A INCONSTITUCIONALIDADE DO EXAME DE ORDEM E AS MENTIRAS DA OAB


*Reynaldo Arantes

 

 

Adolf Hitler foi um líder eleito e apoiado pelo politizado povo alemão por mais de uma década (chanceler de 1.933 a 1.945) em um governo marcado pelo holocausto de judeus, ciganos, homossexuais e adversários políticos. Seu domínio até sua morte no entanto, foi graças as mentiras oficiais levadas ao povo por seu ministro Paul Joseph Goebbels.

Assim como o povo alemão foi manipulado por mentiras oficiais, há mais de uma década a Ordem dos Advogados do Brasil usa da credibilidade adquirida por séculos de bons advogados para espalhar na sociedade mentiras que aos poucos a Justiça e o Congresso vêm desmascarando.

Primeiro a OAB afirma que “o exame é necessário para defender a sociedade de maus advogados”. Mentira comprovada com vários fatos: Vejamos, se fosse verdade…

1 – … a OAB aplicaria o mesmo exame que aplica nos bacharéis em todos os advogados com mais de 5 anos de exercício – assim como se faz para motoristas – já que antes de 1.996 o exame era só uma alternativa a quem não fazia estágio em sua faculdade, o que todos fazem hoje.

2 – …a OAB não desrespeitaria seus próprios provimentos e edital e corrigiria os erros grotescos da Fundação Getúlio Vargas nas últimas provas: espelhos de gabaritos errados, questões de Direitos Humanos inexistentes, provas que Juristas famosos como o Prof. Renato Saraiva – com inúmeros livros editados e 4 centros de especialização – disseram que não passariam.

3 – … a OAB divulgaria o número de advogados expulsos por seu Tribunal de Ética por estarem presos por ligação com organizações criminosas, por serem publicamente drogados e o mais comum, os que furtam dinheiro de clientes. Aliás, se realmente pensasse na sociedade, teria grande número de advogados expulsos por incapacidade profissional.

Em segundo lugar, se a OAB honrasse seu passado, não aplicaria um exame que sabe ser ilegal e por saber, também imoral. As decisões fundamentadas de juízes federais no RS, GO, RJ e MT demonstram claramente os vários pontos da inconstitucionalidade do exame. A decisão do Tribunal Federal da 5ª Região destaca de maneira fundamentada na CF as ilegalidades:

1 – O Conselho da OAB regulamentou o exame conforme o Congresso deixou passar a lei. Regulamentação de Lei é função privativa e indelegável do Presidente da República (art. 84, IV da CF)

2 – Só os bacharéis em Direito precisam de algo além de seu diploma para se inscrever em seu Conselho, o que é tratamento diferenciado, proibido pelo Princípio da Isonomia constitucional (art. 5º, I da CF)

3 – Só a União pode legislar sobre as condições do exercício profissional (art. 22, XVI da CF) e a OAB nem autarquia pública é (Adin 3.026) segundo o STF…

4 – O que pode impedir alguém de exercer uma profissão é só falta de qualificação prevista em lei, no caso, a Lei Maior, a Constituição exige esta qualificação (art. 5, XIII) e afirma que qualificação só a Educação concede (art. 205 da CF) e a OAB não é Instituição de Ensino.

5 – A lei 8.906 de 1.994 também estaria revogada na exigência do exame, pois lei posterior, a 9.394 de 1.996, no art. 43 deixa claro que “as faculdades preparam indivíduos APTOS a serem inseridos em seu mercado de trabalho”.

As mentiras da OAB quanto a necessidade ou legalidade do exame ficam cada vez mais evidentes a cada projeto que entra no Congresso e a cada decisão judicial.

O último golpe foi o parecer destacando a inconstitucionalidade do exame do Sub Procurador Geral da República, Rodrigo Janot para ação a ser julgada pelo Ministro Marco Aurélio (RE 603.583 RS) no Supremo.Tribunal Federal em breve.

Os golpes nas mentiras da OAB são resultado da ação. A Organização dos Acadêmicos e Bacharéis do Brasil (OABB) que coordena o Movimento Nacional dos Bacharéis em Direito (MNBD) em todo o País.

Respeitamos a Instituição OAB, mas denunciamos seus líderes atuais que usam o exame para excluir 90% da concorrência e faturar cerca de 25 milhões a cada prova, sem fiscalização de ninguém.

A Justiça e o Parlamento Nacional estão unidos em mostrar o verdadeiro massacre de bacharéis e faculdades em nome da reserva de mercado e dos lucros obtidos pelo exame.

O ícone do Direito, Rui Barbosa, se fizesse o exame hoje seria reprovado e estaria em nossas fileiras lutando por seus direitos constitucionais ao nosso lado no MNBD/OABB.

 

*Reynaldo Arantes é presidente nacional da OABB/MNBD, formado pela UNOESTE de Pres. Prudente/SP. Email: pres.mnbd.brasil@gmail.com

 

Esse post foi publicado em GERAL, Mensagem oficial do MNBD/OABB. Bookmark o link permanente.

27 respostas para A INCONSTITUCIONALIDADE DO EXAME DE ORDEM E AS MENTIRAS DA OAB

  1. marlene sales disse:

    TODOS OS DISCURSOS VIRARAM BALELA, POR UM SIMPLES MOTIVO! CATEGORIA FRACA; SEM ATITUDE; SEM FORÇA PRA FAZER VALER O PCO; SOMOS NÓS O PODER CONSTITUINTE ORIGINÁRIO; SE EXPERIMENTARMOS IR PRAS RUAS TUDO SE RESOLVERIA, MAS SOMOS “BRASILEIROS NOS ENGANAM E NOS CALAM FACIL! FACIL!
    QUE CATEGORIA DE FRACASSADOS!!FUI!!!!!!

  2. richard disse:

    São algumas coisas, que após um dificil caminho ganhamos com a aprovação no exame da ordem:

    UM BOLETO BANCARIO PARA PAGAR A ANUIDADE
    UM ALUGUEL DE UMA SALA,
    A DISPUTA DE MERCADO !

    Todos sabemos que a grnade verdade é que a ordem faz esse exame pensando na arrecadação.
    Trabalho no RS, os parlatórios dos presidios são umas verdaderiras latrinas, fedorentos onde esta a ordem para defender os interesses do sAdvogados????
    Os computadores nem devem ser objetos de descrição, ou melhor, melhor nem te-los lá, ORDEM????????

    Ainda querem comparar o exame da ordem com exames de Juizes ou Promotores, quando eles passam recebem $$$$$$$$

  3. antonio neto disse:

    Caros colegas de luta, também sou vítima da luta contra a famigerada oab já que uma vez aprovado na 1ª fase fui reprovado na 2ª com uma alegação tão chula que acabei desistindo da profissão mesmo eu que passei em 2º lugar para estagiário da defensoria de sp e depois passei em outros 2 concursos nos quais desisti por não me sentir na profissão certa, por isso se puderem me dar informações se há uma data prevista para o julgamento do RE junto ao supremo eu agradeço. Abraço!
    Antonio Neto.

  4. LUIZ HENRIQUE disse:

    Olha nao precisa ser advogado pra saber que esse exame nao tem fundamento legal.
    Nas faculdades e universidades o estudande ja é submetidos a provas e exames , nos ultimos anos ele passa por banca examinadora e por projetos e testes finais dependendo de sua area de atuação ai sim seus conhecimentos são testados e colocados a prova, então qual seria o verdadeiro objetivo deste exame da ordem?
    Uma entidade de ensino Universidade e ou Faculdade tem por si o “poder” ou capacidade de avaliar ou mensurar as conidições de um estudante de direito (futuro advogado). A AOB restaria fiscalização junto ao MEC e trabalho em conjunto às instituições quanto ao metodo de ensino grade curricular e normatização de testes etc.. para assim melhorar a qualidade relativa a formação do profissional.
    Ex pratico
    Uma pessoa tem um alto investimento em um curso superior, disponibilizando dinheiro e o principal o seu tempo, se forma recebe o diploma o que daria oi direito a exercer sua profissão.
    Ao contrario após todo este investimento ainda corre o risco de não exercer sua profissão. È submetido a um exame que tem um indice de aprovação de 17% a 20% e gastos R$ 200,00
    somente de inscrição. Ou seja 80% ficaram fora do mercado e devem esperar por 4, a 6 meses para nova tentativa, onde tera novamente de se preparar tendo novamente de enfretar os indices de aprovação e gastos.

    Obs. Me formei em Analise de sistemas, não sou estudante de direito portanto minha opinião e isenta de qualquer tendencionismo, so nao vejo objetivo para uma entidade de classe excluir e restringir o mercado.

    • Eu acredito que a prova da OAB está com os dias contados mesmo porque ela significa um intruso na vida dos bacharéis e das instituições de ensino, subentende que se trata de forma de arrecadação indevida diante de pessoas com dificuldades financeiras em detrimento dos gastos com os estudos, em muitos casos sem condições de cumprir com os compromissos de financiamentos advindo para a conclusão do curso e se tornando inadimplente por não estar apto ao mercado de trabalho à que se dedicou durante cinco longos anos com muita dedicação e noites mal dormida, e chegar ao final não estar formada em nada, faço um apelo ao Senado federal e ao Congresso Nacional que dê mais atenção à esta situação.

  5. Breno de Oliveira disse:

    Boa noite a todos que postaram seus comentários aqui. Também sou Bacharel em Direito no estado do RS e considero o Exame de Ordem, Inconstitucional. Já é hora de se fazer uma manifestação, mobilização, como aquela que ocorreu no ano de 1992 para tirar do poder o Presidente Collor.Vamos nos unir pelo FIM DO EXAME DE ORDEM.Abraços a todos.att, Breno de Oliveira.

  6. AMTG disse:

    A Constituição Federal é a lei fundamental e suprema do Estado brasileiro. É dela que deriva toda e qualquer autoridade, até mesmo a da OAB. Somente a Constituição Federal pode delegar poderes e competências políticas. A Constituição Federal consagra, no inciso XIII do art. 5º (cláusula pétrea), a liberdade de exercício profissional, que somente pode ser limitada por uma lei, que poderá exigir determinadas qualificações profissionais. Em diversos outros dispositivos, a Constituição Federal dispõe que a função de qualificar para o trabalho compete às instituições de ensino e que a avaliação e a fiscalização do ensino competem ao Estado, e não, evidentemente, à OAB. De acordo com o art. 205 da Constituição Federal, a educação tem como uma de suas finalidades a qualificação para o trabalho. O ensino é livre à iniciativa privada e cabem ao Poder Público a autorização para a abertura e o funcionamento dos cursos e a avaliação de sua qualidade. Assim, o estudante dos cursos jurídicos é qualificado para o exercício da advocacia e tem essa qualificação certificada, de acordo com a legislação vigente, pelo reitor de cada universidade, através de um diploma. Nenhuma outra instituição tem competência para qualificar os bacharéis ao exercício de suas profissões, nem mesmo a Ordem dos Advogados do Brasil. Por expressa delegação do Estado brasileiro (art. 207 da Constituição Federal de 1.988 e Lei 9.394/96, art. 53, VI), somente os cursos jurídicos detêm a prerrogativa legal de outorgar ao aluno o diploma de Bacharel em Direito, que certifica a sua qualificação para o exercício da advocacia. Inconstitucionalidade formal do Exame de Ordem A Lei nº 8.906/94 (Estatuto da Ordem), em seu art. 8º, exigiu, para a inscrição do bacharel na Ordem dos Advogados, a aprovação em Exame de Ordem. Disse, ainda, no §1º desse artigo, que o Exame de Ordem seria regulamentado pelo Conselho Federal da OAB. Esses dispositivos são inconstitucionais, tanto formal como materialmente. Assim, o Exame de Ordem não foi criado por lei, mas por um Provimento do Conselho Federal da OAB. Evidentemente, apenas a Lei poderia estabelecer as qualificações necessárias ao exercício profissional, conforme previsto pela Constituição Federal, em seu art. 5º, XIII. Além disso, o Conselho Federal da OAB não tem competência para regulamentar as leis, como pode ser observado pela simples leitura do art. 84, IV, da Constituição Federal. De acordo com esse dispositivo, compete privativamente ao Presidente da República regulamentar as leis, para a sua fiel execução. Assim, a Lei nº 8.906/94 é também inconstitucional, neste ponto, porque não poderia atribuir ao Conselho Federal da OAB a competência para regulamentar o Exame de Ordem. Conseqüentemente, o Provimento nº 109/2.005, do Conselho Federal da OAB, que atualmente dispõe sobre o Exame de Ordem, é inconstitucional. Trata-se, no caso, especificamente, de uma inconstitucionalidade formal, porque não compete ao Conselho Federal da OAB o poder de regulamentar as leis federais. Ressalte-se que essa inconstitucionalidade, que prejudica os bacharéis reprovados no exame de ordem, atinge direito fundamental, constante do ?catálogo? imutável (cláusula pétrea) do art. 5º da Constituição Federal, com fundamento, tão-somente, em um Provimento (ato administrativo), editado pelo Conselho Federal da OAB. Como se sabe, nem mesmo uma Emenda Constitucional poderia ser tendente a abolir uma cláusula pétrea (Constituição Federal, art. 60, §4º).

  7. Geraldo Pereira de Almeida disse:

    Geraldo Pereira de Almeida, Engenheiro Mecânico, pós-graduado em Engenharia de Segurança do Trabalho, regularmente inscrito no CREA, em pleno gozo dos seus direitos políticos, vem mui respeitosamente manifestar em relação ao exame de ordem, como requisito para exercer a profissão, considerando que o curso de direito por si só, não confere es direito.
    Sou bem sucedido profissionalmente como engenheiro, como perito e professor. E, no entanto, não fui submetido a uma prova para ingressar no mercado de trabalho como vem exigindo a OAB, em nome da melhoria da qualidade, cujo submeti a mesma e não passei. Em minha opinião, o exame da OAB, não baliza conhecimento. Pelo contrário, o fato de ter passado na prova, cria uma expectativa que é detentora absoluta de conhecimentos, o que na maioria das vezes, não se comprova na prática.
    A OAB na tentativa de reserva de mercado, isso em minha opinião, não tendo mecanismo para frear a criação de faculdades de direito, vem tentando dificultar o ingresso de novos profissionais com tal mecanismo, chamado exame de ordem. Isso demonstra a insegurança por parte destes, preocupado egoisticamente só mesmo em restringir o número, em nome da melhoria da qualidade em benefício da sociedade, o que não é verdade. Além do mais, quem seleciona o profissional, é o próprio mercado. “Quem não tem competência não se estabelece”. Mas como podemos agradecer por ter uma constituição que nivela direito e obrigações, mais a inteligência e a sensibilidade dos notáveis do STF, acreditamos em breve, poder exercer a nossa profissão sem as PEAS da OAB, que certamente não existiria sem os mesmos.
    Devemos ser eternos como seres humanos e profissionais, e nunca transitório como nossa insegurança e vaidades.
    P
    G A

  8. Geraldo Pereira de Almeida disse:

    GPA

  9. APENAS UMA BRASILEIRA disse:

    A AOB me colocou uma faca no pescoço e disse:
    Quer ter registro profissional? Então faça direitinho tudo que eu mando:
    Pegue R$ 200,00 (Duzentros Reais) e faça a inscrição para fazer a prova, só te digo uma coisa se você não fez um cur$o preparátório a chance de passar é míínima, finalmente se submeta a prova é uma prova que até desembargadores dizem que reprovariam. Digo também que sou impar que ninguém fiscaliza a prova que aplico, então coloco o que quero e como quero, e na correção também não há fiscalização, corrijo como quero
    E me pergutou:
    E aí vai encarar?
    Eu respondi cabisbaixo:
    Não é para mim não Senhora, a senhora é impar, é podero$a, e eu quem sou eu? eu estudei 5 anos, deixei filhos com parentes, chegava tarde em casa, passei finais de semana estudando para provas, atendi no núcleo, comprei livros e cadernos, deixei de comprar coisas até de primeira necessidade para meus filhos, afim de concluir um curso superior, sou pequena diante de sua magnitude, não faço parte da elite, pode tirar a faca do meu pescoço, ou me mate logo de uma vez, não tenho R$ 200,00, enquanto a senhora tiver esse poder de massacrar e excluir o pobre eu vou ficando sem meu registro profissional.
    A OAB é impar e eu…
    SOU APENAS UMA BRASILEIRA !
    UMA BRASILEIRA QUE CURSOU UM CURSO SUPERIOR DE DIREITO COM APOIO DO GOVERNO FEDERAL.
    UMA BRASILEIRA QUE AMA O SEU PAÍS e que implora ao STF que tirem essa opressora do meu caminho que quero e tenho direito de seguir.
    Obrigada

  10. Malu Lima disse:

    A OAB cobra uma taxa abusiva para que os bacharéis sejam “testados”. Eu nunca tive condições de arriscar tal valor, portanto já estou excluida mesmo antes de passar pelo corredor da humilhação, a taxa por si só já é discriminatória, pois o pobre não pode pagar e então lhe é vedado fazer a prova, ademais isenção é para aquele que tem renda percapta familiar de mio salário mínimo, praticamante o valor da prova. Durmo e acordo indignada, quero justiça, não mereço ser colcoada a margem da profissão dessa forma, como eu há muitos que não fazer a prova devido ao alto valor cobrado.
    Estamos no Brasil e a taxa parece ter por base a economia de países de primeiro mundo. Esta prova não é qualificação profissional muito menos testa quem tem o mínimo de conhecimento ela é elitista, tem mais chances de passar aquele que fez curso preparatório (pobre não tem condições de fazer) e os cursos apenas trazem para flora da mente aquilo aprendido em 5 anos de faculdade, usam de macetes e códigos, isso não é o verdadeiro aprendizado é decoreba.
    AMo o Brasil e a CF/88, quero justiça para mim e para outros pobres, para outros brasileiros.
    Obrigada

  11. Rodrigo disse:

    A ordem já referiu que as faculdades formam bachareis, e o exame de ordem formam advogados, pergunto: Quer dizer então que, não preciso ficar 05 (cinco) anos se mantando de estudar em uma faculdade de Direito, basta eu fazer o exame e ser aprovado que sou advogado?
    Segundo, entendo que, caso o STF julgue constitucional o exame de ordem, devemos recorrer pela gratuidade do mesmo, por que é o cumulo, enquanto que, para se fazer uma prova de enem se paga um valor de aproximadamento R$ 60,00 (sessenta reais), sendo que está prova é aplicada na maioria das cidades brasileiras, temos que pagar R$ 200,00 (duzentos reais) para fazer tal exame, sendo que, não é aplicado em todas as cidades, teoricamente, o custo é mais barato. Olha, gostaria de ver, se o exame fosse obrigatóriamente gratuito, queria ver se a OAB continuaria a defender tal exame, ela mesma, por si só, vendo que não é mais lucrativo a preparação e aplicação da prova, como o mesmo ato administratico que emplatou o exame, ela o tiraria de circulação.
    Acredito que o Supremo, como guardião da CF/88, irá declarar a inconstitucionalidade de tal “mega sena”, opa, Exame de ordem.

  12. OAB – Queremos que respeitem a Constituição Federal.
    A mentira de que este exame seleciona bons profissionais é desmascarada com os crimes ocorridos envolvendo Advogados inscritos na OAB através da mídia.
    Não é possível que mais de 100 mil bacharéis torturados e tratados como incapazes em cada exame fiquem de cabeça baixa, envergonhados sem forças para lutar.
    Estamos sofrendo a maior injustiça já vista no Brasil, depois de receber o diploma somos tratados como indivíduos não oriundos de uma Universidade e sim de uma prisão.
    Porque é necessário um exame para um estudante que ficou 5 anos em uma faculdade e preencheu os requisitos exigidos pelo MEC?
    Para que se forma o Bacharel em Direito, para ser NADA?

    Dignidade da Pessoa Humana, CF/88, Clausulas Pétreas sendo ignoradas e desrespeitadas?

    JUSTIÇA JÁ!

  13. jorge litwinczuk disse:

    Simples, a inadimplencia dos quadros da OAB era enorme,surgiu o exame, foi a tabua de salvação,tres MEGA SENA por ano, quanto mais reprovar, mais dinheiro no exame seguinte. Embora a Oab fale que se fosse só financeiro o melhor era dar a carteira para todo bacharel e receber as anuidades, PURA MENTIRA, a OAB sabe que poucos vão prosperar com escritórios. É muito triste ver a Oab rasgar a constituição desta maneira, logo ela que deveria ser a principal guardiã, chega a ser hilário, a OAB postando comentários contra exame de ordem, por seus colaboradores, referenciando-os como sumidades jurídicas, ora, é convocar a RAPOSA para opinar sobre segurança do galinheiro

  14. Hosanildo Diógenes disse:

    Eu gostaria de saber: quem a OAB está representando? Está em defesa de um pequeno grupo de advogados, fazendo reserva de mercado e praticando estelionato/enriquecimento ilícito em função da ilegalidade na aplicação do exame de ordem ou em defesa dos advogados bacharéis que foram preparados durante cinco anos para atuarem no mercado de trabalho? Em que lugar da Constituição está sendo delegado a OAB fazer um concurso público, sem vaga, para que o bacharel possa exercer a sua profissão? Aonde fica a supremacia do MEC e das Instituições de Ensino Superior? Como é que se admite um DIPLOMA, que é um documento público, expedido por um órgão público, ser colocado em xeque, ser colocado em dúvida a sua validade por quem é apenas representante de uma determinada categoria de profissão liberal. Senhores e senhoras, estudantes e bacharéis advogado(a), O MEC, A CF/88 e a LDB/96 não delega esse procedimento da aplicação do exame de ordem a OAB, e mais ainda, a LDB(lei 9.394/96) revoga a lei 8.906/94(Estatuto da Advocacia e da OAB) no que diz respeito ao exame, quando diz no seu artigo 43 que: “as faculdades preparam indivíduos APTOS a serem inseridos em seu mercado de trabalho”. Diante de tudo isso, aonde a OAB quer chegar? A quem ela quer enganar? Por favor, querer subestimar a nossa inteligencia é querer afirmar de fato que as IES não nos ensina nada, apenas se preocupa em dar diploma e, isso, não é verdade. Vão tentar colocar em prática o que de fato é da competência de vocês. Vão fazer valer aquilo que o Código de Ética e Disciplina da OAB os delega como missão. A OAB não é uma instituição financeira, mas sim, uma entidade representativa de classe(categoria profissional). Desculpa-me o desabafo. Hosanildo Diógenes.

  15. Ailton disse:

    Um breve relato s/ (In) Constiucionalidade do Exame de Ordem da OAB:
    Para a OAB, os argumentos utilizados para sustentar a constitucionalidade do exame de ordem são para defender o ponto de vista administrativo, político, econômico e financeiro. Para os demais, o ponto de vista é JURÍDICO, ou seja, em defesa da própria constituição. É nesta linha de raiocínio que devemos nos assentar “PROTEGER A CONSTITUIÇÃO”. A decisão do STF acerca da matéria, muito embora complexa, merece destaque e plausibilidade em ratificar e acatar o parecer da PGR, pela inconstitucionalidade do exame. Neste diapasão de ideias, os melhores argumentos foram tecidos pela inconstitucionalidade do exame, bem como pela ilegalidade, em defesa dos bachareis em direito e da constituição. FIM AO EXAME DE ORDEM JÁ !

  16. CARLOS ANTONIO PEREIRA disse:

    Os Fatos com o processo de execução, que acabo de mencionar são veridicos com sentença transitada,por este motivo fique perplexo com tudo que vi e venho presenciando no meu dia a dia, encontarndo com advogado que não sabe nem onde impetrar um manadado de segurança em façe a um aluno inadimplente com a universidade, é vergonhoso,
    Mas EXAME DE ORDEM é o maior problema que enfrentamos hoje, e para derrumar só se fizer um grande movimento como fizeram com o então PRESIDENTE COLOR,l caso contrario, serão tudo em vão.,

    Esta palavrea RESERVA DE MERCADO , doi quando alguem comenta, fico muito triste.

    Não vamos desanimar, O MURO DE BERLIM DEMOROU PARA CAIR, MAS CAIU, E A OAB ESTA CONTANDO COM ALGUMAS PESSOAS QUE USAM DA OAB COMO INSTRUMENTO POLITICO NA SOCIEDADE BRASILEIRA, EM A OAB PRECISA PASSAR POR REFORMULAÇÃO COMO, A NOSSO POLITICA NOS ANOS DA DITADURA, PRECISAMOS ACABAR COM A DITADURA DENTRO DA OAB.

    EM BREVE VERÃO QUE EU TENHO RAZÃO QUANDO EU PUBLICAR A SENTENÇA DE UM PROCESSO QUE FOI UMA VERDADEIRA LAMBANÇA, É QUE SE PODE DIZER DE TUDO QUE PENSEI SOBRE QUE CONDUZIU, PERDERO PARA UM BACHAREL QUE LUTA PELA SUA CARTEIRA A UMA IDADE APROXIMADA DE 45 ANOS.

  17. CARLOS ANTONIO PEREIRA disse:

    Em breve eu estarei enviando um AÇÃO ONDE VOU PROVAR QUE O EXAME DE ORDEM NÃO É TÃO IMPORTANTE ASSIM, MANDAREI UMA COPIA DA SENTENÇA, AO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA, PARA QUE QUE OLHE BEM PARA ESTE PROCESSO CONDUZIDO POR UM GRANDE ESCRITORIO DE ADVOCACIA, ESTARÁ DEMONSTRADO QUE O BACHAREM QUE CONDUZIU O PROCESSO APENAS CONTOU COM ASSINATURA DE SUA IRMÃ, QUE DIANTE DOS FATOS NÃO ACREDITARIA QUE A AÇÃO TERIA SUCESSOS. AGUARDEM, NUNCA VI UMA IRREPONSABILIDADE NA CONDUÇÃO DE UM PROCESSO COMKO ESTA, ENFIM UMA VERDADEIRA LAMBANÇA, NO PROCESSO DE EXECUÇÃO, E MAIS MANDAREI COPIA PARA A OAB SÃO PAULO E O CONSELHO FEDERAL, PARA QUE TOMEM CIENCIA DESTE CASO, É UMA BARBADA. AGUARDEM EM BREVE

    • Aguardaremos também que vc melhore o seu texte, isto sim esta uma zona !!!
      Eduardo.

      • Aguardaremos que você também melhore o seu texto. A caixa alta é utilizada para a imposição da sua opinião, no meu ver, uma merda. Advogados atrelados a quadrilha de bandidos é o que mais tem por aí, ou não somos os últimos da lista dos profissionais com credibilidade. Querer se defender com este argumento ridículo , é mesma coisa que tentar o suicídio, Idiota !!!
        Eduardo

  18. Elza disse:

    Parabéns ao nobre colega Reynaldo pelo artigo e pelo trabalho em prol dos bacharéis. É lamentável uma pessoa cursar uma faculdade por longos 5 anos, ser aprovado em todas as disciplinas receber o grau de bacharel em direito, pegar o diploma e guardar na gaveta…porque nos é negado o direito de trabalhar…basta de tanta injustiça!

  19. Adailson Alves disse:

    PARABÉNS AO NOBRE DR. REYNALDO ARANTES QUE VEM UNIFORMEMENTE NA LUTA EM FAVOR DOS BACHARÉIS. QUANTO AOS LÍDERES ATUAIS QUE COMPÕE A OAB E QUE USAM O EXAME COMO FORMA DE SE BENEFICIAR EM CAUSA PRÓPRIA, PARAR ELES DEVEM SER INVESTIGADO A CAIXA PRETA DA OAB E RESPONSABILIZAR FATURAR CERCA DE 25 MILHÕES A CADA PROVA, SEM FISCALIZAÇÃO DE NINGUÉM, ESSES MESMOS DIRIGENTES DA OAB DEVEM TODOS SEREM INVESTIGADO E DENUNCIADOS PELA FALTA DE DECORO, INGRATIDÃO, INJUSTIÇA, ENGANAÇÃO, REPARAÇÃO POR PERDAS E DANOS, EM DECORRÊNCIA DOS ÚLTIMOS 5 (CINCO) ANOS DA PRÁTICA DO FAMIGERADO, PERVERSO E GANANCIOSO, PERNICIOSO, INCONSTITUCIONAL E ILEGAL EXAME DA DESORDEM QUE SÓ AVALIA RESERVA DE MERCADO.

  20. Pingback: OAB anula três questões da primeira fase do 1º Exame de Ordem de 2011 | Inacio Vacchiano

  21. leide maria fagundes alves disse:

    sou contra o exame da ordem,porque me tira o direito de ttrabalharr como jurista,estou desempregada há dois meses ,se eu pudesse advogar,não estaria passando dificuldades,no pamotvomssado o bacharel do direito saia da faculdade ja podia trabahar estou nesta briga e não vejo motivo para os ministros manter uma prova que e incontitucional

  22. Luiz disse:

    O desembargador Sylvio Capanema, TJRJ, se diz contrário à constitucionalidade do exame. “Eu não consigo entender como é que o governo chancela um curso, outorga o grau de bacharel, o que significa reconhecer que o aluno está preparado para o exercício da profissão, e que ele ainda tenha que passar por um último teste, último desafio”, afirma. “As faculdades de direito ficam desmoralizadas, porque recebem um atestado de incompetência porque são capazes de lançar no mercado profissionais que não teriam condições de exercer a profissão.”

    • Dr. Edir disse:

      EU ACHO QUE VOCÊS DEVERIAM PARAR COM ESSA FRESCURA E COMEÇAR A ESTUDAR PARA O PRÓXIMO EXAME, SEUS FRACASSADOS! VOCÊS SÃO UMA CAMBADA DE PERDEDORES E, COMO TAL, DEVERIAM TER CURSADO PSICOLOGIA, MAGISTÉRIO OU GEOGRAFIA, QUE SÃO CURSOS DE FRACOS. OU ENTÃO O TAL “TECNÓLOGO” QUE TÁ EM VOGA. SENÃO, ME RESPONDAM: “QUANDO COMEÇARAM A FAZER FACULDADE, SABIAM OU NÃO A RESPEITO DO EXAME?! HEEEIMMMMMMMMM?! AAAAAAHHHHHNNNNN, SABIAM, NÉ ?! E AGORA QUEREM VIRAR A MESA, MUDAR AS REGRAS DO JOGO?! VÃO CHORAR NA CAMA QUE É LUGAR QUENTE, SEUS INCOMPETENTES. PROVINHA FÁCIL DESSA!…SE EU PASSEI, VOCÊS TAMBÉM PODEM, SEUS I N C O M P E T E N T E S !!!

      • Sergio dos Santos disse:

        Sr Odir gostaria de lhe diser que você não pode falar de meus colegas neste vobulario vulgar, nem imiscuir-se na quilo que não conhece, portanto, quando entramos na faculdade nós sabiamos que era necessario o tal exame, mas ao passar do tempo com o proprio estudo na faculdade aprendemos o que é constitucional e inconstitucional, portanto o exame de ordem é inconstitucional, não é em tonto como você que vai tirar o nosso prazer de ver a queda desse axame.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s