Senador Pedro Taques: Traído por ser Promotor de Promotor de Justiça #FIMdaCORRUPÇÃO


Pedro Taques foi meu professor de Direito Constitucional quando estudava no Instituto LFG para prestar concurso para Promotor de Justiça ou Procurador da República.

Estava entre os Professores mais inteligentes e pessoa mais distinta que já vimos. Realmente o Promotor de Justiça estava encarnado em sua pessoa.

Com sua vitória no Senado a teríamos a garantia de que a PEC 37, também conhecida como a PEC DA IMPUNIDADE teria um infeliz destino. Mas bandido não coloca Promotor no Poder.  Então colocaram Renan Calheiros, denunciado por peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso.

Nos Brasileiros tivemos uma das mais tristes derrotas nestas eleições para a Presidência do Senado. O que ocorreu ali não foi uma representação da vontade popular já que o movimento ficha limpa organizado pela ONG AVAAZ conseguiu 338.628 assinaturas para que isto não ocorresse.

http://www.avaaz.org/po/ficha_limpa_no_senado_renan_nao/?bqWpXbb&v=21559

As eleições para o Senado e para a Câmara dos Deputados não costumam chamar tanta atenção quanto as dos Chefes do Executivo e a população ainda vota pela aparência, por dinheiro. A compra de votos não foi erradicada no Brasil. Com dinheiro se consegue o poder. Então a expectativa de mudanças é muito gradual, embora já venha ocorrendo. A Lei Ficha limpa e o julgamento do Mensalão deu um grande choque na classe política, contudo eles estão no poder; podem alterar a Lei e é ai que mora o perigo.

 

Pedro Taques sofreu pelo menos dez traições

A disputa pela presidência do Senado, ninguém ignorava, era jogo jogado. O próprio azarão Pedro Taques (PDT-MT) abriu seu discurso assim: “É como um perdedor que ocupo hoje esta tribuna…” (veja acima). Porém, o triunfo de Renan Calheiros (PMDB-AL) –56 votos contra 18— foi vitaminado por pelo menos dez traições.

A votação foi secreta. O colegiado de 81 senadores, que já era pequeno, ficou ainda menor, já que três senadores faltaram à sessão. Dos 78 presentes, dois votaram em branco e dois anularam seus votos. Com apenas dois candidatos, a votação mixuruca obtida por um deles facilitou a identificação dos ‘Cavalos de Tróia’.

Contados os votos, os partidários de Taques debruçaram-se sobre a lista de senadores. Os dados que serão mencionados a seguir resultam dessa avaliação informal. O PSDB, por exemplo, havia declarado apoio formal ao adversário de Renan. Prometera a Taques uma mercadoria que não tinha para entregar: a unidade.

Dos onze senadores tucanos, a turma dos independentes contabilizou apenas cinco: Alvaro Dias (PR), Aécio Neves (MG), Aloysio Nunes Ferreira (SP), Cássio Cunha Lima (PB) e Paulo Bauer (SC). Os outros seis ciscaram para fora do ninho.

Um deles, o tucano Mário Couto (PA), avisara na véspera: “Não voto em promotor” (Taques é ex-procurador da República). Segundo as suspeitas do grupo pró-Taques, serviram-se da dissimulação os seguintes bicos: Flexa Ribeiro (PA), Cyro Miranda (GO), Lucia Vânia (GO), Cícero Lucena (PB) e Ruben Figueiró (MS).

À distância, atuaram na infantaria de Renan dois governadores do PSDB: Marconi Perilo, de Goiás; e Teotonio Vilela Filho, de Alagoas. Mercê das adesões oferecidas na sombra, o PSDB manteve o apoio do PMDB e Cia. para acomodar na Mesa a ser presidida por Renan o tucano Flexa. Ocupará a primeira secretaria, espécie de prefeitura do Senado.

Consumada a derrota de Taques, o presidenciável tucano Aécio Neves disse que “o PSDB tomou a posição correta”. Como assim? “O partido foi no caminho da preservação da instituição.”

Alheio às traições, Aécio acrescentou: “Não podemos ter o Poder Legislativo, em especial o Senado da República, sob questionamentos, seja do ponto de vista ético ou também da subordinação excessiva que temos tido em relação ao Poder Executivo. Por isso, optamos pela candidatura do senador Pedro Taques.”

O grupo anti-Renan identificou silvérios até no PDT, o partido de Taques. Dona de cinco votos, a legenda entregou no máximo três ao “seu” candidato: além do próprio voto, Taques obteve os de Cristovam Buarque (DF) e Acir Gurgacz (RO). Marcaram o nome de Renan na cédula João Durval (BA) e Zezé Perrela (MG).

Do PMDB, partido de Renan, estima-se que Taques tenha obtido apenas os votos de dois notórios dissidentes: Jarbas Vasconcelos (PE) e Pedro Simon (RS). Na avaliação do grupo, não se confirmou o voto de Ricardo Ferraço (ES), que insinuara preferência por Taques nos diálogos subterrâneos.

Dos quatro votos do DEM, suspeita-se que tenha descido ao cesto de Taques apenas o de José Agripino Maia (RN), líder e presidente da legenda. Optaram por Renan: Maria do Carmos Alves (SE), Jayme Campos (MT) e Wilder Morais (GO), o suplente que virou titular após a cassação de Demóstenes Torres.

Conta daqui, calcula dali, os quatro votos do PSB do governador pernambucano Eduardo Campos foram escriturados como fieis ao compromisso assumido com Taques. São eles: Lídice da Mata (BA), Rodrigo Rollemberg (DF), Antonio Carlos Valadares (SE) e João Capiberibe (AP).

Fechando-se as contas, Taques amealhou cinco votos do PSDB, três do PDT, dois do PMDB, quatro do PSB e um do DEM. No total, 15. Pela lista do grupo dito “independente”, completaram os 18 votos os seguintes senadores: Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Ana Amélia (PP-RS) e Armando Monteiro (PTB-PE).

Fonte: josiasdesouza

Esse post foi publicado em Direito e justiça, Notícias e política e marcado . Guardar link permanente.

5 respostas para Senador Pedro Taques: Traído por ser Promotor de Promotor de Justiça #FIMdaCORRUPÇÃO

  1. Helena Nunes disse:

    Ratos e ratos, gatos e gatos todos hienas sorridentes, sangram a população brasileira, suga até o tutano.

    Revolução Civil, Já!

    • JOSE MARIA DE AQUINO disse:

      É preciso mobilizar a população do mesmo modo que fizeram com o Fernando Collor de Melo. O nosso país carece de uma Autoridade que tenha que tenha peito não para recheio de silicone, que tenhas cabeça não para encher de laquet, mas que tenha coragem para combater o bom combate e ouvir o grito dos desnutridos democraticamente. O povo pode votar e o povo pode também retirar do governo o mal governo. Fomos enganados com o fato de baixar a conta de luz e, em contrapartida sofremos o aumento dos combustíveis que irá levar para a mesa dos mais pobres o aumento da fome que já existe sob uma mentira de que o país vai bem. Não adianta punir os ficha sujas se eles voltam ao poder descaradamente, nos chamando de otários, pois acreditamos em tudo o que os políticos dizem. Balelas, balelas, balelas e mais balelas. Eis a questão.

  2. O OLHO DE HONRUS disse:

    SAUDADES DA DITADURA MILITAR … O PIOR, É QUE, TUDO SE PASSA COM O AVAL DA OAB. OU SEJA, OS BANDIDOS DO LEGISLATIVOS, É AMIGO DA ORDEM DO OBA-OBA.

  3. JOSE MARIA DE AQUINO disse:

    Caro Doutor Pedro, renomado Promotor pela ética, pela honestidade, tava na cara que o Brasil seleciona os maus políticos, os ficha sujas e, dai quem sai perdendo somos todos nós que gritamos por socorro, mas não se entristeça porque se o voto fosse do povo certamente o Senhor seria o presidente do senado. O POVO DO SEU LADO VALE MUITO MAIS DO QUE ESTA MEIA DUZIA DE FICHA SUJAS.

  4. JOSE MARIA DE AQUINO disse:

    Agora faço novamente a tradicional pergunta ao povo brasileiro: O BRASIL É UM PAÍS SÉRIO?
    TAI O PORQUE DOS POLÍTICOS NÃO GOSTAREM DA DITADURA MILITAR. POR MIM PODIA VOTAR ESSE REGIME. PAIS SEM VERGONHA TEM DE SER DIRIGIDO POR LINHA DURA.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s