Os otários que ficam de pé no avião na hora do pouso!


Por estes dias peguei um avião em João Pessoa (Pb) com destino a Campo Grande (MS) com conexão (neologismo à baldeação dos ônibus) em Brasília (DF).

Na hora do embarque chamaram as pessoas portadoras de necessidades especiais, gestantes, idosos, deficientes mentais e outros afins.

A fila ficou com mais de 50 metros.

Acreditem, sobrou minha pessoa, minha consorte e um senhor sentado em frente a nós que comentou:

– Está grande,  a fila dos necessitados especiais!

Havia inclusive um candidato a Governador e três outros políticos na fila.

Então começamos e tentar entender quem eram as grávidas, os idosos, os deficientes mentais…

Depois foi a fila dos que se sentariam no fundo do avião.

É que se colocassem primeiro os da frente iria barrar o caminho para os do fundo e o embarque demoraria mais.

A fila ficou quase do mesmo tamanho e tivemos a impressão que não fora vendido passagens para o lado da frente ou os passageiros ainda não tinham chegado.

Alguém deve ter benzido a fila da frente, pois ninguém queria ficar lá…

Queriam a fila das poltronas do fundo.

Então pensei: Sou um cara de sorte, tenho o bilhete premiado…

Ao descer em Brasília o piloto disse com aquele vozeirão típico:

  • Portas em manual.

IMG_20140825_090449Imediatamente levantou-se quase todos os passageiros e foram para os corredores e ficaram em pé ali por cerca de dez a quinze minutos.

Os que não conseguiram ficar em pé no corredor ficaram em pé em suas poltronas mexendo o pescoço para aliviar o torcicolo.

Ocorre que em uma situação normal os que estão na frente saem primeiro abrindo o caminho para os que estão atrás.

Mas no presente caso todos queriam sair ao mesmo tempo usurpando o direito de quem está mais a frente e o resultado foi aquela muvuca no corredor.Um tropeçando e se esbarrando no outro, se travando mutuamente.

Parecia desespero de um avião que estava em chamas prestes a explodir.

Como de costume fico sentado esperando o tumulto passar. Mesmo porque os que vem atrás  – vem numa velocidade… – como quem está na via principal de uma rua e para entrar no corredor haverá com certeza uma colisão.

Após passar o último passageiro, em poucos segundos pego minha bagagem de mão e com a maior calma do mundo desço para pegar as malas.

Vou apreciando a paisagem desde o alto da escada do avião, caminho sob aquele vento, que vem sem a resistência dos prédios e encho gostosamente os meus pulmões com ar.

Ando tão calmamente como quem está em um passeio no bosque.

Mas quando chego ao saguão adivinhem só com o que eu me deparo?

Aquele bando de otários que estavam em pé no avião, agora, estão todos em volta do carrossel das bagagens se acotovelando esperando sabem o que?

Trazerem as malas e ligarem a esteira!!!

Então procuro um lugar para sentar e espero até que aqueles que estão com o intestino solto peguem sua bagagem e liberem um pouco de espaço.

Enquanto isto vou dando tchauzinho e um abraço simbólico àqueles que me aguardam do lado de fora.

Esse post foi publicado em Diversos. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s