O papa Bento XVI pede aos religiosos para não votar em José Serra cuja mulher cometeu aborto


Em reunião com bispos da região nordeste do país nesta quinta-feira, o papa Bento XVI falou a respeito do aborto e – sem citar diretamente a eleição do próximo domingo – pediu aos religiosos que orientem politicamente os fiéis, reforçando a posição da Igreja Católica a respeito do tema. O encontro ocorreu pela manhã, em Roma. “Em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum”, afirmou o pontífice.

Horas o candidato que de fato cometeu aborto foi José Serra e sua mulher Monica Serra, conforme reportagem abaixo.

“Monica Serra já fez um aborto e sou solidária à sua dor”, afirma ex-aluna da mulher de presidenciável

13/10/2010 12:39,  Por Redação, do Rio de Janeiro e São Paulo

Monica SerraSylvia Monica Serra foi professora de dança na Unicamp 

O desempenho do presidenciável tucano, José Serra, no debate do último domingo pela TV Bandeirantes, foi a gota d’água para uma eleitora brasileira. O silêncio do candidato diante da reclamação formulada pela adversária, Dilma Rousseff (PT) – de que fora acusada pela mulher dele, a ex-bailarina e psicoterapeuta Sylvia Monica Allende Serra, de “matar criancinhas” –, causou indignação em Sheila Canevacci Ribeiro, a ponto de levá-la até sua página em uma rede social, onde escreveu um desabafo que tende a abalar o argumento do postulante ao Palácio do Planalto acerca do tema que divide o país, no segundo turno das eleições. A coreógrafa Sheila Ribeiro relata, em um depoimento emocionado, que a ex-professora do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Monica Serra relatou às alunas da turma de 1992, em sala de aula, que foi levada a fazer um aborto “no quarto mês de gravidez”.

Em entrevista exclusiva ao Correio do Brasil, na noite desta segunda-feira, Sheila deixa claro que não era partidária de Dilma ou de Serra no primeiro turno: “Votei no Plínio (de Arruda Sampaio)”, declara. Da mesma forma, esclarece ser apenas uma eleitora, com cidadania brasileira e canadense, que repudiou o ambiente de hipocrisia conduzido pelo candidato da aliança de direita, ao criminalizar um procedimento cirúrgico a que milhões de brasileiras são levadas a realizar em algum momento da vida. Sheila, durante a entrevista, lembra que no Canadá este é um serviço prestado em clínicas e hospitais do Estado, como forma de evitar a morte das mulheres que precisam recorrer à medida “drástica e contundente”, como fez questão de frisar.

No texto, intitulado “Respeitemos a dor de Mônica Serra”, Sheila Ribeiro repete a pergunta de Dilma, que ficou sem resposta:

– Se uma mulher chega em um hospital doente, por ter feito um aborto clandestino, o Estado vai cuidar de sua saúde ou vai mandar prendê-la?

Leia o texto, na íntegra:

Respeitemos a dor de Mônica Serra

“Meu nome é Sheila Ribeiro e trabalho como artista no Brasil. Sou bailarina e ex-estudante da Unicamp onde fui aluna de Mônica Serra.

“Aqui venho deixar a minha indignação no posicionamento escorregadio de José Serra, que no debate de ontem (domingo), fazia perguntas com o intuito de fazer sua campanha na réplica, não dialogando em nenhum momento com a candidata Dilma Roussef.

“Achei impressionante que o candidato Serra evita tocar no assunto da descriminalização do aborto, evitando assim falar de saúde pública e de respeitar tantas mulheres, começando pela sua própria mulher. Sim, Mônica Serra já fez um aborto e sou solidária à sua dor.

“Com todo respeito que devo a essa minha professora, gostaria de revelar publicamente que muitas de nossas aulas foram regadas a discussões sobre o aborto, sobre o seu aborto traumático. Mônica Serra fez um aborto. Na época da ditadura, grávida de quatro meses, Mônica Serra decidiu abortar, pois que seu marido estava exilado e todos vivíamos uma situação instável. Aqui está a prova de que o aborto é uma situação terrível, triste, para a mulher e para o casal, e por isso não deve ser crime, pois tantas são as situações complexas que levam uma mulher a passar por essa situação difícil. Ninguém gosta de fazer um aborto, assim como o casal Serra imagino não ter gostado. A educação sobre a contracepção deve ser máxima para que evitemos essa dor para a mulher e para o Estado.

“Assim, repito a pergunta corajosa de minha presidente, Dilma Roussef, que enfrenta a saúde pública cara a cara com ela: se uma mulher chega em um hospital doente, por ter feito um aborto clandestino, o Estado vai cuidar de sua saúde ou vai mandar prendê-la?

“Nesse sentido, devemos prender Mônica Serra caso seu marido seja eleito presidente?

“Pelo Brasil solidário e transparente que quero, sem ameaças, sem desmerecimento da fala do outro, com diálogo e pelo respeito à dor calada de Mônica Serra,

“VOTO DILMA”, registra, em letras maiúsculas, no texto publicado em sua página no Facebook, nesta segunda-feira, às 10h24.

Reflexão

Diante da imediata repercussão de suas palavras, Sheila acrescentou em sua página um comentário no qual afirma ser favorável “à privacidade das pessoas”.

“Inclusive da minha. Quando uma pessoa é um personagem público, ela representa muitas coisas. Escrevi uma reflexão, depois de assistir a um debate televisivo onde a figura simbólica de Mõnica Serra surgiu. Ali uma incongruência: a pessoa que lutou na ditadura e que foi vítima de repressão como mulher (com evento trágico naquele caso, pois que nem sempre o aborto é trágico quando é legalizado e normalizado) versus a mulher que luta contra a descriminalização do aborto com as frases clássicas do “estão matando as criancinhas”. Quem a Mônica Serra estaria escolhendo ser enquanto pessoa simbólica? Se é que tem escolha – foi minha pergunta.

“Muitas pessoas públicas servem-se de suas histórias como bandeiras pelos direitos humanos ou, ainda, ficam quietas quando não querem usá-las. Por isso escrevi ‘respeitemos a dor’. Para mim é: respeitemos que muita gente já lutou pra que o voto existisse e que para que cada um pudesse votar, inclusive nulo; muita monica-serra-pessoa já sofreu no Brasil e em outros países na repressão para que outras mulheres pudessem escolher o que fazer com seus corpos e muitas monicas-serras simbólicas já impediram que o aborto fosse descriminalizado.

“Muitas pessoas já foram lapidadas em praça pública por adultério e muitas outras lutaram pra que a sexualidade de cada um seja algo de direito. A minha questão é: uma pessoa que é lapidada em praça pública não faz campanha pela lapidação, então respeitemos sua dor, algo está errado. Se uma pessoa pública conta em público que foi lapidada, que foi vítima, que foi torturada, que sofreu, por motivos de repressão, esse assunto deve ser respeitadíssimo.

“Vinte por cento da população fazem abortos e esses 20% tem o direito absoluto de ter sua privacidade, no entanto quando decidem mostrar-se publicamente não entendo que estes assimilem-se ao repressor”, acrescentou a ex-aluna de Monica Serra, que teria relatado a experiência, traumática, às alunas da turma de 1992.

Exílio e ditadura

Sheila diz ainda, em seu depoimento, que “muitas pessoas querem ‘explicações” para o fato de ela declarar, publicamente, o que a ex-professora disse às suas alunas na Unicamp.

“Eu sou apenas uma pessoa, uma mulher, uma cidadã que viu um debate e que se assustou, se indignou e colocou seu ponto de vista na internet. Ao ver Dilma dizendo que Mônica falou algo sobre ‘matar criancinhas’, duvidei.

“Duvidei porque fui sua aluna e compartilhei do que ela contou, publicamente (que havia feito um aborto), em sala de aula. Eu me disse que uma pessoa que divide sua dor sobre o aborto, sobre o exílio e sobre a ditadura, não diria nunca uma atrocidade dessas, mesmo sendo da oposição. Essa afirmação de ‘criancinhas assassinadas’ é do nível do ‘comunista come criancinha’. A Mônica Serra é mais classe do que isso (e, aliás, gosto muito dela, apesar do Serra não ser meu candidato).

“Por isso, deixei claro o meu posicionamento que o aborto não pode ser considerado um crime – como não é na Itália, na França e em outros países. Nesse sentido não quero ser usada como uma ‘denunciadora de um ‘delito’. Ao contrário, estou relembrando na internet, aos meus amigos de FB (Facebook), que o aborto é uma questão complexa que envolve a todos e que, como nos países decentes, não pode ser considerado um crime – mas deve ser enfrentado como assunto de saúde.

“O Brasil tem muitos assuntos a serem tratados, vamos tratá-los com o carinho e com a delicadeza que merece.

“Agora volto ao meu trabalho”, conclui Sheila o seu relato na página da rede social.

Sem resposta

Diante da afirmativa da ex-aluna de Sylvia Monica Serra, o Correio do Brasil procurou pelo candidato, no Twitter, às 23h57:

“@joseserra_ Sr. candidato Serra. Recebemos a informação de que Dnª Monica Serra teria feito um aborto. O sr. tem como repercutir isso?”

Fonte: http://correiodobrasil.com.br/monica-serra-ja-fez-um-aborto-e-sou-solidaria-a-sua-dor-afirma-ex-aluna-da-mulher-de-presidenciavel/185824/

Esse post foi publicado em Notícias e política. Bookmark o link permanente.

11 respostas para O papa Bento XVI pede aos religiosos para não votar em José Serra cuja mulher cometeu aborto

  1. Elvira Campos disse:

    Sucatearam nossas estatais e depois as venderam a preço de banana!
    Leiam “Brasil privatizado”, de Aloysio Biondi, antes de votar no domingo.

  2. Elvira Campos disse:

    “Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus.”
    “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.”
    Não quero a quadrilha do PSDB de volta ao Planalto!!!!!!!!!
    Eles venderam o Brasil e eu não recebi um centavo até hoje…

  3. Marcos Pinho disse:

    Segundo a direção do partido o deputado *LUIZ BASSUMA* não foi expulso ele teve alguns direitos suspensos por agredir verbalmente seus colegas opositores de dentro do partido que eram a favor do aborto, ele é um heroi na luta contra o aborto, mas se excedeu em suas declarações e foi para o PV.

  4. Vilsom disse:

    Será que a orientação do Papa não era para não votarem em quem quer a descriminalização do aborto?

  5. José Ruiz disse:

    Qual será a verdadeira preocupação do papa ao tentar influenciar as eleições no Brasil dessa forma… chega a ser grotesco, já que ele é chefe de estado e o Brasil, de governo laico, está realizando eleições livres… será que eles estão querendo “dominar” o pedaço? Seja como for, dia 31 é Dilma 13.

  6. Moisés Gomes disse:

    Que notícia mais disfarçada!!!! É o PT que aprova o aborto e obriga seus militantes também!? E o Bassuma, saiu do PT por quê??? O Papa foi direto a todos os pontos do PNDH-3 e você me vem com essa de que ele mandou não votar no Serra???
    Faz-me rir!!! Que o Serra é um falso todo mundo sabe… Agora querer negar que a Dilma não é e ainda com “o aval do Papa”! Essa é demais! É a distorção das distorções!!!! Vem cá meu querido, explique-me só uma coisa: POR QUE O BASSUMA FOI EXPULSO DO PT?

  7. Marcos disse:

    Clarivaldo !
    Gostei do seu discurso. Acho até que Vc é cliente do Bolsa Familia !! Você tem todo o direito de defender o Dilma . Quem sabe o amigo vai gostar de viver em PLENO COMUNISMO . Ou a Dilma e o PT em sua essencia não é comunista. O fórum de SP criado pelo PT é realmente uma maravilha. NÃO TEM QUE DAR BOLSA DE NADA e sim condições para as pessoas terem uma vida Digna.SEM PRECISAR DE ESMOLAS. Amigo. Veja a saúde, educação, segurança. Vc acha que está tudo muito bem ? O Amigo sabe por acaso o que é na íntegra o PNH3 colocado em dezembro de 2009 pelo nosso querido presidente, ao apagar as luzes daquele ano ? Realmente o passado da DONA DILMA realmente o recomenda . E MUITO . Aguarde 2011 e Vc verá no que deu eleger este PARTIDO. Ah ! A divida interna que dobrou nestes últimos oito anos. Ou seja de 862 BI , para 1,6 Trilhões terá que ser paga. ( É cheque sem fundo ) . Nossa carga tributária está hoje acima de 36,5 % . Realmente foi uma grande administração. MUITO BOA ! Resta saber para quem ????

    • Mário SF Alves disse:

      “Comu…” o quê? Espera aí, isso já não acabou? E não foram os EUA, os mesmos que durante a guerra-fria dogmatizavam o ocidente com a demonização da ex-URSS, os mesmo que, logo após isso, divulgaram para o mundo inteiro as idéias de um norte americano chamado Francis Fukuyama, que, indo de Platão a Nietzsche e passando por Kant e Hegel, buscou revigorar a tese de que o capitalismo e a democracia burguesa constituem o coroamento da história da humanidade, de que a humanidade teria atingido, no final do século XX, o ponto culminante de sua evolução com o triunfo da democracia liberal ocidental sobre todos os demais sistemas e ideologias concorrentes? E não foi esse mesmo Fukuyama que decretou o fim da História? Estranho, não? Comunismo!!? No Brasil!!? Como? Quando? Por quê? Desculpe-me, amigo, mas, seu argumento é tão tendencioso quanto aos do desconstruvitista-mor José Serra, ególatra, obsessivo, idéia fixa, imperialista e anti-povo. Esses mesmos Josés que desprezam o jogo institucional-democrático, e para os quais os “fins justificam todos os meios”. Lembra da propaganda do inseticida Rodox? As baratinhas gritando, desesperadas, RODOX não! Pois é! Para eles, para a elite mundial, para o capitalismo financeiro mundial e seus asseclas, e para os Josés Serras, da vida, ainda continuamos baratas ou cucarachas, como dizia o Henfil. Mas, por favor, não fique triste não: a ex-ministra Dilma vai ser eleita, o Projeto Brasil Para Todos, sócio e ambientalmente sustentável não será abortado, e, sem comunismos, continuaremos ainda continuaremos, e por um bom tempo, sob a égide do neo-liberalismo; ideologia essa que – me perdoe – parece lhe ser a mais apropriada – essa mesma até pouco antes da recente crise econômica, preconizava que o mercado resolve tudo: resolve educação; resolve saúde; resolve segurança. É… pena, não é? Só não resolve a crise financeira; pois essa quem paga é o povo: o francês, o grego, o inglês, o norte-americano e por aí vai.
      Aceite um fraterno abraço!
      Em tempo: quanto ao Bolsa-Família, siga o link (http://www.mariaritakehl.psc.br/resultado.php?id=308 ) e veja o artigo publicado na Folha e que foi motivo de demissão sumária da articulista Maria Rita Kelh.Espera aí, isso já não acabou? E não foram os EUA, os mesmos que durante a guerra-fria dogmatizavam o ocidente com a demonização da ex-URSS, e que, logo após isso, divulgaram para o mundo inteiro as idéias de um norte americano chamado Francis Fukuyama, que, indo de Platão a Nietzsche e passando por Kant e Hegel, buscou revigorar a tese de que o capitalismo e a democracia burguesa constituem o coroamento da história da humanidade, de que a humanidade teria atingido, no final do século XX, o ponto culminante de sua evolução com o triunfo da democracia liberal ocidental sobre todos os demais sistemas e ideologias concorrentes? E não foi esse mesmo Fukuyama que decretou o fim da História? Estranho, não? Comunismo!!? No Brasil!!? Como? Quando? Por quê? Desculpe-me, amigo, mas, seu argumento é tão tendencioso quanto aos do desconstruvitista-mor José Serra, ególatra, obsessivo, idéia fixa, imperialista e anti-povo. Esses mesmos Josés que desprezam o jogo institucional-democrático, e para os quais os “fins justificam todos os meios”. Lembra da propaganda do inseticida Rodox? As baratinhas gritando, desesperadas, RODOX não! Pois é! Para eles, para a elite mundial, para o capitalismo financeiro mundial e seus asseclas, e para os Josés Serras, da vida, ainda continuamos baratas ou cucarachas, como dizia o Henfil. Mas, por favor, não fique triste não: a ex-ministra Dilma vai ser eleita, o Projeto Brasil Para Todos, sócio e ambientalmente sustentável não será abortado, e, sem comunismos, continuaremos ainda continuaremos, e por um bom tempo, sob a égide do neo-liberalismo; ideologia essa que – me perdoe – parece lhe ser a mais apropriada – essa mesma até pouco antes da recente crise econômica, preconizava que o mercado resolve tudo: resolve educação; resolve saúde; resolve segurança. É… pena, não é? Só não resolve a crise financeira; pois essa quem paga é o povo: o francês, o grego, o inglês, o norte-americano e por aí vai.
      Aceite um fraterno abraço!
      Em tempo: quanto ao Bolsa-Família, siga o link (http://www.mariaritakehl.psc.br/resultado.php?id=308 ) e veja o artigo publicado na Folha e que foi motivo de demissão sumária da articulista Maria Rita Kelh.

  8. Prezados Srs. como bom democrata que sou, e não sendo partidário de notícias infundadas e tendenciosas, normalmente sigo as notícias VERDADEIRAS, NÃO TENDENCIOSAS, e as que assumem perfil de manobras interpretativas, ficam naturalmente desacreditadas, até pelo perfil das pessoas envolvidas, que possuem passado limpo, e não se escondem até atrás de portas blindadas de cofres, que possuem opinião clara e definida, não necessitando de procurar uma postura diferente a cada aparição na mídia, fato este facilmente comprovado por imagens diversas em sites de relacionamento e de entreterimento. Repito: Isso é FATO.
    Agora algumas perguntas se fazem necessarias: Quem oculta FATOS do seu passado ? Dilma ou Serra ? Há algum indicio fisico real, tal como um registro médico sobre o caso citado ? Além de um comentário/depoimento de uma aluna ? Há alguma citação oficial do Vaticano sobre o caso ? Há sim sobre as eleições brasileiras, e sim sobre o Plano de Governo inicialmente apresentado contendo o PNDH 3, FATO INCONTESTE, e isso sim gerou a atenção do Vaticano, até pelas pressões que o Governo fez com relação ao acordo internacional assinado pelo Brasil e o Vaticano. Isso sim é fato, não um comentário/depoimento desprovido de evidencias concretas.
    Finalizando, o que teria mais base de credibilidade, a matéria da Folha que trata das recomendações do Vaticano qto as eleições brasileiras, ou um … comentário da ex-aluna ?
    Concordamos que a democracia preve a defesa de nossos candidatos, mas que a façamos dentro da verdade, da ética, da experiência, da tranparência, e das realizações reconhecidas até internacionalmente. Cargos indicados ? Muito pouco. Reconhecimento nos pleitos, são fatos, até pelo mesmo fato de Serra ser um vitorioso na grande maioria de eleições que participou, e vencendo no 1º turno varios pleitos, fato que corrobora sua aprovação, até na eleição que mais uma vez o Mercadante ficou para trás … No 1º turno …
    Finalizando, está circulando na Internet um estudo que mostra Serra ganhando a eleição, feito por economistas que dentro das previsões do IBOPE, e além disso, temos a recuperação da queda das ações da Petrobrás, ao se confirmarem a pasagem de Serra para o 2º turno, apesar de ainda acumular um prejuizo na cotação das ações de mais 14,3 bilhões em seu valor global. Isso é o mercado financeiro que diz, não um partido.
    No final, a verdade sempre fala mais alto que a mentira … Afinal, Dilma não venceria no 1º turno ?

    • Clarivaldo - SP disse:

      André.

      Esse trololo todo só para uma tese conspiratória de que o Serra é o mais preparado e tem chance de ganhar?

      Pois que vá para o quinto dos infernos, com o aval do papa.

      Sou católico praticante, e não entro nesse papo furado da ala conservadora da igreja. Parceiro, o Estado é laico. E ainda bem que é assim, não quero o Estado se metendo nas minhas preferências pessoais, dentre elas minha fé.

      Porque o papa não se mete nesta questão na Itália? lá a discriminalização do aborto é fato, inclusive com apoio de alas mais progressistas da igreja católica apostólica romana.

      No mais, o que mais cristão, discutir esta picuinha, ou tirar da condição de miserável milhares de pessoas e com isto, salavar milhares de vidas que estariam fadadas à morte por desnutrição?

      Faça-nos um grande favor, se não vai discutir os fatos, deixe-nos em paz.

      Dilma 13

    • Mário SF Alves disse:

      É… parece que o fim justificando todos os meios tende a impressionar muita gente. E o inanimaginável acontece: diante de tanta ignonímia, diante de tanta difamação, de tanta nulidade, diante de tanta hipocrisia, o Brasil que já nasceu, o Brasil dos brasileiros poderá ser salvo pelos evangélicos. Terá sido um tiro no pé com bala de Papa, ops…, de prata? Já não bastou o escândalo da bolinha de papel? Êita, José! Santo José! Ah! Pelo sermão de Sua Santidade, vamos ter de, ao contrário da França, continuar a abrir espaço público para os símbolos religiosos. Só que haja espaço, tamanha é a diversidade religiosa no País; imagine se as religiões afro-brasileiras e nações indígenas resolverem se representar

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s