cubanos, legitimando seus diplomas.
 
O paradoxo é tão gritante, que o MEC “autentica” um método completamente dessemelhante do seu – sem nenhuma compatibilidade com sua grade curricular – privilegia estrangeiros, e pune os Bacharéis em Direito do Brasil, que cumpriram a risca toda a sua orientação, e até hoje permanecem sem poder advogar no seu país. Todavia – observe-se a incoerência – lhes é facultado coroar sua graduação, com um “Doutorado” na Argentina. Curso a distância, que exigem apenas quatro viagens turísticas de quinze dias, durante dois anos. Documento de grande valia, como “prova de títulos”, que enriquecem currículos. É por esta e por outras desordens generalizadas e vergonhosas, que atrofiamos na qualidade do ensino. No “ranking” das grandes Universidades do mundo, até 2012, a USP ocupava o 200º lugar. Despencamos… Hoje não temos mais classificação.
 
Fechando o arco das aberrações, o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa, que teve uma brilhante carreira no Ministério Público, é um dos Doutores de Sorbonne (França) e renomado Professor de Direito no Brasil, quando resolveu abdicar da Presidência do Superior Tribunal Federal e advogar, a OAB quis negar seu direito de atuar. É risível… Não tinha feito à prova… Mas, concederam-lhes.
 
A Lei é para todos, e está acima de todos… Mesmo numa Monarquia (Inglaterra), que ontem festejou os oitocentos anos de Legislação, comemorando uma obra que inspirou todas as democracias do ocidente.
 
Na Câmara dos Deputados, tramita projeto discutindo os superpoderes da OAB e as garantias constitucionais do MEC. A ideia é nivelar a “Ordem” aos demais Conselhos que fiscalizam seus profissionais.
 
O Presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha, que vem democraticamente “desoxidando” a ferrugem do nosso anacronismo, antes de assumir o comando daquela casa legislativa, tinha um compromisso com os “Bacharéis” de lhes abrir espaço no mercado de trabalho. Afinal, pensando bem, o que é e ou qual é a utilidade hoje de um Bacharel em Direito no Brasil? Apenas exibir o anel e o diploma?     
Júnior Gurgel – Jornalista e comentarista político. Colabora com diversos veículos de imprensa, inclusive com a imprensa alternativa. 
        Fonte: Da redação (Justiça em Foco), por Carla Castro.

 

Esse post foi publicado em EXAME DE ORDEM e marcado . Guardar link permanente.

10 respostas para Jornalista responde presidente do IAB que defende Exame de Ordem, com artigo “OAB do Ministro” #FimDaReservaDeMercadoDaOAB

  1. José disse:

    O STF permite que os petistas e outros troque de partido durante o mandato. O PT está contaminado, é igual a OAB, tem que sofrer mudanças. Num saco de batatas, basta uma batata podre para contaminar o restante do saco. A OAB está podre só pensa no dinheiro das inscrições dos Bachareis e na reserva de mercado, é o famoso ganho fácil sem fazer nenhum esforço. Todas às denúncias contra a OAB tem que ser investigadas, nos mesmos moldes que foram feitas com o PT. CPMI , Policia Federal e MPF nas contas deles.

  2. Silva disse:

    A OAB em seus discursos diz que as Universidades formam Bacharéis em Direito e, ela forma Advogados.
    Para a OAB formar Advogados, teria que existir um curso de nível superior com a nomenclatura, e, a entidade ser uma Universidade e não um órgão de classe.

  3. José Sérgio Carneiro dos Santos disse:

    Em 18 de junho de 2015 15:29, “Inacio Vacchiano – Filósofo, jurista,

  4. FERNÂNCIO BARBOSA disse:

    não VAMOS DEIXAR DE FAZER O QUE TEM DE ER FEITO LUTAR CONTRA A PROVA A OAB E CRIAR OUTRO MECANISMO QUE POSSIBILITE AO ADVOGADO DO MEC AGIR COMO TAL

  5. ANTONIO LANGAS disse:

    AO EXCELENTÍSSIMO PRESIDENTE DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EDUARDO CUNHA:
    A/C DOS DEPUTADOS FEDERAIS, SENADORES E LÍDERES PARTIDÁRIOS
    A/C DA OIT(ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO)
    A/C DA COMISSÃO DE DIREITOS HUMANOS
    A/C DA CNBB(CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS BISPOS DO BRASIL)
    A/C DA VOSSA SANTIDADE PAPA FRANCISCO
    A/C DE TODAS ASSOCIAÇÕES DOS BACHARÉIS EM DIREITO
    A/C DOS ÓRGÃOS DE IMPRENSA NACIONAL
    A/C DA ASSOCIAÇÃO DOS PASTORES DO BRASIL
    A/C DA ASSOCIAÇÃO DOS PADRES DO BRASIL
    A/C DA UNE(UNIÃO NACIONAL DOS ESTUDANTES)
    A/C DA CUT(CENTRAL ÚNICA DOS TRABALHADORES
    A/C DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS CAMINHONEIROS
    A/C DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DOS PREFEITOS E VEREADORES DO BRASIL
    A/C DE TODOS OS GOVERNADORES DO BRASIL
    FUNDAMENTAÇÃO:
    OS BACHARÉIS EM DIREITO SÃO CONSIDERADOS ESCRAVOS PELA OAB/FGV
    OPINIÃO: ANTONIO MARCOS LANGA
    ATÉ QUANDO OS BACHARÉIS EM DIREITO CONTINUARÃO ESCRAVOS DO EXAME DA OAB. AS CHIBATADAS SÃO DADAS, QUANDO TENTAM AS PROVAS VÁRIAS VEZES. EXAME ESTE, QUE FOI CRIADO PARA REPROVAÇÃO EM MASSA. QUANTO MAIS SE REPROVA, SE ARRECADA. PROVAIS IGUAIS, NOTAS DIFERENTES.
    ANTONIO MARCOS LANGA
    PRESIDENTE NACIONAL DAS VÍTIMAS DO EXAME DA OAB/FGV

  6. RESOLUÇÃO Nº 75, de 12 de maio de 2009 do Conselho Nacional de Justiça
    “Art. 59. Considera-se atividade jurídica, para os efeitos do art. 58 parag. 1º, alínea “i”:
    I – aquela exercida com exclusividade por bacharel em Direito;
    Eu gostaria que alguém ou mesmo o CNJ me listasse as atividades jurídicas que podem
    ESSE
    Bacharel em Direito que usa capa de distinção no IAB Instituto dos Advogados do Brasil, favorável ao exame da ordem Lei 8906/94, dentro de curto espaço de tempo, vai responder no CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA –CNJ por negar eficácia ao artigo 59 da Resolução 75, de 12 de maio de 2009 reproduzido no tempo em destaque
    Podendo, também, ser alvo de noutras representações contra seu argumento esdrúxulo contra o direito do bacharel em direito de exercer sua atividade na advocacia
    Usa contra si mesmo injuria difamação e calúnia pela beca do diploma de bacharel conquistado em sua FACULDADE ou UNIVERSIDADE DE DIREITO. Onde em cerimônia pública recebe o seu diploma.
    Que brinca com “fogo” fica queimado. Membro do IAB
    BACHAREL em DIREITO. DIPLOMADO em 1.974
    JOÃO RIBEIRO PADILHA

    • Silva disse:

      O diploma de ”Bacharel em Direito” reconhecido pelo “MEC” não tem validade constitucional?. Afinal! Significa dizer que, somos uma Nação comandada por um único sistema o “sui generis” boa parte do, “O EXECUTIVO, LEGISLATIVO E O JUDICIÁRIO”, segue a Lei 8.906/94 (Estatuto da Advocacia), Criada pela “OAB”, e não Lei contida na Constituição Federal. ACORDA BRASIL!!!!!!!

  7. sandra disse:

    enquanto não mudar governo, também não vão mudar as coisas para os Bacharéis em Direito, pois estamos vivendo em um País anárquico, os brasileiros estão órfãos de governo, pois o que temos ocupando o lugar de poder neste País são todos ou quase todos, uns oportunistas, sem a menor vocação para governar, apenas se lambuzam com o que têm nas mãos, são uns incompetentes oportunistas, são homens e mulheres sem brios sem vergonha na cara, pode acontecer o que acontecer, desde que estejam com os bolsos cheios do dinheiro público o resto que se dane, e ainda têm a cara de pau de aparecer na telinha fazendo propostas desavergonhadas sem o menor escrúpulo, quase não mais existem pessoas de caráter, de valor moral, isto é extremamente lamentável, o ser humano perdeu o valor e não faz questão de tê-lo, o que ele faz questão de ter é dinheiro não importa a que preço.

  8. RESOLUÇÃO Nº 75, de 12 de maio de 2009 do Conselho Nacional deJustiça

    “Art. 59. Considera-se atividade jurídica, para os efeitos do art. 58 parag. 1º, alínea “i”:
    I – aquela exercida com exclusividade por bacharel em Direito;

    Eu gostaria que alguém ou mesmo o CNJ me listasse as atividades jurídicas que podem ser exercidas pelos bacharéis em Direito.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s