OS MNBDs se unem contra o exame de ordem – UMA GRANDE ALIANÇA NACIONAL.


O Presidente do MNBD/OABB Dr. Reynaldo Arantes nos informou nesta quinta feira que todos os grupos que combatem o exame de ordem estão se unindo em uma única liga.

A única exceção refere-se ao grupo gaúcho MNBD-Brasil que permanece veiculando mensagens em que afirma que é o “verdadeiro MNBD”. Este permanece isolado e se recusa a se relacionar com as demais entidades.

A este respeito veja nossa matéria:

MNBD-Brasil – “a pulga que quer ser dona do cachorro…”

Deste modo, a fim de que o movimento possa ser triunfante no dia da concentração, do julgamento no STF, pedimos aos colegas que se associem apenas as entidades que fazem parte da aliança.

Citamos no link adiante a relação dos integrantes com seus endereços:

Organograma e endereços do MNBD Organograma do MNBD – Todos

Informamos ainda que embora entidades como MNBD-OABB já estejam praticamente representados em todo território nacional, algumas das outras entidades ainda precisam preencher seus quadros regionais (Presidentes locais) como no caso da entidade Bacharéis do Brasil do Colega Willyan Johnes que é um integrante forte e ativo, mas precisa completar seu quadro a fim de trazer Bacharéis de todos os Estados para o dia do julgamento.

Vamos ajudar os colegas, filiem-se a Ordem dos Bacharéis do Brasil do Colega Willyan Johnes para preencher as Presidências vacantes.

Por fim, deixo um trecho do comunicado do Presidente do MNBD/OABB encaminhado a nosso sítio:

“Desta forma, o MNBD/OABB está interligada e interagindo com TODOS os grupos de colegas que agem contra o exame de Ordem, com a exceção acima:

ONGs Mãos Limpas e Brazil No Corrupt dos colegas Ricardo e Fábio;

Federação dos Bacharéis do Brasil do Colega Willyan Johnes,

Bacharéis em Ação das colegas Mag e Lene,

Movimento Brasil de Bacharéis e Acadêmicos em Direito (MBBAD) do colega Júlio Velho, Movimento Democrático Estudantil (MDE) do colega Ponce de Leão,

Associação Brasileira de Bacharéis em Direito (ABBDIR) do colega Raul Cabral

e outros grupos de colegas que agem de forma independente, como O Inácio Vacchiano com seu site, o Vasco Vasconcelos com seus artigos nos jornais de todo o Brasil, a Zulmira de MG, Alexandre do RJ e tantos outros colegas que divulgam para listas imensas – algumas com mais de 2 mil contatos – de emails…

Com todos nos relacionamos, trocamos informações e interagimos em busca do mesmo ideal:

O fim do exame de ordem.

Como o grupo gaúcho do Itacir Flores e Emerson Rodrigues – que ainda usa o MNBD como nome e copia nosso símbolo oficial, só que na cor verde e amarela (a nossa cor é preto e vermelho) – querem usar o movimento para se promoverem politicamente (os dois são assessores de parlamentares) visando se elegerem a algum cargo, eles que sigam seu caminho solitário.

Os demais grupos tem caminhos diferentes, mas falam a mesma língua, tem a mesma meta e brigam apenas contra os atuais líderes da OAB por causa do ilegal e imoral exame de ordem…

Ok???? Abraços… Afinal, união democrática é isto, cada um no seu caminho, todos pelo fim do exame…

Reynaldo”

#examedeordemINCONSTITUCIONAL – hashtag contra o exame de ordem.

Esse post foi publicado em A Marcha dos Bacharéis, EXAME DE ORDEM e marcado , . Guardar link permanente.

24 respostas para OS MNBDs se unem contra o exame de ordem – UMA GRANDE ALIANÇA NACIONAL.

  1. Guilherme disse:

    Ainda sou estudante e estagiário mas de um certo modo não posso deixar de concordar com um ponto do exame que seria justamente filtrar competência, vejo todos os dias em minha sala por exemplo alunos que já não demonstram: 1 aptidão 2 moral para um dia serem advogados, claro que o exame tem sim que ser aplicado de forma correta e honesta as questões devem sim estar de acordo com as normas vigentes etc.. mas ao conversar por ai vejo muitos que são contra o exame por pura COVARDIA e preferência pelos BARES na frente das universidades do que pelas aulas, acho que a obrigação do todos que almejam exercer a profissão devem fazer por merecer, inclusive sou a favor que se instaure exames para casos como medicina e engenharia e para aqueles que não se garantem em apenas mais uma prova, sinto muito.

  2. PR. DR. EUDES LIMA disse:

    REINALDO MEU AMIGO VEJA UMA NOTICIA BOMBA QUENTINHA DA HORA.

    OLHA BEM MEUS AMIGOS O QUE ESTA ACONTECENDO COM A OAB. AQUI NO MATO GROSSO DO SUL. AQUI SE RESOLVE OS ASSUNTOS É NA PORRADA. VEJAM QUE TIPO DE ORDEM ISSO NA REALIDADE É UMA DESORDEM. Alias SERÁ QUE NO BRASIL TODO É ASSIM. NÃO TENHO MUITA DUVIDA.

    Troca de socos e agressões verbais interrompem reunião da OAB/MS
    Zana Zaidan e Edivaldo Bitencourt
    Imprimir
    Share on email
    43
    Sessão da OAB-MS terminou com ânimos exaltados e conselheiros separando briga (Divulgação)
    A reunião do Conselho Estadual da seccional de Mato Grosso do Sul da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) foi interrompida, na manhã de hoje, por socos, troca de ameaças e briga entre os conselheiros. O conselheiro estadual Carlos Magno Couto chegou a empurrar e dar socos em Carmelino Rezende, ex-presidente da Ordem, 68 anos. Copos e papéis foram arremessados. A briga avançou e um dos advogados abriu a porta de emergência do plenário, levando a confusão para o pátio da OAB. A situação foi tão grave, que funcionários se esconderam no banheiro com medo da confusão.
    O episódio é mais um desdobramento do isolamento do presidente da seccional, Júlio César Rodrigues. As divergências na diretoria tiveram início quando Júlio César Rodrigues foi contratado por Alcides Bernal(PP) para advogar em favor do município, mesmo com o prefeito respondendo a processos éticos na entidade. As ações do presidente culminaram no pedido de intervenção do Conselho Federal na seccional, questão que estava na pauta da sessão, junto com a criação de uma comissão para averiguar despesas contratadas por Júlio César sem a anuência dos demais conselheiros – o que viola o regimento interno da Ordem – e outros assuntos internos.
    Segundo o secretário-geral da OAB-MS, Jully Heyder Souza, desde o início da sessão Júlio César não queria colocar a pauta em votação e, por isso, a sessão foi suspensa por 15 minutos. “Ao voltarmos, parecia que tudo ia caminhar bem, mas o Carlos Magno continuou tentando impedir a votação e não deixava ninguém usar a palavra”, relata.

    O advogado Carmelino Rezende saiu da sessão depois de ser agredido (Foto: Divulgação)
    Carmelino, então, se pronunciou, tentando organizar a sessão, e Couto respondeu de forma desrespeitosa. Segundo outro ex-presidente da OAB/MS, Carlos Marques, Carmelino foi chamado de “velho” que “não enxergava mais”.
    Ele teria rebatido o conselheiro, cobrando respeito, quando Couto, que estava sentado na outra extremidade da mesa de reuniões, se levantou e acertou dois socos em Carmelino, que tentou se defender e ambos acabaram caindo no chão. Copos e papéis foram arremessados, e uma mesa derrubada.
    Os membros presentes separaram a briga e tentaram acalmar os ânimos. Marques acredita que como a pauta tratava de assuntos “desagradáveis” para Júlio César, Couto, como um dos poucos apoiadores do presidente que restaram dentro do Conselho, tentou tumultuar a sessão, impedindo a votação. “Está uma situação insustentável. O atual presidente criou uma diretoria paralela, toma decisões sem consultar mais ninguém e, caso o Conselho Federal não acelere a solicitação de intervenção na entidade, vamos recorrer a Justiça”, acrescenta Marques.
    No Facebook, ele postou que a entidade “vive o pior momento da sua história”. “Por sorte, eis que fomos alvos de diversos ataques verbais pelo Conselheiro agressor, que descontroladamente e em defesa dos atos ímprobos do Presidente Julio, disparava palavras insanas e agressivas contra todos, indistintamente”, afirmou.
    Boletim de ocorrência – Carmelino Rezende disse ao Campo Grande News que prefere não se pronunciar sobre a agressão, mas afirmou que 21 dos 32 conselheiros da Ordem registram boletim de ocorrência na 3ª Delegacia de Polícia da Capital. Procurado, Carlos Magno não atendeu aos telefonemas da reportagem.
    Carlos Marques afirmou que o caso será encaminhado para o Conselho Federal da OAB. “Vamos agora exigir uma postura rápida do Conselho Federal, único com competência para tirar o tirano da OAB, que precisa afastar de suas atribuições o Presidente Julio Cesar. Não é razoável que ele conduza os destinos da Ordem depois de tudo o que fez e contra a vontade de toda a administração”, atacou, em postagem na rede social.
    “Não é razoável que fiquemos reféns dessa situação e de um único advogado. Não é razoável que tenhamos que renunciar coletivamente depois de conquistar o mandato coletivamente nas urnas, quando apenas o Presidente fez um contrato fraudado para ganhar dinheiro público e ainda tenta dar um GOLPE na OAB”, frisou.
    “Basta. O Presidente precisa ocupar sua posição de réu e sair da OAB. Nós advogados não podemos continuar reféns desse ditador e que só acaba com a história da nossa Instituição. O simples fato da maioria maciça da administração estar contra o Presidente demonstra o quanto rápido o Conselho precisa agir e retirá-lo da presidência da Ordem”, defendeu, aumentando a crise na instituição, que durante décadas foi referência no combate à corrupção e na cobrança do cumprimento da Constituição no País.

    VEJAM OS COMENTÁRIOS ABAIXO.

    Saiba Mais
    Diretoria da OAB/MS cobra Julio César e quer CNJ no caso “guerra de liminares”
    Afastamento de Julio Cesar “não é golpe”, afirma secretário da OAB
    Conselho Federal da OAB instaura processo ético contra Julio Cesar
    Presidentes de subseções da OAB-MS convocam reunião, mas Julio Cesar barra
    Julio Cesar é eleito a prefeito com 52,31% dos votos, em Paranhos
    Imprimir
    Share on email
    43
    Depois falam que a polícia é truculenta. Belo exemplo de democracia. kkkkkkkkk

    Renato Pereira em 21/02/2014 15:41:05
    É uma vergonha!!! Este presidente da OAB e seus contratos os quais não conheço o conteúdo mas se não forem ilegais são com certeza imorais, pelas circunstâncias; Onde está a ÉTICA este Sr. dava aulas em universidade deveria ter respeito se não com ele mesmo com as demais pessoas que por acaso não são de tudo IDIOTAS.
    Boa sorte a OAB

    JOSE AUGUSTO REIS DE LACERDA em 21/02/2014 15:39:40
    Eita maravilha, por onde este prefeito passa causa bagunça e confusão, na minha vida nunca vi um administrador transformar a casa legislativa numa baterna sem fim, mandando ir ate o local comissionados, comunitários que estão nomeados em seu gabinete, pessoas ligadas a movimentos onde só existe desorganização e ate mesmo secretários faltarem com respeito os vereadores e agora gostaria de saber por qual motivo contratou o presidente da AOB/MS defender uma causa que se quer é especialistas e mais ainda, gostaria de saber por que este defensor do Julio Cesar queria tumultuar a reunião? por onde anda a maquina as pessoas fazem de tudo para continuar do lado dela, por que sera?

    Leandro Fernando em 21/02/2014 15:38:31
    Depois esses mesmos advogados são contratados para defender um ou outro que perdeu a cabeça e partiu para a agressão física

    Alex André de Souza em 21/02/2014 15:20:47
    Se a situação esta feia com advogado fica melhor, quer dizer pior. Irresponsável este Carlos Magno. Pelo jeito que as coisas andam nossas instituições faliram, principalmente as instituições ligadas a justiça. Isto é uma vergonha.

    Samuel K. Ramos em 21/02/2014 15:20:32
    existe somente uma palavra pra tudo isso… PALHAÇADA…

    Rose Farfan em 21/02/2014 15:17:36
    Ah… Esses “adevogados”…

    Juliana Maldonado em 21/02/2014 15:10:12
    Se há suspeita de coisas flaudulentas dentro da ordem onde será que vai ter honestidade- se são eles que pregam e vive a moralidade na pele, a população fica sem chão para pisar, oque esta faltando para os homens publicos deste país são ética, patriotismo e respeito para com o usuário contribuit

    claudeci candido barbosa em 21/02/2014 15:09:06
    Esses sao os advogados que defendem os cidadaos? Bando de anti éticos que envergonham a classe.

    Paulo Sergio em 21/02/2014 14:55:39
    é baixaria pra todos os lados……UMA VERGONHA!!!!

    ELIO SANTOS em 21/02/2014 14:52:09
    Seriam cômicos se não fossem trágicos esses fatos que tem acontecido na OAB. Uma das últimas instituições com credibilidade e seriedade neste país, se prestando a um papelão desse, com esse tipo de gente e de atitudes… é o cúmulo do absurdo! Envergonha a classe e entristece o povo pois se nem aqueles que deveriam zelar pelas leis, pelo Estado Democrático de Direito estão fazendo as coisas corretamente, o que exigir do leigo, do homem médio? Nossa cidade vai de mal a pior e nosso país também segue neste mesmo rumo…

    Roger Lopes em 21/02/2014 14:50:42
    Gente, esse ai da foto é o professor Claudio Guimarães da UCDB??

    Amaraline garcia em 21/02/2014 14:48:41
    Nem ao céu e tampouco à terra. A atual gestão não tem a mínima condição de permanecer à frente da administração da OAB. Nem o Júlio e nem os seus ex-companheiros que ajudaram a elegê-lo. Intervenção do Conselho Federal e convocação de novas eleições seria o melhor caminho.

    Edir Viégas em 21/02/2014 14:48:23
    Envie seu Comentário
    Os comentários feitos no Campo Grande News são moderados. Antes de escrever, observe as regras e seja criterioso ao expressar sua opinião. Não serão publicados comentários nas seguintes situações:
    1. Sem o remetente identificado com nome, sobrenome e e-mail válido. Codinomes não serão aceitos.
    2. Que não tenham relação clara com o conteúdo noticiado.
    3. Que tenham teor calunioso, difamatório, injurioso, racista, de incitação à violência ou a qualquer ilegalidade.
    4. Que tenham conteúdo que possa ser interpretado como de caráter preconceituoso ou discriminatório a pessoa ou grupo de pessoas.
    5. Que contenham linguagem grosseira, obscena e/ou pornográfica.
    6. Que transpareçam cunho comercial ou ainda que sejam pertencentes a correntes de qualquer espécie.
    7. Que tenham característica de prática de spam.

    O Campo Grande News não se responsabiliza pelos comentários dos internautas e se reserva o direito de, a qualquer tempo, e a seu exclusivo critério, retirar qualquer comentário que possa ser considerado contrário às regras definidas acima.

    VEJAM O QUE FALOU O EX PRESIDENTE CARLOS MARQUES. E VÁRIOS OUTROS COMENTÁRIOS.

    LAMENTAVELMENTE A IMPRENSA COMO A GLOBO NADA FALA DISSO.

    Carlos Marques com Renata Corona Zuconelli e outras 19 pessoas
    Amigos,
    Hoje a OAB/MS viveu o pior momento de sua história.
    O Ex-Presidente e Ex-Conselheiro Federal da OAB, Carmelino de Arruda Rezende, foi covardemente agredido dentro da sede da OAB/MS, durante uma sessão oficial do Conselho.
    Instalada a sessão do Conselho Seccional, o Presidente Julio Cesar, que dos 32 Conselheiros Estaduais contava com o apoio de oito, flagrantemente abriu a sessão com o propósito de não votar as matérias em pauta e tumultuar a sessão para que a mesma fosse suspensa.
    Registra-se que a pauta foi deliberada em reunião de Diretoria, da qual o Presidente não participou sem justificativa e embora presente na sede da Ordem.
    Durante a discussão da ata, o Presidente a toda hora interrompia e cassava a palavra dos Conselheiros, deixando claro que não permitiria qualquer votação.
    Como seu guardião nomeou o Conselheiro Carlos Magno Couto (Caíto), que na primeira oportunidade em que falou ameaçou a todos os Conselheiros. Aliás, atitude que ele já tinha tomado nas sessões de outubro e dezembro, quando fez ameaças e agressões a diversos conselheiros, inclusive a mim.
    Indagado por Conselheiros se ele estava fazendo uma ameaça, ele disse que “cada um devesse entender como quisesse”.
    Quando pedida questão de ordem pelo Ex-Presidente Carmelino de Arruda Rezende, indagando de quem seria a palavra, já que o Cons. Carlos Magno não deixava ninguém falar, o que era acobertado pelo Presidente Julio, ele disse que o Carmelino não estava entendendo que a palavra estava com ele porque era um velho e não enxergava mais.
    O Carmelino pediu respeito ao Conselheiro, ao que ele se levantou, saiu correndo em direção ao Carmelino, no outro lado da sala, e passou a socá-lo, mesmo com ele caído no chão, numa atitude das mais horríveis e inexplicáveis.
    Diversos Conselheiros seguraram o agressor. Em decorrência disso, o Presidente Julio, chegando onde queria, encerrou a sessão.
    Eu e o Conselheiro Federal Leonardo Avelino Duarte não estávamos presentes à sessão. Por sorte, eis que fomos alvos de diversos ataques verbais pelo Conselheiro agressor, que descontroladamente e em defesa dos atos ímprobos do Presidente Julio, disparava palavras insanas e agressivas contra todos, indistintamente.
    Impressionante a estratégia criada pelo Presidente Julio. Cercou-se de 4 ou 5 advogados e está conduzindo a Ordem à revelia de todos. Não tem o apoio do Conselhelho Estadual Titular e Suplente, do Conselho Federal Titular e Suplente, do TED, da ESA, da CAA, das Comissões e do Colégio de Presidentes de Subseções e que tocar a Ordem sozinho, como se fosse o rei dos advogados. Logo nós, advogados, defensores da cidadania e do Estado Democrático de Direito, ter que nos submeter a isso é demonstração inequívoca do caos.
    Para garantir sua estratégia, o Presidente adotou a postura de não convocar as reuniões e quando elas se instalam ele arruma uma forma de encerrá-las. Hoje o fez através de seu coronel de batalha, Carlos Magno Couto.
    Estamos fazendo representação criminal contra o Conselheiro, por ameaça e por agressão.
    Estamos representando eticamente contra ele e contra o Conselheiro Diego Neno Rosa Marcondes por ter, durante a sessão, chamando um dos Diretores da ESA para apanhar fora da sessão.
    É inadmissível que isto tenha ocorrido. O pior é que o Presidente usa essa estratégia para continuar conduzindo os destinos da Ordem, um órgão eminentemente colegiado, sozinho e sem dar satisfação para ninguém.
    Vamos agora exigir uma postura rápida do Conselho Federal, único com competência para tirar o tirano da OAB, que precisa afastar de suas atribuições o Presidente Julio Cesar. Não é razoável que ele conduza os destinos da Ordem depois de tudo o que fez e contra a vontade de toda a administração.
    Não é razoável que fiquemos reféns dessa situação e de um único advogado. Não é razoável que tenhamos que renunciar coletivamente depois de conquistar o mandato coletivamente nas urnas, quando apenas o Presidente fez um contrato fraudado para ganhar dinheiro público e ainda tenta dar um GOLPE na OAB.
    Basta. O Presidente precisa ocupar sua posição de réu e sair da OAB. Nós advogados não podemos continuar reféns desse ditador e que só acaba com a história da nossa Instituição.
    O simples fato da maioria maciça da administração estar contra o Presidente demonstra o quanto rápido o Conselho precisa agir e retirá-lo da presidência da Ordem.
    Curtir • • Compartilhar • há 6 horas •

    • Elaine Cler Alexandre Santos e outras 117 pessoas curtiram isso.
    • 35 compartilhamentos
    • 51 de 55
    Visualizar comentários anteriores

    Jackeline Fernandes Infelizmente Midiamax relata o ocorrido de outra forma.
    há 6 horas • Curtir • 2

    Andréia Juliana Andreuzza Vicentini Duarte Lamentável!
    há 6 horas • Curtir • 1

    Edilson Magro Só ia dar nisso mesmo.
    há 6 horas • Curtir

    Tânia Conceição Brum Decadência e falta de respeito..espero que o Carmelino esteja bem, abraços. Anda faltando argumentos para o nobre colega agressor, provavelmente.
    há 6 horas • Curtir • 3

    Paulo Lotário Junges a matéria do Midiamax é um exemplo de mau jornalismo. Redigida para desinformar e inculcar a idéia de quem foi o culpado. Não informa quem iniciou a agressão física. Não informa que conselheiros estavam presentes. Não informa quantos conselheiros se situavam num e no outro campos. Enfim, matéria de encomenda de quem paga por jornalismo rastaquera, infelizmente tão comum em nossas plagas.
    há 5 horas • Curtir • 13

    Marcelo Dallamico VERGONHA NACIONAL!!!!!!!!
    há 5 horas • Curtir

    Edilson Magro Falta de diálogo, pessoas intransigentes, e a classe fica com vergonha do que está acontecendo.
    há 5 horas • Curtir • 1

    Marcio Fortini Coloque umas camêras na OAB e vc terá um autentico BBB.
    há 5 horas • Curtir • 4

    Alvani Gomes da Silva VXX
    há 5 horas • Curtir

    Alvani Gomes da Silva ONDE TA A JUSTICA.
    há 5 horas • Curtir

    Celso Pereira Da Silva Pereira A agressão física a qualquer conselheiro seria intolerável, mas a agressão física ao Dr. Carmelino de Arruda Rezende, um homem que pode ser considerado um patrimônio da advocacia, sem duvida uma reserva moral, nos enluta e nos enche de vergonha.
    há 5 horas • Curtir • 16

    Jamil Schelela existe jornais e jornais…e como toda ESTORIA tem três versões,,,, a terceira sempre não ‘e a real. Explicando, toda historia tem 3 versões, a MINHA, a SUA e a VERDADEIRA.
    há 5 horas • Curtir

    Sandro Oliveira Antes era amigo do Bernal, agora é ditador, o que virá a seguir?…E assim se vai tentando transformar uma MENTIRA em verdade! Antes repetia-se a “verdade” por panfletos e discursos de massa, hoje o canal são as mídias sociais, mas o objeto continua o mesmo, cambiar a verdade pela falácia, apoderando-se dos incautos.
    há 5 horas • Curtir • 1

    Christiane Interlando Que absurdo.
    há 5 horas • Curtir

    Keulla Portela Uma vergonha p nossa classe….justo a classe q
    há 5 horas • Curtir

    Marcelo Dantas Vergonha!!
    há 5 horas • Curtir • 1

    Luiza Faccin “A violência é o último refúgio do incompetente.” Isaac Asimov.
    há 5 horas • Curtir • 7

    Herthe Brito Que baixaria essa OAB…
    há 5 horas • Curtir

    Márcio Saldanha Lamentável
    há 5 horas • Curtir

    Gustavo Corrêa Bezerra de Araújo O como está a saúde do Carmelino?
    há 5 horas • Curtir • 1

    Thiago Guerra Vocês o colocaram lá sob o argumento de que os outros candidatos não prestavam, agora nos faça um favor, tire-o de lá, assim como todos os que estão nos envergonhando!!!
    há 5 horas • Curtir • 6

    Carlos Marques Paulo Lotário Junges, O Carmelino e todos os demais Conselheiros estão na Delegacia fazendo BO. O Carmelino pela agressão física e os demais pela ameaça, já que o Carlos Magno Couto fez ameaça expressa a todos os Conselheiros presentes.
    há 5 horas • Curtir • 7

    Walesca Cassunde Lamento profundamente Carlinhos. Estou chocada com a situação que se criou. Viramos alvo de chacota. Agora as pessoas perguntam se tem que fazer aulas de boxe para ingressar na ordem. E o Carmelino? Ele não merece passar por isso. Se eu fosse aGlaucia Regina Piteri, faria tudo para afastá-lo dessa vergonha. Minha solidariedade para ele e Gláucia.
    há 5 horas • Curtir • 4

    Murilo Marques http://www.campograndenews.com.br/…/troca-de-socos-e…/ms

    Troca de socos e agressões verbais interrompem reunião da OAB/MS
    http://www.campograndenews.com.br
    A reunião do Conselho Estadual da seccional de Mato Grosso do Sul da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) precisou ser interrompida na manhã de hoje (21) depois que os ânimos se exaltaram em plena sessão, com troca de ameaças e agressões verbais. O conselheiro estadual Carlos Magno Couto chegou a emp…
    há 5 horas • Curtir

    Carlos Marques Jackeline Fernandes, Tânia Conceição Brum,Gustavo Corrêa Bezerra de Araújo e Walesca Cassunde, o Carmelino está bem. Está registrando BO. Levou vários socos na cabeça porque caiu quando empurrado pelo Carlos Magno. Realmente ele não merecia passar por…Ver mais
    há 4 horas • Curtir • 10

    Carlos Marques Sandro Oliveira, como já disse anteriormente aqui mesmo, não fosse você sócio do Presidente e o principal interessado no contrato que ele firmou com o Município, fraudulentamente, o que, aliás, já foi reconhecido pela Justiça, que chamou o contrato de imoral, ilegal e antiético, eu debateria essa questão toda com você. Pelo seu interesse financeiro na questão, prefiro não constrangê-lo.
    há 4 horas • Curtir • 8

    Walesca Cassunde É. Erraram feio desta vez.
    há 4 horas • Curtir • 1

    Jader Rezende A advocacia não merece este tipo de coisa.A OAB pertence aos advogados.Os mandatários lá estão de passagem.A OAB é eterna.
    há 4 horas • Curtir • 6

    Noely Vieira Triste, muito triste e extremamente lamentável toda esta situação. Me sinto envergonhada por estar sendo obrigada a conviver com um presidente que não representa o pensamento da advocacia, que atua como um ditador insensato, cercado de pessoas insanas,…Ver mais
    há 4 horas • Curtir • 8

    Rodrigo Madureira de Pinho MMA!
    há 4 horas • Curtir

    Tucky Bulls Absurdo!
    há 4 horas • Curtir

    Sandro Oliveira Carlos Marques, você sabe que NÃO sou sócio do presidente, entãooo… e dizer que sou o principal interessado é ridículo, é uma risada nervosa. Essa sua resposta destemperada só confirma o que eu disse acima. Mas tudo bem, convenci-me de vez que o colega não consegue debater sem falaciar ou agredir. Fique em paz!
    há 4 horas • Editado • Curtir

    Carlos Marques Sandro Oliveira, achei que você fosse sócio. O Presidente só se refere a você dessa forma. E quando ele te nomeou para a banca do concurso do Ministério Público Especial do Tribunal de Contas (e o outro sócio de vocês, Danilo, para o concurso do Tribun…Ver mais
    há 4 horas • Curtir • 8

    Suely Barros Vieira Lamentável ouvir esta notícia!
    há 4 horas • Curtir

    Rodrigo Madureira de Pinho A História do Contrato com o Bernal é uma das coisas mais imbecis dos últimos tempos. Será que o Julio foi tão inocente para não perceber que tava sendo usado nessa disputa entre o parque dos poderes e a Afonso Pena! kkk Já estive até perguntando ao Ca…Ver mais
    há 4 horas • Editado • Curtir • 3

    Luiza Faccin

    há 4 horas • Curtir

    Sandro Oliveira Carlos Marques, mais uma vez sou obrigado a dizer. Você SABE que não sou sócio do Júlio César Souza Rodrigues, e que tenho uma sala no mesmo prédio que ele em condomínio, como inúmeros advogados na cidade que têm salas em condomínio e NÃO são sócios. Q…Ver mais
    há 3 horas • Curtir

    Sandro Oliveira Obrigado Luiza por confirmar o que eu disse.
    há 3 horas • Curtir

    Caroline Karmouche Lastimável!!
    há 3 horas • Curtir • 1

    Soraya Carvalho Epelbaum Lamentável!
    há 3 horas • Curtir • 1

    Celso Pereira Da Silva Pereira Não há emenda, o Carlos Couto não honrou o “Magno” de seu nome, foi covarde ao esmurrar um advogado idoso, conselheiro nato, cobrindo a OAB de opróbrio.
    há 3 horas • Curtir • 8

    Luiza Faccin Dr. Sandro Oliveira, com o devido respeito, peço que não distorça minha intenção. A manipulação é inócua quando o ‘outro lado’ é perfeitamente capaz de enxergar a realidade. Tenho nossos colegas advogados em alta conta. Não os subestimemos. São nossos …Ver mais
    há 3 horas • Curtir • 7

    Fernando Friolli Pinto Vergonha.
    há 3 horas • Curtir • 5

    José Armando Urdan Muito nos entristece a situação por que passa a nossa gloriosa OAB- Seccional Mato Grosso do Sul. Quantos Presidentes e Conselheiros já passaram por ali, cada um deles deixaram a sua marca, de muitas lutas e glorias em prol da nossa classe e do cidadão…Ver mais
    há 2 horas • Curtir • 8

    Abrao Razuk Li estarrecido o fato acontecido em nossa casa-oab.ms.Li a informação dada pelo conspícuo colega Carlos Marques.Nunca fui omisso em nada.Porém,esse fato me entristeceu demasiadamente.É imperioso por um basta nisto.Esses fatos maculam a gloriosa OAB.O C…Ver mais
    há 2 horas • Curtir • 3

    Ricardo Domingos NADA justifica a agressão ao Dr. Carmelino. Parabéns a toda Diretoria e Conselheiros que lutam pela intervenção imediata na OAB/MS em razão da balbúrdia e dos desmandos do atual presidente. Decepcionante!!!
    há 2 horas • Curtir • 5

    Youssif Domingos II Hoje um episódio triste, amanhã pode ser uma tragédia. Conselho Federal precisa decidir urgentemente, sob pena de ser cúmplice num desfecho que conduza a um cenário doloroso para todos. Os caminhos apontam para isto, infelizmente. Os respeito que a OAB tinha da sociedade, se foi. Que ao menos reste o respeito aos colegas.
    há 2 horas • Editado • Curtir • 8

    Duilio Piato Colega!!! Se estou triste e estarecido com o que vinha ocorrendo na OABMS, agora fiquei pasmo!!! Além de se ter que respeitar a idade do Colega Carmelino, por questão de edução de berço… Deve enorme respeito ao Advogado pelas lutas que sempre travou em prol da OABMS e de toda a Advocacia do País.
    há 2 horas • Curtir • 2

    Pinheiro Mario Vergonhosa e deprimente a atitude do Caito.
    há ± 1 hora • Curtir • 3

    Humberto Sávio Abussafi Figueiró CD O MARCO TULIO….
    há ± 1 hora • Curtir • 1

    Josiberto Lima A OAB, com toda história de lutas pelo debate democrático e civilizado não pode tolerar essa situação constrangedora.
    há ± 1 hora • Curtir • 1

    É PRA ACABAR ESSA ORDEM É UM REFLEXO DA NACIONAL. UM DIA EU DISSE QUEM VIVER VERÁ O QUE É A OAB.

    ÉIS A PERGUNTA SERÁ QUE VALE A PENA FAZER PARTE DE UMA INSTITUIÇÃO COMO ESSA OAB?

    OLHA MEUS AMIGOS;
    OUTRA MATÉRIA INTRIGRANTE . POIS AINDA HÁ PESSOAS SEM ESCRÚPULOS QUE APÓIAM ESSE FAMIGERADO EXAME E CONSEQUENTEMENTE O CRIME DE ESTELIONATO EDUCACIONAL, PRATICADO PELO GOVERNO, ATRAVÉS DO MEC. E O CRIME DE GENOCIDIO, PRATICADO PELA OAB, E PELO GOVERNO E PELO STF, QUANDO DA PROVIMENTO AO RECURSO, E NÃO CONHECE. A SUA VISIVEL E LATENTE PATENTE, INCOSNTITUCIONALIDADE.
    PR. EUDES LIMA.

    Eduardo Cunha propõe fim da taxa do Exame de Ordem
    Imprimir
    Enviar por email
    Facebook<182
    Twitter<32
    Google+<0
    O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) propôs nesta quarta-feira (19/2) o fim da taxa de inscrição no Exame de Ordem, obrigatório para advogar no país. A isenção, válida para estudantes, foi incluída no relatório da Medida Provisória 627/2013, que trata de mudanças nas legislações tributária e contábil.
    Segundo o deputado, apesar de não estar previsto inicialmente no texto enviado pelo governo ao Congresso, trata-se de um assunto de natureza tributária, tema pertinente à MP. Cunha (foto) disse que considerou a dispensa da taxa diante das dificuldades financeiras dos estudantes e afirmou que não se trata de propor o fim do Exame da Ordem.
    Essa, entretanto, não é a primeira vez que Eduardo Cunha tenta colocar um tema sobre a prova da Ordem dos Advogados do Brasil em um norma que nada tem a ver com a advocacia. Em outubro do ano passado, ele incluiu na Medida Provisória que criou o Mais Médicos uma emenda que extinguia o Exame de Ordem. A proposta foi rejeitada por 308 votos contra 46.
    O presidente do Conselho Federal da OAB, Marcus Vinícius Furtado Coêlho, criticou a atitude do deputado de inserir matéria sobre a OAB em um texto que não tratava inicialmente do assunto. "A OAB confia no tirocínio da ampla maioria do Congresso brasileiro, que não aceita legislar com atitude de vindita", disse Marcus Vinícius, lembrando a derrota do deputado na tentativa de extinguir o Exame de Ordem com outro "jabuti" — como é chamada a inserção de norma alheia ao tema principal em um projeto de lei.
    Para o presidente da OAB, o destino da nova tentativa será o mesmo. "Os deputados não aceitam emendas impertinentes com a matéria principal. A ampla maioria do Congresso não concorda com esse tipo de procedimento", afirma. Com informações da Agência Câmara.
    *Texto alterado às 20h59 do dia 19 de fevereiro de 2014 para acréscimo.
    Imprimir
    Enviar por email
    Facebook<182
    Twitter<32
    Google+<0
    Revista Consultor Jurídico, 19 de fevereiro de 2014
    Leia também
    • 17/02/2014 Estado do Ceará lidera taxa de aprovados no Exame de Ordem da OAB
    • 10/02/2014 126 faculdades chumbaram na OAB. O que dizem os cursinhos preparatórios?
    • 03/02/2014 Direito Empresarial é a área com menor índice de aprovação no Exame de Ordem
    • 16/01/2014 Marcos da Costa: Exame de Ordem é avanço na qualificação do advogado
    • 09/10/2013 Câmara dos Deputados rejeita proposta para acabar com Exame de Ordem
    Comentários de leitores: 5 comentários
    20/02/2014 13:31 Leandro Melo (Advogado Autônomo)
    Eu gostaria era de não paga minha anuidade
    Não me serve de nada!
    Uma instituição que não só permite, mas também tem na sua cúpula, boa parte de advogados que exploram advogados sobre a denominação de Associados, ou com salários ridículos, que destrói qualquer possibilidade de criação de um sindicato forte, uma vez que a contribuição para o sindicato não é obrigatória, uma vez que já pagamos a OAB.
    Associados que trabalham somente com os processos do escritório, com clientes do escritório, elaborando suas peças com o entendimento do escritório, sendo necessários ao andamento comum do escritório (uma vez que, sem eles os sócios não teriam como acompanhar todos os processos que eles contrataram), recebendo ordens e pautas do escritório, e recebem salário que, quando não é fixo, possui percentual que em regra mudaria a remuneração coisa de 1% a mais, 1% a menos, deixando o grosso do lucro para o escritório, mas basta afirmar que era associado, porque nem o contrato de associação é necessário(e eu que achei que o Associado utilizaria a estrutura e nome do escritório para conseguir seus clientes, assim passando parte dos lucros ao escritório).
    Eu sei bem o que é isso, fui explorado anos nesses moldes, passando semanas em viagens pelo escritório(as viagens que os sócios não queriam fazer, mas o contrato assinado por eles previa, então alguém tinha que ir), sem o pagamento de hora extra, e quando fui demitido, por não ter seguido o entendimento deles(pois é, o associado pode ser demitido), não recebi nada, e como eu não tinha nenhum cliente e não era mais recém formado (não seria contratado para receber R$1.200,00), fiquei a ver navios.
    Eu só tenho a agradecer: MUITO OBRIGADO OAB!!!
    20/02/2014 11:05 O.E.O (Outros)
    Se a proposta for aprovada…
    Haverá mais um a favor da OAB…
    Esse deputado está se mostrando um verdadeiro artista.
    Por qual motivo ele não briga pela elevação do número de vagas em boas universidades? Por qual motivo não enfrenta o Executivo e faz cumprir o Direito à Educação de Qualidade também para os egressos das camadas menos privilegiadas?
    "Fanfarrão!".
    E ainda usa de artifícios??? Que "belo pralamentar"!
    Então… Concordo com o colega "MAP".
    Proposta que, se convertida em Lei, para dizer o mínimo, seria inconstitucional. Proposta sem razoabilidade.
    20/02/2014 08:41 Paulo Roberto Moreira Santos (Funcionário público)
    Pagando o pato?
    Um comentário aqui divulgado com o título "PAGANDO O PATO", mostra cabalmente o egoísmo e a discriminação de um cidadão que se diz advogado, ao retratar a figura do Bacharel em Direito. Não esqueçamos, que juízes, promotores, delegados de polícia, etc, etc, e ele próprio são bacharéis em direito. A questão não é acabar com o exame, a questão é os valores absurdos que a OAB cobra para cada prova. R$200,00 reais para algumas pessoas pesa no bolso. Se o candidato não conseguir ser aprovado na segunda fase, vai ter que pagar o mesmo valor novamente. A questão é porque a OAB precisa de tanto dinheiro, quem fiscaliza essa receita? O correto era uma taxa de inscrição com um valor mais baixo, haja vista que depois vem pagamentos de anuidades.Alguém lucra com isso. Alguém luta para que essa faceta não acabe. Outro detalhe sobre o comentário infeliz do ilustre causídico abaixo, não sai do seu bolso não essas custas.

  3. SERGIO ROSA MARTINS disse:

    VAMOS LUTAR PELO FIM DO PAGAMENTO DA TAXA DE EXAME DA OAB, SERÁ QUE A MESMA VAI CONTINUAR APLICANDO EXAME GRATIS PARA PROTEGER Z POPULAÇÃO????????????????

  4. Tiago Leme Meneghin disse:

    As pessoas verdadeiramente sensatas sabem bem que o exame de ordem é amplamente justificável, legítimo, estritamente necessário, constitucional (vide decisão do STF) e, portanto, qualquer reclamação constitui mero “chororô” de perdedor. O brasileiro tem mania de derrotismo. Já se sente derrotado antes de ir à luta, o que é deplorável, bem como reprovável. O exame de ordem é um relevante instrumento de defesa e de proteção aos direitos do cidadão, que almeja ver seus interesses/direitos resguardados, ou seja, solidamente defendidos por um profissional competente, capacitado e devidamente qualificado. Bacharéis, semi-analfabetos, preguiçosos e pseudo operadores do Direito: coloquem-se no lugar do cidadão, vocês gostariam de correr o risco de contratar um profissional incompetente, incapacitado e desqualificado que cedo ou tarde lançaria vossos interesses/direitos no fundo da latrina? Ninguém merece advogado incompetente (que pode destruir o patrimônio do cliente ou manter o mesmo na cadeia, quando este poderia estar livre), médico incompetente (que pode matar um paciente no decorrer de uma intervenção cirúrgica ou causar-lhe irreparável lesão corporal) ou engenheiro civil incompetente (que pode conduzir prédios e edifícios literalmente abaixo). Temos de zelar pela competência e pela qualificação dos profissionais que atuam no mercado pátrio. Nada de bacharéis que se acham advogados (pseudo advogados né), nada de engenheiros civis que não sabem efetuar cálculos complexos e, sobretudo, nada de médicos bolivianos ou cubanos (pobre Hugo Chávez). Não podemos aceitar essa gente (gentalha, nas palavras de Dona Florinda…) atuando como advogados, médicos, engenheiros ou seja lá o que for. O Brasil precisa de advogados e não de manipuladores de palavras bonitas. O Brasil quer médicos e não Mengeles com doutorado em carnificina. Queremos engenheiros, jamais demolidores de prédios. O exame de ordem é absolutamente constitucional, lícito, legal, necessário, útil e, como se pode ver, amplamente justificável. Temos mais de 1.300 faculdades de Direito pelo país, o que é um absurdo. É óbvio que muitas dessas faculdades são péssimas, não contam com professores qualificados (mestres, doutores e especialistas realmente preparados para lecionar), com infraestrutura adequada etc. Se o MEC nada faz para fiscalizar essa palhaçada generalizada, então só resta à OAB fazê-lo, ainda que este não seja seu papel. Há mais de 700 mil advogados no mercado, dentre os quais eu orgulhosamente me conto, portanto, não há sequer sinal de reserva de mercado, ou alguém seria louco de dizer que 700 mil é um número irrisório? Falar em reserva de mercado é derrotismo descarado. Jamais houve reserva de mercado. Entre os que são favoráveis ao exame da OAB constam entidades e pessoas ilustres, tais como: LFG (grande complexo jurídico), Damásio de Jesus (outro grande complexo jurídico), Marcatto (mais um grande complexo jurídico), FGV (Fundação Getúlio Vargas), José Roberto Batochio (grande advogado criminalista), Márcio Thomas Bastos (grande advogado), STF (Supremo Tribunal Federal), Ophir Cavalcanti (ex presidente da OAB), mais de 70% dos próprios bacharéis, Olavo de Carvalho (grande filósofo da USP e escritor), além de milhares de outros profissionais liberais (médicos, dentistas, arquitetos, engenheiros etc) que admiram e veem com bons olhos o imprescindível exame de ordem. Abrir mão do exame de ordem seria um suicídio brutal, e a OAB tem plena consciência disso. Sem o exame de ordem, o mercado ficaria abarrotado de semi analfabetos, de picaretas/pilantras, de safados sem ética, bem como de pessoas despreparadas, inaptas e desqualificadas. Favor abrir o livro. Favor começar a estudar. Obrigado.

    • Everton disse:

      Tão inteligente sua recomendação, que seu eu fosse um juiz procuraria até as vírgulas postas incorretamente para indeferir sua inicial Sr Tiago, e mais, seu texto é contraditório, ao final dele afirma-se:”Sem o exame de ordem, o mercado ficaria abarrotado de semi analfabetos, de picaretas/pilantras, de safados sem ética, bem como de pessoas despreparadas, inaptas e desqualificadas”, mas você não disse que o mercado está aberto para todos, por que esse medo do bacharel em direito? Fico feliz por ser professor e não depender seus “ótimos serviços advocatícios” pois não lhe contraria nem para um habeas corpus, aliás né, não preciso mesmo !! kkkkk…

      • PREZADO DRº TIAGO, CONCORDO COM AS SUAS PALAVRAS DE SUBMETER AO EXAME DE ORDEM, POREM SE FOSSE GRÁTIS A TAXA DE INSCRIÇÃO SERÁ QUE OAB, CONTINUARIA APLICANDO O EXAME???????????????, COMO DEFENSOR DO EXAME DE ORDEM, PORQUÊ????????????, NÃO PERGUNTA A OAB???????????

  5. Vitória Régia disse:

    É um vexame!!! Eu sou advogada. Me submeti a um exame de ordem que na época avaliava a capacidade do aluno. Não pagamos esta taxa altíssima de inscrição, nem foram feitas perguntas que o bacharel nunca viu falar durante os cinco anos de faculdade.
    Como advogada, sou contra o exame de ordem, pois o mau profissional, de per si, exclui-se. O próprio mercado de trabalho o rejeita.
    No entanto, a leitura de toda esta celeuma, creio que deve ser,o questionamento da competência da OAB para a aplicação do exame de ordem, como instituição fiscalizadora do profissional, conclusão? que ela está invadindo competência da educação (MEC).
    Outra leitura interessante, a meu ver:
    Pagamos os impostos para ter uma boa educação… Não a temos.
    Aí na maioria das vezes temos que pagar uma escola particular de alto custo para melhorar o nível de educação dos nossos filhos e dar a eles uma chance de concorrência melhor no futuro. A escola particular que é concessionária de educação não é fiscalizada, o resultado é uma educação também de péssima qualidade, então, pagamos pela segunda vez por uma qualidade que procuramos, mas não recebemos. Daí, vem um entendimento que o profissional não atende às expectativas da sociedade, cria-se na área do direito o exame de ordem… até não dá lucro, era um exame como os que ocorrem para os bacharéis em contabilidade, em medicina veterinária, medicina humana etc… Mas, alguém descobriu o LUCRO com o exame de ordem da OAB, daí então, toda ordem se inverteu. Amigos, postulemos pelo fim do exame, ou alternativamente pela transferência da competência de sua aplicação a quem é de direito, com a observância que os recém-formados têm conhecimento de noções de direito, introduções e iniciação, para tanto deve haver um conteúdo a ser seguido como nos outros concursos, haja vista que o conhecimento jurídico é muito vasto. Ressalte-se, que nenhum advogado é obrigado a decorar a legislação, pois ele é formado para procurar o direito e não para decorar. Há muitos que com os anos sabem a constituição e outras legislações compiladas até de cor, mas é a repetição da leitura que dá o aprendizado. Ademais, com a repartição didática de competências, hodiernamente, os advogados estão num cenário de trabalho, de especializações. Isto significa, que ele precisa ter noções do direito e conhecimento aprofundado deve ser na sua área. E finalmente, que as inscrições tenham preços acessíveis, pois se considerar as vezes que o bacharel repete o exame, pelo preço que é, muitos estão ficando sem repetir. Digamos que esta inscrição seja razoável por um preço de 10% (dez por cento) do salário mínimo, e cada prova sendo superada deverá ser excluída do processo e não começar toda vez que ficar na segunda fase. Isto é abuso. Finalmente, necessário é a lembrança que o Poder Público através dos representantes que nós colocamos lá, está nos lesando e obrigando-nos a pagar pela lesão que ele (Poder Público) nos causou… Sem contar que está criando um problema social…e muitos problemas emocionais… É o que penso e sinto…Espero que alguém que tenha consciência e competência leia este comentário e brigue pela JUSTIÇA… Pois, é máxima do Direito: “Ao encontrarmos o direito lutando contra a justiça… lutemos pela justiça!!!. Justiça é reconhecer que estes profissionais que estudaram, se formaram, pagaram por esta educação, até duas ou três vezes, porque existem os cursinhos, também, merecem exercer a profissão que escolheram… Este exame de ordem da forma processada e encarada está ferindo ” O Princípio da dignidade da Pessoa humana” pois indiretamente está proibindo estes bacharéis de colocarem comida digna em suas mesas. RESUMO: Que os competentes para o trato da matéria acabem com o lucro que o exame de ordem está dando e então… tudo se organizará. Obrigada.
    Resposta

  6. Wilson Bihain disse:

    Exame aplicado pelo(mec), e para os atuais Bachareis exigir uma pos-graduacao e um ano de estagio nos tribunais para se aperfeicoar em vsitas de estarem muito tempo se exercer as atividades

  7. arimar junior disse:

    o exame de ordem é uma vergonha, a OAB alega o seguinte: O bacharel que não passa no exame não esta apto a exercer a profissão de advogado. senhores, todos os dias tenho a oportunidade de acompanhar processos e acreditem, 90% dos advogados são notificados a emendarem a petição inicial, pq esta errada. é esse exame que qualifica o profissional? quem faz o profissional é o mercado. temos que nos unir e acabarcom essa poucavergonha, exame de ordem.

    • Tiago Leme Meneghin disse:

      O Exame de Ordem nunca vai acabar amigo. Nem sonhe. Nós, advogados já estamos mobilizados para uma guerra político-jurídica se for necessário. Não aceitaremos nem admitiremos o fim do exame de ordem. A OAB jamais permitirá a queda do exame. Jamais permitiremos tamanho disparate. Viva a OAB, uma entidade séria, honrosa, honesta, exemplar e transparente. Abaixo os bacharéis que não querem abrir o vade mecum nem as doutrinas. A preguiça faz a desgraça dos bachareis…

      • sandra disse:

        Drº Tiago porque enorme receio do fim do exame?

        • trabalho escravo no inicio da revolução industrial, queda do poder da igreja católica, revolução francesa, muro de Berlim, queda de ditadores pelo mundo todo, queda dos monopólios dos ditadores políticos, queda ditadura militar no brasil, argentina, etc.., prisão dos políticos corruptos no brasil, democracia brasileira sem o divido respeito ao infringir os preceitos fundamentais de tratados internacionais, do livre exercício da profissão, pois diante do confronto de normas sempre há de prevalecer a de melhor para o administrado, arrecadação recebida e prestado conta ao tcu,arrecadação do imposto de renda pela instituição arrecadadora, definição junto a legislação de direito de um estado democrático, qual é a sua real função junto ao estado, acabando com a função que confunde os administrados.

          É bem verdade que a queda há de vir, porem devemos nos unir, perante a sociedade para que seja honrosa, sendo o final das provas; e criado mecanismos legais, tais quais os cursos existentes substituídos por laboratórios de aprendizagem de reciclagem e formação profissional de ensino de estágios de todas as disciplinas, com duração de 2 meses, as quais emitiram certificado de conclusão de estagio de disciplina forense. toda sociedade fica mais segura com os conhecimentos adquiridos a OAB satisfaz suas criticas o povo consegue uma segurança jurídica, e o governantes saem satisfeitos, sem briga se.

          E mais ainda, todos saem lucrando, pois jamais nos administrados em primeiro plano e segundo plano devemos desonrar a instituição a qual vamos pertencer. visto pelo ponto certo a própria OAB, pode e deve rever os valores a qual tanto lutou contra a ditadura que a suprimiu.

          SEU LOGO TIPO; DIREITO DE IGUALDADE, ESSA É A BUSCA QUE A OAB SONHOU, PORQUÊ???????????????????????????????? DEIXAR AGORA A MARGEM DA SOCIEDADE AQUELES QUE TANTO LUTOU POR UM IDEAL.

  8. JOÃO BATISTA SUAVE disse:

    A INCONSTITUCIONALIDADE DO EXAME DA OAB, segundo Margarete Rodrigues Lima:
    ‘Todos sabemos da inconstitucionalidade do exame de ordem, que fere princípios consagrados na Magna carta.
    Seus defensores fundamentam sua constitucionalidade pela existência da lei federal que regula o estatuto dos advogados do Brasil.
    Vejamos as ilegalidades e a pretensa essencialidade da OAB, na referida lei.
    1. A Constituição Federal assim dispõe
    Art. 21 – Compete à União:
    IX – elaborar e executar planos nacionais e regionais de ordenação do território e de desenvolvimento econômico e social;
    (…);
    XXIV – organizar, manter e executar a inspeção do trabalho;
    Note que aqui, a competência é exclusiva, posto que, como sabido, na ausência da menção do tipo de competência atribuída, ela será absoluta, não podendo ser delegada.
    Assim, ao mencionar em seu inciso IX, a elaboração e execução de planos de desenvolvimento econômico e social, obviamente, inclui o trabalho, que além de direito individual, é e essencial ao desenvolvimento econômico de um país.
    Já no seu inciso XXVI, compete à União organizar, manter e executar a inspeção do trabalho.
    Referido inciso, não particulariza, ou individualiza o tipo de trabalho, cuja competência deve atuar, portanto, está neste inciso, incluso a categoria dos profissionais liberais, os quais, obedecendo os critérios LEGAIS de formação profissional, tem o direito ao livre exercício profissional.
    Se neste caso a competência é absoluta, só, e somente só a União, poderá legislar sobre referidos temas, portanto, incabível a OAB, como órgão de classe, tomar para si, através de lei evidentemente inconstitucional, a regência da profissão de advogado; lembrando ainda, que:
    “O advogado é essencial à Justiça, e não a OAB”
    Lei 8.906 de 05/07/1994
    Art. 2º – O advogado é indispensável à administração da justiça
    A não existência do referido órgão, não impediria o advogado de exercer sua profissão; contrariamente à OAB, cuja existência seria inviabilizada pela inexistência dos referidos profissionais
    Ou seja, o advogado é o meio de existência e subsistência da OAB, sem evidentemente, deixar de ressaltar sua importância como órgão de classe, mas não como controlador da profissão, no sentido de definir quem pode ou não exercê-la, profissionais, cujo título foi conferido pelo competente órgão formador. (só esse tem competência legítima para avaliar)
    Saliente-se que o bacharel em direito, passa cincos longos anos de sua vida, na maioria das vezes, aliás, na grande maioria dos casos, às custas de muito sacrifício, formando-se num país, onde a formação universitária se restringe à minguada porcentagem do total de sua população que apta à buscar tal formação, prova disso, é o grande número de adultos, casados, já com família constituída, que ingressam na faculdade para obter melhor formação, imaginem o sacrifício de se formar nestas condições, para depois se verem barrados em exercer a profissão escolhida e obtida à duras penas.
    Falemos agora, do artigo 22 do Constituição Federal, que assim dispõe:
    Art. 22 – Compete privativamente à União legislar sobre:
    (…)
    XVI – organização do sistema nacional de emprego e condições para o exercício de profissões;
    (…)
    Parágrafo único – Lei complementar poderá autorizar os Estados a legislar sobre questões específicas das matérias relacionadas neste artigo.
    É neste artigo, que cai por terra, a argumentação de constitucionalidade do exame, em razão de estar previsto em lei federal.

    Não há dúvidas de que a lei Estatuto da Advocacia) é federal, entretanto, precisamos analisar a competência e suas nuances; depois da análise, veremos que chegaremos à conclusões determinantes, sobre a inconstitucionalidade da lei em comento..
    Comecemos pela análise de competência.
    Existe um conflito de normas evidente; conforme já mencionado, a Constituição Federal, em seu art. 21, XXIV, determina competência absoluta, exclusiva, da União para legislar sobre o trabalho, portanto, insuscetível de delegação.
    XXIV – organizar, manter e executar a inspeção do trabalho;
    Em seu artigo 22, determina competência privativa da União, inciso XVI, portanto, passível de delegação, observando-se entretanto, o § único do mesmo artigo, que determina que a delegação será por meio de lei complementar, aos Estados.
    XVI – organização do sistema nacional de emprego e condições para o exercício de profissões;
    (…)
    Parágrafo único – Lei complementar poderá autorizar os Estados a legislar sobre questões específicas das matérias relacionadas neste artigo
    Assim, entendo por primeiro, que o artigo 22, XVI, e parágrafo único, conflita com o art. 21, XXVI, que determina competência exclusiva da União, de forma genérica, ao se referir ao trabalho (organizar, manter e inspecionar o trabalho); posto que, todo trabalho, depende de uma profissão, por mais simples ou complexa que seja; portanto, a competência para legislar sobre a matéria é de exclusividade da União, não podendo ser delegada nem mesmo para os Estados.
    Entendo que não pode haver duas regras de competência sobre a mesma matéria, e que a competência exclusiva, derroga a privativa, mesmo porque, a competência contida no art. 21, XXVI/CF fala sobre o trabalho de maneira ampla; não podendo coexistir portanto, competência ampla, com competência específica. Ou a União tem competência exclusiva, ou privativa para legislar sobre o trabalho (que inclui o trabalho dos profissionais liberais, no caso em tela, os advogados)
    Surge então a pergunta. Mas ainda que exista tal conflito, a norma que instituiu a OAB não é federal?
    Primeiramente ; sim, é federal, mas existe o conflito, uma pode delegar competência, outra não.
    Analisando referida lei, vemos que existe uma delegação indireta, senão vejamos:
    Lei 8.906 de 05/07/1994
    Art. 8º – Para inscrição como advogado é necessário:
    (…);
    IV – aprovação em Exame de Ordem;
    § 1º – O Exame da Ordem é regulamentado em provimento do Conselho Federal da OAB
    Notem, que as regras do exame de ordem, não são fixadas na lei que instituiu o estatuto da Advocacia; como já dito, se é trabalho na forma ampla é competência absoluta/exclusiva da União art. 21, XXVI/CF; e se analisarmos a questão, invocando o art. 22, XVI/CF, (quanto a forma do exercício profissional), já inserto no art. 21 como já dito; veremos que referida lei de forma indireta, delega ao órgão, competência para regulamentar o exame (q. é uma condição, portanto, à luz do art. 22, XVI, privativa da União), através de provimento, quando o parágrafo único do mesmo artigo, é claro quanto à delegação de competência, ou seja, só poderá delegar aos Estados.
    Não bastasse, provimento não é lei, portanto, não obriga ninguém; conforme dispõe o art 5º, II da Magna Carta, que assim determina:
    Art. 5º. Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
    (…)
    II – ninguém será obrigado fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei;
    De toda essa análise, encontramos os seguintes vícios.
    Conflito de normas na própria constituição, ou seja, a União tem competência exclusiva e privativa para legislar sobre a matéria.
    A lei que institui o Estatuto da advocacia, se considerarmos como válido, o disposto no art. 21, XVI/CF, deveria estabelecer as regras para satisfazer tal condição, ou seja, se o exame de ordem é condição, e isso está estampado no artigo 8º, II da Lei Lei 8.906 de 05/07/1994, quem deveria regulamentar tal exame, atendendo ao princípio da legalidade, é a própria União, estabelecendo regras, pontuação, e principalmente, estabelecendo órgão fiscalizador do mesmo. Assim, vê-se nítida a inconstitucionalidade, quando da delegação indireta, feita pela União à uma entidade de classe, posto que, a única forma de delegação possível, de acordo com o parágrafo único do art. 21, é para os Estados membros, e por via de lei complementar.
    Salta aos olhos ainda, a ilegalidade, em dispor matéria de direito individual, a ser regulado por provimento; a anterioridade de lei, é princípio consagrado na constituição; assim, se não há lei, não há obrigação.
    Indo um pouco mais longe:
    Falando do art. 60 da CF, sobre emenda constitucional – (cláusula pétrea)
    Art. 60 – A Constituição poderá ser emendada mediante proposta
    (…)
    § 4º – Não será objeto de deliberação a proposta de emenda tendente a abolir:
    IV – os direitos e garantias individuais
    Como se vê, direitos e garantias individuais, estão insertos na Constituição Federal, como cláusula pétrea, não são passíveis de modificação nem mesmo por emenda constitucional; entretanto, analisando o que vem ocorrendo, entendo que o termo “tendente a abolir”, não se refere apenas à extinção de um direito individual, mas qualquer ato, que torne impraticável, qualquer dos direitos individuais contidos de forma expressa na Carta Maior, e protegidos pela imutabilidade.
    Alguns argumentos, se apóiam art. 5º, XIII, que assim determina:

    XIII – é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer;
    Primeiramente, todo trabalho decorre de uma profissão da mais humildade até a mais elevada.
    Algumas definições
    Profissão –
    Do lat. professione.
    S. f. Atividade ou ocupação especializada, e que supõe determinado preparo; Ofício; Profissão que encerra certo prestígio pelo caráter social ou intelectual; Carreira; Meio de subsistência remunerado resultante do exercício de um trabalho, de um ofício;
    Profissão portanto, supõe determinado preparo – Como no caso em tela, quem prepara o futuro advogado, quem tem competência para conferir-lhe o título de bacharel, e como acontece? –
    Através de curso superior regular (cinco anos de duração), em na Faculdade de Direito, devidamente reconhecida pelo MEC; que ao fial do curso, após devida avaliação e comprovação de estágio e atividades jurídicas extra-curriculares, confere o título de Bacharel em direito, sem o qual, a OAB não pode habilitar ninguém, ainda que seja aprovado no exame.
    Portanto, em termos de hierarquia, o que vale mais, o título emitido pelo competente órgão, ou a OAB, aquela sibsiste sem a última, e a última, subsiste sem a primeira?
    Fato q reforça o dito inicialmente, o essencial à justiça, é o advogado, não a OAB.
    Encaixa-se também, na interpretação em ofício, bem como, em carreira, mas inegável o caráter laboral de todas as definições, assim, caímos no art. 21, XXVI, que determina que é de competência exclusiva da União, legislar sobre a matéria.
    Ou seja, é atividade laborativa essencial à justiça, e as qualificações à que o inciso do art. 5º in fine se refere, são aquelas que conferem condição de atuação no direito, sem as quais, a OAB, não tem competência para conferir o nº de inscrição, ou seja, a qualificação profissional conferida por lei (MEC)
    LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996.
    Art. 1º A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais.
    § 1º Esta Lei disciplina a educação escolar, que se desenvolve, predominantemente, por meio do ensino, em instituições próprias.
    § 2º A educação escolar deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social.
    Art. 7º O ensino é livre à iniciativa privada, atendidas as seguintes condições:
    I – cumprimento das normas gerais da educação nacional e do respectivo sistema de ensino;
    II – autorização de funcionamento e avaliação de qualidade pelo Poder Público;
    (…)
    Art. 48. Os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular.
    Como se pode constar todas as exigências legais referentes à QUALIFICAÇÂO, estão atendidas com o diploma de Bacharel em direito .
    Além disso, da coletânea abaixo descrita, artigos da Constituição Federal, entendemos que o trabalho é essencial ao desenvolvimento econômico e social, não podendo haver barreiras ao seu exercício, sob pena de o Estado sucumbir.
    Ainda, o art. 3º, IV da CF, veda discriminação de qualquer espécie.
    Conceito de discriminação:

    Ato ou efeito de discriminar; Faculdade de distinguir ou discernir – discernimento; Separação, apartação, segregação.
    Art. 1º – A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado Democrático de Direito e tem como fundamentos:
    (…)
    IV – os valores sociais do trabalho e da livre iniciativa;
    Art. 3º – Constituem objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil:
    III – erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais e regionais;
    IV – promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.
    Art. 5º – Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:
    XIII – é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelece
    LEI Nº 9.394, DE 20 DE DEZEMBRO DE 1996.
    Art. 1º A educação abrange os processos formativos que se desenvolvem na vida familiar, na convivência humana, no trabalho, nas instituições de ensino e pesquisa, nos movimentos sociais e organizações da sociedade civil e nas manifestações culturais.
    § 1º Esta Lei disciplina a educação escolar, que se desenvolve, predominantemente, por meio do ensino, em instituições próprias.
    § 2º A educação escolar deverá vincular-se ao mundo do trabalho e à prática social.
    Art. 7º O ensino é livre à iniciativa privada, atendidas as seguintes condições:
    I – cumprimento das normas gerais da educação nacional e do respectivo sistema de ensino;
    II – autorização de funcionamento e avaliação de qualidade pelo Poder Público;
    III – capacidade de autofinanciamento, ressalvado o previsto no art. 213 da Constituição Federal
    Art. 48. Os diplomas de cursos superiores reconhecidos, quando registrados, terão validade nacional como prova da formação recebida por seu titular.
    Art. 82. Os sistemas de ensino estabelecerão as normas para realização dos estágios dos alunos regularmente matriculados no ensino médio ou superior em sua jurisdição

    Princípios e Isonomia
    CF – Art. 37. A administração pública direta, indireta ou fundacional, de qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade, impessoabilidade, moralidade, publicidade e, ….
    A menção se faz necessária, em razão do exposto na lei/OAB
    Art. 1º – São atividades privativas de advocacia:
    I – a postulação a qualquer órgão&nbssp; do Poder Judiciário e aos juizados especiais;
    II – as atividades de consuultoria, assessoria e direção jurídicas.

    § 1º – Não se inclui na atividade privativa de advocacia a impetração de habeas corpus em qualquer instância ou tribunal.
    § 2º – Os atos e contratos constitutivos de pessoas jurídicas, sob pena de nulidade, só podem ser admitidos a registro, nos órgãos competentes, quando visados por advogados.
    § 3º – É vedada a divulgação de advocacia em conjunto com outra atividade.

    Art. 3º – O exercício da atividade de advocacia no território brasileiro e a denominação de advogado são privativos dos inscritos na Ordem dos Advogados do Brasil – OAB.
    § 1º – Exercem atividade de advocacia, sujeitando-se ao regime desta Lei, além do regime próprio a que se subordinem, os integrantes da Advocacia-Geral da União, da Procuradoria da Fazenda Nacional, da Defensoria Pública e das Procuradorias e Consultorias Jurídicas dos Estados, do Distrito Federal, dos Municípios e das respectivas entidades de administração indireta e fundacional.
    § 2º – O estagiário de advocacia, regularmente inscrito, pode praticar os atos previstos no art. 1º, na forma do Regulamento Geral, em conjunto com advogado e sob responsabilidade deste.
    Art. 4º – São Nulos os atos privativos de advogado praticados por pessoa não inscrita na OAB, sem prejuízo das sanções civis, penais e administrativas.
    Assim posto, e a teor da lei ora combatida, entendo que a obrigação de inscrição nos quadros da OAB, se aplica a todos aqueles que postulam perante qualquer juízo; portanto, os procuradores do Estado, não teriam em tese, capacidade postulatória, assim, todos os atos praticados por referidos profissionais, estão maculados pela incapacidade postulatória, ou noutro sentido, o bacharel em direito tem capacidade para postular em juízo, tendo por fundamento, o princípio da isonomia,/ pois se como bacharel em direito, os procurados podem judicar, os bacharéis em direito também o podem, pois a regra para postular em juízo, é a capacidade postulatória, sem a qual o ato se torna nulo.
    Assim posto, de duas uma, ou o Estado reconhece a capacidade postulatória dos bacharéis, ou a incapacidade postulatório de seus procuradores, contrário a uma dessas proposições, o princípio da isonomia também está violado”.(aspas no início e final do texto – nossas).

  9. JOÃO BATISTA SUAVE disse:

    Somos cinco milhões de bacharéis em direito no Brasil, segundo as estatísticas. Como fica a situação daqueles que concluem a faculdade em direito, aptos a exercer a advocacia e são esbarrados por um exame da OAB, que nada acrescenta no conteúdo prático daquele que vai exercer a ADVOCACIA. Provavelmente, a Diretoria e o presidente da OAB, não foram submetidos a tal exame, porque na época não era exigido, digo, foi exigido a partir do ano de 1994. Diante de tal afronta ao princípio da razoabilidade, apresento as seguintes sugestões: a) Apoiarmos incondicionalmente o Projeto de Lei 2154/2011, de Autoria do Deputado Eduardo Cunha. b) Apoiarmos a CPI DA OAB, para que a sociedade em geral, tenha conhecimento, quais de fato são os objetivos desta entidade , que não paga imposto de renda, tem arrecadação bilionária e não presta contas de sua gestão. Se a OAB, insistir com este exame inconstitucional, imoral e sem nenhuma função de caráter educacional, os bacharéis em direito, deveriam ingressar com uma AÇÃO DE REPARAÇÃO POR DANOS MATERIAIS a todos que lhe causaram prejuízos, principalmente a OAB. Nós Bacharéis em Direito, formamos para quê? É só para prestar concurso público? Por acaso existe duas faculdades no Brasil, A OAB que forma alunos na aplicação de provas, que dura em média em 10 noras? Quem de fato tem legitimidade para fornecer um diploma com avaliação do MEC, são as Universidades Brasileiras(que mantém os cursos de direito), que habilitam os bacharéis em direito a advogarem, depois de cinco anos de curso, os quais são submetidos a prática jurídica do 7º ao 10º período?
    CONTRADIÇÕES SOBRE O EXAME DA ORDEM: Os Bacharéis em Direito, antes de formarem, estudam no mínimo por cinco anos, para tentar ingressar no mercado e só obtém o título de ADVOGADO, quando passa no exame da OAB, exame este, de análise precária. Enfim, PERGUNTA-SE A OAB É UMA UNIVERSIDADE, QUE FORMAM ADVOGADOS?

  10. “façamos o que é bom no tempo oportuno”Eclesiastes 11
    coloqo em evidência,neste valioso espaço,”em tempo oportuno” voto x Exame de Ordem.
    Segue o texto:
    DIGNOS
    REPRESENTANTES DO POVO BRASILEIRO NA CÃMARA DOS DEPUTADOS
    A Bíblia Sagrada tradução de João Ferreira de Almeida três a. Impressão-Rio de Janeiro 1948 Imprensa Bíblica Brasileira-Edição Revista e Corrigida.
    Que este Internauta retém consigo desde nove de fevereiro de 1.951, presenteada pelo punho de pessoa amada, neste ESPAÇO apropriado para quem desejar possa se manifestar, a respeito da VÕTAÇÃO DO PL 2154/11 DO FIM DO EXAMEOAB, traz aqui nesta presente data de 22/08/12-quarta feira, o verso terceiro do Capítulo primeiro do Livro de Genesis, assim escrito:
    ““ E disse Deus: Haja luz. E houve luz”
    Desde àquela hora a LUZ brilha no firmamento. Seja pelas estrelas durante a noite e pela LUA. E pelo brilho potentíssimo durante o DIA pelo SOL. REI dos ASTROS…
    QUE:
    A LUZ da SABEDORIA DE DEUS PAI TODO PODEROSO, SUMO ARQUITETO DO UNIVERSO, NA DATA DO JULGAMENTO DO PL 2154/11, INVADA O CORAÇÃO DE TODOS OS DEPUTADOS REUNIDOS NAQUELA CERIMÔNIA DE VOTAÇÃO.
    Pondo, assim, por terra o inconstitucional Exame de Ordem. Ato lesivo ao direito adquirido do bacharel de exercer sua atividade profissional.Adquirida pela posse licita do DIPLOMA,chancelado pela LEI de DIRETRIZES e BASES,no MEC ( Ministério da Educação e Cultura) e também pela CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 1.988 e ANTIGAS..
    “SALVE LINDO PENDÃO DA ESPERANÇA. SALVE SIMBOLO AUGUSTO DA PAZ”
    Presidente de Honra do MNBDBRASIL em São Paulo Capital
    João Ribeiro Padilha
    OAB SP 40385 AASP 8740
    Brasileiro Nato
    22 de agosto de 2012 quarta feira 08h12

  11. antonio ferreira marques disse:

    MARQUES

    SENHORES BACHAREIS, VAMOS NOS UNIR PELO FIM DO MONOPOLIO DA OAB, TODOS SABEMOS QUA A LUTA E DOLOROSA, POIS, A OAB TEM NOS QUADROS DO JUDICIARIO HOMENS DE “NOTAVEL SABER” EM TODOS OS QUADROS JUDICIARIOS, SEM CONCURSO, LOGO ATRAVES DO JUDICIARIO ESTAREMOS CONDENADOS A ESPERAR POR MUITO TEMPO, RESTA-NOS A ESPÉRANÇA DO CONGRESSO, ATRAVES DE NOSSO PESO UNIDO, FAZER COM QUE NOSSOS REPRESENTATES FALEM POR NÓS E NOS RECOLOQUEM EM NOSSO LUGAR DE DIREITO E CONSTITUCIONAL, “QUE NOSSA CONSTITUIÇÃO SEJA RESPEITADA”

  12. Jose Carlos da Silva disse:

    Meus amigos isto é uma vergonha ou parlamentares entram na briga ou nos vamos ter que fazer uma caminhada identica a QUE FIZEMOS NA EPOCA DO EX PRESIDENTE FERNANDO COLLOR, o Congresso tem que dar uma resposta a OAB, pois seu OPHIR tem que saber que ele não é a dana de ferro, humilhar o Congresso do meu pais, (BRASIL) chamando nossos Deputados de BICHOS, quando se refere a Pantanal.

  13. Pingback: Mensagem oficial do MNBD/OABB 24/06/2012 Contato com Deputados avanço nas negociações #examedeordemINCONSTITUCIONAL | Inacio Vacchiano

  14. Joao de souzza disse:

    Resposta a Antonio coutinho, de itubiara, fico pasmo ao saber que voce acha que o senhor jesus cristo o filho de deus esta ocupado para não te atender, então renove sua fe e acredite em deus pai todo poderoso criador do ceu e da terra.somente ele pode resolver nossos problemas. este exame da oab esta com seus dias contados, o deputado eduardo cunha , vai acabar com esta vergonha, esta mega sena.a lei que acaba com o exame sera votada ainda este mes de julho, antes mesmo do recesso parlamentar. a oab vai pagar tudo de ruim que fez para os bachareis de direito no brasil. adeus ofhir e tambem FGV. Com sua pergunta cheia de pegadinhas.os cursinhos e estes blogs de que vão viver, seu abutres deixem os bachareis em paz . contantem seus deputados federais em seus estados e os senadores e peça eles para apoiar nossa luta . um abraço e que deus ilumine as cabeças destes palamentares em brasilia.

  15. A UNIÃO dos Movimentos x Exame de Ordem:
    IMAGINEMOS o FATO SEGUINTE:
    Se nesta nossa amada Pátria Brasileira, os Partidos Políticos em número de hoje somam=28+vinte, e oito, quão notáveis seria se se fundissem NUM ÚNICO…
    A
    Câmara dos Depudos funcionaria em harmonia dentro do interesse pátrio. Nunca na busca de grangear direitos partidários apenas…

    O
    Senado de República estaria unido com objetivos proclamados na Câmara dos Deputados.
    Nossa nação vibraria seu grito de Independência com facilidade intrinsica e extrinsica.
    O POVO BRASILEIRO
    Viveria mais alegre e com a certeza de real “soberania nacional”
    MAS
    Vive cada qual, justificando seu pensamento brasileiro. Na busca disto ou daquilo para a nação…
    ASSIM
    A vivência no Brasil, hoje contra o EXAME de ORDEM
    Mais vale
    Pensar no direito do cidadão que no discurso deste ou daquele órgão, que busca falar em nome do Bacharel em Direito.
    O direito deste está proclamado na Constituição Brasileira.
    Na Lei regedora do MEC. Onde o DIPLOMA dele(s) está REGISTRADO.
    Que mais precisa ser alcançado?
    Apenas
    Valor moral dos CONGRESSISTAS. Nada mais
    João Ribeiro Padilha
    Brasileiro nato
    310312 sábado 11h54 SP 40385 AASP 8740

  16. Os Bacharéis de Direito estão sendo enganados pelas faculdades, e tambem pela a famigerida OAB, e instituições que aplicam provas, e até mesmo os cursinhos, porque esse último, nos dá as instruções para nos capacitarmos para o confronto das provas da ORDEM, quando sai o gabarito nos informa até a forma de entrar com recurso, indicam 8 ou 10 questões controvertidas com toda fundamentação possível, a FGV, anula somente uma e dai pra frente é fazer novo cursinho, porque eles não protestam porque as questões que não foram canceladas estão corretas conforme entendimento jurídico e tambem dos renomados professores, porque se calam, então o velho ditado quem cala consente. Então gostaria muito se saber a quem reclamar, acertei 39 não passei, e 4 questões tem o acerto do gabarito igual os professores e o direito positivado nacional me instruiu, e então reclamar para quem? a OAB é um órgão impar, portanto devemos socorrer somente para JESUS C. esse está muito ocupado.
    Sds. Antonio Coutinho – Itumbiara – Goiás

  17. Jurival Reis disse:

    Assembléia Legislativa do Paraná aprova moção unânime contra o Exame de Ordem da OAB
    by Inacio Vacchiano
    Assembléia Legislativa do Paraná aprova moção unânime contra o Exame de Ordem da OAB Dentro do quadro geral de repúdio ao exame caça-níquel da OAB, o poder legislativo do PARANÁ, numa decisão inédita, aprovou uma moção de apoio ao Recurso … Continue lendo →
    Read more of this post
    Inacio Vacchiano | 23/10/2011 at 16:15 | Categorias: #examedeordemINCONSTITUCIONAL, exame de ordem | Categories: EXAME DE ORDEM | URL: http://wp.me/p18lHZ-Qt
    Comentário See all comments
    Change your email settings at Manage Notifications.
    Trouble clicking? Copy and paste this URL into your browser:
    https://inaciovacchiano.com/2011/10/23/assembleia-legislativa-do-parana-aprova-mocao-unanime-contra-o-exame-de-ordem-da-oab/

  18. Pingback: NOTÍCIAS MNBD-OABB 23/10/2011 09:52 – Detalhes do julgamento do dia 26/10/2011 – A marcha dos bacharéis | Inacio Vacchiano

  19. Pingback: As faculdades precisam financiar os Bacharéis nesta luta contra a OAB | Inacio Vacchiano

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s