Maranhão respira com a renúncia de Lewandowski. E a família Sarney como fica?


O povo sofrido do Maranhão tem boas razões para estar feliz hoje, pois o mininstro do STF que dava cobertura as falcatruas a família Sarney e seus políticos subservientes e corruptos pediu renúncia.

 

Você sabia que enquanto a taxa média de comissão aos políticos e corrupção em geral no Sul do Pais gira em torno de 20% a 30% nos estados do nordeste a roubalheira atinge de 70% a 100%.

Pois é acredite se quiser, mas há muitas pontes construídas no papel mas que fisicamente não existem. O mesmo ocorre com o asfaltamento das estradas ruas saneamento.

 

 Na construção civil é comum os construtores fazerem calçamentos e inclusive construtoras grandes fazem o saneamento básico porque o governo não faz e se não regularizar estes itens a SUDEMA não libera as construções.

Presenciei prefeituras que roubam tanto que os pacientes tinham que comprar por conta própria dipirona, e médicos não tinham luva para fazer cirurgia…

 

Lewandowski sempre dava cobertura a estes políticos safados em conluio com a família Sarnei, de forma que muitos destes bandidos permanecem no poder até hoje.

A população do Maranhão hoje torce pela morte do Sarney para que os caminhos se abram e este Estado deixe de ser o mais pobre da federação. Vocês podem até não acreditar, mas sempre que ele tem uma crise de saúde há muita espectativa em seu Estado.

Agora vejam a matéria:

Lewandowski renuncia a seu mandato no TSE

Minutos antes da ministra Cármen Lúcia tomar posse na presidência do Tribunal Superior Eleitoral, o presidente anterior, ministro Ricardo Lewandowski, além de deixar o cargo, deixou também seu posto como ministro no TSE. Na tarde desta quarta-feira (18/4), Lewandowski enviou ofício ao presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Cezar Peluso, comunicando sua renúncia ao mandato, que estava programado para se estender por mais um ano, até o dia 5 de maio de 2013.

Membro da corte eleitoral desde 2006, quando foi eleito ministro substituto, Lewandowski teve sua posse como presidente do TSE, em 2010, marcada pela presença dos então presidentes da República, Luiz Inácio Lula da Silva; do Senado, José Sarney; da Câmara dos Deputados, Michel Temer; e do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes.

Lewandowski foi responsável por organizar o processo eleitoral de 2010 e estava à frente do tribunal quando a corte atendeu o clamor popular e decidiu que a Lei da Ficha Limpa teria validade para aquele pleito. A decisão só foi derrubada em 2011 pelo Supremo Tribunal Federal.

No lugar de Lewandowski no tribunal entra o ministro Dias Toffolli, especialista em Direito

Eleitoral. Revista Consultor Jurídico, 18 de abril de 2012

Esse post foi publicado em Direito e justiça. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s