Candidato do 10° Exame de Ordem faz greve de fome em frente à OAB #FIMEXAMEOAB #examedeordemINCONSTITUCIONAL #CPIdaOAB


  • Antônio Gilberto da Silva, 47, faz greve de fome em frente à OAB em Brasília Antônio Gilberto da Silva, 47, faz greve de fome em frente à OAB em Brasília

Desde a última terça-feira (6), a sede Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil, em Brasília, conta com um novo “morador”. Trata-se de Antônio Gilberto da Silva, 47, que há mais de 50 horas só toma água, refrigerantes e soro. O bacharel em direito protesta contra a forma de correção do Exame da OAB e pede a anulação de itens da prova deste ano.

COMO É O EXAME DA OAB

O Exame de Ordem da OAB é dividido em duas partes. Na primeira, a prova tem 80 questões de múltipla escolha. Para ir à segunda fase, é preciso acertar no mínimo 50% das questões.

Na segunda fase, o candidato pode escolher entre as provas de direito administrativo, civil, constitucional, empresarial, penal, do trabalho ou tributário. A prova é composta por quatro questões e uma peça processual, que é a criação de um argumento para um caso hipotético

Passa ser aprovado, é preciso alcançar a média 6.

Gilberto, que mora em São Paulo, decidiu iniciar a greve de fome após a OAB decidir manter o gabarito final do 10º Exame de Ordem Unificado, realizado no dia 16 de junho.

“Cheguei aqui no domingo e participei dos protestos com outras cem pessoas. Depois da injustiça gritante desse exame, decidi parar de comer”, diz.

Para realizar o protesto, Gilberto conta com a ajuda de outros bacharéis de direito. “Uma pessoa sempre fica as noites comigo para o caso de eu passar mal. A barraca e o colchão que tenho usado também foram emprestados. E sempre alguém me traz bebidas. Peço refrigerante pela quantidade de açúcar que tem, me mantém menos debilitado”, diz.

Manifestante diz que correção de exame foi “porca”

Neste ano, Gilberto havia prestado a prova para direito do trabalho na segunda fase do exame. O manifestante se diz prejudicado na prova. “Algumas respostas minhas estão iguais às do gabarito, mas mesmo assim foram zeradas. A prova foi corrigida de forma porca. Os recursos não foram avaliados, tanto que as respostas foram todas padronizadas”, afirma.

Ele afirma que foram questões sobre conteúdos de fora do edital no exame deste ano e pede a anulação da peça (entenda como é o exame da ordem no quadro ao lado) exigida na segunda fase da prova. “Não tínhamos informação suficiente para fazer a peça. Exigimos a anulação delas e a aplicação dos pontos aos alunos”, diz.

O grupo que Gilberto participa denominado “Comissão de Injustiçados em Direito do Trabalho na 2ª Fase do 10° Exame da OAB” também pede transparência em relação a detalhes de como é feita a prova. “Queremos saber quem são os examinadores da banca, se são da FGV ou de uma empresa terceirizada. Queremos saber quais são os critérios de correção”, diz Gilberto.

A prova deste ano foi organizada pela FGV. Dos 124.951 inscritos, 33.965 foram aprovados – uma taxa de 28,08%.

Outras greves de fome

Não é a primeira vez que o manifestante realiza uma greve de fome. Em 2005, quando trabalhava na Fundação Casa, Gilberto fez duas greves de fome: de 14 dias em São Paulo e de 22 dias em Brasília. Na época, ele conseguiu alcançar o objetivo de se encontrar com a então ministra do STF, Ellen Gracie.

Até o momento, nenhum representante da OAB foi conversar com o manifestante sobre possíveis negociações. Porém, o bacharel em direito diz que não pensa em acabar com a greve de fome enquanto a prova deste ano não for revista. Durante uma hora de conversa, disse umas cinco vezes a frase “só saio daqui morto ou com o direito adquirido”.

A assessoria de imprensa da OAB foi procurada para comentar sobre o protesto, mas não foi encontrada.

Fonte: educacao.uol

Esse post foi publicado em A Marcha dos Bacharéis, Direito e justiça, EXAME DE ORDEM e marcado , , . Guardar link permanente.

4 respostas para Candidato do 10° Exame de Ordem faz greve de fome em frente à OAB #FIMEXAMEOAB #examedeordemINCONSTITUCIONAL #CPIdaOAB

  1. sandra disse:

    é isso aí Elço, bem lembrado, porque o MP, não toma atitude em relação ao OAB, será que não vê, essa baita extorsão, e o que é pior, extorquindo de quem não está trabalhando, é ridículo o valor cobrado para fazer o exame de ORDEM, e o MP que foi defendido pelo povo, nada faz para retribuir o feito, está vendo os bacharéis serem lesados em seus interesses, com essas taxas absurdas e simplesmente cruzam os braços, como quem diz, não tenho nada com isso, presta atenção MP, 50,00 reais, é mais que suficiente pela quantidade de pessoas que fazem esse famigerado exame que não classifica ninguém como bom jurista, eu já disse e digo de cadeira, fui ludibriada fui prejudicada extremamente por advogados que passaram no exame da ORDEM, uns por falta de ética e outros por falta de ética e conhecimento jurídico, o que interessa e importa para a OAB não é por profissional competente na praça, mas sim como já disse é encher as burras de dinheiro, é o bolso deles que conta e não competência jurídica, quer enganar quem? as autoridades estão dormindo ou fingem que estão, qual é a pergunta, levam vantagem ou não se importam com os desmandos da OAB.

  2. santos disse:

    estamos com voces.

  3. jorge disse:

    Bachareis em Direito que residem em Brasilia e cidades satélites. Vocês que estão ai pertinho, vão dar um apoio ao colega que está em greve de fome em frente a OAB Federal. não sejam covardes, eu moro muito distante dai, se pudesse já estaria ai para fazer pressão nesses canalias covardes que querem a todo custo continuar com esse exame que ja perdeu sua credibilidade, Presidente do Conselho Faderal da OAB. seja coerente, acabe com esse exame, ou passe a bola para o MEC. Vocês não tem mais moral para continuar à frente desse exame.

  4. Elço Ferreira dos Santos disse:

    Esse conselho administrado por advogados que fazem parte de uma panelihinha, que só tem um objetivo ,fazer reserva de mercado. Forma ilegal que fere normas juridicas, tal procedimento já deveria ser visto pelo MPF, que dorme em berço esplendido, e os bachareis de direito foram para as ruas em apoio a PEC 37.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s