Manifestação de Bachareis em Dracena-SP contra o #examedeordemINCONSTITUCIONAL #FIMEXAMEOAB #CPIdaOAB


Eu na manifestação desta manhã de sábado, em Dracena-SP! Muitos não entenderam. Muitos não concordaram. Porem, muitos não sabem a verdadeira face desta corrupta e nefasta Ordem!! A sociedade esta acordando e logo irão conhecer a verdadeira face do lobo em pele de cordeiro. #OABGuardiãDaCorrupção A ordem, também é favorável á PEC-37, por motivos que a ela interessa.

fimexamedracena

Quase foram assaltados na passeata contra a OAB.
No mundo, há todos os tipos de batedores de carteira, com diversos níveis de habilidade. No nível mais baixo estão os oportunistas simples. Esses batedores de carteira não usam qualquer técnica especial; simplesmente, procuram pessoas que assumem atitudes vulneráveis. Por exemplo, frequentemente universitários estudam em áreas públicas com aglomeração de pessoas e deixam suas mochilas abertas. Um batedor de carteira simplesmente senta-se perto do estudante e alcança a mochila da vítima. Oportunistas também procuram pessoas que dormem no exame de ordem e pessoas que esperam adquirir a carteirinha vermelha da OAB.

fimexamedracena1

Esse post foi publicado em A Marcha dos Bacharéis, EXAME DE ORDEM e marcado , , . Guardar link permanente.

10 respostas para Manifestação de Bachareis em Dracena-SP contra o #examedeordemINCONSTITUCIONAL #FIMEXAMEOAB #CPIdaOAB

  1. Elço Ferreira dos Santos disse:

    O advogado que defende o exame da oab, esqueceu que um dia ele foi bacharel, e a grande maioria não fez o famigerado exame atual, com grau de diculdade exatamente como as provas igual a de promotor, da defensoria e até mesmo das provas da magistratura.
    A prova do meu argumento é que aprovação gira entorno de 7%,existe um estudo na Alemanha que determina que numa prova em que aprovação seja menor que 25%, o defeito é na prova e não dos a ela se submetem.
    Os bachareis de direito atual não são burros, são injustiçados para que a oab faça reserva de mercado e mantenha o exame que rende um bom dinheiro para entidade, para os cursinhos e muito provavel a alguns palamentares e quem sabe em alguns tribunais. Voce, advogado, não é burro me diga,.
    o exame fere ou não fere o principio da isonomia, seja justo e não condene os bachareis que um dia foi voce.

  2. Tiago Leme Meneghin disse:

    OBB= ORDEM dos BACHAREIS BURROS.

  3. Ana Ester disse:

    Não aguento mais esperar que alguém realmente faça alguma coisa de verdade. A OAB tem tanto poder que ninguém consegue derrubar.
    O tempo está passando e estamos perdendo muito tempo.
    Essa prova é realmente uma vergonha e eu sinto que o jeito é ninguém fazer mais essa prova, se isso acontecer a OAB não tem como recadar o nosso dinheiro e seria o jeito de acabar realmente com essa vergonha.

    • Tiago Leme Meneghin disse:

      Ninguém faz nada porque todos sabem que o exame de ordem é transparente, objetivo, necessário e constitucional. Só os bachareis é que discordam disso. Se tão somente abrissem os livros, já estariam com a carteira. O exame de OAB é poético, pois ele é a garantia de proteção ao cidadão!

    • Bruna disse:

      #VemPraRua!!!

  4. Elço Ferreira dos Santos disse:

    É com essa forma que vamos tirar desse conselho totalitario, esse direito que não não seu e sim do omisso MEC, vamos lutar e fazer passeata em frente ao MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO (MEC). para que êle reveja a situação que colocou os bachareis de direito, sendo humilhado por esse conselho totalitario, que se infiltrou no parlamento (camara e senado), assim como tambem no STF que é um rtribunal politico e não juridico.

    • Tiago Leme Meneghin disse:

      Esse direito era do MEC, mas como o MEC não o exerce, HOUVE PRESCRIÇÃO/DECADÊNCIA/PEREMPÇÃO do mesmo…. A OAB, ante a omissão deliberada do MEC, acertadamente tomou para si esta atribuição. É claro que nós advogados, preferíamos ver o MEC cumprindo suas atribuições, mas como este órgão nada faz para fiscalizar o ensino jurídico, então a OAB, aguerrida e destemida como sempre, se viu na obrigação de salvar o ensino jurídico pátrio e tomou para si função que deveria ser exercida pelo omisso MEC. Assim, o MEC se beneficia (os preguiçosos passam a ter uma atribuição a menos) e a OAB também, pois a Ordem, entidade séria, transparente e 100% louvável, é pau para toda obra. A OAB prefere apenas representar os advogados brasileiros (sua função original), mas ante a omissão do MEC a OAB abraça com alegria e coragem a dura e árdua missão de fiscalizar e vigiar com rigor o ensino jurídico brasileiro.

  5. Maria Mendes disse:

    Vamos lutar contra a injustiça, R$ 200 (duzentos reais ) para realizar uma prova com limite de aprovação… se aprova muito na primeira fase, estatisticamente não há anuladas para não aumentar mais ainda… não importa os recursos, teses, discursos… não anula e pronto…Se consegue passar no funil da primeira e na segunda reprova ….eita… volta pra primeira fase…paga mais R$ 200…milhões de bacharéis sem poder trabalhar porque ou é concursado na área jurídica ou é advogado para poder trabalhar… e nós coitados.. vítimas … não podemos atuar em nada, somos apenas bacharéis… desempregados e obrigados a sustentar a OAB…
    Vamos fazer pressão, pedir ajuda para a presidente Dilma, pra ela pagar a taxa de incrição de todos os bacharéis que é o sustento da OAB…

    • Tiago Leme Meneghin disse:

      Maria, a senhora só pode estar de brincadeira não? Pagar R$200,00 é injusto? Desde quando? O valor estipulado é muito, muito justo. R$200,00 está é muito barato. Você paga R$200,00 e terá a honra de se tornar advogada! Uma das profissões de maior status. Uma das profissões mais nobres. Uma das profissões mais admiradas! E ainda diz que R$200,00 é muito? Deixe de ser hipócrita mulher, R$200,00 é um ótimo preço. Sou advogado e semana passada até enviei um e-mail para o Conselho Federal propondo dificultar mais este exame, pois o mercado exige profissionais qualificados e preparados. Quem não passa nessa provinha tem mais é que procurar trabalhar em outra coisa. Propus 120 questões ao invés de apenas 80. E propus também, na segunda fase, a peça profissional + 8 questões que exijam conhecimento doutrinário, jurídico e jurisprudencial. Também propus, que na segunda fase, o bacharel não mais possa levar vade mecum. Sou a favor da proibição do vade mecum na segunda fase. Tem que fazer a peça profissional e responder as questões dissertativas SEM VADE MECUM. Também propus no e-mail que enviei ao Conselho, subir o valor da taxa para PELO MENOS R$350,00. Na verdade estou pensando em organizar abaixo-assinado na minha região, coletar assinaturas de advogados favoráveis às mudanças acima expostas. Conheço dezenas – talvez centenas – de advogados que são favoráveis às medidas acima expostas. O exame precisa ser dificultado, a OAB precisa ter certeza da qualidade dos que em seus quadros se inscrevem. E a taxa de R$200,00, devido à inflação, precisa ser reajustada para pelo menos R$300,00.

  6. LUIZ GONZAGA FERREIRA disse:

    Vendo todo esse movimento no tocante a mais um concurso (X E.O.) para OAB, quero deixar consignado comentário postado hoje, a saber:

    Nesse ínterim tentei fazer o exame de ordem, mas fui reprovado na 1ª fase (obtive 34 pontos) e em função da operação, não pude prestar novo exame.
    Em maio de 2012, prestei novo exame e obtive aprovação na 1ª fase (43 pontos), ficando em êxtase, junto com minha família, mas minha alegria durou pouco pois na 2ª fase (eu optei por tributário), Fui reprovado ZERANDO minha peça (entendi ser cabível anulatória com antecipação de tutela) e apresentaram uma MS com liminar.
    Interpus recurso e, em apenas uma e mísera linha, confirmaram que o espelho apresentado pela banca (MS) estava correto e, isto posto, indeferiram meu recurso.

    Resposta da banca ao meu recurso “Peça corretamente corrigida conforme o padrão de gabarito divulgado”.

    Ainda, insatisfeito, mas esperançoso acessei a correção da prova e para minha surpresa tinham corrigido e aplicado nota final 1,5 (um e meio) em minha peça. Confrontando as correções do MS, minha 1ª correção (ZERO) e a 2ª (1,5) pude perceber a incoerência na aplicação das faixas de valores, consideradas sempre para baixo, o que com um pouco de boa vontade eu poderia obter minha aprovação, visto que por zelar na construção da peça, quase perco o tempo para as repostas das demais questões.
    Apresentei minha peça a alguns “colegas advogados” e foram unânimes em apontar que minha peça estava bem estruturada, limpa e não traria nenhum prejuízo ao meu cliente, atendendo perfeitamente aos seus anseios.
    Qual não é a minha surpresa ao tomar conhecimento de que no IX Exame de Ordem, a banca examinadora considerou a confecção das duas peças, ou seja, MS e/ou Anulatória, sendo que a mesma situação já tinha ocorrido no IV Exame de Ordem,com aceitação das duas peças pela banca examinadora.
    Agora no X Exame de Ordem a situação se repete, na prova de tributário, a vontade de complicar era tão grande que os examinandos não sabiam qual peça confeccionar.

    NÃO FIZ CURSINHO, MAS PARA ACOMPANHAR A TENDÊNCIA DOS EXAMES DITADA PELOS SEUS DONOS, COMPREI O LIVRO DO SR. DR. PEDRO BARRETTO (2ª FASE -TRIBUTÁRIO) ANO 2012, QUE NAS PÁGINAS 453/454, ORIENTA QUE NA AÇÃO DE ANULATÓRIA A FUNDAMENTAÇÃO A SER APRESENTADA É – ARTS. 273, 282 E 585, § 1º, DO CPC, ART. 151, V, C/C O ART. 156, X, DO CTN E ART. E ART. 38 DA LEI 6830/1980.

    Agora vejo em manchete que a reunião no CFOAB durou duas horas. A professora comunicou que a OAB, irá receber novamente, para entregar um dossiê que vem sendo redigido a nível nacional, com apoio do ” professor PEDRO BARRETTO “, na próxima quarta-feira (26/6), às 11 horas na sede do CFOAB, disse Christina Barreiros.

    Tal professor é o mesmo de quem comprei sua obra e acabei reprovado e agora vai apoiar um dossiê que será apresentado à nível nacional pelo CFOAB, viu só professora Christina Barreiros.
    Por quê não consegui aprovação?
    Tenho toda documentação para e aguardo que seja aplicado o princípio da isonomia e a mais pura justiça.
    Continuo desempregado, minha esposa que ainda é monitorada pelo INCA chora pela minha situação, estou morando com meus pais e vivo num quarto (eu, minha esposa e meu filho de 18 anos), não tenho mais carteira de estagiário e estou nesse hiato criado pela OAB, ou seja, não posso exercer a profissão que escolhi e que se houvesse um pouco de boa vontade da banca examinadora eu poderia ser aprovado e não mereço essa expiação e como os feudos da OAB passam para a mídia a numerosa reprovação é devido ao despreparo das faculdades.
    Não sou vagabundo e como relatado toda prova da Ordem é essa bagunça.
    Esse é um desabafo desesperador, tendo em vista não ter condições psicológicas e financeiras para participar de novo exame.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s